Djokovic pode superar Federer e Nadal pela 1ª vez
Por José Nilton Dalcim
31 de janeiro de 2016 às 13:05

Muito se fala das chances de Novak Djokovic atingir façanhas e recordes de seus principais concorrentes da atualidade, como os troféus de Grand Slam de Rafael Nadal ou as semanas na liderança de Roger Federer, que são números que realmente pesam. Mas um feito espetacular já está a seu alcance muito antes dos demais. Caso enfim conquiste Roland Garros, será o único desde Rod Laver a deter simultaneamente os quatro títulos mais importantes do tênis.

Federer teve duas chances seguidas, em 2006 e 2007, quando fazia a mesma sequência dominadora entre Wimbledon, US Open e Austrália. Em ambas, perdeu na final de Paris para Rafael Nadal. O espanhol, por sua vez, teve a oportunidade a partir de Paris, Wimbledon e EUA de 2010, sendo inesperadamente batido nas quartas de Melbourne de 2011 por David Ferrer.

A bem da verdade, não será uma tentativa inédita para o próprio Nole. Ele fez a mesma série atual, ganhando Wimbledon e US Open de 2011 e em seguida Melbourne de 2012, mas parou na final de Paris diante do então todo poderoso Nadal.

Faltam, é claro, cinco meses para Roland Garros e muita coisa pode acontecer até lá. Se nos basearmos unicamente na forma que está o circuito de hoje, é fácil dizer que nunca a chance foi tão grande. Porque Nadal não tem sido mais o mesmo, Federer nem está levando o saibro a sério e Murray… Bem, acabamos de ver a distância para o vice-líder do ranking. Talvez a barreira maior seja o instável mas atual campeão Stan Wawrinka.

Com esse pé e meio no livro de história, Djokovic nem precisou jogar seu melhor tênis para chegar ao hexa em Melbourne e ao 11º Grand Slam, igualando-se a Borg e Laver, o que não é pouca coisa. Como era previsível, o primeiro saque, o forehand e a firmeza mental são diferenças gritantes para Murray. O primeiro set do escocês foi pífio, à exceção do primeiro game, quando deu pinta que jogaria agressivo. Novak baixou a intensidade na outra série e por fim houve algum equilíbrio, mas logo o forehand irregular permitiu a quebra.

Murray não desistiu. Reagiu e aí teve a melhor chance na partida, principalmente quando chegou a 15-30 liderando por 5/4. Se empatasse o jogo, haveria alguma expectativa. Rapidamente Djokovic reagiu, mostrou sua força mental e aí passeou até 3/1 no terceiro set, extremamente sólido. Elogios a Murray por ter mudado a tática e buscado pontos mais curtos junto à rede. Recuperou a quebra e levou ao tiebreak, mas aí jogou como um top 100. Ou pior. Medroso, errático, indeciso. O quinto vice – o quarto diante de um adversário tão superior – ficou de tamanho justo.

Atualizando
Vamos à mais recente lista de façanhas de Nole:
– Chega a 46 títulos no sintético, iguala Agassi e fica só atrás dos 60 de Federer.
– Djokovic tem agora 24 vitórias sobre Nadal, 23 contra Federer e 22 em cima de Murray e de Berdych, sem falar nas 19 frente a Wawrinka e 16 sobre Ferrer. Invejável.
– Esta foi a 698ª vitória de Djokovic na carreira. Faltam apenas 15 para alcançar seu técnico Boris Becker e entrar na lista dos top 10.
– Em Slam, soma agora 214 vitórias e deve alcançar ainda este ano Lendl (222) e Agassi (224) com alguma chance de chegar em Connors (232). Apenas as 302 de Federer ainda ficam distantes.
– Duas marcas de Lendl estão ao alcance em Dubai: as 18 finais e os 8 títulos consecutivos (McEnroe também chegou a 8).
– Com 19 finais de Slam, igualou Lendl e fica a uma de Nadal. Federer é o recordista, com 27.
– Djokovic só perdeu um dos últimos 18 duelos contra adversários top 10. Em Slam, está com 14 vitórias nos 15 mais recentes.
– Com 114 vitórias e apenas 15 derrotas, Djokovic tem o melhor aproveitamento no piso duro em Slam (88,37%), bem acima de Federer (86,8%).
– Ao atingir o 61º título, subiu para nono lugar na Era Profissional e deixou Agassi para trás. Nadal está ao alcance, com 67, na quinta posição.
– Djokovic se aproxima da melhor marca de aproveitamento de vitórias e derrotas gerais, que ainda é de Borg (82,74%). Ele está grudado, com 82,7%.
– No ranking do dia 8 de fevereiro, atingirá 84 semanas consecutivas na liderança e igualará Connors no quinto lugar. Sampras, com 102, está perto.

O vice
Quanto a Murray, acho que o principal a ser dito é que ele precisa urgentemente seguir o exemplo do seu próprio algoz. Novak trabalhou incansavelmente nos seus pontos mais frágeis para chegar ao excepcional padrão de hoje. Contratou Boris Becker para melhorar o primeiro saque e ter mais versatilidade no jogo de rede, mudou alimentação para acabar com as quedas físicas que tinha etc e tal. Então está mais do que na hora de o escocês chamar alguém que consiga tirar muito mais do seu segundo saque e especialmente do forehand.

Inconcebível um tenista de seu ranking e qualidade técnica mostrar um forehand tão inseguro. E isso não é de hoje. Tudo bem, pode servir para ganhar da maior parte do circuito, mas jamais o suficiente para tirar um Grand Slam do Djokovic de hoje, talvez nem mesmo do atual Roger Federer num piso mais veloz. Quando se vê Carlos Moyá sobrando nos bastidores – iria treinar Nadal, mas foi preterido e acabou com Milos Raonic -, fica-se pensando em que chance absurda o britânico perdeu. Diz ele que irá fazer uma pré-temporada em fevereiro. Se não quer se separar de Amélie Mauresmo, acrescente alguém. E não esqueça de passar no psicólogo.

Duas vezes Bruno
Na interminável série de façanhas que nossos duplistas têm alcançado, Bruno Soares conseguiu mais uma: é o primeiro brasileiro em 50 anos a ganhar dois troféus num mesmo Grand Slam. Claro que os dois de 1966 de Maria Esther Bueno foram mais relevante, com simples e duplas no US Open, repetindo o que já fizera em Wimbledon de seis anos antes. Mas dá para perceber o quão esse feito é raro e portanto especial para o tênis brasileiro.

Bruno tem um começo de temporada incrivelmente promissor. Disputou quatro torneios, venceu três e foi semi em outro. As duas conquistas na Austrália lhe renderam um prêmio bruto de US$ 260 mil, o que dá cerca de R$ 1 milhão. Bela recompensa.

Ele já seguiu viagem neste domingo para casa e estou bem curioso sobre a possibilidade de ele e Marcelo Melo jogarem juntos no Rio Open, já que nenhum deles terá seu parceiro tradicional.

Maldição?
Observação interessantíssima de Steve Darcis no Twitter: Nadal perdeu para o Verdasco, que perdeu para o Sela, que perdeu para o Kuznetsov, que perdeu para o Monfils, que perdeu para o Raonic, que perdeu para o Murray, que perdeu para o Djokovic. Conclusão: Nadal foi o último colocado dos 128 inscritos…


Comentários
  1. felipe pereira

    Dalcim o que me impressiona no djokovic e ninguem quase fala e que desde o US OPEN 2014 ate agora ele so perdeu 2 jogos para jogadores com backhand de 2 maõs
    Nishikori US OPEN 2014 e Murray MONTREAL 2015
    acho esse feito impressionante tambem e poucos falam nao sei se vc concorda, acho q valeria um post

    Responder
  2. Ricardo Costa

    Dalcim, Novak Djokovic está jogando num nível jamais alcançado por um tenista na história do tênis ou Roger Federer foi ainda melhor no seu auge?

    Responder
  3. Danilo Afonso

    Dalcim, você não acha que é limitar demais a carreira e grandeza das lendas do tênis apenas pelo número de SLAM que venceram ?
    Os Master 1000 que apesar de não chegarem perto da tradição e pontuação dos SLAM, reuni obrigatoriamente os tops, com exceção de Monte Carlos se não estou enganado, tendo, creio, que mais de 80% dos torneiros um ou dois dos Top 5 nas finais.
    Acho um absurdo desconsiderar os títulos de Master 1000, Finals e outros títulos e marcas expressivas para comparar a grandeza deste ou aquele jogador.
    Supomos os seguintes números de FEDERER e DJOKOVIC ao final de suas carreiras:
    Federer: 18 Slams, 27 Master, 6 Finals, 1 ouro Olimpico e as 302 semanas como número 1;
    Djokovic: 16 Slams, 40 Master, 7 Finals, 1 ouro Olimpico e ultrapasse por pouco as 302 semanas.

    Pergunto: QUAL DOS DOIS SERIA MAIOR considerando os dados acima?

    Responder
      1. Danilo Afonso

        Dalcim, eu entendi a sua observação com relação aos jogadores anteriores ao ano de 1990, quando não existia os Masters 1000. Também tinha pensando nisso.
        Mas comparando apena os números exemplificados acima do FEDERER e DJOKOVIC, qual dos dois teria números mais relevantes se terminassem as suas carreiras com tais títulos ?

        Responder
  4. Paulo Lino

    Caro Dalcim, acredito que Djokovic superará Nadal e Federer com certa facilidade.
    É preciso ressaltar que quando Federer tinha idade que Djokovic tem hoje, olhava para trás e via dois moleques voando: Djokovic e Nadal.
    Hoje, Djokovic olha para trás e não vê ninguém chegando.
    Portanto, vai dominar o circuito por longos anos.
    Abraços, Paulo Lino (Rio de Janeiro – RJ).

    Responder
  5. Luis

    Essa discussão de GOAT tem que acabar!!. Pra tentar defender suas teses, as alas mais radicais das torcidas de Federer, Nadal e Djokovic lançam mão de ofensas e argumentações subjetivas impossíveis de serem comprovadas!!. Me parece claro que Federer e principalmente Nadal já escreveram suas carreiras!!. Pode ser que ainda pinte um ou outro grande feito mas 99 por cento de suas histórias já foram escritas ( infelizmente). Djokovic, por sua vez, ainda tem alguns capítulos a escrever. A seu alcance estão alguns feitos maravilhosos como a possibilidade de fechar a série de M1000, de ganhar os 4 Majors em um ano só junto com o ouro olímpico. Vejamos até onde ele pode chegar!!. A percepção atual é a de que ninguém pode vencê-lo!!. Mas a temporada está só começando!! Mas vejam o que aconteceu no circuito feminino!! Serena sucumbiu no US Open de forma inexplicável!! E também não levou o AO, apesar de ainda ser dominante no circuito. Na minha humilde opinião esses três montros vão ocupar lugares diferentes na história. Mas sempre existirão argumentos para preferir um ou outro!. É isso que me incomoda na torcida de Djokovic!! Essa obsessão por torna- lo maior que Nadal e, principalmente Federer. Não sei se a bronca é com Federer ou sua torcida ( que não perde em nada em fanatismo e na capacidade de apresentar argumentos ridiculos). O tempo está a favor de Djokovic!! Se ele vencer tudo esse ano também não será o Goat!. Terá feito a temporada mais absurda da história do tênis!!. Não torço contra Djokovic!! Torço a favor da competitividade, algo que não vemos desde o us open e que faz muita falta. Djokovic é absoluto por que é competente, forte, inteligente e bem preparado. Possuí todos os méritos!!. Mas diminuir os feitos de Federer dizendo que só venceu jogadores fracos e não levar em conta a situação atual do resto do top 10 é uma tremenda contradição!!

    Responder
  6. Marcus

    Confesso que vejo com uma certa cara de burro quando foge quando leio as diversas teorias sobre a questão física dos atletas de alto nível. Alguns parecem que esperam que o atleta no final da sua carreira entre de bengala e mancando pra jogar. Enquanto isso não acontece, parece que está tudo 100%. A bola do Nadal está curta. Será que um dos maiores tenistas da história desaprendeu a deixar a bola funda com consistência? Quando jogamos no clube, o que acontece quando chegamos uma fração de segundo atrasado? Bingo: a nossa bola encurta.

    É claro que o Nadal pode vir a brigar por grandes conquistas. Torço demais pra isso – é um atleta magnífico. Mas isso vai depender de sua capacidade de adaptação, e não de consultas a um psicólogo para voltar a ter um “mental” forte.

    Federer diz que pode correr 5h. É lógico que pode, e irá poder até quando tiver 45 anos. Mas os reflexos, a precisão e a chegAda na bola poderão estar frações de segundo atrasados. E ainda vai ter gente que vai dizer aue o problema é tudo menos o físico, pois ele pode correr atrás da bola e nem terminou jogo cansado! Ã?

    Djokovic não tem nada a ver com isso e esbanja tecnica, força, precisão e físico. Parece que a guerra só vai começar quando alguém da nova geração puder ter a consistência necessária para desafiá-lo.

    Nadal e Federer podem ganhar mais um slam? Claro que podem, mas dependem de conjunturas favoráveis. E quem diria, Federer está bem mais perto.

    Responder
    1. Mario Cesar Rodrigues

      Meu caro olha preste atenção…o Rafa precisa sim de ajuda só que ele ainda não sabe….psicólogo não é coisa de outro mundo..quem percebeu no jogo contra Verdasco toda hora que fazia um ponto olhava para Tio toni..ele deve e tem que melhorar isto e a bola curta vai ser resolvida ou ele entra para jogar atrás e levar bordoada ou entra para dentro da quadra e dá-lhe bordoada…. eu penso que em determinadas partidas ele tem que alternar as duas opçoes…e ai vc acertando a bola bem aprofundando ele tem mais chances….e com isto a movimentação vai melhorando para alguns é fácil fazer isto uns com mais dificuldades outros menos..e por ai vai…só sei que deve tentar fazer o que der…..mental está embutido em tudo em um jogo e não só em jogo mas em qualquer coisa que faça!

      Responder
        1. Mario Cesar Rodrigues

          Este ròtulo foi a imprensa e vários abestalhados como vc disse ps veja o Federer vc acha que Federer sentiu algo contra o Nole..???ele já havia anunciado que enxugaria os torneios para mim se ele estiver mesmo operado como foi noticiado torço para ele voltar porque é um grande jogador e faz falta.mas que tá estranho tá!

          Responder
  7. Carlos

    Dalcim,
    Elaborei um ranking que considera somente os slams e a era profissional.
    A pontuação foi a seguinte:
    WIMBLEDON 4 pontos por título
    US OPEN 3 pontos por título
    ROLAND GARROS 2 pontos por título
    AUSTRALIAN OPEN 1 ponto por título

    Desempate:
    primeiro critério: mais pontos em Wimbledon, US, RG e AO nessa ordem;
    Segundo critério: antiguidade do título

    Federer reina absoluto. Djokovic precisará ganhar ainda muito para chegar perto. Veja:

    TENISTA W US RG AO Pontos
    R. Federer 28 15 2 4 47
    P. Sampras 28 15 0 2 45
    R. Nadal 8 6 18 1 33
    B. Borg 20 0 12 0 32
    R. Laver 12 6 4 3 25
    J.McEnroe 12 12 0 0 24
    N. Djokovic 12 6 0 6 24
    J. Connors 8 15 0 1 24
    R. Emerson 8 6 4 6 24
    J. Newcombe 12 6 0 2 20
    B. Becker 12 3 0 2 17
    I. Lendl 0 9 6 2 17
    S. Edberg 8 6 0 2 16
    A. Agassi 4 6 2 4 16
    K. Rosewall 0 6 4 4 14
    M. Wilander 0 3 6 3 12
    A. Ashe 4 3 0 1 8
    Kodes 4 0 4 0 8
    S.Smith 4 3 0 0 7
    L. Hewitt 4 3 0 0 7
    Andy Murray 4 3 0 0 7
    G. Villas 0 3 2 1 6
    G. Kuerten 0 0 6 0 6
    J. Courier 0 0 4 2 6
    I. Nastase 0 3 2 0 5
    P. Cash 4 0 0 0 4
    R. Krajicek 4 0 0 0 4
    G. Ivanesevic 4 0 0 0 4
    S. Brugera 0 0 2 0 4
    M. Orantes 0 3 0 0 3
    A. Roddick 0 3 0 0 3
    J. Del Potro 0 3 0 0 3
    Y. Kafelnikov 0 0 2 1 3
    S. Wawrinka 0 0 2 1 3
    A. Gimeno 0 0 2 0 2
    A. Panatta 0 0 2 0 2
    Y. Noah 0 0 2 0 2
    M. Chang 0 0 2 0 2
    A. Gomez 0 0 2 0 2
    C. Moyá 0 0 2 0 2
    A. Costa 0 0 2 0 2
    J. C. Ferrero 0 0 2 0 2
    J. Kriek 0 0 0 2 2
    M. Edmonson 0 0 0 1 1
    R. Tanner 0 0 0 1 1
    V. Gerulatis 0 0 0 1 1
    B. Teacher 0 0 0 1 1
    P. Korda 0 0 0 1 1
    T. Johansson 0 0 0 1 1
    M. Safin 0 0 0 1 1

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Isenção e imparcialidade, a gente vê por aqui. Na boa, os SLAMS valem pelo que são: 2000 pontos para a ATP. Os MASTERS 1000 valem 1000, os ATPs 500, 500, os ATPs 250, 250, e o FINALS até 1500, conforme o número de vitórias na conquista. Então, pode variar de 1100 a 1500, já que, hipoteticamente, dá para se chegar à final e ser campeão com apenas uma vitória na fase de grupos. Mais do que isso é FORÇAÇÃO DE BARRA. Uma tentativa de dizer que o título do preferido vale mais do que o do outro. Bom, o bom é que todos nós sabemos que isso não passa de tentativa oblíqua de desmerecer a quem não nos agrada.

      Responder
      1. jeremias

        E lá vamos nós… Vai começar a tática bocó de “desvalorizar” o Austrália Open, como se não fosse disputado por TODOS os jogadores, e como se não fosse um torneio fantástico!!!! Esses teus pesos aí estão mais viciados do que dado de cassino de quintal. Sabe por que? Porque os pesos, sinto muito informar, são IGUAIZINHOS!! Sentimentalismo wimblendoniano não deve ter vez numa análise fria e objetiva. Já sendo muito condescendente com isso eu diria que, no máximo, seria algo como: W-4, USO-3,9, RG-3,8, AO-3,8. Quer dizer, um cara que tem 7 Slams , como Mcenore, fica à frente de quem tem 11 nesse teu mundo da fantasia!!!!

        Responder
        1. Carlos

          Não é desvalorizar o AO. Mas Wimbledon é mais tradicionail (muitos dizem que é o campeonato mundial do tênis). A seguir vem o US Open, Roland Garros e A. Open. É a ordem por antiguidade e tradição e também a ordem por premiação.
          Wimbledon é de 1877, US Open 1881, R. Garros 1891 e Melbourne 1905.

          Responder
        2. Carlos

          Número de títulos, em si, não quer dizer muita coisa. O que vc prefere: ter 1 libertadores ou 5 Copas Sul-Americanas? Ter 2 brasileiros ou 4 “Copas do Brasil”?

          Responder
          1. José Nilton Dalcim

            Até poderíamos tentar pontuar os Slam conforme sua importância e peso histórico, não é totalmente descabido. Mas isso só serve para criar polêmica e mais desavenças, porque haveria extrema dificuldade para um consenso.

    2. Fernando C.

      Amigo, estou rindo muito (ahahahaha!).
      Você inventou algo para se convencer e dormir em paz e pede a benção do Dalcim! ahahah. Relaxa! rsrsrs

      Responder
        1. Fernando C.

          Então me diz: você acredita mesmo que você, eu, o Dalcim, sei lá quem mais, podem sair por aí “elaborando rankings” e levar isso realmente a sério? rsrsrs. Elaborar qualquer um até pode, mas me diz como alguém pode levar isso a sério? Sobretudo, com o objetivo escancarado de privilegiar a história do seu tenista predileto! rsrsrs

          Responder
        2. Fernando C.

          Isso são os SEUS critérios! ahahahah. Por sinal, bem bizarros! Você não apenas acha que cada Slam tem valores distintos, mas que um deles vale 4x mais que outro! AHAHAHA! Cara, ‘tô passando mal de rir. Quantidade de filhos também entra na composição do seu ranking? AHAHAH. Ai, não tem mais jeito. RF na cabeça. Cada uma que aparece!

          Responder
          1. Fabrício goiano

            Só que os filhos do Federer tem que ser duplicados, pois são gêmeos…muito mais difícil de fazê-los, então vele tem 8 e o Nole . kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        1. Carlos

          Hahaha…. Estude mais tênis e veja que Wimbledon é o “torneio dos torneios”. Não tem comparação. Tenho ótima saúde mental, graças a Deus…. Indique para alguém que esteja precisando aí perto de vc!

          Responder
          1. Rafael Medeiros

            Incrível.

            O camarada, que se mostra fanático, entra, “inventa” um ranking atribuindo pontos elásticos ao Slam que seu tenista preferido ganhou mais (claro!), fundamenta isso numa virtual “superioridade” daquele torneio e, PASMEM, ele quer ser levado a sério.

            Tá, agora você pode dormir tranquilinho, tá? Se convenceu do que queria?

            Só não espere que uma alma viva vá levar essa patifaria a sério, por favor.

            Nossa, só um pouquinho pretensioso né? Pouca coisa.

            Internação já. rs

          2. Alessandro Siqueira

            Longe de mim tentar fazer ironias com você, Carlos, mas A NEGAÇÃO É O PIOR SINTOMA. Se te acusam de insanidade, nunca negue. Tente algo mais tangencial, como “de perto ninguém é normal”… rsrs

  8. Luis

    Dalcim por que e’ tão difícil atualmente aparecer um tenista que ameace o domínio do Djokovic alguém da nova geração tem faltado um pouco ousadia boa nos garotos que tão surgindo( algum garoto que enfrente esses 4 tops e pense que pode vencer) de repente apareceria um grande tenista

    Responder
  9. Rafael Medeiros

    A capacidade humana é ilimitada. A ciência, a tecnologia e as artes nos tiraram das trevas em que boa parte do tempo vivemos.

    Mas a capacidade de ser confuso, de não saber articular um raciocínio lógico, de não ponderar coisa com coisa também é extraordinária. Para o lado ruim.

    Vejamos:

    A ladainha de quem é o GOAT. Nossa, que discussão extraordinária! Cada torcedor puxando a sardinha para o seu. Federer: é o GOAt porque tem mais semanas e Slams; Nadal – é o GOAT porque tem h2h favorável contra aquele que dizem ser o GOAt; 3- Djoko: é o GOAt porque venceu os outros dois GOATs.

    Rsultado prático: Who fucking cares, senão os fanáticos pelos seus idolatrados?

    A outra ladainha é a que tenta resolver o impensável: como um jogador (atualmente Nole) pode dominar assim o circuito, que coisa absurda, não? Como se não já vimos isso antes (Sampras , Federer, Nadal). Será que é tão difícil compreender que um atleta está no seu melhor momento físico, técnico e mental e que sim, isso acarreta num domínio, como já vimos em tantas outras ocasiões? E que isso nada tem a ver com uma pseudo “geração fraca” ou qualquer coisa que o valha?

    Na certeza de ter trazido um pouco de lucidez ao bando de tresloucados confusos que vemos por aí, subscrevo.

    Abraços.

    Ps. Nadal acabou.

    Responder
  10. Chetnik

    CHUPEM sofredores. Falam muito, falam muito. Vão ter que continuar engolindo o choro.

    Macho beta suíço novamente posto no seu lugar secundário pelo macho alfa Eslavo.

    Chorem mais um pouco, vocês falam muita besteira e são muito arrogantes. Agora tem que aguentar.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      O curioso que esta tua postagem foi uma das coisas mais arrogantes que eu já li, não só aqui, mas em qualquer lugar da internet, desde o seu advento, Chetnik.

      Continue assim…

      Responder
    2. jeremias

      hehehe. Com essa provocação envolvendo essa expressão “macho alpha” do Chetnik eu lembrei de uma resposta pra lá de espirituosa que o Djokovic deu a um repórter sobre o fato de ele não ser muito popular no vestiário. A resposta foi: ” De que vestiário vocês estão falando?Porque no vestiário feminino eu sou muito popular!” kkkkkkkkk. Ou seja, foi uma brincadeira, mas para os entendedores nem tanto!!kkkkkkkkkkk. “Entendedores entenderão”kkkkkkkk. Quer dizer,será que ser o “simpaticão bonachão” ajuda mesmo com elas, as moças? kkk Resposta: “entendedores entenderão”.hahahahaha

      Responder
  11. Ronildo

    Bem, depois de tudo que foi escrito, tamos aí, acompanhando a marcha do n· 1 do mundo em desejo de ser igual à Roger Federer, Novak Djokovic, vulgo Djoko; ou Nole para os mais íntimos. Parece que vai chegar perto, mas não vai vingar pelo simples motivo que a idade está avançando e em breve o físico vai começar a pifar como no caso de Nadal. E apenas para lembrar: Federer continua na ativa com sua incrível habilidade e técnica que o fazem superar a correria de muitos jovens e chegando nas fases finais dos torneios mais importantes.

    Responder
  12. Valmir

    Dalcim,

    No link abaixo (nacional) tem uma matéria interessante que explica mais detalhadamente a mudança que o Djoko passou de 2010 para 2011 que resultou na sua fase de glória.

    Tem eliminação do gluten e a prática de ioga, além de incorporar uma nova pessoa ao seu staff (o que recomendou esses dois itens).

    http://esporte.uol.com.br/tenis/ultimas-noticias/2016/02/02/como-ioga-e-veto-a-gluten-ajudaram-djokovic-em-sua-fase-imbativel.htm

    Responder
  13. Dramde

    Mário Fagundes, o Djokovic definitivamente não é modismo. Ele chocou o mundo do tênis em 2011 ao vencer 3 Slams diante de Federer e Nadal no auge. Aliás, nesse ano ele venceu incríveis 10 x 1 contra a dupla Nadal/Federer (4×1 contra Federer e 6×0 contra Nadal). Depois, passou a vencer caminhões de M1000 e Finals, além de 1 Slam por ano. Em 2015 ele arrebentou de novo e venceu quase tudo, quebrando definitivamente o “Status Quo” do tênis e ganhando uma legião de torcedores, a favor e contra, o que é absolutamente normal .

    Agora, para quem gosta de refletir sobre números, vejam isso:

    Até o fim de 2010, Federer estava em DESVANTAGEM contra MURRAY: 8 x 6.
    De 2011 em diante: Federer tem VANTAGEM de 8 x 3.
    Total hoje: 14 x 11 para Federer.

    Até o fim de 2010: Federer estava em VANTAGEM contra DJOKOVIC: 13 X 6.
    De 2011 em diante: Federer tem DESVANTAGEM de 17 X 9 (sem contar a desistência de FEDEX no Finals 2014).
    Total hoje: 23 x 22 para Novak.

    Contra Nadal não fiz o levantamento pois achei dispensável. Tirando a vitória de FEDEX no ano passado, Nadal sempre dominou a disputa.

    Bom, parece que contra Murray a idade não prejudicou Federer. Pelo contrário, quando Murray passou a se tornar mais competitivo, ganhando 2 Slams, 1 ouro olímpico e alguns M1000, aí Federer começou a dominá-lo.

    Será que a idade só prejudica Federer contra Djokovic ? Sinceramente eu duvido disso.

    Responder
    1. Alessandro Siqueira

      Dramde, perfeita a sua colocação. É preciso que afastemos a estatística de seu viés mais nefasto. Aquele que permite espancar os números até que confessem o que queremos ser confessado. A vida é real. Não dá para viver de subjuntivo e futuro do pretérito, como muitos querem.

      Responder
  14. Realista

    Como é possivel existir um melhor de todos os tempos que é fregues rsrs…bom esse tal sujeito teria de ser completo,dar seu jeito e encontrar alternativas para vencer seus maiores rivais,não poderia ser um sujeito erratico e com esquerda pifia..mesmo assim ainda tem gente que considera RF o maior de todos…esse “tal” não existe ainda,no futuro talvez exista esse cara incontestável,olhando por agora mas falta muito e teria que manter esse nível absurdo…seria DJOKOVIC.

    Responder
      1. Realista

        Eu posto merda?kkkkkkk Nadal era esse cara,era perfeito pra isso,se não tivesse se lesionado e caido tanto seu nivel…chegaria a uns 20 slans,por isso nao da pra saber,se Djokovic nao se lesionar e dependendo de quando seu nivel cair pode chegar mais longe sim,mas temos que esperar pra ver,hoje esse titulo de GOAT do federer é bem contestavel,vide a freguesia pra um cara que ate em seu pior nivel o incomoda…vide basel ano passado.

        Responder
  15. Mário Fagundes

    Vejo muito exagero nos comentários em favor de Djokovic. É incontestável o domínio que ele exerce sobre o circuito, sendo que este mesmo circuito passa por um período de transição. Pra quem adere ao modismo, está de bom tamanho, porque torcer para um atleta que está no auge da carreira, que vence tudo, que não tem adversários do mesmo nível, que vai bem na vida pessoal e que está de bem com a vida, o que pode resultar? Só comemorar! Mas já vimos esse filme antes. Depois que Nadal venceu o 7º RG, Borg afirmou que o “touro” ganharia 15 slans ali. Aliás, em 2014, após a mais espetacular temporada de um tenista vindo de contusão, muita gente apostava em Nadal triturando os recordes do tênis. Alguém se lembra disso? Mas o tempo passou e a história foi escrita de forma bem diferente. Penso que houve precipitação ao elegerem Roger Federer como GOAT, que exageraram quanto à Nadal e agora fazem o mesmo em relação a Djokovic. Há comentários que sugerem estar mais fácil para o sérvio conquistar mais 10 slans, do que Federer ganhar o seu 18º caneco. E de onde vieram todos esses torcedores de Djokovic? Nem sempre foi assim, não é mesmo? Ah, claro, é mais fácil torcer para quem está ganhando tudo! Porém, basta uma derrota significativa, por exemplo, novamente em RG, para tudo mudar. Não aconteceu neste AO por pouco. Esse momento mágico de um tenista que vence até mesmo quando joga muito mal uma partida não dura tanto tempo. Federer teve esse momento, Nadal também. Com Djokovic não será diferente. Os adversários sabem que ele é o cara a ser batido e reagirão, com certeza. E concordo com você, Dalcim, com tudo o que disse sobre Murray, que, na minha opinião, fez uma final de AO de forma covarde. Raonic teria feito um papel melhor. Ainda aposto no Murray, mas o vejo como um tenista muito mimado. Pra mim, esse é o grande problema desse cara. Quem sabe ele não segue suas dicas, Dalcim? (rsrsrs)

    Responder
    1. jeremias

      Também acho isso. Mas é uma euforia normal. Sobre Slams, acho que agora os 15 propostos pelo Dalcim viraram uma realidade bastante plausível para Novak, eu diria que é quase uma questão de o tempo passar mesmo. Agora suplantar o Federer com 20 e etc, ou mesmo empatar, parece fruto dos ânimos mais exaltados pelo momento de um grande título.

      Responder
    2. Valmir

      Aqui no blog, os torcedores não mudam de lado…

      Diz o ditado… a pessoa troca de cidade… de profissão… de mulher/marido… mas nunca troca o time de futebol….. e nem para quem torce no tênis (mesmo com freguesia)…. rssrsrrsrs

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Também sempre achei ridícula esta tendência enjoada que brasileiros tem de torcer SEMPRE por quem está por cima, por quem é a “bola da vez”, e ainda tirarem a maior onda, como completos bobões… (rs).

      Adoro Tênis e pra mim é um esporte fantástico. Razão pela qual eu sempre torci pelo EQUILÍBRIO no circuito, pra que desta forma exista um número maior de partidas interessantes, emocionantes.

      Quando o Federer ganhava sem parar de todo mundo, eu achava um SACO! Mesmo admirando seus golpes e a beleza estética do seu jogo.

      Porém, hoje, ganha tudo um tenista que eu admiro menos ainda, e que mormente se alimenta dos erros dos adversários.

      Não tem uma só partida que este Djokovic vença cravando mais Aces ou acertando mais Winners do que o oponente… Ok, existe, mas é raro.

      Recentemente ganhou um set, aplicando 1 Winner somente, o que mostra como o Tênis vem paulatinamente perdendo a graça: mesmice e falta de estética.

      Responder
      1. Rafael

        Olá, Rodrigo

        Nem fui pesquisar, vou confiar na memória, se estiver errado, me desculpe.

        Semi do AO 2016: Djokovic x Federer: 10 x 5 em aces p Djokovic. Não concordo q seja tão raro como vc colocou. Acabou de acontecer, e em cima de um cara que dizem ter um saque MUITO melhor do que o dele. Assim, é um feito notável, outra de suas muitas qualidades.

        Responder
      2. Jeosan

        Djokovic é o maior devolvedor do circuito, quiçá da história do tênis, e isto dificulta a vida do adversário, forçando-o ao erro. Desta forma, é natural que seu oponente comenta muitos ENF e, por consequência, não é raro as estatísticas apontarem mais erros não forçados dos adversários do que winners do sérvio. Mas que desmérito há nisso.

        Responder
  16. Gildokson

    A gente fala do Federer e tal mas… poxa vida e essa seca do Murray hein Dalcim? o cara travado desde 2013 em dois títulos de Gran Slam e com várias e várias finais perdidas. Será que vai ser “só” isso? se eu fosse ele implorava pro Llend voltar.

    Responder
      1. jeremias

        Ele merece mesmo um post, Dalcim. É um jogador com um talento fantástico. Em termos de bater na bola com “naturalidade” e elegância é o que mais se aproxima do RF. Ele mereceria terminar a carreira com pelo menos, sei lá, uns 6 Slams. Mas isso está no horizonte atualmente? Parece que não, lamentavelmente. Ao contrário de Novak e Nadal, que inspiram aquela sensação refrescante de que a superação não é um conto da carochinha, de que ela é real e está à disposição, Murray, bem ao contrário, nos apresenta a imagem algo melancólica de alguém que não realizou o seu dom, que não cumpriu o seu destino. Lembra muito aquela famosa frase: “a vida que poderia ter sido e não foi”.

        Responder
      2. Valmir

        Só a presença do Lendl no staff, dentro da arena, já dava um força mental incrível ao Murray.

        Sem o Lendl, ele não teria ganha os 2 Slams.

        Enorme perda que ele teve.

        Acho que o Djoko deveria contratar o Lendl… só para Roland Garros… afinal ele foi grande vencedor por lá.

        Responder
  17. Gildokson

    JR, mas Djokovic vem enfrentando jogadores do nível que você descreveu até as semi no mínimo. Coincidentemente ou não o número de títulos em Slam era muito menor quando Federer e Nadal se encontravam no auge neh?! E se for pra falar de adversários em finais, todos ja enfrentaram lendas e “babas” em finais, assim como Djokovic venceu Murray mais uma vez domingo, Federer também ja venceu, assim como ja venceu Nadal, Agassi, o próprio Djokovic…

    Responder
  18. Valmir

    Revendo o finalzinho do AO2016…

    Djoko vai cumprimentar o seu staff… abraça todos… mas a forma como ele o Becker comemoram é impressionante
    e a expressão de felicidade do Becker … então.

    Parece coisa de… pai para filho! Becker adotou Djoko.

    A segunda onda vencedora de Djoko tem muita da marca do grande Boris Becker (a primeira em 2011).

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Verdade.
      O Djokovic é extremamente inteligente e técnico como já vimos, mas também é muito passional.
      Ele sente essa necessidade da aproximação afetiva. Quando isso vai bem, o caminho para as conquistas é mais suave.
      Com o Vajda a relação é a mesma. Em Miami, ano passado, o cumprimento no final foi da mesma forma.

      Responder
    2. Valmir

      Pois é…

      UM dia depois que postei a importância do Becker para o jogo do Djoko, apareceu um artigo no… tennis.com… falando justamente disso….. vejamos…

      Former Australian Open finalist John Lloyd said that Boris Becker, Novak Djokovic’s coach, has made a huge difference for the Serb.
      That difference is “mentally, he doesn’t think he can be beaten,”

      “To say Boris is confident in himself is an understatement, and I mean that in a positive way,” said Lloyd. “The night before a match they all have doubts, all the greats, just a tiny little bit. But when you have someone like Boris there, it makes a huge difference.”

      Responder
  19. Luis

    Dalcim o que você acha dessa antipatia que as pessoas tem com Djokovic confesso que sou um deles mais já fui mais rs,Djokovic tem melhorado comportamento mas ainda tem alguns erros como parecer xingar um pegador bolinha e toalha,olhar feio pra torcida quando apoiam adversário no caso mais claro Federer,algumas respostas como no Finals depois da derrota pro Federer,e também com Nadal teve clima pouco tenso a uns anos,mesmo ganhando esses títulos parece não ganhar muitos fans

    Responder
    1. SRMARTINS

      Luis… “como parecer xingar um pegador bolinha e toalha (?!)”… isso nunca aconteceu, basta assistir novamente os jogos, bastar ler e assistir entrevistas, basta ter um pouco mais de boa vontade e mente aberta para perceber que isso foi mais um ardil com o intuito de distorcer os fatos, para distrair e tirar o foco de Novak Djokovic. (Eu poderia enumerar aqui todas as ciladas em que ele foi colocado nos últimos anos e que ele teve que se desvencilhar).
      De fato, talvez… Novak Djokovic ainda não tenha zilhões de fãs, afinal quantidade nunca foi parâmetro de qualidade, porém ele tem mais de 6.000.000 (seis milhões) de seguidores no Facebook, mais de 5.000.000 (cinco milhões) de seguidores no Twitter e mais de 1.000.000 (um milhão) de seguidores no Instagram. Não são apenas “sérvios” que são seus fãs, os fãs estão espalhados pelo mundo, basta conferir nas redes sociais. Sua base de fãs cresce vertiginosamente assustando os fãs rivais. Sempre que eu leio esse tipo de argumentação me ocorre que essa propalada aversão gratuita talvez tenha contribuído ainda mais para Novak ser um vencedor. A anarquia e o barulho, explicitado ultimamente pelo elitizado público do Tênis, atrapalham os dois jogadores, porém Novak está mais acostumado com a adversidade, já que desde sempre ele jogou com a torcida contra e ultimamente, nota-se que ele aprendeu a neutralizar isso e reverter como uma motivação a mais. Em uma das últimas entrevistas, quando questionado sobre esse assunto, ele disse que sabia que tinha apoiadores ao redor do mundo. Então, essa ladainha repetida à exaustão, não passa de mais uma tentativa frustrada de fixar que Novak não tem carisma, “não tem amor” e por isso recebe antipatia. Isso é mais uma falácia das mais rasteiras, sem contar que antipatia, carisma são sentimentos subjetivos e cada um tem o seu. Se para alguns ele não tem essas qualidades, para milhões ele é inspiração e exemplo a ser seguido pela determinação e persistência. Abraços!

      Responder
  20. luis

    um facto mestre dalcim.o nole nunca perdeu um master 1000 a nao ser para o nadal federer e murray.o nole dos 11 grand slams 10 deles foram ganhos ao nadal federer e murray e ganhou o outro ao tsonga que humilhou o nadal na semi finais do open da australia de 2008 e no mesmo torneio o nole tinha eliminado o federer na semi por 3 set a zero.e so perdeu uma final de slams para o wawrinka que eliminou o federer pelo caminho e fez um jogaço na final.outro facto,o nole so perdeu em toda a carreira contando com os torneios todos,duas finais a nao ser para o federer nadal ou murray.ganhou 5 atp finals ganhando 3 ao federer um deles o federer dessitiu outa ao nadal e a outra ao davydenko que tinha eliminado o federer na semi desse atp finals..estamos a falar na maior era do tenis a era chamada dos big four segundo os especialistas comentadores etc etc.e o nole fez isto tudo na maior era do tenis.o que eu queria te perguntar mestre dalcim e se nao achas isto uma façanha espetacular do nole…….abraço.

    Responder
  21. Giulia Morelli

    Não vejo a curto prazo alguém que possa vencer Novak em 5 sets, então posso dizer que ele é favoritíssimo aos próximos majors e também na Olimpíada.

    Dizer que Novak pegou Nadal e Federer em momento de baixa, e tem vencido graças a esse fator. é piada. Por acaso Nadal e Federer estão mal física e tecnicamente desde 2011? Novak em todas as vezes que foi campeão, pegou sempre jogadores top10 nas finais.

    O grande problema do mal perdedor é não reconhecer os méritos do vencedor. O fanatismo cega as pessoas.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Exatamente. O Tenis sempre foi um esporte de alta precisão. Atingimos níveis impressionantes apos o surgimento de Rafa Nadal. O numero de forehand e de Back que o Suíço 6 anos mais velho vem errando e’ impressionante.Se chegar atrasado milésimos de segundo, um abraço . Novak esta no auge , e numa forma física jamais vista. Simples assim. E’ so’ deixar de lado o Fanatismo. Abs!

      Responder
  22. Alan Guimarães

    Parabéns ao MONSTRO NO1E!!!!!!!

    Obrigado Deus por deixar eu viver em uma época que nunca mais acontecerá ( 3 jogadores com + 10 Slams )

    Federer, jogue mais uns 5 anos pelo menos, é incrível como joga o Suiço!!!!

    Que Rafa volte a ser um adversário do Nível que já mostrou um dia!!!

    Nole, minha opinião, está fazendo com o circuito o que Federer fez em 2006/2007 ou seja, massacrando todos que encontra pelo caminho.

    Dalcim, eu lembro que vc falou em algum comentário que Nadal ainda é maior que Djoko e segundo sua avaliação os dois critérios mais utilizados são : semanas como numero 1 e títulos de Grand Slams.

    Neste ponto cada um vence um critério , portanto porque da sua conclusão ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Nadal teve mais peso para o tênis até agora do que Novak, Alan. Como já frisei antes aqui, o meu critério particular de avaliação não é apenas uma questão de números e mais números. É apenas a minha forma de ver. Aceito quem discorda, sem problemas.

      Responder
      1. Valmir

        Dalcim,

        Em boa parte concordo com você com o peso do Nadal para o tênis. Ele marcou época.
        Mas é mais fácil identificar porque a época de ouro do Nadal já passou e seu jogo é obsoleto atualmente.

        Djoko ainda está com o seu jogo na crista da onda… é mais difícil de se situar na história.
        A forma do Djoko jogar, destroçando adversários seja em que piso for, adequando o jogo conforme o adversário… vai marcar época na forma de jogar tênis em alto rendimento… tanto que o jogo do Nadal… que tanto sucesso fez, não mais lugar agora.

        Responder
          1. Alan Guimarães

            Grande Dalcim

            Tênis é imprevisível e não sabemos nem mesmo se o Djokovic repetirá a incrível temporada 2015, e quanto aos seus critérios de avaliação, eu não os questionei, simplesmente queria entender…..

            Eu por exemplo, o jogador que mais gostei de ver em um passado não tão distante assim e sempre torcia por ele era Agassi…..e nisso, números não dizem nada, simplesmente gostava de seu jeito e estilo de jogo!!!!

    1. Valmir

      Ganhou da … Holanda em final da copa do mundo… e da ponte Preta em final do Paulistão.
      Adversários que eliminaram favoritos… deram trabalho… mas sempre amarelaram no final.
      Rsrsrsrsr

      Responder
    2. Victor Martins

      Oww realista, não eh um fato. O Djokovic está ganhando dos melhores, que não estão no seu melhor. O Federer naturalmente pela idade, e o Nadal pelo declínio técnico, um pouco plausível se levar em conta que ele começou a ganhar slam praticamente um adolescente, e uma hora iria ter essa queda. Enfim, o Nole está aproveitando esse momento, de declínio dos dois. E o Federer não pegou baba, ele pegou o melhor do Roddick, o melhor do González, o melhor do Safin, ganhou do Nole também, e do Nadal.
      Ou vai me dizer que o González no seu melhor, com aquele forehand, o Backhand também era bom, não ganharia do Djoko!? se ele ganhou do Nadal. O Safin, jogando com agressividade, e o Backhand de duas mãos, da mesma forma o Soderling, também ganharia. A questão eh que esses caras não cuidavam do corpo e não tinha uma consistência ao longo dos anos. Enfim, são outros tempos, mais o Federer pegou o melhor deles.

      Responder
      1. Realista

        Victor Martins respeito seu ponto de vista mas discordo em partes,primeira coisa,Federer tem 34 anos sim,mas discordo em relação ao declinio tecnico,Federer é um genio e não sei como mas em vez do declínio ele melhorou sua técnica,ele mesmo ja admitiu e se não o fizesse,isso é visivel em seus jogos…melhorou sua esquerda que antes era bem pior,melhorou o saque e hoje é ainda mais versátil…Djokovic não é um genio como Federer,passa longe disso mas é sim mais completo,não tem buracos,é dificil admitir que a dedicação de djokovic superou a genialidade de federer,mas ele é mais jogador sim,quanto a adversários eu concordo que federer pegou roddick,gonzales etc no auge..ganhou deles mas não sao lendas do esporte..longe disso,bem longe,agora veja de quem djokovic ganhou seus slan…os piores foram murray e tsonga rs,e em grande maioria tbm ganhou de roger federer por la,que não esta cansado nem em decadencia,ele nao perde jogos por isso,ele perde pra alguém que joga mais que ele e que é mais completo…mesmo roger tento mais titulos,apareceu alguém que se dedicou mais e conseguiu ser mais completo que ele.

        Responder
      2. Sergio Ribeiro

        Nao adianta amigo, esses parecem que nao tinham nascido nesta época . E passaram a participar de um Blog de Tenis a pouco. Todos repetem o mesmos comentários insanos que aprenderam ,seguindo os mesmos caras da Face. Nao sabem respeitar os grandes jogadores que levaram o Esporte ao patamar atual. Assim que o N 1 der sinais de queda desaparecem. E’ so’ ver onde esta’ a maioria da Turma do Nadal. Abs!

        Responder
    3. beto

      Se Federer só ganhou de “baba” na final, significa que os “grandes” perderam para “babas”… ou os Slam que Federer disputou eram formados por chave de 127 babas? O cara tem 34 anos, chega a semis e finais seguidamente e é chamado de farsa? Parece aquele “argumento”: Pelé só fez mais de 1.000 gols porque jogou numa época em que o futebol era lento, não havia marcação… Então por que ninguém mais alcançou a marca dele? Por que nenhum contemporâneo de Federer chegou a tantas finais, por que só ele chegou a 17 títulos de Slams? Se Federer, Nadal e Murray tivessem sido eliminados na segunda rodada e Djoko fizesse final contra Berdych, o título não valeria? Djoko teria ganho de uma baba?
      Se Djoko for eliminado numa semi, o campeão terá de devolver a taça por que não enfrentou o melhor da atualidade?

      Responder
  23. Renato Vieira

    Embora eu concorde em partes com o que o Dalcim escreveu, vou fazer uma pequena defesa do Murray aqui.

    De fato ele errou em pontos cruciais e sua diferença para os monstros Novak e Roger é não ceder break-point em pontos cruciais do jogo. Quero dizer, uma das diferenças. Cometer duas DF no tie-break é absurdo.

    Mas também ficou nítido que ele realmente estudou alguma coisa do que Novak vem fazendo. A quantidade de saques abertos muito angulados, especialmente que Nole teve que retornar com a ponta da raquete não era algo habitual no jogo do britânico. Devoluções e BH rápidos e angulados também foram grande parte dos seus winners. E era nítido que Novak estava meio surpreendido com aquilo. A busca por paralelas mais rápidas também. Só acho que ele demorou demais pra ir buscar pontos na rede.
    É uma grande pena que ele não tenha vencido nenhum set, pois nos dois últimos, poderia ter ido pra qualquer um.
    Mas que Andy jogou diferente isso não tenho dúvida. Ele mudou um pouco o jogo dele e acho que isso pode ser bem interessante pro resto do ano.

    Responder
      1. Valmir

        Pois é Dalcim… só relembrando… desse saque angulado do Federer…

        Na semi do US Open 2011, … quinto set…. 5/3 … 2 matchs points e o saque na mão… o Federer fez esse saque angulado na direita do Djoko

        Resultado…. levou uma senhora pancada de devolução, que não viu a cor da bola…. e acabou perdendo o jogo.

        A imprensa internacional chamou essa devolução de… THE SHOT.

        Responder
          1. Alan Guimarães

            Dalcim, com seu conhecimento sobre tênis me responda uma dúvida:

            Não seria mais fácil para qualquer tenista devolver com sua direita os saques?

            Vejo que o Djoko devolve bem com a direita no saque fechado, mas quando o saque é aberto na sua direita, ele não tem um grande aproveitamento.

            com a esquerda ele devolve bem todos os saques, como se explica isso?

          2. José Nilton Dalcim

            Um pouco de mecânica, porque com o backhand duplo é possível encurtar muito o movimento. Mas acho que isso se deve principalmente ao fato de que um sacador dentro pode angular muito melhor o saque no ‘lado do iguais’ do que no ‘lado da vantagem’. Observe que os sacadores canhotos, incluindo Bellucci, dão trabalho ao backhand do Djoko.

        1. jeremias

          hehehehehe..Eu lembro muito bem, pois estava assistindo. Foi inacreditável, principalmente porque dali ele partiu para a vitória sobre Federer e para o título do USO. Inesquecível!! Talvez a devolução de saque mais marcante da história do tênis.

          Responder
    1. Ivan

      Excelente comentário Renato,
      o Murray conseguiu angular bem sim, o problema é a consistência. Quando foi para o segundo saque então, perdeu mais de 60% dos pontos. O primeiro saque do Djoko não é tão veloz quanto o do Murray, mas é bem colocado e ele consegue variar bem com segundo. Ou o Murray acerta mais de 70 % de primeiro saque e vence mais que 80 % destes pontos, ou perderá o jogo. A outra possibilidade é torcer para o Djoko devolver e sacar bem mal… Vejamos como ambos irão evoluir com o andar da temporada…

      Até!

      Responder
  24. Júlio César

    No outro post um rapaz disse que o Laver é feinho. Mas é difícil barrar o Stepanek e o Nestor, ainda mais pq são uma dupla. É demais kkkkkkkk

    Responder
  25. Lola

    Dá licença de eu ter a minha opinião ou querem me doutrinar pra pensar igual a maioria!?

    Eu acho ele arrogante, nariz impinado, reizinho do tênis que quando chega nos lugares só faltam se atirar no chão pra ele passar!!!

    O Reizinho deve ter dado graças que caiu na semi pra não ter que ficar aguentado aquela enfadonha coroação de um plebeu!

    Responder
  26. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Ainda não está certa a dupla Soares/Melo pro Rio Open ??
    Quando vi a chave de Quito pensei que o Lopez e o Tomic viriam ao Rio, mas não virão. Uma pena !!
    Concordo com alguns que disseram que você foi muito rigoroso com o Murray, o Federer também foi totalmente dominado na semi. Só o Simon, quem diria, deu algum trabalho ao Djoko.
    Fantástico foi a Kerber ter tido um match point contra na 1ª rodada contra uma adversária de ranking baixo e depois se tornar campeã com todos os méritos. Lembrou o Guga que teve que virar contra o desconhecido Michael Moore em Roland Garros.

    Só um detalhe, faltam menos de 4 meses pro início (22.05) de Roland Garros !!

    abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Bom, depois de 22 derrotas em 31 partidas, não acho que eu esteja exagerando. Sem falar nas derrotas terríveis para o Federer no ano passado. Eu acho que ele não tem mostrado progresso técnico acentuado como seus concorrentes. Abs!

      Responder
  27. Fonseca

    Ao pegar o convite para Buenos Aires, Nadal repete a tática que fez ao entrar em cima da hora em Hamburgo: saciar o ego com um título, quando as coisas vão mal… E, assim, como em Hamburgo, ao invés de preparar-se em torneios de quadra dura para enfrentar os Masters 1000 em sequência, prefere faturar caneco no saibro.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não é totalmente fora de propósito, Fonseca. Um tenista só readquire confiança vencendo. Não adianta jogar muito e perder no tiebreak do terceiro set. É preciso ganhar, e um torneio 250 no saibro ajuda muito nisso.

      Responder
  28. Lola

    Nadal humildemente vai jogar Buenos Aires, qaqui a pouco tem gente malhando ele por isso!!

    Ja havia comentado que o que mais importa é levar o caneco pra casa, não ser o queridinho da galera!!

    Responder
  29. Dramde

    Dalcim, qual é o principal parâmetro temporal para determinar o momento da aposentadoria de um tenista ?
    É a idade ou o tempo de carreira profissional ?
    No caso de Federer (34 anos) e Nadal (29 anos), por exemplo, em termos de idade, Federer é 05 anos mais velho. Mas em termos de carreira profissional, Federer (começou em 1998) é apenas 03 anos mais “velho” do que Nadal (começou em 2001).
    Como você avalia isso ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que não existe outra coisa senão a determinação do próprio tenista, ou seja, se ele ainda está motivado para treinar duro, competir em alto nível. Claro, estou falando dos tops. Tenistas, digamos, mediano podem optar por prolongar a carreira e até ir para as duplas.

      Responder
      1. Arthur

        Falando nisso, Dalcim, você enxerga a possibilidade de o Federer daqui a algum tempo se aposentar nas simples e iniciar uma carreira somente nas duplas, talvez com o Wawrinka?
        Acho que isso ia dar um grande tempero ao circuito de duplas e, certamente, atrair uma gigantesca audiência que, infelizmente, as duplas não têm mais.

        Um abraço.

        Responder
  30. Luis

    Dalcim concordo com uma pessoa disse no blog que o jogo entre Federer X Djokovic e’ o que cria a maior expectativa atualmente,a gente sente um Djokovic mais tenso contra Federer,o suíço também foge pouco do que conhecemos de um jeito tranquilo,ja foi Federer x Nadal,DjokovicxNadal,Dalcim e o desafio? rs

    Responder
  31. Igão

    Caro José Nilton, aproveitando que uma grande parte da discussão do blog enveredou para o caminho do “quem é o melhor de todos os tempos”, peço sua licença para indicar uma matéria publicada no site do jornal londrino METRO, cujo título é “6 razões pelas quais Novak Djokovic superou Roger Federer como o maior jogador de tênis de todos os tempos”.
    Evidente que o tema e os tais 6 motivos levantados pelo autor são absolutamente controversos, frutos de uma análise que não escapa à subjetividade. O último deles, aliás, é novidade: “Novak é sempre o vilão”
    Bom, de qualquer forma, vale a leitura pelos pontos de vista abordados.
    http://metro.co.uk/2016/01/28/why-novak-djokovic-has-overtaken-roger-federer-as-the-greatest-tennis-player-of-all-time-5649557/

    Responder
      1. Mônica de Souza

        Poxa, não me parece ser o caso de nível baixo. Todas as 6 abordagens feitas pelo autor foram muito sensatas, tais quais os posts do Dalcim. Podem haver outros critérios a serem debatidos que não foram colocados em pauta. Mas os que ali foram apresentados, foram muito bem explicados.

        Responder
  32. jeremias

    Dalcim, antes que me esqueça, tenho a impressão de que posso ter sido um pouco grosseiro com você em posts recentes. Então, eu realmente peço desculpas. Você é um cara muito bacana e extremamente atencioso, de modo que qualquer indelicadeza, além de tudo, é muito injusta. E eu não gosto de ser injusto. Temos visões um pouco diferentes sobre o tratamento– e as implicações desse tratamento– dado a Roger Federer, mas isso, “at the end of the day”, não é nada. Acho que você também já notou que muitas vezes exagero um pouco na mordacidade ao ler comentários que julgo meio “surreais”. Percebi que isso é uma rematada bobagem; de sorte que, quando vier a fazer algum comentário, não vou mais seguir essa linha. Sendo assim, mais uma vez me desculpe e curta aí um saudável descanso nesse carnaval.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não há motivo para se desculpar, Jeremias. Eu compreendo que às vezes o fervor da discussão é grande, ainda mais num meio em que a gente escreve sem poder mostrar efetivamente o que está sentindo. Bom Carnaval para você também!

      Responder
  33. jeremias

    Rapaz, agora tem uma coisa da qual não se pode fugir: os confrontos entre Djokovic e Federer são disparados os mais interessantes, os mais “enterteiners” . Federer faz emergir em Djokovic a sua faceta tecnicamente mais apurada, entre as suas tantas facetas. Tornou-se um clássico do tênis técnico, sem dúvidas. Inclusive acho que o próprio Federer, ao dizer que contra Novak não precisa fazer ajustes, em realidade está fazendo um grande elogio, pois dá a entender que os dois não se prendem tanto a elementos meramente táticos e põem para fora suas melhores jogadas. E é verdade mesmo. Esteticamente falando, é o melhor embate. Tomara que eles ainda façam algumas partidas decisivas antes do declínio definitivo de Roger…

    Responder
    1. Renato Vieira

      O jogo entre os dois seria o outrora Roger X Rafa. Embora muita gente prefira essa rivalidade atual, eu acho que foi muito mais emblemático.

      Mas certamente, entre os tops, esse é o embate mais interessante.

      Responder
  34. Paulo

    Boa tarde Dalcim, antes diziam que o espanholito seria o “the best”, até o cabeção americano bombadão opinou sobre isso, aliás, por anda o cabeção? Kkkkkkkk. Agora o tal do Ivanisevic diz que o Djokão ganhará tudo kkkkk. Eu te digo Mestre Dalcim, os deuses do tênis são sádicos demais kkkkkk, deixam tudo isso acontecer, animam a galera para depois… kkkkkkk. Abraço.

    Responder
  35. Natanael Lobato

    Maldição do Nadal kkkkkkkkkkkkkkkkkk Rindo até 2018, ano que Nole chegará ao seu 18º Slam kkkkkkkkkkkk. Senhores se existe essa tal de Maldição sobre o tenista espanhol, existe uma benção sobre Roger Federer, pois todos que ganharam dele nas semis levaram o caneco, vide Wawrinka em Rolanga e Djoko neste AOpen. Abs…

    Responder
  36. Valmir

    Dalcim,

    Se na sua enquete do final do ano, você colocasse a seguinte questão…

    Qual a opção mais desejada pelos torcedores do Federer (no blog) para ele ganhar o GS 18 ???

    a) Vencendo Nadal na final de Roland Garros

    b) Vencendo Djoko na final de qualquer GS

    Qual delas você acha que ganharia (hoje) ???

    Confesso que não sei prever o resultado…. rsrsrsrsrssr

    Responder
      1. Anderson Castro

        Ganhar uma final do sérvio no momento atual é algo fantástico, dado o domínio do Djoko no circuito e as derrotas nas 3 últimas finais de Slam (além da derrota na SF do Australian Open).
        Mas, ainda assim, vencer o Nadal em uma final de RG seria bem mais emblemático!

        Responder
  37. Bruno Louzada

    Evolução do pensamento de muitos federistas ao passar dos anos, veja bem, eu disse muitos, não todos
    2004: ”olha que legal esse espanhol chamado Nadal, muito raçudo, bom pra dar uma diversifica no circuito”
    2005: ”que foda o nadal ganhou um slam”
    2006: ‘ ihhh e esse espanholzinho ai ganhou do federer na final de RG, tudo bem, derrotas acontecem”
    2007: ” esse espanhol joga feio, olha esses balões”, ” olha esse Djokovic é engraçado, e ainda joga bem, gostei ”
    2008: ” esse bombado do Nadal ganhou do meu federer em wimbledon, alguem duvida que ele se dopa? ” ” Djokovic ganhou o Australia, nossa, ele é bom, tem muito futuro ”
    2009: ”Esse espanhol fdp, indio maldito, éo cancer do tenis ”
    2010 : ” De saco cheio de tenis, esse espanhol maldito estragou o esporte ” ” Esse Djokovic perde muito, mas pelo menos é divertido, muito melhor que esse espanholzinho, esse indio ”
    2011 : ” Chupaaaaaaa Nadal, vai Djokovic HAHAHHA, joga demais esse sérvio ”
    2012: ” Bora Djokovic atropela esse espanhol de merda na final de RG ”
    2013: ” Espanhol fdp, certamente ta usando bomba pra voltar a jogar bem depois da contusão ”
    2014 : ” servio fdp, como ganhou do nosso rei em WB, arrogante, torcida arrogante ”
    2015: ” Servio arrogante, nunca sera o federer, torcida arrogante, chupem, nossa torcida é maior ”
    2016: ” Servio fdp, androide, robô, nunca foi carismatico, força muito, jogo chato, só tem fisico, aproveita que federer ta velho, temos maior torcida, mesmo que chegue a 20 slams nunca será maior que o federer” ” Não curto o Nadal, mas ele ta fazendo falta, ele é muito melhor que esse sérvio arrogante ”

    Responder
  38. André Barbosa

    Novak Djokovic representa a evolução natural do esporte. Viveu anos nas sombras de Roger Federer e Rafael Nadal, mas soube lutar, evoluir e, principalmente, esperar pelo seu momento. Tem tudo para reinar novamente em 2016 (talvez 2017) e quem sabe buscar os recordes de Grand Slam e semanas na liderança que pertencem ao suíço.

    Obs.: Aos que tanto gostam de malhar o trio Federer, Nadal e Djokovic, fica uma dia: O Brasil possui o atual número 1 do mundo em duplas no masculino e o campeão do AO em duplas, também no masculino. Por que não falar sobre isso?

    Responder
  39. Luiz Pilon

    Mestre Dalcim ou amigos do blog.

    Sabem me informar o nome dessa senhora ruiva e do senhor careca de óculos nessa foto do Djokovic?

    https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-xpa1/v/t1.0-9/12321236_1071729072879943_1751301687460041362_n.jpg?oh=2868a8593b53fbec02d9a36629400275&oe=5737A4A8&__gda__=1462988738_785891959ae86ed151f0096183853ebc

    Caso não seja possível acessar o link, vou tentar descrevê-los:
    A senhora tem o cabelo bem curto e ruivo.
    O senhor é careca e de óculos, não é o Gebhard Phil-Gritsch.

    Eles sempre estão próximos ao Becker ou ao Vajda nos torneios durante o ano.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Mário Sérgio Cruz, da redação do TenisBrasil, diz que a senhora é Elena Cappellaro e o senhor, Edoardo Artaldi. Ambos são agentes do Djokovic.

      Responder
    1. Marcos RJ

      Nole hoje em dia bate sem dó em todo mundo, incluindo Nadal e Murray, a unica diferença é que nesses casos ele nao perde nem mesmo um set. E Lola rima com tola.

      Responder
  40. Lola

    Uma coisa que me irrita no Djo é querer agradar o público, ele nunca vai conseguir e o motivo é que ele está na iminência de bater os principais recordes do insuportável e arrogante ROGER!!

    Responder
    1. Valmir

      Djoko quer ganhar dentro da quadra.

      O título de … “Miss Simpatia” … ele deixa para outros.

      Aliás, esse título do final de 2015 foi muito comemorado aqui no blog.

      kkkkkkkkk

      Responder
  41. Gildokson

    Falando sério agora, como ele não vai ter nenhum adversário no nível que o Federer teve que enfrentar depois dos 29/30 as chances de ele alcançar os recordes de Nadal e Federer são muito grandes.

    Responder
    1. Luiz Pilon

      Tomara que ele tenha a sorte que o Federer teve de ter adversários mais acessíveis em uma fase da carreira, já que até aqui o Novak só pegou pedreira.

      11 Slams e em todos teve que enfrentar pelo menos um do BIG 4.

      Responder
      1. JR

        Concordo. Acho que o Djokovic adoraria enfrentar nas rodadas finais jogadores como: Philippoussis, Baghdatis, Gonzáles, etc. Mas infelizmente teve de vencer 10 dos seus 11 Grand Slam em cima de Federer, Nadal e Murray.

        Responder
  42. Lola

    Agora gostaria de saber se se vão dizer que o Ivanisevic não entende de Tênis.
    Também gostaria de saber se aqueles que colocam apelidos no Nole são crianças ou débeis mentais??

    Responder
  43. Rubens

    Acho que vc exagerou um pouco nas críticas a Murray, seu rendimento com certeza foi abaixo do esperado devido aos vários problemas pessoais acredito eu, problemas sérios de saúde do sogro e mulher grávida já a espera do nascimento…essas coisas mechem com a cabeça de qualquer um e tira o sossego quando ele deveria estar se preparando e se concentrando no torneio.
    Acredito que num futuro próximo, Djocko vai cair um pouco de produção…até compreensível pois ele é humano, e acredito que o Murray ira subir, e os dois dominaram o circuito pelos próximos 4 ou 5 anos.

    Responder
    1. Luiz Pilon

      Também acho que ele deu uma exagerada.
      Fed tomou 6×1 em 22 minutos e ele não o chamou de pífio.

      Fed venceu 9 games, mesmo levando um set.
      Murray venceu 12 games, e não levou nada pra casa.

      No final, embora o jogo contra o Murray tenha sido 3×0, ele foi mais enroscado do que contra o Fed, aliás, Djokovic x Federer basicamente é o jogo de um set. Quando o Novak vence o primeiro, se coloca 95% como vitorioso no confronto. Ontem eu tava ansioso até no tie break, pois se lembrarem de RG, o Djokovic fez um duplo 6×3, estava tranquilo no jogo e de repente a maré virou, Murray venceu dois sets.

      Responder
      1. Chileno

        Há de se levar em conta também que eles estão em momentos completamente distintos na carreira e no circuito. Federer é o único que tem desafiado marginalmente o sérvio. Ano passado venceu 3 de 8 embates, embora tenha perdido nos mais relevantes. E além disso, ele está em final de carreira, esse ano já está com programação reduzida dos torneios que vai disputar, etc. Somente agora, aos 35 anos teve finalmente o H2H batido contra o sérvio, em 45 confrontos tendo vencido 22 e perdido 23 contra Djokovic (se não me engano).

        O Murray que tem enorme talento e um físico muito bom, está bem próximo duma idade ideal para um esportista, e tem praticamente a mesma idade do Djokovic. É o atual número 2 do mundo, diz ter ambições de atingir o número 1, porém tem um H2H absurdamente desfavorável contra seu adversário, e não parece ter evoluído quase nada. Ainda por cima, acho relevante dizer que embora o Federer tenha perdido também com facilidade, na minha opinião pelo menos, o Djokovic jogou muito melhor contra ele. Contra o Murray, o Djokovic apenas foi fazendo o jogo, e deu pro gasto. Contra o Federer, o sérvio jogou barbaridades. Enfim…

        Eu acho que já passou da hora do Murray tentar mesmo virar um membro do Big Four.

        Responder
      1. Julio Sc

        Entendi. Pois a Bulgária voltou esse ano a sediar um evento ATP e sem o seu “embaixador” seria uma falta de respeito do Dimitrov em não participar. Cogitei uma possível briga entre a federação búlgara e o Grigor.

        Responder
  44. alexpicelli

    DALCIM BEM FEITO SEU POST, MAS A DO PSICOLOGO FOI ILARIO, ALIAS LEMBREI DO FEDERER, ELE TAMBEM PRECISA. E SOBRE VENCER DJOKOVIC AINDA ACHO QUE SO FEDERER SE NAO SE AFOBAR E JOGAR SOLTO. MURRAY VAI MELHORAR PODE TER CERTEZA, OUTRO FORTE PRO ANO 2016 E RAONIC STAN E STAN INCOGNITA!

    Responder
  45. Leonardo Carvalho

    Parabéns a todos os campeões!
    Kerber me surpreendeu ao se manter focada no jogo depois de ser quebrada quando sacava pro título e conseguir quebrar novamente na sequência para se sagrar campeã. Pensei que Serena fosse caminhar para a virada, mas a alemã se manteve firme.
    Bruno Soares fez uma bela dobradinha lá na Austrália e com esse início de ano arrasador, quem sabe se a dupla dele e Murray terminam o ano na liderança? Ou ele se torna o próximo número 1, já que disputará alguns torneios com Marcelo Melo? Liderança do ranking de um brazuca para o outro rs.
    Djokovic fez apenas o que se esperava na final, já que enfrentou seu ex-rival que se tornou um grande freguês. Interessante que Federer ainda deu mais trabalho a Djokovic apesar daqueles dois primeiros sets horríveis, já que ao menos conseguiu vencer uma parcial. O inusitado é que Simon, quem diria, foi o adversário mais complicado do sérvio no torneio. Vamos acompanhar quais os próximos feitos do sérvio nas semanas que virão.

    Responder
    1. Valmir

      Tem muitas diferenças aí…

      Sampras chegou no máximo a 1 semi de RG, em 1996.,, e nunca foi grande jogador no saibro.

      Já o Djoko…apesar dos 3 vices em RG… conseguiu venceu Nadal por lá.

      Responder
  46. Dramde

    Dalcim, voltando ao tema “Melhor de todos os tempos”, concordo com o que o foi colocado pelo ARTHUR e endossado por você. É praticamente impossível escolher 1 jogador como o melhor de todos os tempos, tamanha a quantidade de variáveis que se tem que levar em conta em qualquer análise séria que se faça do assunto. Mesmo quando olhamos apenas para os números, ainda erramos ao considerarmos apenas os dados absolutos. Vejamos mais uma variável:
    Federer venceu 17 Slams, mas participou de 67 Slams (aproveitamento de 25,4%).
    Nadal venceu 14 Slams, mas só jogou 44 Slams (aproveitamento de 31,8%).
    É uma diferença de desempenho brutal em desfavor de Federer.
    Por isso, assino embaixo a sentença de SAMPRAS, dita em 2014: “Certamente, Roger foi o melhor dos últimos 10 anos. Rafa está logo ali. Djokovic está chegando. É difícil dizer. Não existe um melhor da história.”

    Sobre a final ter sido chata. Concordo, mesmo sendo torcedor do Djokovic. Mas a culpa não é dele. Seus principais adversários (Nishikori, Federer e Murray) jogaram de maneira errática, cometendo muitos erros bisonhos, enfeiando e entediando o jogo. Em certos instantes pareciam amadores.

    Djokovic atende “por demanda”: se o adversário sobre o nível, ele sobe mais ainda. Se o adversário baixa o nível, ele joga pro gasto, já pensando no próximo torneio.

    Responder
  47. AURÉLIO NR.

    Prezado Dalcim e amigos.
    O AUSOPEN deixou claro que, no momento, mesmo com remotas chances de ganhar em um SLAM de Djokovic, FEDERER é o único que endurece contra o Djoko jogando em quadras duras. Não sou fã dele, mas o que FEDERER vem fazendo com 34 anos é digno de louvor pelos que gostam de tênis. Se o panorama continuar esse, a lista de títulos de SLAMS do Djokovic vai longe. Quanto ao Nadal, ele vai tentar de tudo para ressurgir na temporada de saibro e, em especial, ROLAND GARROS (eu acredito que isso possa acontecer).
    Abraços.
    AURÉLIO NR.

    Responder
      1. AURÉLIO NR.

        Prezado William.
        No meu comentário não falei do Janowicz, portanto, deixe para falar dele quando o meu comentário for sobre ele. Acho que a maioria dos companheiros do blog que ironizam o Janowicz é porque tinham sobre ele a mesma expectativa que tive e tenho.
        Tudo de bom.
        AURÉLIO NR.

        Responder
    1. Valmir

      Endureceu no AO … aonde… quando ??

      Se olhar bem em… Wimbledon e US Open 2015, como agora no AO2016, o Federer luta muito para não perder de 3×0.
      Depois que consegue o seu… set de honra… já fica resignado e aceita a derrota.

      Contra o Nadal, no saibro, sempre foi assim.

      Responder
      1. AURÉLIO NR.

        Prezado Valmir.
        Federer, em todas as últimas decisões de SLAM contra o Djokovic, venceu pelo menos um set (Wimbledom 2014 foram dois sets), além disso derrotou Djokovic em Dubai e Cincinatti. O Murray tomou um sonoro 3 x 0. Ademais, me referi as quadras duras em geral e não apenas ao AUSOPEN. Portanto, ratifico a minha opinião. Se a sua é diferente, respeito.
        Abraços.
        AURÉLIO NR.

        Responder
  48. thiago

    Dalcim sei que muitos vão me criticar mais to começando achar que Djokovic caminha pra ser o maior de todos os tempos, e olha que sou torcedor do Nadal hein!. mais a forma que ele ta jogando nos últimos anos é absurdo, e parece que a cada ano ele se distancia mais dos adversários, hj em dia pra derrotar ele alguém precisa ta muito inspirado e ele num dia muito abaixo. se ele não tiver lesões ele vai reinar por pelo menos mais 2,3 anos, e seus maiores adversários hj já estão mais perto do fim da carreira caso de Federer 34 anos e Nadal 29 anos. não acredito que ambos possam evoluir a ponto de destronar Djokovic e Murray talvez seja o único que possa conseguir tirar alguns títulos do Sérvio, a grande esperança seja que algum nome da nova geração desponte para tentar roubar o trono do sérvio. mais hoje mestre Dalcim não consigo enxergar esse nome no circuito. cada dia que se passa a façanha de Stan na final de Roland Garros 2015 se tornar maior só uma atuação daquela para derrotar o sérvio, a verdade que hoje queira o não estamos diante de alguém que ta colocando o seu nome na história já está entre os maiores de todos os tempos e quem sabe não estamos diante daquele que vai se tornar o maior de todos os tempos, talvez no final do ano possamos falar melhor sobre isso.

    Dalcim por que vc acha que a parceria Bruno Soares/Murray deu tão certo será que eles tem condições de se tornarem a dupla nº 1 do mundo ?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Difícil uma dupla engregar tão rapidamente, Thiago. Daí a ideia de que eles podem ter muito sucesso em 2016 e, sim, quem sabe até lugar pelo número 1 tanto individualmente como em parceria (são agora líderes, mas ainda é muito começo de temporada).

      Responder
  49. Marcos - SP

    Dalcim, talvez eu ande um tanto quanto desinformado e desatualizado, mas, que eu saiba, o número de Grand Slams conquistados é o principal critério para que um tenista seja considerado o maior de todos os tempos ou não. Assim sendo, Roger Federer é, portanto, o maior. Porém, de uns tempos pra cá, venho lendo surpreendentes comentários que afirmam que, mesmo que Novak Djokovic ultrapasse Roger em número de Slams, ainda assim o sérvio não será maior que o suíço, já que não apresenta a mesma plasticidade e elegância em seu jogo. Pergunto: o critério mudou? De agora em diante só poderá ser considerado o maior de todos os tempos no tênis aquele que for mais plástico e elegante? Não é mais número de Grand Slam e sim plasticidade e elegância? É isso? Por favor, Dalcim, me esclareça essa dúvida, porque se o critério mudou, esqueceram de me avisar.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Na verdade, não existe um critério, Marcos. Não há uma regra escrita. Federer no momento reúne os dois requisitos mais utiliados: número de Slam e semanas como número 1. Claro que a plasticidade conta muito também, e aí cada um julga de uma maneira. Abs!

      Responder
      1. Marcos - SP

        Sim, foi isso o que eu quis dizer, requisito. Eu usei o termo “critério”, mas requisito, no caso, é um termo mais adequado. Mas vamos lá. Se Novak Djokovic vier a superar Roger Federer em número de Slam e semanas como número 1, tornar-se-á o maior de todos os tempos, certo? É claro que é bonito ver Federer jogar, ninguém em sã consciência nega isso, mas sua plasticidade de nada valerá caso venha a ser ultrapassado nesses dois requisitos, certo? O problema é o seguinte, Dalcim, vou te explicar. Antes de Roger começar a ser ameaçado por Novak no número de Grand Slams, alguns diziam que nenhum outro tenista superaria o suíço, pois este tinha – e tem – 17 Slams. Foi só o sérvio começar a vencer, vencer e vencer, que não deu outra: mudaram os requisitos! Agora não é mais número de Slam e semanas como número 1, é plasticidade e elegância! Percebe, Dalcim? É muita cara de pau, desses que vivem mudando as coisas de acordo com suas conveniências.

        Responder
          1. Marcos - SP

            Eu é que peço desculpas por não me fazer entender direito: me desculpe. Não, ninguém de enorme relevância fez isso. Estava me referindo única e exclusivamente a comentários que venho lendo no UOL Esporte e no site da ESPN. Gente de pouca ou nenhuma relevância, assim como eu – rsrsrs

  50. Maurício Luís *

    O feito do Bruno é digno de se desfilar em carro de bombeiro. Mas, no país que se diz do futebol – mas que perde de 7 a 1 na própria casa – duvide-o-dó que isto aconteça. Uma pena.

    Responder
  51. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    como colocado por outro colega no blog. Muito se fala em força mental, como o Djoko tem um mental forte, mesmo o Nadal quando era competitivo, mas o Federer virou um jogo de 5 sets contra o Del Potro, com uma pressão imensa sobre ele com a responsabilidade de completar o Slam. Acredito que caso houvesse um top 5 de força mental, considerando toda a era aberta, com certeza o Federer estaria presente.
    Dalcim, falando do domínio do sérvio vc acredita que o Thiem ou Krygios poderão causar algum problema para o Nole em curto espaço de tempo (tipo já na próxima temporada -2017)? Ou acha que ainda vai demorar muito tempo para isso acontecer?

    Responder
  52. washington

    dalcim só queria agradecer pelo q vc faz pela a gente aqui no blog… bom descanso e um ótimo carnaval.
    agora vou tentar recuperar minha noites… hahaha

    Responder
  53. Alessandro Siqueira

    Dalcim, ao fim de 2014 você fez um post onde colocava Djokovic como TOP 10 da história. Depois disso, foram 13 títulos, sendo 4 Slams, 1 Finals, 6 Masters 1000, 1 ATP 500 e 1 ATP 250. Fora isso, um ano inteiro na liderança do ranking e sobrando. Pra você, o sérvio já está no TOP 5 ou, pelo menos, se encaminha para isso ainda esse ano se mantiver o atual domínio?

    Responder
  54. Fernando C.

    Eu não acho que Djoko passa Federer em nº de SLAMS. Ele conquistou 5 GS em um ano e meio, mas é bem complicado manter esse ritmo, pois ele não é um jovenzinho e os outros vão evoluir. Além disso, não se pode afastar tropeços. Ele superou um tropeço contra o Anderson em Wimbledon/2015, contra Simon no mais recente AO, mas pode não superar um próximo.
    Embora esses prognósticos não passem de adivinhação acho que ele vai ficar nums 15 GSlams. Torço, obviamente, para que ao menos um deles seja de Roland Garros rs. O fato é que ele estão no panteão dos maiores. 11 Gs (junto com Borg) e todos os outros números absurdos já fazem dele um dos maiores do esporte.

    Responder
    1. alexpicelli

      ola fernando, assim como voce tambem acho isso. jogo de ontem nole nao jogou o que sabe, era claro que estava e esta desgastado, como ja disse aqui, superar os slam do federer e muito dificil, sem dizer que, o jogo do djoko e muito fisico e mental mesmo, diferente do jogo que o federer tem e jogava, usando habilidade e tecnica. nao estou dizendo que o nole nao e tecnico, nao é isso, mas consegue trocar bolas e mais bolas com precisao ate adversario se cansar e forçar o erro. ontem o jogo do nole foi normal, nao teve a intensidade do jogo contra federer, talvez porque fosse murray, pode ser, mas uma coisa e certa logo ele baixa o nivel, nao existe humano que jogue assim por mais 2 anos, sem dizer que o fisico nao aguentarar e o menal tb.
      outra coisa, meu eu detesto aquele becker, o homem mais idiota com as caras tipo( ei nole e tu ganha ou te arrebento, senao ganhar te mato) cara parece nazista autoritario. quando nole olha pra ele deve pensar assim” meu DEUS me ajuda senao boris me mata”kkkkkkkkkkkkkkkkkkk!!!

      Responder
  55. Fernando

    Eu não sei qual a relevância do comentário de que Nadal ficou em último lugar, como se existisse isso no tênis… É impressionante as inúmeras alfinetadas nos posts do blog pra cima do Espanhol. Realmente foram as infindáveis surras que ele aplicou no suiço idolatrado por aqui. Graças a Deus que o Nadal existiu pra aplicar essa série de entubadas pra cima do Federer e agora o Djokovic veio pra terminar de enterrar o cara, porque o TORCIDA CHATA é essa Torcida do Federer. Aprecio ver o suiço jogando, acho ele espetacular, mas por causa dessa torcida insuportável acabamos torcendo contra o cara.

    Responder
      1. Valdir

        Dalcim, esse “título” do Nadal tem um nome Wooden Spoon, algo assim.
        Havia um tempo uma tradição de apontar o Wooden Spoon de um torneio. Já aconteceu com Federer, com Nadal outras vezes também. Não acho relevante, mas é uma brincadeira divertida 😉

        Responder
    1. Altaisio Paim

      Bom dia, Dalcin!
      Eu gostaria de saber o que os torcedores anti Federer(torcedores do Nadal e do Djoko) acham do suíço como jogador?
      Federer é um regular jogador? Médio? Excelente?(rsrsrs)
      E os feitos grandiosos do suíço( inúmeros recordes, números absurdos..)
      Por que tanta antipatia?(rsrs)
      Abraço

      Responder
      1. Carlos Gilberto

        Eu considero um jogador espetacular, como são tantos outros, como Nadal, Sampras, Djoko e outros. Quanta a antipatia, no meu caso se dá exclusivamente por aqueles que o consideram a reencarnação de Deus. Tem muito torcedor coerente, com certeza a maioria, mas tem uns que são insuportáveis. Reitero, gosto de assistir jogos dele e do Nadal também, mesmo não torcendo.

        Responder
  56. Marcus Rocha

    Djokovic é realmente uma máquina..uma máquina de entender o jogador adversário..é defensivo com quem joga defensivo(6×1/7×5/7×6)..genial quando o outro jogador é um gênio(6×1/6×2/3×6/6×3)..ou até mesmo baloeiro quando o outro só sabe dá balão(6×1/6×2)..e assim ele segue vencendo..batendo recordes e fazendo sua história..não sei até onde ele vai chegar..mas torço e torço muito por tamanha força de vontade e dedicação por esse esporte chamado tênis..concordas Dalcim?

    Responder
  57. ISAQUE

    Bom, se o Djokovic não se machucar ele vai ganhar quatro slam nesse ano e quatro no ano que vem. Vai passar o Federer no u.s open 2017. É o que eu acho com esse tênis que ele vem apresentando e a falta de gente tão competente quanto.

    Responder
  58. Maurício

    Venceu o tenista que mais se dedica no circuito. Já Murray e equipe são muito família, o tênis não é a prioridade: nestes últimos 12 meses, Murray casou (pulou Monte Carlo), Mauresmo ficou meses em licença maternidade e agora Murray está em pré-licença paternidade… E colocou a importância da mulher no seu torneio de forma tão exagerada que mostra não estar disposto a se dedicar de corpo e alma para maiores resultados. Em RG vai estar preocupado com alguma febre ou diarreia que o neném estará passando…

    Responder
  59. Antonio Gabriel

    Parabéns mais uma vez mestre Dalcim pela brilhante análise e por colocar os números do Super DJOKOVIC! Para o pessoal que insiste em achar que Nole e Murray são “empurradores de bola”, quero lembra-los que neste esporte essa é a principal ação a ser feita, empurrar a bola pro lado adversário, e o Djoko tem feito isto de todas as formas possíveis, a depender do adversário, além de toda sua qualidade ele atua na fraqueza do adversário. Eu quero ver a história ser feita em 2016, quero ver o servio levar os 4 majors nesse ano, mas acho que tudo depende do tal de Roland Garros, se ele faturar este ano lá ai acho que ninguém segura o homem. Qualquer tenista pode ganhar de DjoKovic, Simon quase fez isso, mas em condições anormais, com o servio num dia “ruim”, em condições em que ele esteja bem acredito que consiga chegar mais perto seja o Suiço, não o RF mas o Warinka, que fez um jogo absurdo na final do Slam francês ano passado. Dalcim, pra se manter fisicamente bem o Djoko deve disputar os mesmos torneios que disputou em 2015 ou deve reduzi-los mais ainda para buscar as grandes conquistas, o que acha ? Ri muito aqui da maldição do Nadal, muito interessante, podemos dizer que o Touro perdeu mais uma pro Djoko. KKKKK!

    Responder
    1. Luiz Fabriciano

      Antônio, eu só discordo de um ponto: O Simon não quase ganhou do Djokovic. Ele adiou o máximo a derrota, pois em nenhum momento do jogo esteve à frente no placar.

      Responder
  60. Santos

    Que dupla horrorosa, narrou e comentou o jogo de mistas. O Maraucci é um misógino, ficava falando mal da Vesnina o jogo todo, que cara ridículo.

    Responder
  61. periferia

    Olá Dalcim…….acho que ninguém no circuito masculino esta interessado em se sacrificar para subir o nível. ….o que o Djokovic fez foi algo espetacular….os prêmios para o pessoal de cima do ranking e uma geração de mitos (o maior de todos os tempos..o maior da história do saibro..o jogador mais completo da história ).oferece uma acomodação……….hoje no circuito esta faltando ambição. …o pessoal aceita bem meio quilo de carne moída quando pode pegar o boi inteiro…claro que o boi não é fácil mas o DJOKO mostrou que é possível. …….gostaria de saber por que o Moya foi preterido para treinar o Nadal ? Alguma problema com o tio do Nadal? ……acompanhei o torneio com ajuda do seu blog…..como sempre impecável. …abraços.

    Responder
        1. José Eduardo Pessanha

          Taí uma coisa que você é, MC: persistente. Se eu fosse torcedor do Conan, já teria deixado de comentar aqui no blog há muito tempo. Os caras literalmente “están sufriendo”. kkkk
          Abs.

          Responder
          1. Mario Cesar Rodrigues

            Eu persistente só não entro mais em briga insignificantes sou torcedor do Rafa e acredito que possa ganhar vários torneios hoje só falo do Rafa…o mundo dá voltas mas espera que o mundo gira nada é para sempre….!Depois é bom aguentarem pois os torcedores do Nadal estão levando numa boa.!

  62. Arthur

    Dalcim,

    Sei que os torcedores do Djokovic estão eufóricos (com razão). Eu mesmo não acho nem um pouco improvável que o sérvio feche o Golden Slam neste ano. Mas, mesmo assim, gostaria de colocar um pouco de pimenta sobre a discussão sobre o “Melhor de Todos os Tempos” (o tal de GOAT).
    Federer hoje ostenta, pelo menos na opinião da maioria, o título de Melhor de Todos os Tempos principalmente por dois fatores objetivos: recorde de Majors (17) e semanas como nº. 1 (237 consecutivas, 302 no total).
    O problema de decretar Federer como melhor de todos os tempos é que esse veredicto esbarra em dois fatos históricos: o ranking da ATP só foi criado em 1973; Rod Laver não pôde jogar os Majors entre 1962 e 1968.
    No primeiro caso, exclui-se automaticamente da “disputa” os maiores vencedores de antes da criação do ranking, pois nunca puderam efetivamente acumular semanas como nº1.
    No segundo caso, jamais saberemos quantos títulos foram ceifados de Laver por terem barrado sua entrada nos Slams. Considerando-se que ele fechou o Slam em 1962 e 1968, não seria de todo insano imaginar que o australiano chegasse facilmente a 25, quem sabe 30 títulos de Majors.
    Daria pra cravar, portanto, que Laver foi então o grande GOAT?
    Mesmo isso seria discutível. Afinal, naquela época, dos 4 slams, 3 eram jogados na grama. Se o panorama se repetisse hoje, não seria estranho pensar que Federer já tivesse chegado aos mesmos 25, quiçá 30, slams que Laver poderia ter alcançado.
    Analisando-se esses dois problemas, pode-se concluir que nem o fator “semanas como nº1”, nem o fator “maior número de Slams” podem ser validamente considerados como indicativos de “Maior de todos os tempos”.
    Desse modo, ainda que eventualmente alcance e até mesmo passe o suíço nesses dois quesitos, Djokovic jamais poderá reclamar para si esse título, por uma razão muito simples: não existe tal coisa como o “Melhor de todos os tempos”.
    E antes que alguém diga: “Ah, mas você não torce pro Federer?”, eu respondo: sim, mas, pra mim, ele não é o melhor de todos os tempos, mas o tenista com jogo mais bonito que já vi em quadra.

    Um abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É isso, aí. Por esses motivos – e alguns outros -, eu sempre disse que essa comparação entre épocas é praticamente impossível. Haverá sempre prós e contras. Até mesmo o caso de Djokovic recente leva a essas análises do “se”. E se o circuito fosse tão variado como era nos tempos de Borg? E se Borg não tivesse parado aos 26 anos? E por aí vai. Acho que o ideal é sempre apreciar o melhor de cada um e entender que o tênis (felizmente, mas muito felizmente mesmo) tem sido na maioria das vezes um esporte em evolução. Abs!

      Responder
      1. Vial

        Boa noite, Dalcim.. Bem, na teoria do (se).. Tudo é possível. E se Murray tivesse a força de vontade do nada,l será que não seria o melhor de todos os tempos?.. E se Djokovic tivesse parado bem antes de comer glúten e melhorado seus golpes, talvez 17 slams com 28 anos?.. Se nadal fosse 35% mais agressivo e com um saque 20% melhor.. 20 Slams?.. E se Federer Tivesse um Back de duas mãos.. 23 slams?..Sei lá.. Mas nesse mundo de suposições tudo é muito imenso e desproporcional a realidade.. O sujeito fica “à volonté” pra sonhar.. Tanto que se eu não fosse casado seria um solteiro (Rs).. Mas isso é legal para os leigos em geral.. Não para quem vive do esporte. Suposições não são dados estatísticos. Federer é sim o maior do esporte.. Tem mais títulos importantes do que qualquer um e ficou mais tempo como líder. pode não ser o “melhor”.. Pois ai sim entra a subjetividade. Ninguém precisa aceitar o Federer como o melhor.. Tanto que eu não acho ele o melhor. Mas é o maior, comprovadamente. Se Slams são os campeonatos mais importantes e ele tem 17… Fato comprovado. Contra fatos não existem argumentos. Mundo da Imaginação a parte.. Abraço!

        Responder
      2. Alan Guimarães

        Grande Dalcim, por alguns comentários seus, acredito que o tenista que vc mais gostou de ver jogar foi o Borg né??
        Eu não vivi esta época,mas meu Pai diz que foi o mais genial que ele viu jogar…..

        Responder
        1. José Nilton Dalcim

          SIm, eu gostei muito do Borg, apesar de jamais ter sido um espelho para meu estilo de jogo. Curioso, não? Na verdade, ele jogava até ‘feio’ no saibro. Não, não é o Borg o tenista que eu mais apreciei numa quadra, Alan.

          Responder
    2. Leonardo Carvalho

      Arthur, eu também venho pensando sobre essa questão do “GOAT” por esses e por outros motivos há um tempo. Para mim não há um melhor de todos os tempos, mas o melhor de cada época – assim como no futebol, mas sobretudo no tênis. Além dos elementos que você citou, também tem as mudanças nos equipamentos e na equipe multiprofissional (se é que era utilizada naquela época) para a preparação do atleta. Como seriam Federer, Nadal e Djokovic jogando com aquelas raquetes de madeira e sem os recursos tecnológicos utilizados para a preparação física e recuperação de lesões? Federer foi o melhor da década passada, Djokovic é o melhor desta década, assim como houve outros grandes tenistas em cada época, mas não acho que se possa denominar alguém como o melhor de todos os tempos.

      Responder
    3. Marcelo Monteiro

      Perfeita a sua colocação. Não há como cravar, com certeza absoluta, quem foi o melhor. Há vários “poréns”. Todos os grandes tenistas têm grandes feitos e alguns “calos” que não conseguiram superar. Djokovic, hoje, é o nome do momento. Pode bater todos os recordes ? Sim, pode. Mas, acredito que não consiga, porque é quase impossível se manter, num circuito tão competitivo e exigente um nível de jogo altíssimo por tanto tempo.

      Responder
    4. alexpicelli

      Num quesito comparativo e titulos, sempre escolhia o melhor guitarrista de todos os tempos, tirando hendrix, pois ele na minha opiniao é unico, foi e sempre sera o melhor, passarao ceus e terras,mas ele ficara.
      no tenis eu sempre classifiquei dfederer nao somente por gs ou semanas, mas por beleza, tecnica, variedades, agilidade, mas assim como o caso de guitarrista, considero rod laver uma lenda insuperavel, tipo, passarao ceuis e terras, mas laver restera!os outros sim podem se considerar raver é e sempre sera!

      Responder
  63. Robson Couto

    Saudações Dalcim,
    Muito se fala do físico e do mental do Djokovic, mas acho que outro fator invejável é seu lado tático: Quando joga com Nadal distribui winners de todo lado, quando joga com Federer faz um jogo de base sólido que leva o adversário a cometer sucessivos erros. Hoje quando o Murray equilibrou o jogo no segundo set, ele passou a jogar bolas com trajetória mais abaulada e com menos peso, com isso o Britânico se perdeu e começou a mandar bolas no meio da rede e saindo no fundo, daí foi só questão de tempo para o mental desmoronar. Ou seja, taticamente o Djokovic é brilhante, você concorda? Agora falando do mental, quando Djoko erra uma bola fácil, esbraveja e no lance seguinte ele já se “perdoou” e apaga aquilo da memória, pronto para seguir o jogo, já no caso de Murray acho que o seu superego deve sofrer de complexo de inferioridade de tanto que ele reclama consigo mesmo, rs…
    Abraço e parabéns pela cobertura do AO, Dalcim (e bom sono, vc merece!!!)

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Concordo totalmente com você, Couto. Acho que a versatilidade que Djokovic adquiriu permite que ele tenha essa pluralidade tática. Ele pode tanto ser ofensivo como defensivo, impor um ritmo ou outro. Sem dúvida, para mim, é sua maior qualidade. Prometo dormir muito nesse Carnaval! rsrs… Abração

      Responder
  64. Hugo Faria

    Esqueci de comentar..
    Antes q comecem..
    Pra mim, o maior título do Federer foi justamente o de roland garros.. Aguentou uma pressão monstro após a eliminação do Nadal… Virou um jogo perdido na semifinal ( pra quem fala q o suíço tem emocional fraco, vão ver a semi de rg e constatar q não é bem assim) e por fim conseguiu lidar com a pressão da final com todo o peso do mundo nos ombros.. Os dois sentiram bastante o peso daquele jogo, porém o soderling sentiu mais.. Um dos jogos mais tensos q eu vi… E o suíço conseguiu administrar e enfim ganhar o tão sonhado rg..
    Coisa q faltou para o nole no ano passado… Ele não soube lidar com a pressão de enfim ganhar rg…
    Desse ano eu acredito q não passa.. O sérvio só está evoluindo e todos no circuito respeitam demais ele.. Rg deve ser do sérvio neste ano e muito merecido.
    Vi uma vez uma reportagem com o Federer, não lembro o ano, qnd ele dominava, e ele falava q se sentia imbatível.. Não importava como estava o jogo, ele sempre tinha ctz q iria ganhar… Acredito q quem está assim agora é o djokovic..

    Responder
    1. Antonio Gabriel

      Desculpe discordar aido” migo, o Djoko não ganhou ano passado porque o Warinka estava “possuido” pelos deuses do tenis, ele acertou tudo que tentou praticamente, até nisso o Djoko tem mérito, perdeu pra um cara jogando de forma fantástica em uma final de slam, pra min a pressão não falou mais auto,mas sim o jogo do adversário. Mas esse ano acho que finalmente ele leva o primeiro RG!

      Responder
    2. Gean

      Muito pelo contrario meu amigo, após o titulo o próprio sérvio falou que não se sentia assim, pois poderia cair no erro de ser arrogante. É só procurar a reportagem….Por isso que dá nojo quando falam que Federer é um gentleman, na verdade, é o mais arrogante dos cachorroes.

      Responder
  65. Jean Brito

    Monstroooo!! Esse ano com fé em Deus ele ganha RG.

    Para os anti só digo uma coisa “Quem ganha, comemora… Quem perde, tenta se explicar…”

    Responder
  66. Hugo Faria

    O mais engraçado disso tudo é que o djokovic chegou a ter a torcida do Federer pra ele..quando o suíço tomava surras e mais surras do Nadal e o espanhol ameaçava quebrar os recordes do suíço goat..
    Agora, os mesmos, detonam tudo o q podem sobre o sérvio.. Com um medo danado do djokovic quebrar os recordes do Federer.. Sim sim.. Pode acontecer.. Nome tem 28 anos e ninguém no circuito pra ganhar dele… Sim sim, cincinatti não é grand slam..
    Conclusão, não sei se o suíço é o maior da história (pra mim, não é.. Vide humilhações sofridas pelo Nadal, ambos no auge), mas q ele tem a torcida mais recalcada da história, sem dúvidas..pelo menos no Brasil..
    Quem compara o físico do Nadal com o do djokovic nunca jogou tennis na vida… Djokovic tem outro porte físico, faz muito menos força pra jogar, muito mais técnico.. Saca mais.. A única coisa q o Nadal era muito superior ao sérvio Era a passada..
    Vão ter q secar muito o sérvio esse ano.. Pq se depender do confronto direto entre o sérvio e o suíço, sem chance… Assim como era contra o Nadal.

    Responder
    1. Leo Gavio

      No meu ranking de melhores tenistas da historia.

      1 – Djokovic: dominou a mais forte geração do tenis: 2011 todos os big dogs estavam inteiros e com ranking alto.
      Tenista mais proximo da perfeiçao, considerando apenas saque, devolução, reves, drive e adaptação a quadra e adversarios, Federer por exemplo, jamais conseguiu se adaptar a Nadal e a outros tenistas regulares como Simon e Cañas.
      2 – Sampras: dominou a mais forte geraçao de sacadores num periodo de quadras rapidas. Rei da grama.
      3 – Nadal: dominou Federer no auge, monopolizou todos os torneios de saibro. Tem medalha olimpica fora do saibro. os bons tempos do Nadal sao incontestes, mas tecnicamente eu vejo ele abaixo do Djoko e do Sampras.
      4 – Borg: eu nao vi Borg jogar, mas 6 titulos em RG e 5 em WB, e ter se aposentado aos 26/27 anos, é muita coisa, eu tenho minhas ressalvas para aquele tenis jogado na pre-historia, mas não tenho como avaliar sem ter acompanhado.
      5 – Federer : tenista mais habilidoso dessa lista, mas foi dominado pelos seus principais rivais. Ou seja, ele acumulou muitos titulos numa entressafra desgraçada, onde James Blake era top 4 e Hewitt e Roddick eram os “temiveis” n2 e n3, o que acabou gerando a sua controversa fama de GOAT que só os seus fãs acreditam.
      E como diz Paulo Cleto “Nadal quando ouve isso (que RF é o GOAT) dá muitas risadas”.

      Responder
      1. Marcelo Baiano

        Acho razoável que alguns questionem se Federer é o melhor de todos os tempos, mas colocar ele em quinto do ranking é demonstração de fanatismo ou de ignorância (me refiro a falta de conhecimento técnico sobre o esporte).

        O H2H de Federer contra Nadal é equilibrado em quadras rápidas e só é muito desequilibrado em quadras de saibro onde a força física e a força mental (os pontos fortes do espanhol) são mais importantes que a técnica, o ponto forte do suíço. Realmente, Federer não consegue resistir ao antijogo do Nadal que fica jogando “balões” no backhand do adversário. Comparando com o futebol, é como aquele time que ganha o jogo dando “chutões” na defesa e dando “chuveirinhos” no ataque! Além disso, o espanhol tem uma vantagem a mais: é canhoto. Apenas 10% dos tenistas top são canhotos, o que exige uma adaptação de jogo toda vez que um tenista enfrenta um adversário canhoto. Nadal sempre enfrenta dificuldades contra canhotos, mesmo sendo um, pois normalmente joga contra destros. Eu acho isso tão preponderante no desempenho do espanhol que acredito que se Ferrer tivesse a altura do Nadal e fosse canhoto teria uma performance muito parecida com a do seu conterrâneo.

        Quanto ao Federer ter se aproveitado de uma geração fraca, isso só pode ser piada, pois ele só deixou de ser dominante no circuito em 2010, quando fez 29 anos e Nadal fez 24 anos. Pode verificar que 90% do circuito teve 90% dos seus principais títulos entre os 23 e os 28 anos de idade. Além disso, Federer tem H2H equilibrado contra Djokovic, sem dúvida um dos maiores de todos os tempos, mesmo tendo jogado a maioria dos jogos contra o sérvio já com mais de 28 anos, enquanto Djokovic estava com idade entre 23 e 28 anos, auge da performance de quase todos os esportistas, sejam eles jogadores de tênis, de futebol, de voleibol ou de basquete.

        Pra mim, hoje só cabe uma dúvida: quem é o melhor, Federer ou Djokovic? O suíço é mais técnico, mas o sérvio é mais completo, ataca e defende com maestria e tem mais força mental, ponto mais fraco do Federer. Quanto a força física, acho que, se tivessem a mesma idade, os dois se equivaleriam.

        Responder
  67. Luiz Pilon

    Mestre Dalcim, como é a pontuação no ranking de duplas?

    Se não puder explicar por aquim pode me indicar algum link? Procurei, mas não achei.

    Responder
  68. Valmir

    Dalcim,

    Sobre o técnico do Murray.

    O tênis feminino é tão diferente do masculino… O que a Mauresmo poderia acrescentar de significativo ao Murray??

    Nunca entendi o porque da contratação.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que pode dar certo sim, e ela fez um bom trabalho sem dúvida. Mas o Murray precisa de uma imediata evolução, e aí talvez fosse ideal agregar alguém.

      Responder
  69. Valmir

    Dalcim,

    Uma dúvida sobre as finais de duplas do AO.

    Nas duplas masculinas jogaram um terceiro set normal que terminou em 7/5.
    Nas duplas mistas… jogaram um tie-break que terminou em 10/5.

    Porque a diferença… por ter mulher jogando ???

    Responder
  70. Sérgio Cipriani

    É um numerosinho “mascarado” esse de 60 títulos de Roger contra 46 de Novak na quadra sintética, hein…
    Quem vê desse jeito, fala: – Poxa, 14 de diferença para o 2º colocado! Federer é o cara! rs
    Daí o cidadão vai mais a fundo, pesquisa a quantidade de títulos na quadra dura de primeira linha, que são os que importam, e vê outros números: 33 a 32 para o suíço. Está por 1 fio (literalmente) a soberania helvética nesse tipo de piso!
    Federer: 9 GS, 6 Finals e 18 MS
    Djokovic: 8 GS, 5 Finals e 19 MS
    Arrependido de sua primeira afirmação, o sujeito corrige: – Esse tal Djokovic que é o cara! Está só um título atrás e tem 6 anos a menos! Parece que Roger vai comer poeira… Não tem jeito! kkkk

    Responder
  71. Sérgio Cipriani

    9 a 8 em Slams na quadra dura para Federer contra Djokovic! Esquenta a briga pra ver quem é o maior jogador de piso sintético da história!!

    Será que Roger já está começando a perder terreno? É praticamente certo que em breve, Federer “cederá” esse território ao sérvio.

    Responder
  72. Augusto Montenegro

    Dalcim, O carismático Nole poderá atingir a 18 final consecutiva em Dubai e, talvez, o 8 título consecutivo. É possível calcular se atingirá 100 milhões dólares em premiação em Dubai ?

    ** By the way, falando em façanhas, Federer tem o encargo moral de pagar muitos Barbecues a Wawrinka por impedir No1vak de ganhar RG e atingir o recorde de semanas consecutivas em semis de Slams. Abraço.

    Responder
  73. Rafael

    Em minha opinião, Djoko já é maior que Nadal. Claro q isso só se tornará oficial c + 4 slams do sérvio, mas td bem, é questão d tempo.

    Também acho q Djoko, SE vier a conquistar, digamos, 18 slams, e Federer + nehhum, isso dirá o seguinte: Djoko é o maior vencedor d slams. No entanto, considerando os pontos fracos d 1 e d outro – q os tem, óbvio – acredito q o tênis q conheci e pelo qual me apaixonei será sempre lembrado por jogadores como Borg, Edberg (por quem torcia) e Fed.

    No estilo d tênis introduzido por Agassi (por exemplo), passando por Hewitt (em menor grau) e evoluído até bem próximo da perfeição por Djoko, q assisto e por quem torço desde 2007/08, este último não tem + adversários. É assim que é, e esta bom p mim.

    Em outras palavras, torço por Djoko por outros motivos, fervorosamente, e ele provavelmente terminará a carreira como 1 dos tenistas + eficientes da história, c tds, tds os méritos, e aplaudirei mto.

    Porém, no entanto, entretanto, n sei se as épocas eram outras e sou meio conservador, mas Borg, Edberg e Fed tinham (este ainda tem) 1 “quê” diferente, q não sei explicar… N se trata d estilo, n é isso…

    Por último, uma certa marca alemã de carros poderia capitalizar em cima do tênis, reavivando um velho slogan e contratando Djoko e Wawrinka p estrelar 1 série d comerciais: “Potência não é nada sem controle”.

    PS 1: Não existe GOAT. PS 2: É uma pena q n surja alguém p fazer frente à diferença d nível que Djoko abriu. Mesmo torcedor dele, gostaria d vê-lo encontrar mais resistência. Até pq foi assim q ele se tornou o vencedor q é, encontrando resistência.

    Responder
    1. Augusto Montenegro

      Concordo Rafael. Na minha opinião também No1vak já ultrapassou Nadal na história. Quantos Finals o espanhol conquistou na história do tênis ?

      Responder
      1. Roberto Rocha

        Tanta discussão sobre o maior de todos…
        Considerando o tempo que não pôde competir e o fato de ter feito 2 vezes o Slam, Rod Laver é o maior de todos.

        Responder
  74. Rafael

    Dalcim, lembra que o Federer disse uma vez, após perder do Murray, que se ele continuasse com esse jogo defensivo não chegaria a lugar algum (no caso bater os tops, ganhar slams, etc.)? Na época foi taxado de mal perdedor. Parece que o suíço tinha razão.

    Responder
    1. Luiz Pilon

      Mas a derrota tá longe a se resumir apenas a isso.
      Se o problema fosse ser sempre ofensivo, o Federer teria vencido o Djoko nos jogos mais importantes que eles tiveram recentemente e isso não tem acontecido.

      Na minha opinião, o nível de confiança do Novak é tão grande que a vitória está nas mãos dele. Se ele executar o que sabe com qualidade, atualmente ele não perde pra ninguém. Até pq, numa situação de extremos, é o cara mais forte mentalmente do momento, se o jogo tivesse num 5×5 no quinto set, a tendência é que ele conseguisse se sobressair.

      O ponto é que isso muda rapidamente dentro do esporte. De invencível a ganhável de um mês pro outro acontece demais em todos os esportes.

      Só lembrar que a uma altura dessa do ano passado, ninguém dava a ele essa aura de invencível. Hoje ele tem. Daqui um ano pode ser que não…

      Responder
  75. Augusto Montenegro

    Parabéns a Bruno Soares e Novak Djokovic!!!!

    Que não sabe o que é perder em 2016 AINDA. Admiro demais este sérvio inteligente e carismático.

    Responder
  76. Patrick Simão

    Dalcim, fazendo que nem o Darcis, mais uma curiosidade: O Brasil é o país com mais Slams em 2016 (masculino e feminino), com o dobro de títulos pros países segundo colocados e tal panorama seguirá assim até maio.

    E quanto ao Murray, acredito que ele infelizmente coexistiu na pior época possível. Creio que, com seu potencial, se ele tivesse seu auge entre 2000 e 2005 estaria entre os 10 maiores nomes da Era Aberta. O que acha quanto a isso?

    Responder
  77. Sérgio Cipriani

    Atenção, rapaziada!! Dubai já está às portas… Tenho certeza de que Roger poderá derrotar Novak lá! O suíço sempre o joga o seu melhor nesse tipo de torneios!! hehe

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pelo menos derrota o Djokovic nesses torneios menores, e de quadras ultra-rápidas.

      Diga-me sinceramente: quantos tenistas hoje, têm o privilégio de poder afirmar isto?

      Responder
  78. Luiz Pilon

    Djokovic venceu 11 GS. E em todos eles, derrotou ao menos UM integrante do BIG 4. Sensacional! Ganha e ganha dos melhores!

    Tenho “pena” do Andy, esportivamente é claro, acho que ele joga mais tênis do que os títulos dele em GS traduzem. Torço pra que ele termine sua carreira com o carreer Slam e um Finals, ficaria bonito. Não seria nem perto dos maiores vencedores, mas se consagraria como um cara que venceram tudo o que era possível!

    Aliás, grande Dalcim, tem algum tenista que possua todos os principais títulos possíveis pra quem joga simples? Todos Slams, Olimpíadas e o Finals?

    Responder
      1. Celso Kobashi

        Faltou ao Agassi vencer os Masters de Monte Carlo e Hamburgo. Se Djokovic vencer Roland Garros, as Olimpíadas e Cincinati, ele ganhará todos os torneios de primeiríssima linha do tênis

        Responder
  79. Oswaldo E Aranha

    Luiz Silva e Bela e Cia Ltda.
    Uma vez Zagalo como técnico da Seleção Brasileira disse: vocês vão ter que me engolir. Repito essa frase pois vocês, ainda que a muito contragosto, vão ter de engolir o Dkovich e pararem de fazer papel de bebê chorão.

    Responder
  80. Weslei

    Boa tarde, Dalcim

    Que época estamos vivenciando hein! Temos o Big4 (Federer, Nadal, Djokovic e Murray) ganhando 44 Grand Slam dos últimos 51 disputados(contando desde da primeira conquista de Federer em 2003) e 88 Masters 1000 dos últimos 122 disputados(contando desde da primeira conquista de Federer em 2002) e 11 ATP Finals dos últimos 13 disputados(contando desde da primeira conquista de Federer em 2003).

    Na duplas masculinas temos os irmão irmãos Bryans considerados a melhor duplas da historia.

    No feminino Serena Williams tentando ser a recordista em Slams e semanas com numero 1 e que provavelmente consiga .

    Com relação ao Djokovic depois do torcedor berrar para ele parar de usar dropshots só vi ele fazendo 2 vezes hoje no jogo do Murray ele não fez no jogo do Nishikori e nem do Federer, por isso eu te pergunto na sua opinião será que ele não quis mas fazer ou ele não precisou?

    Com relação ao jogo anterior entre Murray e Raonic eu vi o Raonic usando um protetor bucal é isso mesmo? É comum entre os jogadores? não entendi o motivo.

    Responder
      1. Luiz Pilon

        O motivo é pra diminuir o atrito entre os dentes. Raonic deve ter mania de ficar apertando o maxilar, algo do tipo.
        Ouvi isso no Pelas Quadras.

        Responder
      2. Marcelo-Jacacity

        Após uma pesquisa incessante, achei a explicação.

        Supersticioso como é o canadense (vide àquela proteção no braço), há uma teoria pertinente:
        Moya somente conseguiu convencer Raonic a subir a rede após atender a um pedido do canadense.
        Preocupado com a segurança do sorriso, haja vista, o bombardeio vindo do fundistas de quadra, Raonic exigiu:
        – Somente com protetor bucal.

        Responder
    1. Ivan

      Olá Weslei,
      acompahei os jogos pelo site do AO e segundo o comentarista Rob Koenig (da TennisTV), é só uma maneira de evitar ranger os dentes!… Parece que o caso do Raonic é tão sério que dava sérias dores, inclusive no pescoço. Geralmente é mais comum ocorrer de danificar os dentes, mas apenas durante o sono… É que o nível de estresse deve ser uma beleza!

      Abs!

      Responder
  81. Abner

    Pessoal que e fã do Djoko me adiocina no facebook , quem tem uma página nova que estamos, tentando crescer só fatos sobre o nole , vcs mesmos podem postar notícias , e um site , que nos mesmos fazemos a página ,
    Se quiserem participar desse grupo me adicionem , procurem la Abner Brito ribeiro , nessa foto to d óculos , dalcim vlw mesmo , dalcim vc acredita que ano o Djoko passe o nadal em títulos na carreira ?

    Responder
  82. Pieter

    Podem me criticar, mas achei a final do AO masculino monótona e desinteressante. Dois rebatedores de bola! O Djokovic mais parece um robô devolvedor de bolas. Muito competente, sim, mas sonolento o jogo dele. Enfim, são os novos tempos do tênis e temos que nos acostumar a essa brilhante realidade…
    Dalcim, a Bia Haddad, após essas campanhas em torneios no Brasil fica entre as 200 do mundo? O que você achou do retorno dela?

    Responder
    1. Rogerio Cerqueira

      Seu comentário sobre Djokovic foi perfeito.
      Ele e um monstro super competente mas o tênis jogado por ele e muito sem graça e estendo isso aos outros integrantes do big four(Murray e Nadal).
      E o mais triste é q eu não vejo nenhum da nova geração com um tênis interessante de assistir.
      Já perdi as minhas esperanças com o Dimitrov

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Kkkk, Dito e feito!

      Eu falei que Djoko derrubaria o ridículo Murray em sets diretos.

      Também falei que o jogo seria CHATÍSSIMO.

      Pois ambos jogam um tênis burocrático e pouco empolgante.

      Deus me defenda! Ainda bem que fui fazer uma prova pela manhã e escapei de ver esta josta…

      Responder
    1. Valmir

      Já vi isso que você fala, antes…

      Um grande campeão ganhando de …
      Agassi… nos últimos jogos da carreira…
      E um monte de finais de GS contra… a Ponte Preta (no Paulistão)… a Holanda (na copa do mundo)… Caldense (no Mineiro)… Buffalo Bills (na NFL)… Volta Redonda (no Carioca).
      Adversários que eliminam favoritos pelo meio do caminho…. dão trabalho… mas que amarelam na final.
      Seriam… Bagdhatis… Phillipoussis… González… Soderling…. Roddick…
      Rsrsrsrsrs

      Responder
      1. julio cesar

        eh facil tentar enviesar quando a pessoa quer distorcer para fortalecer determinado ponto de vista, no caso, os apaixonados querem defender seus idolos. Isso acontece em qualquer lugar, com qualquer tipo de assunto.

        Responder
      2. José Eduardo Pessanha

        Pensando de acordo com o seu raciocínio, Cotonete ganhou 4 GS em cima do Murray (que, na minha opinião, é fraco perto dos outros três, ganhou somente 1 set em 3 finais contra o Craque, e numa época em que ele jogava bem mais do que joga hoje) e 3 em cima de um tenista veteraníssimo. Então sobrariam 4….kkkkk….
        Uma coisa eu te garanto. Se transportassem Djokovic para 10 anos atrás, ele perderia todas para o Roddick em Wimbledon, assim como perderia para Soderling em RG em 2009/2010. E Roland Garros não virá. Esquece. No ano que vem, com 30 anos, a decadência da Chave de Fenda Sérvia virá de forma cruel, à la Nadal.

        Responder
        1. Chileno

          Divertido seu comentário. Você ainda poderia incluir nesta lista aí o título sobre o Tsonga em 2008. Enfim… esse tipo de argumento não tem muito sentido. Ficar pensando se o número 5 de 2007 era melhor ou pior do que o número 5 de 2016. Não tem muito como comparar isso.

          Só pra constar: gosto muito do Djokovic e do Federer. Mas eu acho esse tipo de argumento uma besteira completa. Quem quiser defender uma hipótese qualquer pode usar esse tipo de argumento a seu favor sem nenhum esforço. Por que esses caras supracitados são “inferiores” afinal? Têm poucos títulos? Será que eles não teriam mais títulos se Federer não tivesse dominado? Ou não teriam ficado mais tempo na liderança?

          Hewitt e Roddick não seriam muito maiores se Federer não tivesse existido? Provavelmente. Nunca saberemos. O que sabemos , de maneira sucinta é: Federer dominou o circuito entre 2004 e 2007, Nadal dominou entre 2008 e 2010, e Djokovic têm dominado a maior parte do tempo de 2011 pra cá. Sucintamente, é claro, já que tem furos aí. 2012 foi um ano bem equilibrado, Djokovic ganhou AO, Nadal levou RG, Federer WB e Murray US e medalha olímpica. 2013 o Nadal dominou no segundo semestre. Enfim…

          Responder
  83. Marcos Marinho

    Só complementando meu comentário anterior: não acho que a responsabilidade seja da Mauresmo, nem acho que seja questão também de simplesmente trocar de técnico. Não estou querendo fazer do tenis o futebol brasileiro, mas assusta a declaração de que Murray fez pré-temporada visando melhores confrontos com Djoko e Federer e jogar dessa mesma forma defensiva. Enfim, só pra esclarecer.

    Responder
  84. Marcos Marinho

    Djokovic incontestável. Dalcim, já nao é hora de questionarmos o trabalho de Murray com Mauresmo? O britânico disse que fez pré-temporada estudando formas de vencer Novak, mas o que se viu foi uma sucessão de seus velhos erros e fragilidades. O forehand não melhorou nada, o segundo saque é risível pro nível que ele joga e parece que o Murray não faz mais nenhuma questão de definir pontos na rede, a não ser como tática desesperada após já estar tudo perdido. O lado mental tb não parece mais sólido. Aquela lesão nas costas já é passado e não dá pra se apoiar naquilo, mas o Murray nem lembra o jogador agressivo que era no período Lendl. Pra não dizer que ele não evoluiu NADA, hj ele joga melhor no saibro. Enfim, deveria Murray buscar novas soluções?

    Responder
  85. Sérgio Cipriani

    Eu ainda fico de cara quando tenho que ler que Roger é o único que incomoda Nole. Me incomodaria menos dizer que ele não tem rivais. Porque achar que o confronto entre eles foi parelho no ano passado por causa de derrotas em uma final de 500 e em um jogo de fase inicial de torneio round-robin é duro de aceitar… Em jogos pra valer mesmo, foi 5 a 1 para o n1. (Indian Wells, Roma, Wimbledon, US Open e Finals… contra Cincinnati apenas). Um pra Roger, um pra Murray (Montréal) e um pra Stan Wawrinka. Este sim é o único que pode enfrentá-lo nos grandes palcos. Se não fosse por ele, Rolanga já era nosso e o 7º título na Austrália também. Em duelos importantes, nós sabemos o quanto o nível de tênis de Federer abaixa…. O quanto o seu jogo o deixa na mão… O quanto se trata apenas de dias ruins no saque…

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Jogos que nao valem nada…quanto vale CADA Vitoria no Finals ? Quantos pontos recebe o Campeao Invicto no Torneio ? Seus comentários sao risíveis xará . Eu chamaria o L. F. para ajudar. Na boa, esquece o Federer. Enquanto Novak nao chegar lá’ , nada mudou. McEnroe parecia que acabaria com todo mundo. Ficou pelo caminho.Abs!

      Responder
      1. Alessandro Siqueira

        Na fase de grupo do finals, cada vitória vale 200 pontos no ranking. Quando se está a quase 8.000 de frente, pode-se, sim, dizer: NÃO FAZ QUALQUER DIFERENÇA. E não fez diferença mesmo. Nole defendia 1500 de 2014 e fez 1300 em 2015. Logo, menos 200. Mas isso não alterou em nada o rumo da história. A folga pela temporada fantástica já era líquida e certa. E certo também foi o TETRACAMPEONATO CONSECUTIVO no torneio que encerra a temporada, ao qual se soma o título de 2008.

        Responder
  86. Ivan

    Dalcim,
    pouco a acrescentar, os números falam por si. Brilhante estes ultimos 12 meses do Queixudo! Jogou em save mode e venceu em sets diretos. Onze GS, H2H positivo com a turma, e só quebrando recordes. Espero que não sofra por causa da maldição do Nadal (esta existe mesmo, fato!) e que venha o RG em junho, a cereja do bolo… Se isso não for o Nirvana, não deve existir! Ganhar os 4 GS num ano só ainda parece bem mais difícil. A conferir!

    Não teve como não sentir um dedinho de pena do Murray… Mesmo que melhore o forehand e o segundo saque é difícil pra ele porque o controle emocional é muito ruim… Vibra demais em pontos para chegar ao 30 iguais e entra em depressão no seguinte quando fica em 30-40… Pra piorar, como bem disse o Guga, o tenista aprende muito mais com a vitória (mesmo jogando mal) que na derrota…

    E, parabéns ao Bruno Soares, o rapaz é bão demais da conta!

    Responder
  87. Marco Aurélio

    Sérvio tá muito cuidado físicamente, se conseguir manter esse ritmo por mais 2 temporadas pode bater todos os recordes.
    Dalcim, o que vc acha dessa nova geração? Algum tenista pode vir a fazer frente mesmo com o big 5 acima dos 30 anos?

    Responder
      1. Robson

        Com todo respeito a opinião do metre Dalcim,vou dar a minha;
        Acho esse Thiem a maior mentira dos últimos tempos do Tênis mundial.
        Já o Kyrgios tem potencial,desde que deixe de ser moleque e vire homem de responsa,mesmo assim seria pra 2017 pra frente,este ano ainda não,nenhum.

        Responder
          1. Robson

            Tenho o direito a ter a minha opinião ou não hein federete?
            Se vc discorda,problema seu,tô andando meu brother.
            Reafirmo,Thiem é sim a maior mentira do últimos tempos no tênis exatamente igual o Polonês JJ,não dará em NADA.

  88. Luis

    Dalcim sobre Djokovic voce achou com aquele ano 2011 acho que perdeu poucas vezes ele parecia uma ameaça pra Federer e Nadal mas acho que não imaginariamos como esta’ atualmente ?difícil alguém derrotalo talvez o Federer ainda e’ o jogador que não da pra prever,apesar das vitórias sobre suíço Djokovic teve derrotas,Wawrinka inspirado tem tênis pra incomodar sérvio,sobre o Federer o Murray disse depois de Wimbledon ultimo slam que Federer venceu que poderia chegar aos 20 slams mas atualmente parece que mais um slam e’ o que Federer tem como objetivo? Fui bem no desafio acertei 3×0 Djokovic

    Responder
  89. Bela

    Uau, gente! Estou chocada… Chego a ter medo já… Vocês acreditam que o cotonete pode fazer o Golden Final Slam?! Espero acordar desse pesadelo! Só tu mesmo, Roger! Vamos quebrar a banca do balcânico. Federer é o MAIOR e MELHOR tenista da história disparado!! Djoko não fez nem metade do que o suíço já fez pelo esporte! Só quem não vê é torcedor modinha e adolescentes…

    Responder
    1. Julio Cesar

      Ele fez por si proprio. Cada um joga para si. Coisas como popularidade, sucesso, opinião pública, são externas e independentes do jogo em si. Federer ganha para si. Cada um ganha para si

      Responder
    2. Jean

      Quando Roger começou a ganhar tudo acho que diziam a mesma coisa não? Que só modinha torcia por ele? A coerência passou longe nesse comentário… Mas fazer o que, quando Novak estiver com a idade de Federer, outros com certeza estarão no topo brigando para quebrar recordes… e te garanto que não sou eu quem vou ficar chorando com esse papo de perdedor que esse “novo” jogador não fez nem metade do que Novak fez…

      Acho que esta é mesmo a progressão natural da coisa, um ídolo sai, outro entra, quer queira quer não…
      Chega de chororô e fanatismo desmerecendo os jogadores. Novak está no ápice, quem sabe algum dos novos não desponta esse ano e começa um novo ciclo de rivalidade, assim como Nadal na época do Federer e Djoko mais recentemente? Internet é livre para postar o que quiser, mas um pouco de bom senso nunca é demais.

      Responder
    3. RSPatriota

      Bela,

      Só acho que está de brincadeira com este comentário.
      Acho sua análise muito parcial. É bom observar que federer falou há poucos meses que está em sua melhor forma.

      Responder
    4. Hugo Faria

      Larga de recalque, bela..
      Só pq o goat suíço não ganhou o golden slam ninguém mais pode ganhar??
      O tennis não se resume a Roger Federer.. O cara é gênio, monstro e vai fazer muita falta qnd parar.. Porém, Ele não é Deus.. O tennis já existia antes dele..
      Antes de menosprezar os feitos do outro gênio sérvio, pare pra pensar..
      O q falar de um cara q precisou do soderling pra fechar os 4 slam!?? Pq do Nadal ele nunca ganhou nem vai ganhar em rg..nem o Nadal manco de hoje…
      Perdeu para o guga pós operação… Guilhermo canas.. Isner em casa no saibro, copa Davis..
      O goat tb tem defeitos.. Todos os tenistas têm defeitos.. Defeitos esses q ficam muito visíveis nas horas mais tensas, contra os maiores – nole e Nadal..
      Antes q ache q sou torcedor do djokovic, não sou… E só vai ficar faltando uma coisa para o sérvio.. Ter vencido o Nadal em roland garros em uma final… Pq o Nadal tb não chega mais lá..
      O esporte evolui.. Aceita q dói menos.

      Responder
      1. Alessandro Siqueira

        É isso aí, Hugo. A vida é real e de viés, “tudo passa, tudo sempre passará”. Uma pena que muitos insistam em nega que a vida é “um rio que corre”…

        Responder
    5. Rafael

      Gente, se liguem.

      “Federer é o MAIOR e MELHOR tenista da história disparado!”

      A ordem das palavras, as mesmas palavras em caixa alta, nem tomou o cuidado de trocar “disparado” por algo como “de longe” para não dar tanto na cara…

      Se liguem….rs. Dps ainda falam q a torcida de Novak aumentou pela multiplicação de fakes, o Lorde Fake-mor agora assume até nome de mulher para falar de Djoko, sua grande paixão!

      Responder
      1. Bela

        Olha só, Rafael! Não é porque eu coloquei uma frase que o Marquinhos usa várias e várias vezes, que eu seja um fake! Lembro muito bem que várias pessoas já usaram o bordão “como eles estão sofrendo!! kkkk ” do Luiz Fernando, e nem por isso eram fakes… Meu nome é Isabela Mendes, tenho 22 anos e sou muito mulher, seu grosso! E até admiro o Djoko! Defendi ele de um tal aí que disse que ele era empurrador de bola em um post passado… Só não dá pra colocar ele no mesmo patamar de Roger. São mundos diferentes!

        Responder
        1. Rafael

          Ué, como vc sabia que eu (supostamente) estava me referindo ao cidadão que vc citou? De 500 participantes do blog, vc foi direto nele? (rsrsrsrsrsrs)

          É só dar corda que a própria pessoa se enforca, é incrível, rsrsrsrsrs.

          “Bela”, não concordo com essa política de fakes, e SE vc for alguém legítimo como EU, por ex, peço desculpas.

          Responder
        1. Alessandro Siqueira

          Bela pode não ter nada a ver com Marquinhos, mas a expressão usada por ela tem a digital do Pequeno Marcos. Aliás, “where’s Wally”? Ou melhor, por onde andará Marquinhos? Até a véspera das quartas ele tinha vaticinado que o Roger está apresentando o melhor tênis, seguido de Wawrinka e do Japa. Cadê esse povo todo? Na conta de Little Marcos, Nole não tem tênis nem para ser boleiro… rsrsrs

          Responder
  90. Robson

    Bom,2 torneios e duas taças nas mãos de Novak até hj na temporada que se iniciou a 25 dias.
    12 jogos de Novak até aqui e 12 vitórias e o curioso é que o “ZÉ MOLEZA” do Simon foi o único tenista a dar trabalho,fazer Novak suar a camisa.
    .
    Vi em alguns Blogs leitores comentando e no pelas o Fininho e o Maraucci tb,que Murray venceria pq tinha coisas o alimentando pra isso como:
    Irmão dele campeão 1 dia antes da final.
    Kerber Campeã em cima da favoritíssima Serena 1 dia antes da final.
    1º Filho dele pra nascer a qualquer momento,seria mais uma forma de entusiasmo.
    Já foi vice no AO várias vezes,e que essas derrotas todas teriam que ter servido pra alguma coisa d eaprendizado e que ele já estava cansado de perder pra Novak.
    .
    Aí vem uma pergunta,o que tem Novak com isso tudo?
    Resultado disso tudo: Novak Djokovic CAMPEÃO pela 6ª no AO.

    Responder
  91. Marcelo-Jacacity

    Dalcim,

    Uma curiosidade sobre as duplas:
    Há apenas um troféu para os jogadores das duplas? Em caso afirmativo então seria necessário chamar o Rei Salomão.
    A nossa moeda está tão mas tão desvalorizada que até o prêmio das duplas convertido em real tornou-se vultoso para Soares.

    Responder
      1. Marcelo-Jacacity

        Dalcim,

        Obrigado!
        Imaginava que fosse uma réplica para cada um, pois, o tamanho desse troféu de duplas masculinas já é menor que o de simples e eles recebem um diminuto do diminuto.

        Responder
  92. Robson

    Grande Novak Djokovic,começou o ano de 2016 como começou e terminou o ano de 2015,CAMPEÃO.
    .
    Terminado o AO e com a 6ª taça nas mãos de Novak,vamos a alguns fatos:
    .
    Por mais que federetes e antis pensem assim,não é o físico e o mental de Novak que destrói seus adversários em qualquer quadra ou tipo de piso mundo afora.
    Físico de Novak juntamente com o físico de Nadal(até 2014) são os dois melhores e maiores de toda história.
    Mental de Novak é forte,mas não é essa fortaleza toda não,Vento,sol forte,seguidos saques potentes de adversários entre outras coisas tira Novak de concentração.Mental de Nadal por exemplo é mais forte que o de Novak.
    .
    O que aniquila os adversários de Novak em quadra são:
    Devolução- MELHOR da história
    Movimentação- MELHOR da história
    Esquerda- Umas das MELHORES da história
    Direita- Muito,muito boa.
    .
    “Deve ser um pesadelo enfrentar Djokovic”,frase de Ancic.Um cara com uma devolução como a de Novak deixa sim o adversário perdido,sem saber o que fazer,aí forçam tanto o 1º quanto principalmente o 2º saque,com isso erros vão se enumerando.
    .
    E a movimentação,o cara é ligeiro,rápido demais,chega em quase todas as bolas e pior(pros adversários)na maioria delas chega firme em condições de bater na bola inteiro,é onde ele consegue a proeza de passar de atacado pra atacante e com isso dita o ritmo do ponto,um completo domínio.
    .
    Esquerda de Novak quase sempre joga o adversário laaaaa no vizinho e com isso o outro lado da quadra aberto o sérvio enfia um Winner com a direita,isso quando se tem essa necessidade,pq as vezes a esquerda é tão bem executada que a bola nem volta.
    .
    Novak usa como ninguém sua direita juntamente com sua esquerda o tempo todo,deslocando o adversário de um lado e outro da quadra.O sérvio muda a direção da bolinha,a direção do jogo com uma facilidade nunca vista antes dentro de uma quadra de tênis e isso se é conseguido graças a sua alto confiança e a seu BH e FH excelentes.
    .
    Então senhoras e senhores,esse conjunto de fundamentos de Novak vai minando,destruindo aos poucos dentro do jogo seus adversários que vão se cansando física e mentalmente a ponto de passar a falsa impressão que o adversário de Novak que está jogando mal,sendo que é o contrário,ele está fazendo é o que pode.Novak que é um MONSTRO e vai sufocando cada um de seus adversários o tempo todo.

    Responder
    1. Leo Gavio

      Excelente comentario, Robson.

      Os haters do Djokovic não entendem a joia rara que é a estrategia do servio.
      Executar esse estilo é extremamente dificil, mudar a direção da bola requer excelente movimentaçao e preparo do golpe pra bola não escapar.

      Observe que Djokovic não fica cruzando a bola o tempo todo com a maioria dos adversarios, ele opta logo por ficar mudando a direção da bola nas paralelas até o adversario encurtar a bola e ficar refem dos winners cruzados, ja com o Federer ele opta por martelar a esquerda dele até a bola encurtar ou a direta do suiço ficar vulneravel pra um ataque, obrigando o Federer a sempre bater a direita na corrida.

      Algo parecido ao que ele faz com Nadal, ou seja, mesmo sendo jogadores distintos Djokovic é tão completo que consegue isolar o melhor golpe dos principais adversarios cujos drives estao em lados opostos.

      Já contra Murray, Djokovic precisa ter mais paciencia pq não existe um lado pior, então ele obriga o Murray a bater os dois lados sempre na corrida, o que provoca mais erros e desgaste mental e fisico no adversario.

      OU SEJA, O CARA É FANTASTICO, SIMPLESMENTE UM CANIVETE SUIÇO.

      Responder
  93. Implicante

    O tenis está chato com essa fragilidade atual. O único adversário do Djokovic é um senhorzinho com 34/35 anos, que mesmo jogando mal, ainda ganha 1 set.
    Alguma coisa precisa ser feita para o tenis voltar a ser mais divertido, como a volta de quadras e bolas com velocidades diferentes. Até o Murrray, defensor nato , atacou mais , tendo obtido mais winners e enf , perdeu em 3 sets para a incrivel capacidade de correr que o djokovic adquiriu com meios controversos como a hiperbarica e coisas mais que não sabemos.

    Responder
    1. Robson

      E tome mimimimimimimimimimimimiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
      E tome bla bla bla bla bla
      E tome tro lo lo
      Essas federetes e essa choradeira,que feiura…
      Enquanto isso Novak segue detonando,batendo os recordes menores e já com os recordes maiores na alça de mira….

      Responder
    2. jeremias

      ” perdeu em 3 sets para a incrivel capacidade de correr que o djokovic adquiriu com meios controversos como a hiperbarica e coisas mais que não sabemos.”

      Acho que comentários contendo 1000 dentre os piores xingamentos são 1000 vezes mais brandos, aceitáveis e amenos do que um comentário completamente IMBECIL como esse…

      Responder
    3. Rafael

      Realmente, a câmara hiperbárica” é controversa”. Uma tia minha, irmã da minha mãe, foi diagnosticada com câncer no seio. Durante o tratamento, contraiu – por infelicidade – algum tipo de infecção dentária gravíssima.

      Não sei explicar direito, mas ela fazia sessões em uma câmara hiperbárica com frequência – n sei explicar qual o propósito disso nos males que lhe acometiam – mas ocorreu que, devido ao uso da câmara – na condição dela, óbvio, o médico disse que havia risco de que qualquer coágulo que ela pudesse ter no corpo poderia se mover – para as pernas, causando algo como trombose – para o coração – causando algo como parada cardíaca – ou para o cérebro – causando algo como AVC. Na avaliação dos riscos-benefícios, da qual o filho (meu primo) participou, decidiu-se usar a tal câmara. Foi por conta deste último (AVC) que ela veio a falecer.

      Responder
  94. Giulia Morelli

    O que dizer desse gênio do esporte? Nada além de Parabéns ao melhor jogador do mundo.

    Se conseguir a façanha de vencer todos os majors desse ano e mais o ouro olímpico, Novak estará num patamar acima de Roger Federer, mesmo tendo títulos de Grand Slam a menos.

    Responder
    1. Rogerio Cerqueira

      O Djokovic acima do Federer?
      Isso nunca acontecerá,pois não são apenas números.
      O Federer fez e continua fazendo muito pelo esporte.Muito mais que o Djokovic na fase atual.
      Isso fica muito claro com a reação da torcida em cada ponto espetacular que ele consegui fazer .
      Ele emociona com a improvisação,plástica e eficiência do seu jogo,coisas que o atual numero um do mundo não tem e nunca terá ou vc já viu em alguma partida a torcida do Federer fazer menos barulho q a do Djoko?

      Responder
      1. JR

        Então acho que quem contribui mais para o tênis é o Bellucci. Nunca vi torcida alguma fazer mais barulho que a dele quando joga no Brasil. E quem contribui mais para o futebol é o Boca, o barulho que ela faz é de enlouquecer.

        Responder
  95. Barreto

    Djoko é monstro demais. Muito falam que o circuito está fraco, mas na verdade, é o Nole que está num nível nunca visto antes. O objetivo agora pro GOAT é conseguir o golden slam esse ano.

    Ajde Nole

    Responder
  96. Marcelo-Jacacity

    Puxa vida, Dalcim,
    Pegou pesado com o Murray neste excelente post, hein! rs
    Tem toda a razão, entretanto, há o atenuante, desta vez, do nascimento do filho. Mas é fato que ele precisa procurar evoluir. Até a Kerber procurou ajuda do mito Graf recentemente, para dar um upgrade no jogo. E o resultado veio.

    Responder
  97. Alessandro

    “Nadal perdeu para o Verdasco, que perdeu para o Sela, que perdeu para o Kuznetsov, que perdeu para o Monfils, que perdeu para o Raonic, que perdeu para o Murray, que perdeu para o Djokovic.”

    Então já sabemos que a maldição do Nadal irá eliminar o Djoko na primeira rodada de Roland Garros de 2016.
    Adeus grand slam.

    Responder
  98. Renato Veneziano Toniol

    Parabéns, Djokovic. Título mais que merecido. Serve para mostrar a sua distância atualmente para os demais.
    E, acima de tudo, parabéns, Bruno Soares. Confesso que fui às lágrimas com sua conquista ao lado de Jamie Murray. Foi uma mostra do quanto o esforço e o trabalho duro valem a pena.
    Dalcim, só uma observação no forehand do Jamie, já que ele possui uma técnica párea este golpe, semelhante aos tenistas da década de 80, com pouquíssima amplitude, muitas vezes parecendo que da apenas um tapa na bola. O que você acha.

    Responder
  99. Rafael Pereira

    Talvez o que nós estamos presenciando hj, o domínio absoluto de Djokovic, seja a razão de Federer se preocupar tanto em continuar em atividade!! Federer pode e deve estar preocupado com o seu legado no tênis!!! Será mesmo que Djokovic vai alcançar tão alto Dalcim??? Ele praticamente doutrinou seus três maiores concorrentes com vitórias contundentes, mandando o recado que agora e já há algum tempo ele é quem manda e ninguém pode ameaça-lo!!!
    E agora ??

    Responder
  100. Bela

    Caro Dalcim, o que você acha da besteira que o Goran Ivanisevic falou a respeito de Nole vencer 20 Slams na carreira? Eu me pergunto como um ex-atleta profissional, vencedor de Slam, treinador de jogador top no circuito atual e entendedor do esporte, eu imagino… como ele pode falar tamanha abobrinha, Dalcim?

    Responder
  101. Sérgio Cipriani

    Outro dado interessante no mundo das quadras sintéticas, Mestre Dalcim:

    Roger Federer: 9 GS, 6 Finals, 18 M1000
    Novak Djokovic: 8 GS, 5 Finals, 19 M1000

    Nole está na cola para ter os principais números desta superfície. Em pouco tempo, poderemos ter 3 jogadores, com cada um sendo os melhores da história nos três principais pisos do circuito, ainda em atividade no circuito!

    Responder
    1. alexpicelli

      Apimentar esse comentario, vale lembrar que as quadras ficaram mais lentas de uns anos para ca, prejudicando o estilo de jogo do federer, e ajudano o estilo do novak, nadal e tenis que sao mais fisico que tecnico!
      resumindo, nao da para dizer muito a respeito!!

      Responder
  102. Luis Nascimento

    Monstro….fenômeno…genial….Parabéns ao novo Rei do Tênis.

    O que o Djoker tem feito assombra o mundo do tênis. NUNCA um tenista foi tão superior diante de seus adversários como agora. A Era Djokovic não tem data pra acabar.

    É impressionante o que esse sérvio faz em quadra, ele simplesmente atropela seu adversário….durante a partida consegue operar em soft mode, ou hard mode, conforme a conveniência do jogo. Não tenho outra palavra pra dizer a não ser que o sérvio é o MELHOR TENISTA DE TODOS OS TEMPOS, e sim, vai quebrar TODOS os recordes que ainda imperam no mundo do tênis.

    Goran Ivanisevic acaba de dizer que Djokovic poderá chegar aos 20 Grand Slam’s, acho que sim….ele pode, e vai chegar lá, óbvio se estiver bem fisicamente.

    Nem falo da final, porque Murray sempre será esse cara que sabota seu próprio jogo…independentemente se nesse campeonato ele estava sob a pressão de ser pai, é comum vê-lo entregando jogos fáceis…na minha opinião nem deveria estar nessa final, até porque, Raonic jogou muito melhor do que ele nessas duas semanas. Murray no máximo é um tenista nota 7, e não vejo que tenha força pra ser número 1 do mundo.

    Para desespero das Nadaletes, e Federetes, 11º título, sendo que 10 conquistados em pouco mais de 5 anos….Rumo ao Golden Slam…..e segue contando.

    Responder
  103. Marcio Lima

    Caro Dalcim

    Tava ansioso para ler seu post como sempre perfeito e imparcial… A pergunta é se vc fosse treinar qq tenista, quem vc escolheria q vc acha q terá condições de encarar o servio, e outra coisa vc seria um enorme peso se tivesse comentando jogos na tv… Como semore preciso e coeso!!!!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, talvez eu escolheria o próprio Murray, que afinal tem muita coisa a se trabalhar e, portanto, a dar certo e evoluir, desde que ele esteja a fim. E obrigado!

      Responder
      1. Rafael Wuthrich

        Sério, Dalcim? Eu achei Bruno jogando de forma excepcional, mas os principais rivais não estão no melhor da forma e isso poderá mudar muito na gira de saibro (onde tanto ele quanto Jamie não tiveram resultados expressivos ano passado). Torço para que aconteça, mas não consigo ser tão otimista.

        Responder
        1. Julio Sc

          Bruno foi #3 do mundo com o Peya ao seu lado. Convenhamos que o Murray é mais duplista do que o Peya.

          O Murray que deve tirar o #1 do Melo já já.

          Responder
  104. PBR

    Dos quase 20 anos acompanhando Tênis, nunca vi alguém atingir um nível tão alto em quadra. A curto prazo sem chance dele não ganhar quase tudo novamente em 2016.

    Responder
  105. Railson

    Djokiller caminha pra dominar o circuito por pelo menos 3 temporadas, é o Messi do tênis e não é possível que esse ano não saia o título de ROLANGA.

    Responder
    1. alexpicelli

      O messi sofreu lesoes, portanto nole tambem pode sofrer, e o messi abaixou o nivel em alguns anos, e nole tambe pode abaixar.
      na briga de melhor de todos os tempos, os torcedores do nole estao achando que o cara e um robo, que nao vai se contundir, pou que o programa nao vai dar bugs, ridiculo afirmar tais asneiras, como tantos afirmam, nole 20 gs ou mais etc..
      pode acontecer, pode, mas é muitoooooooooooooo improvavel!

      Responder
  106. Marcelo-Jacacity

    O alvo não é mais Nadal e Sampras com 14 Slams, também não é Federer com 17, tampouco Graf com 22. O foco é ultrapassar os 24 Slams de Margaret Court!
    Dalcim, concorda? Por favor, não responda. rs

    Contamos com a torcida de grandes figuras como Marquinhos, Sérgio Ribeiro, Implicante, Brack, Rodrigo S. Cruz e os Djokovic fans também como Chetnik, Róbson e muito outros que não lembro, pois, a torcida está crescendo…hehehe

    E por falar em torcida, o sérvio equilibrou até neste aspecto hoje!

    Vai Djokovic!

    Responder
    1. Marcelo-Jacacity

      Opa..esqueci de grandes torcedores de Djokovic como Luiz Fernando, Valmir e pode se juntar o Anti também e todos os demais. Nessa kombi cabe mais gente!
      Vamos todos!

      Responder
    2. Ivan

      Marcelo,
      15 GS parece até razoável, 17 GS meio longe, agora 24 GS??? Hehehe, o novo cúmulo do otimismo disparado! Mas gostei do espírito! Diz a lenda que o homem é tão grande quanto seus sonhos… então, o ceu é o limite!

      Abs!

      Responder
  107. Paulo

    Boa tarde Dalcim, “Nadal perdeu para o Verdasco, que perdeu para o Sela, que perdeu para o Kuznetsov, que perdeu para o Monfils, que perdeu para o Raonic, que perdeu para o Murray, que perdeu para o Djokovic. Conclusão: Nadal foi o último colocado dos 128 inscritos…”, kkkkkkkkkkkkkkkk, rindo muito aqui kkkkkkkkk, como os caras estão sofrendo kkkkkkkk. Valeu por essa informação kkkkkkkkk. Abraço.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *