Bem vindos
Por José Nilton Dalcim
16 de janeiro de 2018 às 10:05

Jogadores de excepcional qualidade e multicampeões de Grand Slam, Novak Djokovic e Stan Wawrinka enfim voltaram a competir. E a vencer. Sem sustos. O que deixa perspectiva animadora para esse concorrido lado inferior da chave do Australian Open, que viu também as estreias de Roger Federer, Alexander Zverev, David Goffin e Juan Martin del Potro.

Afastado desde Wimbledon, o hexacampeão do Australian Open fez o que quis contra Donald Young, campeão juvenil do torneio que raramente justificou as apostas na sua carreira. Djokovic, no entanto, não precisava dar show mas apenas pegar ritmo e confiança. Foi exatamente o que tentou fazer. Terá idêntica oportunidade na segunda rodada diante do megafreguês Gael Monfils e muito provavelmente diante do canhoto Albert Ramos.

Mais surpreendente foi o retorno de Stan Wawrinka. Para quem colocou dúvidas na sua participação até o último minuto, o vencedor de 2014 mostrou um tênis sólido, ainda que Ricardas Berankis não seja lá um adversário tão perigoso. Gostoso ver Stan empenhado, sem preguiça e usando saque-voleio. Chegou a estar atrás 0/4 no quarto set e se animou em buscar o placar. Encara o pouco gabaritado Tennys Sandgren e pode reencontrar o canhoto Fernando Verdasco.

Mesmo tentando se livrar do favoritismo, Roger Federer foi à quadra para iniciar a defesa do título e fez um grande primeiro set. Depois, relaxou e tentou coisas mais ousadas diante de Aljaz Bedene. Ficou bem claro que o saque está afiado e que tentará ser mais agressivo nas devoluções. Raramente saiu de cima da linha. Pega agora o 55º do mundo Jan-Lennard Struff antes de eventual reencontro com Richard Gasquet. Como se esperava, Milos Raonic não se achou e já está fora do seu caminho.

Com a intenção de ser a novidade, Zverev e Goffin tiveram dificuldades parecidas. Me agradou mais a reação do belga, que perdeu o primeiro set mas manteve a frieza. Sacou cada vez melhor e pegou bolas na subida. Ambos enfrentam adversários bem agressivos na segunda rodada. Dominic Thiem não levou sustos e Juan Martin del Potro fechou o dia com exibição firme.

O feminino teve a queda de duas das 16 cabeças em quadras, com destaque para a saída de Petra Kvitova, mas o destaque veio no susto dado pela torção de tornozelo de Simona Halep, que ainda assim venceu em dois sets. A número 1 fará exames para saber se conseguirá seguir no torneio. Que pena. Ótimas atuações de Garbiñe Muguruza, Angelique Kerber e Maria Sharapova.

E Bia Haddad conseguiu controlar os nervos e fazer história. Não jogou seu melhor, fez um começo sofrível de partida mas por fim justificou sua ampla superioridade sobre a australiana Lizette Cabrera como já havia feito em Hobart.

Primeira brasileira a avançar uma rodada em Melbourne desde o vice-campeonato de Maria Esther Bueno em 1965 – claro que poucas se aventuraram por lá nesse longo período, ainda mais quando era grama -, Bia tem pela frente a experiente Karolina Pliskova, tenista que bate pesado mas se mexe mal. Quem sabe, venha um daqueles dias em que número 6 do mundo não esteja a fim de jogar.


Comentários
  1. Mário Fagundes

    As vitórias de Wozniacki e Tsonga mostram o quanto experiência é importante e ajuda a vencer partidas praticamente perdidas. Derrotas duríssimas para Shapovalov e Fett, porém um grande aprendizado para ambos. O jovem canadense tem um jogo apreciável, vibrante. Vai dar muito trabalho nesta temporada.
    Vi SOMENTE o primeiro set de Nadal e Mayer, em que o espanhol recebeu o saque lá na sombra da quadra. rsrsrs Partida sem graça é assim, não me convence a perder o sono. rsrsrs. E continuo achando que o espanhol (joelhinho de vidro) não passa das oitavas.
    E Kyrgios está jogando como “gente grande”. Que bom! Espero que mantenha o comprometimento durante todo o torneio.

    Responder
  2. Sandra

    Dalcim, você acha que alguém consegue ganhar do Kyrgios?. Nunca vi , tudo da certo para ele, não sei como alguém tão arrogante as coisa dão tão certo para ele

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Claro que sim. Ele vai pegar Tsonga, talvez Dimitrov… Qualquer um pode ganhar dele, Sandra. E que ótimo que ele esteja jogando bem e sério. Isso pode garantir grandes jogos.

      Responder
  3. Luiz Fernando

    Assisti o ultimo set do jg do Nadal, que pra variar desperdiçou vários breaks, serviu p fechar e falhou mas no tiebreak controlou bem as coisas. Jogo bem mais exigente, servindo acima de tudo pra dar ritmo ao espanhol algo q ele necessita. Caminho aberto p a segunda semana, pois não acredito q esse bósnio vá trazer mais problemas do q o argentino hj, pois esse gringo frente ao Rafa sempre parece um leão e quando enfrenta os demais tops comporta-se como um gatinho domesticado.

    Responder
  4. Marcos RJ

    Boa a partida entre Tsonga x Shapovalov apesar dos altos e baixos. Que contraste entre experiência x petulância, potência x velocidade, destro e canhoto, com jogadas espetaculares dos dois lados. Tsonga vinha já vinha se poupando e tirou o pé no 3o set e depois escapou por pouco no 4o com seu saque poderoso. O canadense voava pela quadra toda como se cada ponto fosse o último, até que sacou para o jogo e as pernas ficaram pesadas. Na hora H a experiência falou mais alto. Muito legal ver o francês fazer a sua merecida dança da vitória mais uma vez. El Shapo tem um futuro brilhante mas ainda tem muito que aprender com os velhinhos. Também foi bacana o abraço de reconhecimento na rede, como quem agradece o adversário pela lição.

    Responder
  5. Sérgio Ribeiro

    Léo Mayer atrapalhando o Espanhol num SLAM ? Eu não li isso. Destro e com Back de uma mão, somente os Suíços, Dimi e um Thiem pra la’ de inspirado. O resto passa a régua e fecha a conta. Com direito a 1000 bolinhas ” la’ mesmo ” rsrsrs.Abs!

    Responder
  6. Sérgio Ribeiro

    Novak para Federer : ” Você viu que o Espanhol voltou ” sem mangas” e com a sua cor predileta ( pink) , pra te lembrar a época das 15 entubadas que te deu no Barro ” ? Federer : ” E daí você tomou as mesmas 15 ” . Novak : ” Tá bom. Desta vez em vez de mandar o Gordinho ou o Baby nos atrapalhar, quem tiver melhor de nós deixa o outro passar na Semi e acabamos com a marra dele “. Federer: ” Fechado. Mas antes cura esta dor de cotovelo se não você não chega kkkkkkkkkkk ” . Abs!

    Responder
  7. Miguel BsB

    Não vou comentar os jogos do masculino por enquanto, pq foi isso msm, os cachorroes, msm com dúvidas e voltas, fizeram bem sua parte.
    Vou focar em 3 jogos do feminino os quais vi os highlights, o da muguruza, o da wosniacki e Stousur X Puig. E o que me chamou a atenção em todos eles foi: como o tênis profissional feminino não tem variação, é incrível! A única que ainda, de vez em quando, sabe e utiliza um slice é a Stousur… É direita e esquerda batida pra lá e pra cá, normalmente ganhando quem bate mais forte. E os vôleios então? Que lástima! Nenhuma sabe volear… Nos raros momentos que chegam à rede, são erros bisonhos nesse fundamento…
    Que falta faz a Henin! pra mim, a última grande tenista completa e com jg de variações e plástica. Concorda Dalcim?

    Responder
    1. Sérgio Ribeiro

      A ÚNICA com variações e’ um pouco demais , parceiro. Em seus 14 encontros com a Rainha venceu 6 . E levou pra casa 3 Pneus. O Back de uma mão tem uma plástica muito maior, principalmente para uma jogadora de sua categoria com Slices a subidas a rede constantes. Mas Serena no auge também tinha muitos predicados , a meu ver. Abs!

      Responder
    2. Paulo F.

      Acompanho o tênis melhor desde 1999 aproximadamente e ela é/foi a que mais me agradava ver jogar! Que tênis líndissimo que jogava! Que força ela tinha para o seu tamanho. Uma pena que os deuses do tênis não lhe deram Wimbledon…

      Responder
  8. Paulo Rossi

    Jogadores que usam uniformes ridículos( eu mesmo nem ligo pra isso) geralmente são pq tem contratos com patrocinadores e são obrigados a usar.Abs!

    Responder
  9. José Eduardo Pessanha

    Dalcim,

    Que bom ver o Verdasco jogar uma partida 100% concentrado. Destroçou o pobre Bautista Agut. Taí um cara que desperdiçou o talento durante a sua longa carreira: Fernando Verdasco.
    Abs

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Verdade, Pessanha…

      Eu também sou um que curte o tênis do Verdasco.

      Os golpes da base dele, principalmente quando pega a bola na subida, e na veia, são um PETARDO!

      Aliás, me lembro que há pouco tempo, coisa de 1 ano, ele esteve bem pertinho de vencer ou Djokovic ou o Nadal, e acabou levando a virada.

      Responder
  10. Sandra

    Com com essa pequena vitória do Dkokovic, ele tem chances de subir no ranking? Não estou nem contando com a vitória dele contra , o Monfils. Espero que não , mas se o Monfis, baixar o santo do Del Potro, como foi nas olimpíadas rssss

    Responder
  11. Marcelo Calmon

    Por conta do horário não deu pra ver tanta coisa. Torci muito pro Verdasco fazer 3 x 0 logo para poder ver o jogo da Bia. Mas realmente foi uma atuação bem fraca da Bia, tomara que tenha sido só o nervosismo da estreia.
    Da sua análise só discordo da Muguruza, jogo horroroso, a adversária muito fraca e ela se complicava toda.
    Gostei da paraguaia, quase leva o 2º set pro TB. E vamos torcer para a Pliskova estar bem desanimada (pois desanimada ela parece estar sempre, num estilo bellucciano) contra a Bia.
    Bom jogo do Verdasco, acredito que seja o mais perigoso jogador fora dos cabeças !!!
    Também fiquei impressionado com o péssimo nível da adversária da Sharapova !!!
    E o Sela sacou para fechar fácil e levou a virada. Não vi a tão calorosa discussão que ele teve com o Harrison, um digno representante da sofrível fase do tênis americano. Sei que são inúmeros tenistas bem rankeados, mas bom mesmo só a mamãe Serena !!
    E a Rad continua com sorte nos chaveamentos, outro jogo sofrível contra a irmã bem menos talentosa da Pliskova.
    E o mico do dia vai pro Sonego, apesar de ter ganho fácil do Haase. Fez 6 x 1 no TB do 3º set e teve que jogar o 4ªº.

    Vão passar na TV os jogos das duplas brasileiras que estreiam hoje ? Aliás acabei de ver que a Bia também está nas duplas !!!
    abs

    Responder
    1. Marcos Castillo

      Calmon, não concordo de maneira alguma que o mico do dia tenha sido do Sonego. Claro que perder 5 MP seguidos é dureza, mas encontrar forças depois disso, voltar para o jogo e conseguir vencer é dificílimo, ainda mais para um jogador vindo do qualy. Além disso, o cara é 219° do mundo e venceu o experiente 43°! Bato palmas pra ele!

      Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O lado bom dos FAKES (se é que existe algum) é que eles desaparecem tão inesperadamente quanto proliferam…

      Kkkkk

      PS> E a propósito, a vigésima coroa vem aí hein…

      Responder
  12. José Eduardo Pessanha

    Mestre,

    Bizarro esse desempenho da Sloane e da Mladenovic nesses últimos meses….rsrs interessante é que as jogadoras antigas tinham um mental bem mais forte do que as atuais. Isso permaneceu em algumas veteranas que ainda continuam em atividade, como a Serena, a Venus, a Sharapova e a Schiavone.

    Abs.

    Responder
    1. JANAINA DIAS

      Vi o jogo da SLOANE e achei que ela teve um ataque de SÍNDROME DE KYRGIOS: um misto de excesso de confiança com tédio e falta de interesse em jogar..

      Responder
  13. Sérgio Ribeiro

    Esta primeira rodada ao menos serviu para esclarecer boa parte do Post ” Muitas Dúvidas “. O acerto na preparação do Suíço e’ nítida. Se deu ao luxo de ” treinar ” já dentro do SLAM. Bem longe do extenuado Tenista do USOPEN 2017. Novak e Rafa Nadal fizeram bem em largar as exibições $ e pular os ATPs 250. Podem crescer muito nas próximas rodadas. E até o Gordinho STAN , me fez calar. Sair de 0 x 4 , com direito a subidas a rede. Algo não muito comum com joelhos estourados. Ou seja, pelo visto a Garotada e’ que vai ter que tentar tirar coelhos da cartola outra vez rs Abs!

    Responder
  14. Chileno

    Nenhum dos grandes pegou adversários verdadeiramente ameaçadores, porém todos jogaram muito bem. Fica difícil imaginar qualquer um deles caindo antes das quartas.

    Senti o Federer bem leve e rápido. O backhand não me pareceu tão afiado quanto no ano passado. Ao menos não ainda. Nos próximos jogos veremos se pega ritmo. O saque continua lá, e a movimentação me pareceu boa. Os voleios estão excelentes!

    Djokovic me pareceu extremamente sólido. Rápido, consistente e fulminante nos contra-ataques massacrou o Young, que não era grande ameaça. Ainda assim, excelente jogo do sérvio. Acho que vai dar trabalho.

    Responder
  15. Chetnik

    Bom jogo do Djoko. Firme da base. Foi uma boa volta. Mas esse primeiro saque tá uma porcaria – o segundo tá rendendo mais. Por outro lado, como que um jogador profissional pode fazer um primeiro set como aquele do Donald Young. PQP.

    Sharapova é muito irregular, inconstante…assim fica difícil. Mas fico na torcida.

    Jogo do Federer, como sempre, uma sonolência. Foi difícil não dormir no terceiro set, com aquele serve botting incessante. Zzzzzz…

    Esse Bedene até fez um bom jogo – apesar do domínio do Federer. Eu não acho ele um mau jogador. É um daqueles jogadores aos quais falta alguma coisa, não sei bem precisar o que.

    PS: Que vergonha alheia aquela entrevista pós jogo. Até o Federer pareceu um pouco constrangido com aquele festival de besteira…

    Responder
    1. Chetnik

      Melhor do jogo do Djokovic foi a compostura, foco e serenidade, sem aqueles rompantes, ataques de raiva. Passou uma boa impressão. Tem que se manter com essa concentração.

      Responder
      1. Sérgio Ribeiro

        Como e’ que é, Caro Chatonik ? Dorme no jogo do Federer e assiste a longa entrevista ? Passa o ano todo dizendo que não tem tempo de assistir nada ( exceto a Whats) , e num SLAM dorme na hora do imponderavel? kkkkkkkkkkkkk Abs!

        Responder
    2. Fernando Filho

      O Djokovic é mais alto que o Federer. Se não tem a mesma competência para sacar do suíço, azar dele. Fica lá se matando, correndo pra lá e pra cá, destruindo o próprio corpo. Cada um…

      Responder
  16. Vinicius Xavier

    Também sou um dos que acham a chave do Nadal mais fácil, porém é bom ser cauteloso contra o Leo Mayer. Esse foi um dos poucos que deram algum trabalho pro Nadal no último US OPEN.

    Responder
      1. Marco

        Não me fiz entender, me referia se tinha observado algo novo no efeito/impacto/eficiência do serviço do sérvio.
        Eu não consegui ver diferença, vi apenas a mudança na preparação para poupar mais o ombro e o cotovelo… pelo visto não fez ele elevar o seu nível de saque, o que era a minha dúvida.
        VLW!

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Nos dois jogos que vi dele, achei o saque bem eficiente, Marco. A rigor, a nova preparação não parece ter afetado a potência e, principalmente, a confiança. Mas teremos de ver em momentos mais delicados como a coisa vai se sair. Abs!

          Responder
  17. Renatinho

    Dalcim, o parâmetro que estou usando é o Djo de 2015 . Realmente ele não fez uma partida ruim, mas acho que ( comparada a 2015 obviamente) ainda falta mais consistência e uma bola mais profunda ainda para enfim falarque finalmente Djo está de volta. Na hora de bater na bola o movimento do cotovelo dá para notar que não está 100 por cento ( se colocar para enfrentar um jogador regular , dinâmico que faz a bola ir pesada e profunda para ambos os lados pode talvez se complicar), mas pegou um adversário que estava muito irregular ( ás vezes errando bolas simples para um nível profissional) e que tem um estilo de jogo que agrada o DJo. Então para mim ainda não houve o verdadeiro teste. Para você qual será o primeiro grande teste do Djo neste AO?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Entendo que você esteja vendo o aspecto técnico, mas como admirador de tênis já é excelente rever Djoko (e Stan) em ação. Eles certamente irão progredir jogo a jogo. Teste real me parece o Zverev. Abs

      Responder
  18. Robson

    Primeira rodada de SL pros grandes tenistas serve mais pra treinos de luxo,acho que todos os grandes pegaram adversários limitados e desempenharam bem seus papéis.
    Novak Djokovic esteve muito firme em quadra, exceção ao finalzinho de 2° set e início do 3° onde resolveu dar uma viajada,inclusive foi quebrado quando sacava pra aplicar um pneu,tinha 5 x 0 e saque,mas enfim,muito bem na movimentação,BH, FH, devoluções.Agora,o saque me preocupou, não no tocante a potência, até pq potência no saque nunca foi o forte de Novak,vejo que a mudança no movimento de saque,está atrapalhando a precisão,lógico que com mais treinos,mais jogos,Novak buscará essa precisão,por hora se pegar um tenista de grande devolução, encontrará problemas,ainda bem que Murray tá fora,kkkkk
    .
    Interessante foi ver Novak bem mais magro hj que 1 semana atrás na exibição contra Thiem,deve ter perdido uns 5 kilos em 1 semana.
    Bora Novak,faltam 6…

    Responder
  19. André

    Dalcim,

    assisti os jogos da nesse início de ano e fiquei extremamente decepcionado com a falta de evolução em alguns dos pontos mais fracos do seu jogo, como exemplo o saque (2º saque e % de 1º saque), devolução de saque e principalmente o backhand. Não existe backhand na paralela e isso a torna muito previsível. Percebo que essa dificuldade de variar as direções no backhand é compartilhada com Bellucci e Monteiro também. Claro que é um golpe difícil, mas vejo muitos jogadores que conseguem fazê-lo. Em contrapartida vejo uma Bia mais fina e com uma movimentação superior ao do ano passado. A pergunta seria: tendo parado em OUTUBRO, você não acha muito pouco apenas essas evoluções? Jogo de rede, deixadinha, slice, nada disso existe no arsenal dela ainda. Você considera que tentar a sorte fora do país seria o idela para o estágio de tênis da Bia?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que num piso mais veloz é difícil para ela ter maiores variações. A deixadinha por exemplo é difícil dar. E nem é hábito no feminino, aliás não sei o motivo. O saque sim pode melhorar muito, mas acredito que terá evolução ao longo das partidas.

      Responder
      1. Marcelo

        Se me permite a opinião, mestre, acho que o backhand é uma questão preocupante no jogo da Bia. O saque estava inconstante, mas talvez possamos atribuir ao nervosismo da partida. Mas ela precisa treinar mais as mudanças de direção, principalmente com o backhand.

        Responder
  20. Lomeu Lima

    Chave do suíço ficou mais fácil ainda. E os idólatras praguejando que a chave do Nadal é uma teta. O medo de encarar Djoko é latente. Ano passado Federer venceu pela ausência do sérvio. Agora o sorteio os colocou no mesmo quadrante. Que venham as escusas, será hilário.

    Responder
    1. Paulo Rossi

      Lomeu Lima KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK . Djokovic já deu 3 sacoladas na bailarina suíça em semis no AO. Ele realmente parece forte, até enfrentar Djokovic de novo.

      Os idólatras comemoram até a torcida nas arquibancadas a favor da bailarina, é realmente engraçado. Torcida não ganha jogo, habilidades e mentalidade,isso sim ganha jogo. Quando chegar a hora, os fãs não podem lutar por eles, apenas os dois tenistas. Presenciei isso in loco no USO 2015.Abs!

      Responder
      1. Nando

        Ok Paulo Rossi.
        Agora fale sobre os jogos, sobre os aspectos técnicos…ou vc assume ter uma capacidade limitada pra tal?
        Ou é “só mais um” fake?
        Por favor, brinde-nos com seu conhecimento tenístico, se é q o tem.
        Abs.

        Responder
      2. Daniel

        Essa mensagem mostra um nítido desconforto em relação a muitas qualidades que o Federer tem sobre o Djokovic.

        A expressão “Torcida não ganha jogo” revela algum sentimento de frustração pelo fato do suíço sempre ter a grande parte da torcida nos duelos contra o Djokovic, mesmo o sérvio tentando fazer suas palhaçadas em quadra ou ganhando varias títulos

        E a expressão “bailarina” é pura tentativa de depreciar o jogo mais vistoso e técnico que já existiu, e tb muito eficiente. Quanta dor de cotovelo, doeu até em mim.

        Bem, não posso fazer nada para ajudar vc a superar essa frustração, só um psicólogo. Mas já adianto que a realidade nunca irá mudar: Djokovic será lembrado somente pelos títulos, conquistados com muito suor e correria atrás da bolinha. Já o Federer será lembrado pelo seu jogo, pelos seus lances geniais, pela imensa popularidade que trouxe ao tênis, pela forma respeitosa de tratar boleiros, fãs e imprensa, e pelos títulos, claro rs.

        Passar bem e cuidado para não se envenenar com tantos sentimentos ruins rs.

        Responder
    2. Alexandre

      Se o Djokovic não conseguiu chegar à final, foi por incompetência dele. O Federer não tem nada a ver com a “ausência do sérvio”. E onde vc vê, sente o medo latente, filhote do Cebolinha?

      Responder
  21. Chico

    Bom dia Dalcim

    E o que dizer do tênis do Maestro? Está parecido com o que se viu em Melbourne em 2017? O que você achou do BH do suíço? Já se pode dizer que a velocidade da quadra é a mesma, ou seja, a ideal para o jogo de Federer?
    Obrigado
    Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Federer jogou tranquilo, forçou até demais. Está buscando um jogo bem agressivo. Me parece ter treinado para atacar mais as devoluções dos dois lados.

      Responder
  22. Sônia

    Esses patrocinadores hein, o que não fazem para “agradar” (um dia saberemos) o atual número 1. Vide o sorteio da Kia, agora… Nike, o que é isso?? Que uniformes ridículos, cruz credo.

    Responder
    1. O JR7

      Não sou ligado à moda, acho por vezes preciosismo. Mas concordo com a estimada colega que os modelos propostos nesse AO 2018 não agradam muito os olhos. Mas é claro, uma questão de gosto. O uniforme do maestro, por exemplo, poderia ter a “faixa” em horizontal, acho que ficaria um pouco melhor. Ano passado foi show; aquelas listras imponentes chegavam a intimidar.

      Responder
  23. Nando

    Mestre, vi os jogos do Verdasco contra Bautista (esse não jogou nada), da Bia (sofreu um pouco), do Stan (disparou boas bolas, mas se movimentou pouco, apesar de ter corrido mto num belo ponto do 3° set se não me engano), um pouquinho do jogo do cotonete (vitória tranquila). Só não vi o do Federer, mas vi os highlights agora.
    Falando sobre Stan, dá pra ele chegar ao menos nas oitavas, espero isso.
    E sobre Federer (pelos highlights) a estréia foi parecida com a do ano passado, só q nessa não perdeu sets…na próxima rodada será pra calibrar os golpes e pegar ritmo de novo. A zebra suíça tem boas chances de surpreender de novo né, pq quem é Rei, é Rei.

    Responder
    1. José Eduardo Pessanha

      Nando, acho que você está sendo irônico nesse comentário sobre zebra. rsrs. A não ser que aconteça um imprevisto, somente um Kyrgios em um estado super endemoniado poderia vencer Federer no torneio.
      Abs

      Responder
  24. Marcelo Reis

    Dalcim,

    algum serviço pago para eu ver o AO online!? Porque a minha assinatura de TV da SporTV não pega aqui nos EUA – diz que a região é incompatível. O site do AO não está rodando porque pede o provedor e aqui não tenho. O Tennis TV não passa Slams (pelo menos diz lá). E até os streamers não pegaram até agora. Gostaria de ver esse Slam de qualquer jeito!

    Abraço.

    Responder
  25. Barocos

    Até agora tudo indo muito bem no torneio. Na torcida para que os grandes voltem novamente a se encontrar nas etapas finais das competições.

    Sei que seria injusto, mas alguns jogadores só deveriam envelhecer após “emoldurar” as raquetes, lá pelos 40 e tantos anos.

    Responder
  26. Renato

    Federer fez uma boa apresentação, e diferente de Novak e Nadal, não teve o saque quebrado. Entre os grandes foi o que apresentou o melhor nível de jogo, sem dúvidas!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *