Lucro dobrado
Por José Nilton Dalcim
1 de setembro de 2016 às 00:48

Novak Djokovic nem entrou em quadra, mas foi o grande vencedor da quarta-feira em Nova York. O canhoto Jiri Vesely sofreu inflamação no braço esquerdo e desistiu de jogar, e logo depois Nole ainda pôde assistir a Milos Raonic dar adeus ao US Open com dor no punho e na coxa.

Não poderia haver momento mais oportuno para o sérvio ser premiado com um dia de folga, já que tudo que puder poupar seu punho esquerdo e o cotovelo direito será muito bem vindo. Na terceira rodada, pega o veterano Mikhail Youzhny e a única precaução é com o fato de que o russo adora o Open: fez duas semifinais e uma quartas, de longe o melhor de sua carreira num torneio desse nível. O russo não vence dois jogos seguidos num Slam há exatos três anos.

Diante de outro adversário que gosta de ficar no fundo e não tem potência para maiores aventuras, Rafa Nadal passou novamente em sets diretos. E poderia até ter simplificado a tarefa contra Andreas Seppi, mas deu algumas ‘viajadas’ no segundo set. De qualquer forma, é bom ver o espanhol mais agressivo, tentando trabalhar com o primeiro saque. Bem que poderia ficar menos recuado, sem ficar esperando o serviço pouco contundente do italiano lá no juiz de linha. Enfrentará agora o russo Andrey Kuznetsov, aquele que ganhou de Thomaz Bellucci jogando só do fundo.

E devemos continuar de olho em Marin Cilic. Vale lembrar que ele tirou set de Murray em Queen’s, teve match-point para ganhar de Federer em Wimbledon. Não foi tão bem no Rio, mas ganhou seu primeiro Masters em Cincinnati e parece enfim livre de contusões. Atropelou hoje Stakhovsky impiedosamente. Perdeu apenas nove pontos com o primeiro saque (5 para Rogerinho e 4 para o ucraniano).

Destaques
Uma boa e uma péssima notícia dos nossos duplistas. Thomaz Bellucci reatou a parceria com Marcelo Demoliner e os dois derrubaram os franceses Benneteau e Roger-Vasselin de muito respeito. André Sá, com o canhoto Chris Guccione, fez sua parte. Bruno Soares e o também canhoto Jamie Murray, protagonizaram um jogo estranho de muitos altos e baixos. Mas desastre mesmo veio com a queda de estreia de Marcelo Melo e o croata Ivan Dodig, que vinham de dois títulos de Masters. Pior ainda, para dupla de última hora.

A chave feminina teve dois jogos bem malucos. Angelique Kerber dominava uma afoita Mirjana Lucic quando a coisa desandou, a croata ficou confiante e esteve com o tiebreak na mão para forçar um terceiro set. Tal qual na final de Cincinnati, Kerber ficou passiva esperando a adversária errar, o que não é a atitude recomendável.

Bem pior se saiu Garbine Muguruza. Abriu 4/2 e daí em diante foi um show de horrores, num jogo aliás tecnicamente sofrível. Suas quatro últimas derrotas tiveram placar incrivelmente elástico e uma postura desmotivada. Provavelmente, aquele conhecido efeito pós-traumático de quem vence um Slam e tem de administrar uma vida muito mais pública.

Drops
– Vesely desistiu de encarar Djokovic, mas aparece na programação de duplas desta quinta-feira. Deverá enfrentar Dominic Thiem, outro que se arrastou pela quadra na estreia mas também decidiu jogar dupla. Vai entender. Ao menos, Vesely continuará sendo, ao lado de Karlovic, os únicos top 100 em atividade com recorde positivo diante do número 1.
– Nadal ganhou um único título na quadra dura desde o título do US Open de 2013. E ainda assim foi 32 meses atrás, em Doha.
– Alexander e Mischa Zverev foram os primeiros irmãos a atingir a segunda rodada do US Open desde Byron e Wayne Black, em 1998.
– Como w.o. não conta, Djokovic permanece com 52 vitórias na temporada e poderá assim ser alcançado por Murray nesta quinta-feira. A diferença é de apenas uma derrota: 5 de Djoko contra 6 do escocês.
– Harrison já foi esperança americana. Aos 24 anos, ganhou sua segunda partida sobre um top 10 em 28 tentativas ao tirar Raonic. A anterior foi sobre Dimitrov, no ano passado. Ele não vencia em Slam desde Paris-2013 e precisou furar o quali neste US Open.
– Isner já fez 73 aces, 35 na estreia e 38 contra Darcis. Em um jogo só, Karlovic fez 61 na primeira rodada e bateu recorde do campeonato.


Comentários
  1. Victor Martins

    Pobre Djoko, estais a ganhar tantos títulos do ano passado pra cá, e tenta ser reverenciado como é com o Nadal e Federer. Me lembro em Roland Garros ele fazendo aquele gesto no final do jogo, dando o coração pra torcida. Foi fazer isso em Wimbledon, não deu muito certo. Tem hora que ele força a barra até demais. Bom, um dia quem sabe, ele esteja no mesmo patamar dos outros dois.

  2. Geraldo Carvalho

    Dalcim , por favor, em uma hipotética corrida pela sucessão de Serena, em que lugar vc colocaria a Madison Keys?

    1. José Nilton Dalcim

      Para pensar em lideranca, é preciso consistência e nesse aspecto Halep, Radwanska e neste ano Kerber se mostram em melhores condições. Gosto do estilo da Keys, agressiva e forte fisicamente. Quem sabe um grande resultado dê a arrancada.

  3. Victor Martins

    Rapaz eu não vou me acostumar nunca em assistir um Grandslam sem Roger Federer. Meu interesse em vê o torneio cai pela metade. Bom, se Deus quiser vai ser por pouco tempo, próximo ano voltar com tudo Mister Roger.
    A minha torcida é óbvio, é pro Murray.
    Primeiro por que eu acabei tendo uma admiração por ele, especialmente antes de Wimbledon, que ele deu moh força pro Federer, dizendo que ele fez cirurgia nas costas e conseguiu voltar em alto nível, e que o Federer depois da artroscopia, poderia sim voltar em alto nível, e até ganhar o torneio, enfim, achei bacana pelas boas energias que ele passou, diferente do Djoko, que, sem comentários.
    E em segundo lugar, O ÓBVIO, eu não quero, e milhões de pessoas também não, que o Djoko ultrapasse os recordes do Federer, principalmente o número de Grandslams, e nem semanas como N°1 do mundo, intaum rapaziada, EU SOU MURRAY DESDE CRIANÇINHA!!
    Goooooo Murray, rumo ao Título, e rumo a liderança!!!

    1. jeremias

      Coitado do Federer….um roto e esfarrapado que precisa de “moh força” e de singelos gestos de simpatia…Djokovic é um desgraçado mesmo, nem para ser “simpático” com o pobrezinho, coitado… Alguém tem de avisar ao sérvio que não rasgar infinitos metros quadrados de seda para o Federer em público é praticamente uma blasfêmia.

      1. Luiz Fabriciano

        Sem contar o primor de simpatia que Roger Federer nutre pelo sérvio. E quem começou isso? O mais velho, lógico.

        1. Sergio Ribeiro

          Equivocado, parceiro. Os pais de Novak em 2008 com aquela babaquice de ” Rei Morto , Rei Posto” . Em 2013 se meteram também com o Espanhol, e o Servio pediu desculpas. A partir dai seguiram o conselho do Suíço e se calaram de vez. Abs!

          1. Luiz Fabriciano

            Não estou. Se o sérvio fosse responsável pelas atitudes de seus pais, o mesmo não iria à público pedir desculpas. Agora é querer tapar o sol com a peneira afirmar que Federer não nutre essa indiferença por Djokovic. A única vez que vi o suíço elogiar Djokovic foi após a final de Wimbledon 2015, onde ele se referiu a este como o melhor jogador do dia, da semana, do mês, dos anos… e ele foi bastante honesto nessa declaração.
            Um grande abraço.

      2. Victor Martins

        Pobre Djoko, estais a ganhar tantos títulos do ano passado pra cá, e tenta ser reverenciado como é com o Nadal e Federer. Me lembro em Roland Garros ele fazendo aquele gesto no final do jogo, dando o coração pra torcida. Foi fazer isso em Wimbledon, não deu muito certo. Tem hora que ele força a barra até demais. Bom, um dia quem sabe, ele esteja no mesmo patamar dos outros dois.

  4. Diego Adrian

    Assistindo Delpo-Johnson. Nossa senhora, estão amassando as bolas….rsss. Altas pancadaria dos dois lados.

  5. Luiz Fernando

    Quanto sono, quanta monotonia: em um canal o gênio Zé Bala encara o cavalheiro das quadras, Kyrgios; no outro, o mágico, estupendo e fenomenal Wawrinka enfrenta o não menos extraordinário Gianessi. Para o mundo q eu quero descer kkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Entra em quadra Del Potro, por favor…

  6. Rodrigo S. Cruz

    Naomi Broady versus Agnieska Radwanska foi o duelo do tênis estético contra o anti-tênis.

    A britânica deu uma aula de rede e de toque.

    E que esquerda de uma mão mais linda!

    É realmente triste assistir a derrota de um tênis tão espetacular como o da Broady, pro sofrível “winning ugly”, praticado pela polenesa.

    1. Rafael Wuthrich

      Curioso. Embora Aga se defenda mais que outra coisa.por não ter potência nos golpes, a considero a mais habilidosa do top 10 atual.

  7. Paulo

    Boa noite Dalcim, voce observou como o espanhol está “mais forte” (???) enquanto o Djoko está muito mais magro? Abraço.

  8. Natanael Lobato

    Enfim, Nadal jogou como Nadal, The Phenomenon. O cara que msm com o punho semi-lesionado, rsrs, convivendo com a dor, enfrentou Seppi como se fosse o nº 500 do ranking, sim, aquele que eliminou a Lenda no Australian Open na 3ª rodada ano passado. Vida longa ao Touro Miúro, se deixarem ele leva o 15º Slam. Abs

  9. Robson

    Esperava e torcia para a Muguruza continuar sua trajetória de conquistas,más está acontecendo exatamente o contrário,só mesmo a Serena pra vencer e continuar vencendo,isso já vem muitos e muitos anos,infelizmente.
    Quanto a Cilic,esse cara joga muito,em minha opinião teria que ser top 10 até encerrar tua carreira,ali é o SEU lugar.E pensar que teve um leitor aqui que “teimava” em comparar Cilic com o LIMITADÍSSIMO Goffin,kkkkkkkk,aí eu não aguento.
    E Novak ganhou alguns dias a mais pra tentar se recuperar,menos mal,porém nada que seja questão resolvida,já que ele teve vários dias de descanso desde a grande final de RG,e se não foi o suficiente,não será 2 dias a mais no USOPEN que resolverão.Não tem outra saída,as dores o acompanharão até o último dia dele nesse USOPEN,espero que este último dia dele seja exatamente o último dia do torneio e que o último ponto seja dele,do número 1.
    Faltam 5…

      1. Sergio Ribeiro

        Nao sao apenas as suas 370 e poucas vitorias e 220 derrotas na carreira ( medíocre), Cilic jamais passou do Top 8 , em anos de extrema irregularidade do TOP. Seu retrospecto e’ ridiculo contra o Big Four, e negativo contra Berdych , Ferrer, Gasquet, Monfils, Nishikori, Golfin ( perdeu as duas em Sets diretos), ate’ mesmo 1 x 5 contra Simon. Uma carreira de resultados , digamos estranhos, sem falar no Doping. Dispensou Ivasinevic e possui boas lembranças do USOPEN. Comete muitos ENFs com jogadores que variam muito o jogo ( tiram o peso da bolinha ). Longe de ser esse jogador excelente. Mas parece estar num bom momento.Abs!

    1. Rodrigo S. Cruz

      Por essas e outras que não dou demasiada importância para colocação no ranking.

      Quem é Goffin, pra ser comparado com o Cilic?

      Cilic foi campeão do Us Open. Saca muito e tem uma ótima direita.

      Goffin é um jogador limitado. Não possui arsenal.

      Louva-se, porém a sua disciplina tática e inteligência, bem como seus ótimos resultados, apesar da evidente limitação técnica.

      Mas nunca pra ser comparado com Cilic, Wawrinka, Fognini, Delpo e outros…

      Está abaixo.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, aproveitar ao máximo sua condição de canhoto, dizendo ao adversário que ele pode sacar muito aberto.

  10. Douglas

    Não concordo quando dizem q Seppi, não jogou mal. Ele foi terrível no segundo serviço e errático nas devoluções, facilitou a vida de Nadal. Posso esta enganado, mas acredito que Rafa, não encontrara nas próximas rodadas um adversário com um jogo tão pobre como o italiano mostrou na Arthur Ashe.
    O que dizer de Raonic? Achei o clima, a quadra, o ambiente e a torcida estimulante para que ele fizesse um torneio competitivo, porém, ele ainda é instável. Desta vez foi o físico que o deixou na mão.
    Carol Woszniacki gosta mesmo de Flushing Meadows! Espero que ela se recupere no circuito, é uma figura simpática e que interage bastante com os fãs.
    Muguruza, já me decepcionou somente esse ano 4 vezes(Austrália, Wimbledon, Rio e USOpen), e todas da mesma forma: Sonolenta, desmotivada e me dando a impressão de que não queria está ali. Já poderia ter “roubado” o Nº 1 da Serenão.
    Hoje a rodada noturna terá a Torre de Tandil! 🙂
    USOpen sem dúvidas o melhor slam para acompanhar aqui no Brasil pela TV.

    1. Sergio Ribeiro

      ” Muguruza ja’ poderia ter tomado o N 1 de Serenao “. Serena Willians consegue empatar com STEFFI GRAF ,como a maior vencedora de SLAM da Era Profissional , e de quebra chega hoje a marca de MARTINA NAVRATILOVA em Vitorias em SLAM ( 306, apenas uma a menos que Federer), e o parceiro me vem com esta Pérola ? Na boa, se liga ! Abs!

  11. Carlos André

    Gênio Raonic… perder para Ryan Harrison…

    Esse quarteto mágico só parará de vencer ais 50 anos de idade ou quando enjoarem..m

    1. Rodrigo S. Cruz

      Mais um representante de Comédia Stand-up.

      Cara, o Raonic estava machucado.

      Será que vc entende isto?

      Daqui a poucos vocês vão exigir que se vença jogos, com um dos braços engessado…

      1. diego adrian

        Rodrigo acho que ele tem razão. Lembremos que muitas vezes os integrantes do big four jogaram machucados ou sentindo desconfortos (Federer nas costas, Nadal nos punhos ou nos joelhos, Nole nos punhos ou com seu problema de intolerância ao glútem antes de descobri-lo) e mesmo assim venciam torneios ou chegavam nas instâncias finais deles. Ou seja esses 4 gênios quando estão bem só perdem entre eles e quando não estão 100 % só perdem para uns poucos.

  12. Chetnik

    Queria a revanche contra o Veselj, mas no contexto da lesão, não tem como negar que esse WO foi oportuno. Também não acho que a falta de ritmo vai atrapalhar, considerando que o próximo adversário é um ex-jogador em atividade.

  13. Sandra

    A correria do Murry e do Nadal e vindo de tantos jogos, por melhor que seja o físico, não desgasta na hora que mais precisarem?

  14. jeremias

    Dalcim, já que você tem tanta rodagem aí nesse mundo do esporte, poderia me tirar uma dúvida sobre “lesões”? Tenho um grande amigo fisioterapeuta, o qual também é um aficionado por tênis. Disse-me ele que muitas vezes o que os atletas têm não é exatamente uma “lesão”, mas sim um desconforto muscular que pode inclusive advir da falta de ritmo. Ele acha que isso é o que pode estar ocorrendo como o Djokovic, ou seja, que por ele estar meio sem ritmo, por ter jogado pouco nos últimos dois meses, até um treino mais exigente é capaz de deixar suas marcas em forma de incômodos, dores chatinhas e etc…Como leigo, pergunto se isso procede mesmo. Porque para quem não entende muito é meio difícil imaginar um cara ficar quase 3 horas dentro de uma quadra, correndo pra lá e pra cá, “freando” loucamente num piso duro, imprimindo força na raquete o tempo todo, tendo as articulações continuamente exigidas, enquanto está tecnicamente lesionado. Nesses casos como o de Djoko, tem-se mesmo uma “lesão”, ou é apenas alguma outra limitação não tão comprometedora? É possível jogar estando clinicamente lesionado?

    1. José Nilton Dalcim

      É difícil ter certeza até que ponto é um desconforto muscular, um sintoma repentino de um movimento mal feito ou uma lesão por repetição. Esta sim é uma contusão preocupante, porque o tênis é um esporte de repetição. A gente só pensa no jogo, mas o quanto esses caras treinam todo santo dia? Sim, é possível jogar com dor, aliás quase todo atleta de alto rendimento convive com a dor e usam recursos para minimizar no momento de competir. O problema é quando essa contusão interfere no golpe. Dor nas costas atrapalha o saque, mas não o golpe de base. Uma dor na lombar dificulta demais bolas baixas e altas, mas não uma devolução de saque. O punho no entanto é grave, porque é usado o tempo inteiro, até mesmo no saque e muito na devolução, principalmente para quem joga com duas mãos. Enfim, me parece que, se Djoko está em quadra, é porque a lesão não é tão grave assim.

  15. Rafael Wuthrich

    Melhor partida de Nadal em quadra dura que vejo há uns bons 2 anos. Se defendeu muito bem de bons ataques de Seppi com slices e segurou bem com o backhand. O copo meio vazio da história é a questão dos erros e das viajadas. Seppi sacou muito mal ontem e facilitou sobremaneira a tarefa. E mesmo assim merecia ter levado o segundo set. Contra um tenista melhor isso pode ser problemático. Quando ficou em dificuldades sua bola encurtou e Seppi disparou vários winners.

    Deixo uma questão retórica, sem juízo nenhum: Nadal estava mesmo lesionado?

    1. Chetnik

      Rafael, aproveitando o ensejo, eu sei que não se deve analisar o jogo só pelas estatísticas, mas o Djoko, contra o Janowicz, fez 34-16 winners-erros não forçados – ou algo parecido. O Nadal ontem cometeu mais erros do que winners e tá todo mundo elogiando rs.

      Eu já vi o Djoko vencer jogando bem com mais erros não forçados do que winners – contexto diferente dessa partida, quadra mais lenta, outro adversário, etc. Mas não deixa de ser curioso.

      PS: Eu não achei o Djoko mal contra o Janowicz. Acho que os problemas físicos que ele demonstrou reforçaram essa ideia na cabeça das pessoas.

      1. Rafael Wüthrich

        Vi muito pouco de Djoko na estréia, então não posso afirmar nada. De Nadal eu vi, e gostei na maior parte do tempo. O segundo set foi um típico “Nadal/2015”: erros seguidos, muito 2º saque, trocas de quebras e falha na hora de fechar. Um tenista mais mental teria aproveitado a enorme oportunidade, mas Seppi está longe dos melhores dias. O pneu foi facilitado pelo péssimo segundo saque do italiano, e alguns erros táticos bobos fizeram a diferença também no 3º set. Acho que Nadal está num bom caminho, mas não deve se iludir por essa vitória. Acho que o segundo set reflete bem mais o que ele está jogando, considerando toda a sua temporada, que os demais. Vale destacar uma coisa: Nadal levou quase uma hora para aplicar um pneu. Isso diz muito sobre algumas coisas do jogo dele.

    2. Carlos André

      Mesmo no auge, ele sempre lrvou winners pra tudo que é lado. Venceu inúmeras partidas fazendo menos winnets que os adversários (principalmente nas hards)

      Inclusive, um dos prazeres perversos de Rafael Nadal é este: bater adversários que fazem mais winners, que têm jogo mais vistoso, que jogam mais franco, e então sentir-se como um herói da raça após a vitória.

    3. Rodrigo S. Cruz

      O Nadal de ontem contra o Seppi foi quase o Nadal dos melhores tempos dele.

      Não deu a menor chance pro coitado.

      Jogando neste nível o Nadal constitui ameaça pra qualquer um, até pro Djoko…

      Quanto a esta balela de lesão no punho, acho que nem o fã mais radical dele ainda tem estômago pra defender.

      1. Luiz Fernando

        Claro, concordo, balela desse porte só a do tenista de alto rendimento q contundiu o joelho brincando com as filhas kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        1. Rodrigo S. Cruz

          Tá.

          Então, explique:

          O Federer perdeu todo ano de 2016, não?

          Portanto, se não foi por causa de contusão, foi pelo que, então?

          Na prática ele jogou só Wimbledon e mesmo lá deu mostras de que tinha um problema físico mesmo.

          Portanto são granes as chances de ter sido por um joelho mau recuperado.

          Já o caso do Nadal é muito mais estranho:

          Ficou um pouco parado, mas depois voltou quebrando a bolinha no MEIO e em jogos super-longos, sem sentir absolutamente nada.

          O que ele fez na olimpíada e está fazendo agora no US Open é fora-de-série.

          Como se explica isto?

          Lembrando que se por um lado sua bronca do Federer é conhecida, eu nunca tive nada contra o espanhol.

          Quero mais é que o Rafa volte a ser o Rafa de antes e equilibre mais as coisas contra o Djoko…

          1. jeremias

            Se Rafa se limitar a buscar o mesmo Rafa de antes–rebatedor incansável, metralhadora de top-spins no backhand do oponente– ele NUNCA mais ganha de Djokovic em forma….Ele pode voltar a ganhar, se lograr achar dentro de si um “outro” Rafa…

  16. Jaime

    Nadal jogando bem, mas a chave tá muito fraca. Dos que ele ganhou até engessado ele levava. E o próximo não é grande coisa. Parece que só na semi terá algum grande desafio, já que o forte adversário das quartas seria o eliminado Raonic.

  17. Mario cesar Rodrigues

    Rafa foi bem principalmente pelo momento que vive na carreira oras ser agressivo o tempo todo não é a praia dele cada um com sua forma de jogar me digam todos comentaristas quem é agressivo o tempo todo em um GS ou Masters 1000 ou qualquer torneio!Rafa tem o seu estilo.e tenhamos que entender que do outro lado tem um adversário que está jogando também.se analisar-mos Seppi não jogou mal.O Rafa é que jogou melhor!Quanto ao futuro não sei só sei que neste jogo Rafa deu gosto de ver jogar novamente!entrando na quadra tanto no p saque quanto no segundo exceto o segunto set!

  18. Dramde

    Dalcim, você tocou no ponto que pode ser chave neste USO16: Marin Cilic. Sempre achei um excelente tenista do ponto de vista técnico, porém muito fraco do ponto de vista emocional. Sua freguesia exagerada junto ao Djokovic não se justifica (14 x 0 para o sérvio), sem falar de algumas derrotas para outros tenistas, que foram difíceis de aceitar, a última em WIMB16 frente ao Federer. De qualquer forma, ele já tem um USO (2014), agora tem um Master1000, parece livre de contusões e as quadras do USO parecem bem rápidas e, portanto, favoráveis ao estilo de seu jogo. Na minha opinião, o Croata é o maior desafio para o Sérvio chegar na final do torneio, maior até do que Nadal numa possível semi. Você concorda ?

    Quanta à Muguruza, já vimos esse filme antes, mas com outra bela atriz: Ana Ivanovic. É uma pena porque a espanhola é grande tenista e, na minha opinião, seria a sucessora natural de Serena Willians, mas vamos ter de esperar mais um pouco e ver se ela se recupera da ressaca do título de RG16.

  19. Túlio Fernandes

    Destaque também pra Wozniacki que derrotou Kusnetsova apostando em um jogo agressivo, diferente do que costuma mostrar. Primeira vitória dela sobre uma top 10 esse ano, talvez o estímulo necessário para voltar às boas campanhas.

  20. Mário Fagundes

    Parece mesmo que Rafael Nadal “está se recuperando bem do punho”. E o cansaço pós-olimpíada… Cansaço? Isso é coisa pra Del Potro sentir! Após a partida, estava inteiraço. Os adversários que se cuidem, porque o “touro” está turbinado neste US Open e aquela direita na paralela está novamente se mostrando mortal.

  21. Rodrigo S. Cruz

    Esse Luis Fernando deve ser animador de circo, não é possível.

    Criticar o Raonic, meramente por o cara ter se machucado?

    Meu Deus, era só o que faltava mesmo.

    A cabeça dele funciona assim:

    um tenista top perdeu um jogo, nas fases iniciais. Não importa pra ele o motivo:

    Perde porque é ruim. (rs).

  22. Marquinhos

    Dalcim. Vc tem ideia de quando comecarao a ser vendidos os ingressos para o Australia Open? Em qual site eu posso comprar? Obrigado

  23. Marquinhos

    Desculpa Dalcim, mas pelo menos pelos numeros, Nadal nao foi tao efetivo assim com o 1 saque, pois venceu “apenas’ 67% dos pontos com o 1 servico enquanto a maioria dos tops tem aproveitamento de 75% ou mais com o 1 saque. Mas vem firme apesar de ter enfrentado so pangares e assim vai fazer ate a semi chegar, se chegar la, mas nao sei se Monfis podra complicar. Ainda apostaria em Cilic em um confronto contra o frango miura e com certeza em Murray em uma final.

  24. Fábio

    Dalcim,

    Tenho reparado uma coisa nos últimos 18 meses: Dodig anda querendo tudo ao mesmo tempo. Joga simples e duplas. As vezes, faz torneios fora da superfície da época para galgar posições no ranking de simples. Em Slama piora, pois ele ainda joga as duplas mistas!

    Pode não ter sido o caso de hoje, mas isso tem prejudicado a dupla. Já vi jogos que ele chegou cansado nas duplas (quando avançou 1 ou 2 rodadas).

    Dodig joga muito! Talvez seja o melhor duplista em atividade. Mas se continuar assim… É bom que o Marcelo reveja seus conceitos.

    O que pensa a respeito, Dalcim?

    1. Fábio

      *Slam, não “Slama”.

      Se bem que involuntariamente acertei. Foi um “Slama” para o Melo! Tava com o n1 nas mãos!

    2. José Nilton Dalcim

      Melo sabe muito bem disso e está de acordo, já que simples dá muito mais dinheiro do que dupla. Então faz parte do acordo, a menos que o Marcelo se canse disso.

      1. Fábio

        Sim, sei que ele tem comhecimento disso.

        Vamos ver as cenas dos próximos capítulos… Sem esquecer que os dois (Dodig e Melo) não têm um grande entrosamento fora de quadra. Me parece, inclusive, que a parceria iria acabar ano passado, não fosse o título de RG.

        Lembrando que o Melo fez uma ótima parceria com o Sulafricano Klaasen.

        De toda forma, desejo muito sucesso ao Marcelo Melo. Sempre! Avante, Girafa!

  25. Luiz Fernando

    Rafa fez um excelente terceiro set e na entrevista pós jogo parecia ter acordado naquele momento de tão tranquilo e descansado, dissipando pelo menos parte do meu receio acerca de sua condição física. Exceto pelas viajadas no segundo set, quando jogou de forma bem instável, creio q se apresentou bem. Seu contra-ataque no matchpoint foi simplesmente espetacular; outro detalhe q me chamou a atenção foi a velocidade do primeiro serviço subiu muito hj quando comparado a estreia, algo fundamental numa quadra como essa. Sem dúvida está abaixo do nível de Djoko e Murray, mas creio q pode encarar os demais. É franco favorito contra o russo na sexta.

Comentários fechados.