O Mestre está mais forte do que nunca
Por José Nilton Dalcim
12 de agosto de 2018 às 23:53

Rafael Nadal acertadamente desistiu de ir a Cincinnati, mas qualquer coisa que aconteça no Masters americano que começa nesta segunda-feira não terá influência em cima da posição cada vez mais favorável do espanhol frente ao US Open que se aproxima.

Antes de tudo, vale lembrar que Toronto está muito mais para Flushing Meadows do que a velocidade de Cincy. E todo mundo viu como Rafa subiu de produção a cada partida disputada. É bem verdade que o calor e a umidade de Nova York exigem muito mais do físico, mas isso nem de longe é um problema para ele.

Enquanto Nadal poderá descansar, com a confiança lá em cima, e se adaptar mais cedo à Big Apple, todos seus concorrentes mais diretos estarão à procura de ritmo. Cincinnati será o único preparativo para Roger Federer, a chance de Alexander Zverev esquecer Toronto, a oportunidade de Novak Djokovic mostrar um tênis mais vigoroso. Há dúvidas sobre o punho de Juan Martin del Potro. Ainda se deve observar Marin Cilic, Kevin Anderson e John Isner.

Por tudo isso, se entende por que Rafa enfatiza tanto a importância do título conquistado neste domingo, seu primeiro Masters fora do saibro em cinco anos. Ele chegará para a defesa do US Open em melhor situação física e emocional do que qualquer concorrente e então terá apenas de torcer por uma sequência ideal de adversários. Alguém duvida que Nadal ficou extremamente perigoso?

Esquecendo-se aquele final de jogo fora do contexto, seu domínio sobre o jovem Stefano Tsitsipas foi expressivo em fatos e números: 27 winners contra 15, 94% de pontos vencidos com o primeiro saque, placar de 23 a 14 nas trocas acima de 5 golpes e 10 a 4 nas que superaram 9. É bem verdade que o grego se perdeu rapidamente na partida, apressando-se na medida em que seus forehands falhavam – dos 25 erros, 16 foram com seu golpe principal.

Nadal foi impecável com o saque até a falha no 5/4 do segundo set, ficou pressionado no único momento que o Tsitsipas entendeu que não precisava arriscar a linha para ser competitivo. O espanhol teve de salvar um set-point e depois virar o começo do tiebreak, momentos em que se determinou a não errar.

Stef sai de Toronto animado. Nós também. Mostrou grande arsenal de golpes e maior frieza diante da pressão, procurou alternativas táticas e nunca se entregou. Dispara no ranking, mas é claro que ainda se torna precipitado apostar todas as fichas no seu futuro. O tênis lá no topo requer gigantesca consistência física e mental, progresso técnico contínuo, entrega absoluta, humildade e resiliência.

Esse é o melhor ainda que árduo caminho do sucesso.

Mire-se em Nadal.


Comentários
  1. Edu

    Tive a oportunidade de assistir a final “in loco”
    Muito interessante ver os golpes do Nadal ao vivo, dai se percebe o quanto é difícil p/ os oponentes lidarem com o forehand do espanhol e tb dos slices na paralela qdo ele se defende.
    Pela tv se perde um pouco o parâmetro, mas é impressionante.

  2. Rafael

    Olá a todos. obrigado pelas palavras adicionais sobre o último domingo.

    Li uma troca de ideias bastante interessante mais para baixo envolvendo postagens do Brack, Fabriciano, Rodrigo, Sérgio R, Miguel BSB, Ricardo CWB, Andre B, etc.

    Realmente o nível – e não só de tratamento – mas de ideias e argumentos apresentados – subiu consideravelmente, óbvio que de forma setorizada, mas subiu, como disseram o Luiz Fernando e a Gabi. Tenho notado mais threads interessantes de acompanhar do que antes.

  3. Renato

    Por enquanto, Federer vai jogando pro gasto(natural pra quem ficou um bom tempo parado) mas pelo menos o saque está muito bom. O alemão é um bom jogador para esse tipo de piso. É agressivo, tem bom saque, um bom teste para o suíço.
    Léo Mayer é um tenista perigoso……

  4. Luiz Fernando

    E aí Gabi, como foi o susto de ver o Kyrgios salvar o matchpoint com um segundo serviço mais rápido do q um primeiro? O cara é maluco, antes eu achava q tinha um parafuso a menos, hj acho q tem uns 10 faltando. Afora o jeito desleixado de jogar, que beira a irresponsabilidade em muitas situações, algo q acarreta antipatia, o cara joga muito, como vc mesma já postou. 39 aces, com velocidade media de primeiro serviço de 129 mph, imagine esse rapaz canalizando isso com afinco com o objetivo de vencer. Que pena q a cabeça não ajuda, poderia ser um grande campeão se fosse focado na carreira. Na outra quadra, Goffin, q vem num ano ruim, está fazendo a sensação grega suar, e vai sacar agora p o primeiro set…

    1. Luiz Fabriciano

      Rapaz, tu usaste a palavra que pensem na hora, quando vi o vídeo do ace de segundo saque para salvar o match point: irresponsabilidade.

  5. Sérgio Ribeiro

    Apesar de todo o papo Furado de quem ” foge ” de quem, se não estiver totalmente equivocado, no pula-pula do Titio Federer ( tirando 2 jogos da Davis e 4 da Hopman ) , os ” Sobrinhos” seguiram a Cartilha do Craque Suíço. Ou seja, ele e Novak estão disputando ” apenas” o OITAVO Torneio de Toda a Temporada. E Rafa Nadal somente disputou 7 até então. Abs!

  6. Sandra

    Dalcim , não sei a sua opinião , mas estou começando achar que Nadal vai ganhar o US Open e para desespero dos Federistas ainada acho que Nadal vai passar Federer nos grand slam, e eu que achava Federer iluminado

  7. Renato

    Miguel,

    Como o Rodrigo Cruz escreveu, os olhos de Nadal brilharam muito mesmo nas últimas cinco partidas entre ele contra Federer. Lembrando que, mas última três, o suíço sequer cedeu set.

  8. Renato

    Fernando Brack,

    Discordo de você que no nano a mano Nadal é melhor que Federer. Roger tem vantagem contra o espanhol na grama e hard, perdendo apenas no saibro. 2×1. E olha que Federer enfrentou Nadal apenas três vezes na grama. Se falarmos de títulos de slam em pisos diferentes, o suíço tem 11×4 contra o espanhol mas hards e 8×2 na grama, perdendo APENAS no saibro, de goleada, claro.
    O mesmo argumento que uso para Roger serve para Novak x Nadal. O sérvio na minha opinião é melhor que Nadal.

    1. Fernando Brack

      Renato, não compare títulos. Nisso Federer é maior que Nadal, indiscutivelmente. Mano a mano é confronto direto, e aí não há o que argumentar: Nadal é melhor.

  9. Renato

    Luiz Fabriciano,

    Acho que Nadal foi sincero. O h2h não é o principal argumento pra definir quem é o melhor. Rafael sabe que é menos tenista que Federer. Fato! Assim como eu sei que Kyrgios, Roddick e Karlovic não são melhores que Novak e Davydenko, Brown e outros não são melhores que Nadal.

    Abs!

    1. Fernando Brack

      Renato, para avaliar se um H2H qualifica ou não um tenista como melhor que o outro, a quantidade de confrontos é preponderante, assim como a discrepância no placar. Acho que um 2×1, p.ex., não diz nada, e um 22×20 apenas que há grande equilíbrio entre eles. Já o retrospecto entre Federer e Nadal é outra conversa. Acho que Nadal é melhor que Federer e, embora federista, eu durmo tranquilo com isso. Quem mandou o Mestre não ter aprendido a derrotar o ogro no saibro?

      1. Luiz Fabriciano

        Concordo com você Brack, respondendo também ao Renato. O H2H deles é bem discrepante dos demais. Nesse caso, entre os dois, continuo achando Nadal melhor.

  10. Renato

    Nadal é o tenista com maior capacidade de contornar uma situação adversa que existe no circuito. Impressionante! Mas na minha opinião não existem argumentos para colocá-lo como favorito ao u.s open.
    Vejamos:

    -Tem h2h desfavorável nas quadras duras contra Novak(larga desvantagem) e contra Federer(pequena desvantagem mas perdeu as últimas cinco).
    -Tem muito menos títulos que Novak e Federer neste tipo de piso.
    -Nunca defendeu um título nas hards.
    -Não mostrou em Toronto o mesmo nível de jogo apresentado em Wimbledon.
    -Vai chegar no u.s open com o nível de tênis melhor que ano passado, porém, Federer não está com as costas lesionadas e Novak está muito melhor e confiante.

    É claro que é melhor esperar pra ver qual vai ser o desempenho de Federer e Novak em Cinci. Também gosto de esperar as primeiras rodadas pra ter uma ideia de quem está melhor.

    1. Nattan Lobatto

      Concordo, Renato. Vejo o favoritismo em aberto, inclusive para novos nomes, como ocorreu em 2014, aquela final era pra ser Djoking x Federelenda… A conferir.

  11. Renan Vinicius

    Parabéns ao cara que vai quebrar a maioria dos records do Tênis! Esse US Open está se desenhando para o espanhol, mas o jogo é jogado. E que os Deuses do tênis assista ao 4º titulo do Nadal em NY

  12. Groff

    Falando um pouco do feminino agora, parece que a final Halep X Stephens foi um jogão, pelo que vi dos melhores momentos. Aproveitando o ensejo, que maravilha de ver, hein?: a Halep é linda e a Stephens parece uma deusa! Pena que ela, Stephens, aparentemente (pela estrutura muscular) está treinando para ficar muito forte. Acho que ela estaria ainda mais bonita sem essa musculatura tão pronunciada. Mas é belíssima de qualquer maneira.

  13. Nattan Lobatto

    Parabéns a esse gênio, Rafa Nadal. Se fosse um tenista de ponta no atual circuito, preferiria enfrentar um Federer jogando 100% do que um Nadal jogando 70%… Esse Espanhol é um monstro, muito competitivo e tático.

      1. Nattan Lobatto

        Sei não, Rodrigo. Nadal se transforma em finais (Não a toa é o que têm maior percentagem de aproveitamento do BIG 3). Confesso que tenho mais apreço pelo jogo plastico e estético de Federer, claro! Mas ganhar de Nadal em finais é osso, e quase uma missão impossível se for no saibro…

    1. Andre Barcellos

      Aí que está. Em termos de dar tudo, Nadal faz com mais frequência.
      Diria que em 60% dos jogos ele está a 100%.
      Já o Federer, hoje, talvez em uns 5% jogue seus 100%.

      Contra um Federer a 100% não existe tenista que veja a cor da bola. Vide seus pneus em todos os outros do big four.
      Murray, Nadal e Novak já disseram em diferentes ocasiões que “quando ele joga assim não há nada que possa ser feito”
      Mas isso já ficou no passado, óu não…
      Torçam, anti-federer, porque se o titio encontra seu jogo…já era pra todo mundo.

  14. Sandra

    Dalcim, minha pergunta não é só por causa do Djokovic, também reparei no Niskishoti, a respeito do saque , vejo eles sacando mal, derrepente desandam a disparar aces, isso quando estão tipo 0/40, será que eles seguram o braço para não fazer tanta força na contusões , um no punho o outro no cotovelo, ?

  15. João ando

    Dalcim. Se a shuai peng queria jogar com a mirza que não convidasse a bellga uly von ultyank ….se estavam inscritas na chave a bellga deveria ir a quadra e esperar a parceira caso a chinesa não aparecesse dado o wo .a belga daria uma entrevista coletiva e a shuai teria que ser punida …a belga demorou muito para fazer a denúncia. …muito estranho essa história …de ambas as partes. ..dalcim poderia explicar melhor .grato João ando

  16. Luiz Fernando

    Slice sempre é tido como golpe de variação. As vezes, em razão de contusão, alguns tenistas o utilizam como rotina no BH, como foi o caso de Delpo, até recentemente. Claro q nas nossas “domingadas” os slices de BH também predominam. Agora quando se vê casos como desse Johnson q esta enfrentando o Djoko e q utiliza o slice em 99% dos BH trata-se de algo q beira o ridículo num tenista profissional. O pior é q o Djoko, q por sinal está acertando todos os smashes hoje, acaba de ser quebrado e descontou na raquete, o servio não está num momento psicológico legal…

  17. Luiz Fernando

    Pela primeira vez achei o Wawrinka bem mais magro, o q é excelente p o joelho e p sua performance na quadra. É outro q está em franca recuperação.

  18. Ouvido sensível

    Se eu estivesse jogando na quadra do Schwartsman x wawrinka, estaria muito desconcentrado por causa da música absurdamente alta da quadra do lado, que deve ser a central- deu para ouvir a serena dando entrevista.

  19. Efraim Oliveira

    Aproveitamento em finais disputadas na carreira…

    Novak – 69%
    Nadal – 68,96%
    Borg – 68,18%
    Sampras – 68,18%
    Connors – 66,46%
    Federer – 65,77%
    Lendl – 64,38%

    Aproveitamento em finais de slams

    Emerson – 12/3 – 80%
    Sampras – 14/4 – 77,77%
    Nadal – 17/7 – 70,83%
    Borg – 11/4 – 68,75%
    Federer – 20/10 – 66,66%
    Laver – 11/6 – 64,70%
    Novak – 13/9 – 59,09%

    Notas…

    O Roy Emerson depois de conquistar dois slams, amargou três vices consecutivos, após isso ele ganhou todas finais que disputou, total de 10.

    Rod Laver tivesse tido um aproveitamento semelhante ao de Sampras, terminaria com 13 slams. Mas digamos que ele fizesse as mesmas 30 finais que o Federer, o número de conquistas seria semelhante (com base no aproveitamento dele em finais).

    1. Sergio Ribeiro

      Na boa , Efraim. Que tal SETE Finais em sua Casa , vencendo SEIS na Era Amadora. Quem ia jogar o AOPEN na Época ?. Quando perdeu, foi para Laver. Se Sampras tivesse feito CINCO Finais em Rolanga ( nunca chegou a uma ) como Federer , qual seria o seu percentual ? E Rafa Nadal que fez 11 e venceu 11 ? Não acredito que seja por aí. Misturar Era Amadora com Profissional. A Única coisa certa e’ que ninguém duvida que existe um Rei do Saibro. E possivelmente um Rei da Grama, mesmo sendo a mais traiçoeira. Abs!

      1. Efraim Oliveira

        Seja lá em qual era foi, quem ganhou num foi ele? Quem mais na história disputou oito finais e ganhou todas. O Emerson fez isso entre os anos 63-67 vencendo todos os quatro grand slam. Achei isso um feito notável.

        Quanto ao Laver, eu usei o “se” porque ele ficou umas temporadas de fora, certamente ele teria mais finais e mais títulos não fosse o ocorrido.
        Não tem “se” pra Sampras porque ele não se ausentou do circuito. Ele não fez finais em Roland Garros porque não teve competência para tal.

        Sobre alguém ser rei dessa ou daquela superfície, não vem ao caso dentro do que comentei. Apenas mostrei o aproveitamento de conquistas dos principais tenistas.

    2. Luiz Fernando

      Nadal tem o número de RG equivalente aos títulos do Borg e do Laver, nada mal p um baloeiro unidimensional kkk. E segue a mediocridade…

  20. Chetnik

    Como assim, “mestre”? Assim você perde respeito da turba ensandecida, Dalcim…”mestre” só o Federer. Daqui a pouco uns doidos aparecem para te xingar pela ousadia.

    No mais, me surpreendi com a desistência do Nadal em Cincinnati, mas provavelmente foi a decisão correta. Por enquanto, tá nadando de braçada no favoritismo para o USO.

    1. Rodrigo S. Cruz

      O Chetnik fala como se só houvesse “ensandecidos” do lado federista.

      É a velha tática gestapo de contar a mesma lorota umas mil vezes.

      Vai que cola, né Chet…

      (rs)

      1. Luiz Fernando

        Concordo, esses torcedores fanáticos do Nadal e do Djoko sempre atribuíram as vitórias do Federer a doping enquanto os do suíço sempre souberam reconhecer os méritos dos adversários…

  21. Oswaldo E. Aranha

    Dalcim, ao ver hoje o jogo do Murray notei que ele não caminha com desenvoltura, será que é um indício de que ainda não se recuperou de cirurgia?

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, ele continua correndo como um maluco, Aranha. Nada que o impeça de seguir carreira, a meu ver.

  22. Sandra

    Dalcim, vi que o Dimitrov foi campeão ano passado, mas não encontrei o vice, vc saberia dizer quem foi?? Do master de Cincinatti

    1. Sandra

      Outr pergunta ! Inserir perdeu hoje, e ele havia sido semi finalista ano passado , mesmo que o Djokovic perca hoje , ele não vai subir um posto?.

      1. José Nilton Dalcim

        Sim, sobe por enquanto para nono – os demais estão cerca de 300 pontos de distância – e fica muito, muito perto do Thiem. Portanto, tem chance de arrancar a cabeça 8 do US Open, o que seria importante para ele, sem dúvida.

  23. Fernando Brack

    Não, não, não e não. Nadal não pulou Cincy por causa do piso, do clima, da chave ou da saudade de Maiorca. É que seria muito, muito difícil ele vencer um outro M1000 na quadra dura logo na semana seguinte. Provavelmente, ele perderia cedo, o que não faria bem à sua confiança, e a ida até lá só serviria para desgastá-lo. Fez bem o ogro.

    1. Thiago Silva

      Das 3 vezes que o Nadal venceu o US Open, em apenas uma ele foi longe em Cincinatti, não tem o menor cabimento esse seu comentário.
      Antes mesmo de Toronto ele já havia dito que não faria diferença nenhuma as campanhas nos Masters, o piso do US Open é totalmente diferente.

      1. Fernando Brack

        OK, Thiago. De acordo. Na verdade, não tenho interesse em saber pq Nadal não foi a Cincinnati. Aliás, não tenho interesse em saber qq coisa que ele resolva fazer.

  24. eu

    Torcedor do Federer e Djoko vindo aqui dar parabéns ou reconhecer a vitória do Nadal é tipo ver foto de confraternização de fim de ano de empresa onde já trabalhei: quanta falsiane

  25. Luiz Fernando

    Shapovalov e Tiafoe vão fazendo um jogo de inconsistências. O canadense já fez 13 duplas faltas e o americano acaba de ser quebrado ao sacar p fechar a partida. Ambos ainda não me convenceram q serão expoentes futuros do tênis, embora o canadense me pareça bem mais jogador, em especial pelo ótimo BH de uma mão.

  26. André Barcellos

    Não pude ver a final, mas na semi achei Nadal muito em forma, tanto defensivamente quanto no ataque, com seu forehand profundo e pesado,
    Pra ganhar dele no atual cenário, e nos termos que ele propõe o jogo, é preciso um físico extremamente privilegiado, foco absoluto, risco calculado e muita técnica.
    A outra opção pta ganhar dele nas duras rápidas, hoje, seria alguém com muita técnica em todos os fundamentos, que entre na quadra como ninguém e que saiba volear muito, inclusive nas jogadas de risco.
    Não vejo alguém jogando com consistência no primeiro cenário que pintei, mas no segundo temos o Federer. A incógnita será como ele estará nessa fase.
    No mais, parabéns ao espanhol, que soube crescer a cada jogo.
    Parece que os 32 anos não pesam grande coisa pra ele,

    1. Fernando Brack

      Pra vencer o ogro, não pode ser nos termos que ele propõe. Aí fica muito complicado. Até hoje, só um outro ser (sobre)humano conseguiu isso: Novak Djokovic. Só há uma fórmula para um ser normal vencer Nadal, seja qual for o piso: sendo agressivo. O desafio é acertar as bolas.

  27. Jose Alexandre

    Dalcim você tem alguma opinião formada sobre o motivo de Djokovic nunca ter ganhado Cinci? É basicamente a concorrência (principalmente Federer) ou tem alguma peculiaridade o torneio que não combina com o jogo do sérvio? Obrigado e parabéns pelo ótimo texto.

  28. Luiz Fabriciano

    Renato, em um post passado, você comentou sobre uma frase dita pelo Nadal, que vou repetir aqui:
    “Quem acha que sou melhor que Federer, não entende de tênis”, disse Rafael Nadal.
    Veja que interessante ambiguidade nessa situação: Nadal diz achar isso, mas foi o próprio quem mais bateu Federer em jogos oficiais na história desse esporte. É excesso de humildade ou sarcasmo mesmo, kkk?
    Grande abraço.

    1. Fernando Brack

      Eu não tenho dúvida que é falsa humildade. Ele sabe que, no mano a mano, ele é melhor que Federer. Os números falam por si. Ele só não é maior que Federer.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Olha, isso não é necessariamente verdade.

        Não dá pra afirmar que ele seja melhor do que o Federer no mano-a-mano.

        A não ser (óbvio) no saibro…

      2. José Paulo gomes

        Sinto que nole em grandes eventos como us open se sobressai!a motivação é outra!parece que nole já está na hora de escolher assim como Federer torneios.se preparando assim como Federer a aposentadoria.

    2. RicardoCWB

      Essa “pira” de ficar apontando quem é melhor que quem é coisa para fãs apenas.

      Ninguém deve ter mais respeito um pelo outro do que esses caras.

      Lembro de uma entrevista com o Federer em que este falava com todas as palavras que Nadal possivelmente era o melhor de todos os tempos.

      E aí? Quem tem autoridade para contestar o que ele disse?

      O suíço, apesar de sua vitoriosa carreira, deve ter inúmeros motivos para pensar dessa forma, assim como Nadal deve ter seus motivos para pensar o contrário.

      1. Miguel BsB

        Sinceramente, sei que minha opinião pode criar uma celeuma na parte federista do blog, mas acho que os olhos do Nadal chegam a brilhar quando ele encontra o Federer na maioria dos torneios do circuito. Não só o Federer especificamente, mas qualquer destro com backhand de uma mão… O jogo dele foi talhado pra jogar contra esse tipo de jogador. Seu melhor golpe cai exatamente no lado mais vulnerável do adversário. O H2H contra todos eles, inclusive contra o Wawrinka, que tem o melhor Back de uma mão do circuito, capaz muitas vezes de encarar o spin excessivo do espanhol, comprova. Acho que o único adversário que o Nadal realmente teme/temeu é o Djokovic.

        1. RicardoCWB

          Pois é. Não quis citar o Djokovic porque o Luiz tava falando especificamente de Federer e Nadal, mas ele também se encaixa nesse “triângulo amoroso”. rsrs

          Acho que o “respeito” que Federer nutre pelo espanhol deve ser o mesmo que este nutre pelo sérvio.

          Nadal fez Federer chorar, literalmente.

          Djokovic foi o único ser humano (?) que conseguiu deixar Nadal exausto após um jogo.

          E, por sua vez, o sérvio quase abandonou a carreira porque os outros dois não o deixavam ganhar nada.

          Repito o que disse: motivo é o não falta para esses 3 monstros se respeitarem/temerem um ao outro.

        2. Rodrigo S. Cruz

          Ah tá, claro…

          Os olhos dele devem ter brilhado á beça nos últimos 5 confrontos em que tomou pau.

          Incluindo, uma final de Grand Slam.

        3. Sergio Ribeiro

          Concordo , Miguel. Daí ele ter perdido as últimas CINCO sendo 3 em FINAIS ( uma em SLAM e duas em MASTERS 1000 ). O retrospecto com o Backhand de uma mão e’ favorável ao Suíço depois de 38 jogos ( 10 x 13 ) . No Saibro ele sabe que e’ muito melhor. Bateu o Suíço em 13 vezes e o Sérvio em 16 ( contra 7 ). Rafa Nadal admira o fato do Suíço necessitar de muito menos esforço pra jogar mesmo sem a segunda mão para ajudar. Novak precisa de um esforço semelhante ao seu. Ja’ afirmou que acha o jogo de Roger de uma elegância inigualável. Não vejo hipocrisia . Como Federer pode ter ido tão longe se eu sou o melhor competidor deste esporte ? E’ somente a minha opinião em cima de suas próprias declarações. Abs!

          1. Miguel BsB

            Nesses últimos 5 confrontos, o Federer evoluiu tecnicamente/taticamente o backhand, daí realmente conseguiu ganhar… Mas lembremos que, primeiro, não se enfrentaram no saibro. Segundo, o Nadal de 2018 tá muito mais forte e competitivo do que o de 2017, e Federer, na minha opinião, é o inverso, caiu seu nível nesse ano. Acho difícil que o suíço consiga ganhar do Nadal no US Open caso se encontrem… Agora, o espanhol foi sincero ao dizer que federer é melhor jogador de tênis do que ele. Tecnicamente, realmente o é. Mas só isso não é suficiente para ganhar do Nadal, que, geralmente, o supera (quase todo o circuito) na parte mental, física e tática…

  29. Luiz Fabriciano

    Nadal realmente é bicho!
    Foi o único a parar o grego Stefanos em Toronto. E não parecia tarefa fácil, por alguns motivos:
    Não vinha apresentando um grande jogo no início do campeonato;
    Pelo lado do grego, estava com a confiança no segundo andar, pois: foi para o jogo com Djokovic como franco-atirador – papou; em seguida enfrentou Zverev com medo, porque havia perdido dele, menos de uma semana atrás; depois já encarou o Anderson praticamente com a certeza que atingiria sua primeira mais importante final e dito e feito, foi encarar Nadal que fez o que ninguém conseguiu ao longo da semana.
    Agora vai direto à Nova York, para desespero daqueles que deverão enfrentá-lo em jogos de cinco sets.

  30. Luis

    Finalmente um Slam que vai justificar toda a nossa expectativa!! O último Slam que realmente me empolgou foi AO 17. Wimbledon 18 foi muito bom! Mas a final deixou muito a desejar!! Temos Nadal, Djoko e Federer em condições mais competitivas novamente! Um Stan que deixou boa impressão em Toronto. Cilic, Anderson e Del Potro, três marreteiros que possuem currículo em Slams, mais a nova geração, liderada por Zverev. E ainda o Murray, sobre quem me parece ser prudente esperar um pouco mais!! Na minha opinião, maiores favoritos são Nadal e Djoko mas esse vai ser um Slam em que o sorteio da chave vai pesar demais!!!

  31. Renatinho

    Dalcim, eu acho que gerações fenomenais são feitos pouco comuns em qualquer esporte. Não se pode ficar exigindo que surjam rotineiramente uma geração do nível do “Big Four”.O grego é um ótimo jogador e tem potencial para ganhar slans futuramente. Fez um jogo exigente no segundo set . Foram pequenos detalhes que decidiram o tie break em um dia que o Nadal novamente jogou muito. Na minha humilde opinião a dificuldade da nova geração já chegar ganhando slans é muito mais em decorrência do nível fenomenal da geração de Nadal e etc. Eu até acho a geração do Sampras menos boa tecnicamente( obs: geração muito qualificada também e estou apenas comparando ) que a geração “Big Four” .Em outros tempos esses jogadores talvez teriam mais facilidade de ganhar slans precocemente ( época do tênis masculino mais equilibrado e com mais vencedores diferentes). Ocorre é que a geração “Big four” é simplesmente espetacular e os tenistas cada vez mais conseguem manter o alto nível por um longo tempo diante da evolução da medicina. Dalcim, o que você acha sobre isso ?

    1. José Nilton Dalcim

      É uma boa teoria, Renatinho. Temos de analisar um outro aspecto, que tem sido o avanço enorme da preparação física, o que permite à velha geração – e não somente ao Big 4 – uma excepcional qualidade atlética, algo que não acontecia 10 anos atrás.

    2. João Carlos

      Sempre é muito difícil comparar gerações, principalmente com a evolução da preparação física de 20 anos pra cá. Porém tenho que discordar que a geração de federer, primeira mente e logo a de nadal e djokovic possuem jogadores de nível técnico inferior às gerações do final da decada de 80 e décadad 90. Tínhamos um top 20 bem mais competitivo do que o o top 20 de hoje. Vid alternância de domínio e títulos e tbm surgimento de jogadores fenomenais. É só uma constatação.

      1. Renatinho

        Esse discordar é no sentido de discordar do que falei ou no sentido de ao concordar comigo ao entender que realmente a geração do Federer e etc NÃO é inferior a da década de 90? . Deve ter falado talvez concordando comigo. Caso tenha falado no sentido de discordar do que falei repare que quando mencionei a geração do Sampras eu disse que acho a geração do Sampras MENOS boa tecnicamente que a geração do ” Big Four”, logo concordo com sua opinião que a geração do Federer NÃO é inferior à do Sampras , pois se pensasse diferente teria dito que a geração do Sampras é SUPERIOR à do Federer.

        1. Joao Carlos

          Faltou uma virgula dps do discordar. Havia escrito pelo celular. A geraçao dos 90 é imensament superior a geracao do Federer. 2000-2009. Pelo visto voce nao acompanhou o circuito no começo dos 90 e sim so no começo dos 2000 ou é fan do federer.

  32. André

    O grande mérito do Nadal é odiar perder mais do que gostar de tênis! O que ele conseguiu no jogo contra o Cilic é um exemplo disso… lógico que ninguém gosta de perder, mas não consigo citar outro jogador que provavelmente teria conseguido virar um jogo como aquele… o último passeio como o do 6/2 que lembro do Nadal foi o do jogo de IW contra RF… e teve um pneu contra o alemão de 5 consoantes mas depois virou o jogo!

  33. Roberto

    Gostaria de ver os detratores de Federer comentarem sobre a “fulga” do Nadal: Cincy é muito mais apropriado para o Federer …
    Mas falando e analisando seriamente: ambos sabem que tem que poupar o físico. Acertada a conduta do Nadal agora, acertada a conduta do Federer nas outras ocasiões.

    1. Luiz Fernando

      Seu comentário é aquele q qualquer comentarista de bom senso faria: jogadores do porte de Nadal/Federer/Djoko não precisam fugir de ninguém, quem posta isso são pessoas infantis que gostam de provocar. Por sinal, pq o amigo também não se mostrou revoltado com postagens igualmente infantis acerca de bobagens postadas acerca de doping, meldonium etc, será q sua revolta é seletiva?

      1. Rodrigo Bravin

        Você é o que mais posta asneiras aqui! A sua última foi dizer que se o Nadal se poupasse mais seria o maio ganhador de slams.

      2. Roberto

        Luiz, nem sei se comentaste algo sobre as “fulgas”, mas não entendi a tua revolta com meu comentário.
        O fato de eu não postar sobre todas as bobagens é que: se eu for fazer isso vou escrever mais que o Dalcim. rs

        1. Luiz Fernando

          Não fiquei revoltado e inclusive concordei c o q vc postou. Só não concordo com o bom-mocismo seletivo q acontece aqui no blog.

          1. Roberto

            Não lembro de eu ter falado mal de algum tenista específico em qualquer comentário que eu fiz aqui no blog (lembre-se que pode haver outros Robertos).
            Não me senti bem com teu comentário, não sou obrigado como achas, a ser patrulheiro de todas bobagens, muito menos postagens.
            Melhor bom-mocismo seletivo que agressividade gratuita. Um está falando coisas boas. Pense o que é mais importante.

  34. Maurício Luís *

    A respeito da frase em homenagem ao Federer, gostaria de deixar aqui uma crítica construtiva. Alguns colegas internautas, se fossem fazer uma prova de interpretação de texto no vestibular, zerariam. A proposta era “fazer uma frase”, mas muitos fizeram foi uma “redação” contando a vida do ídolo desde que nasceu até hoje…
    Bom, os mesmos poderiam dizer que eu concorri e não levei. Verdade. Mas pelo menos a minha frase estava dentro do que era pedido na instrução.
    Enfim, parabéns ao vencedor, e que venham outras como essa.
    N A D A L – – Vixe, tá difícil segurar o ‘hómi’. Federer cada vez mais ausente, Nextgen, cada um mais inconsistente que o outro. Assim, o US Open tá no papo pra ele. Fico na espera de uma surpresa, que é só o que nos resta aos ‘secadores’ do baloeiro.

    1. Robson Couto

      Prezado Maurício,
      Gostaria de deixar uma crítica construtiva sobre a sua crítica construtiva: Frase é construção que encerra um sentido completo, podendo ser formada por uma ou mais palavras, com ou sem verbo, OU POR UMA OU MAIS ORAÇÕES. Logo as opções de cada internauta em escrever frases com mais ou menos orações são igualmente válidas. Em nenhum momento se tira o mérito do vencedor, o qual foi brilhante. Porém, as demais também estavam dentro do que era pedido. Somente para concluir o assunto, deixo essa frase de Fernando Pessoa, o qual segundo sua interpretação deveria zerar no vestibular:
      “Quero para mim o espírito desta frase,
      transformada a forma para a casar com o que eu sou:
      Viver não é necessário; o que é necessário é criar.”
      Saudações cordiais!!!

      1. Maurício Luís *

        Robson, segundo a definição do dicionário Aurélio, você tem razão e aceito sua crítica. Mas ao ver a frase vencedora, temos a impressão – embora não esteja escrito expressamente – que a comissão julgadora queria uma frase resumida. Mas o importante pra mim foi participar. Abr.

    2. Efraim Oliveira

      Também achei o mesmo a respeito das frases, cada textão alá Facebook kkkkk. Acho que a frase escolhida teve muito a ver um ditado recorrente aqui… “Federer sai do jogo pronto vestir um terno”… algo assim. Achei boa a escolha.

  35. Aguinaldo

    Caro Dalcin,
    Se as condições do US Open são mais semelhantes às de Toronto, você não acha que Federer deveria ter optado por disputar Toronto ao invés de Cincinatti?

  36. O LÓGICO

    CONSIDERAÇÕES LÓGICAS KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    As nadalzetes – incluindo as enrustidas kkkkk – têm todas as razões do mundo pra comemorar: o robozinho primogênito do capeta kkkkk ganhou um Master fora da laje – APÓS CINCO ANOS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk E nesse longo período, onde ele estava? Respondo ¨EU¨ kkkk: desfilando seu tênis 2D kkkkkk pelos mangues do circuito kkkkkkkkkk. E como pode ter ocorrido, se não pela limitação técnica dele pra jogar em outras quadras? Esse “caneco” foi levantado à expensas das fragilidades dos adversários. Se o Stan tivesse com dois quilinhos a menos ele teria dançado. E o caso do Chilic kkkk? Rapaz, o caso ali é sério: o cara erra um smash e vira maionese. Mas lembremos que antes, ELE tava entubando o tourinho só na maciota kkkkkkkkkkkkkkkk Tava uma humilhação. Aí novamente, o que ocorre há trocentos anos, pra quem vê o tênis do robozinho com lupa: ele não faz nada de mais, a não ser se defender como um louco kkkkkkkkkk

    A nossa mente, já advertia o Newton das ciências morais do século XVIII, o filósofo escocês David Hume, é sempre fortemente conduzida pelas impressões mais contíguas, no espaço e no tempo, e somente a análise racional pode fazer a abstração necessária para conduzir nossos pensamentos de forma LÓGICA kkkkk. Então, vê nadalzetes afirmando que o UNIDIMENSIONAL é o melhor de todos os tempos, quando há poucos dias perdeu para um Djokovic meia-boca kkkkkk, é perfeitamente acatável: são mentes incautas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    https://www.youtube.com/watch?v=mAtbGNXh9_g

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      1. Anderson P

        Assino embaixo, sempre leio quase todos os comentários e tento ao máximo evitar os deles, mas às vezes não consigo rs
        Feliz será o dia que ele decidir parar de postar tantas idiotices aqui no blog.

    1. Luiz Fernando

      Aprecio muitos seus comentários ponderados, só não entendo a ausência deles após as derrotas do seu queridinho. A língua portuguesa tem um termo preciso p designar os q tem esse tipo de conduta…

    2. Luis

      O Unidimensional evoluiu muito, virou tridimensional: saque, devolução, backhand, slice, deixadinhas, voleio, smash, approach, sem falar da movimentação e forehand que são o ganha pão do garoto. O jogo dele esta cada vez mais completo e os resultados estão mostrando isso.
      Agora esta na hora de você também evoluir na percepção e nos comentários

  37. Bruno Medrado

    Grande Dalcim,

    Fechar Jogo é uma arte !!!
    Nadal serviu 08 Vezes e só cedeu 03 pontos ao Grego durante toda a partida… Vou Repetir , sofreu apenas 03 PONTOS em 08 SERVIÇOS…
    vai sacar para o campeonato em 5×4 e é quebrado ?!?!
    Que esporte mental que é esse Tênis !!!
    Fechar Jogo é uma arte !!!

    Grande Abraço

    1. AKC

      Não é bem assim… ele cedeu 3 pontos quando o primeiro saque entrou (o que mesmo assim é excelente). Basta vc pensar que para o grego ter quebrado o serviço no 5×4 teve necessariamente que fazer mais de 3 pontos.

  38. Adal

    Bom dia Dalcim, primeiramente gosto muito do seu blog.
    Diferentemente do que tenho lido por aí, o seu texto analisa o grande feito de Nadal que continua, até em quadra dura, aos 32 anos fazendo história. O que ele faz é realmente impressionante. Vejo muitos textos falando do tenista grego como se ele fosse um fora de série por ter chegado a final de um master 1000 aos 20 anos. Sim, ele é bom, se fizer tudo bem feito pode ser muito bom. Mas não sei se me acostumei com Nadal, Novak, Federer,etc com 20 anos já cheios de títulos, que acho estranho o oba-oba em cima do jogador grego. Com os mesmos 20 anos, Nadal já tinha 2 títulos de slams e acho que uns 5 de master 1000.

  39. Helder Sá

    Impressionante como Nadal evoluiu em pisos mais rápidos. Afiou mais o saque e está jogando de forma mais agressiva, ao invés de ficar só dando balões. A meu ver, é o favorito disparado para esse US Open. E ainda mais após a acertada decisão de descansar nesta semana.

  40. Ronildo

    Parabéns ao Luiz Reis pela frase bem criativa.

    Um parabéns todo especial ao Rafael pelos seus sentimentos como pai. É tão bom saber que existem pessoas como você Rafael!

  41. Luis

    Olá mestre! Logo após Wimbledon um monte de ex tenistas de peso saíram dizendo que Novak era o maior favorito ao US Open! Precipitaram-se não acha? Acho que esse será o Slam mais aberto em muitos anos!!

    1. José Nilton Dalcim

      Um dos favoritos, sim. O principal favorito, me pareceu mesmo exagero. Concordo com você, tudo para ser o melhor Slam do ano, especialmente se Murray e Wawrinka continuarem também evoluindo, mais essa nova geração que enfim parece estar amadurecendo.

  42. ANTONIO GABRIEL

    Nadal realmente é um cara fenomenal. Já o Grego tem muito a evoluir, contou com a sorte esta semana, mas os grandes campeões andam sempre ao lado dela.

  43. Luiz Fernando

    Dalcim bom dia, queria te perguntar 2 coisas: 1) ouviu alguma justificativa pra ausência do Moya em W e agora em Toronto? 2) Zverev e Tsitsipas são duas realidades, mas qual sua opinião sobre o Kachanov, q a cada dia se mostra melhor? É um cara de apenas 22 anos e a cada apresentacao dele o vejo mais evoluído.

    1. José Nilton Dalcim

      Continuo sem ler ou ouvir qualquer especulação sobre o Moyá, nem mesmo na imprensa espanhola. Vamos ver o que acontece no US Open. Quanto ao russo, acho tecnicamente inferior e emocionalmente mais instável, embora sejam duas coisas que possam ser corrigidas.

  44. AKC

    No primeiro set, o grego sentiu o peso de estar numa final e o peso das bolas do forehand do Nadal no seu backhand. Porém, a partir da metade do segundo, quando parecia que ia ser uma vitória tranquila para Nadal, Stefano conseguiu achar o tempo dessas bolas e passou a devolver as bolas que vinham ao seu backhand de maneira muito inteligente: ou em cruzadas rasantes ou no próprio backhand do espanhol, que não gera tanto spin assim quanto seu forehand. O resultado é que Nadal ou devolvia no backhand do grego sem machucar, ou mandava para a sua direita, que é o principal golpe do grego.
    Nadal mereceu ganhar e foi superior em vários quesitos, mas achei interessante a forma como o grego encontrou uma solução na metade final do segundo set, que poderia até levar o jogo para o terceiro. Esse grego é promissor, tem uma boa parte mental também.

  45. Silvio Paccola Jr.

    Dalcim, vejo que o Tiago Monteiro está no top 100 do ranking da temporada. Quantos pontos em média é necessário fazer por ano pra terminar nessa faixa?
    Acho que não está difícil hein…

    1. José Nilton Dalcim

      Entre 540 e 580 pontos, na média. Com certeza, não é uma meta impossível para ele. Na torcida!

  46. Luiz Fernando

    Vendo o nível de jg apresentado por Rafa ontem, dominando os pontos da base e disparando winners de FH pra tudo quanto é lado, vi o quanto vale a pena trabalhar em algo em q se acredita. Quem viu o cara jogar contra Paire e viu as exibições de sábado e domingo não podia acreditar tratar-se do mesmo atleta. E agora, ao lado da melhora técnica, ainda entrou o bom senso, pulando Cincy, evitando o desgaste q certamente viria; se esta conduta perdurar, creio q poderá jogar de forma competitiva por um bom tempo, pois é o maior expoente na atualidade do jogo de fundo de quadra. O promissor e excepcional Tsitsipas recebeu outra aula ontem, mas é um aluno aplicado, pois seu segundo set foi bem melhor do q o primeiro. Outro detalhe: no primeiro grande torneio q se utilizou o relógio de tempo, venceu o jogador q mais enrolava p servir, demonstrando q esse detalhe não era essencial p o desenrolar do seu jogo, faltava apenas pulso dos juízes. Além da aula de tenis, Nadal deu outra de ética, devolvendo o primeiro serviço perdido por uma estupidez da platéia, num momento chave da partida. Como exposto pelo Dalcim, chegará a NYC bem melhor física e tecnicamente do q em 2017, além da confiança na estratosfera.

  47. rafael

    Mestre, concordo que o Nadal está mais agressivo e sua regularidade e capacidade de se defender assusta. Ainda assim, dependendo do que acontecer em Cincy eu ainda tenho que Federer e Djoko serão mais perigosos. Enfim, mais um espetacular Grand Slam está por vir.
    Abraço

  48. Joao

    Dalcim, não concordo. A questão não é qual entre Toronto ou Cincinnati se assemelha a NY. A preparação ideal inclui jogar os 2 antes de NY. Federer fez isso por anos e teve sucesso. Outros tvem fizeram assim. Há outros fatores além da velocidade das quadras: temperatura, vento, atmosfera, bolas, timing etc. Pra mim Nadal não vão a Ohio por causa da chave! Não compensa. Muita gente pra derruba-lo no caminho. Muito esforço a se envolver tendo já 1 título com 5 jogos nas costas. Se perde, perde parte da confiança; se ganha, pode acabar desgastado (por conta da idade) na 3 ou 4 rodada. Se a chave de Cincy fosse mais facil, como ele está acostumado, tenho certeza de que iria. Mas do jeito que está, cheia de encrencas penduradas do lado da dele… esquece. Nadal não é o jogador cujo arsenal abre caminho para as vitórias. É talvez o jogador mais difícil de ser derrotado, sobretudo mentalmente, de todos os tempos. Jogar contra ele é um pesadelo. Há quem goste e desgostei dessas características. Quem tem de encarar isso são os tenistas. Pra nós espectadores não faz a mínima diferença. Agora, como todo ser humano é número 1, chaves mais fáceis lhe interessam. E temos visto que em muitos torneios a sorte tem estado ao seu lado nesse sentido. E é justamente por isso que sempre ficamos surpresos quando ele perde antes das finais. É um jogador extremamente inteligente em quadra. Mas não está indo a Cincinnati porque a chave está difícil lá.

  49. Cesar Valeixo

    Dalcim, vc acha que a questão da chave ser muito exigente pesou nessa decisão de rafa desistir ou vc enxerga que ele desistiria independentemente disso? Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Difícil imaginar o que passou na cabeça de sua equipe, mas acho que as condições climáticas de Cincinnati pesaram acima de tudo. O verão está pesado, a umidade é alta e Nadal teria de jogar todo dia. Um desgaste realmente evitável.

  50. neuton

    Só para lembrar, ano passado era o Chung que todos elegiavam e declaravam ser o próximo a detonar. Resultado: esse ano, cheio de contusões, o jovem talento pouco fez. Sendo assim, parabéns ao Stefano Tsitsipas, joga muito e tal. Mas precisa confirmar e consolidar essa condição.
    Pense em um esporte difícil de se manter na ponta por muito tempo, por isso Nadal, Federer, Djokovic são MONSTROS, pontos fora da curva no tenis.

    1. Fernando Pauli

      Chung? Mesmo ano passado no auge, já se sabia que não seria um top 20, pois seu saque é mediocre. O saque tem que melhorar muito e seu voleio tem que se reinventar, aí pode sonhar com um top 10.

  51. José da Silva

    Muita calma nessa hora, Dalcim. Djokovic chegou em Wimbledon sem muita badalação, na semifinal encontrou Nadal e muita gente deu como certa a vitória do espanhol, inclusive você deu apenas 35% de chance para o sérvio. Vale lembrar que o histórico fora do saibro, a partir de 2011, está 13 a 2 para o sérvio.

    1. V Maurício

      E 1 dessas vitórias justamente numa final de USO, contra um Djoko ainda no auge, em pleno 2013. Difícil prever algo ainda, mas acho que Nadal tem mais chances contra Djoko num eventual encontro no USO do que ele tinha em Winbledon.

  52. Diego

    Dalcim estou lendo a biografia do Djokovic e vi seu texto no livro, parabéns. Mas do que uma história esportiva a vida do nole é de muita persistência.

    Quanto ao Nadal acho que montou o seu calendário para chegar mais inteiro ao finals. Deveria pular paris também e buscar algo que lhe falta.

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado, Diego! Acho na verdade que ele deveria pular Pequim e ir somente a Xangai. E conforme a coisa caminhar, evitar mesmo Paris. Vamos lembrar que ele colocou a Copa Davis na lista após o US Open. Abs!

  53. Toshiro

    Mestre, complemente o texto com algo sobre a final feminina! Que partida. Halep está muito confiante depois do título em RG. 🙂 Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Foi uma partida bem disputada, mas não necessariamente um grande jogo. As duas se empenharam muito, mas foi um jogo ‘quadrado’, mínimas variações. Para Halep, foi extremamente importante esse título, vai lhe dar confiança para o US Open.

  54. ALEXANDRE ADORNO DA CUNHA

    Dalcim ninguém acreditaria em 15/16 quando( não lembro exatamente quando,) o Djoko passou o Nadal em Master, o Nadal iria fazer esta reviravolta e abrir em MASTER novamente..nem você não é? como aquele seu texto antológico depois da final do Australian Open de 2017, nunca duvide de RF, nunca duvide de RF.abs

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, a queda de produção de Djokovic, onde se inclui também a contusão no cotovelo, mudou bastante esse parâmetro. Não era algo previsível, não?

  55. Danilo BR

    Eu disse ontem que Nadal não perde pra guri… Nadal não dá oportunidade pra surpresas… Djoko eliminado precocemente de qualquer torneio daqui pra frente será título certo pra Nadal. Monstro que eu confesso nutrir uma certa antipatia… Mas tenho que engolir! 05 anos a menos que Federer significa que quase todos os recordes do suíço serão certamente quebrados por esse competidor inigualável.

    1. João ando

      Dalcim. Vc acha que o Nadal está voando fisicamente ja que não joga Cincinati. ….por que pular ….se tem que estar em ritmo de jogo…

  56. Luciane

    Nadal é um monstro de brilhante! Não tem que provar mais nada a ninguém e joga pelo prazer de jogar!! Vida longa ao rei!!

  57. Rodrigo S. Cruz

    O Nadal é esperto!

    Fugiu da chave dificílima que pegaria em Cincinnati.

    E de quebra também fugiu de levar outra SURRA do Federer, caso chegasse na final.

    Nadal FUJÃO kkkkkkk

    Brincadeiras à parte, no lugar dele eu também teria pulado…

  58. Marcelo Reis

    O grego tem muito espaço para evoluir, principalmente o saque, seu backhand e seu físico. Acho-o muito franzino ainda. Mas há de melhorar! Parabéns pela campanha que fez, batendo o recorde do próprio Nadal em ganhar de 4 top 10 em sequência. No 2º set quase embola o jogo do Nadal …

    E o espanhol merece mais que os parabéns! Mesmo não jogando seu melhor, ganhou o torneio tamanha a sua superioridade. Senti que ele estava perdendo o ímpeto no final do 2º set, e acho que isso deve ser seu corpo pedindo um pouco de um descanso merecido, pulando o próximo Masters.

    Agora com Nadal pulando torneios, mesmo estando saudável, espero que entendam as razões do Roger também. É saber ouvir seu corpo e pensar também de forma tática – devido ao court hostil ao seu corpo/jogo. Parece que Nadal aprendeu e acho que ele só tem a ganhar.

    Bola pra frente.

  59. Luis

    Dalcim muito legal o grego deu reclamada mas normal coisa de alfhakk,Federer e Djokovic podem ser favoritos em Cinci?

  60. Márcio Cerqueira

    Dalcim , sem o Nadal em Cincinatti , quem são os favoritos pra esse masters? Levando em consideração a velocidade do piso e o tênis apresentado ..

  61. Mario César Rodrigues

    “Ele nunca se desespera.Ele te cerca como um bulldog e sempre irá te fazer sofrer em quadra.È notável o que ele consegue construir em quadra e isso você sente quando o enfrenta.Tenho que trabalhar muito para atingir esse nivel algum dia.”Tsitsipas.Dalcim fico pensando depois vou pesquisar dos 80 canecos do Rafa são 33 masters1000 e 17 GS dá 50.sem dúvida é uma marca para lá de respeitada!concorda?abs

    1. O LÓGICO

      Faz isso M Caridoso kkkkk, e depois nos diz quantos ele ganhou fora da LAJE kkkkkkkkkkkkkkk
      Se existisse master na grama, Roger King teria uns cinquenta master e tudo muito divididinho entre quadras duras e na grama kkkkkkkkk Porque ele não é UNIDIMENSIONAL, MAS GENIAL KKKKKKKKKKKKKKKKKKkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  62. Rafael

    É isso mesmo, decisão apropriada pela crença de que poderá fazer um grande US Open. Como torcedor do espanhol eu queria vê-lo em Cincinatti mas essa decisão é a apropriada. Sorte ao número 1 do mundo é o meu desejo!

  63. Wladner

    Vendo a corrida do grego devo admitir que senti algo como uma alegria de uma grande estrela surgindo. Cedo para isso mas independe dele ter a capacidade de continuar ou não, já foi algo incrível. Nítido que o backhand dele tem espaço para evoluir. Vamos torcer para elevar o nível!

Comentários fechados.