Paris pega fogo
Por José Nilton Dalcim
30 de outubro de 2016 às 14:13

O inesperado aconteceu. Andy Murray, com uma sequência de sete títulos e três finais – e apenas seis derrotas – desde o início da temporada de saibro europeu, em abril, está em condições matemáticas de assumir a liderança do ranking antes mesmo do Finals de Londres. O troféu em Viena neste domingo reduziu a distância até Novak Djokovic para apenas 415 pontos.

Paris portanto pega fogo. Para Murray assumir a ponta, teria de ganhar o torneio e Djoko não ir à final, ou então ser finalista e o sérvio parar nas quartas. Mas, mesmo pensando num cenário negativo, o escocês ainda poderá lutar pela ponta no Finals ainda que Nole ganhe Bercy e ele caia na semi, já que a distância de 1.055 pontos é passível de ser tirada com alguma sorte na arena O2.

Ao se olhar a chave de Paris, Djokovic precisa de cuidado se encarar Gilles Muller na estreia – um jogador que não dá ritmo – e recuperar o poder de devolução se cruzar com Marin Cilic. A semi marcaria reencontro com Stan Wawrinka, mas o suíço desandou de novo. Murray pode ter Fernando Verdasco e Lucas Pouille antes de Tomas Berdych ou Roberto Bautista, com semi diante de Kei Nishikori ou Tsonga. A dúvida no caso do escocês é o quanto esta sequência de vitórias o desgastou.

Grandes finais
Os ATP 500 da semana tiveram finais dignas de Grand Slam. Murray e Jo-Wilfried Tsonga fizeram um jogo eletrizante, repleto de lances espetaculares, subidas à rede, toques sutis, agilidade. O escocês novamente provou estar em incrível momento e adicionou mais um condimento no arsenal, cansando de fugir do backhand para bater forehand, algo outrora impensável.

Não menos interessante foi o duelo entre Cilic e Nishikori na Basileia. Esmagado no set inicial pelo poder de fogo do croata, o agora número 4 do mundo ousou e fez voleios de rara qualidade, que arrancaram aplauso até do adversário. Mas Cilic prevaleceu no tiebreak, com direito a dupla falta de Kei no match-point.

A luta pelas duas vagas restantes no Finals de Londres promete ser empolgante em Paris. Cilic e David Goffin podem fazer um duelo direto nas oitavas e quem ganhar terá possivelmente Djoko em seguida. Berdych teria de brecar Murray nas quartas. Thiem está com um pé em Londres, porém encarar Jack Sock na estreia é perigoso.

Isso tudo, claro, se Rafa Nadal não resolver mudar de ideia. O espanhol se precipitou ao abandonar a temporada com tamanha vantagem – mais um de seus inúmeros erros recentes – e pode garantir o posto sem sequer jogar Basileia e Paris. Só para se ter uma ideia da vantagem, Berdych teria de ser vice e Cilic ir à semi em Paris para superar os 3.300 pontos atuais do espanhol.

Pequena notável
Do alto de seu 1,61m, Dominika Cibulkova foi gigante na decisão do WTA Finals. A eslovaca mandou o tempo todo no duelo diante da número 1 do mundo Angelique Kerber, buscou sempre ganhar cada ponto e a estatística fala por si só: marcou 28 winners, o dobro da adversária, e mesmo arriscando tanto cometeu 14 erros. Um passeio. Aliás, desde a entrada em quadra se viu um Cibulkova sorridente, curtindo o momento, e uma Kerber fechada e séria. Foi o retrato do jogo.

Não dá para admitir que a líder do ranking seja uma jogadora tão defensiva. Kerber novamente mostrou passividade demais, apostando na correria e sua espetacular capacidade de defender, porém isso foi bem pouco diante de um forehand preciso e corajoso de Cibulkova. A eslovaca foi inteligente, preocupando-se em manter o primeiro saque em quadra – 83% de acerto – e assim tomando a iniciativa do ponto.

Este WTA Finals pode ter sido um retrato claro do que será o tênis feminino dos próximos anos, já que não contou com Serena Williams, Vika Azarenka e Maria Sharapova. A perspectiva infelizmente não me pareceu animadora. Ou falta carisma, ou falta competitividade.


Comentários
  1. Hugo

    Dalcim,

    Comprei ingresso pro dia 14,os dois turnos.Nem acredito que vou ver um número 1 jogar e mais o Wawrinka e seu backhand espetacular.Mantenho ainda o sonho de ver o Federer ao vivo numa partida oficial.Abraços.

  2. C. Arthuur

    Amigo.. Q lavada q o Murray deu no Pouiile, o francês vinha jogando bem, e nem viu o cheiro da bolinha, isso ao mostra o quanto o Verdasco jogou bem na quarta feira!

  3. Sônia

    Dalcim, não há como não apostar numa final entre Novak e Andy, os demais são ruins demais. Assisti ao jogo do Andy contra o Pouille. Andy simplesmente anulou o francês, uma pena. Com relação ao Novak, ele está estranho, errático, sem motivação, mas mesmo assim, vencendo seus fracos adversários. Também estranhei a ausência de seus treinadores, apenas amigos motivacionais (??). Curiosinha, acabei descobrindo problemas “fora quadra” (não sabia) e assistindo um vídeo dele sobre “amor e paz”… fiquei sensibilizada. Essa busca dele por paz interior (tadinho), esse lance de “amor e paz”, tudo é muito louvável mas dá pra perceber fortemente que ainda há muita ira em seus olhos. Olhos são janelas da alma, entonces… menos mal pois essa ira o impulsiona (espaaaaarta) e para seus torcedores raivosos, essa ira os alimenta. Ficou muito interessante essa final de Paris Dalcim, muito interessante. De um lado Andy com confiança e do outro, qual será o Novak Djokovic… “amor e paz” ou “sangui nus óio”. Beijos.

    1. Pieter

      Muito bom resultado mesmo! Tomara que ele pegue impulso e vá longe…pena que isso só tenha acontecido no final da temporada.
      Nosso combatido tênis precisa demais de renovação e novas caras…Muito boa sorte a ele!

  4. jeremias

    Stan, vulgo “The Man”, já se estabeleceu como o mais misterioso, enigmático e esquisito jogador de todos os tempos.

  5. Rafa Darvin

    Mestre Dalcim,

    Estou com ingresso comprado para abertura do ATP finals (dia 13), mas na correria acabei comprando a sessão da tarde.
    Você saberia me dizer se o primeiro jogo de simples por regra terá o Novak (líder em termos de classificação para o finals).

    Ps: Estou torcendo por Murray, no meu ver ele merece ao menos ocupar o posto de primeiro colocado por um tempo 😉

    Grande abraço,
    Rafa Darvin

    1. José Nilton Dalcim

      Impossível dizer, Rafa. Só mesmo quando sair o sorteio dos grupos. É certo que a rodada noturna (18h e 20h locais) são de uma dupla e de um cabeça forte (Djoko ou Murray). Abs!

  6. Aurélio Passos

    Caro Lógico, analise essa curiosidade por gentileza:

    Dentre vários nomes divulgados no hackeamento da WADA feito pelos russos, NÃO consta o nome de vários jogadores que tiveram problemas sabidos, alguns graves: Del Potro com os punhos, Murray com cirurgia nas costas, Raonic com quadril, Federer com costas e joelho nesse ano, etc…

    Por que só consta Rafael Nadal pedindo autorização pra usar coisa proibida?

  7. Luiz Fernando

    Nossa, q surpresa, parece q o excepcional, magico e estupendo Wawrinka, maior candidato aos principais títulos do tênis nos anos q se avizinham, surpreendentemente… perdeu de novo…

    1. Rodrigo S. Cruz

      Sim, mas cuidado.

      De repente, muito mais que de repente, vai que dá na telha dele jogar bem.

      Aí ele vence o Finals e deixa vc e o Nadal com cara de quem come terra de gato… kkkk

  8. Marcos RJ

    Jogando bem ou jogando mal, o Verdasco sempre queima o fusível no final. Não fugiu da regra nessa 4a feira e jogou um último game de serviço pavoroso.

  9. Sergio Ribeiro

    O Canhoto Verdasco mais uma vez comprova que não e’ um profissional serio. Disputa milhares de Torneios perdendo para desconhecidos em primeira rodada de maneira, digamos, estranha. Contra Todos do Fab 4, muitas vezes demonstra que poderia ser muito mais que um TOP 46. Ja’ Andy Murray deve estar aliviado. Jogando absurdamente na defensiva ( proibitivo numa Indoor) , venceu jogando mal. Assim nao da’ Andy rsrsrs… Novak e suas devoluções , desconhece os Sacadores principalmente na Indoor. Thiem vai se classificar ( dificilmente Berdych tira Murray nas quartas) sem merecer. Seu Calendario ridículo o fez chegar ao Final da Temporada lembrando um certo Espanhol que disputava milhares de Torneios no Saibro. Mortinho da Silva. STANIMAL também ligou o Mode de Final de Festa. So’ falta perder o TOP 3 para o Samurai em homenagem ao nosso amigo L.F kkkkkkkkkAbs!

  10. José Eduardo Pessanha

    Só o Djokovic e Nadal para perderem finais de GS para o possante Stanislas Wawrinka. Kkk. Circuito fraco demais. Rogério tem a obrigação de voltar a ser número 1 nesse cenário de vacas magérrimas. Kkk. Abs.

    1. Luiz Fernando

      Engraçado, como q o Rogerio sempre foi o maior carregador de bandejas enquanto os dois erguiam os trofeus kkkkkkkkkkkk????????????????????????

        1. Bia

          Hm. Valeu por responder.
          Então vc tb fala João Isner, Gregório Dimitrov, João Del Potro, Domênico Thiem… e, no limite, André Murray??
          São nomes próprios, não faz sentido essa tua tradução para o português.
          Mas, essa é só a minha opinião.

    2. Rafael

      Realmente, né, Pessanha?

      E que dizer do “melhor” tenista de todos os tempos perder a chance de conquistar o tão sonhado 18o. numa semifinal contra o PODEROSO Cilic, (0x14 pro Djoko), que tem apenas 1 Slam?

      Pelo menos o Wawrinka tem 3, né?

      Aquele absssssssssssss, kkkkkk (PS. Lembro até de um LUTO aqui no blog de um colega numa das inúmeras chances que Fed jogou fora de conquistar o 18o.!!!!)

  11. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    Independente do resultado final com vitória apertada do Murray, no game mal jogado pelo adversário:

    MAS COMO JOGA TÊNIS esse Verdasco, não acha?

    Que jogador espetacular: pancada de direita pra todo lado, bons saques, slice…

    Deixou o Murray SEM BÚSSOLA, em vários momentos.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, Verdasco já foi um grande jogador. Fazia muito tempo que não o via jogar assim. Até o backhand forçado, que é de longe seu pior golpe, hoje estava entrando tudo. Perdeu uma chance incrível.

      1. beto

        Impressionante o que o Verdasco jogou ontem, principalmente no segundo set: 24 winners pra cima de ninguém mais que Andy Murray, um dos jogadores que melhor sabe defender! O forehand do Verdasco até fez parecer que a quadra era rápida!!! E tem gente que fala em geração fraca… O que é uma geração forte? 3 Federers, 3 Djokos, 5 Nadais e 4 Murrays na mesma geração? O nível é muito alto, gente. Verdasco, por exemplo, tem “só” 7 títulos. Grande jogo, sem dúvida. Como é bom ver uma partida como essa!

      2. AKC

        Algumas partidas no tênis definem a trajetória de uma carreira. Se o Verdasco tivesse ganho aquela semi contra o Nadal no AO de 2009, creio que sua carreira teria tido outro rumo…

  12. Renato Toniol

    Vendo agora o jogo entre Murray e Verdasco. Estou torcendo muito por Andy, pois ele merece demais assumir a liderança do ranking, porém ele está jogando absurdamente na defensiva.
    Pra cima dele! Go, Andy!

    1. Vítor Barsotti

      Exatamente como jogou o Djokovic contra o Muller. Os serviços do luxemburguês eram interessantes, pois esse era agressivo e buscava o jogo o tempo todo, e ainda contávamos com devoluções espetaculares do sérvio. Agora quando o serviço se invertia, que tédio. Djokovic ontem só estava a fim de passar a bolinha pro outro lado contando com o erro do adversário quando esse arriscava. Infelizmente, algo que tem sido frequente nos jogos de Djoko. Como ele tem dificuldades para propor o jogo. Nesse quesito vejo que Murray está a frente do sérvio, pois consegue jogar um pouco mais ofensivo quando precisa.

      1. Lola

        Mesmo empurrando bolinha, ele fez mais winners q o luxemburguês. E o Murray, mais agressivo, segundo vc, fez menos. Preste atenção nos nrs antes de tecer comentários.

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, acredito que sim. Acabaram de ganhar um ATP 500. Kubot é excelente duplista, voleia demais, muito respeitado no circuito.

  13. EL loco

    Dalcim, é o Kubot ou o Lindstedt que joga tênis de uma maneira extremamente ofensiva? Se for o primeiro, gostei da parceira do Melo rsrsrs

    1. José Nilton Dalcim

      Os dois, mas o Kubot ainda tentou a carreira de simples até 2015. Tanto ele como o sueco são excelentes duplistas, mas eu ainda gosto mais do polonês porque ele tem uma mão incrível para voleios.

  14. evaldo moreira

    Bom dia,
    Dalcim, vou fugir um pouco do assunto aqui a rspeito deste blog, estava vendo o jogo do Karlão (Karlovic) como é chamado, então, vendo o jogo dele, me chama a atenção além do saque, e o slice que usa, me impressiona, embora ele leva muita passada, rsrsrsrsrs, mas sem dúvida é uma figuraça, e pelo seus 37 anos, não demonstra em parar, incrivel como ele joga com muita vontade e displina, embora como disse antes, é teimoso, sobe a rede, mas leva passada, kkk, enfim, parabéns pelo blog, que está expetacular.

    1. José Nilton Dalcim

      Ele tem de subir à rede, Evaldo, porque sua movimentação no fundo de quadra e o backhand são fracos para tentar ficar nas trocas. Ele melhorou muito no jogo de rede com o passar dos anos.

  15. Rodrigo S. Cruz

    Dalcim,

    O que vc achou da expressiva vitória do paulista João Sorgi sobre o dominicano Victor Estrella Burgos (ex-top 50) e que já venceu até mesmo Thomaz Bellucci, em final de ATP?

    Eu não conhecia esse Sorgi.

    Tecnicamente este rapaz tem algum potencial. Como é o jogo dele?

    Abs.

    1. José Nilton Dalcim

      Ele pintou como um juvenil promissor, até fez uma boa transferência para o profissional mas então estagnou e não saia dos futures. Parece que agora mudou de equipe e deu uma boa evoluída. Não o vi jogar recentemente, então não posso avaliar o que mudou. De qualquer forma, foi um ótimo resultado.

  16. Maurício Luís *

    Caríssimo Dalcim, boa noite. Não entendo o porquê de muitos torneios não preencherem todas as vagas da primeira rodada,como acontece com os ‘Slams’. Deixam os cabeças principais entrarem de ‘bye’ já na segunda, enquanto que outros ficam sr degladiando em qualifyings.
    Qual a explicação pra uma coisa escalafabética dessas?
    Aproveito pra fazer uma retificação do meu último Post. No caso de tenista baixinha à la Cibulcova, o sangue, na falta de onde circular, nâo sobe pra cabeça. Vai pros bračos e pernas…

  17. José Eduardo

    Prezado Dalcim,
    O Murray me faz lembrar, na movimentação e no revés, o Miloslav Mecir. Que talento e que revés espetacular tinha esse tenista. Concorda?
    abraços

  18. Oswaldo E Aranha

    Pelos comentários que tenho visto a “brigada anti Djokovich” continua a toda brida. Mas ainda é cedo para se vangloriarem.

  19. Rafael

    Oi, Pessanha:

    Então o BIG 4 teme mais o Cilic do q o Nishikori? Dos outros não sei, mas:

    Djoko x Cilic = 14 x 0 p Djoko, se não me engano. A ZERO.

    Que tipo de medo seria esse?

    Abs

    1. Rodrigo S. Cruz

      Eu não gosto nada desse Cilic.

      Tenista nota ZERO em presença e carisma…

      Mas ele ainda está um poquinho à frente do Nishikori, pois foi campeão de Grand Slam.

      O japinha apesar de ser mais constante em assegurar boas colocações no ranking, ainda não conseguiu este feito. Apesar de ter chegado perto.

      E agora, vejo que o momento disto já passou para ele e vai ficar cada dia mais difícil.

      No entanto, tenho muito mais simpatia por ele, do que por Cilic.

    2. José Eduardo Pessanha

      É, mas olha o que Cilic aprontou para Djokovic em Wimbledon na semifinal. Acho que de 2015. Só perdeu por que amarelou.

  20. Israel

    Djokovic virou Murray e Murray virou Djokovic, a partir do segundo semestre.
    Pena que não veremos a briga direta entre eles pelo número um, a exemplo do que ocorreu em todo o segundo semestre, com o Djoko física e mentalmente bem abaixo de Murray.
    Lamentável pra nós que nos acostumamos com a luta direta pela ponta entre Federer vs Nadal, Federer vs Djoko e Djoko vs Nadal e Federer.
    Mas é vida que segue, porque o Murray vem jogando muito e já faz por merecer o number one. Abraços!

  21. Jeremias

    Acho que Djokovic precisa ter um pouco de cautela nessas viajadas e arroubos meio “new age” que ele aparentemente gosta de dar…

  22. Renato

    Dalcim, evidentemente se Djo perder o número um acho que o recorde de semanas consecutivas como number one do Federer já será decretado como impossível de ser ultrapssado por esta geração ( e teremos que ver o que as novas gerações farão). Como digo, o recorde é de semanas consecutivas, ou seja ,uma semana que fica sem estar no número 1, faz com que comece tudo do zero novamente. Se murray virar número um este ano, adeus possibilidade de ser ultrapassado este recorde. Não sei o que ocorrerá, mas caso acontece isso acho impossível este recorde ser ultrapassado por esta geração.

  23. Luiz

    Dalcim, há algo que não entendo…

    No ranking do site da ATP o Djokovic tem 2900 pontos e o Murray 10985… Como assim 450 pontos? Pode me explicar?

    1. José Nilton Dalcim

      Ranking da temporada, Luiz, que será idêntico ao ranking de entradas na próxima segunda-feira. O ranking de entradas do momento considera a defesa de pontos de Paris e Londres (Djokovic tem 2.300 pontos a defender) e eles serão retirados ao mesmo tempo na segunda-feira, antes de o Finals começar. Dessa forma, na prática, a distância entre os dois neste momento é de 415 pontos. Veja o ranking da temporada em: http://tenisbrasil.uol.com.br/ranking/mcorrida/

  24. Sônia

    Dalcim, os franceses (who???) venceram os sérvios nas duplas em apenas 55 minutos rsrsrs. O mais hilário foi ver a carinha de “humilde” do CEIvC (carismático, espartano, imbatível e “vulgo” completo) sérvio. Parecia a carinha do gatinho de botas, aguardando o momento para mostrar as garrinhas, mas… não deu rsrsrs. O culpado da derrota foi o parceiro dele, “com certeza”, velho demais rsrsrs. Nas simples, “com certeza”, o CEIvC irá mostrar suas garrinhas rsrsrs, irá mostrar que é “o cara” rsrsrs. Divertidíssimo essa final de temporada, divertidíssimo. O legalmente dopado fora, o escocês tentando o número 1, o CEIvC sob pressão, Wawrinka como sempre correndo por fora… Caba não mundão, caba não. “JS” 1000x. No feminino, como havia lhe dito, faltou inteligência para a Kerber. A tenista teve uma baita dificuldade no primeiro jogo contra a baixinha, era só ceder um set para a Keys, apenas isso. Keys é extremamente irregular, só quer bater na bolinha, ou seja, presa fácil numa final, assim como a Kuznetsova. Num torneio onde é permitido que perdedores possam se classificar, ela deveria ter raciocinado melhor ou a equipe dela poderia ter dado um toque, pois recebem boa grana para tal. Dançou Kerber, poderia ter fechado o ano com chave de ouro mas deu bobeira. Fiquei com pena da sua carinha de choro, mas quem vacilou foi voce. Não se pode perder oportunidades como essa. Beijos.

    1. Rafael

      Olá, Sônia

      Só para lembrar:

      Federer terá sua última semana como TOP 10 (TenisBrasil).

      Bjs, rsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs

      1. José Eduardo Pessanha

        Rafael, nessa o Rogério tirou onda. 14 anos no top 10. E, se não fossem as contusões, seriam 17, 18 anos. Para Djokovic conseguir algo parecido, terá que jogar até 2021. Não acredito que ele jogue até lá e, se jogar, não estará no top 10. rs. Abs.

      2. Sônia

        Absolutamente normal Rafael, ele não está mais “em atividade” rsrsrs. Minhas “análises” foram sobre os profissionais competitivos atualmente no circuito rsrs e lhe digo mais, como é delicioso “analisar” rsrs sem estar emocionalmente envolvida, é bom demais rsrs. Beijos.

    2. Marcos RJ

      Entendo que o colega esta sendo pragmaico, mas esse seria um jeitinho que vai contra a etica do esporte e portanto passivel de punicao. O jogador tem a obrigacao moral de se esforcar e dar o melhor de si para ganhar o jogo. O Kyrgios mau carater, por exemplo, tomou multa de $21 mil e 3 meses de afastamebto por entregar jogo. No ano passado a Halep derrotou Serena na fase de grupos e poderia ter eliminado a numero 1 (embalada com 3 GS + semi nos US open, portanto 1 milhao de vezes mais perigosa do que Cubulcova) se entregasse a 3a partida. Halep ganhou no grupo e perdeu da Serena na final, mas protegeu a integridade do esporte. Com todo respeito ao finado “Capita”, quem gosta de levar vantagem em tudo nao deveria jogar tenis.

      1. Marcos RJ

        (*) Correcao: Cibulcova, claro, nao o que escrevi no meu comentario. A letra “u” fica logo ao lado do “i” no teclado, mas a troca soa terrivel. Juro que nao foi de proposito!!! Rssssssss

      2. Rodrigo Campos

        Quem fez a lamentável campanha publicitária do “importante é levar vantagem em tudo foi o Gérson Canhotinha, e não o Capita Carlos Alberto

      3. Rafael

        Claro que o Capita merece td o respeito, mas o “pra quem gosta de levar vantagem em tudo” é uma frase do glorioso Gérson, promovendo os finados cigarros Vila Rica.

    3. Vitor

      Meu Deus, parei de ler quando você falou que o parceiro dele é Velho demais, o Zimonjic joga muito e foi n1, está claro que você não entende de tênis.

      1. Sônia

        Foi uma ironia colega, uma ironia rsrsrs. Percebo que não acompanha o blog rsrsrs. Sobre conhecimento desse esporte, entendo um pouquinho e o mais legal, pratico. Assuntos “mais complexos” aprendo com o Mestre Dalcim e com voces rsrsrs. Beijos.

    4. Augusto Montenegro

      Poxa, que bom que Djokovic foi eliminado nas duplas. Já conheceu a quadra, tá bom demais. Ele colocou a culpa no seu parceiro de dupla ? Me manda o link Sônia, não vi isso. Pode até ser que você julgue isso, você é igual aos outros federistas: quer construir uma imagem de mito além do que Roger é. No mais, é no campeonato em simples que interessa. Muller, de fato, não será fácil. Apenas não desejo o que Vinolas fez com Federer ano passado. Por favor, não.

  25. Sergio Ribeiro

    Ironias de Novak a parte, Andy depende somente de si. O Servio no entanto mantém seu Favoritismo tanto em Paris como no FINALS. Sua Performance nas Indoor e’ impressionante. Ninguém vence CINCO FINALS por acaso. Sua falta de ritmo, e o Embalo de Murray , podem fazer a diferença . Mas confesso que nao acredito. Abs!

    1. Marcos RJ

      Concordo plenamente, e torco muito para que os dois jogadores mantenham as respectivas trajetorias iniciadas na temporada de grama (Murray UP / Djoko DOWN).

    2. Rafael

      Erros de interpretação de texto à parte, Djokovic depende somente de si para continuar No. 1.

      Mas Andy merece faz tempo.

  26. EL loco

    Como o amigo disse, AO17 promete. Luta pelo número 1; a gurizada , enfim, ta dando alguma dor de cabeça e Federere Delpo caindo de paraquedas em qualquer quadrante do chaveamento.

    1. José Nilton Dalcim

      Djokovic fez uma ironia, dizendo que ele ainda está em competição… rsrs… Foi uma boa sacada. Porque, afinal, ele continua favorito para Paris, claro.

  27. Túlio Fernandes

    O circuito feminino precisa de Sharapova, Serena e Azarenka. Esse fim de temporada mostra o quão importantes elas são para o tênis.

  28. Robson Couto

    Boa noite Dalcim,
    Na sua opinião por que Djokovic deixou de jogar um atp 500 essa semana pra tentar manter o posto de número 1 com mais facilidade? Vc acredita que ainda existe algum problema físico que necessita de tempo, ou ele realmente está mais focado na família como deixou entender nas suas entrevistas? Obrigado, grande abraço!!!

    1. José Nilton Dalcim

      Me parece mais do que evidente que ele está saturado mentalmente e isso fez com que seu nível caísse demais. Eu havia opinado antes que ele nem deveria ter ido a Xangai, já que pulou fora de Pequim, e se preparar para um ATP 500, Paris e Londres. Seria mais sensato. Abs!

  29. Kleber Araujo

    Dalcim, essas semanas de férias entre o finals e o começo de 2017 são somados à contagem, certo?
    Se djoko mira passar Federer, seria importante fechar o ano e somar essas 6 ou 7 semaninhas “de graça”… podem fazer falta…

  30. Maurício Luís *

    Interessante que tanto na semi quanto na final, as bolas dos match-points a favor da eslovaca bateram na rede. Uma atrapalhou a Kuznetsova, a outra sepultou a Angelique Kerber.
    Como dizia um amigo meu, “Mulher baixinha, cuidado com ela. O sangue não tem por onde circular, sobe tudo pra cabeça.”
    Sou torcedor do Murray, mas concordo com ele que ainda tem muita água pra passar por debaixo da ponte. Por enquanto, ele não depende só dele.

    1. José Nilton Dalcim

      Ao contrário, Maurício, ele depende unicamente dele. Se ganhar Paris e Londres, será número 1 independentemente do que Djokovic fizer.

      1. Alice

        Essa eu tive que responder Dalcim. O Murray não depende unicamente dele, e sim depende dos seus resultados e de Djokovic. Pois Nole está à sua frente….415 pontos. Se fosse assim, Djokovic também só dependeria dele mesmo. A verdade é que tanto um quanto outro dependem do resultado do adversário, já que estão em disputa 1000 pontos!

        1. José Nilton Dalcim

          Não. Cada um depende de si só. Se o Murray ganhar do Djokovic nas duas finais, será número 1. Então ele depende apenas dele. O mesmo quanto a Djokovic, que precisará de uma final em Paris e fazer 15 pontos a mais do que Murray em Londres.

          1. Luiz Fabriciano

            Mas Dalcim, até o início da semana passada também achava que Murray dependia só dele. Mas o próprio Tenisbrasil divulgou uma diferença. Se ambos, respectivamente 1 e 2 do mundo, só se encontrarão na final (Paris), portanto, Djokovic chegando nela, Murray não poderá ultrapassá-lo, então não depende apenas dele (Murray).
            E no Finals a peleja começa novamente.

          2. José Nilton Dalcim

            O Murray não pode ser número 1 em Paris só dependendo dele. O Djoko precisaria perder na semi. Mas se Murray ganhar Paris e Londres, contra qualquer adversário que for, ele será 1. Portanto, nessa alternativa, ele obviamente só depende de si próprio.

  31. LUIZ

    Lamentável a decisão do ATP 1000 Paris ter recusado convite para o Delpo. Convidaram Adrian Mannarino, Stephane Robert e Paul-Henri Mathieu.

  32. Luiz Fabriciano

    Engraçado Dalcim, que ninguém põe em dúvida a exuberante forma física de Andy Murray. Eu, particularmente, sempre o considerei o mais forte dos tops, naturalmente falando. Ano passado, salvo meu engano, ele fez aquela maratona para chegar ao Finals, vencendo tudo, inclusive numa final com o Robredo teve aquela cena inusitada do dedo do espanhol – coisa de camaradas.

  33. Isaias

    Nishikori ta virando um tenista do “quase”, tem algumas finais de masters senão me engano são 3 ou 4, e uma de slam mais sempre ficou no quase em todas as finais importantes que teve, Cilic ao contrário aproveitou muito bem as finais que teve e com isso tem 1 slam e 1 master, execelente Cilic, já Murray é fora de série, tenista fantástico tecnicamente, Dalcim ja parou pra pensar que o Australian Open tem sido um pesadelo para Murray como Roland Garros “ERA” para Djoko até esse ano quando o sérvio venceu o torneio, Murray ja bateu na trave várias vezes e é o piso ideal para Murray com a velocidade que ele gosta, quem sabe uma hora ele quebra essa sina na Austrália assim como Djoko conseguiu em Roland Garros. Abraço Dalcim

    1. Arthur

      “Tá virando” é bondada sua, Isaías. O Nishikori é um dos melhores representantes dessa geração perdida do tênis.

      Um abraço.

      1. Sergio Ribeiro

        O grande Cilic , dois anos mais velho, possui apenas 3 ATPs a mais que o Samurai. Jamais passou do TOP 8 . O Japa e’ o atual TOP 4 . Ambos chegaram a 1 Final de SLAM , e 1 de MASTERS 1000. Apesar do famoso h2h positivo 7 x 5, Kei perdeu o SLAM exatamente para Cilic. Este venceu seu MASTER 1000 apenas este ano contra Murray em Cincy. O Japa perdeu o seu em Madri 2014 para Rafa Nadal. Este ano ficou com o Bronze Olimpico. Daqui a dois anos o fracassado pode estar melhor que o Croata em Todos os comparativos. A conferir. Abs!

          1. José Eduardo Pessanha

            Correção. Japa é 1 ano mais novo do que Cilic, mas mantenho a minha opinião de que Cilic é mais jogador. Marreteiro de respeito. Não tenho dúvidas de que o Big 4 teme muito mais o Cilic do que o Nishikori. rs.

        1. Isaias

          Nishikori tem 3 finais de masters, Madrid 2014, Miami 2016 e o Master do Canadá 2016, o japinha é um tremendo tenista por isso minha crítica a ele por não ter um grande título, porque na minha humilde opinião ele tem tênis pra incomodar os grandes, o japinha e muito poderoso do fundo de quadra e voleia direitinho, sei que as lesões o atrapalham demais, demais mesmo, mais acho que ta na hora dele melhorar o saque e precisa botar na cabeça que ele joga muito e pode incomodar qualquer um, o samurai e meu tenista favorito dessa geração de tenistas de 24 a 26 anos, espero que ele nao seje o tenista do “quase” como me referi a ele no outro comentário e desenvolva todo o seu potencial e passe chegar a mais finais e a incomodar mais os grandes e que as lesões dêem uma trégua ao samurai. Abraço

  34. perdro

    dalcim estas contas estao mal.o murray nao pode ser numero 1 em paris. mesmo que o nole perca na 1 ronda e o murray ganhe o trofeu.amanha o nole aparece com mais 1915 pontos que o murray,e so fazer as contas.

    1. José Nilton Dalcim

      Os pontos de Londres cairão ao mesmo tempo de Paris, Pedro. Portanto, Nole perderá 2.300 pontos na próxima classificação.

  35. Luis

    Dalcin já parou pra pensar no Australian Open de 2017?. Provavelmente teremos briga pelo número 1 e Nadal retornando. Como se não bastasse teremos Nadal fora do big 4 e Federer e Del Potro soltos na chave também!. Acho que tem tudo para ser o slam mais imprevisível dos últimos tempos!!. Abraço

  36. Jeremias

    Djoko deveria fazer uma forcinha para terminar esse ano ainda na liderança. Poucos estão atentando a isso, mas essa seria uma outra grande marca da sua carreira: terminar como No 1 por 5 temporadas. Seria um incremento bem gordo à sua carta de serviços prestados ao tênis.

  37. Robson

    Assisti a final entre Dominika x Kerber e fiquei decepcionado com a Alemã,não conseguia devolver bem quase nenhum serviço de uma tenista de 1,60 de altura,nas trocas de bola então,só mandava as bolas no meio da quadra,facilitando demais as coisas pra Dominika o que fez ela chegar a quase 30 Winners em um jogo tão rápido em plena final,lamentável.
    Quanto a Cilic,como joga tênis esse cara,se fosse mais focado,mais constante,teria lugar fácil entre os 5 primeiros do mundo.
    Relação a briga pela condição de número 1 do mundo,prefiro esperar pra ver as condições que Novak volta pra disputa destes 2 últimos grandes torneios do ano encerrando a temporada,Novak tem problemas desde os treinamentos pra Wimbledon,é nítido isso.

  38. Marcos RJ

    Nadal sempre tomou decisões equívocadas no calendário, como jogar todos os torneios de saibro do ano sem intervalo, aumntar o desgaste jogando simples e duplas, sem falar no estilo de jogo. Mas nesse fim de temporada foi deliberado e não erro de cálculo. O espanhol sabe que jogando no nível atual e numa quadra que nunca se deu bem, não consegue ganhar de top 8 no finals e tomar dois sacodes no último e evento do ano seria desastroso para a sua (falta de) confiança.

  39. C. Arthuur

    Lembro-me bem como o final de temporada passada foi monótona. Murray abdicou dos torneios pra se dedicar ao título inédito da Davis e Djoko sobrou… Esse ano diferentemente teremos dois torneios espetaculares e teremos uma chance grande de ver Murray X Djoko decidindo tanto Bercy quanto FINALS, nesse caso se cada um ganhar um, quem termina em primeiro Dalcim?

Comentários fechados.