Ao ataque
Por José Nilton Dalcim
31 de maio de 2018 às 19:48

Rafael Nadal, Maria Sharapova e Serena Williams foram ao ataque nesta segunda rodada de Roland Garros. Se o espanhol usou o recurso para atropelar o argentino Guido Pella em duelo de canhotos, a russa quase se atrapalhou no segundo set e a norte-americana demorou para enfim pegar a mão de seu tênis tão agressivo.

Na estreia diante de Simone Bolelli, Nadal conseguiu 30 winners em 32 games. Nesta segunda rodada, fez 37 em 22. Isso por sí só mostra sua mudança de postura. Claro que tanto o saque como os golpes de base de Guido Pella não tem o mesmo peso de Bolelli, porém o canhoto argentino conseguiu bolas bem profundas e ainda assim Rafa encontrou jeito de ir para winners, com especiais paralelas de forehand.

Agora, vai reencontrar Richard Gasquet, o adversário contra quem tem o mais expressivo domínio (15 a 0). Apesar do apoio da torcida e de sua grande habilidade, não parece haver a menor chance de o francês endurecer em função de seu problema em se defender com o forehand. Terá de sacar muito bem para não passar vexame. Talvez a grande amizade entre eles, que vem desde os 12 anos, ajude.

Sharapova passou outra rodada sem grande brilhantismo – abriu 5/1 e salvou break-point que daria empate a Donna Vekic no segundo set – e tem jogo muito perigoso diante de Karolina Pliskova, onde só se pode esperar uma tremenda pancadaria e um festival de bolas vencedoras e erros não forçados.

Serena se impôs lentamente diante de Ash Barty. Depois de um começo estranho, foi crescendo e dominando. Deu show no game final, ao melhor estilo Serena: quatro lances e quatro winners (ace, voleio, forehand e backhand). Se avançarem mais uma rodada, Sharapova e Serena se reencontrarão num Slam pela 9ª vez, a primeira desde o Australian Open de 2016.

E mais
– Jogo para decidir qualquer ATP 500, Fabio Fognini e Kyle Edmund vão duelar na terceira rodada. Nada menos que o 17º contra o 18º do mundo. Nunca se enfrentaram, mas o italiano tem favoritismo natural por ser mais afeito ao saibro. Edmund no entanto está jogando direitinho na terra e, se o piso não estiver tão lento, vai dar muita pancada.

– Marin Cilic e Denis Shapovalov erraram demais. A diferença é que o croata pegou um adversário pouco experiente e venceu no quarto set, mas o espetáculo foi tenebroso. O canadense somou 82 falhas não forçadas, um assombro, e pegou o também canhoto Maximilian Marterer que tem qualidades: saca e se mexe bem, gosta de contraataque e pega pesado da base. Aos 22 anos, pode evoluir muito.

– Mesmo depois de errar um smash muito semelhante àqueles de Djokovic e Nishikori – a diferença foi que empurrou para fora da quadra – Juan Martin del Potro calou a Philipp Chatrier e tirou Julien Benneteau em seu último Roland Garros. Delpo demorou para mexer bem as pernas. Se continuar assim, corre risco diante de Albert Ramos, que sabe abrir bem a quadra.

– Outro jogo bem interessante de terceira rodada envolverá Diego Schwartzman e Borna Coric. O ‘baixinho’ ainda não cedeu sets, ainda que tenham encarado jogadores de ranking muito inferior. Coric já tirou Philipp Kohlschreiber e arrasou Dieguito nos dois confrontos feitos. A vitória vale possível encontro com Nadal nas quartas, já que o adversário sairá de Kevin Anderson e Misha Zverev.

– Caroline Garcia venceu para alegria da torcida, mas o estádio Suzanne Lenglen tinha 30% de lugares vazios. Dona de muitos recursos, a francesa ainda pode jogar melhor. Parece muito presa e ansiosa. Possível sequência contra Kerber, Halep e Muguruza – e as três aqui muito firmes – não é nada fácil.

A sexta-feira
– Depois de completar com louvor a vitória sobre Tsitsipas, Thiem volta pelo terceiro dia à quadra para enfrentar Berretini, 96º do ranking. A lógica diz que o austríaco irá enfrentar Nishikori nas oitavas. Japonês é amplo favorito contra Simon, embora curiosamente jamais tenha se enfrentado. Francês só tem 20 vitórias em 13 participações em Paris.
– Djokovic reencontra Bautista, contra quem tem 6-1, e tenta a 43ª oitavas de Slam na carreira, o igualaria Connors no segundo lugar da Era Aberta.
– Interessante ver se Dimitrov terá pernas contra Verdasco após a maratona de quarta-feira. Experiente espanhol, que já esteve seis vezes nas oitavas de Paris, ganhou o duelo mais recente, em Indian Wells.
– Para variar, Monfils diz que está com mínimas condições de enfrentar Goffin. “Torci o joelho na segunda ronda, vou fazer exames. Além disso, estou bastante doente e tenho tomado antibióticos”. O belga – que ganhou de Monfils no último US Open por retirada do francês no segundo set – deve ter vida fácil.
– Zverev encara Dzumhur com a chance de disputar as oitavas de Paris pela primeira vez, mas bósnio ganhou único duelo na quadra dura em 2017.
– Pouille encara Khachanov pela terceira vez na temporada, com empate nos duelos em piso duro. Francês jamais atingiu quarta rodada do torneio.
– Invicta há 13 jogos no saibro, Kvitova pega Kontaveit, contra quem já teve duas vitórias duras. Estoniana venceu Wozniacki, Venus e Kerber no saibro deste ano. Deve ser melhor jogo da rodada feminina. Svitolina é favorita contra Buzarnescu e Wozniacki encara torcida contra Parmentier.


Comentários
  1. Sandra

    Dalcim , não está tudo muito fácil para o Nadal?? Primeiro a chave que ele pegou, depois seus openentes se destruindo do outro lado, Zverev jogando vários sets , Thiem indo pelo mesmo caminho que o Zverev, só resta Verdasco e Djokovic que vc há de convir não são confiáveis. Aliás a última pergunta Nole já defendeu os pontos do ano passado?? Segundo semestre para ele vai ser melhor , não defende nada. Gostaria da sua opiniao

    1. José Nilton Dalcim

      Não, ele precisa repetir as quartas para manter o ranking. Sim, acredito que ele irá evoluir gradualmente.

  2. José Eduardo Pessanha

    Enquanto isso, o Superestimadíssimo SuperesTHIEMado, o Robinho do tênis, acaba de perder o segundo set para o possante Berrettini.
    Abs

    1. Rodrigo S. Cruz

      Podia se dar ao luxo de perder até dois !

      Porque esse italiano não é rival para ele.

      E o que importa é o resultado final, pois se fôssemos ligar pra sets perdidos, todos os tenistas seriam superestimados.

    2. Sérgio Ribeiro

      E o comentarista entrou em êxtase rsrsrsr A comparação com Robinho não tem nada a ver. Monfils sim gosta também de dar suas “pedaladas ” . E mesmo assim Robinho jogou no Santos, Real Madri, Mancher City , Milan e agora veterano foi o artilheiro do Brasil no ano jogando pelo Atlético Mineiro. Sem contar seus 30 Gols pela Seleção Brasileira ( participou de duas Copas do Mundo ) .Thiem está a 3 anos consecutivos no TOP 10. Nem Verdasco e muito menos Fognini chegaram perto . Seriam esses dois o OBINA ? kkkkkkk Abs!

  3. Rafael

    Fernando Verdasco, o grande, manda Grigor Dimitrov, aquele que foi sem nunca ter sido, pra Bulgária, bem mais cedo do que talvez o próprio esperasse.

    1. Renato

      Se o cara entrar “com o diabo no corpo” vai ser um perigo para Novak. Mas acho que o sérvio vence por 3×1.

    2. Sérgio Ribeiro

      Dimitrov nunca atingiu as Oitavas em Rolanga , Rafael. Esse ano resolveu ” inovar ” e jogar lá trás perto das placas e do juiz de linha. Cometeu 50 ENFS na primeira rodada. Chamamos a atenção que não iria longe, assim como o grande Verdasco ( ex – Top 10 em 2009 ) , também não vai a nosso ver. Abs!

  4. Evaldo Aparecido Moreira

    Bom dia, vai ser frio assim na China ,hein Sascha, instável na maior parte do tempo , mas o Damir jogou muito hoje é vendeu caro a partida. Dalcim , o alemão segurou a onda , frieza nos momentos chave e me parece que fisicamente bem, mental também , concorda Mestre !?

    1. José Nilton Dalcim

      Jogou muito mal, Evaldo. Achei muito inseguro, com trabalho ridículo junto à rede. Deu sorte.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Já pensou se ele tivesse o mesmo tique do Nadal, de ficar esticando e beliscando o “forébis” ?

      Ia acabar sendo pego em ” trajes menores”

      Kkkk

    2. Maria Flor

      Amei seu comentário hahahahahahahava ri muito
      Também acho .
      Ele deu uma melhorada depois que a Kiki chegou na vida dele 🙂

  5. Luiz Fernando

    E aí Gabi, parece q seu desejo de ver sangue na NBA vai se concretizar kkk. Apesar do habitual show do King James, com 51 pontos, algo absurdo, o CAVS conseguiu perder um jogo ganho e isso refletiu na prorrogação. O GSW é mais time, fará mais 3 jogos em casa, sei não…

    1. Gabi

      Luiz Fernando,

      pois é. LeBron conseguiu conter os warriors inclusive no temido terceiro quarto da equipe de S.Kerr…
      Aliás, o que o JR Smith fez naquele rebote ofensivo hein?!

  6. Luiz Fernando

    Por pouco Zverev na repete sua sina de participações pífias em GS, venceu, apesar de ter feito tudo para o bósnio vencer. Errou demais, especialmente na rede, local no qual foi bisonho, errando muito. Me lembro bem das palavras do Dácio Campos, que em GS é essencial na primeira semana preservar fisico e cabeça, exatamente o oposto do q ocorreu com o alemão, muito desgastado em ambos os aspectos, com 2 jogos seguidos de 5 sets, logo ele que nunca primou por preparo fisico excepcional. Como quase tudo na vida tem o lado bom disso, ele venceu um jg duríssimo em deixou muito a desejar e isso pode eventualmente dar-lhe mais confiança. Semana q vem veremos. Na outra quadra, Djoko também está instável, vamos ver o que rola.

  7. Mateus

    Dimitrov acaba de cair, Zverev indo pro 5º set novamente…
    Acho que o Nadal vai levar sem nem precisar enfrentar um top 20, como no USO’17.

  8. Gabi

    Luiz Fernandoooo,

    o que foi aquele final do jogo de ontem?! Não do over time, do tempo regular!
    Mal piscava!
    Cavs não terão muita chance…
    Teu filho deve estar muito animado!

  9. Daniel Silva

    Será q essa lesão do Gael tem a ver com o fato de ele não está na quadra central, pra não perder feio???

    1. José Nilton Dalcim

      Não, não acredito, mas muitas vezes os tenistas pedem para não jogar na Central porque a quadra é muito grande, venta mais e por vezes tira a dimensão do tenista.

  10. Rubens Leme

    Sempre gosto de ver o Verdasco jogar. Acho que foi mais um daqueles talentos enormes desperdiçados, poderia ter sido muito mais. Me impressiona como tem uma tática parecida com a do Nadal no saibro, embora eu ache que saque melhor e tenha um forehand bem mais poderoso. É impressionante como a bola dele sempre anda.

    É uma pena que mentalmente seja instável. Ele e o Feliciano López poderiam ter ido mais longe na carreira. Que trinca de canhotos a Espanha teve nesta geração, hein Dalcim?

    PS: acho que ele vai jantar o búlgaro.

  11. Luis

    Dalcim e’ mais difícil jogar na grama ou no saibro? Tempo em que quadra dura preferida maioria tenistas,volta Federer semideuskk

    1. José Nilton Dalcim

      Depende de cada estilo. É mais difícil ficar no fundo de quadra na grama, daí jogar na rede ser tão importante.

  12. Chetnik

    “Sempre ouvi que eu teria uma carreira curta”. Touro Miúra Nadal. Acho que ele lê o blog, kkkk. Zumbis passando vergonha e batendo a cabeça na parede de raiva há mais de uma década, kkkkk.

    1. Sérgio Ribeiro

      Ainda com esse papo de Zumbis, Chatonik ? Rafa Nadal atingiu 32 e ainda não se submeteu a cirurgia nos joelhos. Já fez várias paradas para se recuperar. Esta é uma temporada chave para o Espanhol. Esta’ dando tudo em seu habitat. Depois da Grama e das duras teremos a noção exata se será realmente Longevo. Abs!

      1. Luiz Fernando

        E vc o q acha? Longevo ele já é, em excelente forma aos 32. Mas sinceramente não creio q chegue na idade atual de Federer nesse nível.

  13. Maria Flor

    Gente o que houve com a cara da Sharapova? Meu pai tá inchada e cheia de manchas. Gatona com toda essa grana que tens compra um renew poderoso.
    Agora o potro gosta de aposentar a galera , Safin , Roddick e agora o francês. E o legal é que tanto o francês como o americano foram jogando em casa, diante da torcida hahahaha cara de pau esse hermano .lindinho.
    Agora o Shapovalov vai ter que melhorar. .. Era de mais . Não só isso mas na postura em guara também, eu acho que essa nova geração é bem promissora porém, muito cabecinha quente e chiliquenta. Calminha garotinhos . Play the game; )

  14. Elder

    Dalcim, seria injusto com a carreira do Benneteau dizer que o momento de maior visibilidade do francês foi aquela batalha de 5 sets contra o Federer em Wimbledon 2012, quando o suíço venceu de virada? Eu pelo menos, toda vez que leio o nome “Benneteau”, lembro da tensão daquele dia e da ginástica que eu fiz pra conseguir acompanhar no placar da internet ruim do celular da época! Rs

  15. Marcos Castillo

    Só um milagre para Gasquet vencer Nadal na próxima rodada.
    Espero que o francês tenha seu dia de Vitas Gerulaitis e proclame ao final do jogo: “Que sirva de lição para todos. Ninguém vence Richard Gasquet 16 vezes seguidas”.

  16. Guilherme

    Pois eu estou impressionado com o BandSports. Hoje conseguiram até exclusiva com o Nadal. Chiquinho mto experiente, Saretta sempre descontraído e Dadá nem se fala, está excelente. Por sinal, o que vc acha dos comentaristas no Brasil, Dalcim? Quais os que vc mais gosta?

    1. José Nilton Dalcim

      Desculpe, Guilherme, mas eticamente eu prefiro não fazer comentário sobre o trabalho alheio. Acho no entanto que o espaço que a Band tem dado ao tênis muito expressivo. A cobertura de Roland Garros mostra até teipes, o que não é comum.

      1. Guilherme Martins de Souza

        Comentarista de tênis comenta sobre o jogo em si, sobre os esportistas, sobre os treinadores, os cartolas, o trabalho físico…até sobre o comportamento da torcida, mas não comentam sobre a cobertura do esporte. Desculpa Dalcim, vc é mestre, mas isso soa corporatisvista. Parece coisa de quem não curte o trabalho alheio, mas não expõe o que pensa de verdade para não ficar mal.

        1. José Nilton Dalcim

          Não, é uma questão de ética profissional, Guilherme. Eu poderia até comentar sobre as pessoas que não são jornalistas – Saretta, Dadá, Meligeni -, mas ainda assim não acho correto. O público deve julgá-los, não eu.

    2. Alessandro Sartori

      Bom pelo menos alguém que não critica o bandsports, que por sinal eu gosto, com eles voltaram os atps500 depois de 3 anos fora das tvs fechadas, brasileiro reclama de tudo, quer ter direito a tudo, sem contar que quase extinguiram a raça humana do país esses dias ao assinarem embaixo para que a classe dos caminhoneiros “negociassem´´redução de preços junto a governo…eee povinho….

  17. samuel

    Colegas,

    Me corrijam se eu estiver equivocado. De manhã o BandSports apresentou o jogo da Halep com uma dupla de narrador e comentarista e de tarde repetiu a apresentação com outra dupla na narração e nos comentários. Isso é o que podemos chamar de desperdício de tempo (narrar o mesmo jogo duas vezes).
    Será que eles não possuem alguém para coordenar os trabalhos. Já vi de tudo na vida, más essa me surpreendeu

    Samuel

  18. Gabi

    Apesar dos comentaristas do Bandsports, é muito bom que temos até o final da tarde jogos ao vivo e depois VT de algumas partidas. Tênis o dia inteiro rs.

Comentários fechados.