Nadal, cada vez mais perigoso
Por José Nilton Dalcim
24 de abril de 2016 às 20:22

Dois títulos seguidos, atuações convincentes diante de adversários de gabarito. A pergunta que todos fazem é óbvia: Rafael Nadal recuperou o favoritismo para Roland Garros? Voltou a ser a grande barreira de Novak Djokovic para o título tão sonhado?

Acho que ainda é prematuro apostar em Rafa. Não resta dúvida de que ele mostrou em Monte Carlo e Barcelona seu melhor tênis dos últimos dois anos. Está de novo confiante no seu estilo tão único sobre o saibro, em que pulveriza a defesa do oponente com seus golpes cheios de spin até que consiga o momento certo para atacar ou definir o ponto. Está veloz, fisicamente no ápice, escolhendo o golpe certo na hora precisa.

Mas ainda há muito chão pela frente. Madri, dentro de oito dias, é o próximo desafio. Porém acho que o saibro mais alto e veloz desta vez será muito mais importante para Nole do que para Nadal. O sérvio precisa evitar outra derrota precoce, que poderia abalar sua estrutura.

A menos que haja um duelo direto entre eles na Caja Magica, ainda imagino que as melhores respostas virão em Roma, onde as condições são mais semelhantes a Paris e o tempo de recuperação psicológica será bem menor. A chance de os dois se cruzarem pelo título no Fóro Itálico aliás é grande.

De qualquer forma, a reação do canhoto espanhol vem em ótima hora e apimenta Roland Garros. Sempre disse que Nadal confiante é um tremendo pesadelo para qualquer um.

Vamos atualizar os feitos principais de Rafa com o novo troféu:

– Com seus dois troféus consecutivos no saibro, Nadal chega ao 69º da carreira e enfim volta a se distanciar de Novak Djokovic, que tem 63. O espanhol tem a quinta maior coleção da Era Profissional e está oito atrás de John McEnroe.
– Nadal disputou a 101ª final da carreira e é um dos seis únicos profissionais a ter três dígitos nesse quesito. Está perto das 104 de Vilas e das 109 de McEnroe.
– Faltam 45 partidas para Nadal chegar à casa de 1.000. Só nove profissionais fizeram isso até hoje. O espanhol tem 789 vitórias em oitavo lugar, apenas duas a menos que Edberg.
– Décimos separam Nadal, Djokovic e Borg na estatística de percentual de vitórias na carreira. Novak tem 82,83%, Borg parou com 82,74% e Rafa sobe agora para 82,62%.
– Além de liderar agora nos títulos sobre o saibro, com 49, ao lado de Vilas, Nadal se torna o maior campeão em quadras abertas, com 67, um a mais que Federer.
– Com 358 vitórias em 390 possíveis sobre o saibro na carreira, Nadal recupera o aproveitamento incrível de 91,8%. É um domínio superior ao de Djokovic no sintético (84,3%) ou de Federer na grama (87,7%).
– Nadal tem agora nove títulos em três diferentes torneios: Roland Garros, Monte Carlo e Barcelona. Tem ainda sete em Roma.


Comentários
  1. Realista

    Uma pena ver um jogador como o del potro sendo forçado a dar slice….ja vi ele ganhando dos melhores com aquela esquerda eficiente e pesada, pegando tudo na subida…um pena mesmo, espero que volte aos melhores dias, ele é bem melhor que alguns top 10 com certeza.

    Responder
  2. Rodrigo S. Cruz

    Federer em Madri. Ótima notícia…

    Só não quero que cruze com o Nadal justamente agora (rs).

    Seria mais uma derrota porque no momento o espanhol está bem afiado e o suíço sem ritmo algum, e além disso, o piso é o saibro. Não preciso falar mais nada.

    Responder
  3. O Pensador

    Pensando cá comigo:

    1) O Brasil e França são top 10 no relatório de doping da WADA! – França?!!! Ah tá!
    2) E quem seria o tenista brasileiro envolvido com doping no mesmo relatório? – Ah, deixa pra lá! BRASIL!
    3) E a campeoníssima Rússia? Ah, a russa! Ô dó!

    Responder
  4. Luiz Fernando

    Federer confirmou sua ida a Madri, algo lógico, pois é a quadra de saibro mais veloz, o q o favorece. Terá chances reais de ir mais longe, mas acho difícil pensar em final. Já em Roma e em RG ele irá para marcar presença, ganhar algum ritmo e ganhar pontos.

    Responder
  5. Luis

    Dalcim sobre o doping ainda o tio do Nadal disse resultados tinham ser publicos,o que acha? E se o Federer tem mais chance no saibro em Madri parece mais rapido? que Roma e Paris

    Responder
  6. Ferreira

    Dalcim, o que achou das declarações de Toni Nadal sobre o domínio do sérvio? Eu, pessoalmente, concordo. Realmente, nos últimos 2 anos, Djokovic não pegou Nadal e Federer em seus melhores tempos. Abraços!

    Responder
  7. Rafael Medeiros

    Caramba, vocês viram?

    Depois de uma grande vitória na primeira rodada (abandono) do adversário), Bellucci perdeu na segunda pra Dodig (credo).

    Enfim.

    Responder
  8. Luigi

    Muito legal o Nadal pedir para publicar os exames, acho que todo mundo podia fazer isso. Vi a entrevista da Sharapova sobre o doping e pela primeira vez achei ela péssima, falou um monte de coisas que parecem mentira, não pareceu que tinha remorso e no final ainda falou que nunca anunciaria sua aposentadoria em um hotel “com um carpete horrível como este” ???

    Dalcim, não entendi direito se você acha ou não que os exames anti-doping atualmente são efetivos? Por que?
    Abraços

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, acredito que os exames atuais sejam efetivos, mas não quer dizer que algum atleta não esteja burlando. O doping sempre está à frente. Leva-se por vezes anos para se detectar uma substância ou processo irregular.

      Responder
  9. bruno

    Tio toni disse tudo,aceitem cotonetes é a pura verdade.djoko só ganhou tudo em 2014 e 15 pq pegou uma geração fraquinha e já sem o melhor de federer e Nadal.

    Responder
  10. Mario cesar Rodrigues

    Dalcim omg vi o jogo do Del Boy que isto bicho o cara foge da esquerda como nunca assim fica cada vez mais dificil para ele minha nossa como tá dificil para ele ganhou na bacia das almas no segundo set mas torço para ele adquirir confiança pois de esquerda ele não ganha nada não vou torcer por ele mais tá dificil!Slice slice minha nossa

    Responder
  11. Isaias

    Dia horrível para os tenistas brasileiros Dalcim. Rogério lutou por 2 sets e sucumbiu no terceiro, Bellucci continua em má fase e Teliana também. A derrota na final de Quito parece ter abalado o Bellucci depois vem os problemas fisicos e ai a confiança foi embora certo Dalcim?? Uma pena porquê Bellucci não fica atrás de Cuevas e Delbonis

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, acho que não foi Quito, mas o problema físico que veio forte a partir do Rio. Quanto ao Rogerinho, acho que foi muito bem contra o Coric.

      Responder
  12. Di

    Aliás, Dalcim, esse mês pra ele foi de fortes emoções: dois títulos, entrou com processo com a ex-ministra, pediu que divulguem os resultados de exames, foi anunciado como porta bandeira nas Olimpíadas. Ufa!

    Responder
  13. Julio Sc

    Dalcim, essa desistência do Dodig de jogar as duplas com o Melo no ATP de Munique fez o brasileiro ficar com uma dúvida se tomou a decisão certa em fechar com o Dodig para 2016?

    Visto que Melo e Soares vão jogar torneios juntos antes das olimpíadas, Melo e Dodig correm sério risco em não ir para o Finals

    Responder
  14. Sergio Ribeiro

    O “Irrealista” afirma que esse ano esta’ mais dificil pra Novak vencer Rolanga. Será que o Céu nao e’ mais o limite para o ” Imbativel” Servio ? Será que os Especialistas do Saibro estão melhores em 2016 ? Ou Sera’ que assim como o Suíço ( 2 x 12) e ( 6 x 14), ambos sao fregueses do Espanhol no h2h no Barro ? O discípulo de Marília entende tanto quanto o seu Mestre kkkkkkkkkkkkk,Abs!

    Responder
    1. Implicante

      Publicar exames que ele não teve problemas.. qual o heroismo disso?
      Seria interessante que alguma entidade independente pesquisasse em 2012, ano em que ele deu uma parada de 7 meses bem estranha, sem cirurgia. Poderia colocar um ponto final em que achou muito estranho aqueles meses fora.
      Eu não sei se ele trapaceia ou não, mas é interessante lembrar que atletas de ponta e muito ricos estão à frente do exame antidoping. Mas sinceramente, espero que não tenha nenhuma trapaça, nem que seja um Meldonium que ainda não esteja proibido.

      Responder
      1. Augusto Montenegro

        Ele pediu, autorizou, que a ITF revelasse todos os exames de controle de doping, Implicante. Lá, por exemplo, pode estar meldonium no tempo que era lícito. Tudo bem, você pode pensar ” grande coisa ele fez ” a ITF resguardou de escândalos. Porém até provar o contrário ele é inocente.

        Responder
  15. David Gabriel Dilkin

    Boa noite Dalcim,

    Tendo em vista à recente evolução do Rafa em 2016, e que ele tem menos de 3000 pontos pra defender até o Fim do ano, seria um exagero acreditar que ele pode terminar 2016 na vice liderança do Ranking da ATP? Ou seria até plausível? Tendo em vista de que o Andy, o Roger e o Stan defendem muito mais pontos que ele até o encerramento do ano…

    Gostaria de ouvir sua opinião sobre…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é bem provável pelo menos que ele lute por essa posição, embora saibamos que Nadal costumeiramente não faz grandes segundos semestres.

      Responder
    1. Implicante

      Acho que o Djoko deve ter topado esse comercial para dar uma pressão no Guga sobre o dinheiro que ele não recebeu dos organizadores da exibição. hhaha

      Responder
  16. washington

    estou contando os dias pra ver um novo confronto entre Nadal e Djokovic. espero q seja antes do grand slam, ai sim vai dizer o q será Roland Garros. o q vc acha Dalcim?

    Responder
    1. Implicante

      Eu não gostaria de ver… Não é um confronto de belos lances. E acredito que a torcida do Nadal, também não queira ver… Daí ele leva outro 6×2, 6×1 e vai acabar de novo com as esperanças de seus torcedores… Deixa Rafa curtir um pouco, antes disso acontecer! 🙂

      Responder
  17. Luis

    Dalcim o assunto doping ainda repercute com suspeitas sobre Nadal que voltou a jogar bem e Djokovic a algum tempo pelo seu fisico fora comum repetindo o que Murray disse parece que esses tenistas nao cansam rs,Dalcim o que acha desse assunto se os testes atualmente conseguem dizer se um tenista ate top tomou alguma coisa pra melhorar seu fisico?

    Responder
    1. jeremias

      Isso não é verdade. O assunto doping sempre recaiu mais seriamente apenas sobre a cabeça de Nadal. Incluir Djokovic ai é coisa de blog de internet e da recente declaração mimizenta e atabalhoada de Murray.

      Responder
        1. Rafael

          Jeremias

          A turma do breakpoint disse que tá ficando até constrangedor (pra eles) como os americanos estão pegando no pé do Djoko com insinuações sobre doping.

          Responder
  18. Oswaldo E Aranha

    Estou voltando a um assunto que incomoda muito.
    Primeiro quero que se lembrem do vexame que aconteceu na Câmara de Deputados no votação do impeachment, quando vário deputados antes de votar só falaram abobrinha, inclusive um que dedicou o voto à sua rapariga.
    Trazendo o assunto para o tênis, quero lembrar que na transmissão do Roland Garros do ano passado o Saretta, fazendo entrevistas com o público francês insistia em falar inglês, num país que o povo tem orgulho de sua língua e não gosta de falar inglês. Além disso fazia entrevistas na entrada do banheiro feminino e perguntou a uma que falava inglês o que ela ir fazer no banheiro. Além disso encontrou duas brasileiras e perguntou qual o tenista que mais gostavam e elas disseram que era o Federe e então ele perguntou se sabiam que ele não gostava de tomar banho.
    Nesse ano, numa prévia da Band Sport ele encontrou uma brasileira e , quando soube que ela estava morando na França, quando ela disse que gostava do Brasil, ele retrucou que então ela não podia gostar do Brasil estando morando na França.
    Como podem ver na próxima edição do torneio francês teremos da assistir um monte de bobagem e nos envergonharmos como quando assistimos a votação na Câmara.
    O Dalcin está dispensado de opinar porque ele não faria por ética profissional, mas nós podemos descer a lenha.

    Responder
  19. dos Anjos

    Djoko deve estar dormindo a base de calmantes. Mais um ano sem RG? O sérvio pira de vez. E ele precisa desse título a todo custo pra se tornar lenda do tênis.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Desde quando Pete Sampras, John McEnroe , Jimmy Connors , Stefan Edberg , Boris Becker e CIA precisaram vencer Rolanga para serem Lendas, Amigo ? Lendl venceu 3 vezes, e cansou de dizer que trocava Todos por um de WIMBLEDON .Abs!

      Responder
    2. jeremias

      E assim descobrimos que nem Sampras, nem Mcenroe, nem Lendl, nem Connors, nem Becker, nem Edberg, e, aliás, nem Borg, que não ganhou todos, foram lendas do tênis….

      Responder
    3. Augusto Montenegro

      A base de calmantes acho exagerado kkkkkk. Porém, veja o lado positivo se Djokovic for campeão em cima de um Nadal em Paris, não teremos mais o que falar sobre o jovem sérvio.

      Responder
  20. Realista

    Se djokovic levar roland garros, o céu é o limite pra ele, não vai parar…é o único obstáculo que falta e esse ano está mais difícil do que ano passado.

    Responder
  21. Edu

    Dalcim, li recentemente que o Nadal abandonou a cordas Luxilon BBO e voltou para a Babolat RPM Blast. Será que tem a ver com sua evolução recente?

    Responder
  22. Fonseca

    Quanta frieza e astúcia do staff do Nadal…

    Após vencer 10 partidas em doze dias (e a cada partida com mais energia e correndo mais que na anterior), logo na segunda-feira ele anuncia o processo contra a ex-ministra francesa…

    Responder
    1. Luiz Fernando

      Como ex-ministra do esporte, com certeza deve ter tido acesso aos resultados dos vários exames realizados, assim não terá dificuldades em apresentar as provas q lhe serão solicitadas na audiência, simples como somar 1 mais 1…

      Responder
  23. Luiz Fernando

    Rafa agiu da forma correta ao interpelar judicialmente a leviana e estúpida ex-ministra francesa Bachelot, pelas acusações sem fundamento de doping. Ele venceu 9 RG e vários outros torneios ao redor do mundo, sendo avaliado em exames em diversos deles, nada sendo constatado. Vamos ver as provas q ela apresentará p ratificar suas acusações ou, em caso negativo, para enfrentar as sanções legais. Reitero o q já postei aqui antes: se algum dia for provado q ele se dopou serei o primeiro a vir aqui e acusa-lo de tudo q for cabível, dando a mão à palmatória, mas sinceramente duvido q tenha recorrido a esse tipo de expediente.

    Responder
    1. Rafael

      Se ele, Djoko ou qualquer outro recorrem(ram) a doping, não será pelos exames antidopagem que iremos saber, já que está claro para qualquer um que leia sobre o assunto que tais exames estão sempre um passo atrás das técnicas de doping.

      Daí eu não botar minha mão no fogo por ninguém, ninguém.

      Também daí essas bravatas de processar a ex-ministra (por mais que tenha razão em fazê-lo) e de pedir que divulguem os resultados de todos os seus exames para o público serem apenas mais um ato de jogar para a torcida.

      Afinal, se eu SEI que vou tirar 10 em uma prova, porque ter medo de alguma coisa?

      Mas é assim para todos os grandes. Só os pequenos, que não tem acesso a burlar o controle, estão sujeitos a se darem mal. E os desleixados, como Sharapova, que daqui a pouco será perdoada ou receberá uma punição simbólica.

      Responder
  24. Rubens Leme

    Agora que Nadal se reencontrou, a questão é saber se Federer fará o mesmo. Somou apenas 1055 pontos no ano, está fora do top 10 e ainda tem a longa temporada de saibro pela frente. Hoje tem menos de 25% pontos de Djokovic (4350) e pouco mais d 45% de Nadal (2300).

    Perigas vê-los dispararem e se sentir muito pressionado para Wimbledon e os Masters americanos.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Acorda amigo. Nao garanto que o Suíço retorne ao N 2 , ja’ em Madri ( embora acredite ). O Rei da Grama da Era Profissional, mesmo perto dos 35, deve marcar alguns pontinhos nos Tres ( quem diria ) torneios na relva. A conferir. Abs!

      Responder
  25. Arthur

    Dalcim,

    Acho que uma coisa acabou passando batida na sua análise. Mais uma vez, tivemos um membro da “nova geração” (Nishikori) enfrentando um membro do Big Four (Nadal). E, assim como em quase todas as outras vezes, a parada foi decidida em favor dos medalhões.
    Isso me leva a crer que, no ano que vem, já veremos o Big Four e a novíssima geração fazendo a “nova geração” de saco de pancada, superando o hiato que esta deixou.
    Você não acha que já pra cravar definitivamente que essa é a geração “perdida” do tênis?

    Um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, acho um pouco exagerado, Arthur. Temos de observar que essa geração está encarando três dos maiores tenistas de todos os tempos simultaneamente. Veja que curioso: Nadal é o maior ganhador do saibro, Novak do piso sintético (com Federer em segundo) e Federer da grama. Não sobra muito espaço. Ao mesmo tempo, Nishikori jogar tão bem no saibro – o que vem de dois anos – é até mostra de que ele está evoluindo em certos aspectos.

      Responder
      1. Renato

        Partindo do seu raciocínio dalcim vc acha que jogadores como tsonga, ferrer, nishikori poderia talvez ter ganhado pelo menos um slam na era guga por exemplo? ( Lembro que os resultados nesta época eram bem mais imprevisíveis. Não existia esta história de big four e etc. Havia aqueles jogadores mais regulares no geral, mas não tinha necessariamente um dominante e era uma época recheado de equilíbrio. tanto é que guga conseguiu se tornar número um do mundo ganhando um slam e poucos masters em um ano. Me lembro de um ano em que acho que teve 8 campeões diferentes em 9 masters 1000 ). Nesta época seria possível o japa ser campeão de slam ?

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          Sim, com certeza. Se ele chegou na final do US Open mesmo nesta Era de domínios, então poderia muito bem tê-lo feito antes. Mas é aquela história de sempre. Comparar épocas é algo muito complicado, porque o circuito de 10 ou 20 anos atrás era diferente do que temos hoje. Abs!

          Responder
  26. Mario cesar Rodrigues

    Carlos Bernades foi o que ganhou mais pois fez as duas finais em Monte Carlo,e Barcelona..agora parece que ele está mais calmo,depois que o Marc Lopes levou ele de novo para uma conversa com a ATP ele melhorou tomara!Carlos foi simplesmente culpado pela eliminação da dupla espanhola e tirou o titúlo dos Espanhóis!

    Responder
  27. Mario cesar Rodrigues

    Quem acompanha o Rafa percebe que de um ano e meio até hoje ele está preferindo sacar..até hoje não entendi o pq..disto mas imagino que seja um modo de tentar algo e vem dando certo mas preferia quando ele escolhia receber jogou praticamente a vida toda assim..porque ele quebrando quem seja logo de cara saca melhor…é uma coisa que não entendi até hoje esta mudança!

    Responder
  28. Gildokson

    Rapaz… se esse cara ganhar Madrid ou Roma, e se em um desses torneios ele passar pelo Djokovic… sei não viu
    E outra, sou da opinião que mesmo que eles voltem a se enfrentar justamente numa final em RG, o espanhol ja entra em quadra com 2 sets ganhos kkkkkkkk

    Responder
  29. Casseano

    Dalcim, boa noite

    Nadal e Djoko têm a mesma faixa de idade, por que o Nadal (19 no saibro e 22 nos demais pisos) se destacou muito antes e o Djoko um pouco mais tarde (24 anos)? Djoko até 2011 era freguês, hoje, ambos próximo aos 30 anos o Sérvio é quem manda e sinceramente, exceto no saibro, não vejo como Nadal equilibrar os números. Na sua opinião tem algum motivo para este fato? Considerando toda a carreira de ambos qual é o melhor para você Dalcim? (Pergunto durante toda a carreira porque no momento não tem comparação)

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Nadal é um fenômeno, Casseano. Djokovic também teve sucesso cedo, mas Rafa é incomparável nesse quesito. Acho que neste momento, analisando a carreira de cada um, Nadal é superior.

      Responder
  30. O LÓGICO

    VOLTA DJOKILLER, VOLTA LOGO MATADOR DE SIRIS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk O SATANÁS do mundo do tênis concedeu ao robozinho satânico, seu filho mais pródigo kkkkkkk uma breve reencarnação kkkkkkkkk Fdp do car….kkkkkk

    Acho engraçado o comportamento da Nadalzete L. FerDANDO kkkkkkkkkk foi só o robozinho voltar a ganhar ele começou a se assanhar novamente kkkkkkkkkkkkkkkk Topo aposta com qualquer um aqui do Blog, incluindo o GURU kkkkkkkkk que o robozinho não bate uma vez sequer o DJOKOBAUER esse ano. Aposto 1000 por um real kkkkkkkkk

    Acho tão fantasmagórica a análise sobre a “melhora” do robozinho, que não vai perdurar para além do próximo torneio kkkkkkkkkkkk. Só porque as condições materiais para seu escroto kkkkkk jogo ocorreram e os adversários se mostraram bem abaixo do que já renderam outrora, logo vemos a paixonite das nadalzetes prevalecer sobre a LUZ NATURAL kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk E já tão sonhando com o décimo slam na LAJE kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
    1. julio

      cara, que coisa mais feia e tendenciosa e como vc consegue falar tantos palavrões weguidos. Vc não torce para o djocko, vc o idolatra, e ainda consegue menospresar tanto o nadal que é um cara sério, humilde e que não quebra raquetes, é uma pessoa equilibrada, somente dá bons exemplos como pessoa. Reveja os seus conceitos e não seja tão maldoso e endemoniado, vá fazer uma sessão de sesobseção, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Responder
  31. Natanael Lobato

    Parabéns Nadal, maior de todos no barro, indiscutivelmente o melhor. Rolanga em aberto, seria incrível uma prévia da final de Paris com NolexRafa em Madri ou Roma. Olhos atentos, pois o touro pediu passagem rsrs. Meu jogador favorito que treine duro desde então para levar R.G, pois só falta este detalhe e as Olimpíadas para se tornar o jogador mais completo, homogêneo e perigoso em qualquer piso no tênis de todos os tempos. Outros detalhes como semanas como N1 e recordes Slans viram gradativamente para firma-lo de vez como o maior, o verdadeiro GOAT, que sejamos sinceros e humildes para reconhecer que tal posto pertence “ainda”, “por enquanto”, a outra lenda R.Federer. Adje Djokovic.

    Responder
  32. Alan Guimarães

    Olá Grande Dalcim.

    Na minha opinião, o melhor tênis apresentado pelo espanhol foi no ano de 2013, não em resultados mas sim em qualidade de jogo apresentada.

    Concorda Dalcim?

    abraços

    Responder
  33. Luigi

    Achei que quase tudo melhorou para o Rafa, principalmete as devolucoes. Mas tem um buraco no jogo dele que acho que o Djoko pode explorar que é a devoluçao do segundo saque. Se nao fosse por isso diria que o espanhol teria grandes chances de ganhar o RG. Sempre que um jogador começa a fazer muitas duplas faltas é porque fica inseguro com a devoluçao do segundo servicoço. Foi o que o Murray sentiu contra o Nadal e é o que o Rafa sente contra o Novak. Dito isso queria elogiar alguns exclentes posts que as pessoas publicaram e publicam aqui. Especialmente do Marcelo.
    Dalcim, você se sabe por que o Nadal não pegou um novo treinador, especialmente um que pudesse fazer o saques dele evoluir?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É a coisa de sempre, Luigi. Rafa acha que o Toni, com ajuda do Roig e dicas do Costa e por vezes do Moyá, são suficientes.

      Responder
  34. Luis

    Dalcim como Federer voltou a estar com bom tenis e venceu Djokovic algumas vezes ano passado,a volta de um Nadal parecido com de antes pode equilibrar mais circuito que tinha o dominio do Djokovic?

    Responder
  35. Eduardo

    O Nadal realmente vem recuperando senão sua melhor forma, ao menos uma forma competitiva o suficiente para brigar por títulos no saibro.

    O que não entendo é como ele persiste com a técnica de saque que ele utilizava no começo da carreira e que, por um período, creio que entre 2011 e 2013 ele melhorou. O saque, embora tenha um componente físico, é um gesto motor muito técnico e mesmo mais velho e com menos físico ele conseguiria trabalhar e manter o nível do saque (até porque ele não está propriamente velho, ainda mais para o saque). A distância da raquete para o corpo dele no levantamento e na laçada é enorme. Falta um especialista para recorrigir o que já havia sido corrigido e vontade para mudar.

    Responder
  36. Altaisio Paim

    Boa tarde!
    Sem tirar o mérito do Nadal, vc não acha que a chave foi boa para o espanhol? Os jogadores enfrentados pelo espanhol são “ganháveis” e não vivem grandes fases. Comente, por favor! Abraços..

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas isso é esperado num torneio 500. Mas você não pode dizer isso de Monte Carlo: Thiem, Wawrinka, Murray, Monfils…

      Responder
  37. jeremias

    À rigor, o Implicante resumiu acertadamente a situação. Se você pegar direitinho, ano passado o Nadal se deparou com um Djokovic infernal e perdeu para ele em dois dois torneios principais dessa fase do saibro: Montecarlo e RG. Em Roma caiu para um Wawrinka que vinha numa silenciosa ascensão a qual culminou e se mostrou ao mundo naquela histórica fina; enquanto em Madrid, sabemos que lá não está o seu tipo de saibro preferido, de vez que uma derrota para Murray também não foi esse assombro todo. Em suma, ele sempre foi, mesmo ano passado, muito forte no saibro, com a diferença que em 2015 pegou, nos principais palcos, jogadores que estavam num nível de inspiração fora da curva. Eu ainda acho que na atual fase de maturidade pessoal de Djokovic–coisa que sabemos contar muito–o Nadal terá dificuldades de superar a maior variedade tenística do sérvio, mas que seria absolutamente épico se pudéssemos assistir aos dois mais uma vez se digladiando na Philippe Chatrier, numa Final, ah, isso seria.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Discordo quase que na integralidade…

      Não tem nem cabimento a comparação de um Nadal ganhando dois títulos seguidos: um de Masters e outro de ATP 500 e superando jogadores de qualidade como Nishikori, Fognini, Thiem e outros… com aquele Nadal inseguro, errático e encurtador de bolas, da temporada de saibro passada.

      Responder
      1. Implicante

        Nishikori e Fognini estão jogando melhor esse ano ou nos últimos 2 anos? Foi o que eu quis dizer, esse ano estão abaixo… Murray no saIbro nem conta: 1 título apenas e pouquíssimas finais. O Thiem está começando agora, não é nenhuma referência e oscila demais, assim como o veterano Wawrinka, que depois de RG 2015 nem sei se está oscilando: parece em queda livre.
        Torneio sem o Federer. Djokovic e o Ferrer no saibro, fica com uma cara de atp 500(Montecarlo) ou 250 no caso de Barcelona.

        Responder
        1. Rodrigo S. Cruz

          Cara, até bem pouco tempo, o Nadal era dúvida até em torneio de ATP 250.

          A evolução dele é evidente, e acho que tem a ver com a troca do tipo de encordoamento da raquete…

          Responder
    2. Implicante

      Valeu Jeremias. Esqueci de mencionar o Ferrer também que está fora de ação. Bem provável que ele chegasse nas finais desses dois últimos torneios. Contra o Nadal, ou o despachando em rodadas anteriores, a depender do chaveamento.

      Responder
  38. Rafael Medeiros

    Isso chama-se puro e tão só ufanismo.

    Ganhou dois torneios que ninguém deu a mínima.

    Agora, fico imaginando o estrago que Djoko vai causar nesse servicinho safado do espanhol. Se recuperou um pouco de seu jogo, está PIOR DO QUE NUNCA no serviço. Horroroso.

    Próximo encontro entre nadal x djoko: 6×2 ; 6×0 pro sérvio. Anotem aí.

    Responder
  39. Giulia Morelli

    Mesmo com a vitória de Nadal, muito importante para todo o circuito diga-se, não vejo ainda em condições de bater Novak.

    Vamos lá: O saque de Rafael não causa danos a Novak, que possui a melhor recepção do mundo, esse item nos últimos confrontos tem sido a tônica do jogo, acho que o espanhol sofre demais com as devoluções de Novak no seu revés, o que praticamente é 50% do ponto ganho.

    Novak melhorou demais no slice, é outro jogador, e muito mais mortal, nisso empata com o espanhol, o que tira de Nadal uma das suas armas contra o sérvio. Na minha opinião é um dos fatores que Federer tem perdido para Novak, ele tirou boa parte das armas que seus adversários tinham contra ele. Trabalhou pesado nos pontos fracos, e transformou-os em antídotos contra os melhores golpes dos adversários.

    Acho que Novak sente-se desconfortável quando é atacado constantemente, vide suas últimas derrotas, principalmente a última, e em RG no ano passado contra Wawrinka, mas isso exige do adversário o “jogo perfeito”.

    De qualquer maneira a temporada de saibro está mais interessante com o ressurgimento de Rafa Nadal, mas não acredito e Federer, ou mesmo Murray ameaçem Novak, Nadal, Wawrinka, e talvez Thiem.

    Responder
    1. Fonseca

      “Mesmo com a vitória de Nadal, muito importante para todo o circuito diga-se”..

      Esse tipo de comentário é a “morte” para mim…. Quer dizer que a vitória de Nadal é importante para TODO o circuito? Não apenas para patrocinadores, para a Espanha, para os jornais, pra seus fãs, etc, mas para TODO o circuito? (que, pelo que eu saiba, inclui os jogadores) A vitória de Nadal é importante para Monfils, que perdeu a chance de ganhar seu primeiro Masters 1000? Para Murray perder pela enésima vez para o espanhol e no dia seguinte dar declarações polêmicas de doping?

      A vitória de Nadal (ou de qualquer outro fenômeno, que seja), foi importante para Thiem perder outra vez tendo 100 break points a favor? O austríaco acabou o jogo e falou para o espanhol na rede: “Sua vitória é muito importante para o circuito”? kkkkk

      Responder
  40. ULISSES GUTIERREZ

    Dalcim,

    mesmo sendo nítida a melhora do espanhol nessas duas semanas, vejo o Djokovic ainda favorito.
    Na partida de ontem contra o Japonês, por diversas vezes o Nadal tinha a bola para atacar na paralela, e mesmo assim soltava um balão na esquerda do adversário. bem verdade que a bola do Nadal estava profunda e incomodava. Só que contra o Nole é diferente, bola alta na esquerda não incomoda tanto assim. Para o Nadal ganhar do Djokovic vai ter que ser agressivo, essa é minha visão. O que acha mestre?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Pois é, também acredito que jogar apenas no erro do Djokovic é pouco para o Nadal. Para ser competitivo, ele terá de melhorar o aproveitamento do serviço, forçar mais a segunda bola e atacar como a paralela de forehand com frequência.

      Responder
  41. Altaisio Paim

    Boa tarde!
    Dalcin, vc não acha que Nadal ainda “sofre” para ganhar seus jogos no saibro? Ele não é o mesmo de outrora, mas continua um excepcional jogador. Em vários jogos o Nadal esteve a beira da derrota. Concordas , amigo?
    Abraços..

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas sofrimento sempre foi uma marca registrada dele. Como ele joga muito no erro do adversário, há sempre a necessidade de muita troca e paciência.

      Responder
  42. Felipe Pontes

    Sinceramente, independente do que aconteça em Madri e Roma ( a não ser duas eliminações na estreia), Djoko é o grande favorito pra RG. O que mais pesa contra o Sérvio, na atualidade, é a pressão pra faturar a cereja que falta pro seu bolo. O Retorno do Rei, do saibro, ainda não será suficiente para desestabilizá-lo tecnicamente ou emocionalmente. Já a responsa de vencer em Paris depois de derrotas em finais consecutivas, isso sim, é um grande problema. Dalcim, qual das pressões achas pior: a perseguição de RF pelo 18° ou a de Djoko pela taça dos mosqueteiros?

    Responder
      1. Felipe Pontes

        Também achava isso, mas mudei um pouco minha opinião depois das finais do ano passado. O feito de Djoko será maior, sem dúvida, mas o suíço tem demostrado uma ansiedade e insegurança “estranhas” (somando-se a dificuldade de se enfrentar um Djoko atualmente). Final mesmo em Paris, seria a do suíço contra o sérvio! Abraços…

        Responder
  43. RAFAEL PEREIRA

    Como é bom ver que de profetas esses “comentaristas” do blog não tem nada!! KKKKKK
    O “acabado” Nadal já é o segundo melhor tenista do ano!! A onde estão os grandes entendedores do esporte, falastrões de baboseiras??? sumiram né?? É bom sumir mesmo!!!
    Quanto ao resto dos torneios até RG, é bem verdade que para o Nadal seria bom não cruzar com o Djoko, o que na verdade é bem difícil de não acontecer!!
    Djoko é favorito aos títulos, mesmo no saibro contra Nadal, ele conquistou essa posição de favorito com muito mérito!!!
    Entretanto, VAMOSSSS!!!

    Responder
  44. Realista

    Mais uma vez o que falo, Nadal ja teve inumeras lesoes e ta ae novamente voando,inclusive pode ganhar roland garros, oque não será surpresa…ae vem falar de djokovic como se o cara fosse cair fisicamente do nada kkkkkk podem anotar, esse mesmo nadal ainda vai dar muito trabalho por pelo menos mais uns dois anos.

    Responder
      1. Realista

        Olha Carlos, sou fã do djokovic e realmente não consigo sentir desprezo pelo rafael nadal…mas admito que seu jogo é cansativo de assistir,não consigo…sempre da vontade de mudar de canal…o jogo dele é consistência e correria e seu saque é uma das coisas mais feias que ja vi no tenis junto com o smash vergonhoso do djoko e aquela maravilha de esquerda sempre tão calibrada do federer…

        Responder
  45. thiago

    Dalcim o título do post é perfeito “Nadal cada vez mais perigoso” isso não quer dizer que ele vai ganhar RG, mais com certeza os adversários começam a respeita-lo mais inclusive o próprio Djokovic já deve está começando a se preocupar pois Nadal só está aumentando a sua confiança a cada dia. é visível sua evolução até aqueles que não gostam dele sabem disso, parece mais veloz ,está escolhendo melhor as jogadas, está chegando em quase todas as bolas incrível como em pouco tempo as coisas mudaram, mais vamos aguardar os próximos 2 toneios Madri e Roma acredito em que pelo menos um desses torneios devemos ter o clássico Nadal x Djokovic ai vamos ter um parâmetro melhor de como estão os dois.

    Dalcim vc sabe qual o próximo torneio do Thiago Monteiro ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      O calendário dele prevê a disputa um challenger na Europa na próxima semana (talvez Roma) e depois na outra (talvez Heilbronn ou Bordeaux), ambos como preparação para o quali de Roland Garros.

      Responder
  46. André Borges

    Até que enfim vamos ter o segundo melhor duplista do mundo jogando duplas com um duplista. Espero que essa dupla se entrose rapidamente e embale. Excelente escolha fez o Jean Julier Roger. Me incomoda muito ver o Melo tendo que variar parceiros toda semana enquanto o Dodig não está disponível para jogar o circuito de duplas.

    Responder
  47. Sergio Ribeiro

    Fica claro que a melhora do Espanhol se deve muito ao seu hábitat. Mas seu Serviço ainda permite uma incrível quantidade de Breack Points a seus oponentes. Algo que alguns como Thiem ( INESPERIENTE ) e Nishikori ( excesso de respeito) , apenas para nao citar a lista completa nao o fizeram, incluindo Murray. Nada que abale o favoritismo de Novak, a meu ver. Comentários dos mesmos imbecis ja’ chamando as pessoas de medíocres, passam na integra. Nao vejo porque , meu Caro Dalcim , respostas a esses L.Fs repetitivos e que degrinem outros Tenistas precisam serem cortadas. Abs!

    Responder
    1. bruno

      Disse tudo:são sempre os mesmos imbecis.nao ficam mais felizes em menosprezar os outros a propia conquista dos seus jogadores.pobreza mesmo!

      Responder
    2. Luiz Fernando

      Sérgio fique calmo, não me referi a vc quando postei recentemente que alguns comentaristas do blog são “imbecis” ou medíocres”, me referi aqueles q sempre q Nadal vence alegam q isso decorre de doping, algo q não me recordo de vc ter feito, ou q lhe negam os méritos q indiscutivelmente tem, algo q igualmente não me recordo de vc ter postado. Vc há de concordar que isso ocorre sempre, e sinceramente não vejo como me referir a quem faz esse tipo de postagem de outra forma. Agora entendo a razão dos seus textos muitas vezes sem nexo e de difícil compreensão , vc talvez tenho um raciocínio confuso, não conseguindo discernir A de B. Por outro lado, pra não deixar dúvidas sobre o q penso a seu respeito, sempre achei vc antipático e arrogante, além de ter o péssimo hábito de tentar sempre menosprezar aqueles q discordam de vc. Não sei se o Dalcim vai publicar isto, pois ele igualmente já vetou comentários meus, algo q devo respeitar, pois o espaço é dele e devemos seguir as regeras q ele determina, discordando ou não. Fique a vontade p responder da forma q desejar, não perderei meu tempo polemizando com caras infantis como vc. Grande abraço.

      Responder
      1. Sergio Ribeiro

        “Nao polemizar com Caras infantis como você ” ? Se enxerga garoto. Vai pra Turminha dos adoradores do Face, que aqui o guri so’ assina recibo kkkkkkkkkkkkkAbs!

        Responder
  48. Pieter

    Que bom ver que o Touro Miúra voltou a ser um jogador competitivo! Isso faz muito bem ao tênis! Queremos competição e títulos disputados por diferentes jogadores…

    Responder
  49. Mário Fagundes

    Jamais pensei que Nadal estivesse acabado, mas confesso que estou impressionado com tamanha evolução num espaço de tempo tão pequeno. De uma hora pra outra o cara passou a jogar perto daquilo que nos acostumamos a ver. Alguns podem defender que essa evolução se deu por conta da melhoria na parte técnica. Pra mim, Nadal está perigoso novamente porque voltou a correr, incansavelmente, atrás de todas as bolas, defendendo tudo, até destruir o mental e o físico do adversário, como sempre o fez. O sinal de alerta está ligado para Novak Djokovic.

    Responder
  50. Implicante

    É um equívoco pensar num Nadal forte de novo, é impossível já que ele e dependente do físico. O que acontece é que ele e o Federer vão ganhar os torneios que não cruzar com Djokovic… A geração Dimitrov, Raonic, Nishikori e Murray que deveria ser uma barreira , está decaindo. Nos últimos 3 anos que o Nadal não ganhava nada de relevante, tinha alguns desses caras fazendo boas partidas, hoje não.
    O Nadal e o Federer são caras bem acima. Mesmo os dois estando longe dos seus auges da década passada, são muito fortes para as gerações mais fracas subsequentes.

    Responder
  51. AURÉLIO NR.

    Prezado Dalcim e amigos.
    O Nadal realmente elevou o seu nível. Contudo, precisamos aguardar os próximo torneios para uma melhor avaliação. Quanto ao Nishikori, vai ser um Berdich da vida. Sempre entre os 10 melhores, mas nunca ganhando os torneios mais importantes (Master 1000 e Slam). Vale ressaltar que o Berdich ganhou o Master 1000 de Paris no longínquo ano de 2005 (muito pouco).
    Abraços.
    AURÉLIO NR.

    Responder
  52. Luiz Fernando

    Nesse momento nós q torcemos para Nadal precisamos sobretudo ter os pés no chão. Djoko ainda é o grande favorito p vencer os principais torneios, em qualquer piso, isso deve ficar claro. Agora também devemos ter em mente q em 2013 após ele vencer o primeiro set por 61 na final de Monte Carlo contra Rafa a impressão era a mesma, e depois o espanhol ganhou tudo. Então vamos observar o q ocorre em Madri e em Roma para podermos ter uma melhor noção da realidade das coisas.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Finalmente segundos de lucidez, L.F. Somente comentar em cima de resultados isolados, e’ uma característica da maioria dos que Postam APOS. Seu Serviço ( pouco melhorou) , seus golpes principais sao bastantes conhecidos por Novak. A queda deste em MC pouco significa. Ja’ Postei que a meu ver, Novak ainda vai perder mais ate’ Rolanga. Nessas duas boas Finais do Espanhol , Monfils e Nishikori nao conseguiram e nem souberam se impor. As mudanças de direção e paralelas do Servio, e sua espetacular devolução, funcionam também no Saibro. Uma queda precoce em Rolanga , seria uma Zebra, ao menos para mim. Abs!

      Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Não confunda lucidez com falsidade.

        Quando o Nadal estava levando bordoada de tudo que erra jeito, ele posava de Modesto. Mas agia assim apenas por precaução, para o caso da provável próxima derrota…

        Isto ficou bastante claro na medida em que ele dizia duvidar do Nadal, mas continuava atacando o Federer sem parar. Insistia na velha ladainha de que a pior temporada do Nadal ainda era melhor do que a pior temporada do suíço. E xingava os foristas contrários as suas opiniões ridículas de “aloprados” e outros adjetivos “gentis”.

        Aí o Nadal melhorou,e ele não teve dúvidas: passou a despejar mais provocações, ataques ao Federer e comentários arrogantes diversos.

        Lucidez?

        Esse daí é um caso perdido.

        Responder
        1. O LÓGICO

          Perfeito RODRIGÃO kkkkkkk foi só o robozinho maldito voltar a ganhar que ele voltou a se esfranganhar KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

          Responder
  53. Carlos Umberto

    Já disse que para mim o sonho de RG para o Djoko será adiado mais uma vez. Para ele ganhar teria que começar “voando” na temporada de saibro e o Nadal continuar em baixa, cenários totalmente diferentes neste momento. Concorda, Dalcim?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não, acho que Djokovic pode muito bem ganhar Madri e Roma, incluindo uma vitória sobre Nadal em qualquer um desses torneios, e isso lhe daria toda a confiança do mundo para Paris.

      Responder
    2. leo gavio

      Nadal melhorou muito, mas é bom lembrar que RG é realizado em melhor de 5 sets.

      Djokovic pode ganhar de qualquer um em qualquer piso e em qualquer circunstancia, principalmente em melhor de 5, sendo um Major onde o foco, a preparação e o empenho são consideravelmente maiores.

      Djokovic já sabe como lidar com Nadal, vejo ele tendo mais problemas com um Wawrinka inspirado, ou um Murray determinado. Porem Nadal sempre é um perigo.

      Mas, sinceramente, atualmente, com o saque, devolução, reves, drive, fisico e mental que Djokovic construiu ao longo dos anos ele só perde partida de GS pra ele mesmo, ninguem consegue ter esse conjunto atualmente. Então a unica coisa que vai derrotar Djokovic em GS vai ser um problema fisico ou alguma questão psicologica dele mesmo, se depender so dos adversarios atuais ele não perde.

      Responder
  54. Luciano

    O problema pro Nadal vencer um slam e o mesmo que Federer teve no ano passado e se chama Djokovic. E a pior campanha entre os grandes campeoes foi de Nadal ano passado que caiu pra 8 do ranking. Federer, em 2013 caiu pra 6.

    Responder
    1. Fonseca

      O problema é bem pior, pois o Federer tem chegado em finais e semi-finais de Grand Slam, e o Nadal não passa das quartas-de-final de Grand Slam desde Roland Garros 2014… (mas, claro, nesse Roland Garros 2016 deve passar).

      Responder
  55. Chetnik

    Jogão hoje. Confesso que torci para o Japa. O Nadal vencendo seguidamente e recuperando a confiança…se continuar assim o Djoko vai passar mais um ano chupando dedo em RG.

    Achei o Nadal muito próximo ao que ele já produziu de melhor. Mais erros do que antes, mas a movimentação, defesa, forehand matador, esquerda decente, boas devoluções. Só o saque ainda pode melhorar mais. Hoje ele fez vários daqueles pontos que ele fica se defendendo nas cordas feito um maluco e na primeira oportunidade que tem manda um forehand na paralela que o adversário nem esboça reação.

    Parabéns ao Nadal, o cara é foda mesmo.

    Madrid e Roma vão ser importantíssimos.

    Responder
    1. Carlos Reis

      kkk Tá com medinho do trapaceiro mor!? Fica não, o DjokoVICE de RG dessa vez será o campeão, porque essa praga espanhola não merece vencer 10 vezes o maior torneio de saibro do mundo, NÃO MERECE!!!

      Responder
  56. AKC

    Que bom ver Nadal de novo vencendo. Seus golpes de fore e backhand voltaram a ter profundidade, quicando próximo às linhas. Estava frustrante ver seus golpes quicarem na área de saque, como na gira sul-americana. Voltou a chegar em todas bolas. Ressalvas devem ser feitas em relação ao seu saque – meramente burocrático – e ao aproveitamento das quebras. Em Monte Carlo e Barcelona, em alguns jogos, o adversário devolvia a quebra em seguida, coisa que não se via no velho Nadal, que sempre aproveitou as quebras para desmoralizar o adversário e selar as vitórias. Por isso tudo, pode-se dizer que Nadal cresceu, ganhou favoritismo, mas ainda deve uma vitória contundente no saibro sobre seu maior adversário do momento, Novak Djokovic. Roland Garros está aberto.

    Responder
  57. Antonio Gabriel

    Não tem jeito, o homen é mesmo o rei do Saibro e aos poucos vai promovendo o terror dos adversários, apesar que nestes dois torneios ele não teve o desafio maior que seria enfrentar o Djokovic. Mas vamos aos fatos, o circuito possui ótimos tenistas, mas todos eles, ai eu incluo o Murray também, quando vão jogar contra RN, ND ou RF, parecem que sentem um medo, nervosismo, insegurança, etc, acima do normal, é certo que esses três já podem ser considerados Lendas do esporte em atividade,mas os adversários simplesmente “somem” diante dos caras e isso fica muito evidente em finais, onde é muito raro que um dos três perda uma final, nos ultimos tempos os dois unicos que passaram esta barreira foi justamente Murray, o mais próximo dos três, e o Stan, o resto nada, hoje mais uma vez isso ficou evidente e acho que ainda veremos isto até esses caras se aposentarem ou se de repente aparecer um novo fenomeno do esporte, o que acho meio dificil. Mestre Dalcim, será que falei besteira ou á coisa é mesmo por ai. Um abraço!

    Responder
  58. Fernando Cordeiro

    Dalcin, porque nenhum Canal de TV está transmitindo a série ATP 500??? São Torneios relevantes, tradicionais e nenhum Canal de Esportes transmitindo as partidas!!!???

    Pelo que vi no Tenis Brasil foi um grande jogo e acho que o Nadal está voltando, mais uma vez. Ressurgindo, quando muitos já não acreditavam mais nele.

    Parabéns pelo Site, pelo conteúdo do mesmo, pelo seu Trabalho como um Todo!!!

    Responder
  59. Renato

    O grande problema é que Novak vai voltar! Mesmo com a melhora do espanhol, me arrisco a dizer que Rafa não tira nem um set de Novak mesmo no saibro.

    Responder
  60. Mario cesar Rodrigues

    Olá,Dalcim Rafa jogando melhor bem melhor ele aprofundando a bola fica máis fácil teve uma lá que não sei como conseguiu claro que existe buraco em seu jogo ..EX saque precisa melhorar principalmente o segundo e como Rafa defende pqp..e não concordo mesmo que Rafa não ganhe Madri e nem Roma que está descartado sua soberania em RG é grande em 5 sets realmente creio que Rafa ganhará claro se tudo acontecer normal poxa o Kei joga muito kei em 5 sets no Saibro não dá para ele pode acreditar!e Palmeiras mas vida que segue!

    Responder
  61. Maurício Luís *

    Não vou dizer que me agrada ver o Nadal jogando bem e ressurgindo das cinzas. Quem vê meus posts, sabe que não morro de amores por ele.
    Mas, dizem que na vida tudo tem o lado bom: o circuito passa a ser mais competitivo e a ter maior visibilidade com ele.
    Pronto. Paro por aqui, que pros meus padrões já é elogiar demais. Não sem antes comentar que o LÓGICO, a essa altura, deve estar tomando comprimido contra depressão. Previsões dele parecem estar ‘furando’.

    Responder
  62. Marcelo Teixeira

    Ele voltou e o mundo do tênis agradece, seja bem vindo Rafa, até onde essa recuperação irá não sabemos, como já falei antes somos privilegiados, que era do tênis masculino.

    Responder
  63. Roberto Rocha

    Incrível a mudança…fisicamente, está correndo demais, suportando castigo até poder contra-atacar…tecnicamente, seu revés está muito mais agressivo e profundo. Aliás, profundidade nos golpes também está notável. Taticamente, voltou a escolher golpes corretos nos momentos críticos das partidas.
    Como pôde evoluir tanto em tão pouco tempo? Talvez tenha finalmente acertado o equilíbrio da raquete…enfim, está jogando muito bem sobre o saibro.
    Agora, livre da pressão de ter que provar que poderia voltar a jogar em alto nível, pode até se dar ao luxo de não se desgastar demais nos próximos torneios. Se perder, se poupa para Rolanga, seu principal objetivo no ano.
    Que venham os próximos torneios. E veremos o que acontece no circuito.

    Responder
  64. Marcão

    De mim não colho surpresa. Já assuntei de tudo nessa vida. Sombrassão, quebrante, visage, pinotismo. Por que iria hesitar logo do medonho? O mais que perfeito que tome cautela, que esmague o cramuiãozinho inda na garrafa; na caja ou no foro, nos dois de apreferença. Trinta dia despois do ovo, o garrão furuncha a casca e apincha o peludo, daí num tem remédio, só com esconjuro de crucificho, asperge e sobripélis.

    Responder
  65. Igor

    “Está veloz, fisicamente no ápice, escolhendo o golpe certo na hora precisa.”

    Discordo totalmente dessa parte, nadal tava com a vantagem no 2 set do jogo, e sentiu fisicamente… acho que se o nadal estivesse fisicamente bem(não falo nem o auge do passado, pois aquilo nao volta, do touro incansavel), ele nao abdicaria de tantos pontos…

    Nadal apenas estava rolando os games de saque do japones… sem forçar… e nao estava mexendo as pernas nas bolas que provavelmente seriam perdidas…

    entao nao acho que o nadal está tao bem fisicamente

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, e ele aí pelo oitavo game do segundo set busca um voleio curto do Nishikori de forma inacreditável e ainda mata no segundo voleio. Se isso não é estar bem de pernas…

      Responder
  66. Irônico

    Assistimos, nas duas últimas semanas, a um Rafael Nadal vencendo fraquíssimos adversários no saibro, como Wawrinka, Fognini, Murray, Nishikori, Thiem e Monfils.

    Essas vitórias de nível future não são bom presságio…

    Responder
  67. Luis coelho

    Oi Dalcin. Sou fã do seu blog desde o início. Acompanho tênis desde a era do Borg. Na minha opinião só o Nadal e o Federer encaram o Djokovic, que apesar da regularidade fantástica dos últimos tempos, não está jogando tão bem como no ano passado. Em geral a sua regularidade é tão grande que ele tem conseguido aproveitar qualquer vacilo do adversário para estabelecer um domínio impressionante. Eu sei que ele joga xadrez com o Becker e eu tenho a impressão que ele tirou do xadrez uma idéia que o djokovic têm aplicado muito bem ao tênis. No xadrez existe uma vantagem para o jogador de brancas, por causa da vantagem do primeiro lance. Antes de Tahl, Fischer, Kasparov, o normal era o jogador de pretas tentar equilibrar o jogo e depois tentar vencer, com os jogadores citados isto mudou, pois eles jogavam aberturas já para dominar o jogo desde o início. No tênis me parece que Djokovic não respeita de forma alguma o saque do adversário, já que ele tem uma das melhores devoluções da história do tênis. Isto causa um desequilíbrio fantástico na cabeça do adversário, que passa a jogar muito intranquilo. Me parece que o Nadal está tentando fazer o mesmo, só que o saque do Nadal tem sido o seu principal ponto fraco, além das frequentes contusões que o afastaram do circuito. As outras hipóteses, prefiro tratá-las assim, não me interessam enquanto não houver comprovação. Não acho legal comparar com o Armstrong, pois muitos do ciclismo sabiam que ele tomava substâncias proibidas, enquanto que poucos dizem o mesmo sobre Nadal e Djokovic. Federer quando saca bem consegue igualar o jogo contra Djokovic , o único porém é a questão dos cinco sets. O poder mental de Nadal, agora está de volta, e o do Djokovic também têm sido ameaçadores tanto quanto os respectivos preparos físicos. Abraços a todos e parabéns pelos dez anos de sucesso.

    Responder
  68. Rodrigo S. Cruz

    Se o Djokovic ganhar Roland garros este ano, ninguém vai poder dizer que pegou o Nadal em má fase. Porque hoje o espanhol mostrou que pode ser um obstáculo de peso para ele…

    Responder
    1. Chetnik

      Esse é o lado bom desse ressurgimento. Mas no final das contas, o que vale é ganhar. O Federer ganhou o dele porque não encontrou o Nadal, mas quem se importa? Eu prefiro que o Djoko vença sem ter que pegar o Nadal, ou pegando um Nadal meia boca – como no ano passado – do que perca outra final para o “melhor Nadal” rs. E convenhamos, o “melhor Nadal” vai sempre vencer o Djoko, ou qualquer outro, em RG.

      Responder
    2. Sergio Ribeiro

      Rafa somente parou nas Quartas de Rolanga 2015. Novak aplicou-lhe um 3 x 0 com relativa facilidade , muito em função de aproveitar a maioria dos Breaks Points em função do Serviço do Espanhol. Seus Ganchos nao incomodam o Back de duas maos excepcional do Servio a Tempos. A pressão ainda e’ o maior obstáculo ao Servio , a meu ver. Acredito que derrotas nestes Torneios preparatorios nao mexam com o experiente Novak , parceiro. Rafa Nadal e’ que pode ir mais longe em Rolanga. Todos de Back de uma mão ( exceto Stan ) , nao parecem ser páreo para o Espanhol no Barro. Abs!

      Responder
  69. Paulo

    O Nadal ganhou do número 2, do número 4 e do número 6 do mundo.
    Na boa, não sendo o Federer obstáculo no saibro, o que temos hoje é que Nadal figura pelo menos como segundo principal favorito ao título de Roland Garros.
    Convenhamos, é um quadro bem diferente de 2 semanas atrás.

    Responder
  70. Marcos Castillo

    Não tenho nenhuma simpatia por Rafael Nadal. Não gosto da sua comemoração levantando a perninha. Não gosto do punho cerrado quando seu adversário comete uma dupla falta. Acho um saco e um desrespeito aos seus oponentes todo aquele ritual para sacar que leva em média 30 segundos, desrespeitando a regra. E não gosto de mais uma dezena de coisas relacionadas a ele.
    Considero, no entanto, que ele é um dos maiores jogadores de tênis da história. “Inventou” um golpe que até então não existia no circuito, um forehand com spin médio de 3200 rpm que, direcionado para o backhand de seus adversários, principalmente os que executam o golpe com uma das mãos,provoca sérios estragos. Prova disso é ele nunca ter perdido de Richard Gasquet, um dos melhores backhands de uma mão do mundo, em 14 jogos!
    Chamá-lo de baloeiro é o fim da picada, seria o mesmo que chamar Federer de “salameiro” por conta de seus incríveis slices ou Djokovic de passador de bolas por conta de sua excelente forma física que o permite colocar sempre uma bola a mais para o outro lado.
    Incomodar o adversário com bolas que ele não gosta é fundamental para obter sucesso neste esporte.
    Nadal voltou. Chorem antis(como eu).

    Responder
      1. Marcos Castillo

        Citei os 14 jogos que eles fizeram como profissionais,Emílio. Acredito que ninguém considere resultados do infantil em termos de estatística. E mesmo que Gasquet tivesse ganho algum confronto contra RN no profissional (o que não ocorreu),acredito que isso não seria argumento para contradizer minha observação sobre o estrago causado pelo forehand do espanhol nos backhands de uma mão. Abs!

        Responder
  71. Luís Nascimento

    A única chance de lo Nadal vencer Djokovic atualmente é no barro… E o crescimento do espanhol acende uma luz amarela para o Djoker… Não tenho dúvida que o Sérvio treinará muito mais forte a partir de agora.

    Para Nadal a chance de vencer Djokovic em Roland Garros aumentaram muito… mesmo assim ainda aposto nomDjoker, pois tem as armas necessárias para vencer o espanhol.

    Responder
  72. Maisa Santana

    Olá pessoal! Rafa sofreu…porém fez o Japa sofrer muito mais. Jogão cheio de alternativas. Bom demais ver Rafa vencer no saibro ao seu estilo. Melhor de tudo é vê-lo determinado e confiante. Soube ultrapassar as dificuldades com brilho. Os números de Rafa impressionam. Poucos conseguiram tantos feitos. Aos críticos de Rafa…. quanto mais torcem contra, mais Rafa mostra o quanto é fantásticos no Saibro. Madrid vai ser muito competitivo. Acho que as melhores chances de Rafa são para Roma.
    Dalcim!?! O que faltou ao Nishikori para ganhar?

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *