Esquentou
Por José Nilton Dalcim
17 de janeiro de 2018 às 11:14

Para acompanhar o dia (e noite) de muito calor em Melbourne, a abertura da segunda rodada do Australian Open foi forrada de duelos longos e equilibrados. Enquanto Rafa Nadal teve um jogo exigente mas sem riscos, gente como Grigor Dimitrov, Jo-Wilfried Tsonga e Carol Wozniacki escaparam por muito pouco de derrota tão precoce.

O grande jogo e maior exibição da rodada coube a Tsonga, que precisou de toda sua experiência e categoria para superar Denis Shapovalov, vingando-se do US Open. Partida recheada de lances espetaculares, enorme empenho e emoção. Num duelo de 110 winners (apenas 20 de aces), placar de 60 a 50 para o garoto canadense, Shapovalov teve break-point para 4/0 no quinto set e mais tarde 5/3 e saque. Falhou, é verdade, porém dá gosto ver esse rapaz de 18 anos bater tanto na bola sem medo. Backhand causa inveja. E os voleios do francês? Show. Por que não vai mais constantemente para a rede?

A luta por vaga nas oitavas será entre Tsonga e Nick Kyrgios, outra promessa de jogão. O australiano vinha novamente muito firme contra Viktor Troicki até ‘viajar’ no final do terceiro set e permitir um tiebreak desnecessário. Ainda bem que houve tempo para finalizar a tarefa. O jogo foi cheio de distrações extra-quadra: o microfone do juiz que falhava e arrancava risos da plateia, um torcedor inoportuno, um helicóptero rasante, mas nada tirou Kyrgios do foco. Bom sinal. Ah, e quem vencer este duelo enfrentará Grigor Dimitrov ou Andrey Rublev. Que setor magnífico. Dimitrov se mostrou muito irregular diante de um Mackenzie McDonald determinado. Levou até ‘pneu’ e precisou de 8/6 no quinto.

Algo bem semelhante ao de Kyrgios se passou com Nadal. O espanhol também falhou ao ter o saque para fechar a partida contra o valente Leo Mayer, mas reagiu no tiebreak. O argentino, que havia tirado um set do espanhol no US Open, jogou com coragem. Disparou 15 aces e 48 winners nos três sets, mas também viu Rafa marcar 40 bolas perfeitas.

O grande mérito do cabeça 1 foi novamente o saque, com 73% acerto e 80% desses pontos vencidos, o que gera um volume de jogo sufocante para qualquer adversário. Agora terá pela frente o bom Damir Dzumhur, contra quem se retirou no terceiro set em Miami de 2016. O bósnio de 1,75m é 30º do ranking e se solta diante dos grandes.

Também houve emoções das boas na chave feminina, especialmente nas vitórias apertadas de Wozniacki e Elina Svitolina. A cabeça 2 salvou dois match-points e ganhou seis games seguidos no terceiro set a partir de 1/5 diante da pouco conhecida Jana Fett, enquanto a quarta do ranking virou a partida quando acabou o físico de Katerina Siniakova.

A menina Marta Kostyuk, 15 anos, ganhou até com joelho avariado e talvez não consiga pressionar Svitolina, mas mostrou graça e maturidade até na entrevista em quadra. Muito futuro. Destaque também para o jogo sólido e agressivo de Kateryna Bondarenko e a queda de Julia Goerges, de quem eu esperava mais na quadra veloz.

O momento mais inusitado e cômico veio na vitória da local Ashleigh Barty. Incomodado com o grunhido irritante da bielorrussa Aryna Sabalenka, o público começou a imitá-la durante as trocas de bola e exigiu que a juíza pedisse para os espectadores “não gritarem” durante o ponto. Sensacional.


Comentários
  1. Rodrigo S. Cruz

    CHETNIK e os PINGOS nos I’s:

    (…) eu não fico aqui escrevendo textos e mais textos sobre como o Djokovic é mestre, Rei, maravilhoso, “lindinho”, o Sr. Perfeito, acima do tênis e o ser humano mais querido sobre a face da terra(…)

    Então…Eu já frequento aqui há um bom tempo, e os que você descreveu sobre o suíço, tem uma porrada de gente que escreve coisas IDÊNTICAS sobre o sérvio também. Se bem que você exagerou como de costume, né?

    (…)Principalmente, eu não trato os que criticam o Djokovic como meus inimigos mortais (…)

    Verdade. Muito pelo contrário.

    (…) Me esqueci de mencionar as acusaçoes de “sorteios dirigidos” para favorecer o Nadal que pipocam aqui a cada torneio – ué, mas o Federer não é o melhor, o mais querido, o mais popular, o que atrai mais público e dinheiro, o mais maravilhoso…o mais tudo? Então por que que alguém iria dirigir o sorteio em favor do Nadal, em detrimento do Federer? (…)

    Super-óbvio que inexiste favorecimento de qualquer sorte. E se alguém afirma isto, na maior parte dos casos é por brincadeira. E nos demais, por simples implicância com o Nadal. Ora, você também implica com o suíço para caramba. Faz parte, ué…

    (…)Sem contar a ladainha de sempre: “como o Nadal tem sorte e o Federer tem azar”. E outras tantas coisa (…)

    E daí? Não tem nada de absurdo em afirmar que um tem mais sorte em chaveamento do que o outro. Ou tem?

    (…)Na boa, você querer falar de fanatismo de outros segmentos é uma piada. Isso tudo que eu mencionei é fato insofismável pra qualquer pessoa que acompanhe o blog há alguns anos.(…)

    Insofismável nada. Existem sim vários fanáticos de qualquer segmento e você sabe muito bem disto. E não me refiro somente aos fakes temporãos que ” brotam” por aqui e depois somem Mas principalmente ao tremendo mau-caratismo dos que criam fakes em redes sociais para xingar os torcedores do Federer, ou para atacar mesmo a honra deste ou aquele jogador, de forma agressiva.

    Responder
    1. Chetnik

      Eu só vejo esse nivelamento por parte dos “fakes” que você mencionou…e convenhamos, fake não conta, coisa de perdedor sem vida. E digo mais, acho que alguns fakes “torcedores” do Djoko sequer o são de verdade. Apenas querem tumultuar ou fazer parecer que os torcedores “regulares” do Djoko são que nem os do Federer…

      Acho, inclusive, que tem fake “torcedor” do Djoko que na verdade torce pelo Federer. Inclusive, temos um colega famoso por esses fakes rs.

      Responder
      1. Chetnik

        E quanto às brincadeiras, eu sou o primeiro a defendê-las, mas tem gente aqui que realmente acredita que os sorteios são dirigidos a favorecer o Nadal, entre outras besteiras.

        Responder
  2. Sônia

    Jogaaaaaço, adversário difícil e mesmo assim… vitória. Parabéns Maestro, só TU, só TU, que genialidade, técnica, talento… com certeza, quando Deus te desenhou, Deus estava em êxtase. Te amo Lindinho. Beijos.

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Jogaço , cara Sônia? Permita-me discordar. Jogou o suficiente contra o garoto Sacador, assim como havia feito em Halle. O jogo foi apertado ( embora bem controlado) , que deu para o Serviço afiado e algumas boas devoluções sobressaírem. E quanto ao esperado Back batido do AOPEN 2017 ( arma fundamental na grande Conquista ) ? Para nossa sorte saberemos com certeza contra Gasquet. Ele não consegue somente olhar a plasticidade do maravilhoso golpe do Francês. Teremos ideia de como o Craque estará, caso passe, para as duríssimas Oitavas, Quartas e Semis. Espero poder compartilhar do seu eterno Otimismo ! Ps. E não deu outra com Stan. Aos 32, difícil assim como Andy. Abs!

      Responder
  3. Sônia

    Adorei Maestro, adorei, foi quebrado, manteve o foco e devolveu a quebra, muito bom. Struff peca na ansiedade, se controlar, ficará perigoso. A carinha de desespero do técnico, impagável rsrsrsrsrs.

    Responder
  4. Sônia

    Adoooooro a primeira semana dos Slams, trocentas opções de jogos. O mais hilário são as expressões faciais, como a do técnico do Struff nesse momento rsrsrsrs.

    Responder
  5. José Bosco

    Bom dia Dalcin! Qual é o critério usado para os privilegiados que só jogam a noite? E tambem, como é feito a montagem das chaves ? É puramente um sorteio ao acaso? Sem nenhum critério? Porque estava obstando… A chave do Nadal sem duvida é a mais difícil do torneio esse ano. A do Djoko um pouco e outra que não lembro se a segunda ou primeira , maior moleza em se falando de tenistas ranqueados e conhecidos. Será mesmo isso pura sorte ou coincidência ? Abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que não há muita dúvida sobre a lisura do sorteio, Bosco. Além disso, chave mais difícil ou mais fácil é uma questão de ponto de vista. Para mim, a do Nadal não está tão difícil assim até as quartas. Quanto à programação, isso depende do diretor do torneio. Ele geralmente leva em conta o interesse do público e da TV, mas tenta distribuir de uma forma que todos joguem em pelo menos dois estádios diferentes e dois horários distintos. Abs!

      Responder
  6. José Eduardo Pessanha

    Duas certezas que esse torneio nunca poderia apagar: Thiem sempre será superesTHIEMado e Goffin é mega, ultra, super limitado kkk
    Onde está o Goffin que seria um desafio intransponível para Roger Federer? rs
    Abs

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      Mais respeito com o grande Monfa, caro Pessanha. O Conterrâneo estava dormindo e não o viu quebrar 3 Vezes o Serviço de Novak somente no primeiro Set ? Assim não dá kkkkkmk ABS!

      Responder
  7. Renato

    Antes de sentir o forte Calor, Monfis dominava o farsa com tranquilidade. A impressão é que ele passaria o carro em cima do bobão. Claro, o calor é para os dois, mas uns sentem mais e outros menos.

    Responder
  8. José Eduardo Pessanha

    Bom, é o que eu falo sempre. Djokovic tem que, todos os dias, agradecer aos céus pelos 12 GS que possui, pois estão muito além do que o seu talento mereceria. Vai ficar nesses 12 mesmo. A mesma coisa acontece com Nadal. Tem que agradecer muito pelos 16 que possui.
    Repito: Djokovic vai ficar nesses 12 GS, se não perder alguns. Entendedores entenderão. rs

    Abs.

    Responder
    1. Rafael

      Nessa vc se superou na infelicidade do comentário.

      Se nivelou por baixo, decepção total.

      Mas se é o que vc pensa, ótimo.

      Esclareceu algumas coisas.

      Responder
      1. Sônia

        Rafael, acredite ou não, estou na torcida para que o Djokovic ultrapasse o espanhol em Slams. Muuuuuito melhor jogador. Se vencer esse AO, clap clap clap. Beijos.

        Responder
  9. André Barcellos

    Dalcim, tento de todo jeito mas ainda não consegui acessar a Rod Laver pelo site do AO.
    Mostra todas as quadra, mas na central corta pra a radio do torneio!
    É isso mesmo?

    Responder
  10. Sônia

    Venezuelana sofrendo muito rsrsrsrsrs (adooooro) e que facilidade da adversária (nunca vi) em mudar a direção da bola. Como joga com calma, parece que é fácil demais. Torcendo muito pra essa Hsieh (who??). Vai ThieMito, eu acredito.

    Responder
  11. Paulo Rossi

    Eu nunca vi Djokovic jogar nessa situação, mas ele já jogou contra o francês 14 vezes, e ganhou todas elas; e isso vai estar bem fresco em sua memória quando eles entrarem em quadra. Djokovic vai ganhar. Acreditem nisso.Abs!

    Responder
  12. Lomeu Lima

    Enquanto Federer, Djoko e Nadal estiverem em alto nível, esses tenistas jovens continuarão jogando como nunca mas perdendo como sempre. É inegável que alguns tem muito talento, mas não é suficiente. Para se alcançar o topo se faz necessário Técnica /Físico /Mental. O seleto grupo dos multi campeões está muito distante de ter um postulante com essa geração de jogadores nota 7. #Nole13.

    Responder
  13. Leonardo Freitas

    Engraçado que alguém que vence 12 grand slams e o outro que vença 16 grand slams sejam chamados de farsa por muitos opinadores do blog.Quando as pessoas comentam gosto por estilos este sim e um argumento pertinente.Comentários parecidos com os quais escuto do Schumacher que e um gênio do esporte com inúmeros recordes e conseguiu a façanha de monopolizar a categoria que e sempre disputada e igualmente chamado de farsa igual ao o espanhol e o sérvio.Que resta a dizer que nos precisamos opinar baseado nas conquistas e respeitar tamanho currículo dos três tenores do tênis atual e inclusive agradecermos por sermos contemporâneos desses três fenomenais tenistas com estilos diferentes de jogo e personalidade mas comprometidos ao extremo com amor ao esporte.Federer joga virtuosamente bonito e por isso talvez tenha o maior apelo do público e pelo fato de o tênis estar cada vez mais atlético e ele ainda consegue por sua qualidade técnica frente ao atletismo do tênis o que torna ainda mais relevante a admiração do seu publico.Por tanto não tem nada contra regra ser um tenista de defesa e contra ataque assim como e Nadal e Djoko e foram formas vitoriosas de parar o talento e fazer tenistas com golpes sólidos e tecnicamente bons darem um algo extra em outros quesitos alem do jogo como preparação física e mental.Acho legal as discussões sobre estilos e ate de torcida e muito vezes comentários engraçados dão a graça do blog mas agora chamar tenistas tão vencedores de farsa e um pouco ate patético e sai do nível de comentários produtivos para brigas e discussões de crianças de ensino fundamental.
    Abraço a todos e espero que esse ano o AO tenha alguma surpresa para comentarmos algo diferente do de sempre.

    Responder
  14. Alexandre

    Salve Dalcin,

    O jogo da Bia vai comecar daqui a pouco aqui na Australia. Nao sei porque, mas estou com uma grande expectativa sobre a desempenho dela e acredito que vai ser um “jogao”. Independentemente do resultado, posso pedir que vc faca uma analise mais profunda sobre aspectos positivos e o que ainda precisa evoluir no jogo dela? Ja da para considerar a Bia a melhor tenista brasileira depois da “Esterzinha”?
    Abracos. Boa sorte para a Bia e para todos nos que torcemos pelo tenis brasileiro.

    Alexandre

    Responder
      1. Alexandre

        Acebei de ver o jogo e tenho que confessar que “quebrei a cara”. Pena, mas vamos em frente. Fico aguardando a sua analise e gostaria de te pedir, a despeito de saber que isso e muito delicado, uma avaliacao tambem sobre a adminstracao da carreira dela? Isso no Brasil parace ser tao complicado…

        Grande abraco.

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Acho que temos uma pressa exagerada em achar campeões e ídolos, Alexandre, e isso não combina com o tênis. A menos que estejamos diante de um fenômeno, o que não é o caso de nenhum brasileiro desde o Guga. Então precisamos ter paciência. Bia está jogando seu primeiro real ano num nível muito alto, vai ganhar alguns jogos e perder bem mais. Faz parte do aprendizado.

          Responder
          1. Alexandre

            Ponderacao e conhecimento, alias, como sempre diga-se de passagem.
            Muito obrigado pelos comentarios, Dalcim.

            Vamos continuar na torcida!!
            Grande abraco.

  15. Rafael Wuthrich

    Falava com os companheiros do whatsapp que Dimitrov me decepcionou. Errou além da conta, mostrou falta de foco e nenhuma postura tática. Aliás, seu backhand estava sofrível. McDonald (podia ser McMelt, já que “derreteu no fim do jogo de forma bisonha) jogava bolas bobas no backhand, com o seu lado aberto e o búlgaro simplesmente não conseguia levantar a bola e passar para o outro lado. Só no 5o set contei uns 15 ENF do tipo. Dimitrov chegou a tomar um pneu de um jogador bem limitado que, de maior qualidade, mostrou espírito luta e apuro tático.

    A coisa estava tão ruim que a câmera captou várias vezes Daniel Valverdú, experiente técnico do búlgaro, balançando a cabeça, indignado com os erros bobos cometidos pelo pupilo e irritação evidente, com direito a vários impropérios impublicáveis. A conversa no vestiário não deve ter sido boa, por sinal.

    Agora ele enfrenta o prodígio Rublev, que o derrotou na estreia do US Open. Acho bom o búlgaro estar clm as barbas de molho, porque o russo parece estar preparado para ganhar. Suou mas derrotou com autoridade o experiente cipriota Baghdathis. O risco de derrota é real.

    Responder
  16. Rafael Wuthrich

    Dalcim, faz ideia de qual será o ranking de Shapovalov após o AO? Fiquei impressionado com a qualidade. Embora eu goste de Tsonga, o garoto talvez merecesse sorte melhor. Curiosamente acho que quem se deu bem foi Kyrgios, já que o canadense me parecia bem mais perigoso. Tsonga tem chance? Acho que nunca vi Kyrgios tão focado em um Grand Slam como ele está agora.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Perdeu cedo, então não vai subir quase nada. Provisoriamente, 47, que seria dois acima do seu melhor anterior (49). Mas ainda pode ser ultrapassado. Quanto ao Tsonga, claro que é um tenista muito perigoso e vejo total equilíbrio contra o Kyrgios.

      Responder
  17. Eduardo Oliveira

    Que pena! O Shapovalov esbanjou no quarto e quinto set, resultando na derrota. Se ele tivesse mantido o firme propósito de vencer, isso teria acontecido. Mas ele foi dispersivo e extravagante diante de um torneio tão importante.

    O jogo dele é maravilhoso, solto e técnico. Que a maturidade venha!

    abraços

    Responder
  18. Rodrigues

    Dalcim

    Teve gente que achou ruim chamar o Federer de “bailarina” . Teve gente defendendo.
    Só quero acrescentar que um do maiores jogadores da decada de 70, 80 , Ivan Lendl , praticava ballet regularmente, para melhorar o movimento das pernas.
    Ah…E não se esqueçam que o entrevistador o chamou o Federer de “gazela” e ele entrou na brincadeira

    Responder
  19. Luiz Fernando

    Assisti o jg do Rafa agora a tarde e comprovei como esse gringo incomoda o espanhol, algo q nunca vejo contra os outros caras do Big4, algo já visto no USO. O importante foi vencer, algo q em momento nenhum esteve em cheque. De positivo, observei q está em excelente forma física, com ótima movimentação e jogo de fundo e rede bem regulares, muito bom pra um início de temporada. De ruim, achei q muitas das devoluções continuam curtas, como bem mencionado abaixo, e a velocidade medíocre na maioria dos primeiros serviços, algo q nessa primeira semana contará pouco, mas na seguinte, se ele chegar lá claro, vai atrapalhar. Rumo as oitavas e, em homenagem ao Robson, faltam 5…

    Responder
  20. Marcelo-Jacacity

    Dalcim e demais participantes,
    Pegando carona na citação do Barocos, qual é o confronto mais espetacular para se assistir?
    Nadal x Federer
    Djokovic x Nadal
    Federer x Djokovic

    Obs. Falo com todos do Big-3 em boa fase.
    No momento é notório que o sérvio é uma incógnita, com um teste difícil contra o Monfils.

    Responder
    1. Jose Alexandre

      Sou Federista de carteirinha mas os confrontos entre Djokovic x Nadal no auge eram épicos, sendo que a final do próprio AO de 2012 foi pra mim a melhor partida de tênis que já assisti

      Responder
    2. Sergio Ribeiro

      A Final do AOPEN 2017 , Marcelo, diz muita coisa. Mas algumas entre Roger e Novak foram de tirar o fôlego. Então e’ somente jogar pra cima e deixar Novak x Rafa de fora rsrsrs . Abs!

      Responder
    3. Rafael

      Marcelão

      Como torcedor do Djoko, tenho aquela final do US Open na cabeça (Spartaaaaaaa!) como o jogo mais eletrizante que vi.

      Como admirador de tênis, todos os confrontos que vc expôs.

      abs

      Responder
    4. V Maurício

      Rapaz, essa é uma boa pergunta, mas certamente envolve Nadal, pois nenhuma final entre Federer e Djoko chegaram ao nível de tensão e emoção como algumas finais que Nadal fez contra os 2. Destaco as finais de WB 2008 e AO em 2009 entre Federer e Nadal, além das finais do AO 2012 e USO 2013 entre Nadal e Djoko como os maiores jogos dos últimos tempos. Teve também a semi de RG 2013 entre Nadal e Djoko, que foi um senhor jogo.

      Responder
  21. Chetnik

    Que vergonha essa Boba Fett. Agora temos que aguentar a insuportável Wozniacki por pelo menos mais uma rodada. Aliás, jogo horroroso.

    Esse Dimitirov é uma vergonha, kkkk. Pior número 3 da história. Não aguentei ver o 5a set. Que pena que ganhou.

    Rublev é bom jogador, mas precisa melhorar MUITO o saque. Entretanto, já vejo potencial para um sólido top 20.

    Legal essa Kostyuk. 15 anos…vou tentar assistir um jogo.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Chatonik , meu Caro, Tênis não é mesmo a sua praia. Dorme em jogos do Federer , idem com o Dimitrov… Onde o parceiro estava na Semi do AOPEN 2017 entre o Búlgaro x Rafa Nadal. Ou na Final do FINALS entre o mesmo e Goffin. Quem sabe uma maratona de 5 horas e meia entre Novak x Nadal te deixasse , digamos , mas aceso rsrsrs Abs!

      Responder
      1. Chetnik

        Você tem que prestar mais atenção no que eu escrevo…não falei que dormi no jogo do Federer. Falei que fiquei sonolento. Também nunca escrevi aqui que “eu não tenho tempo pra assistir aos jogos” – como você falou no outro post. Acho que a idade tá chegando pra você rs.

        No 5a set desse jogo do Dimitrov eu dormi porque passei a madrugada inteira assistindo aos jogos…mas o jogo tava bom.

        Responder
  22. Luiz Fabriciano

    “Shapovalov teve break-point para 4/0 no quinto set e mais tarde 5/3 e saque. Falhou, é verdade, porém dá gosto ver esse rapaz de 18 anos bater tanto na bola sem medo. Backhand causa inveja.”
    Como está jogando esse garoto hein Mestre? Que jogão!
    Incrível em dois momentos: primeiro que dominou o Tsonga na maior parte do 5º set – o que já era grande coisa – e segundo que se perdeu em um ponto, culminando com sua derrota. Mas o futuro lhe promete muito.
    Ps. curtir muito também os voleios do Shapovalov.
    Grande abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Esse garoto realmente é espetacular, Luiz. Joga bonito, agressivo, vibrante, completo. Fico aliviado porque mostra que haverá tênis de alta qualidade quanto os Bigs pararem. Kyrgios é genial, Zverev joga um tênis de gente grande, Tsitsipas e o De Minaur crescem rapidamente para ficar em alguns exemplos. Estamos salvos! rsrs… Abs!

      Responder
      1. Teles

        Dalcin não sei é pq sou da geração do Big four penso o pouco contrário me acostumei a ver esses 4 ganhando os grande títulos , quando vi o Dimitrov vencer o atp finals em cima do goffin ( meu Deus que faseeee) fico imaginando que quando o Big four vamos ver ter uma polarização de jogadores diferentes ganhando títulos pq não vejo nenhum desses novos com condições de dominar o circuito

        Responder
          1. Teles

            Acho que será a geração wawrinka que quando querem jogam um tênis excepcional ,mais que não tem consistência nenhuma durante a temporada e podem cair a qualquer momento como vimos quase acontecendo com Dimitrov ( que não engulo esse cara ter ganhando o finals) hj, dito isso fico com dor da geração do berdche,tsongar e Ferrer …

  23. Renatinho

    Dalcim, uma pergunta. Suponhamos: Um tenista não defende o título de um torneio e com isso fica com sua pontuação zerada. Tem outro torneio que ele defende pontos e também não joga este. Neste caso pode ocorrer negativação de pontos já que antes estava com 0 ? Como funciona isso?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, não existe pontos negativos. Se ele tinha outro torneio a defender na semana seguinte, como na sua hipótese, então jamais o ranking dele estaria zerado.

      Responder
  24. Rafael

    Vendo os melhores momentos do jogo do Nadal achei que o espanhol ainda está com a bola um pouco curta. E está recebendo o saque muito longe da linha de base. Acho que se ele pegar um adversário com mais experiência pode se complicar. Eu to acreditando que o Diego Schwartzman tira pelo menos um set do Nadal. O que acha mestre?

    Responder
  25. Rafael

    Brilhante análise do colega Daniel no post anterior.

    Porque seria então que Federer não pode ser chamado de bailarina mas Djokovic pode ser chamado de Cotonete/Farsa, Nadal de Dopadal, Bombadão, etc? Quais seriam as patologias que acometem a psique de quem assim age?

    Aliás, o termo bailarina só ofende a machistas, pois alguns dos benefícios do balé são movimentos mais harmoniosos, plasticidade, sensibilidade.

    Longa vida à Ana Botafogo dos Alpes! O Mikhail Barishinikov do tênis!

    Isso é algo que nunca entendi nem aceitei por aqui. Dos outros pode-se falar o que quiser, mas do Highlander não, já indica um monte de coisas.

    Affe

    Responder
      1. Nando

        Desculpa cara, vc não é o mais indicado pra falar sobre o “fanatismo” de A, B ou C….pois é igual a tds.
        Aliás, daki são poucos os q podem falar, Rafael Wuthrich (um dos mais assíduos aki) é o maior exemplo de isenção.
        Além do Dalcim, claro.

        Responder
        1. Chetnik

          Já fui muito fanático, por esportes no modo geral. Era questão de vida ou morte. Desde a final do USO/13 deixei isso de lado – já falei isso aqui.

          Você tá confundindo tiração de sarro com fanatismo. Eu não dou desculpa quando o Djoko perde, porque eu aceito que ele pode perder. Não fico destilando ódio contra quem derrota o Djoko, porque isso é uma imbecilidade. Fora a tiração de sarro de macho alfa pra cá, comedor de fígado pra lá, eu não fico aqui escrevendo textos e mais textos sobre como o Djokovic é mestre, Rei, maravilhoso, “lindinho”, o Sr. Perfeito, acima do tênis e o ser humano mais querido sobre a face da terra, o mais isso, mais aquilo. Enfim, aquela babação de sempre.

          Principalmente, eu não trato os que criticam o Djokovic como meus inimigos mortais.

          Responder
          1. Chetnik

            Faltou dizer que eu não trato as vitórias do Djokovic como minhas. Tem gente aqui que precisa seriamente ter uma vida própria.

          2. Chetnik

            Me esqueci de mencionar as acusaçoes de “sorteios dirigidos” para favorecer o Nadal que pipocam aqui a cada torneio – ué, mas o Federer não é o melhor, o mais querido, o mais popular, o que atrai mais público e dinheiro, o mais maravilhoso…o mais tudo? Então por que que alguém iria dirigir o sorteio em favor do Nadal, em detrimento do Federer? Tá vendo, são essas monstruosidades lógicas que vem sempre do mesmo segmento, fruto de mentes irracionais que não podem conceber a ideia de alguém, que não seja o Federer, vencer legitimamente, sem trapaça ou ajuda. Isso que é fanatismo, coisa de gente doente.

            Sem contar a ladainha de sempre: “como o Nadal tem sorte e o Federer tem azar”. E outras tantas coisas…

          3. Nando

            Frequento o blog faz tempo (antes eu lia as postagens e os textos do mestre), e não vi nada disso q disse sobre si.
            A minha opinião segue a mesma…já q vc gosta de tirar sarro, pq então não o faz “pra tds os lados” e deixa de ser “parcial” qnt a isso?

          4. Chetnik

            Enquanto eu aguardo para assistir a mais um jogo sonolento do Federer, me lembrei do choro INCESSANTE dos fanáticos sobre o circuito ser o “mais fraco de todos os tempos”, só porque o Djokovic estava ganhando tudo.

            Aí os dois melhores do mundo – Djokovic e Murray – “saem de cena”, o Federer volta a ganhar e o circuito fica “competitivo” novamente, kkkkk.

            Na boa, você querer falar de fanatismo de outros segmentos é uma piada. Isso tudo que eu mencionei é fato insofismável pra qualquer pessoa que acompanhe o blog há alguns anos.

    1. Rodrigo S. Cruz

      Rafael,

      O que não pode nunca é perder a esportiva.

      Tem cada frase que eu leio aqui que mais se assemelha a um PUM muito fedido… (desculpa aí, Chet)

      É tampar o nariz, e seguir em frente.

      Kkkkk

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Quando se lê bobagens tais como a chave difícil é a do Federer, o adversário problemático também, o esquema da Kia pro sorteio e pro torneio favorece o Nadal (claro q esquema pro suíço nunca) etc não é de se estranhar o q vc expôs acima kkk!!!

      Responder
    3. Mário Fagundes

      Ali foi o primeiro atleta de alto nível a ser comparado a um bailarino, pela forma como se movimentava no ringue. E isso lá nos anos 60/70. A “nobre arte” deve muito a esse “bailarino”. Não à toa é considerado o maior de todos os pugilistas. Alguma semelhança com Federer? rsrs

      Responder
    4. Bruno Souza

      Inicialmente, vejo seu comentário com muitas ressalvas e uma tentativa ingênua de defender certos comportamentos propagados pelos torcedores do suíço, do sérvio e do espanhol nesse blog.

      “Ingênuo”, pois não chamam o Federer de bailarina como adjetivo que remete a leveza e a graça com que ele joga tênis. É usado pelos torcedores do Djokovic e do Nadal em uma tentativa de ofensa. Tais quais os termos pejorativos utilizados pelos do Federer, conforme citado em seu comentário.

      Ademais, quando diz que não se pode falar mal do Federer que já há uma revolta, esse seu post é sobre exatamente qual questão? Tudo indica um incômodo com as infelizes palavras utilizadas nesse blog para ofender o sérvio.

      Nessa esteira, esse é o comportamento padrão das “torcidas” dos três mencionados, não como dito, especialidade da torcida do suíço.

      Por óbvio, todos esses “torcedores” se aproveitam dos bons momentos de seus ídolos para espezinhar os demais, acho que todos se lembram de 2015, não é verdade?

      Responder
  26. Chico

    Dalcim, qual a análise que você faz da queda da Belinda Bencic para a Luksika Kumkhum de ranking tão inferior ao da suíça? Se bem que a Kumkhum jogou demais. Será que a Bencic menosprezou a tailandesa? Os comentaristas australianos, durante a partida, diziam que talvez a Bencic não esperasse um volume de jogo tão grande e executado com tamanha precisão por parte de Kumkhum. Bencic se mostrou extremamente irritada também ao tentar de tudo e não surtir efeito.
    Obrigado
    Abraços

    Responder
      1. Chico

        Dalcim, depois do jogo dela contra a Venus, eu acreditei que ela fosse longe, mas me decepcionou ontem. O segundo saque dela está sofrível. Kumkhum se cansou de dar winner de devolução no segundo saque da Bencic. O que falta a ela, além de melhorar o segundo saque, para deslanchar de vez em sua opinião? Talento ela tem até de sobra…
        Abs

        Responder
  27. Barocos

    Que belo jogo este do Tsonga x Shapovalov ! Uma pena que não assisti ao jogo ao vivo (salve o Youtube!). Sei não, bom físico, um belo backhand, boa velocidade nas bolas. Acho que este garoto vai longe. Este Australian Open está pintando como uma das melhores edições entre todos os torneios dos últimos anos.

    Muita figa e mandinga para possamos assistir mais uma vez ao que é, na minh opinião, o melhor duelo de todos os tempos: Federer x Djokovic.

    Responder
    1. Marcão

      Prezado Barocos, sempre gostei de Federer x Nadal, pelo duelo de estilos. Mas confesso que gostava mais quando Nadal era páreo, quando um travo de angústia perpassava o coração da plateia. Agora que o mestre encontrou o número, o clássico perdeu em dramaticidade, pois jogo por jogo ele sempre teve muito mais. Briga de gato e rato, onde o gato passou a levar vantagem quando entendeu quem era o gato.

      Djokovic x Nadal também me agradava. Duelo físico, mental e, sobretudo, estratégico. Aqueles dois não cediam jamais, lutavam centímetro por centímetro, neurônio por neurônio, hemácia por hemácia. Outra briga de gato e rato, mas aqui nunca se soube verdadeiramente quem era quem.

      Ah, mas Federer x Djokovic é mesmo o maior clássico de todos. Claro que ao observador menos atento pode parecer que se trata de mais uma briga de gato e rato. E é. Mas há aqui uma diferença fundamental. Não basta ao gato confiar no instinto ou apenas se reconhecer como tal porque o rato em questão sabe de todas as urdiduras e vai da rabeca ao piano com a mesma naturalidade que eu vou da donepezila à mirtazapina.

      Responder
  28. Renato

    Pelo nível de jogo apresentado pela concorrência, Federer deverá levar fácil fácil. Gostaria de uma nova final contra Nadal, mas desta vez, Roger não perderia um set sequer.

    Responder
  29. André Barcellos

    Meus colegas e Dalcim:
    Já há algum tempo tento entrar na Rod Laver arena pelo iPad, mas ao que parece o AO oferece live de todas as quadras ao vivo, exceto a Rod Laver. Confere?

    Responder
  30. henrique manoel

    e ai sera que andrey rublev apronta de novo, esse mlk me surpreendendo cada vez mais a 7 ou 8 meses nem top 100 era e hoje ja e um consistente top 30… que mudança de andrey rublev e pega um dimitrov cansado vamos ver…e kyrgios eu acredito que possa ser campeao

    Responder
  31. Sérgio Ribeiro

    Como Postamos, a garotada iria exigir bem mais dos Trintaos. E realmente está acontecendo. Já arriscaria afirmar que Shapovalov , além do Talento, deve chegar mais longe que Raonic. Perdeu no detalhe assim como o Sobrinho ( também talentoso ) do Samurai, perdeu para Dimi. Rublev e’ outro que pode atrapalhar os caminhos de um Búlgaro ansioso por demais. Alguns que falam sempre em gerações perdidas acabam torcendo pelos Titios. Desta vez deixei Tsonga de lado. Como não acredito mesmo em h2h ou freguesia, Monfa que vem embalado do Título em Doha, pode sim assustar Novak no momento. A meu ver. Abs!

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Concordo em gênero número e grau com seu comentário acerca do Shapovalov e também creio q Raonic perdeu seu momento. Não sei se vc tem a mesma opinião, mas pelos antecedentes de Zverev em torneios melhores de 5 sets, quando comparados ao desempenho nos M1000, também não apostaria minhas fichas nele a curto prazo, pois não vejo no alemão, ainda, físico suficiente para encarar 7 jogos em 2 semanas. Como vc sempre posta, a conferir…

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Com os mesmos 20, GUGA levou Rolanga 97. Mas como fez um 98 bem abaixo, muitos críticos levantaram as mesmas considerações , meu Caro Luiz . Em 99 ele calou o Mundo e suas críticas quanto à sua movimentação. Zverev ainda não passou de Oitavas em SLAM. Então as dúvidas procedem. A contratação de Ferrero para o Staff foi muito pela tentativa de melhoria no jogo de Pernas e devoluções mais próximas à base. Iniciamos 2018 na expectativa. Pelo visto eu e o Dalcim estamos mais otimistas que o amigo. Mas realmente o Garoto precisa comprovar. ABS !

        Responder
  32. Sônia

    Acabei de ver o vídeo, que jogaço deve ter sido. Provavelmente Shapovalov não deve estar dormindo agora rsrsrs. Esse garoto já é uma realidade, torcendo muito por ele, ele é do bem. Feliz pelo Tsonga, sou fãzoca dele.

    Responder
  33. Sônia

    Não consegui de jeito nenhum assistir os jogos tanto da Rod Laver quanto da Margaret Court, até a quadra 3 não tinha sinal (Simon vs Busta). Tentei por volta das 22:00 até às 23:00h, depois desisti. Aconteceu com mais alguém? Caramba, foi só elogiar e agora eles estão limitando, puxa vida. Alguém tem um link? Por favor. Beijos.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acho que Djoko precisa tomar cuidado com Zverev, Federer deverá cruzar com o Goffin e o Rafa poderá ter Dimitrov ou Kyrgios. Claro que Goffin e Dimitrov não são exatamente garotos, mas representam a renovação a curto prazo.

      Responder
      1. Sandra

        Engraçado Dalcim, eu não sou entendida de tênis , apenas tenho a minha torcida , eu acho que de o Djokovic chegar até o Zverev , ele não perde, pode até perder para o Federer ou uma eventual final

        Responder
  34. Marcelo Calmon

    Estou agora como um zumbi por conta do jogaço Tsonga x Shapovalov !!! Não consegui deixar de ver até o final !!!
    Acabei perdendo o jogo do Bruno, nem sei se passou na TV. Aliás o jogo dele não foi fácil !!!
    Bia arrasando nas duplas !!
    Não vi nada do Nadal, pois esses jogos costumam ser cansativos e com finais previsíveis. Não tem emoção.
    O jogo de simples da Bia deve coincidir com o jogo do Melo. Vamos ver se começam cedo.
    E ontem escrevi que o Sonego tinha recebido o mico do torneio, mas a Gravilova acaba de roubar o título. Fez 5 x 0 no 1º set e conseguiu perder.
    E ainda teve 3 bp seguidos para quebrar o serviço da Mertens e fechar o set. Ela acaba de ser quebrada no 2º set!!! Quase adeus para russa-australiana !!
    Algum representante tupiniquim nos juniors ?
    abs

    Responder
  35. Rodrigo S. Cruz

    E por muito pouco Denis, O PIMENTINHA, Shapovalov não consegue derrubar o cabeça-de-chave número 15…

    Jogão.

    Cheio de lances memoráveis como duas passadas impossíveis de Shapovalov, e uma bola por entre as pernas de Tsonga, no 5° set, e que também resultou em ponto.

    Responder
  36. Renato

    Rublev atropelou Dimitrov no U.s open. Sei não….E o bósnio emtubou o careca em Miami. Kyrgios deverá ser o finalista da parte de cima. É o melhor entre os da sua parte.

    Responder
  37. Paulo F.

    Cada vez mais desenhada a presença do Bugre Careca na final do AO novamente.
    Dimitrov é muito inconstante e Kyrgios não tem mental para enfrentar Nadal numa (possível) estafante e exigente semi-final de GS.

    Responder
  38. Rubens Leme

    Legal ver o tal Mackenzie McDonald (tem como ser mais americano do que isso?) jogando. Fisicamente e, em alguns momentos, lembra um pouco o Michael Chang e o Kei Nishikori: baixinho, veloz, lutador e com uma dinâmica de forehand parecida. Deixou o búlgaro exausto.

    Do outro lado, embora seja um tenista excelente, é muito chato assistir o Kyrgios. Parece que foi jogado para fora da cama às 4h30, enfiado num chuveiro gelado e obrigado a correr uma meia-maratona antes de entrar em quadra. O homem reclama de tudo desde o princípio. É outro Neymar. Poderia tentar se divertir mais em quadra, já que está milionário e tem uma torcida a apoiá-lo.

    Dalcim, embora tenha lutado muito e conquistado uma ótima vitória, achei o Tsonga bem pesado. O cara está com mais do que os 91 kg oficiais. O peso sempre foi um problema na carreira deste francês, que podia ter sido um Top 3 fácil e vencido um Slam, se tivesse se dedicado mais à carreira. Ainda assim, torço para ele e espero que dê uma boa surra no australiano na terceira rodada.

    Responder
  39. Nando

    Eu só vi até o 2×1 em sets no jogo do Shapovalov (caí no sono kkkkk), mas o moleque ter um grande futuro. Melhorou em relação ao ano passado, q tbm já tinha sido bom…dá gosto de ver jogar.
    E qnt a Dimitrov, foi por pouco mesmo (esse sim eu vi o jogo td), só jogou bem no 2° set…esse americano (Nishikori dos States, segundo o Robson kkkkk) jogou mto bem (só pecou no último game do jogo), tem belos golpes, voleia bem (mas fez escolha errada em um dos decisivos)…nunca tinha ouvido falar dele.
    Já tinha visto esse cara, Dalcim?

    Responder
  40. VALDIR BITTENCOURT JUNIOR

    Dalcim, tenho que discordar de uma coisa. Não achei nada sensacional o que fizeram com a Sabalenka. Na verdade foi uma falta de respeito incrível Inclusive, o locutor da quadra começou tudo quando tirou sarro dela com o microfone aberto na quadra, no intervalo entre os sets. Total desrespeito com a atleta. A própria Barty estava incomodada com a situação.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O sensacional não foi para concordar com o público, Valdir. Foi uma ironia. Mas de qualquer forma acho que a WTA precisa tomar atitude contra essa situação, que está cada vez pior. Aliás, já se estende ao masculino também.

      Responder
      1. Cynthia - Araçoiaba

        A Sharapova voltou muito pior!!! EU acho q nào conseguiria jogar contra ela. Assistindo, ela me irrita, imagino q jogando iria querer matá-la!!! rsrs
        E alguns homens tbem, até o Nadal acho q está gemendo bem mais alto!!!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          A ideia é que ao soltar o ar você consegue gerar mais energia, mas vejo também muito o fator de intimidação do adversário, principalmente quando o grito se prolonga além do contato com a bola. E veja que isso acontece com muita frequência, entre homens e mulheres.

          Responder
          1. Cynthia - Araçoiaba

            Dalcim, VC viu no jogo da Carolina Garcia q ela perdeu um ponto porq gritou um Bamos durante o ponto? Ela provavelmente achou q a outra não chegaria Na bola e comemorou, porem a menina chegou. O juiz Na hora interrompeu a jogada dando o ponto à menina. Foi a primeira vez q VI isso. Nessa hora me lembrei dos gritos. Meio contraditório, não acha? As vezes parece q as adversárias SE incomodam muito!

          2. José Nilton Dalcim

            Isso está na regra. Ao gritar para comemorar o ponto antes da hora, a Garcia atrapalhou a adversária e por isso perde o ponto.

          3. JANAINA DIAS

            Eu pensei que cansasse mais..acho muito difícil fazer esforço físico e gritar ao mesmo tempo .mas eles tem um alto preparo fisico; e concordo com você que a intenção real por trás disso é intimidar o adversário..

    2. Chileno

      Cara… acho feio sim o público tirar sarro dela, mas confesso que achei é bom. Acho que a mulherada precisa parar com essa gritaria horrorosa. Ninguém precisa gritar pra bater na bola. É feio, desagradável, improdutivo. Talvez esse episódio desestimule as barulhentas. No masculino também ocorre esse problema, porém geralmente em menor intensidade.

      Responder
    3. O JR7

      Toda forma de ofensa deve ser repudiada com certeza, Valdir. Mas o outro lado da moeda é que talvez o público se sinta igualmente incomodado (ofendido) em ouvir aqueles gritos, urros, berros, grunidos, entre outros. Sou da turma que acredita que o tenista pode e deveria se apresentar sem os tais “barulhos”. Se a maioria consegue por que alguns não?
      O espetáculo fica mais agradável com mais silêncio. Tem o momento de gritar, comemorar um ponto. Ou na frustração de uma bola equivocada. Faz parte, ok, não estamos no xadrez. Mas uma partida inteira com gritaria é cruel de ver.

      E aí entra a questão cômica da coisa: que “moral” tem um(a) tenista de pedir silêncio no referido contexto?

      Responder

Deixe uma resposta para Rodrigues Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *