Djokovic faz ‘upgrade’
Por José Nilton Dalcim
7 de maio de 2018 às 19:33

Não dá para dizer que foi um Novak Djokovic de encher os olhos, mas apesar da exibição um tanto morna, muitas vezes tensa, derrotar Kei Nishikori demonstra um ‘upgrade’. Afinal, o japonês acaba de chegar à final de Monte Carlo, é tradicionalmente um adversário que exige postura ofensiva e cuidado com os contragolpes.

Ainda falta pimenta no molho do sérvio. O backhand não tem sido uma arma poderosa como antes, o saque nem sempre chega na hora certa, a movimentação mostra deficiências até mesmo na antecipação da jogada, algo que Nole costumou ser um mestre. Como espectador, a gente não sente aquela confiança de outrora e está a se preocupar onde e quando ele vai falhar. Imagino que ali na quadra, ele passe por algo parecido.

De qualquer forma, foi sua melhor vitória desde a Austrália e há boa chance de superar também Kyle Edmund ou Daniil Medvedev, apesar de as condições mais velozes ajudarem o estilo mais agressivo dos dois. Gostaria que Nole seguisse até o eventual duelo contra David Goffin, um verdadeiro saibrista, que iria exigir ralis e pernas. Teríamos uma visão mais global do volume do jogo de Djokovic.

Não devemos ignorar que o sérvio está na delicada situação de sequer ser cabeça de chave em Roland Garros. Caso perca logo em Madri e seja batido na estreia de Roma, ele cairia para trás do 32º lugar e aí teria de contar com desistências para não saborear o azedo gosto de sair solto na chave de Paris.

Nos outros jogos de abertura do Masters de Madri, um alívio ver uma atuação firme de Diego Schwartzman. Pena que ele está num quadro duro. Agora vêm Feli López e, em seguida, provavelmente Rafa Nadal, que irá estrear na quarta-feira contra o ‘freguês’ Gael Monfils. Não menos notável é a fase tão animada de Richard Gasquet, que no domingo atropelou Tomas Berdych.

E bem curioso está o setor em que Milos Raonic irá enfrentar Grigor Dimitrov e o vencedor terá de encarar Denis Shapovalov ou Benoit Paire. Quatro tenistas que gostam de ir para cima, o que combina com o saibro madrilenho.


Comentários
  1. Sônia

    Parabéns Kasatkina, parabéns, conseguiu superar a pressão da torcida futebolística, aaaadooorei, dá-lhe, dá-lhe, garota. Beijos.

  2. Luiz Fernando

    Dalcim, ao contrario do q opinei no primeiro jg do Monfils, segunda feira, achei a velocidade da quadra menor hj, não sei se por assistir os jogos na parte da noite e por não saber das condições do clima. O q vc achou? Me pareceu q a Barcelona estava mais rápida…

  3. Rubens Leme

    Há alguns dias escrevi que logo logo chamariam Djokovic de “ex-jogador em atividade”, “decadente” etc e tal. Dito e feito. O mesmo aconteceu com Nadal e Federer até o Australian Open do ano passado.

    Discordo quando o Dalcim opinou (que é um direito todo seu, afinal para isso serve o blog) que não aposta nele como número 1 no futuro, até porque dizíamos isso dos dois citados acima. Então aquele que poderia ser o “maior da história” superar os recordes de Slams vencidos e semanas na liderança já virou poeira?

    Duvido e só acredito vendo, até porque os mais jovens não são tão promissores e, Nadal e Federer cada vez mais escolhem calendário para esticarem as carreiras.

    Djokovic e Murray têm total capacidade de voltarem firmes e fortes em 2019, desde que aprendam com as cagadas monumentais feitas a partir do meio do ano passado até agora. E como são mais jovens que Nadal e Federer podem perfeitamente restabelecer a hegemonia deles em 2016 e começo de 2017. Há muita bolinha a ser disputada e muita vontade de ambos de darem a volta por cima.

    Aposto meus minguados reais muito mais neles do que em qualquer Zverev, Goffin ou Thiem no ano que vem. Se o Del Potro com suas várias cirurgias e com um calendário bem enxuto é o sexto do ranking, porque os dois não podem?

    Infelizmente, temos uma pressa enorme em rotular as pessoas e criticar fulano ou beltrano.

    1. Sérgio Ribeiro

      Na boa, Leme. Agora realmente não entendi. Você fala da pressa de rotular , e o que o colega fala de jogadores na faixa dos 20 , 21…24 ? Roger vai pra 37 e Nadal 32 em junho ( sem cirurgias) . Zverev por exemplo tem Vitórias sobre todos do Big Four e já e’ descartado junto com todo mundo. Já possui inclusive MASTERS 1000. Sei , não …Abs!

  4. Nando

    Em 2015 e em meados de 2016, alguns diziam q em 2018 (kkkkkkk) cotonete ultrapassaria o recorde de Slams e de semanas na liderança…o q aconteceu? Pois vi q a diferença nos números aumentaram bem. E o eterno N2 q hoje está como N1 tbm aumentou seus números.
    Kd o pessoal q dizia “cotonete futuro GOAT”?????
    “Ajude” djokovic!

  5. Gustavo

    Dalcim,

    Que história é essa descrita por um participante aqui dos comentários de que o Nadal não teria operado e com isso poderia estar com o segundo semestre como “ incógnita “? Seria possível o cara estar voando como está e ainda perder o segundo semestre? Que informações o mestre tem a respeito?

    Obrigado

  6. Lui

    Em 2013, antes de recuperar totalmente da lesão nas costas, Federer passou fase parecida com está do Djoko!! E também tomou atitudes estranhas! Voltou pro saibro depois de jogar na grama, experimentando uma raquete nova!!! Só apanhou!! A fase do Djoko é parecida! Troca o staff, depois destroca!!
    Uma coisa que notei foi o seguinte: em 2013 Nadal pulou o Australian Open e voltou no saibro sul americano!!! Federer, em 2017, voltou na Hoppman!!! Será que jogar M1000 e GS é o caminho pra retomar a confiança?? Abraço

    1. Nando

      Federer ainda conseguiu (mesmo sendo mais velho e com o problema nas costas) resultados menos pífios q o sérvio até maio/2013…fez semi no AO, quartas em Roterdã, semi em Dubai, quartas em IW e 3R em Madrid.

  7. Márcio Souza

    Cotonete hoje novamente não aguentou.

    Comentei aqui ontem de que não vejo legal essa atitude dele de tentar jogar os principais torneios não estando 100% física e tecnicamente.
    Se de fato ele não vem sentindo mais dores o que falta no meu entendimento é mais treino, tanto físico quanto tático e jogar torneios menores para adquirir ritmo e confiança.
    Jogando os Masters e os principais torneios a chance de pegar adversários melhores condicionados que ele são grandes e todo mundo lembra o que o Delpo passou pra estar no nível que ele está hoje depois da sua volta.
    Delpo foi sendo eliminado constantemente dos torneio grandes até ir jogando e ganhando torneios menores onde a confiança e o ritmo apareceram.

    Cotonete precisa avaliar muito seu futuro.
    Levando piaba nos começos dos torneios não é nada legal pra quem quer adquirir confiança e voltar ao topo.

    Vamos aguardar, mas já disse aqui o Cabeça de Caroço de manga chupada não é o GOAT que voltou ganhando GS.

    Não quiseram me ouvir kkk

  8. André Barcellos

    Não costumo ser peremptório, mas creio que Djokovic não será de novo o mesmo jogador que já foi.
    Seja lá qual for o problema, o fato é que ele perdeu o “pique” e não entrará mais no seu auge.
    Pode reeconcontrar um bom tênis e até voltar e permanecer no top 10, mas já está com 30/31 anos e está demorando DEMAIS a voltar a ser competitivo.
    Tenho certeza que ele pensou em uma volta triunfal como Federer e Nadal 2017, mas, nesse ponto do “retorno”, prova que não é tão grande quanto o suíço ou o espanhol.
    O Novak “máquina” de 2011/2015 era de um atleticismo tão grande ou superior ao de Nadal, e de uma elasticidade melhor que a de Federer nos tempos áureos. Não tinha buracos em seu jogo (mesmo assim se enrolava com a variação do suíço de vez em quando), muito por conta de seu físico e mental.
    Essa fortaleza não se adquire de novo, depois dos 30.
    Federer voltou ao topo porque entendeu melhor o jogo, trabalhou seu revés e devolução e aprendeu a cobrir a quadra melhor, mas principalmente em pisos rápidos.
    Tirando isso, seu foreheand e todos os outros fundamentos são e sempre foram armas de destruição em massa. Não houve declive técnico, mas de velocidade e resistência. E assim o suíço está fora do seu auge desde 2007/2009. O que conseguiu depois disso é porque sua curva de decadência é muito, muuuuutio suave. MESMO ASSIM, DEU UM JEITO!
    Nadal voltou ao topo porque se move como ninguém no saibro, é forte desde sempre e, assim como o suíço, melhorou seu revés e visão tática. E seu drive é uma arma de destruição em massa. Mas está fora de seu auge desde 2013. Vem vivendo mais do saibro que nunca (apesar do US Open ano passado). E, apesar de tudo, DEU UM JEITO!
    Já o sérvio piorou seu backhand, que já foi o melhor do circuito, assim como seu saque, forehand, físico, mental …
    O buraco é muuuuuito mais embaixo.
    Não é o mesmo caso dos outros dois.
    Não vejo condições de ele ser o que já foi.

  9. Sérgio Ribeiro

    Realmente está difícil. Além do mental , não tem mais explosão. Desisto de opinar sobre Novak. E Andy Murray volta atrás e não garante nem Wimbledon. Enquanto isso o Espanhol faz o que quer em quadra. Esse Back cruzado ( e muitas vezes na paralela) pode lhe render grandes frutos até mesmo fora do Saibro. Sem forçar , aproveitamento de 82% com o primeiro Serviço. Depois que devolve a 50 M da base, rapidamente se aproxima da mesma nas trocas. Outra grande melhoria. Lembram que o Backhand de Carlos Moya era fraquinho. Mas não era Canhoto. O único erro do Espanhol e equipe, a meu ver, foi não ter feito de vez a Cirurgia. Com isso o segundo Semestre ( de acordo com suas próprias declarações ) , permanece uma incógnita. Abs!

  10. Rodrigo S. Cruz

    FRASE DA SEMANA:

    “Se for assim, o robozinho pode usar a bunda para rebater a bolinha? kkkkkkkk”

  11. Alice

    Andy Murray, parece estar seguindo para a aposentadoria. Penso que será o primeiro do Big Four que encerrará a carreira..
    Enquanto isso, Djokovic continua desiludido e desiludindo….
    Já Rafa Nadal, segue por enquanto, incansável ao ganhar hoje seu vigésimo (20) jogo seguido sobre o saibro, tudo é claro, no maior domínio que um tenista profissional já fez sobre o ‘pó-de-tijolo’, 48 sets invicto.
    E Federer, aos 36/37 anos…está mantendo as energias, se poupando de tudo isso, descansando…

  12. Luiz Fernando

    Julguei q Monfills e a velocidade superior da quadra de Madri fossem trazer mais problemas e dificuldades p Rafa, mas pelo q li ele atropelou o cara, mesmo com baixo índice de primeiro serviço. Continua a expectativa pelo pneu número 100, que quase veio no set 2. Excelentes perspectivas pra semana.

  13. AKC

    Monfils e Kyrgios: dois jogadores circenses. Dois talentos desperdiçados. Não é à toa que o Nadal disse adorar jogar com o Monflis…

  14. Rafael

    Não vi o jogo – como disse aqui que não faria mais, fiquei – e ainda estou – trabalhando – e se não estivesse, descansaria, mas mesmo assim:

    Está difícil. Está muito difícil para Djokovic.

    Está quase que deprimente acompanhar essa derrocada de alguém que chegou a ameaçar Nadal e Federer.

    A cada nova derrota precoce e inesperada, minhas poucas e combalidas esperanças diminuem mais.

  15. Sandra

    Dalcim , o que te parece o caso do Djokovic? Dor ele parece não estar sentindo, não te parece falta de treinamento? Falta de força , não sei se explico bem , mas uma certa fraqueza??

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, em alguns momentos parece mesmo ter perdido potência. Mas não foi o caso de hoje, Sandra. Poderia ter vencido, caso Edmund não tivesse jogado muito bem no 0-40, e sentiu a pressão nos games finais. Ainda acho que é muito mais mental.

  16. Rubens Leme

    Dalcim, se pensássemos em Nadal e Djokovic como um dos clássicos de espionagem escritos por Frederick Forsyth, John Le Carré, Robert Ludlum e tanto outros, diria que o lado espanhol fez um trabalho excepcional ao colocar o tal guru no lado sérvio.

    Não fosse suficiente, a vantagem aumentou com a péssima decisão de ter adiado a cirurgia de 2017 para este ano.

    PS: será que há um “outro espião” infiltrado no QG do Murray?

  17. Fernando Rodrigo

    Bom dia,

    Pensei que seria mais fácil o Sérvio voltar aos velhos tempos, na minha concepção o Sérvio está no mesmo nível que Federer/Nadal.

    Dalcim, na sua opinião o Sérvio está no mesmo nível que Federer/Nadal?

    Um abraço a todos.

    1. José Nilton Dalcim

      Não sei exatamente em que sentido você pergunta, Fernando. Mas houve uma diferença clara: Federer e Nadal voltaram completamente recuperados de seus problemas físicos e Djokovic, não. Isso pode influenciar diretamente na confiança porque o tenista não joga solto.

  18. Fernando Brack

    Não demorou muito pra ele fazer um downgrade e já sai de novo cedo de um torneio. Tá difícil pro Djoko. Perdeu hoje devolvendo muito mal, atacando pior ainda, número baixíssimo de winners e ENFs em profusão. E o astral dele continua lá embaixo. Que fase bruxa!

      1. Luiz Fernando

        Esse Edmund nao é mané não, a despeito dos seus resultados irregulares. Se vc se recorda, ano passado na primeira rodada de MC apertou Nadal, e muito, perdendo no terceiro set.

  19. Marcus

    Boa noite, Dalcim,! Curto e grosso:
    Acha que em algum momento Djokovic voltará a ser numero 1 do mundo? Claro que poder ele pode, é um gigante do esporte, e desses gigantes nunca podemos duvidar nada. Mas na sua opiniao, acha que ele volta ao topo do ranking?

    1. José Nilton Dalcim

      É uma previsão difícil, porque não depende unicamente dele. Mas pelo que vejo hoje, considero uma tarefa bem difícil. Ele teria de recuperar antes de tudo o melhor de sua forma. Se eu fosse apostar, diria que não.

  20. Sônia

    Lajovic vs Gasquet, bom jogo, excelentes jogadas e a conclusão… backhand com uma mão é lindo demais. Beijos.

  21. Sérgio Ribeiro

    Rafa Nadal já levou 5 em Madri , mesmo com sua rapidez. Federer , Novak e Andy, duas cada. Pelo que apresentaram até AGORA Novak, Del Potro e CIA, o Espanhol terá a sua mais fácil conquista até então. O Sérvio ainda está longe do Ponto. E os garotos o respeitam demais. Ele faz por merecer. Simples assim.Abs!

  22. Luiz Fernando

    A imprensa quando não tem o q noticiar fica inventando picuinhas bestas, inclusive com grandes atletas. Um exemplo claro disso ocorreu na semana passada, quando Rafa foi assistir Atlético de Madri vs Arsenal e amarrou uma camisa do time espanhol no pescoço, pois torceu p esse time (pelo menos disse q sim). Bastou isso p a ruidosa imprensa esportiva madrilenha começasse a encher o saco do cara, logo ele q sempre se declarou torcedor do Real, propiciando inclusive aos blancos dar um chapéu no Barça na contratação do Marco Asensio por uma ninharia (p os níveis do futebol europeu), atravessando os catalães. Coisa de gente que não tem o q publicar…

    1. O LÓGICO

      L Fanático, e sobre o robozinho de xangô ser gay ou não, você tem alguma notícia de que a imprensa espanhola especule? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      1. Sônia

        Rsrsrsrsrs… e o jogador italiano? Acabei de ver a foto rsrsrs, camisa no pescoço rsrsrs, realmente bastante original rsrs. Futuro “próximo” rsrs será hilário rsrs. Beijos.

        1. Luiz Fernando

          Querida, mais ridículo e “assumido” do q o paletó do Federer usado ano passado, com desenhinho nas costas é impossível, a Mirka deve ser cega kkkk. Bjs

          1. Sônia

            Darling, eu não me importo se Federer for gay, até acho estranho duas vezes “gêmeos” (probabilidade??) rsrsrs, mas o mais hilário, é o tal “touro miúra”, o tal “monstro”, com “físico privilegiado”, “macho alfa”, cujos torcedores (argh argh…) enfatizam a “raça”, “resistência”, “controle mental”, exemplo de “masculinidade”, aquele que não chora, que nunca se cansa, aguenta trocentas horas “lutando” em quadra rsrs, uau uau uau… GAY rsrsrsrsrsrs. Hilário “por demais”. Beijos.

          2. Rodrigo S. Cruz

            Aí já virou baixaria, né.

            Não tem o que falar do Federer, então parte pra difamação.

            O cara é casado, pai de gêmeos.

            Deixa de babaquice, vai…

  23. Luiz Fernando

    A vitória do manezao Raonic, cujo jogo depende 99% do serviço, sobre Dimitrov, jogador instável mas bem superior ao canadense, é uma avant première do q veremos na chata e felizmente curta temporada de grama: saque, ace, ponto. E não podemos nos esquecer dos escorregões. E tem gente q acha isso incrível…

    1. Sérgio Ribeiro

      E tem gente que não muda mesmo. Nem se deu ao trabalho de assistir um Raonic mais apurado nas devoluções, e aproveitando um piso mais veloz para subir mais a rede. A Grama Sagrada é um Saco e um Pântano e’ o máximo. As recaídas são inevitáveis. Até tenta melhorar, mais e’ muito fraquinho mesmo. Abs!

  24. Rafael

    Dalcim, continuando a pergunta de ontem, já sabendo que não vale, o que vc diria sobre a seguinte situação:

    Os dois jogadores estão próximos à rede, um deles resolve dar uma pancada daquelas no corpo do adversário, para que ele não possa nem posicionar a raquete, só que o adversário se vira, a bola explode em alguma parte das costas dele e volta pro outro lado, em uma direção que o que bateu não consegue alcançar. E nesse caso, como ficaria? Não vale, ok, não tocou na raquete, mas além de ser vítima da pancada do outro, o jogador atingido perde o ponto ou a jogada é repetida?

  25. Lucas Pires

    Olá Dalcim, boa tarde!

    Estou assistindo Delpo x Dzumhur e considerando o que vc comentou outro dia que podemos ter um Nadal x Delpo na semi o que eu também acho bem possível. Nesse caso o Delpo precisa melhorar muito o BH pra ter uma chance, nesse jogo contra o Dzumhur ele apenas defendeu com o BH sem ataque nenhum e sempre na cruzada. Contra o Nadal o BH cruzado do Delpo vai achar o FH do Nadal… sem agressividade pode ser um longo dia pro Delpo, concorda?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, o backhand terá de estar muito mais consistente e agressivo. É até possível – e por vezes recomendável – atacar o forehand do Nadal, mas tem de ser uma bola muito precisa, angulada e veloz. Basta lembrar de Djokovic.

  26. Rafael

    Faço minhas as palavras de John Isner, reproduzidas pelo Tenisbrasil, e acrescento:

    Nenhum outro jogador nem ao menos chegou perto de ser tão dominante em uma superfície quanto Nadal é no saibro.

    ___________________________________

    Falando em “nunca mais veremos”, tenho uma forte crença de que não verei outro Guga (brasileiro) nesta encarnação.

  27. Renato

    Alguns consideram Novak um dos tenistas mais técnicos de todos os tempos(mas para algumas Djokovetes, é o mais técnico. Kkkkkk). Mas como pode ter um dos PIORES SMASHES DE TODOS OS TEMPOS e ser um dos mais técnicos? Em alguns fundamentos, o cabeça de caroço de manga Chapada é medíocre ou menos.

    1. Paulo F.

      Cara, doeu Indian Wells 2014 e 2015; Roma 2015; Montreal 2007; Finals 2012, 2014 e 2015; WB 2014 e 2015; US Open 2015, hein?
      E em WB 2008 e AO 2009, como foi? Chorou junto?

      1. Gildokosn

        Pra um cara que estica as pernas no sofá de casa e olha pra uma galeria de 20 troféus de Grand Slam isso aí ñ deve doer nada. Na vdd essas derrotas aí foram até boas pra dar um pouco mais de valor aos feitos do Gênio.

        1. Paulo F.

          Lúcido o teu comentário, Gildokson.
          Pois é, mas como que o gênio Roger Federer perdeu tantas finais assim pro Djokovic se o sérvio é abaixo da mediocridade, segundo alguns magoados e recalcados federistas?

  28. Luciana

    O apelido do James Harden é “o barba”. Pelo visto o Benoit Paire tá deixando a dele igual. Para mim, muito feio. Se estiver lendo este meu comentário rs, corte mais ralinha que fica muito mais bonito.

  29. Alice

    Interessante, estão a falar, desenhar, desejar um possível encontro entre Djoko e Nadal no saibro europeu. O “problema” é que pode nem acontecer…seria frustrante, pois ninguém ganhou tantas partidas do espanhol na terra batida como o sérvio. Por isso, concordo com a maioria de que ele pode ser o tenista que elevando seu nível atual de tênis, possa tentar fazer frente ao Nadal, pelo menos mentalmente. Vou ficar na torcida, só pelo encontro…porque de resultado, por mais lógico que seja..falaremos depois.

    1. O LÓGICO

      Quer dizer que a vovó Alice, ex-finada kkkk, igual ao robozinho cangalechéu kkk, resolveu aparecer? kkkkkkkkkkkk Aproveita a temporada da LAJE, porque depois o
      robozinho, como de costume, vira o indigente do circuito kkkkkkkkkkkkkkkkk

      1. Alice

        Que bom que nesses tempos obscuros, seus, é claro..você esteja de bom humor, Lógico. Mantenha se firme, menino travesso!

        😉

  30. Márcio Souza

    Boa vitoria do Cotonete!

    Ainda acho que ele deveria fazer um trabalho de fortalecimento muscular e treinar bastante durante os próximos dois meses e voltar depois da temporada de grama aonde ele não defende nada e venha gradativamente ganhando ritmo de jogo e confiança.

    Não descartaria também jogar uns torneios menores na volta, porque se de fato ele não sente mais dores, podemos imaginar que o que lhe falta é confiança nos golpes e estar bem fisicamente, porque aí o ritmo viria com os jogos.

    Não acho que o que ele está fazendo seja bom pra ele, porque hoje ganhou, mas não seria nenhum absurdo se o japa tivesse vencido, e aí o que poderia acontecer com a confiança do Cotonete perdendo em mais uma estréia?

    Tomara que ele se supere, afinal de contas, ele é um monstro sagrado do esporte e um dos poucos que bate de frente com o Siri Careca no saibro, mas vamos aguardar, por enquanto é bom ver o Cotonete em ação.

    Que ele permaneça saudável porque o GOAT está babando pra empatar logo esse H2H e passar de novo na frente nesse duelo.

    Vamos que vamos!

  31. Fernando Souza

    Boa noite!

    Nunca pensei que ia dizer isso esse sérvio não tem chances contra esse Nadal.

    O saque não é mais o mesmo e as bolas não andam 60% do que já andou.

    Se Nadal, ganhar esse torneio com essa quadra um pouco mais rápida o mesmo ganha Roma e França com enorme tranquilidade.

    1. Alice

      Fernando, eu não tenho dúvidas que o adversário mais difícil que o espanhol possa encontrar seja ele mesmo, no caso, o próprio cansaço físico e emocional que ele está se submetendo ao ter optado por disputar os principais torneios no saibro europeu (Barcelona, Madrid, Roma, Monte Carlo e Roland Garros), assim jogando muitos jogos e a cada torneio que ganha, mais vitórias são acumuladas e mais cansado ele poderá e deverá chegar à frente. A incógnita que fica é se ele vai aguentar chegar até o fim sendo o vencedor…

      Mentalmente, ele resiste. Falta saber se seu emocional não irá se afetar em meio ao fim dessa jornada que o fará subir mais degraus na história, e é claro, se o seu ‘privilegiado’ ou ‘esforçado’ ‘físico, como preferir, irá resistir a melhor temporada de saibro da sua carreira aos 31 anos de idade.

      Não se engane, ele pode sentir pressão sim. E garanto que ele (Nadal) sente ansiedade/nervosismo por isso, ele ‘só’ não permite que fique claro para seu adversário…

  32. Joker

    Esse resultado somente reforça a ideia de que Nole atropelará o boizinho em uma eventual final. Roland Garros, então, será um passeio. Já se percebe o trabalho de Vajda e principalmente do preparador físico, Gebhard Gritsch.

    1. Renan Vinicius

      Coitado do pobre Sérvio, nem do Edmund passa. Djokovic acabou para o tênis. Top 20 pra ele é muito e no máximo brigará por titulos Atp 250

  33. Bruno Macedo

    Tô aqui pensando: Se Djokovic ganhar RG, o retorno dele terá sido mais espetacular do que o de Federer e Nadal, pq, apesar de ter demorado para pegar no tranco, ganhar outra vez o que para ele foi o torneio mais dificil de ganhar , seria genial. (Ainda mais com o Nadal voando do jeito que está)

    Obs.Federer não ganhou RG (seu torneio mais difícil) e Nadal não ganhou Wimbledon (o torneio mais difícil para nadal).

    Ao superar todas as expectativas, como fizeram nadal e Federar), Djokovic voltaria a brigar pelo protagonismo no tênis mundial.

    1. André Barcellos

      Na boa forçou nessa aí…
      Federer jogou o primeiro torneio oficial depois de 6 meses e foi campeão de Grand Slam.
      Em cima do Nadal.
      Djokovic agora Não tem como melhorar essa história. Só se parar e voltar de novo.
      Não importa se é Rg, AO etc.

    2. Alice

      Bruno, nesse momento (temporada 2018) não consigo acreditar muito nisso para o sérvio. Penso que ele precisará de no minimo mais 6 meses para voltar ao topo, digo, chegar as semifinais, finais, adentrar o Top5 outra vez, fazer mais história como Federer e Nadal seguem fazendo. Se ele não desistir, persistir e correr atrás daquilo que ele pode fazer..até porque nunca me cansarei de dizer, pra mim, ele já teve e pode ter ainda (opinião) o melhor corpo do tênis. Logo, eu creio que Djokovic possa reagir, mas de forma plena, só em 2019. A minha dúvida é se ele vai mesmo passar por esses mar de desamores no circuito pra poder enfim chegar à algum lugar onde outros grandes tenistas não imaginariam chegar nas condições que ele (Novak) se encontra agora, contudo chegaram…

      Em tempo, continuo pensando que a falta de disciplina do sérvio e o seu mental afetado por isso e vários outros motivos, sejam seus maiores fantasmas no momento. Ele é o multi-campeão, não há adversários pra multi-campeões que não sejam eles mesmos….

  34. Roberto Rocha

    Joguinho furreca…o segundo saque do japonês é nível acesso à WTA…horroroso!
    Vamos esperar a segunda rodada para verificarmos a evolução do sérvio.

  35. Arthur

    De uma coisa podemos ter certeza, Dalcim: nesse tempo todo de estaleiro, o Djoko não treinou nem um pouco o smash dele, hehehe…

    Um abraço.

  36. Rodrigo S. Cruz

    Assisti o jogo.

    Apesar de ter achado de nível técnico baixo, esse triunfo foi fundamental pro Djokovic.

    E o Nishikori, pra variar, sofreu mais uma vez com aquele seu saque de SARA ERRANI…

    Mesmo no geral, também achei que jogou abaixo do que pode.

    Contudo, a melhora do Djokivic também foi evidente.

    Sacou melhor e estava com uma direita funda e afiada. Forçou vários erros do Kei…

    Pena que Roland Garros já está ás portas, e ele precisa de mais tempo.

    Por enquanto, eu ainda acho muito difícil que sequer faça cócegas ao Nadal.

    1. Renato

      Na temporada de grama e quadras duras no segundo semestre, acho que a coisa vai se inverter totalmente, ou seja, Nadal não fará nem cócegas em Novak, assim como não faz em Federer há um bom tempo. O cotonete estará tinindo a parir de Wimbledon, creio eu.

      1. Renan Vinicius

        Sonha não colega…Djoko já era! Não esqueça que no Us open Nadal tem 3 titulos, contra 2 do cotonete fim de carreira.

  37. Luiz Fernando

    Tive a oportunidade de ver o primeiro set do jg do Monfills e depois até o 30 contra no set 2. Claro q ficou evidente a diferença da velocidade do piso de Madri para os torneios anteriores e se o frances jogasse contra todos como jogou no set 1 ele seria o Nadal kkk; até o 30 do segundo set errou, errou e errou mais. Estes detalhes tornam claro q Rafa terá mais dificuldades nesse torneio e este jogo eu pessoalmente considero perigoso, pois não se sabe qual Monfills estará em quadra, e esta quadra muito veloz anula um pouco da superioridade física de chegar em todas as bolas. Também não devemos nos esquecer q além de vencer Federer no piso umas duas ou tres vezes seguidas, ele apertou Rafa na final de Monte Carlo 2016, numa quadra bem mais lenta. Ainda considero Nadal bem favorito, mas não tenho dúvidas q terá q suar mais aqui…

    1. Sérgio Ribeiro

      Monfa nos seus 2 x 13 com Nadal , perdeu as 6 ultimas. As suas 2 vencidas foram em duras. Nos seus 4 x 9 com Federer perdeu as 5 primeiras , sendo 3 no Saibro. Depois que levou a virada no US OPEN 2014 ( vencia por 2 Sets ) , bateu o Suíço na Davis e em Mônaco em sequência no Saibro. A última em Rolanga 2015 , perdeu por 3 Sets a um. Ele e’ um freguês de carteirinha do Espanhol nesta superfície. Abs!

      1. Alessandro Sartori

        O Monfils tem tbm os seus 1 x 16 contra o Djokovic…aliás esses franceses, ainda bem que deram uma “sumida´´do circuito, quanto apanhar do big4…

  38. Rafael

    – Federer tem o SABR

    MAS

    – Djokovic tem o Djokosmash. Gênio.
    ___________________________________________________________________________

    Dalcim, vamos dizer que eu bata uma bola funda, o cidadão corre lá pra trás e rebate como dá, mas tenta um balão, pra ter tempo de se posicionar. A bola, no entanto, cai pouco depois da rede, do meu lado. Se eu devolver, vamos dizer, de cabeça, fraquinho, e ela morrer junto à rede, porém do lado do adversário, enquanto ele ainda não voltou, vale?

    Sei que seria um daqueles lances de desrespeito, etc, mas vale? (por ter sido com a cabeça e não com a raquete)

    1. José Nilton Dalcim

      Não vale. A bola tem de ser golpeada com a raquete. Nem mesmo na mão ou dedo a bola pode tocar.

    2. Rodrigo S. Cruz

      Essa foi uma pergunta séria?

      (rs)

      Lógico que não, né.

      Pro ponto valer, a bola não apenas precisa de ser tocada pela raquete, mas a raquete precisa necessariamente estar NA MÃO do tenista!

      Ou seja, se você sentir que a bola vai passar de você, e daí você atirar a raquete em direção á bolinha, e esta passar pro outro lado da rede, também não vai valer…

      1. Rafael

        Foi, sim, Rodrigo. Tenho dúvidas sobre muitas coisas do tênis. Sou quase que completamente ignorante.

        Nos meus muito raros momentos de bater bola, geralmente do outro lado da rede está um mané como eu, aí já viu né….

        affe

        Além do mais, sou o maior crítico de mim mesmo, Não levo o mínimo jeito pra tênis. Pra mim é muito mais pelo cardio do que por outra coisa.

        Se eu entrasse em quadra pra jogar uns games com o Rogerinho, seria bem pior do que se o Rogerinho entrasse em quadra pra jogar uns games com o Federer.

      1. Luiz Fernando

        Fico pensando do pq um comentario desse teor é liberado e outros respondendo provocações são vetados, quem sabe um dia não se descubra a razão…

  39. Marcos Castillo

    Mesmo ainda longe do ideal, não vejo tenista com mais chances do que Djokovic de jogar água no chope do Nadal em Roland Garros.

  40. Danilo BR

    A única grande esperança de quem torce por emoções no saibro europeu… Vamos, Nole!!! O único capaz de derrotar Nadal em alto nível na terra batida.

      1. Chetnik

        Kkkk, não adianta tentar me imitar, cara. Você é um fake reconhecido. Passou a dizer que todo “torcedor” do Djoko é meu fake, mas não convence ninguém, só aos zumbis ressentidos, kkkk.

  41. AKC

    As chaves estão ótimas, só jogões nas rodadas iniciais. Aparentemente, Djoko seguirá uma curva de recuperação normal, não excepcional como foram as de Federer e Nadal. Ainda este ano deverá conseguir alguns bons resultados e em 2019 estará perigoso novamente. Espero o mesmo de Murray e Stan. E o azedo gosto de não ser cabeça poderá ser o mesmo daquele que tirar a “sorte” de enfrentar o sérvio na primeira rodada de RG. Quem iria querer?

    1. Deiner Cesar Pádua Toledo

      Difícil ser o 3, Djokovic. Federer ficou 5 anos sem ganhar Grand Slam. Nadal, 3 anos. E isso porque Djokovic e Murray machucaram. E consideram volta fantástica dos 2…

Comentários fechados.