Federer não mudou empunhadura
Por José Nilton Dalcim
21 de março de 2017 às 20:10

O backhand de Roger Federer tem intrigado especialistas e fãs desde que começou a temporada 2017. Aquele que sempre foi o ponto mais frágil no jogo do multicampeão suíço de repente se transformou numa poderosa arma, capaz não apenas de se manter firme nas trocas de bola dispensando o slice, mas principalmente como nova força de ataque, abusando de cruzadas bem anguladas ou paralelas fulminantes.

Federer tem falado pouco sobre isso, limitando-se a dizer que o novo modelo de raquete, com cabeça maior e menor quantidade de cordas, permitiu que o golpe ficasse mais calibrado e potente. Há no entanto discussão constante se o técnico Ivan Ljubicic teria convencido o pupilo a alterar a empunhadura do golpe, que sempre foi o ‘eastern’.

Requesitei então a ajuda de dois grandes especialistas brasileiros para me ajudar na questão e a resposta de ambos foi categórica: Federer não mudou a forma de segurar a raquete para executar o backhand.

Reconhecido estudioso em biomecânica, Ludgero Braga Neto ilustra claramente a questão. Vejam a sequência das imagens e explicações:

1 - fed1

2 - fed2

3 - fed3

4 - fed4

5 - fed5

O que então contribuiu para essa melhoria tão evidente?

Para a técnica Suzana Silva, sem dúvida a nova raquete foi decisiva, mas também um pequeno ajuste no posicionamento do golpe. “Acredito que o swing está mais solto: ele está conseguindo maior aceleração da raquete por dois fatores: 1. usa melhor seu cotovelo, aproximando-o flexionado mais do tronco no final da preparação para depois afastá-lo do corpo durante o impacto. A terminação fica totalmente estendida. 2. utiliza o punho na fase pré e pós impacto. Pequenos ajustes que fazem uma grande diferença”.

Ela ainda destaca o ponto de impacto: “Pegar as bolas cada vez mais na subida, aproveitando a energia cinética da bola, é outra chave da evolução do Roger. Já vimos isso naquela grande final de Cincinnati contra Novak Djokovic, quando ele respondeu vários saques do sérvio bem de dentro da quadra”, enfatiza.


Comentários
  1. Rildo

    Bom dia.

    A meu ver, o novo treinador do Rei, conseguiu colocar na cabeça dele que ele não tem que provar nada para ninguém mais; que ele tem que jogar solto e sem nenhuma responsabilidade ou pressão. Pelas fotos da bela analise feita acima, qualquer leigo ver que não mudou mesmo em nada sua maneira de bater na bolinha.
    A mudança está no ponto que sempre foi a sua fraqueza: a sua cabeça/confiança. Que é a maior arma do tenista em se tratando dos 50 melhores ranqueados ou talvez até mesmo dos 100 primeiros.

    Federer está jogando solto e ele jogando assim é muito difícil de ser batido.

    Se os colegas pegarem videos tipo FEDERER AMAZING BACKHAND, vão observar como a esquerda dele não mudou nada.

    O que realmente mudou foi alguém ter conseguido enfiar na sua cabeça teimosa que ele tem que jogar solto e pronto.

    Se ele entrar numa de sua famosas viagens, vocês vão observar que sua esquerda vai falhar como sempre falhava nos momentos de suas “viagens”.
    Acredito que quando chegar em Wimbledon numa hipotética final com um dos grandes, e ele sentir que pode ser o maior vencedor de todos os tempos da grama sagrada, pode ser que ele tenha alguma pressão, mas até lá, amigo, segura o Leão da Montanha.

    Um abraço

  2. Sônia

    Beleza Lindinho, agora é só manter. Perder para esse “overvalued” argentino irá me deixar muito brava. Baaaaamos! Beijos.

  3. Nando

    Federer teve um bom teste no 1° set contra o menino Tiafoe, depois deslanchou a partir do tie-break…calibrou os golpes e a partir de agora tem q elevar o nível assim como nas fases agudas do AO e de IW, pois provavelmente jogará contra Del Potro ( neste momento está 1 set a 0, e 3×2 pro holandês e sacando o argentino).
    E o Rei só pegando chave dura hein….mas chega lá, quietinho e comendo pelas beiradas, rumo ao título.

  4. José Eduardo Pessanha

    E o superestimado Thiem já voltou pra Áustria. O negócio dele é saibro, mas acho que não terá nenhuma chance de ganhar RG nesse ano (e talvez nos próximos também). RG terá 4 candidatos ao título: Federer, Nadal, Djokovic e Wawrinka. Abs.

    1. Sérgio Ribeiro

      Como e’ bom comentar em cima de resultados. As vezes o amigo me lembra alguns de Futebol. Ou melhor, o Guri.ABS!

    1. José Nilton Dalcim

      Defensivo demais, porém dentro desse conceito ele jogou bem hoje. Mas é frustrante ele ter uma bola no meio da quadra e não ir para o winner. Precisa corrigir isso para voltar a evoluir.

        1. José Nilton Dalcim

          Ele se irritou porque deixou escapar set-points, o último deles devido a um golpe de vento. Em seguida, choveu. Ficou muito irritado.

  5. Rafael Brasiliense

    Dalcim, sem desviar muito da pergunta, quem você considera melhor: o Federer de 2006 ou o Djokovic de 2015?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que são dois estilos muito distintos de jogar e dois circuitos bem diferentes a seu tempo, então acho bem difícil comparar. Talvez Djoko tenha sido mais dominador.

  6. Leonardo Freitas

    Federer está em melhor momento que seus rivais e o principal e que mesmo a idade avançada,os seis meses fora de atividade,o que por si só seria um prejuízo ate voltar a forma e talvez ate afetar a parte mental por derrotas inesperadas,mas e fato que ele veio voando na parte física,nos jogos que vi ele esta chegando nas bolas e com ótima movimentação e principal se defendendo bem e distribuindo o jogo com maestria de sempre.O que também me chamou atenção foi o volume de jogo que ele esta apresentando por agora ele estar aguentando as trocas de esquerda e não cometendo tantos erros não forçados,ele inclui pegar bola na subida acelerando o jogo tanto na troca e quanto na devolução de saque e principalmente com esse aprimoramento em que ate ano passado era seu principal pé aquiles e sem exageros se ele manter esse ritmo de jogo encaixando a esquerda,saque,jogo de rede e a movimentação de perna que ele esta apresentando e possível sim ganhar um outro grand slam esse ano e talvez ate lutar pela primeira colocação do ranking.

  7. Anderson Vieira

    Dalcim , lamentável , jogos de internet no canal de esporte , acho que tem que ter canal de games pra isso.
    O que o SportTV fez hoje com os assinantes foi lamentável , até porque o canal é de esporte , e hoje foi de games . Que coisa deplorável .

    1. Rodrigo S. Cruz

      Cara, a boa.

      Essa tua fixação aí, já tá parecendo caso de paixão recolhida.

      Vira um pouco esse disco…

  8. Rodrigo S. Cruz

    Vem cá…

    Alguém pode me explicar por que que esta DESGRAÇA de SPORTV deixou de transmitir FEDERER/ TIAFOE ou ISNER BELLUCCI para passar programinha sobre videogames?

    Será que esses idiotas fumaram craque?

    1. Pieter

      Exibiram o jogo no canal 228 mas “esqueceram” de liberar aos assinantes…Imbecis!
      Liguei imediatamente! Não adiantou!

      1. Murilo Rodrigues

        Avisaram na 6a feira que transmitiriam no Sportv 4, canal 131 (Sky) e neste sábado acabei me lembrando do aviso e acompanhei alguns jogos.

    2. Rafael Wuthrich

      Terrível. Disponibilizaram o premiere que NÃO funcionava no sportvplay. Vergonhoso.o tratamento do “canal campeão”. Queria saber qual teve a maior audiência, League of Legends ou o Masters 1000. Absurdo. Tomara que a ESPN consiga os direitos de RG.

  9. Marcelo

    Brincadeira o sportv, ao inves de belucci ou federer mostra jogos de computador.
    Tem q mudar o nome para jogostv, porque esporte não é…

  10. Luis

    Dalcim Sportv se superou passando transmissao de jogo videogame acho esse Legends kkkkkk,coloca o garoto Federer como diz o logico kkk,a Espn as vezes e’ melhor que o sportv na transmissao de tenis exemplo da Australia e olha que gosto mais do sportv rs,Dalcim uma duvida com tenistas quebrando raquetes como Djokovic em Indian na frente do juiz rs,Kyrgios e Fognini aprontam muito tambem o juiz pode eliminar um tenista por mal comportamento? Exemplo do Nalbandian e houve o Rublev acho recente rs,Go Federer

    1. José Nilton Dalcim

      Não, a eliminação direta tem sua regra e só acontece em casos bem específicos, como colocar a integridade de alguém em risco.

    1. Luiz Fernando

      Lamentável mesmo, sempre foi um excelente jogador, em especial no saibro, embora faltasse um grande titulo p marcar sua trajetória. Tem perdido tudo e precocemente, perder desse argentino na quadra dura e a imagem da decadência plena.

  11. Miguel BsB

    Aviso aos amigos que estão procurando o Miami Open no Sportv. Tá nos canais premier, no meu, premier 8. Abs

  12. Nando

    Com td respeito a quem gosta, mas o Sportv 3 passar aquele programa de games é foda…aquilo não é esporte, deveria passar em outro canal.
    E os jogos em Miami rolando….kd o tal SporTV 4? Kkkkkk

  13. Lincoln

    A Bia fez uma grande partida contra Vênus, faltou um que a mais nos big points, porém o fato de jogar pela primeira vez em um grande estádio, contra uma adversária do quilate dá Vênus, foi o que decidiu o jogo. Esperamos que ela embale e consiga uma boa sequência de torneios.

  14. Felipe

    Mestre, viu o jogo da Bia?

    Fiquei feliz de ver o desempenho dela! Acho que se ela der um jeito no físico, a carreira pode decolar!!

    Abs

  15. Victor Martins

    Eu tô preocupado aqui, pra saber se o SporTV vai transmitir o jogo do Federer com o Tiafoe agora a tarde. E aqui na minha programação, o Masters 1000 começa só às 19:00. Por que tá passando é o League of legends. Alguém sabe de alguma coisa pelo amor de Deus. Rsrsrsrsrsrs
    Se não transmitir será um absurdo.
    Você sabe de alguma coisa Dalcim?
    Um abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Anunciaram num Sportv4, mas eu não consegui localizar na operadora Net, nem tem nada no ar no site da emissora até agora.

      1. Nando

        To aki na casa da minha noiva ( ela tem tv a cabo da Vivo rsrs), e tbm não achei esse SporTV 4…acho q é conversa fiada, essa canal nem deve existir.
        Agora, passar esse programa q está passando agora no Sportv 3 é sacanagem né?

      2. Felipe

        Dalcim, acabei de achar!!

        Na net está passando no canal 228.
        Mas parece que o sinal só é liberado para quem paga o PPV…

      3. Victor Martins

        Pois eh Dalcim, a minha operadora é a Sky, e também não existe esse canal. Existia o SporTV 4 na época das olimpíadas, e alguns meses depois do término das olimpíadas ficaram reprisando os jogos. Mas depois acabou.
        Enfim, muito estranho isso. Ainda mais um jogo do Rei, que de fato iria ter muita audiência.
        A ESPN não faria isso.
        Vamos aguardar.

        Grato Dalcim!

      4. Marcos Castillo

        Dalcim, na Net só tem anunciado o Masters 1000 no canal 228, que por sinal é pago. Liguei lá e ninguém sabe informar. Também não dá pra comprar o evento avulso. Enquanto isso, o Sportv 3 transmite até as 19h o Campeonato Brasileiro de League of Legends…

          1. Marcos Castillo

            O canal é pago e não garantem a liberação das imagens imediatamente… aparece na tela a informação: acesso negado

          2. Marcos Castillo

            Mistério solucionado, Dalcim: Sportv 4 liberado no canal 228 da net, porém só para quem assina o premiere. Entrei no tweeter do Sportv e eles ainda não se pronunciaram, mas pela conversa da galera é isso mesmo! Valeu pela força, até atualizando o blog com muita velocidade para nos transmitir as informações de quem já havia conseguido. Abs

    2. Marcão

      Canal 228 da NET. Acabei de ver uma parte da surra que Ferrer levou do pequenino Schwartzman e agora estão mostrando o barbadiano King, de tênis novos, dando um calor no Homem Aranha.

    3. Ângela

      Caros Dalcim e Victor,
      Na Sky, o Sportv4 está no canal 131 (não sei se é sempre nesse canal). No momento, está exibindo Goffin e King.

    4. Fernando Pauli

      Victor se você não quiser passar raiva, assine o tênis tv, eu fiz um teste com a assinatura mensal 15 dólares. Nesse momento estou vendo os jogos que eu quero, pois eles disponibilizam todos os jogos masculinos da atp. Vc pode ver no cel no pc ou na smart tv. A assinatura anual e 100 dólares, 27 reais ao mês. Agora vou dar uma olhado no jogo do Bellucci. Assim que acabar o mês vou assinar a aual. Tem também os streams: Live score Hunter ou live streams, mas tem que ter paciência e um bom anti vírus.

    5. Fernando Brack

      Putz! Campeonato Brasileiro de League of Legends. Falem sério, onde nós estamos?
      Ah, sim, no Brasil. Só podia ser mesmo. Porque não vai esta porcaria pro SporTV4?

  16. Luiz Fernando

    Nadal fez um jogo burocrático contra esse rapaz q não tem armas p incomoda-lo. Se estivesse bem teria vencido bem mais fácil. Muitos dos ENF do FH foram infantis e não em tentativas de ser agressivo. Resta aguardar q suba o nível de agora em diante. Dimitrov perdeu p esse argentino q teoricamente perderia fácil p ele, esse búlgaro gosta de contradizer as pessoas, sempre q achamos q ele vai se manter em alto nível vem um resultado desses.

    1. José Nilton Dalcim

      Ventava demais em Miami durante o jogo, Luiz. Precisamos dar o devido desconto. Aliás, ventou o tempo inteiro, o que atrapalhou muita gente.

  17. Augusto

    Dalcim, concordo com a maioria aqui.. RF é o maior da história, não só pelos números mas pela forma que ganhou (ou perdeu) batalhas épicas nas quadras.. mas pisou feio ma bola ao rir da cara do Wawrinka chorando em IW! Parece que se esqueceu do AO 2009 e da forma que o Nadal o tratou. Que pena!

    1. Mr marco

      caro aquilo foi típico riso de nervosismo, achei q ele tava segurando a emoção naquela hora. Na hora do discurso o federer falou pra o waw q ele sabia o que o federer pensa sobre ele e embargou um pouco a voz. Enfim, minha interpretação

    2. Alexandre Matuchenko

      Sério mesmo? Tá na cara que não foi desrespeito. O Federer riu porque o próprio Wawrinka riu quando foi parabenizar o Federer. Por que raios ele iria achar graça no Wawrinka chorando? Nem se fosse o Djokovic chorando, ele iria rir.

  18. Augusto

    Antes de mais nada quero dizer que sou, assim como a maioria aqui um grande fã e apreciadir de tudo o que O Federer fez e vem fazendo , mas a atitude de rir da cara do Wawrinka chorando foi lamentável. Deveria ter se lembrado do AO 2009 e da forma que o Nadal o tratou na mesma situação. Pra mim perdeu pontos.

  19. Carlos Fernando Torre

    Dalcim, acompanho o site e, principalmente, o blog quase que diariamente. Aliás, é o único que visito sobre tênis. Tem algum site estrangeiro, pode ser em inglês ou em espanhol, que o mestre recomenda? Não tenho dúvidas que no Brasil você é o GOAT na matéria, mas e em nível mundial? Fazendo um paralelo com os torneios, poderíamos classificar este foro de discussão como um ATP 250, 500, 1000 ou Grand Slam? Rsrsrs. Brincadeiras a parte, acho seu trabalho excelente, abraço!!!

  20. Rodrigo S. Cruz

    Parabéns a Beatriz Haddad Maia, que teve vários break-points e que jogou de IGUAL PARA IGUAL com a Venus Williams, uma grande campeã e uma das melhores jogadoras do mundo.

    Que diferença técnica ASSOMBROSA da Bia para Teliana…

    Talvez seja a tenista de maior potencial que já tivemos, desde Maria Esther Bueno.

    1. Pieter

      Também venho dar parabéns à excelente atuação da Bia Haddad no jogo contra a Vênus!
      Jogou muito firme embora a distância entre elas, em termos de ranking e, principalmente, de experiência seja abissal.
      Tanto é que ganhou elogios da adversária , já consagrada, que não é de elogiar ninguém.
      Com mais quilometragem e menos ansiedade nos pontos importantes, coisa que só com o tempo virá, a brasileira terá um bom futuro pela frente.

  21. Sérgio Ribeiro

    A bola de Dimitrov simplesmente não andou.E’ um mistério Rafa Nadal ainda não ter vencido no Saibro Azul de Miami. Tem todo o tempo do mundo pra preparar seus golpes . Agassi (6) e Novak(6), os que mais venceram. Perdeu Final ate’ para Davydenko. Acho que e’ agora ou nunca. O Samurai se disse muito animado rsrsrsAbs!

    1. Maurício Fonseca

      “até pro Davydenko”? Mas o Davydenko sempre deu trabalho para Nadal, terminou a carreita com H2H 6×5 a favor do russo. O backhand de duas mãos do russo era brutal, anulava o gancho.

      1. Rafael Wuthrich

        Davydenko foi o primeiro a sacar qur as paralelas retas de backhand e as mudanças de direção anulavam.o contraataque de Nadal. Djoko tinha mais técnica e mobilidade que o russo para fazer a estratégia efetiva também no saibro, mas Nadal sempre sofria contra o ex-número 3 no sintético.

  22. Nando

    ÊÊÊÊ Dimitrov….qnd achamos q ele vai, ele acaba não indo kkkkkkkkk, foi bem no AO e foi mal em IW e acabou de ser eliminado em Miami na estréia e em 2 sets.

    1. João ando

      Mando.tento torcer muito para o grigor mas ele não é o federer. …e o Baby Federer…uma pena mesmo…o tênis clássico dele não vinha….e o haas ja esta se aposentando tb com 38 anos ….perda irreparavel

  23. João ando

    Desculpe nada a ver com o post. O que aconteceu com o nishioka que estava vencendo o primeiro set e desistiu? E o que houve entre o fognini e o português João Souza ? Quase saíram no braço…

    1. José Nilton Dalcim

      Nishioka torceu o joelho num lance bobo no fundo de quadra. Houve uma discussão ríspida depois do jogo do Fognini, mas ninguém ainda sabe o motivo.

  24. Luis

    Dalcim Raonic em Miami e’ um tenista perigoso pra Federer e Nadal nao acha? rs,o canadense merecia pelo menos um masters 1000 chegou perto algumas vezes e nos slams,torcendo por Federer ganhar mais um masters e seguir no embalo rs,nao tava dando pra acessar o blog legal que voltou ,Go Federer e que venha 19 slam em 2017 rs

  25. Maurício Fonseca

    Está virando uma piada (de mal gosto) o Dolgopolov abandonando uma partida após a outra. Outro abandono agora em Miami. Sim, ele tem o direito de se machucar e preservar antes que piore. Mas do jeito que está ele está começando as partidas sabendo que não vai terminar.

  26. André

    Dalcim, esses dados pre jogo da ATP não são fidedignos, né!? Jack sock teria 6 cm a mais que Federer e 1 kg a menos!? E nadal com mesmo peso de Federer?! Os dados nunca são atualizados?? Abs

    1. Pieter

      Não só não são atualizados como também me parecem nem mesmo serem checados.
      A impressão que dá é que os próprios tenistas declaram o que querem.
      Nunca compreendi, por exemplo, como pode o Federer pesar os mesmos 85 kg do Nadal! Só pode ser piada!!

    2. Maurício Fonseca

      Acho a informação de peso ridícula por si só, uma vez que muda toda hora. Tinha que ter só altura e pronto.

  27. Luis

    Você tem toda razão Sergio!!! Foi uma preparação perfeita, bem planejada!!. Com certeza foi muito mais importante do que as eventuais circunstâncias favoráveis que citei!!. Vc tem toda razão

  28. Jônatas

    Analisando o desenho com a tabela minha empunhadura concluo: Essa tabela está louca!

    Vamos lá:

    Continental 1-1 (saque/voleio/slice FH e BH)
    Eastern FH 2-2
    Eastern BH 7-7
    Semi-Western 3-3
    Western FH (não uso golpe de baloeiro)

    Domingo eu mostro pro senhor J.N. Dalcim!

    Abs

  29. Luis

    Dalcin vou pedir licença pra responder ao Nando e ao Rodrigo que se manifestaram em relação ao meu comentário. Em primeiro lugar, sou Federista convicto!!. Não estou minimizando a conquista, de maneira nenhuma!!!. Eu, apesar de torcer pelo Federer, tento ser coerente em um fórum de discussão sobre tenis. Nunca aceitei a tese de que Djoko certamente superaria os records do Federer por que enxerga que os títulos do sérvio eram consequências de sua brutal capacidade, aliada a uma série de circunstâncias favoráveis. Toda caminhada rumo a um título de slam conta com essa combinação. O que eu quis ressaltar foi que Federer teve outras chances nos últimos anos e falhou nos seus slam preferidos. E ficou a impressão que o nervosismo contou para a queda de rendimento nas finais. A pressão psicológica sobre ele nesse torneio foi zero. E o desgaste físico foi atenuado por circunstâncias do torneio. É a minha opinião, simplesmente. O blog, na MINHA OPINIÃO, é um espaço pra discutir tenis e eu prefiro não entrar na pilha dos argumentos mais fantásticos de uma torcida ou de outra, apesar de ser torcedor do Federer. Abraços

    1. Sergio Ribeiro

      Faltou apenas o parceiro lembrar o que disse o Suíço : ” Preciso muito descansar o CORPO. Ao menos não fiz a Cirurgia logo apos Wimbledon, dai escapei de fazer duas no mesmo ano ” . Além de não ter queimado etapas , pode sim fazer os ajustes necessários e FUNDAMENTAIS em seu Backhand. Com certeza , com o dedo de Ljubicic. Não tinha nenhum tipo de Pressao ? Preferiu cair para TOP 17, do que defender a Final de Brisbane .. Em vez da possibilidade de uma eliminação precoce, a Copa Hopmam. Jogou Simples e Duplas. Nada e’ por acaso, a meu ver. Saltaram aos olhos de Todos. Del Potro em Miami ” um jogador esta’ dominante quando vence ate’ sem o seu melhor ” . Em se tratando de Roger, não me surpreende ” . Abs!

    2. Rodrigo S. Cruz

      Olha só, Luiz.

      Respeito sim sua opinião, só não posso deixar de ressaltar ouma bobagem que pra mim salta as olhos.

      Afirmar que o Federer venceu o Slam da Austrália com ZERO de pressão, depois de derrotar caras como Nishikori, e seu grande carrasco Nadal, em 5 sets, é RISÍVEL…

  30. Oswaldo E Aranha

    Disse que tiraria umas férias do blog e assim o fiz, entretanto voltando antes do esperado, por ter sentido saudades e motivado pelos seguintes fatos, além da inundação de loas ao Federer, grande tenista mas não tão grande como muitos querem colocá-lo;
    – a criatividade de muitos participantes que armaram tramas sobre esquemas de proteger determinado tenista, que deixaram o autor de Sherlock Holmes no chinelo e o Lógico a ver navios;
    – ao aumento de “corretores” do léxico, tirando a exclusividade do Rodrigo.
    Estava com saudades dos companheiros (nada a ver com PT) do blog e assim voltei antes do esperado.
    Abraços gerais.

    1. Henrique Bardawil

      Por que desmerecer o mestre suíço ? Não tem argumentos para isso . Ele joga demais .O ser humano é assim mesmo , sempre procura algo negativo ou inventa algo que não existe .

  31. Pedro Batista Filho

    Boa noite Mestre. Entrei principalmente para parabenizar pelo blog. Acompanho tênis só há cerca de dois ou três anos, e desde o inicio, me encantei com o jogo de Federer e passei a torcer por ele. Já naquela época, sabendo da idade, me preocupava com a aposentadoria do mesmo. Você acha que existe já no circuito atual, alguém que poderá o substituir em talento e carisma?

    1. José Nilton Dalcim

      Na junção das duas coisas, não. Mas o tênis sempre achou substitutos para seus grandes ídolos e certamente acontecerá novamente.

      1. José Nilton Dalcim

        Pessoal, peço desculpas pelo longo período que o Blog ficou fora do ar. Incrível como o UOL Host demorou para reiniciar o servidor e corrigir a falha, apesar das nossas insistências cobranças.

        1. Rafael Wuthrich

          Bem que eu achei que tinha acontecido alguma coisa. Foram 2 dias de blog fora do ar. Pensei: estão dando dor de cabeça ao pobre Guru…

        2. Jônatas

          Eu fiquei MALUCO com a ausência do vosso blog! Só dava erro 500!!
          Se fosse erro Grand Slam, até um Master 1000 vai lá mas 500 não!

          1. Felipe Velasquez

            Dalcim, eu fiquei preocupado quando o seu blog ficou fora do ar. Vou tomar vergonha na cara e dar um jeito de imprimir ou salvar todos os seus artigos. Abraços

        3. Pieter

          Também me frustrei e me irritei por não poder acessar o blog mas imaginei que fosse um problema técnico. O desagradável e preocupante é que isso tem acontecido com uma frequência nada normal.
          Torçamos para que não se repita mais!

        4. Nando

          Mestre, eu liguei 2 vezes hoje pra redação de vcs perguntando do blog kkkkkkkkkkkk, a moça q atendeu foi bem solícita e educada, e ainda me disse: “”Pensou se fosse semana de Grand Slam?”” kkkkkkkkkkkkkk

      2. Bruno Macedo

        Então vc acha que existe alguém que possa substituir o Federer em talento e outro alguem que possa substituir em carisma? (atualmente, ou seja, já em ação) Gostaria de saber quem são, fiquei curioso.

        1. José Nilton Dalcim

          Não, como não haverá um para substituir Nadal ou Djokovic. Mas o público sempre encontrará alguém legal para torcer e se identificar, felizmente.

  32. Luis

    Dalcim acabei secando o britanico Edmond kkkkkk,mas e’ bom rs,no sportv disseram que podia ser sucessor do Murray,tem um tenis parecido mas o Murray tem mais tecnica e vai bem na rede,sobre Federer ser favorito talvez a quadra de Miami nao seja a preferida do suico rs,mas sem os Murray e Djokovic parece caminho aberto pro Federer ? Tem o Del potro possivelmente seria bom teste,mas dando logica rs,Federer enfrentaria Nadal na final parece que so’ se encontram na final,repetindo o duelo em Indian com grande vitoria do Federer

  33. Luis

    Assim como aconteceu com Djoko essa fase espetacular do Federer vai passar. Eu tenho a impressão que a Austrália foi o encadeamento perfeito de muitas circunstâncias que o favoreceram. Duas rodadas iniciais contra jogadores do quali. Aí veio Berdych. Tudo bem, foi uma aula, mas o Berdych anda mal das pernas. A perspectiva era Nishikory, Murray, Wawrinka e Nadal. Jogou cinco seta contra Nishikori e ganhou direito a um treino de luxo contra o Zverev. Mais cinco sets com Wawrinka e 24 horas a mais de descanso que o adversário da final, que se enrolou na semi até mais do que se imaginava. Sem pressão por voltar de contusão e enfrentado seu pior adversário, em Melbourne ( acho que a pressão em Wimbledon e US Open seriam maiores) no exato ano em que as condições do torneio ficaram mais rápidas. E agora ele surfa a merecida onda de quem surpreendeu o mundo inteiro novamente. Jogar em Miami e em dois preparatórios na grama, pra mim são indicativos claros que ele vai jogar muito pouco no saibro. No passado recente, fiquei com a impressão de que ele jogou abaixo do que poderia nas finais de Wimbledon e US Open. Vejamos se o título na Austrália diminui a ansiedade e ele continua surfando a mesma onda em Wimbledon

    1. Nando

      “”Assim como aconteceu com Djoko essa fase espetacular do Federer vai passar. Eu tenho a impressão que a Austrália foi o encadeamento perfeito de muitas circunstâncias que o favoreceram.””

      Cara, por favor……

      #18
      #ACEITA Q DÓI MENOS
      #QUERO VER O SÉRVIO DEPOIS DOS 30
      #18

      1. João ando

        Nando .Já falei e repito Roger joga até os 45 anos se quiser ficando como top25.guardadas as devidas proporções foi como Jorge Paulo lehman que jogou aqui no rio até os 50 anos e poucos tenistas até mesmos aqueles que vinham dos EUA e não ganhavamdo Jorge Paulo .dois grandes tenistas que o mundo teve e por causa suíços. …salvo engano Jorge Paulo fez parte da equipe da Suíça e do brasil na copa Davis.Acho que foi o único que representou dois países.verdade isso dalcim?

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, ele jogou a Davis pelos dois países, já que tinha cidadania suíça e morou a maior parte da juventude por lá.

    2. Rodrigo S. Cruz

      O que espanta é esta sua relativização dos feitos.

      Pra começar, o caminho percorrido até a final na Austrália, não foi fácil.

      E nem adianta tergiversar, porque a chave exigiu três partidas de 5 sets e vitórias contra alguns Top 10’s, incluindo o seu maior algoz, na final.

      Só que a relativização fica pior ao ignorar por exemplo que diferente do Djokovic, o suíço já tem 35 anos.

      Alguém que já havia dominado o tênis por 302 semanas e passado o bastão _ ressurgir a esta altura, e já caminhar em direção ao topo, é sem paralelo!

      Quanto a dizer que a fase espetacular dele vai passar. Um óbvio ululante.

      Tudo passa.

      Difícil é alguém fazer igual.

      1. Pieter

        Brilhante argumentação!

        Não diria difícil fazer igual mas impossível!

        Pelo menos aos que aí estão em atividade…

      1. Márcio Souza

        Chega a ser hilario observar certos tipo de comentários sobre os feitos do Federer.

        “A fase vai passar…????”
        “Tudo conspirou…???”

        Como o Nando e o Rodrigo disseram, não tem o que tentar explicar ou desmerecer nada o que Craque fez, tem feito ou ainda pode fazer.

        A única certeza que podemos ter é que o suiço é diferenciado, jogando o que ele vem jogando a alguns anos depois dos 30, ganhando torneios ou chegando em finais, se reinventando (criando golpes como o SABR, reciclando o seu BH, enfim) e mesmo assim ainda competitivo, a única explicação lógica é de que se trata de alguém excepcional, e não há uma receita pronta pra se “fabricar” algum outro tenista assim…ele é simplesmente ROGER FEDERER.

        A discussão sobre se ele é de fato o MAIOR E MELHOR pode até aqui existir, mas não podemos negar que estamos diante de um tenista que certamente ficara na história não só pelos seus títulos e recordes, mas principalmente pelo modo como ele joga esse esporte maravilhoso e apaixonante.

        Querer desmerecer ou explicar e ainda tentar dizer que a fase vai acabar (ano que vem ele completa 20 anos no circuito) é de doer os ouvidos uma coisa dessa.

        Vamos aplaudir, vamos assistir porque um tenista como esse, dificilmente veremos um igual tão cedo.

        Menos mimimi e mais aplausos, é isso que o GOAT merece.

  34. Leonardo lima

    Dalcim
    Mudando de assunto , estava vendo ontem o jogo gravado de djoko e kyrgios e duas coisas me chamarama atençao
    1: A incrível facilidade de bater na bola que tem o australiano , a tranquilidade que ele joga um jogo tão importante , parecia que ele estava treinando, sem tensão e medo nenhum ( impressionante) , o primeiro tenista mais jovem que vejo isso.
    2: Em muitos momentos do jogo, o supercampeão Djokovic perdendo a cabeça , conversando com o box dele todo tempo e o cúmulo de quebrar a raquete ( parecia um juveniu ) , sem respeito nenhum com o público e o adversário.

    Com a 2: observaçao , me passou uma coisa na cabeça, o tênis é um esporte especial , diferente , onde prima pela cordialidade, cavalheirismo. Não apenas ao jogador ganhar , ser muiticampeão. Para ganhar o público não basta apenas ganhar.

    Talvez seja por isso que Federer e Nadal sejam tão adorados, e quando ambos se aposentarem vai ser considerado ” o maior clássico da história do tenis ”
    E em contrapartida mesmo com excelentes resultados Djoko e Murray sejam preteridos, e em comparação com o fedal sejam pouco admirados , queridos pelo público e mídia. Acompanho tenis desde 2007 e nunca vi nem Federer e nem Nadal quebrarem uma raquete, eles respeitam o público evitando essa ação deplorável
    O que acha Dalcim das duas observações, peço que de a sua opiniao.
    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Federer quebrou várias raquetes no começo da carreira, era muito intempestivo e foi Peter Lundgren quem conseguiu colocar sua cabeça no lugar. Djokovic é muito mais emotivo em quadra, embora é claro não se deva admitir esses acessos exagerados devido a sua grande popularidade. Quanto ao Kyrgios, a primeira vez que sua ousadia me chamou a atenção foi na segunda rodada de Wimbledon de 2014, quando ele virou jogo de 2 sets a 0 diante de Gasquet e salvou 9 match-points com incrível cabeça fria e lances arriscados. Em seguida, venceria também o Rafa Nadal, jogo que o tornou mais conhecido.

  35. José Eduardo Pessanha

    Dalcim, desculpe desvirtuar o foco desse post. Estou com uma dúvida há muito tempo. A dúvida é a seguinte: Como se determina que um tenista se tornou um profissional?
    Tem um caso que me “saltou os olhos”, que é o do Tsonga em comparação com o Nadal. No site da ATP, é informado que o francês se tornou profissional em 2004. Até aí, tudo bem. Só que o Nadal, segundo a mesma ATP, se tornou profissional em 2001, mesmo sendo 1 ano mais novo do que o Tsonga. Sem dúvida, o Nadal é muito mais precoce do que o Tsonga, e podemos dizer que ele, de fato, não pertence à geração do Djokovic, do Murray e do próprio Tsonga.
    Agora, vem a minha segunda dúvida: por que o Tsonga só entrou no top 100 (pasmém) em 09/07/2007, com 22 anos? Um jogador do seu nível costuma “desabrochar” muito mais cedo. A título de comparação, Nadal entrou nesse grupo em 21/04/2003, com apenas 16 anos. Tsonga ficou muito tempo alternando entre o top 200 e o top 300. Realmente, bastante peculiar esse desempenho. Teria ele tido alguma contusão?
    Um abraço e parabéns por esse post. Bem legal.

    1. José Nilton Dalcim

      A rigor, o tenista se torna profissional quando recebe qualquer premiação por sua participação num torneio oficial da ATP (incluindo futures). Embora nem sempre ganhe pontos no ranking (a derrota na primeira rodada de future não dá pontos). Quanto ao Tsonga, foi exatamente isso. Ele pintou como grande nome ao ganhar o juvenil do US Open de 2003 e despontou rapidamente em 2004. Mas aí sofreu uma incrível série de contusões e até 2006 disputou apenas oito torneios. A lista incluiu hérnia de disco, ombro, costas e abdômen. Abs!

  36. Luis

    Dalcim que Federer jogue de Verde listrado sera’ campeao previsao do ilogico kkkk,a quadra de Miami parece mais lenta de Indian Dalcim ? bom tenista britanico Edmund deve subir no ranking rs

  37. Anti anti-jogo

    Independente do que possam pensar sobre o sérvio xiliquento, ele terá sempre um lugar especial no meu coração, por evitar o que seriam tantos títulos a mais para o ceifador, destruidor, encosto máximo desse esporte, Mr. Robolito Kid.

  38. Arthur

    Dalcim,

    Outra dúvida que me ocorreu agora:
    Não tendo havido a mudança na empunhadura, por que o Federer anda errando tanto as deixadinhas com o backhand?
    Já tinha acontecido isso no jogo com o Nadal e, salvo engano, mais duas vezes na final com o Wawrinka.
    Na verdade, nem me lembro da última deixadinha que ele executou com perfeição. E olha que ele dificilmente errava uma dessas.
    Tem a ver com o fato de ele bater mais a esquerda, em vez de fatiar com o slice?

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, eu vi boas deixadas dele tanto na Austrália como em Indian Wells, mas é verdade que errou várias também. Só posso ‘chutar’: como ele está optando pouco pelo slice, a decisão para o drop shot talvez esteja muito em cima da hora.

  39. bruno

    Dalcim, não sei se é impressão minha,ou até mesmo a posição da Câmera. Estou achando mais rápida a quadra nesse ano.

  40. Rodrigo S. Cruz

    Tô assistindo neste momento Haas x Vesely, e o jogo está 3/3 no terceiro set.

    E a quadra acaba de ser invadida por uma IGUANA imensa!

    Kkkk.

  41. gabi

    Que descontrolado este Benoit Paire! Desde o comeco da partida, jogou a raquete no chao muitas vezes ate que conseguiu quebra-la quando o placar estava 3-1 para ele.

  42. Márcio Souza

    Mestre parabéns pelo post, muito esclarecedor e além de tudo respondeu uma serie de perguntas que tinhamos sobre esse “NOVO BH” do Federer.

    Conversando com os meus amigos e colegas que também jogam (ou brincam) um pouquinho de tênis, 99% afirmavam e até eu que ele havia mudado a empunhadura, para quem esta só acompanhando pela televisão obviamente, tinhamos essa certeza, mas o post como eu falei tirou nos do “achometro” e hoje com dados e argumentos podemos entender melhor a todo esse processo de ajuste que o BH dele apresenta.

    Parabéns mais uma vez Mestre!
    Seu Blog tem se tornado leitura OBRIGATÓRIA pra quem quer estar por dentro de todas as informações e conhecimentos sobre o tênis…as vezes fico alguns dias sem entrar aqui, mas pelo menos uma vez por semana, não tem como não dar uma passadinha aqui e ler o seu post atual e também os comentários, dar um pouco de risada é claro, com alguns absurdos, mas que ja fazem parte do charme do Blog.

    Parabéns mais uma vez Mestre e que em Miami possa vir mais um titulo do Federer, com as desistências de Djokovic e Murray e Nadal no outro lado da chave, podemos considerar o Craque favorito pra chegar pelo menos na final?

    Um abraço pra todos os companheiros Federistas do Blog.

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele é candidato natural, mas a chave está dura. A começar pelo possível duelo com Del Potro já na terceira rodada.

  43. João Sark

    Dalcim, boa tarde. Será que com o avanço da idade do Federer, iremos ver ele cada vez mais agressivo na quadra, visando é claro a diminuição do desgaste físico e considerando também sua habilidade em fazer isso?

  44. Lincoln

    Lendo um artigo no site da ATP sobre o aumento significativo do percentual de bp convertido do suíço neste ano.
    Até o momento ele está com 50,4% de boa convertidos em 2017, para uma média até 2016 de 41,3%.
    Entretanto, agora em IW, ele atingiu 64%, sendo 7/13 em primeiros saques e 7/9 em segundos.
    Sabendo que a galera saca em sua esquerda por segurança em momentos de aperto.
    Taís dados só comprovam ainda mais a influência de seu ‘backhand’ em seus brilhantes resultados.
    Segue o link http://www.atpworldtour.com/en/news/federer-infosys-backhand-march-2017

  45. ATHOS

    Belo texto mestre

    Uma curiosidade Dalcim

    O peso da raquete influenciou a longevidade do Federer ?
    Ele usa a raquete mais pesada dos tops , eu msmo vi diferença quando
    troquei minha raquete para uma mais pesada , senti muito menos o peso da bola dos adversários
    e conseguir gerar mais potencia com menos esforço .

  46. Altaisio Paim

    Dalcim, boa tarde!
    Satisfaça uma curiosidade, por favor!
    No passado, houve algum tenista tão hábil, tão genial, tão magistral, com tantos “golpes” e jogadas, como o Federer?
    Algum tenista “parecido” ou bem próximo da genialidade do suíço?
    Abraço e muito grato!

    1. José Nilton Dalcim

      Não vi, mas Rod Laver, Bill Tilden eram tidos como espetaculares. Da geração moderna, acho que Nastase tinha jm repertório incrível.

  47. Nelson

    Pelo que vi em slow motion, a empunhadura do Federer é menos “agressiva” que a do Wawrinka
    No momento do contato a raquete do Federer fica quase perpendicular ao chão. Ja o Wawrinka inclina mais a raquete com a face mais voltada ao chão do que Federer.
    Assim o Wawrinka tem que fazer um movimento mais de baixo para cima, “carregando a bola”. O Federer pode fazer o movimento mais plano, mas parte do spin é gerado por movimento de pulso (munheca)
    Nem todos conseguem fazer isto.
    A pegada do Federer obriga ele ficar mais de costas para a bola do que o Wawrinka. Ele parece que ta fazendo mais isso, o que permite bater bolas mais altas de forma mais agressiva. Além é claro, da raquete d da confiança.

  48. ERONILSON TELES

    PRA COMENTAR AQUI TEM QUE CHAMAR DE MESTRE E ? MEUS COMENTÁRIOS NUNCA SÃO PUBLICADOS ACHO QUE VOU COMEÇAR A BABA TAMBÉM !

    1. Nando

      Acho q antes de comentar algo, vc tem q desligar o caps lock…e ler bem o q vc escreveu, se está de forma educada e sem bobagens.

    2. Bruno Macedo

      Eu nunca chamei o Dalcim de mestre e mesmo assim todos os meus comentários foram publicados.
      Larga de grosseria!

    3. Arthur

      Poderia começar deixando de escrever em caixa alta e aprendendo um pouquinho de português (“babar”, e não “baba”).

      #FicaaDica

  49. Felipe

    Dalcim,

    Sabe se algum canal de tv vai transmitir o jogo da Bia contra a Venus??

    Olhei no site do tenisbrasil mas nao especifica se o sportv passa o torneio feminino tb (eu acho q nao ne?)

    Sera que ficaremos sem ter a oportunidade de ver esse jogo??

    Abs

  50. Emilio

    Que moral para o Careca!
    Ainda mais considerando que o Edberg, tido como possuidor de um dos melhores backhands da história, não conseguiu influenciar tanto este golpe do Federer quanto o Ljubicic.
    Acredito que uma das explicações é que o jogo evolui. Assim, o back do Edberg, que tanto estrago causava na sua época, talvez hoje não tivesse o mesmo efeito.
    Pensando nisto, divago também sobre o quão relativo é o adjetivo “melhor da história”…

    1. Fernando Filho

      O Federer é, provavelmente, o melhor jogador da história até o momento. Mas dificilmente ele se manterá nessa posição para sempre. O provável é que surjam jogadores cada vez melhores com o passar dos anos, pela evolução do esporte.

      Isso acontece em todos os esportes praticamente. Um grande exemplo é o futebol. Ainda hoje o Pelé é tido como o “melhor da história”, mas o futebol evoluiu tanto que é simplesmente impossível um jogador daquelaépoca ser o melhor que já existiu. Isso se repete na natação, no atletismo, no basquete…

  51. Maurício Fonseca

    Dalcim, sabemos de suas razões para não aceitar (infelizmente para nós) convites para comentar na TV. Mas pergunto; sabes o porquê do Kirmayr nunca mais aparecer?

  52. CLOVIS pESSUTI

    Dalcim, sensacional matéria investigativa. É a matéria do ano. Talvez poderia investigar porque os punhos machucados passaram para cotovelos machucados esse ano….

  53. Fernando

    Bom dia Dalcim.

    Não tem nada a ver com o post,é mais uma curiosidade minha. Você sabe dizer quando foi a última vez que o cabeça de chave N° 1 de um GS ou um M1000 não foi um dos caras do big4? Depois do auge do Federer sempre um deles foi cabeça 1?

    1. Alexandre Matuchenko

      Eu me lembro que em Hamburgo 2006, nem Federer e nem Nadal jogaram por causa daquela longa final em Roma, sendo que os outros dois ainda não estavam na ponta do ranking.

      1. José Nilton Dalcim

        Você tem razão, Alexandre, no entanto não houve tempo hábil para refazer a chave e entraram lucky-losers nas duas extremidades e portanto não houve um cabeça 1 nem 2. O maior cabeça do torneio foi o Ljubicic, cabeça 3, mas ele ficou mesmo no meio da chave.

  54. Marcelo Monteiro

    Dalcim, Suzana e Ludgero
    Obrigado a vocês por nos esclarecerem cientificamente este golpe do Federer.
    Eu ,como “domingueiro profissional” e um reles 3ª Classe, sempre busco uma maneira de melhorar os meus sofríveis golpes. Quem sabe assim, derroto os meus colegas pangarés ? Rsss.
    Parabéns pelo blog e muito sucesso.

        1. Alice

          AH, Jônatas. Eu nem tinha visto, é que eu coloquei esse título pra fazer um comentário abaixo, mas como você pode ver, eu acabei esquecendo de apagar…haha

    1. José Nilton Dalcim

      Deve estar perto do 4 3/8 mas os tops tem isso também personalizado então pode haver pequena variação.

  55. Tom

    É claro que Federer já fez jogadas espetaculares durante a carreira com o backhand, pois tem uma munheca única no circuito, mas esse sempre foi o seu ponto fraco. Roger é um estudo de caso, pois com esse “novo” backhand bem ajustado, vai fazer muito estrago até o fim da carreira, uma vez que executa os outros fundamentos com maestria.

  56. Marcelo Brunelli

    Dalcim, parabéns pelo excelente post.
    Eu digo sem exagero que esse post é uma verdadeira aula de como melhorar o nosso backhand.
    Claro que cada um se adapta melhor a sua maneira, mas esse post esclareceu muitas dúvidas que eu tinha.

  57. Castilho

    Excelente post Dalcim! Parabéns!

    E com relação a longevidade de não contusões no cotovelo e principalmente no punho do Federer? Existe algum segredo? Somente treino para reforçar essas partes do corpo ou também a genética do corpo dele que é privelegiada?

    Abs,

      1. Nando

        Aliás, não sei se tem a ver, mas o q desgasta mais? Um backhand simples ou o de 2 mãos? Qual está mais suscetível a lesões mestre?

          1. José Nilton Dalcim

            Backhand de uma mão é o maior vilão do chamado ‘tennis elbow’, a epicondilite, porque a execução errada do golpe machuca demais o tendão do cotovelo.

  58. Diego Bezerra

    Boas análises do “novo backhand” do Roger!!! Parabéns Dalcim por mais esse texto e nos dá a oportunidade de trocarmos algumas ideias.
    Com essa nova postura em seu backhand, Federer teria alguma condição maior de chegar mais longe nos torneios com pisos bem lentos seja em uma quadra dura e/ou no saibro, Dalcim?

  59. Gabi

    Dalcim, muito obrigada por mais este brilhante post.
    Mudando de assunto…ao jornal “L´équipe” de ontem (21.03.2017), Nadal afirmou que sem o tio ele estaria jogando futebol…

  60. Marcio

    O Federer mesmo com os números de antes de 2012 já era o maior do tênis, e não seria ultrapassado.

    Aí o cara resolve ganhar wimbledon de novo e de novo chegar ao número 1 do ranking. Um absurdo.

    Eis que surge o domínio de outro jogador, e quem está lá para o enfrentar :Ele, sempre Ele.

    E agora pelas beiradas o cara volta de novo mais uma vez a disputar os principais títulos.

    Parece que estamos diante do maior esportista da história, e isso é um privilégio para os amantes do esporte.

    Curtamos.

    1. Alice - A verdade nua e crua! Só pra causar...kkk

      Marcio, desculpa discordar…Eu não acho que ele (Federer) seja o maior esportista da história (masculino), acredito que esteja entre os 10 maiores, pois o maior é difícil apontar nesse momento. Em uma votação, poucos o considerariam o #1, pois temos astros do basquete, futebol, natação, fórmula 1, surfe e até das lutas na concorrência. Fora que eu (minha opinião), nem acho o Federer o maior da história do tênis, talvez ele seja do profissional (Era Aberta).

      Contudo, eu respeito sua opinião. E sei que a nossa opinião é só mais uma. Porém, eu sempre busco basear as minhas em números (até porque sou apaixonada por eles), pois querendo ou não, eles são o resultado final de todo o processo! 😉

        1. Nando

          Sérgio, pelos “números” dela, o melhor da história é o grande Paolo Lorenzi kkkkkkkkk, e logo em seguida Bjorn Paul kkkkkkk.

    2. Marcelo F

      Que exagero! Acho que pode, digo pode, ser um dos dez, mas nunca o maior. Nem sei quem seria esse maior, mas Federer não é maior, nem de longe, que um Michael Phelps, só para ficar num só atleta. Outro seria Bolt. E outros mais.

  61. Julio Sc

    Confiança + Llubicic razão do backhand dele estar assim.

    Com a mudança de raquete ganhou confiança, o que possibitou Federer a pegar na subida. Tendo mais essa arma e não uma fraqueza é o diferencial do federer 2017.

  62. izaac

    Nossa! ficou assustador para os adversários de Federer agora! O Backhand de ponto fraco, agora passou a se uma armar mortal. o jogo de Federer ficou sem buracos, impressionante, assustador e desafiador para rivais.

  63. Chileno

    Poxa vida… que post magnífico! Fiquei até sem palavras! Parabéns Dalcim e à equipe de especialistas que fizeram a análise!

    Eu sou um dos que acreditava que ele tinha mudado a empunhadura. De qualquer forma, é incrível como o golpe mudou e o quanto Federer se tornou perigoso com ele. Mudou completamente o jogo contra o Nadal, por exemplo. Aquela janela que o espanhol explorava incessantemente no confronto com o suíço foi fechada.

    Federer realmente é um mito. Aos 35 anos, com milhões de dólares na conta, um caminhão de troféus na prateleira, o cara ainda consegue se reinventar, incorporar novas táticas, mudar a mecânica de um golpe, etc. O cara merece o lugar que tem no Olimpo do tênis.

  64. Marco Dias

    Nossa, que post sensacional!

    Como leigo sempre tive curiosidade de entender melhor essa questão da empunhadura.

    Obrigado e parabéns, Dalcim!

    É incrível como uma mudança, por menor que seja, pode fazer uma diferença enorme nesse esporte. Tênis é apaixonante por isto também.

    Abs!

  65. Mário Fagundes

    Parabéns, Dalcim, por seu envolvimento com esse esporte maravilhoso. Tomar conhecimento dessas informações é um privilégio para mim. Bem, se os estudos concluem que não houve mudança na empunhadura e, sim, alguns ajustes, por que tanto tempo se levou para fazê-los? De repente, essa melhoria aconteceu naturalmente, pois Federer vem adaptando seu jogo às mudanças e à idade. Porém, a meu ver, o que ele desenvolveu mesmo foi a aplicação tática.

    1. José Nilton Dalcim

      É, essa tem sido uma pergunta frequente, mas obviamente cabe ao Federer responder. A mudança de raquete foi essencial, ninguém duvida. Em recente entrevista, ele afirmou que sua dúvida estava no fato de que o modelo de cabeça menor lhe dava enorme segurança para o forehand, saque e voleio e ele tinha receio de perder isso.

  66. José Coutinho

    Dalcim,

    Todos os elogios à matéria são merecidos.
    Eu como engenheiro e fã de esportes admiro análises e explicações científicas que nos levam a enxergar as razões pelas quais o tênis nos fascina tanto.
    As vezes temos a sensação de que dos gênios (Federer entre eles) a explicação está além da nossa capacidade de entendimento.
    Mas quando o jornalismo e do estudo do tênis se debruçam pra explicar o fenômeno tudo parece ainda mais encantador.
    A quantidade de congratulações desta publicação, reflete o quão bem elaborada ele foi.
    Parabéns à todos os envolvidos.

  67. Renato Veneziano Toniol

    Bela matéria, Dalcim.
    E obviamente, que temos o dedo de Ivan LjubiTITE no novo backhand do mestre.
    E vai uma previsão lógica, que não é do lógico rs:
    Federer ganha Wimbledon, e os antis piram.
    Viva o goat!

  68. Marcelo F

    Dalcim, me permita fugir um pouco do assunto do post. Queria “falar” sobre outra coisa. É que na seção das chaves do site, sempre que vou lá dar uma olhada, tenho curiosidade de ler os comentários. Como aqui no se blog. Acontece que o que se tem escrito por lá é uma mistura de falta de educação, desrespeito, provocação, etc. Infelizmente é algo que não podemos evitar. Mas o conteúdo dos “textos” é de uma baixaria sem tamanho, repleto de palavrões, e até de ameaças entre os “comentaristas”. Parece que não tem moderador por lá. Sei que talvez você não tenha controle sobre isso, mas acho, sinceramente, que deveria, afinal, não fica legal lermos essas coisas num site dessa qualidade e credibilidade. É uma crítica que espero ser construtiva. Abs.

    1. José Nilton Dalcim

      Temos bloqueados todos os internautas que exageram nos comentários, Marcelo. De qualquer forma, o sistema de comentários exige identificação do autor, então eles se tornam responsáveis por aquilo que escrevem.

      1. Vieira777

        Boa noite, o que o colega comenta é verdade, toda vez que vou ver a chave dos torneios tem esses comentários, acho que os bloqueadores estão dormindo por permitir tamanha baixaria, para se comentar lá usa-se o facebook, lá tem até ameaça de morte, fora os palavrões , e os que baixam o nível usam facebook fake, fica a dica Caro Dalcim de o Sr. passar essas informações para seus colegas de site. Grato.

        1. José Nilton Dalcim

          Puxa, eu não identifiquei essas mensagens agressivas nas notas do TenisBrasil que falaram sobre a chave de Miami. Será que eu passei batido?

  69. Marcos Vasconcelos

    Sensacional esse post, parabéns!!!

    Dalcim, você já pensou em criar uma página para o Tênis Brasil nas redes sociais? Acho uma ideia muito interessante. Eu acharia muito legal ver os rostos desse pessoal que comenta por aqui no facebook, por exemplo. Outra vantagem seria ver logo quando você publicasse post novo. Com certeza você já deve ter pensado nessa possibilidade, quais suas razões para não fazê-lo?

    1. José Nilton Dalcim

      O TenisBrasil tem páginas ativas tanto no Face como no Twitter, Marcos, além de um setor para comentários em cada notícia publicada. Mas acho que o Blog cabe melhor para se discutir determinados assuntos. De qualquer forma, todos os canais estão abertos.

  70. alexpicelli

    Santo cielo, accidente direbbe gli italiani, kkkkkkk. Parabéns Dalcim pela postagem, excelente.Great work thanks.

  71. Alice - A verdade nua e crua! Só pra causar...kkk

    No post anterior, alguns se perguntaram: Quem teve o “melhor ano” de um tenista na história, no que se refere ao ranking da ATP?. Falou se em Federer-2006 e Djokovic-2015. Se fôssemos atualizar os pontos do Federer de 2006 para o ranking de 2015, o resultado seria esse:

    Federer-2006 = 15.495 pts.
    Djokovic-2015 = 16.585 pts.

    Ou seja, o #recorde de melhor ano de um tenista profissional na história (pontos no ranking) pertence a Novak Djokovic!

    Só continue lendo se você não for ficar ferido…

    PRONTO, agora já podem dar a prato de vice para o Federer!!! 😛

    1. Carlos Reis

      kkk Como ela é gozadinha… Parabéns ao Djokovic, pelo menos tem um recorde importante, o de melhor temporada da era aberta, quiça da história… O craque suiço não é tão zóiudo, ele deixou alguma coisa para os outros…

      1. Alice

        Não éh, Carlos? Eu sinceramente, espero que ele deixa mais alguns recordes pra outros, sabe ele já tem muitos… 😛

    2. Chileno

      O ano de Djokovic em 2015 foi absurdo mesmo. Mas eu particularmente acho que em termos de jogo mesmo, ele jogou melhor em 2011.

    3. Sergio Ribeiro

      Voce esta’ correta . Ambos venceram 11 Torneios. 3 SLAM para cada. Venceram tambem o FINALS . Federer 92 Vitorias e 5 Derrotas. Novak 82 Vitorias e 6 Derrotas. Novak venceu 1 MASTERS 1000 a mais. Portanto…Abs!

      1. Alice

        Exatamente, Sérgio. A diferença foi esse master 1000 a mais que Djokovic ganhou, só corrigindo…Federer ganhou 12 títulos. 🙂

      2. Alexandre Matuchenko

        Na verdade, o Federer ganhou 12 títulos naquele ano. Lembrando que ele não disputou dois masters (Hamburgo e Paris), enquanto o Djokovic, em 2015, não disputou um (Madrid).

    4. André Barcellos

      Sou fã do Federer.
      Mas admito que 2015 do Djoko foi maior que 2006 do Fedex…
      Ambas as marcas, no entanto, estratosféricas.

      1. Marco Dias

        E o sérvio só não conseguiu o “Grand Slam” graças ao Wawrinka. Naquela final de RG não teve nem desculpinha pela derrota (quer dizer, alguns falam que foi a “ansiedade” – curiosamente ela não afetou em nada na final de 2016 contra o Murray). Djoko jogou absurdamente, mas Stan jogou ainda mais… Motivo de muita frustração para os fãs do sérvio e de alegria para os outros! hehehehe

      1. Alice

        Não tenho dúvidas, Nando. O recorde de semanas como número 1 é na minha opinião o que mais vale, até porque é o resultado final de todo o resto… 🙂

    5. Jônatas

      Complementando:

      Djokovic: 16 torneios/11 títulos/4 vices/ 1 derrota sem ser final
      Federer: 17 torneios/12 títulos/ 4 vices/ 1 derrota sem ser final

      Acho que tem masters a mais para o Djoko por isso a diferença. Se ganhasse do nadal em qualquer torneio que perdeu no saibro para espanhol, ele tinha levado essa também mas fazer o quê não é mesmo? xD

      1. Alice

        Incrível, Jônatas. Chegar a quase todas as finais de torneios que disputou em um ano, deviam estar super-hiper-mega focados… 🙂

  72. carlos

    Ótimo! …: uma “pintura”!
    Só falta agora o Federer revelar a verdade: mudou ligeiramente a empunhadura!
    Que mais?!

  73. Raul Patti Pereira

    Dalcim
    É impressão minha ou devido a velocidade atual do jogo e dos tenistas, diminuiu o número de deixadinhas (dropshot) e quando executadad, aumentou o número de insucessos devido a necessidade dos tenistas de serem ainda mais agudos ?

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, eu até acho que aumentou o número de tenistas que estão usando a deixadinha mais vezes. Djoko, por exemplo, melhorou muito nisso. Mas você está correto. Com a velocidade dos golpes, fica mais difícil executar o golpe, ainda mais que o ideal é dar a deixada quando você está ao menos um passo dentro da quadra.

  74. Rafael Brasiliense

    Parabéns pela análise, Dalcim.

    A propósito, você sabe onde eu posso ver como ficou as chaves do torneio de Miami que começa amanhã? Procurei aqui e não achei em lugar nenhum..

    Obrigado!

  75. André Barcellos

    Eu tinha dito aqui, num post amterior, que ele não havia mudado a empunhadura…
    Quem joga tênis sabe que mudamos a empunhadura para diversas ocasiões diferentes, às vezes dentro de um mesmo ponto.
    Depende se queremos encher a bola de spin, se estamos na defesa, mais perto da rede, na devolução…
    Sinceramente não entendo como achar que Federer usa a mesma empunhadura pra bater todas as bolas de esquerda.
    Se não é isso que estão afirmando, estão ok.
    Pra mim Federer treinou bastante tempo de bola, drills de esquerda com o técnico e principalmente o fator raquete determinou a melhora do golpe.
    Além do treino de devoluções de saque.

    1. Chileno

      Bom… creio eu que ninguém disse ou pensou que o Federer passou a usar a mesma empunhadura em todos os golpes, nem que ele fazia isso. A questão era se ele tinha mudado a empunhadura no golpe fundamental de backhand com top spin, pois agora vemos uma aceleração muito maior nesse golpe. Obviamente ele sempre mudou a empunhadura pra volear, usar slice, etc.

      1. André Barcellos

        Entendo, Mas mesmo no golpe “básico” vc pode fazer pequenos ajustes, não?. Por exemplo, aquelas cruzadas fortíssimas contra o Nadal…Tinha que tirar uma foto daquele momento. Pre mim a impressão é que ali ele usa um pouquinho mais virada pra fora (direita).
        É que eu faço isso pra atacar, às vezes…
        kkkkk
        Vai que Fedex aprende algo comigo …rsrs

  76. Ricardo

    Dalcim, você acha que a evidente
    melhora no backhand pode trazer melhores resultados também no saibro, onde
    há muito mais troca de bolas? De alguma forma aumentam as chances do Federer em RG? Parabens pelo post, muito interessante! Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Na teoria, sim, Ricardo. O saibro não permite definições tão rápidas do ponto e Federer irá precisar de maior regularidade e profundidade nas trocas.

  77. Luis

    Dalcim ficou parecido com Wawrinka mas talvez e’ mais dificil pro Federer por sempre tentar as linhas,Wawrinka abre mais os bracos rs,o que acha? E’ muito legal ver Federer solto rs,Go Federer papa Miami tambem kkkkk

  78. O LÓGICO

    Fico pensando no que o robozinho tá pensando kkkkkkkkkkk, agora que perdeu a única arma que lhe dava vantagem nos confrontos com o “garoto Roger” kkkkkkkkkk Fico imaginando ele e sua staffADA kkkkk equipe reunidos pra analisar a insondável maneira de Roger jogar tênis e forjar um novo “golpe” para derrotá-lo. Digo golpe, porque o balão com spin na esquerda do suíço é antes de tudo um “golpe” – baixo – do que uma técnica para se praticar tênis – porque guarda algum ardil digno de um atleta limitado e covarde na maneira de praticar esse esporte – e que agora se vê perdidinho, tal qual um primitivo sem sua lança de caçar.

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Mário Cesar Rodrigues

      O Cara Federer mudou o que????????????para deixa de ser leigo cara.Ele não mudou nada está jogando até agora bem..oscilando mas está arriscando mais quanto a bola do Rafa ele vai continuar a bater na esquerda do mesmo jeito se ele ganhar bem se não ganhar parem vai.. nossa vamos ver no saibro aguardem!

  79. Lincoln

    CLAP CLAP CLAP CLAP

    Que artigo fantástico!!! Parabéns pela pauta e pelas explicações. Devias fazer mais isto! hehehe.
    Eu apontei aqui no fórum, durante o AO, sobre a postura de entrar mais na bola, pegando na subida e terminando o movimento do golpe de forma mais longa.
    A grande verdade é que ele (Federer), baixou um “patch’ novo chamado “vou entrar e bater”.

  80. Ernesto

    Parabéns pela matéria. Isto posto , como eh difícil para um tenista elevar o nível… mudanças milimétricas… Federer parece muito com Ayrton Senna… perfeccionismo e sempre buscando melhorarias , por isso o sucesso e glórias…

  81. Anderson Castro

    Excelente matéria! Dalcim sempre se superando! Já disse isso em outras oportunidades, mas não custa repetir: melhor blog que conheço! A minha paixão pelo tênis passa muito pelo Tênis Brasil e pelo seu blog. Você escreve de forma didática, sempre trazendo informacões novas, além de ser sempre atencioso e prestativo nos comentários.
    Você não apenas informa, você inspira!

  82. Pedro Almeida Matos de Almeida

    Mestre Dalcin,
    Vc acha que o tênis pode ter agora uma mudança para definições mais rápidas por causa desse estilo novo do Federer?
    E se isso funciona bem contra os maratenistas?

    1. José Nilton Dalcim

      Estudos já mostram que os jogos estão se decidindo em favor dos tenistas que têm melhor aproveitamento nos pontos que não passam de cinco trocas de bola, ou seja, está ficando mesmo agressivo.

      1. Pieter

        Se a Teliana, com todas as suas limitações técnicas e físicas (principalmente), chegou lá, seria absurdo não imaginar que a Bia também conseguisse – desde que esteja saudável.

  83. LBD

    Boa noite, Dalcim.

    1093 e contando… Acho muito difícil, mas será que o Federer alcança o Connors? Ninguém imaginava que ele ia voltar em tão alto nível. E ainda tem a chance de disputar Miami sem Murray e Djokovic que, aliás, não estão jogando o suficiente para dominar o circuito, pelo menos até agora.
    Parabéns pelo excelente trabalho de costume.
    LBD.

    1. Alice

      Se ele resolver jogar por mais três anos (2017-2019), é possível sim! Eu até acredito que Federer jogue a temporada de 2018 e ao encerrar pense em jogar a de 2019 em busca desse recorde… 🙂

      1. Sergio Ribeiro

        Não da’ mais para vencer 19 Torneios em 3 anos, Cara Alice. Novak e Roger em seus respectivos Auges, venceram 11 num ano. A tática de varios ATPs 250 de Connors , tambem não cabe mais atualmente. Tem sempre um Kamikaze ( tipo o Russo de Dubai rs ) , para acabar com a Festa. Quando Jimbo atingiu a marca, todos a consideraram Imbativel . McEnroe ( 77 ) , Sampras ( 64 ) , Agassi ( 60 ) , comprovam a enorme dificuldade. Abs!

        1. Alice

          ÓH, Sérgio. Eu me referia ao número de *vitórias*, pois como disse LBD, Federer tem 1.093. Sendo que o Jimmy Connors conseguiu 1.256 vitórias, ou seja, + 163 (em três anos), Federer alcançaria ele. Mas hein, até em títulos (90 x 109) é possível, eu não duvido e olha que não sou #federista…Basta ele jogar até os 40, como pretende Djokovic (risos)…

          Mas o fato é que ele provavelmente teria que jogar até a próxima olimpíada…

          1. Marcelo

            Federer precisa ir com calma. A marca mais próxima é a de títulos, os 94 de Lendl. Há uma possibilidade de ultrapassar o tcheco ainda esse ano, se mantiver a regularidade. Podemos imaginar cinco títulos. Madri, Halle, Wimbledon, Cincinatti e Basel são opções, por exemplo. Outras possibilidades são o Finals e a gira asiática.

  84. Sônia

    Sensacional post Dalcim, parabéns (ctrl c, ctrl v). Amo esse tipo de análise, muito interessante. Aproveito para perguntar pra voce um nome de um bom livro sobre biomecânica no tênis. Em relação ao post, podem dizer que a raquete ajudou, a técnica foi aprimorada, a empunhadura… mas… Dalcim, é o ROGER FEDERER, simples assim. Tem neguinho que está tentando “mudanças”, tentando ser mais agressivo rsrsrs, mudou raquete, intensificou mais ainda os treinamentos rsrsrs, mudou a dosagem dos suplementos rsrsrs, mas até agora… nadinha rsrsrsrs. Beijos.

    1. Victor Martins

      Com certeza Sônia. Só o King Roger pra conseguir fazer todas essas mudanças, e com êxito. Se reinventar. Muito por conta do seu talento natural, que ele foi lapidando com o tempo.
      O Djoko por exemplo passou 3 anos com o Becker, e não aprendeu a volear, nem dar slice, e nem dar smach.
      Pois eh. Talento puro é pra poucos.

      1. Sônia

        Victor, não duvido nada que o sérvio se retirou para tentar uma “reinvenção” rsrsrsrs. Roger Federer, eterna “fonte de estudos” rsrsrsrsrs. Na boa, jamais serão (1000x). Olha o que restou para a oposição, o tal de H2H e agora, pontuação anual rsrsrsrsrs, hilário “por demais” rsrsrsrsrs. Beijos.

        1. Victor Martins

          Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Verdade Sônia. Até por que, no fim das contas, o que vale, pra eternidade, são o número de slams ganhos, e semanas como número 1. E nesse segundo quesito, o Murray está nos fazendo um grande favor, kkkkkkkkkk.

          #18 (e contando)

        2. Alice

          Eu não acho nada hilário, Sônia. Pois pelo ranking anual conseguimos ver o “quão” dominante um tenista conseguiu ser durante uma temporada, o quão ‘perfeito’, mais perto de 10 conseguiu chegar, sem contar que os confrontos eles marcam a história do tênis, é válido saber se aquele tenista conseguiu ser melhor no embate contra seus principais adversários, poderia servir como um “recibo” de que ele *realmente* era o melhor jogador em sua época. 😉

      2. Klaus

        Pois é, quando a principal arma é a correria e chegar em todas as bolas pra devolver mais uma, fica mais difícil arrumar um plano B ou se “reinventar” quando as pernas começam a envelhecer.

  85. Rodrigo S. Cruz

    Sensacional, esta matéria!

    E eu poderia jurar que o Federer havia mudado a empunhadura.

    Pelo visto, me enganei.

    Mas que realmente os ajustes do “Ljubo” foram fundamentais, disso ninguém duvida…

  86. Marcelo Calmon

    Muito bom o post !!! Isso só exemplifica como os “pequenos” detalhes fazem diferença, ainda mais num nível tão competitivo.
    Acredito que todos os tenistas de ponta recebem dos seus fornecedores raquetes adequadas aos seus estilos. Deve ser uma parafernália para se tomar a decisão da raquete a utilizar.

    Que bom a Bia ter dado a “sorte” da adversária se machucar e possibilitar que ela enfrente a Venus (talvez nem precisasse, pois tinha uma quebra de vantagem, mas ainda no 1º set e isso não é uma grande vantagem no tênis feminino) , o que deve acontecer na quadra principal e com platéia cheia. Experiência para levar para o resto da vida. é para depois contar pros netos. Aliás não sabia que ela está namorando o Thiago. (momento CARAS).

    Gostaria de saber sua opinião sobre as frequentes viradas e geralmente nos momentos decisivos que nossos tenistas sofrem. Sei que é normal viradas em jogos, mas o que aconteceu nessas últimas semanas foi irritante, para quem acompanha e torce para os nossos tenistas.
    Tivemos o Bellucci que sofreu a virada na hora de sacar pro jogo, contra o Klizan que acabou campeão em Irving. Depois o Feijão no quali de Miami 5/4 e 30/0 e permitiu a virada (o Becker acabou se classificando). O Rogerinho já tinha deixado escapar uma vitória certa contra o Hidalgo (4/1 e saque no set decisivo) acho que em Quito ou Santiago. Hoje jogando contra o 900 do ranking tava com uma quebra na frente, mas perdeu o 1ºset. Depois no 2º após ser quebrado teve 0/40 e perdeu 5 pontos seguidos e não devolveu a quebra e no game seguinte foi quebrado de novo, acho que de zero.

    E várias dessas viradas vieram com erros grosseiros e não pelo mérito dos adversários.
    Acho que falta mais atitude, e como já dizia o grande Nelson Rodrigues, parece que temos o complexo de vira lata !!!
    abs

    1. José Nilton Dalcim

      É, não é algo admirável, mas no tênis acontece mesmo com grande frequência. Claro que tem muito de emocional e fica então claro que esse é um aspecto que deveríamos trabalhar mais com nossa garotada.

      1. Luiz Fabriciano

        Acho puramente emocional. A partir do momento que vai sacar para fechar, se desperdiça a primeira oportunidade, mesmo tendo outras, o cara não consegue de livrar daquele pensamento de não ter conseguido naquele momento ao invés de procurar o fechamento na sequência.

  87. Luiz F. Bessa

    Show de artigo, parabéns Dalcim. Disparado o melhor jornalista de tênis do país e tbm que a maioria dos estrangeiros de língua inglesa. Nunca pensou em traduzir seus posts e publica-los em inglês em algum veículo de referência como, por exemplo, a tennis.com? Eu traduzo/reviso se quiser, seria uma honra!

    1. Eduardo Nery

      Concordo plenamente. digo isso a amigos, parceiros de tênis, há um bom tempo. O Dalcim é, de longe, o melhor analista de tênis no Brasil. Parabéns pelo artigo e um grande abraço!

  88. Nery Jr

    Excelente!
    Além de sempre demonstrar amplo conhecimento sobre o mundo do tênis, o autor do post encanta pela forma como escreve: texto sem erros, escrita de forma clara e lógica, uso de parágrafos para organizar a matéria e pontuação exata.

    Se pudéssemos comparar o post com uma partida, imagino que o Dalcim teria levado essa de triciclo!

    Parabéns, e muito obrigado pelo excelente post!

  89. kelvio lourenço

    Mestre Dalcim além de especialista do circuito atp é também um extraordinário especialista em física.voltei aos tempos de cursinho na parte da cinética.parabéns mestre por mais essa aula.

  90. Erick

    Grande Dalcim!

    Sensacional a explicação.

    A quantidade de congratulações aqui nos comentários apenas reconhece sua enorme competência e paixão pelo que faz.

    Obrigado por nos oferecer leituras tão deliciosas.

    Parabéns pelo excelente trabalho!

    Um grande abraço.

  91. Luis

    Mestre vc não acha que houve também uma mudança tática?. A minha impressão é a de que o aluguel no backhand forçava Federer a se deslocar para a esquerda para golpear e voltar pro centro. E ele ” aceitava” esse jogo!. Dessa forma Federer perdia os pontos de 4 formas:
    – seu forehand em parte era anulado por batia sempre na corrida ( Djoko abusou disso em Wimbledon 2015)
    – erro não forçado de backhand
    – quando chegava mal, porque esse deslocamento lateral pode ser difícil, o slice às vezes encurtava permitindo o ataque do adversário
    – na tentativa de anular essa tática do adversário, se precipitava pra atacar e cometia o erro não forçado.
    O que me parece que aconteceu, além da grande melhora na consistência do golpe como vc mencionou, foi que ele incorporou duas posturas táticas pra essa situação:
    – a primeira, bem mais frequente e que vc adiantou no post antes da final do AO, foi uma incrível capacidade de pegar a bola na subida e angular a cruzada, dificultando muito o aluguel do backhand.
    – em alguns momentos ele até utilizou um spin alto no backhand, empurrando o adversário pra trás como se estivesse no saibro. Vc também chamou a atenção pra essa variação antes também. Além disso o cara tem uma grande gama de variações que vão desde o slice até às subidas à rede. Resumindo, seu backhand me parece menos vulnerável porque ele achou um jeito de escapar do aluguel da esquerda. Concorda mestre?

    1. José Nilton Dalcim

      Concordo integralmente, Luís. A melhoria da técnica influenciou diretamente na postura tática.

  92. Nando

    Dalcim, pra vc qual é o backhand de 2 mãos mais bonito plasticamente do circuito? ( não curto esse golpe pois parece tacada de golfe, parece tbm tacada de taco mesmo, daquela brincadeira de rua bem legal q existia nos anos 90 e q a molecada nem sabe o q é kkkkkkk)

      1. Chileno

        Acho bonito quando ele apruma o corpo pra frente, levanta a perna de trás e solta a mão. Um dos jogos em que o vi melhor fazer isso foi na final do US Open 2011 contra o Nadal.

  93. Arthur

    Muito instrutivo o post, Dalcim.
    Eu sei que a distância é grande, mas você não acha que o Federer pode ter se inspirado justamente no Wawrinka pra reformular o seu backhand?
    Posso estar enganado, mas a terminação do golpe de ambos ficou bem parecida depois da mudança implementada pelo Federer.
    O que você acha?

    Um abraço.

      1. Rafael Wuthrich

        Espetacular, meu caro Dalcim. Pensei que era a empunhadura, mas na verdade foi o swing de cotovelo e corpo na hora do golpe. Trabalho evidente de um técnico. E dos bons.

        Especulávamos quando Ljubicic foi contratado, sobre o que ele agregaria à Federer, e a opinião, embora reticente, foi quase unânime que seria no saque ou no backhand, principais golpe de quando ainda era jogador. Especialmente o backhand de uma mão. O croata mudou de novo o jeito de Federer jogar. Impressionante.

      2. Julio Calleja

        Até que faz sentido ele ter se inspirado no Wawrinka, pela questão do Stan ter ganhado do Djoko nas finais Roland Garros e no US Open.. Evidentemente o Ivan trouxe aprimoramento técnico nos treinamentos..

    1. José Eduardo Pessanha

      Eu tô sozinho nessa, sei que ninguém vai me acompanhar. rs Acho o backhand do Federer melhor do que o do Wawrinka, pois ganhou 18 GS sendo bombardeado a todo tempo desse lado. Wawrinka ganhou 3 com o backhand sendo poupado na maior parte do tempo, pois os adversários preferiam atacar o também bom forehand do gordinho (rs).
      A propósito, Federer fez 8 winners de backhand e o Wawrinka fez só 1 na final de domingo passado…. mas no modo “Besta”, o backhand do Wawrinka talvez seja a maior marreta do circuito mundial. Sou fã do Ursinho Carinhoso. Joga demais, pena que não tenha o mesmo desempenho em Masters. Abs.

      1. Marco Dias

        Ambos possuem excelentes BH. Só acho que “ao longo da história” o do Wawrinka se mostrou mais consistente (errando menos nas trocas) e mortal (conseguindo mais winners). Mas nunca achei o BH do Federer fraco. Muito pelo contrário. Na final de IW, Stan quase sempre foi atacado antes, não tendo muitas chances de ir pro winner.

        Quanto a ser atacado daquele lado, lembro que o Nadal na final do AO14 no 1º set encheu o BH do Stan com o ganchão, como sempre fez com Roger, no entanto, Wawrinka devolvia tudo com muito ângulo ou na paralela. Foi um vareio. O espanhol ficou louco.

      2. Arthur

        HAHAHAHA

        Ursinho Carinhoso foi demais, Pessanha, hehehe…
        Eu também sou fã da esquerda do Wawrinka.
        Federer melhorou demais, sem dúvida, mas pra mim o backhand do Stanimal continua sendo o golpe mais bonito e eficiente do circuito.

        Um abraço.

        1. José Eduardo Pessanha

          Arthur, esse apelido foi o Rafael Medeiros quem criou. rs. Realmente é bem engraçado. Wawrinka realmente parece um urso. rs

  94. Wadih

    Eu conheço o Ludgero ha muito tempo, se ele falou ta falado. O cara e muito bom, alem de muito gente boa. Dalcim, não poderia esperar outra coisa desse seu blog, que e fantástico, que nao fosse procurar pelos melhores especialistas. Saudações…

  95. Luis

    Dalcim sugestao vc fazer mais ilustracoes ficou legal rs,parece mesmo Federer mais solto ta funcionando grandes golpes rs,e’ mais dificil dar essa potencia nos golpes com uma mao do que com duas Dalcim? Wawrinka joga parecido,Djokovic e Nadal tentam com duas maos algumas vezes rs

  96. bruno

    É notório que não foi só a raquete.
    Parabéns pelo tema do post ,Dalcim,aliás falar o que ?e de quem com o Federer numa fase dessa.

  97. Marcos Marinho

    Por isso este é o melhor blog escrito em língua portuguesa não apenas sobre tênis, mas sobre esportes no geral.
    Que aula de tênis. Que aula de jornalismo também, Dalcim. Excelente matéria. Um dos melhores posts já feitos no Blog do Tênis.
    Parabéns pelo excelente trabalho!

  98. O JR7

    Dalcim,
    Sei que havia escrito das dificuldades de não haver muito o que escrever sobre o suíço em questão.
    Venho humildemente perdir desculpas apesar de que minhas palavras foram no sentido de que Federer já fez tantas coisas que é difícil ter mais o que acrescentar sabe, porque ele praticamente “dominou” o tênis, seja em números, em torcida, em beleza, sucesso em praticamente tudo.

    Sua matéria simplesmente foi realmente muito demais e me ensinou que com criatividade, com inspiração e transpiração, com dedicação e com carinho àquilo que se faz acima de tudo, sempre teremos assunto para levar aos leitores e admiradores, pessoas que como eu admiro muito seu trabalho.

    Mesmo sem lhe conhecer sei que o sr. ama o que faz, isso fica muito claro em apresentações como essa.

    Parafraseando outro leitor seu: “Jamais duvide de Dalcim”

    Obrigado e um abraço.

  99. Thiago Mazer

    Linda matéria Dalcim! Parabens pela
    Elegância que demonstrou nesse texto para mostrar o que havia proposto…

  100. Eurico Duarte de Assis

    Excelente análise técnica. Não basta dizer que acho isso ou aquilo outro, é necessário demonstrar de forma detida e profissional determinada alegação. Sigo diariamente o blog do tênis há aproximadamente 07 anos e nunca me canso de ler as matérias. Obrigado Dalcim!

  101. Sergio Ribeiro

    Excelente , Caro Dalcim. Nãos mudou a empunhadura , mas um pequeno ajuste no posicionamento do golpe. Ljubicic ganhava a vida com seu Backand . Tanto cruzado como na paralela. Chegou a N 3 com um Forehand a meia boca. A possibilidade de trocarem muitas idéias na longa parada do Suíço , e’ provável . O Croata bateu Federer , poucas vexes e’ verdade, tambem explorando seu Back. A verdade e’ que Roger nem com Edberg , abria o jogo. E sabemos que o Sueco o convenceu a encurtar os Pontos. Abs!

Comentários fechados.