Hermanos gigantes
Por José Nilton Dalcim
4 de junho de 2018 às 18:33

Dois dos 12 melhores tenistas do ranking, Juan Martin del Potro e Diego Schwartzman atingiram nesta segunda-feira as quartas de final de Roland Garros por caminhos bem opostos. Se Delpo ganhou o duelo de saques e devoluções diante de John Isner, num jogo bem menos apropriado ao saibro do que a uma quadra rápida, Diego conseguiu uma virada impressionante sobre outro grandalhão do circuito, Kevin Anderson.

As chances de os dois argentinos darem mais um passo é igualmente distinta. Delpo tem um histórico muito favorável diante de Marin Cilic, embora a maior parte do placar de 10 a 2 tenha sido construída até 2013. Ainda assim, o argentino ganhou os dois duelos mais recentes, incluindo a inesquecível virada na decisão da Copa Davis de 2016.

Há muito tempo Del Potro deixou de ser um típico jogador de saibro, mas ainda o vejo bem mais adaptado ao piso do que Cilic. Basta ver a dificuldade que o croata teve para superar o contundido Fabio Fognini. Não menos interessante é o fato de que a partida de quarta-feira entre os campeões de US Open valerá também o quarto lugar do ranking.

Schwartzman superou um adversário 35 centímetros mais alto, que teve o jogo nas mãos duas vezes, com 5/3 no terceiro set e 5/4 no outro. É bem verdade que Anderson falhou mentalmente, porém El Peque jamais desistiu e fez um brilhante quinto set para atingir as quartas de um Slam pela segunda vez. Está grudado no tão sonhado top 10. Porém, para atingir a façanha, terá de obter algo inimaginável, ou seja, ganhar as duas próximas rodadas.

Sim, porque a ‘mala suerte’ dos hermanos é estar no caminho de Rafa Nadal. É fácil recordar o esforço hercúleo que Diego fez no recente duelo de Madri contra o número 1, não conseguindo mais do que uma quebra de serviço e sete games. Aguentar essa pressão por três, quatro ou cinco sets parece não estar ao alcance de Schwartzman, por mais guerreiro que seja.

Nadal fez outra grande exibição em Roland Garros. Talvez a demora na adaptação a um adversário canhoto de golpes pesados explique seu começo instável, em que Maximilian Marterer teve uma bola de meio de quadra para ir a 3/1. Assim que calibrou seu forehand, o espanhol mostrou aquele volume assombroso.

É bem verdade que a intensidade caiu por uns instantes no terceiro set e o valente alemão voltou a lhe tirar o serviço e aí sim fazer 3/1. Rafa reagiu e Marterer mostrou não apenas competência técnica mas também controle emocional para empurrar a decisão ao tiebreak, onde por fim o canhoto espanhol colocou ordem na casa, fechando a vitória com 39 winners, 17 pontos junto à rede e quatro aces. Versatilidade a toda prova.

Um dia depois de festejar os 32 anos, Rafa também comemorou a 900ª vitória de primeira linha, a 234ª de Grand Slam (que o desgruda de Jimmy Connors) e a 12º presença nas quartas de Roland Garros. De quebra, já soma 37 sets consecutivos em Paris e está a quatro da marca incrível de Bjorn Borg, que pode cair após 37 anos. Motivações não faltam a Rafa, dia após dia. Pobre ‘hermanos’.

Frustração no feminino
Como foi estranho e desalentador o complemento da quarta rodada da chave feminina. Nos quatro duelos previstos, foram disputados 35 games e, somando-se tudo, houve apenas 2h26 de bola rolando, menos do que duraram os compromissos de Rafa ou de Delpo.

Garbiñe Muguruza jogou apenas 13 pontos antes de ver Lesia Tsurenko abandonar, Simona Halep e Angelique Kerber arrasaram Elise Mertens e Caroline Garcia. Até mesmo o complemento do jogo suspenso de domingo foi muito rápido, já que Daria Kasatkina acabou com o sonho de Carol Wozniacki em apenas mais três games.

Mas claro que a decepção absoluta foi a desistência de Serena Williams. Nem foi para a quadra, vitimada por dor muscular no peito e sem condições de sacar. Aliás, isso já havia ficado claro na dupla que disputou na véspera. Provavelmente, não teria feito diferença, mas jogar essa partida no domingo foi uma mancada.

Sem entrar em quadra, Maria Sharapova não pôde encerrar o jejum contra Serena, mas ganhou um dia de descanso para tentar o não menos difícil desafio de encarar Muguruza nas quartas de final.

Segundo levantamento de Felipe Priante, os oito jogos de quarta rodada feminina tiveram média de 59 minutos e apenas um passou de 90.

A terça-feira
– Zverev e Thiem são os tenistas com maior número de vitórias na temporada (34 a 33). O duelo direto indica 4-2 para Thiem, porém Zverev o venceu semanas atrás em Madri.
– Alemão somou 11 horas de quadra em seus 3 últimos jogos, Thiem não teve nenhuma partida mais longa do que 2h40.
– Se mantiver o favoritismo sobre Cecchinato, a quem nunca enfrentou, Djokovic somará 32 semis de Slam e se isolará no segundo lugar no quesito.
– Número 73 do ranking, italiano pode ser jogador de mais baixo ranking na penúltima rodada de Paris desde Medvedev, em 1999. Em caso de vitória, Cecchinato entrará no top 30.
– Kasatkina tem 1-1 frente Stephens, mas venceu em março em Indian Wells. Se for adiante, russa terá grande chance de enfim chegar ao top 10, a menos que Sharapova seja campeã.
– Keys enfrentou uma vez Putintseva, com vitória em 2016. Aos 23 anos mas sem títulos de WTA, russa joga como cazaque mas mora em Miami. Tenta pela segunda vez uma semi no saibro de Paris.


Comentários
  1. Mario César Rodrigues

    Dalcim..este Italiano profissional desde 2010 um caneco e resultados nada promissores mas será que depois desta campanha se ele não decola tudo pode acontecer….25 anos engraçado me deu a impressão de ver o Leonardo Mayer da Argentina se parecem muito o jogo não acha?

  2. Luiz Fernando

    Parece q a M. Ester se foi, recebi uma msg agora no wapp. Se verídico, e provavelmente é pela enfermidade q a acometeu, que se Deus a tenha e dê luz e amparo aos seus familiares. O esporte brasileiro e o tênis mundial estão de luto, pois foi uma grande campeã, a maior expoente do tênis brasileiro.

  3. Rafael

    Queria expressar toda minha solidariedade, energia positiva e reconhecimento pela GIGANTE Maria Esther Bueno, que passa por um momento delicado de saúde com essa doença maldita.

    Que Deus a ampare e a fortaleça, independente do destino que Lhe reserva.

  4. Mario César Rodrigues

    As catimbas do Nole quase deram certo há aquele 4×1 e não aproveitou hem o Italiano voltou com tudo e tome paulada bola na linha e Nole não jogou mal apenas achou que viraria na hora que achasse..se deu mal..pois o Italiano meteu bordoada e desta vez Nole pode ficar tranquilo se continuar assim vc tem tênis para um top 20 e convenhamos tá bom hem!E o Zverev foi tomar sorvete depois do jogo é um Zé Ruela!

  5. Giçon de Jesus

    Fiquei sabendo agora pelo Dalcin que está muito doente a Maria Esther Bueno essa mulher foi é e um exemplo para o Brasil , completamente fora da curva.
    Maior tenista de todos os tempos do Brasil.

  6. Gustavo M.

    O jogo que o Cecchinato teve mais dificuldades até agora foi a estreia diante do romeno Marius Copil, em que precisou vencer no 5º set por 10/8… hehe
    Quem imaginaria esse campanha!

  7. Nando

    2015-meados de 2016: “No fim de 2017, ou mais tardar em 2018, djokovic ultrapassará tds os recordes de Federer, principalmente os Slams e semanas na liderança. Adje nole.” (autores desconhecidas hoje, pois ninguém quer ser o “pai” da criança)
    Metade de 2018: derrota nas quartas de RG para o poderoso Cecchinato (???). E os numeros de djokovic, q está fora do top20, continua os mesmos (grandes números, sem dúvidas)
    Moral da história: “Ajude djokovic”.

  8. João ando

    Não vi o jogo….o Marco cechinato e o novo Guga…será que vai ser campeão ..o que acha dalcim…

  9. Rubens Leme

    Dalcim, estava vendo uma curiosidade interessante: em 1978, Corrado Barazzutti, caiu nas semifinais de RG, para Bjorn Borg, por 6-0, 6-1 e 6-0. Três anos depois, Borg repetiu o placar contra Terry Mooor, na terceira rodada (6-0, 6-0 e 6-1), após eliminar, na rodada anterior nosso Cássio Motta, por 6-1, 7-5 e 6-0, uma partida que até hoje me recordo.

    Duas bicicletas, quase dois triciclos. Saudades de Iceborg, que deixou de jogar RG de 1977 por uma questão de contrato, onde até havia sido processado pela WCT por ter participado de do circuito Grand Prix, ao invés da própria WCT. Imagine a frustração dele vendo escapar um Slam praticamente certo.

  10. Maria antonieta

    O espanhol a meu ver ainda não jogou ! Apenas treino isto pq os melhores jogadores estão na outra chave !

  11. Luiz Fernando

    Até hj cedo o mote era “Zverev, eu acredito”, agora pelo menos existem outras 5 opções de crença kkk…

  12. Efraim Oliveira

    Zverev terminar o ano como número um? Acho difícil hein… Não fosse a amarelada de alguns jogadores, ele já teria perdido antes nesse torneio.

    1. Sérgio Ribeiro

      Sasha com essas Quartas cravou 3500 pontos somente atrás de Rafa , Efraim. E Thiem 2500 com a Semi. Parece que a turma do Danoninho vai toda para Londres rsrsrs.ABS !

  13. Luiz Fernando

    Inacreditável, eu imeginava dificuldades mas nunca uma derrota do Djoko hj. Pra piorar, sacou p fechar o quarto set e não fechou, teve setpoints no tiebreak, inclusive no seu serviço, e não confirmou. Para o italiano tudo será festa e lucro até onde chegar, pro sérvio uma ducha de água fria na sua recuperação e um golpe na confiança. Thiem com grande chance de ir à final, mas depois da reação de hj não se pode menosprezar seu adversário.

    1. Luiz Fernando

      Dito e feito, Djoko já põe em dúvida sua participação na grama, logo ele q sempre foi candidato ao título de W. Mas penso q essa talvez seja uma reação intempestiva, causada pela frustração da derrota inesperada, no fim jogará W.

  14. Rodrigo S. Cruz

    Mesmo com o Djokovic ainda aquém do seu melhor tênis, é preciso dar os créditos ao Cechinatto.

    O cara abriu uma avenida do lado direito do sérvio, com o seu backhand paralelo…

    Mas acho que não vai conseguir fazer frente ao superesTHIEMado.

    Desta vez, a final reunirá o austríaco, e Rafael Nadal.

    PS> Bela atitude do Djoko, dando um abraço caloroso no italiano.

  15. Luiz Fernando

    Quanto a Zverev, não é pq perdeu que suas qualidades devem ser postas em dúvida. Jogou muito nessa temporada de saibro, mas ele sempre fracassou nos GS, talvez, ao menos em parte, pela falta de grande preparo físico, o q ele me parece estar superando, e aos poucos me parece claro candidato aos títulos de GS. Não nos esqueçamos que ontem, na ESPN, foi citada uma estatística que nenhum tenista já venceu fazendo mais de 3 jogos de 5 sets, e o cara já havia feito 3…

  16. Luiz Fernando

    E o subesTHIEMado atropelou o Zverev, arrasado física e mentalmente pelas maratonas enfrentadas. E de pensar q há alguns dias aquele comentarista abalizado, que se considera superior aos outros, postou q para um cara da idade do alemão essas maratonas eram boas kkk. Foram boas mesmo, para o adversário kkk. Thiem chega fortíssimo para a semi, confiante e descansado, candidato ao título, não nos esqueçamos q venceu Rafa em Madri. Também vale para os que sempre menosprezaram o rapaz, e agora, se ele fizer final contra Nadal, se tornarão seus torcedores de carteirinha…

    1. Rodrigo S. Cruz

      Sem dúvida!

      Qualquer coisa seria melhor do que ver aquele Careca incansável mordendo mais um troféu.

      SouThiem, desde criancinha! Kkkk

      Mas brincadeiras à parte, acho muito difícil qualquer um superar o Nadal, ainda mais numa decisão de RG.

      Seria a zebra da década…

      1. Sérgio Ribeiro

        ZEBRA e’ o Backand de uma mão insistir em chegar a FINAL de SLAM , mesmo sem o Craque e STANIMAL. ABS!

    2. Carlos Reis

      Sim, torcedor de carteirinha, contra o boi garantido qq torcida CONTRA é válida. Mas o “homem que não cansa nunca” é o favorito…

    3. Sérgio Ribeiro

      O passador de Recibos Mor e’ que se considera inferior aos outros. Como está sempre Muito mal informado, esqueceu que Thiem fez FINAL do ATP de Lyon e emendou direto em Rolanga. Some o N de Sets jogados e compare com os de Sasha. Assim como você, o Cara mal informado da ESPN esqueceu que GUGA bateu Muster, Medvedev e Kafelnikov em sequência ( TODAS em 5 Sets ) para levar seu primeiro SLAM. Mas você não era nascido … ABS!

        1. Paulo F.

          Sérgio, sei que não gosta da minha pessoa, pois critico um dos teus tenistas prediletos que é o russo-Toddynho, mas levar a sério o maior jogador de confete do Nadal que é o ex-jogador argentino-brasileiro – o Monfils de ontem (mais fazia fiasco em quadra do que jogava)?

  17. Luiz Fernando

    Até o momento o ídolo do Pessanha vai atropelando Zverev, com 20 em sets e 20 no terceiro set…

  18. Paulo F.

    Vamos ver se tu tem mais uma semelhança com o Guga e ganha 03 jogos seguidos de 05 sets, “alemão”…
    VAAAIIII ZVEREV – o craque de Masters 1000!!!!
    kkkkkkkkkk

  19. Rafael

    Djokovic afirmou estar jogando sem dores, o que o deixa muito feliz.

    Ou mentiu, pra não entregar a rapadura, ou pior, as dores não foram embora em definitivo, o que reduz em muito seu potencial, e o condena a ser jogador de 3 ou 4 jogos, no máximo, em qualquer torneio, até se estragar sozinho. Se for isso, posso esquecer do Novak de outrora, o que é BEM triste. Quando parei de ver, porque há trabalho, tinha acabado de perder o 1o. set.

    —–

    Zverev afirmou que a sequência de jogos em 5 sets não o tinha afetado em nada, e que estava preparado para o jogo contra Thiem.

    Mentiu, pra não entregar a rapadura. Como Thiem não é nenhum mané, passou por cima mesmo assim.

    ——————————————-

    Outro dia, li (acho que aqui mesmo no tenisbrasil), Zverev falando que a geração atual é mais alta mesmo – e deu exemplos – bate mais forte – e, apesar de gigantesca, não tem problemas de movimentação.

    ou seja = grandalhões que sacam muito, dão porrada o tempo todo e tem, sim, problemas de movimentação – vide o quanto andou sofrendo com os drop-shots dos adversários. O tipo de jogador bem criticado e menosprezado aqui no blog nos comentários. No entanto….deixa pra lá.

    ________

    O triste dessa história é possivelmente estar assistindo ao eclipse de um multicampeão, que além disso, é meu jogador favorito.

    Gosto de escrever, quando posso, antes de acabarem os jogos, pq comentar resultado é fácil. Se perder, Djoko vai voltar pra Sérvia e tomar WD-40 pra azeitar as juntas. Já Zverev vai voltar pra seja lá onde ele more e ganhar chandelle pelo esforço. Aí está a diferença.

    ________________________

    Numa nota final, sem desmerecer ninguém, estou com saudades de ver Federer participando de torneios, do circuito em geral.

    Também tenho vontade, mas não esperança – de ver Andy recuperado.

    Já deu pra sentir que estou bem chateado com a era de platina do tênis acabando de vez, né?

    *Este é o primeiro e único comentário que posto hoje. No entanto, já obtive a seguinte mensagem 5 vezes, com intervalos entre elas que já vão pra 20 minutos;

    “Você está enviando comentários rápido demais. Calma aí.”

    40 minutos…

  20. Sônia

    Bom dia Dalcim, quartas-de-final entre esses garotos lindos e olha o público pífio. Caramba, realmente é o torneio mais charmoso de todos rsrs. Saindo pro trabalho, infelizmente não assistirei, mas fica minha torcida para ThieMito. Se der Zverev, beleza também. Beijos.

  21. Christian Miola

    Nadal – 32 anos
    Djokovic – 31 anos
    Cilic- 30 anos
    Del Potro – 29 anos
    Metade dos quadrifinalistas na faixa dos 30 anos ????????????

  22. Evaldo Aparecido Moreira

    O Nadal, todos conhecem como se joga, e o que vai fazer, me impressiona que alguns caras, quando conseguem quebrar o serviço dele, e não avançam, o Marterer fez isso, e não consegui ir adiante, mérito do espanhol, que calibrou o golpe, e resto, foi o que se viu. …., se aparecer algúem na reta final, e conseguir:
    1. Sacar bem, e com precisão, pois Nadal devolve muito bem, ainda mais no saibro…..;
    2.Além de sacar, tem que saber variar o jogo, não adianta correria, porque do outro lado, tem um cara que corre pra dedeú, kkkk, e ai o cara não respira…;
    3.Mental forte, e ter no minimo, paciência, pois o espanhol frita como ninguém em Roland Barros, isso mesmo, Barros, barrão, no jarguão popular…;
    4.Caras apropriado no momento, conforme vi o Dalcim, respondendo para alguns aqui, e concordo plenamente, o Del Potro e Djokovic, caras com mental forte, entre Del Potro x Cilic, para Nadal, o croata com certeza, e o argentino é mais forte mentalmete, já o servio, é o mais credenciado para fazer frente ao espanhol, na final, tudo promete, concordas mestres!?. Alguém mais que queira colocar?. Desculpa o texto longo hoje…..

    1. José Nilton Dalcim

      Thiem merece respeito no saibro, embora claro Nadal seja amplo favorito no caso de uma eventual semi. O austríaco tem saque e golpes de base de grande poder de fogo.

  23. Márcio Souza

    Salve, salve galera!

    Acredito que amanhã cedo passam para a semi:
    Thiem e Djoko.
    E na outra semi acredito que passem Nadal e Cilic.
    E já projetando uma final: Thiem x Cilic.
    E como campeão: Thiem.

    É claro que são só palpites, mas bem que poderia acontecer ne?

    Vamos que vamos galera que agora é onde a porca torce o rabo e se separam os homens dos meninos e como diziam os mais antigos:
    – Agora é hora da onça beber água.

    Que sejam ótimos os jogos nessa reta final.

  24. Rafael

    “Entretanto, alguns atletas diferenciados, inspiram-me mais do que a modalidade em si. Dieguito é um deles. Vê-lo vencer de virada foi de emocionar!”

    Kelly

    Penso da mesma forma quando acompanho tênis.

    ______________________________________________________________________

    Quanto ao tênis argentino, que orgulho o povo de lá não deve ter desses dois – Diego e Del Potro – deve ser bem bacana! Aliás, só tive boas experiências na vida com argentinos/as e o país em si, de modo que sou suspeito pra falar. Adoro o povo de lá.

    1. Chetnik

      “Aliás, só tive boas experiências na vida com argentinos/as e o país em si, de modo que sou suspeito pra falar. Adoro o povo de lá.”

      Somos 2.

    2. Kelly

      Valeu, Rafael!
      Em relação às pessoas, penso que independente de nacionalidade, crença, etnia, gênero…, existem as legais e aquelas que nem tanto.

  25. Eduardo Moura Lima

    Dalcim,

    assistindo os highlights dos últimos jogos do Nadal, achei que seu backhand – que estava excelente em MC e Barcelona e vem melhorando cada vez mais desde o final de 2016 – deu uma caída de qualidade …. Não achei tão incisivo e potente quanto já esteve no início da temporada de saibro.

    Você também achou ?

    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele errou mais em alguns momentos das partidas, mas ao mesmo tempo Rafa continua fazendo mais com ele também, incluindo paralelas profundas e vencedoras. Então acho que ele está se sentindo muito à vontade com o golpe, Eduardo.

  26. André ~SM

    Dalcim, há alguma regra sobre a forma de comemoração de ponto?

    O Diego Schwartzaman reclamou com a juíza de cadeira que o Kevin Anderson estava comemorando os pontos inclusive nos erros do adversário. Ele não é o primeiro que reclama desse tipo de atitude (mas é a primeira vez que vejo alguém falando do K. Anderson, para ser justo). Esse tipo de reclamação tem alguma procedência ou serve mais como um desabafo mesmo?

    1. José Nilton Dalcim

      Não, não há qualquer regra quanto a isso. O tenista não pode atrapalhar qualquer golpe ou movimento do adversário, mas depois que o ponto termina não há nada na regra que impeça isso ou aquilo. A menos é claro que se trate de algo ofensivo.

      1. Chileno

        Eu ouvi falar uma vez (não lembro onde, nem quando) que o tenista não pode(ria) comemorar os pontos virado para o adversário. Semelhante à regra que, do que me consta, existe no vôlei. Aaaaaacho que ouvi isso de algum comentarista, enquanto assistia uma partida, mas não tenho certeza. Não sei se procede (nem mesmo em relação ao vôlei).

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, no vôlei esse procedimento foi vetado. No tênis não existe uma regra clara. Fica no julgamento do árbitro se houve uma provocação e portanto uma atitude antiesportiva.

    2. diego adrian

      ele não reclamou do Anderson e sim de alguém da arquivancada aparentemente do box do Anderson que comemorava efusivamente até nos erros do Schwartzman. Parece q era a mulher do Anderson ou o treinador. O peque falou após o jogo que não era sobre Anderson ao qual considera bem respeitoso.

  27. Antonio Gabriel

    Faz tempo que o Nadal não pegava um caminho tão tranquilo. Nao fosse a cochilada do Anderson , Nadal ao menos teria um pouco mais de trabalho, agora não vai suar muito. Vamos ver amanhã os candidatos a, ao menos, tirarem um set do Nadalito.

    1. Marcos Castillo

      Antonio, permita-me discordar. Anderson tomou um passeio do Nadal na final do Us Open 2017, disputado sobre quadras rápidas, imagine no saibro…
      Em 5 jogos contra Nadal, ganhou um único set, no pior ano para o espanhol que eu me recorde (2015). Acho que o argentino tem condições de fazer mais bonito. Na minha opinião, Anderson seria massacrado. Abs!

  28. Marcos Castillo

    Torneio nada surpreendente!
    Dos 8 quadrifinalistas, 5 estão entre os 8 principais cabeças de chave e, dos 3 que sobram, um é o Djokovic.
    Fica minha torcida, pela ordem, para: Schwartzman, Del Potro ou Cilic e finalmente qualquer um da chave de baixo.
    Abs!

  29. Kelly

    Vejo o tênis como um esporte extremamente motivacional! Entretanto, alguns atletas diferenciados, inspiram-me mais do que a modalidade em si. Dieguito é um deles. Vê-lo vencer de virada foi de emocionar! Numa atividade na qual existe o predomínio da alta estatura, no dia de hoje, El Peque foi o maior de todos! Que doce ironia!

    E o que não esperar do Don Juan argentino que, mesmo gripado, no US Open de 2017, numa partida versus o Super Thiem, perdendo de 2 a 0, consegue reverter o placar e vencer a partida, desfrutar apenas um dia de descanso, pra retornar à arena e confrontar The Goat Federer, e sem a mínima cerimônia, apesar da maior admiração pelo oponente, conquistar outra vitória, dessa vez por 3 a 1?

    Dalcim, por que o tênis argentino está tão bem representado qualitativa e quantitativamente? Quem são os responsáveis pelo investimento, infraestrutura, organização, etc?

    1. José Nilton Dalcim

      Acredite ou não, as entidades oficiais não funcionam. A maciça maioria do sucesso é obtida graças ao esforço individual. A grande vantagem deles é o trabalho em grupo, dividindo despesas e até treinadores, o que facilita a dureza da entrada no circuito.

  30. Giçon de Jesus

    Jogo duro sharapova x Muguruza , mais vou torcer muinto pela Maria.
    Rafa x Diego argentino vai dar trabalho mais Nadal leva , vamos Touro .

  31. Sérgio Ribeiro

    O que correu o ” fabuloso” depois do 1 x 6 do segundo Set foi uma festa. Cilic que é amigo da figura nem quis comentar essa nova ” lesão” do amigo na coletiva. Na, boa. Parei com Fognini e Verdasco . Quem sabe se um dia aparecerem no FINALS. Dieguito treinou direto na Academia do Espanhol, inclusive com o próprio. Saretta disse que isso e’ bom. Mas pra quem ? Del Potro só cedeu um Set na primeira rodada. Já obteve vitórias importantes sobre Rafa. Se bater Cilic, acredito que teremos a verdadeira noção se a bolinha de Rafa Nadal as vezes parece mais curta que o normal. Abs!

  32. Ibsen Assis

    Dalcim eu fico impressionado com a quantidade de dados e estatísticas que vc possui sobre o circuito, sei que vc deve guardar a sete chaves o segredo mas queria saber muito como vc faz!!!

    1. José Nilton Dalcim

      Como já expliquei, recebemos muito material das entidades e procuro dividir isso com vocês. Vou guardando tudo que posso também, Ibsen.

  33. Maroc Ponti

    Oi Dalcim, gosto muito de ler seus comentarios, porem jamais usaria este termo de “hermanos’ para estes hispanos. Os argentinos sao conhecidos por chamarem os brasileiros de “macaquitos” (macacos em portugues). Nao deveriamos retribuir tal “gentileza” por chamar-lhes de “hermanos” (irmaos em portugues). Podera dizer que nao sao a maioria dos hispanos que nos insultam, mas em se tratando de disputas em qualquer area seja economica, social, esportiva, etc, estes argentinos apelam pelo linguajar de baixo calao quando querem referir a brasileiros.

    1. Sônia

      Sensacional Maroc, adorei seu comentário. Realmente quem os chama assim, não os conhece, lamentavelmente. Beijos.

    2. Marcos Castillo

      Discordo totalmente, Maroc.
      Sempre me trataram muito bem lá.
      Além disso, o argentino normalmente é culto, politizado, raçudo.
      Numa situação como a que o país viveu nas últimas semanas, jamais permitiriam uma passada de mão na bunda como essa que levamos.
      Deveriam ser uma inspiração para nós, brasileiros. Abs!

  34. Carlos Reis

    Que alguém possa vencer o boi garantido na CHATAtrier, chega de vitórias desse cara lá, CHEGA!!!!!!!!!!!!!!!!!

  35. Rubens Leme

    É uma pena ter Nadal no caminho né, os hermanos poderiam bisar 1982 quando Vilas e Clerc chegaram às semi em Rolnd Garros, cada um em um lado da chave e não fizeram a final porque Wilander derrotou Clerc na final e, depois Vilas, na finalíssima. E, claro, a fina de 2004 entre Guadio e Coría.

    Aliás, Nadal pode ser o “Novo Wilander” dos hermanos, caso Delpo chegue à semifinal. Aliás, Clerc e Vilas se odiavam, mas imagino que não exista rivalidade entre os dois tenistas atuais.

    1. diego adrian

      as maiores brigas e rivalidades foram entre Vilas e Clerc, Gaudio e Coria, Nalbandian e Delpo. Atualmente não tem nenhuma forte rivalidade ou problemas pessoais entre os tenistas argentinos.

  36. Valmir

    A Serena tirou o doce da boca da Sharapova.
    Sacanagem… A Sharapova esperou tantos por essa oportunidade é quando ela aparece, a Serena dá no pé.
    Será que a Serena desistiria também se a adversária fosse outra ???

    1. Sérgio Ribeiro

      Serena fez todo esse esforço para vencer o SLAM. A turma da Band pegou a Tenista após as Duplas sem condição de levar seu equipamento. Precisou que o Treinador desse um mãozinha. Abs!

    2. Masashi Ichiwaki

      A Serena praticou um verdadeiro KEBIYO, ficou com medo de perder e dar a vitoria a Sharapova, atitude deplorlavel.
      O Alexander Zverev jogou machucado sem condições de jogo mesmo assim jogou os 3 sets. Faltou respeiro a Serenão Infelizmente, como sempre

  37. Mike

    Dalcim, na sua opinião, qual é mais dificil: O schwartzman ganhar do nadal, ou o cecchinato ganhar do djokovic?

      1. Jairo@boqnews.com

        Dalcin e o tênis brasileiro que decepção, quando veremos um deles ganhar um Ato ou Wta.O duro eh ver esses comentarista que nunca ganharam um torneio desses e ainda são professores de tênis.Temos uma que o GS de sua vida foi aparecer na Playboy.

        1. José Nilton Dalcim

          Bellucci ganhou quatro ATPs… Mas acho que no momento isso está distante. Ainda acho que o Monteiro vai embalar.

        2. André Borges

          “O duro eh ver esses comentarista que nunca ganharam um torneio desses e ainda são professores de tênis.Temos uma que o GS de sua vida foi aparecer na Playboy.” Comentou o cara que nunca pegou em uma raquete rsrsrsrs

  38. Isaias

    Por mais que Anderson e Isner tenham perdido é impressionante o que os 2 conseguem fazer com o saque mesmo no saibro lento de Paris, assombroso como saca esses caras por mais que Anderson tenha amarelado. Agora estou curioso para ver o duelo entre Thiem x Zverev pois pode acontecer tudo, vai depender de qual Zverev vai entrar em quadra, se sera o de Madrid e Roma ou o de Roland Garros, pois se for o Zverev de semanas atrás poderemos assistir um bom jogo agora de for o que se apresentou até agora no torneio correra sério risco de ser eliminado em 3 sets ou até mesmo passar vexame, já Djokovic já esta na semi, uma derrota do sérvio amanha será uma zebra do tamanho de Soderling e Guga 97, já a desistência de Serena foi um tiro no peito dos organizadores e diretores mais de certa forma foi frustrante para nos todos, uma pena, mais são coisas do esporte e isso sempre está sujeito a acontecer, uma pena que foi logo nesse momento tão aguardado

Comentários fechados.