Central reúne 60 Grand Slam em dia histórico
Por José Nilton Dalcim
8 de julho de 2018 às 17:43

Algo completamente inédito na história do tênis, a segunda-feira de oitavas de final em Wimbledon colocará na mítica Quadra Central nada menos do que 60 títulos de Grand Slam. Começa pelos 20 de Roger Federer, segue nos 23 de Serena Williams e se completa com os 17 de Rafael Nadal. Que dia!

Vale lembrar que ali estão também 17 títulos de Wimbledon, com os oito do recordista suíço, os sete de Serena e os dois do canhoto espanhol. Os três fizeram ainda mais oito finais.

Vamos dar uma olhada nos 16 jogos em disputa e as perspectivas, observado que metade dos homens tem mais de 30 anos – igualando maior marca em Slam da Era Aberta – e apenas um está abaixo dos 21, sendo 10 cabeças de chave, cinco top 10 e um qualificado.

Masculino
Federer x Mannarino – Suíço tem 5 a 0 nos duelos, um deles em Wimbledon-2011 e apenas um set perdido. Grande chance de se manter sem break-points permitidos no torneio. Federer busca 16ª presença nas quartas de Wimbledon em 20 participações, Mannarino jamais foi tão longe em 34 Slam disputados.

Nadal x Vesely – Espanhol ganhou duelo de canhotos realizado no saibro de Hamburgo-2015 e tenta chegar nas quartas de Wimbledon pela primeira vez desde o vice em 2011. A última vez que Nadal fez quartas seguidas em todos os Slam foi em Paris-2012. Vesely tirou Schwartzman e Fognini e sua maior vitória na carreira veio sobre Djokovic em Mônaco-2016. Deve jogar de franco-atirador.

Del Potro x Simon – Argentino tem 4-3 nos duelos, tendo vencido ambos na grama. Desde 2012, Delpo não consegue duas quartas seguidas em Slam e é favorito diante do francês que faz temporada irregular e hoje é 53º do ranking.

Anderson x Monfils – Sul-africano é ‘freguês’, tendo perdido todas as cinco. Nunca jogaram em Slam ou na grama, então pode acontecer qualquer coisa. Curiosamente, ambos nunca atingiram as quartas em Wimbledon em 9 tentativas. Monfils surpreendeu Gasquet e Querrey e nunca tirou três cabeças num mesmo Slam.

Isner x Tsitsipas – São 14 anos de diferença na idade, ainda assim ambos disputam oitavas de Wimbledon pela primeira vez. Americano venceu no veloz piso de Xangai-2017 em dois tiebreaks, portanto previsão de jogo duro. Isner salvou dois match-points na 2ª rodada contra Bemelmans.

Djokovic x Khachanov – Confronto inédito entre currículos muito distintos. O tricampeão ganhou 804 jogos na carreira, o russo de 22 anos venceu apenas 65. Se avançar, Djokovic iguala as 41 presenças em quartas de Slam de Connors e só fica atrás das 52 de Federer. Russo já fez 14 sets (dois jogos seguidos no quinto), incluindo virada por 0-2 contra Tiafoe.

Raonic x McDonald – Outro jogo inédito e amplo favoritismo para o canadense em cima do 103º do mundo. Raonic tenta oitava presença em quartas de Slam e a terceira seguida em Wimbledon.

Nishikori x Gulbis – Duelo totalmente inesperado, que vai colocar outro nome inédito nas quartas de Wimbledon. Japonês tirou Tomic e Kyrgios e ganhou os dois confrontos diante do letão. Gulbis já superou três jogos no quali e três rodadas em cinco sets na chave, incluindo Dzumhur e Zverev. Ninguém jamais ganhou quatro partidas no quinto set no torneio ao longo da Era Aberta.

Feminino
As oitavas femininas têm três tenistas acima dos 30 e três abaixo dos 22, portanto mais equilibrada. São sete cabeças de chave, mas apenas duas top 10 (Pliskova e Kerber) e três campeãs de Slam (além de Serena e Kerber, Ostapenko), além de uma qualificada.

Na parte superior da chave, Kerber x Bencic é o grande jogo, com três vitórias da suíça, hoje apenas 56ª do ranking. Kasatkina ganhou recente duelo na grama contra Van Uytvanck, Já Cibulkova nunca perdeu sets para Hsieh e Ostapenko tem 2-0 sobre Sasnovich, mas a bielorrussa tem vencido mais de 50% dos pontos como devolvedora no torneio até agora.

Embaixo, Serena duela pela primeira vez com Rodina. Russa é 120º do mundo e nunca chegou tão longe num Slam. Pliskova e Bertens devem fazer jogo bem equilibrado. A tcheca venceu 2 dos 3 duelos, mas não brilha neste Wimbledon e fez todos seus jogos em três sets. Goerges aposta no saque (já foram 35 aces) contra Vekic e Giorgi-Makarova parece imprevisível entre duas tenistas que gostam de arriscar.


Comentários
  1. Paulo Pauli

    As tenistas com mais de 30 títulos de Slam na carreira em todas as categorias de todos os tempos

    Margaret Court – 62 títulos em 87 finais
    Martina Navratilva – 59 títulos em 85 finais
    Billie Jean King – 39 títulos em 65 finais
    Serena Willians – 38 títulos em 46 finais
    Margaret Osborne Du Pont – 37 títulos em 51 finais
    Louise Brough – 35 títulos em 53 finais
    Doris Hart – 35 títulos em 67 finais
    Helen Willis Moody – 31 títulos em 39 finais

    Responder
  2. Paulo Pauli

    Os maiores campeões de Slam (com mais de 11 títulos) em todas as categorias ainda em atividade são

    Serena 23 simples, 14 duplas e 1 mista = 38
    Vênus 7 simples, 14 duplas e 3 mistas = 24
    B. Bryan 16 duplas e 7 mistas = 23
    M. Bryan 16 duplas e 4 mistas = 20
    Federer 20 de simples
    Leander Paes 8 duplas e 10 mistas =18
    R. Nadal 17 de simples
    D. Nestor 8 duplas e 4 mistas = 12
    M. Bhupathi 4 duplas e 8 mistas =12
    N. Djokovic 12 de simpes
    MaxMirnyi 6 duplas e 5 mistas = 11
    Total Geral 207 títulos

    Responder
  3. Bartolomeu

    Mais uma rodada extremamente fácil para Federer, Djokovic e Nadal.

    Impressionante a longevidade e como os demais jogadores não conseguem nem ser competitivos, principalmente em torneios de grand slam, o que, pelo menos para mim, chega a ser uma decepção.

    Lembro alguns anos atrás. Teve uma publicação especializada em tênis que projetou o ranking do ano de 2020, quando o big four já não fosse dominante. Salvo engano, a aposta era Dimitrov como líder vdo ranking e Thiem como segundo. Lembra-se disso, Dalcim?

    Pois, pelo andar da carruagem, é mais provável que tenhamos Federer, Nadal e Djokovic nas três primeiras posições em 2020.

    Em tempo: olhando a chave das quartas de final de Wimbledon (tanto faz passar o Del Potro ou o Simon), fico com a impressão de que fui teletransportado de volta para o ano de 2012, talvez antes.

    E em 2012 o Federer levou.

    Responder
  4. Luiz Fernando

    Gulbis sempre foi um bom jogador, dizem inclusive que o Djoko era freguês dele no juvenil, o q não sei se é verdade. Seu problema sempre foi o comportamento, não estilo cafajeste como Kyrgios, mas do tipo playboy irresponsável. Em W2018 demonstrou a conhecida capacidade do seu jogo como também demonstrou profissionalismo e respeito ao público, ao jogar baleado contra o japa em boa parte do jg. Pq o australiano não se mira nesse excelente exemplo, afinal ainda é muito jovem?

    Responder
    1. João ando

      Luiz . Por que o grego australiano e um deslumbrado…deve ficar sim em top15 ,mas apesar de jogar muito bem tênis… não acho que chega a top5 como alguns aqui do blog relatam….

      Responder
  5. Márcio

    Del Potro já começou a ter azar, e a partida fica para o próximo dia, detalhes que as vezes podem comprometer.
    Merecia melhor sorte o Argentino.

    Responder
  6. Lucas

    Se Federer almeja e acredito que sim ,estar na final de domingo vai ter que bater 2 grandes sacadores na sequencia,o que deve exigir muita concentração do suiço,ainda mais na grama.Já do outro lado só uma catástrofe evita o clássico Djoko X Nadal .Dalcim dos tres sacadores no caminho do Federer Raonic por já ter ganho em Wimbledon do Federer é o que pode trazer mais perigo ?Obrigado

    Responder
  7. Ronildo

    Então os organizadores de Wimbledon prezam e tomam diversas atitudes para conservar a grama durante a competição, né!? Então vejamos: o palco principal é a quadra central, naturalmente. Pois é minha gente, vejam só: hoje Djokovic e Krachanov jogaram na quadra 1; Del Potro e Simom na quadra 2. Djokovic é tri-campeão de Wimbledon. Porque então estes espertos organizadores não colocam os pouquíssimos jogos da próxima terça nas quadras 1 e 2 ?
    Não estou dizendo que os jogos femininos são menos importantes, só acho que o público que vai assistir estes jogos caberiam muito bem nas quadras 1 e 2. Ou será que estou enganado e haverá muito mais público para ver os jogos de amanhã do que nos jogos do Djokovic e Del Potro hoje? Ou eles realmente não se interessam em preservar a grama depois que o espetáculo começa a partir do primeiro dia do torneio?

    Responder
  8. Renato

    Não existe dúvidas que os adversários que Federer enfrentou até agora são superiores aos que Nadal enfrentou. A partir de agora, a coisa muda um pouco. Se bem que, pelo menos nas quartas, os adversários se equivalem.

    Responder
  9. Márcio

    Mestre Dalcim!!

    O cara fecha um puta contrato de milhões a mais do que já ganhava só pra vestir uma camiseta.
    O cara faz um programa em que come o olho de um peixe vivo na região congelada da Europa.
    O cara organiza e participa do torneio beneficente Match for Africa.
    O cara participa da organização e criação do torneio Laver Cup e também joga no respectivo evento.
    O cara está mais pra lá do que pra cá com seus 36 aninhos em se tratando de esportes de alto nível e ainda belisca o primeiro lugar do ranking às vezes, quesito este em que reina absoluto pela eternidade.
    O cara chega numa Oitavas de Wimbledom e começa metendo 60 no cidadão do outro lado.
    O cara arruma tempo e lembra de dar uma embaixadinha com a bolinha de tênis, pra mostrar seu belo calçado da Nike pois parece que possuí a possibilidade de novo patrocínio específico pra esse acessório.

    Então Mestre, o cara pode e pensa em tudo???? Que palhaçada é essa!!

    Responder
  10. Sandra

    Dalcim, não sei se você chegou a ver, tem um site de tênis, bola amarela, e lá mostrou as mãos dos tenistas após a partida, um verdadeiro filme de terror, rssss, as males deles são eternamente machucadas, ou melhora após os jogos, um horror, o dia a dia e sempre machucadas

    Responder
      1. Sandra

        Me poupe!!! Rssss, depois das mãos nem me interessa os pés, acho que o tênis e o mais bonito de todos os esportes, mas pelo visto e o que mais machuca, não pode fazer uma plástica não???

        Responder
  11. Fernando Brack

    Carinha fraco esse Vesely, hein. Não joga nada. Podia dar um pouco mais de trabalho ao Nadal por ser canhoto e bom sacador, mas faz um jogo baba pro espanhol.

    Responder
  12. Fernando Brack

    Fiquei pasmo em ver Federer jogar contra Mannarino o tempo todo plantado na base. Será que ele perdeu o gosto por volear? Se jogar assim contra Djoko ou Nadal é derrota na certa.

    Responder
      1. Fernando Brack

        Justamente por ele ser fraquinho, era uma boa oportunidade de Federer aprimorar o jogo de rede.
        Não entendi ele ficar lá atrás trocando bola com o francês a partida inteira, pedindo pra se cansar.

        Responder
    1. Marcos Castillo

      Vários estão fazendo falta, Gabi.
      Marcao, Ziggy, o JR7, Jeremias e Henrique Farinha, pra citar alguns, infelizmente sumiram deste espaço.

      Responder
    1. Marcos Castillo

      LF,
      Vc preferia que o Nadal enfrentasse Lajovic, Lacko, Struff e Mannarino ou Sela, Kukushkin, de Minaur e Vesely?
      Apesar de achar q o espanhol passaria em qualquer dessas situações, acho que ele teria mais trabalho no primeiro cenário…
      Abs!

      Responder
        1. Marcos Castillo

          Ufa kkkk
          A verdade é que Federer, Nadal e Djoko estão tão acima dos demais que as chaves parecem até mais fáceis do que realmente são.
          O quadrante do Djokovic, que parecia o mais enroscado, se abriu com as quedas de Zverev e Kyrgios.
          Abs!

          Responder
    2. Leonardo

      E o que você diz da chave do Nadal?? Só jogadores sem potencia nenhuma nos golpes…perfeito pra ele chegar sem esforço…se Delpo nao pipocar nas quartas vence facil facil o espanhol

      Responder
    3. Nando

      A do balão tbm é complicadíssima né kkkkkkkkk, ganhou do campeão Vesely….e nas quartas, Federer pegará Anderson, o mesmo galinha morta q nadal pegou na final do USO 2017 kkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
        1. Leonardo

          Delpo não seria moleza, mas o Nadal dá tanta sorte que pegará o argentino desgastado, visto que jogará 3 dias seguidos, mais de 3 hrs só hj. Bom, isso se o Simon nao resolver aprontar amanha. De qualquer maneira, Nadal chegará nas semis sem fazer esforço. Assim como no USO ano passado, uma chave ridicula

          Responder
        2. alessandro sartori

          que briga de foice “aí embaixo´´, tudo pra chegarem a conclusão que um ainda não pegou nada e o outro ninguém, por enquanto só o sérvio enfrentou alguma coisa pela frente, sei não viu, acho que o Djokovic ta querendo engatar um 2018 a 2022, igual fez entre 2011 a 2016, essa briga do Big3 ainda vai ter muitos capítulos…Ah, tomara que esse Simon não complique a vida do argentino, esses franceses não acabam nunca, ngm tem dúvida que o Del Potro vai fazer um jogão contra o Nadal, já se o frances virar, eu não tenho que ele perde de 3 a 0 pro espanhol…

          Responder
  13. Gabi

    Gulbis x Nishikori, Monfils x Anderson, Isner x Tsitsipas são jogos muito melhores que Serena x Rodina.
    E qual o sport tv transmite? Pois é.

    Responder
    1. João ando

      Renato. Não vi o jogo .mas o francês Adrian e muito fraco …não sei como chegou a top20/30….vc vê que o cara de dedicando da para ficar rico e fazer o que gosta que e jogar tênis no circuito

      Responder
  14. Kelly

    A novela protagonizada por Rafael Nadal e Carlos Bernardes está se prolongando demais! Vem bem antes do ‘”episódio do short virado” kkkk. Até onde sei, foi na ATP Finals de 2010, com a participação especial do Berdych. Portanto, pra evitar a reprise do capítulo passado, sugiro que escalem um novo elenco nas performances do Rafa. E mando um recadinho melódico ao Carlos, pra ser incluído à trilha sonora do último capítulo, com final feliz!

    O Nadal demorou / Você não aceitou / Pega o seu banquinho / E saia de mansinho
    O Nadal não sacou / Você desaprovou / Pega o seu banquinho / E saia de mansiiinhooooo

    Brincadeira, pessoal! Aprecio demais o profissionalismo de Carlos Bernardes e aposto que não deve ter sido nada fácil, chegar lá! Sem contar que, a regra é clara! rss

    Responder
  15. Efraim Silva

    Se considerarmos os maiores campeões em atividade, temos 111 títulos de slams conquistados por eles.

    23 Serena + 2 de mistas
    20 Federer
    17 Nadal
    15 Bryans
    13 Williams
    12 Novak
    7 Vênus + 2 de mistas

    Se tratando de jogadores em atividade, acho que algo semelhante deve ter ocorrido na época da Margaret, Navratilova, Evert… Aí só pesquisando.

    Responder
  16. Kelly

    Se as vitórias em Wimbledon forem proporcionais à Copa da Rússia, o improvável deve acontecer amanhã e 3 franceses irão às quartas de final! rss

    Responder
  17. Rodrigo S. Cruz

    Tempos atrás, quando eu vi o Vesely derrotando o Djoko num jogo bem parelho, eu pensei que se tratava de um novo fenômeno.

    Mas na época, eu não sabia que o tcheco tinha tantas limitações físicas.

    Pois eu ouvi um comentarista do Sportv dizendo que ele teve de superar uma paralisia infantil…

    Responder
  18. Mauro Berna

    Dalcim, todo mundo fala dos jogadores, mas tenho curiosidade sobre os árbitros :

    1.Se eles recebem algo semelhante a um salário , ou incentivo financeiro regular no ano todo .Alguns torneios pagam mais ?

    2.Se a ATP, ou WTA paga pela suas acomodações e viagens, ou se são os torneios que assumem estes custos .

    3.Como fazem para entrar para o time de árbitros. No caso do Carlos Bernardes, como ele chegou a ser árbitro …

    Grato pela atenção

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eles têm um contrato anual com a ATP e são contratados para cada Grand Slam e Copa Davis pela ITF. Têm todas as despesas pagas, mas hotel e alimentação é por conta do promotor do torneio. É preciso começar pelos cursos de arbitragem – existem alguns no Brasil – e atuar primeiro nos pequenos torneios. Conforme a atuação e a evolução, sobe de patamar. Chegar aos Grand Slam, mesmo para juiz de linha, é bem difícil, Mauro.

      Responder
  19. Marcos Castillo

    Caraca, só jogaço!
    Minha torcida vai para Federer, Delpo, Djoko e Tsitsipas.
    Quero muito estar errado a respeito do argentino caso enfrente o Nadal ( onde acho que ele já entra meio derrotado), pois além de ser um dos meus jogadores favoritos no circuito, ele tb é um dos mais simpáticos e carismáticos.

    Responder
    1. Márcio

      Como é legal acompanhar os argentinos no Tênis.
      Fazem uma excelente participação no circuito, conseguindo resultados com base na superação e muito trabalho.
      O desempenho deles no ranking é algo muito bacana de se acompanhar, e sempre algum deles consegue um resultado a mais, de acordo com as suas condições.
      Antes de tudo, a torcida vai pra eles, sem dúvida – caso não enfrentem nossos brasileiros.
      Mas pros brasileiros no Tenis a coisa anda complicada.

      Responder
  20. Luiz Henrique

    Como fica a programação a partir de terça, separam os dias dos homens e mulheres?
    Sobre o feminino pelo que viu até agora, aposta em quem como favorita? Serena?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, terça as mulheres, quartas os homens e aí segue. Olha, Serena tem a maior experiência mas seu físico é incógnita.

      Responder
  21. Rogério Borghi Torrentes

    Dalcim, você não acha que aquele movimento amplo de forehand do Gulbis encurtou? Como seria bom se ele retornasse ao nível dos grandes tenistas.

    Responder
      1. filhodedavid

        Me confundi mesmo Dalcim, você está certo. E Serena tem 23 gran slam e não 22 e Nadal tem 17 gran slam e não 18. Obg, Abraços!

        Responder
  22. Nando

    Mestre só 1 correção: nadal tem 17 Slams, pouco né? Rsrs
    Espero q tenham feito o melhor possível para q as quadras estejam em boas condições para amanhã…e q Federer e Serena, os velhinhos, façam uma grande 2° semana, começando por essas oitavas.
    Espero estar errado, mas o sérvio e o espanhol devem passar pras quartas.

    Responder
  23. Renato

    Eu prefiro que Federer enfrente Anderson na próxima fase. O francês costuma jogar a vida contra Federer. Mas independente de quem vier, se Roger ganhar amanhã, não acredito que perca sets.

    Dalcim, quais são as melhores armas do Vesely?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *