O reencontro
Por José Nilton Dalcim
17 de outubro de 2015 às 12:41

Sete anos depois de fazer o duelo mais importante entre si, Novak Djokovic e Jo-Wilfried Tsonga voltam a se cruzar num jogo de peso e numa quadra sintética. Será tudo muito diferente daquela decisão no Australian Open de 2008, que marcava a primeira e única final de Grand Slam do francês e daria o primeiro grande troféu ao sérvio.

A distância entre as duas carreiras se distanciou exponencialmente. Enquanto Nole cumpriu seu destino e recheou o currículo de façanhas, Tsonga viveu grande dificuldade até mesmo para se manter no top 10.

Acima de tudo, mudaram a forma de jogar. Djokovic é outro tenista em todos os quesitos, com destaque para o saque e o jogo de rede que foram adicionados à regularidade da base, enquanto o francês continua apostando no saque e no forehand, porém indo menos à rede do que costumava fazer.

Tsonga ainda ganharia cinco dos seis confrontos seguintes diante do sérvio, mas a partir da ascensão definitiva de Novak, em 2011, venceu apenas duas de 13 partidas. Não se encontraram desde a vitória do francês nas oitavas de Toronto do ano passado. Daí a curiosidade desta decisão em Xangai.

As partidas deste sábado espelham o momento de cada um. Djokovic atropelou Andy Murray com uma exibição de gala. Verdade que o escocês não jogou um tênis condizente com o segundo lugar do ranking, errando demais no saque e em simples trocas de bola, mas ainda assim o volume de jogo do sérvio foi assustador. Nos games finais, deu aula diante de um adversário atônito e impotente. Menção honrosa para as várias oportunidades em que Djokovic abriu buraco e foi à rede para completar o ponto, exatamente o que Murray deveria ter feito e não conseguiu.

Tsonga viveu seus típicos altos e baixos diante de Rafael Nadal, fazendo o terceiro jogo seguido em três sets. O francês teve dificuldade com o backhand na maior parte do tempo, mas se valeu do saque e de pequenos vacilos do espanhol na primeira série. Depois, Rafa cresceu e deu a impressão de que marcaria uma virada espetacular. Tsonga se recompôs após o ‘pneu’ e o terceiro set foi brigado, game a game, ótimos lances e muita disposição. Por fim, vieram aqueles instantes de falta de confiança que ainda atormentam Rafa e Tsonga carimbou seu feliz e merecido retorno ao top 10.

Para o tênis brasileiro, o sábado também foi especial. Marcelo Melo está em mais uma final de nível Masters 1000 e, ao mesmo tempo, diminui a distância para o sonhado número 1. Se conquistar o 17º troféu da carreira, o terceira da temporada e o bi de Xangai (venceu em 2013 com Ivan Dodig), ele estará a cerca de 500 pontos dos irmãos Bryan e poderá aparecer na ponta do ranking dentro de nove dias. Cruzemos os dedos.

Curtinhas
– Tanto no ranking tradicional como no da temporada, Djokovic tem agora o dobro de pontos do terceiro colocado, Roger Federer. Se for campeão, a vantagem sobre Murray subirá para 8 mil pontos.

– Com a ascensão de Tsonga, metade do top 10 do tênis masculino tem mais de 30 anos. E olha que Nadal está com 29 e Nole e Murray, com 28.

– A ATP deve divulgar nesta segunda-feira que Nadal e Tomas Berdych garantiram matematicamente vagas para o Finals de Londres. Mesmo que não vença Xangai, Tsonga entrou na briga com Ferrer, Gasquet, Anderson e Isner.

– A última vez que o ranking masculino de duplas teve um número 1 inédito foi em setembro de 2008, com o sérvio Nenad Zimonjic. Mike Bryan lidera o ranking (com ou sem o irmão) seguidamente desde 10 de setembro de 2012.

– Para o Finals feminino, Halep, Muguruza, Sharapova, Kvitova, Kerber e Radwanska estão certas. A outra vaga está entre Safarova e Bacsinszky, que ainda jogam semana que vem. Pennetta está em oitavo, mas deve ganhar convite da WTA se não entrar.


Comentários
  1. Rafael Wuthrich

    Não vi o torneio (nem a derrota de Federer na estréia, antes que me acusem) – o horário era muito ingrato para mim. Mas fica evidente que Nole faz uma temporada quase irrepreensível, salvo os Masters pré-UO e RG. Somente Federer criou alguma dificuldade na temporada, e nem foi tanta assim. Se considerarmos que o suíço já tem seus longevos 34 anos e está longe do auge da carreira, embora esteja jogando um tênis de alto nível e seja quem está jogando o tênis “melhor do resto” – ainda que Murray tenha sido mais regular a temporada toda -, vamos verificar que a distância de nível beira a Era Federer. Djokovic não tem adversários e, na minha humilde opinião, somente perderá Paris e o Finals se cair um pouco de nível. Mesmo Federer parece não estar em condições de batê-lo em condições normais, exceto se jogar de forma genial como às vezes costuma fazer ou Nole abaixar um pouco o nível.

    Aliás, estou bem curioso para saber como será o chaveamento do Finals esse ano. É quase certo que Federer será o n° 3, e não o 2, então podemos ter na mesma chave Nole, Federer e…Nadal, que conseguiu se classificar para o Finals mesmo em uma temporada cheia de baixos e pouquíssimos altos, mas ainda de nível top 10 (embora, tenisticamente falando, eu entenda que ele esteja jogando um tênis top 20, não top 10). Paris vai nos dar um mapeamento geral de como virá o top 8 para o final da temporada, mas é quase certo que Nole seja de longe o maior favorito.

  2. Fernando Brack

    Tô longe de ser um anti-Djokovic. Pelo contrário, gosto muito do cara, do jeitão dele, de sua
    desenvoltura tanto em quadra como fora dela. Acho ele um figuraça, importantíssimo para o
    tênis, sua divulgação e popularização. E me parece ser um sujeito super do bem.
    Agora, convenhamos, esse domínio exacerbado dele tá ficando meio enjoadinho. Claro que
    a torcida dele faz a festa, mas, tanto quanto aconteceu na era Federer, isso não é bom para o
    esporte. Federer em seu auge ainda teve o Nadal para lhe azucrinar. Djoko tá sozinho.

  3. Bruno Vigne

    Galera, esqueçam o Federer, pelo amor de Deus! Esse é o conselho que vos dou. Depois, os mesmos que vem posar de moralistas dizendo que os torcedores do suíço são lunáticos, zumbis e outras baboseiras, não conseguem postar um comentário sem praticar o divertido esporte de achincalhá-lo. Quem são os verdadeiros recalcados?

    Em tempo: salve Novak Djokovic, em todos os sentidos. Como diz o Lógico, um nobre entusiasta do bom e agressivo tênis, o sérvio tem um tênis moleque que também me agrada demais, mesmo que em seu cardápio às vezes falte um apuro maior no jogo de rede. A verdade é que ele é um tenista brilhante, que procura buscar o jogo e não o amarrar, que é extremamente sólido e que tem precisão e beleza (sim, muita beleza!) nos golpes de base. Se o cara vai ou não bater todos os recordes ou somente alguns, isso pra mim é periférico. O que importa é que temos um digno número um do mundo (e aí concordo que há um mimimi danado e desnecessário por parte de uma ala de torcedores do mestre suíço). Caros companheiros, aprendam a apreciar o tênis-arte de Novak Djokovic também e sejam felizes. Concordo 100% com as caras feias quando quem dominou o circuito foi o Siri Acuado, mas Novak é Novak! Ele é muuuuito diferente!

  4. Alessandro Siqueira

    Se ao fim de 2014 o blog fez um apanhado sobre DJOKO onde o colocava no rol dos maiores, o que se dizer agora? São mais 3 SLAMS, 5 MASTERS e uma contagem que só faz aumentar. O topo é o limite.

  5. Bruno Louzada

    Torcedores dos Federer por anos menosprezaram o Nadal, pintaram e bordaram com sua arroância

    o jogo virou e o Federer é menosprezado demais nos comentarios de alguns foruns ( todos praticamente), só estão recebendo de volta toda a arrogância despejada

    Ajde Djokovic

    1. Fernando Brack

      Bruno, nenhum desses montros do tênis deveria ser menosprezado.
      Quem o faz entende muito pouco do esporte. Ou tá de sacanagem.

  6. Fernando Brack

    Eu também sou dos que acham Murray tecnicamente superior ao Djoko, mais habilidoso
    e com maior variação nos golpes. A questão é que tênis não é só técnica, como não é só
    tática, físico ou mental. No somatório das virtudes que fazem um grande campeão, Djoko
    está acima dos demais. Mais que tudo, o sérvio tem o jogo muito sólido e consistente e a
    base disso talvez seja sua movimentação espetacular. Mas é de se notar que ele evoluiu
    em alguns fundamentos, como o saque, a ponto de fazê-los melhores que os de Murray.
    O slice dele, ainda feio no estilo, tá muito bom na colocação da bola. Resta a ele fazer um
    aprimoramento no jogo de rede e aí tirá-lo do topo do ranking vai ser muito complicado.

    1. Rafael

      Relativo a 1 comment onde concordei c alguém q questionou o Dalcim sobre ordem d nível técnico, apontando Fed, Murray e Djoko nessa ordem, Dalcim deu uma tergiversada (embora quem acompanha o blog e tenha 2 neurônios saiba exatamente a ordem e, d modo geral, os tenistas q mais agradam Dalcim) e 1 outro colega discordou d mim numa boa, ia escrever o pq. tenho essa opinião – apesar d torcer p Djoko.

      Mas o Brack já disse td q eu pretendia dizer, então aproprio-me das palavras dele, só acrescentando q Murray infelizmente (gosto dele) n traduz em eficiência a técnica q tem. E sei q n é, mas às vezes parece ser até displicente. Pra quem sabe q ele treina pra c&*¨¨, é 1 profundo estudioso do tênis – a ponto d ser conhecido como o “nerd” do tênis, tem 1 preparo invejável e tudo +, é como Nadal (atribuíram a ele a frase) disse: deveria ter ganho mto + do que ganhou em sua carreira.

      E isso.

  7. Fernando Brack

    Grande Marcelo Melo! Mais uma taça de Xangai na prateleira e a aproximação definitiva do
    topo do ranking. Muita torcida agora para ele chegar lá e obter essa conquista espetacular.
    E o Dodig que se cuide, hein. Belo entrosamento dele com esse veterano sul-africano.

  8. Bruno Louzada

    Nossa, a torcida do Djokovic ta grande aqui hein, acho que nossa kombi ja virou um ônibus hahaha

    Ajde Djokovic

  9. Fernando Brack

    O horário de verão e o esforço para ver a final de duplas me pegaram. Não consegui ver
    direito Djoko x Tsonga. O pedaço do 1º set que assisti me deu a impressão que Tsonga
    tava no nível daquele que levou pneu do Nadal na semi. Djoko dominou tranquilamente
    a partida para levar mais um M1000 e confirma sua soberania no tênis com folgas.

  10. Marquinhos

    Marcelo,

    A última afirmação de Sampras é que Federer é o mais completo da história, foi em 2015. As que vc citou, foram lá atrás, antes até do suiço quebrar os recordes do norte americano.

    1. Marquinhos

      Outra coisa Marcelo,

      Diferente do que vc e outros dizem, nunca vi nenhuma LENDA dizer que Novak é o tenista mais completo da história, só você e seus companheiros de torcida, muito pouco na minha opinião.

      O que Sampras disse, Ferrer, Wawrinka, Kyrgios, Borg, Laver, Novak e até Nadal disseram, ou seja, o melhor e maior da história é Roger.

      Quer discutir? Vamos esperar o sérvio vencer 17 slam ou liderar o ranking por 302 semanas. Tem chão, hein?

      1. Valmir

        E que o Djoko não pegou… Bagdhatis, González, Phillipoussis, Soderling, Roddyck….
        Nem e freguês do Nadal.

        Digamos que o Roger e um… FREGUESDERER…. rssss

    2. Marcelo-Jacacity

      Marquinhos,
      Foi em 2014 que Sampras disse que não há um melhor da história.
      De lá pra cá qual recorde Federer quebrou? Nenhum.
      Quero deixar claro que Federer é espetacular e o melhor dessa era, por enquanto.

      1. Marcelo-Jacacity

        Em relação a outra entrevista mais antiga de Sampras, é importante salientar que a freguesia do suíço perante Nadal só aumentou. E esse dado é muito desconfortável.
        Melhor de todos os tempos não existe.
        Por fim, Djokovic está longe até do Nadal, tem muito chão mesmo.
        Mas o horizonte para o sérvio é muito positivo, vamos aguardar.

        1. Marcelo-Jacacity

          Pra finalizar nunca disse que o Djokovic é o mais completo da história. Não tem nexo isso.
          Ele está em frança evolução em em vários golpes. Tem uma técnica apuradíssima, que alguns de forma ignorante confundem com plástica. E até em relação a plástica, os golpes do sérvio estão mais desenvoltos, naturais.

        2. Alessandro Siqueira

          Longe do NADAL em quê? Faltam 4 SLAMS, mas sobram 4 FINALS. São dois MASTERS a menos, mas algumas dezenas de semanas a mais como #1 parece cobrir o fato. Falta a medalha olímpica. Essa deve vir em 2016, mas ainda que não venha. Sampras também não tem e ninguém fala disso…
          O fato é que DJOKO é mais regular que NADAL. Nos últimos tempos chega nas fases finais de tudo. Isso explica, por exemplo, os milhões a mais em premiação. O sérvio nunca teve uma lesão séria e isso vem possibilitando a melhora de seus números.

          1. Marcelo-Jacacity

            Alessandro,
            O Nadal leva vantagem também na quantidade de titulos 67 a 57, muito em virtude de sua precocidade incrível.
            Percentualmente, creio que os títulos do sérvio são mais importantes que os do Nadal e do Federer.
            Mas precisaria confirmar isso. Numa conta rápida, 39 de 57 títulos do sérvio são Slams, Masters e Finals que equivalem a quase 70%.

          2. Alessandro Siqueira

            Eu sei que Nadal tem mais títulos. Nunca pretendi negar um fato matemático. A questão é a qualidade dos títulos. Seriam necessários 8 ATPs 250 para um Finals invicto, por exemplo. De um lado 250 pontos, do outro 1500. Nos últimos tempos, quando muito, Nadal ganha ATP 500. Nos MASTERS e nos SLAMS vem passando em branco, assim como sempre passou direto no campeonato que coroa a temporada.

  11. Helena

    Dalcim,
    Esqueci de perguntar no post passado, mas como é o esquema para formação das duplas no tênis? Por que alguns tenistas mudam tanto de parceiros?
    Amanhã é dia de torcida pelo Marcelo! Uma pena que não transmitam tanto os jogos das duplas, acho que, infelizmente, a demanda deve ser pouca.
    Ps: Dalcim, você ainda vai ganhar o prêmio de “Buda do ano”. Achava que os torcedores do futebol eram difíceis, mas, comparado ao que vejo por aqui, ainda são bem amadores no nível de intransigência.

    1. José Nilton Dalcim

      É fácil, Helena. Basta escrever três linhas cheia de elogios todos os santos dias para Djokovic, Nadal e Federer. Sobre as duplas, o tenista tem livre escolha de parceiro. No entanto, obviamente tenta se fixar com um único para poder ganhar o essencial entrosamento, sem falar na questão de estilos (saque, voleio, devolução) e até mesmo posicionamento (qual lado se joga, direita ou esquerda). Além disso, a entrada nos torneios e cabeça de chave se dá pela soma do ranking dos dois jogadores. Assim, é preciso escolher bem para ter melhores chances.

  12. Marcos

    Acabadal perdeu como previsto antes da final e acabou se dando bem, escapou de ser varrido da quadra pelo sérvio.
    Pergunta que não quer calar, o que o acabadal vai fazer no finals??
    a) levar mais 1 pneu do RF
    b) levar uma surra do Nole
    c) apanhar do Murray
    d) ganhar o torneio rs
    E) todas as alternativas acima

  13. Luis Nascimento

    Dá pena ver os adversário do Djoker indo a loucura com a sua superioridade, que a cada dia fica maior.

    Sinceramente hoje não vejo adversários a altura do sérvio, ninguém consegue vencê-lo se ele jogar no seu nível atual. Wawrinka conseguiu a façanha de vencer Djokovic num campeonato onde o sérvio não consegue dominar a ansiedade.

    Pelo que vem jogando, não tenho dúvida que o Djoker derrubará TODOS os recordes do aposentado fujão. Para desespero das Federetes.

    1. JR

      Só que é preciso levar em consideração que Federer conseguiu seus números vencendo finais contra verdadeiras lendas do tênis, como: Bagdhatis, González, Phillipoussis, Soderling, Roddyck, Hewitt e Safin. Já Djokovic faz seus números vencendo jogadores como Nadal, Federer e Murray. Dos 10 GS ele venceu 9 (90%) em cima desses três. Assim é mole. Esse Djokovic é um cara de muita sorte.

  14. José

    Dalcim, para você o que fez Tsonga vencer Nole 5 vezes seguidas naquele período 2008-2010? Ele jogava de maneira diferente contra o sérvio e por isso conseguia as vitórias? Ou é Djokovic que não deixa mais o Tsonga incomodá-lo?

  15. Fernando C.

    Dalcim.

    O ATP de Xangai ‘tá com piso bem rápido, não? Você acha que tão rápido quanto Cinci? Qual o o piso mais rápido do circuito atualmente?

  16. Enoque

    A diferença de pontuação na liderança do ranking é tão grande que o jogo de amanhã não vai fazer a menor diferença, a não ser na afirmação do domínio do cenário atual e a possibilidade estabelecer recordes de percentual de vitorias/derrotas, e/ou vitorias em másters 1000.

  17. Henrique manoel

    Dalcim o taylor fritz não para de ganhar já esta na final e pode ganhar su segundo chalenger seguido o pior é que semana q vem vai ao chalenger las vegas e você acha q fritz ganha a final lembrar q n perdeu set ainda nesse torneil sei q e cedo falar isso mas é fenômeno ele ganha muito fácil de seus adversários oq acha da minha opinião e o q acha so taylor fritz?

    1. José Nilton Dalcim

      Como já te disse antes, Henrique, é sem dúvida um tenista de potencial, porque joga um tênis moderno, com saque, bons golpes da base e agressividade.

  18. Fernando C.

    N O 1 E ‘tá voando, mas não cabe desmerecer ninguém. Realmente cada um tem seus momentos mágicos.

    2006 foi sim completamente fora de série para Federer.
    2008 e 2013 foram de outro planeta para Nadal.
    2011 e agora 2015 para Djokovic.

    Isso de tentar diminuir os feitos do outros é ridículo. E esse negócio de “melhor de todos os … blá, blá, blá” é de uma infantilidade atroz.

    É óbvio que o Federer tem mais números, sobretudo de Slam, e isso poderia mandá-lo automaticamente para o panteão da glória máxima do Olimpo rs. Mas é óbvio também que é inadmissível ter um 10 x 23 de H2H contra seu maior oponente. E ao que tudo indica, vai ser ultrapassado pelo outro grande adversário. Já disse isso por aqui e teve gente que chegou a classificar educadamente minha opinião como “imbecil” rs. Acho que se é para atentarmos para números, vamos atentar para números. Não existe combinação que permita chegar a um GOAT. Não há consenso.

    1. José Nilton Dalcim

      Realmente, não sei. Até achei que o Klaasen jogaria com o Ram ou o Paes, seus parceiros mais habituais, porém ele não está em qualquer torneio da próxima semana.

  19. Renato

    É dalcim o djo está começando ficar sem adversários. Para vc de todos os adversários que ele teve no ano o que conseguiu emparelhar mais vezes com ele foi o federer? Eu acho que foi o mais difícil dos que ele enfrentou comparado aos outros.

    1. Rodrigo S. Cruz

      É verdade, Renato. Por mais que o momento do sérvio seja fenomenal, o Federer ainda é o que mais trabalho dá a ele nos últimos tempos.

      Pena que muitos aqui ignoram este fato, mas tem muito mais disposição em ridiculizar, apelidar e desmerecer o cara a quase todo instante…

  20. LomeuLima

    Não fosse a contusão do WAWRINKA, e a final seria NOLE X WAWRINKA, conforme havia postado. Contra TSONGA, a tarefa será mais fácil. Mais um MM para o melhor da atualidade: DJOKO 2 x 0 TSONGA.. O único que teria condições de vencer o sérvio na final seria FEDERER, mas esse entregou a rapadura para um espanhol desconhecido.
    Vida longa ao N1.

  21. Oswaldo E Aranha

    Marquinhos, quando leio tuas intervenções lembro-me da fábula de escorpião. O escorpião precisava atravessar um rio e não sabia nadar, então pediu a uma rã que o levasse nas costas e aí a rã disse que não porque o escorpião iria picá-la, mas o escorpião disse que não e a convenceu a levá-lo argumentando que se ela morresse ele também afundaria. No meio do rio o escorpião a picou e ela indignada disse ambos vamos morrer e ele disse pois é, mas escorpião é assim mesmo.

  22. Marcelo-Jacacity

    Sampras ainda diz:

    “Não existe um melhor da história”.

    “Quando a gente olha para a história do tênis, cada década tem o seu jogador. Claro que Rod (Laver) foi o melhor de sua época. Tive meus momentos nos anos 90. Rafa e Roger estão tendo os deles agora. Existe um melhor da história? Não sei. Roger tem números incríveis: 17 Slam, número 1, mas tem um retrospecto duro contra Rafa. Você pode falar 20 minutos sobre comparações. Rod não jogou Slam por seis anos e poderia ter chegado a 20 títulos”
    o norte-americano acredita que só é possível determinar o melhor de cada era.

    http://tenisbrasil.uol.com.br/noticias/24633/Nao-existe-um-melhor-da-historia-afirma-Sampras/

    1. Ivan

      Marcelo, beleza?!
      é muito simples este negócio de GOAT… Quando o Nole chegar a 17 GS ele ficará com o simbólico título de GOAT slayer. Como fã do Nole, acho que não precisaria chegar a tanto, mas se a concorrência exige, fazer o quê? Rs! Quando os 3 tiverem aposentados, “será decidido” que o Fedex ficará com o simbólico GOAT* e o Nadal com o “suado” GOAT Clay… (*Dadas as “surras” que o Fedex levou do Nadal e que o Nole teve de se virar com os dois mais ou menos no auge e com toda a torcida a favor dos outros dois, ficaria justo assim, certo?) Rs! Com todo mundo GOAT, ninguém poderá reclamar… espero!

      Abs!

    1. implicante

      Baboseira… o que prejudica os números do Federer é a sua longevidade. O Sampras estava sendo engolido pelos garotos da geração que ele se aposentou. Aposentar por cima é fácil.
      O Nadal é contemporâneo do Federer no saibro e parciamente grama. Fora daí se encontraram pouquíssimas vezes. Foram se encontrar mais a partir de 2009 para frente.

      1. Marcelo-Jacacity

        Implicante,
        Enfrentou no auge um Nadal adolescente.
        Com o espanhol menos verde conseguiu a proeza de perder a final em Wimbledon-08 e “somente” quatro jogos no Australian Open.
        Baboseira, é claro!

        1. Implicante

          Quê? Menos verde em 2008??? Ele já ganhava slams e masters desde 2005.
          Número 2 do mundo desde 2005 ou começo de 2006. Se isso é verde…

    2. Marcos

      Cara se liga!
      O Nadal so tem h2h favorável por causa do jg no saibro, nunca chegou na maior parte da carreira na final dos outros torneios …. jogador de 1 piso só, na realidade o robo é limitado msm.
      O que vai importar no frigir dos ovos são os 17 GS do melhor e maior… o resto é dor de cotovelo meu camarada.

      1. Marcelo-Jacacity

        Marcos,
        Vamos esquecer o saibro.
        Federer nunca poderia ter perdido no seu quintal (a grama sagrada em Wimbledon-08) para o Nadal.
        Sampras jamais perdeu para seus rivais (Becker e Agassi) em Wimbledon.
        O suíço nunca poderia ter perdido todas as vezes para o espanhol na Austrália.
        Fora outras derrotas na quadra dura.
        Se liga!

        1. Bruno Vigne

          Que isso, Marcelo. Federer é apenas um humano, que perdeu uma partida por 9 a 7 no quinto set. Com assim ele não poderia ter perdido? Deixa disso, rapaz… deixa o Federer em paz…

          1. Marcelo-Jacacity

            Bruno, relaxa…rs
            Claro que ele é humano e não pego no pé dele.
            Só acho que a áurea dele se esvaiu nessas derrotas para o Nadal nos Slams fora do saibro.
            O que não concordo é que ele é o sinônimo de tênis.
            Mas acho o suíço fenomenal! Não Deus, Goat, ou afins.

  23. implicante

    O jogo do Tsonga contra o Nadal no Australian Open 2008 é inesquecível!
    Pena que o Tsonga não repetiu tanto esse desempenho durante a carreira…

    1. Pedro Paulo Júnior

      Muito bom mesmo aquele jogo, fiz o download do jogo, mas não pude ver ainda. Pelos poucos lances que eu vi, Tsonga jogou muito naquele dia.

  24. Anti anti-jogo

    Não esqueçamos que o Murray às vezes se presta a esse papel de ser varrido da quadra. Aconteceu ano pasasdo no Finals, contra o Federer, foi 60 61.

  25. Gildokson

    Pow Dalcim, por que torcer sempre contra o Corinthians? Faz isso não rsrs
    Faz uma coisa melhor explica pro Sérgio onde é o “devido” lugar de Roger Federer.
    Pelo amor viu… só asneiras kkkkk

    1. José Nilton Dalcim

      Não, nem sempre. Já torci para o Timão quando ajudaria o Palmeiras. E aí imagine o que aconteceu…

  26. Robson

    Nadal, Nadal, Nadal, pelo visto missão dada a vc ñ se torna missão cumprida, rsrsrs
    Desde segunda feira que venho falando que Novak estaria na grande final de domingo em Xangai o aguardando e vc ñ conparecerá Nadal.
    Assim fica difícil de Novak deixar vc na poeira no h2h Nadal, mas tem nada ñ Nadal, o maior confronto, maior CLASSICO de toda história do tênis se repetirá ainda este ano no Finals.
    Quanto ao ATROPELAMENTO do MELHOR e MAIOR tenista dos últimos 5 anos foi bom pra um ou outro cair na Real e parar com as abobrinhas e sonhos de que o único que pode ou poderá ou poderia parar ou até mesmo dar trabalho a Novak seria Murray, Wawrinka e sei la mais quem.
    A cada 10 jogos que Novak fizer com Murray e Wawrinka em qualquer piso de qualquer torneio, Novak vencerá no MÍNIMO 7 ou até mesmo 8 desses jogos, são os DOIS fregueses de Novak.

  27. Alison Cordeiro

    Impressionante o desempenho do Djoko, Murray não teve chances. Nesta altura do ano ele ainda continua extremamente focado e voando, preocupado em vencer e vencer. Seria fácil relaxar depois de tantas conquistas e cair de produção, afinal já papou 3 Slams, o file mignon do circuito. Mas prossegue na mesma batida, independente do adversário. Seu maior rival hoje é ele mesmo: como manter esse nível tão elevado no ano que vem? Está criando um retrospecto que ficará impossível de ser repetido. Ou não, Dalcim? Você acha possível Djoko fazer uma temporada ainda melhor do que esta?

    1. José Nilton Dalcim

      Olha, é possível sim. Claro que teria de elevar um pouco mais o nível, mas vamos lembrar que ele ainda fez alguns jogos irregulares ao longo da temporada e portanto pode jogar ainda melhor.

  28. Luiz Pilon

    Dalcim, qual seu problema com o Djokovic?

    Recentemente vi você supondo que o sérvio podia estar dando sinais de declínio, nas campanhas de Montreal e Cincinnati, também o fez no US Open. E hoje vimos a melhor partida do Djokovic no ano, rs, baita declínio.

    Em jogos recentes contra Nadal, Federer e Murray, você sempre pendeu pro lado dos rivais, ou dando favoritismo (como fez em finais contra o Federer), ou declarando torcida, como foi contra o Nadal.

    Entre torcida aqui e acolá, você faz um post dando algum elogio ao Djokovic, mas não vejo isso como imparcialidade, e sim como destino. Afinal, seria impossível escrever sobre tênis em 2015 e não se deparar elogiando o Djokovic.

    Seja lá federete ou nadalete, como esse Djoko está te fazendo “sofrer”, hein? Kkkkkkkkkk

    1. José Nilton Dalcim

      Não me coloque a esse nível grotesco de torcida uniformizada, caro Luiz. Deixo isso para vocês. Faço elogios e críticas a todos os jogadores, quando julgo necessário. Infelizmente, cada ‘torcida’ imagina que estou pendendo para outro jogador, porque simplesmente ainda não se acostumou a ler comentários e análises. Parece que só quer ler elogios e confetes. Não sou desse gênero. Escrevo apenas o que considero justo, sem querer agradar este ou aquele. Abs!

    2. Sérgio Cipriani

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Qual é, cara?? Uma coisa é brincar entre a gente! Outra é querer cravar uma faca no peito do dono do blog, que é jornalista e zela por sua integridade e imparcialidade no momento de passar informações e fazer análises!! Reze para que o Dalcim te perdoe e, um dia quem sabe, ele volte a responder algum comentário seu… rs

      1. Luiz Pilon

        Não acho que fui agressivo, fiz um comentário pertinente. Aliás, se observar bem, várias pessoas tem visão parecida.

        Eu continuo com a visão de sempre, Dalcim vê o copo meio cheio pro Federer e pro Nadal, e meio vazio pro Novak. Me lembro bem dos comentários entre Montreal e Cincinnati, em que ele não foi bem, mas ir mal uma semana não quer dizer que está declinando. Tanto que, de lá pra cá o Novak não perdeu nenhum jogo.

        Respeito o Dalcim, e gosto do blog, tanto que sou leitor assíduo, mas acredito na liberdade de expressão, desde que não haja ofensas.

        1. José Nilton Dalcim

          Luiz, não passa pela minha cabeça ficar escrevendo todo dia a mesma coisa, rasgando elogios para deixar esta ou aquela torcida feliz. Repare que nesta semana, cada dia dei um enfoque diferente. Federer, Nadal, Tomic, Tsonga. Até porque espero que a final caiba ao Novak. Isso para mim é justo com os personagens e tornaria o Blog atraente, difrente, mas infelizmente a repetição de comentários é a mesma, entendiante, briguinha de fãs com pouco conteúdo. Fiz um longo post sobre o Melo, sua façanha e qual foi a repercussão? Nada. Só Djokovic, Nadal, e Federer… Meu deus, o Federer perdeu na segunda-feira e ainda continuam falando dele! Eu faço a minha parte. Abs!

        2. Edmo Dourado

          Concordo com vc quanto a posição de Dalcim com o Djoko….dia desse ele iniciou o post falando do ano íncrivel do Djokovic e então pensei enfim o reconhecimento, mas que nada foi só pra do meio do post em diante dizer que a campanha de Federer em 2006 foi superior….não adianta….logo depois do Us open me deparei com um texto dele fazendo uma ‘gincana’ matemática pra Murray chegar ao nº , quando comentei ele disse que eu estava dando uma de torcedor e contestando FATOS…não entendi nada.

          1. José Nilton Dalcim

            Será que não escrevi dia desses que Djokovic está entre os maiores da história? Cheio de números para justificar minha tese, como aliás sempre procuro fazer para não ficar no achismo? Desculpe, mas se você espera que eu fique analisando partida de 6/2 e 6/2 todo santo dia aqui no Blog, não vai mesmo achar isso. Eu falo o mínimo e necessário dos jogos. O objetivo é destacar a consequência. Faço isso há nove anos e não vou mudar.

    3. implicante

      Pro Djokovic ele tem um olhar mais neutro. Mas só cego não repara que o Djokovic pós final de Roland Garros para o da temporada asiática é outro jogador.

    4. Augusto Montenegro

      Que nada Luis. Dalcim é sempre muito generoso com todos os atletas e público. Eu sou torcedor de Djokovic e daí? Acho que muitas vezes as notícias estão bem aquém do grande jogador que é o sérvio, mas os textos de Dalcim são f..d@ mano. Aliás, existem coisas que temos que admitir, essa nova e novíssima geração é fraca demais, o que ajuda Novak( que por sua vez tem nada a ver com isso). Porque eu torço pro sérvio vou negar esse fator? Cada momento no tênis é único.

  29. Marquinhos

    Realmente o sérvio está muito bem e caminha para fazer a segunda campanha mais espetacular da história, apenas atrás de Roger, em 2006.

    Sobre quem é mais técnico, discussão sem sentido, pois Federer tem todos os golpes melhores que Novak, perdendo apenas na backhand e devolução.

    Melhor pegar a opinião de quem entende, não dos simples comentaristas do blog.

    O mais completo na opinião da lenda Sampras.

    http://globoesporte.globo.com/tenis/noticia/2015/03/sampras-afirma-que-federer-e-o-maior-tenista-da-historia-o-mais-completo.html

    Outro detalhe: Federer faz o backhand bem melhor que Novak faz um smash, voleio ou slice, indiscutivelmente.

    Amanhã deveremos ter mais um título do sérvio, mas pelo menos poderemos apreciar o jogo de Tsonga, muito mais bonito que o do número 1 do mundo.

    Sobre Federer x Nadal no finals, bom lembrar os alienados que Roger tem 4 x 1 sobre o espanhol nas quadras do torneio. Inclusive atropelou o baloeiro, em 2011, por 6/3 e 6/0, em menos de uma hora de partida, no jogo mais rápido entre os dois.

    Outra coisa: A declaração de Pete Sampras foi este ano, ou seja, já viu o melhor de Nole e sabe que técnicamente , o sérvio não chega perto de Roger.

    1. Alessandro Siqueira

      Em que a temporada 2006 foi melhor? Esqueçamo-nos do número de jogos e consideremos PONTOS AMEALHADOS. Se for contar vitória, ATP 250 valeria tanto quanto SLAM, quando na verdade vale 1/8. Na mesma toada, ATP 500 vale 1/2 MASTER ou 1/4 de SLAM. É isso que se apura ao final… 😉

      1. Paulo

        Não há como comparar 2006 com 2015. Antes os Masters 1000 eram disputados em 5 SETS. Inacreditável Dalcim, acredito que só desenhando para esses caras entenderem. Tentam comparar o incomparável.

    2. Artur

      Excepcional. É aquela velha história: nao queiram tirar onda porque acabaram de comprar um fiat strada em cima de quem abda de hilux há vários anos. Djoko é sensacional. Mas roger é incomparável.

      1. Rafael

        Além do argumento ser repetido, Fiat Strada vende mais que Hilux, que está para sair de linha, porque ficou DEFASADA.

    3. Luiz Pilon

      Marquinhos perde o maior tempão defendendo o Federer e ninguém liga pra esse lenga lenga dele. Os fãs do Djokovic acham o Federer um belo freguês e os do Nadal idem. Nada que você fale, copie links, e poste opiniões dos outros vai mudar isso.

      A verdade é que
      Nadal 6×2 Federer em finais de Slam.
      Djokovic 3×1 Federer em finais de Slam.

      Ou seja, de 12 vezes que o Federer entrou em quadra pra disputar uma final com seus maiores rivais, ele saiu derrotado em 9 vezes.
      Já perdeu enquanto era novo, já perdeu na grama, no saibro, na dura.

      Não há nada que você poste que vá anular isso, acorde, meu caro.

    4. Fernando C.

      Cara, o RF caiu na primeira rodada e ‘cê ‘tá nessa vida ainda?
      Foi quase uma semana de torneio sem o suíço e você não parou de falar nele um único instante! rsrsrs. ‘Cê sabe que ‘tá acontecendo um Masters1000, né? ahahaha
      Você repete tanto as coisas que acho que nem você acredita rsrs. Deve se sentir tão inseguro com o cenário atual que fica “papagueando” a mesma lenga-lenga de sempre rsrsrsrs.

  30. Mario Cesar Rodrigues

    Para mim um jogo normal do Rafa jogou muito é verdade deu bobeira em algumas bolas mas enfim o que vale é que está bem..jogando bem..e se ganha e se perde no tênis…..ele está bem e pode jogar bem o resto do ano está animado.e o Andy Murray não tem jeito mesmo cara o negócio é que Nole realmente está acima de todos…vamos ver ano que vem!Espero para o bem do Tênis que Nole pare de ganhar tanto se não fica sem graça….mas tem amanhã contra Tsonga como ninguém ganha ou perde de véspera é aguardar!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que ele é o tenista em melhor forma física e técnica do momento e não há qualquer motivo para imaginarmos que ele vá cair de nível. Na verdade, são seus concorrentes quem têm de elevar o nível.

  31. JEFERSON SOARES

    Mais um titulo pro Djoko chegando,que temporada absurda e mais ainda como jogou em Pequim e como esta jogando em Xangai,espero que o favoritismo se confirme amanhã!Agora o Nadal deu uma de malandrão hein,poxa perdeu na semi só para não ser atropelado mais uma vez pelo Djoko,já esteva contando com o confronto direto empatado e o Nadal foge da final kkkkkkkkkkkkkkkkkk Amanhã é acordar cedo e ver mais um titulo!

  32. Enoque

    Algum dia o Djoko vai perder a liderança do ranking, isto é absolutamente certo.
    Mas, quando é que isto vai acontecer e principalmente quem vai ser o próximo número 1?
    Ainda acho que apesar de tudo a médio prazo o principal concorrente é o Murray, senão vejamos:
    Federer: Está curtindo o final de carreira e não vai mais brigar pela liderança, ao contrário do que pensa o Ronildo;
    Nadal: Está em fase de afirmação, mas, deve brigar pelo 3 ou 4 lugar apenas;
    Wawrinka: Não tem constância durante toda temporada, apenas momentos brilhantes;
    Nishikori: Apenas um bom jogador mediano;
    Raonic: Não tem o repertório de um grande;
    Dos novos Tomic, Thiem ou Coric não ainda condições de almejar este posto.

  33. lEvI sIlvA

    Dalcim, pode-se dizer que Nadal vs Tsonga foi um jogo no 1º e 3º sets e outro diferente no 2º? Sei lá, me pareceu que algo assim aconteceu…

    1. José Nilton Dalcim

      Foi um jogo em que o Tsonga oscilou e acho que foi isso que determinou essas alternâncias no placar. No geral, Nadal foi bem, se manteve competitivo até o último game. O saque do francês no entanto fez diferença e ele explorou muito bem as paralelas de forehand.

  34. Victor Martins

    Caramba que ponto foi aquele do Tsonga pra chegar no match point, que voleio, a lá Boris Becker, ESPETACULAR!!! Engraçado que o povo ficou achando que o Nadal adquiriu a confiança, todo mundo aqui dizendo “segura o touro”, kkkkkkk, só por que ganhou do Wawrinka com o ombro baleado. Voltamos a realidade Nadalistas, e mesmo se tivesse ganho do Tsonga, iria lutar pra fazer 5 games no Djoko.

    1. Sérgio Cipriani

      Jogar com o Wawrinka naquelas condições é que prejudicou o Nadal. Tirou sua chance de fazer um teste duro e evoluir… Mas o 6/0 do segundo set mostra que ele está quase lá!! Ano que vem, nas lentas quadras do primeiro semestre, de certeza!!!

  35. Marco Aurelio

    Dalcim, boa tarde. Gostaria de sua opinião pessoal. Você acha qe o Djokovic pode vir a ser o maior jogador de todos os tempos caso continue nessa grande fase? E mesmo que não consiga,acha que ele superará o Nadal na história do tênis?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, é possível. Djokovic tem 28 anos, ainda está em evolução técnica e possui um excepcional físico que pode permitir mais anos em alto nível. Acima de tudo, está fazendo um calendário inteligente e evitando o excesso de torneios.

  36. Rafael

    Não que isso vá mudar algo no mundo do tênis, mas o Djokovic está superando todas as expectativas que eu tinha dele. Não é só o que ganha e quanto ganha (o que já é fora do comum), mas COMO ganha.

    Se quiserem apontar um culpado pela ira sérvia ter surgido e o ano ter acabado pra qualquer outro, culpem o Wawrinka. Depois daquele RG que ele tomou do Djoko (com um nível de acerto que só se repetirá na próxima passagem do cometa Halley), Djokovic decidiu acabar como ano de todos os outros.

    Mas sério, depois de uma derrota sofrida daquelas, depois de ter até varrido Nadal de seu antigo reino, é impressionante como ele se focou pro restante da temporada.

    Djokovic está, além da já usual consistência e disciplina, dando passos firmes no caminho do espetacular.

    Quem diria?

  37. flavio

    Esse servio realmente e um monstro. Deu pena do Murray, ele nao sabia o que fazer kkkkkkkkk. Foi literalmente uma surra. Nao faz assim im Novak comedor de figado kkkkk. Nadal deu foi sorte, escapou de levar uma que poderia ser sua maior derrota perante ao servio. Diferente do Murray o Tsonga tem um excelente saque e direita, o que pode comprometer seu jogo e a sua esquerda que mostra ser um tanto irregular. Sendo assim, acredto que Tsonga vai dar muito mais trabalho que o Murray.Tambem nao posso deixar de comentar que o mesmo esta extremamente motivado com a torcida da sua belissima namorada kkkk. Capaz que ela fala ” ganha amor que hoje tem” KKKKKKK. VAMO NOLE RUMO A HISTORIA 🙂

  38. Enoque

    A final ainda não está ganha, pois alguns fatores podem ser decisivos, quais sejam:
    O “já ganhou” e o excesso de confiança;
    Um dia de ótimo primeiro saque do Tsonga;
    Muitos erros não forçados do Djoko;
    Bolas quase dentro, saindo poucos milímetros;
    Torção no tornozelo (que já aconteceu antes);
    Problemas estomacais (comida chinesa);
    Fora isto, será tranquilamente 6 x 3, 6 x3.

  39. Marcelo-Jacacity

    Djokovic D+
    Ainda que Murray tenha sacado muito mal, há que ser salientado que os demais erros nas trocas de bola se deve a Djokovic.
    Incrível como ele consegue, sem esforço, mudar a direção da bola (quem joga sabe que isso é difícil pra caramba!).
    E as bolas profundas perto da linha? Brincadeira! O adversário fica louco! E as angulações fora de série!
    Sem falar na evolução contínua no saque, smash, lobs e voleio fazendo com que o jogo seja abreviado e as maratonas raras.
    Longevidade é o objetivo e por conseguinte recordes, recordes, recordes…

  40. Marcos - Aurora-Ce

    Ainda não acreditei o que Djoko fez hoje com o Murray, atropelou, apenas 1 game mau jogado. Pra mim, Federer rei do talento e da plasticidade, Djoko rei da competitividade e mais completo de todos os tempos. Pra mim esses dois são os maiores tenistas que eu já vi jogar!!! Vamos Nole.

  41. Marcelo-Jacacity

    Dalcim,
    Tenho que tirar o chapéu pra você! De fato, você tinha a razão, o que atormentava Nadal era o lado mental. Verdade que.falta um pouco para chegar aser o grande Nadal de outrora, mas já evoluiu bem.
    Achava que o problema do espanhol residia na mecânica dos golpes alterada o que acarretava na falta de regularidade e potência.
    Que coisa não! O nosso cérebro é um enigma.

    1. Sérgio Cipriani

      Verdade, Marcelo!! Mas Rafa já está no top 5 da corrida pra Londres!! Acho que ainda dá tempo de subir um pouco mais de nível antes do final do ano. Seria legal um grupo do Finals com Djokovic, Federer e Nadal… Seria interessante ver quem ficaria de fora da segunda fase.

      1. Marcelo-Jacacity

        Cipriani,
        Interessante seria. O Djokovic é que não ficaria de fora da segunda fase.
        A segunda vaga seria disputada entre Federer e Nadal, obviamente.

  42. antonio gabriel

    Dalcim, o penúltimo ponto do jogo Tsonga x Nadal foi assombroso heim, daqueles de deixar o Nadal pensando: em outros tempos era eu que fazia isso. Que pontasso.

  43. Danillo Barbosa

    Desde 09/07/2007 que Novak Djokovic não sabe o que é estar fora das 4 primeiras colocações do ranking.
    O sérvio é o verdadeiro representante do big four. Se é que o big four ainda existe.

  44. Sérgio Cipriani

    Na verdade, minha torcida é pelo sérvio. Sempre foi. Mas confesso que não tem como não simpatizar com um cara que coloca Roger no seu devido lugar… rs Então, toda sorte do mundo a Rafa Nadal!! Admiro demais esse espanhol por todas as noites que deixou o “grande Federer” sem dormir… rsrs Na verdade, é difícil torcer para um e não admirar o outro, porque são muito parecidos em essência. A gigantesca vontade de vencer… A determinação de gladiador… A entrega, a inteligência tática, a força mental… E a maneira “desrespeitosa” como encaram Federer dentro de quadra… A quem considero superestimado apenas por ter um jogo vistoso. Mas o fato, é que venceu apenas 3 de seus 17 Slams contra os dois jogadores mais cascas-grossas da história do esporte!!

    1. Bruno Vigne

      Federer é superestimado “apenas” por um jogo vistoso… meu Deus… . Depois dessa, vou ter que abrir aquela Bohemia estupidamente gelada para espairecer e para esquecer que li uma bobagem tão magnânima quanto essa: O cara é recordista de títulos de Grand Slam, recordista absoluto de semanas como número um do mundo, tem 24 M1000 e 6 ATP Finals, fora todo o resto do conjunto da obra.

      Meu caro, você tem todo o direito de não gostar de Federer, mas proferir uma frase como essas vai simplesmente contra os dados da realidade. Você fala como se ele “somente” tivesse um jogo bonito e não tivesse capitalizado todo o seu talento em termos de conquistas. Aí não dá….

  45. Gildokson

    Quem lê esse comentário e não conhecer nada de tênis vai achar que o Murray nunca venceu o Djokovic em uma final de Slam… Master…. ou em um outro jogo qualquer tipo semi final olímpica etc e tal… kkkkkkkk
    Mas que o Djokovic ta uma máquina, ta mesmo… elaia

  46. Luisinho

    Dalcim. Quais tenistas por ordem vc considera mais técnicos, Federer, Murray ou Novak? Eu penso que Federer, Murray e por último Novak.

    1. José Nilton Dalcim

      Ih, esse é um tema controverso que só serve para atiçar as ‘torcidas’ cada vez mais xiitas neste Blog. Parece que boa parte perdeu o bom senso na hora de discutir assuntos que deveriam ser prazerosos. Uma pena.

        1. Fernando

          Eu discordo de vc Rafael,coloco o Novak a frente do Murray,não enxergo o pq do escocês ser mais técnico.

          Respeito sua opinião porém discordo nem por isso vamos entrar em conflito,concordo total com o Dalcin quando ele fala da falta de senso do pessoal,coisa que me parece não te afetou Rafael(que bom diga se passagem rsrsr)!

          Abraço

      1. Fernando C.

        Tem gente que gosta de jogar a isca rs.
        Mas em tempos de tantos confrontos acirrados na política para que reproduzir isso por aqui?

  47. Tiago

    Olá, Dalcim! Em relação à partida de Djokovic x Murray, com certeza muitos dirão que o placar elástico foi por conta dos erros do Murray, mas eu não penso assim. A bem da verdade, o Djokovic hoje é que estava num nível regular incrível. E os erros do Murray, inclusive as duplas faltas, eu penso que só aconteceram pela pressão que Nole (com seu nível altíssimo na partida) impôs ao adversário. Em suma: Djokovic jogou muito bem e mesmo que Murray estivesse em um grande dia seria difícil ganhar dele. Concorda? Abç.

    1. José Nilton Dalcim

      O tênis é uma gangorra, Tiago. Um sobe, o outro desce, principalmente na questão confiança. Acho que Murray começou mal, inseguro no saque, e isso deixou Djokovic muito à vontade na partida. Foi uma aula no segundo set.

  48. O LÓGICO

    Não acharam o corpo de Cristo, porque ele realmente ressuscitou, subiu aos céus; mas o corpo do robozinho satânico tá aí, perambulando pelo mundo do tênis kkkkkkkkkkkkkkkkkkk ALMA PENADA DO CIRCUITO kkkkkkkkkkkkkkkkk. O GURU aposta que se ele continuar jogando mais próximo na linha de base e sendo mais agressivo, recupera a confiança e RESSUSCITA kkkkkkk Não, Não e Não. Eu falei e vou repetir, NÃO GANHA MAIS NENHUM TORNEIO IMPORTANTE kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Não conheço na história do tênis nenhum dos grandes que passou o ano todo só roendo osso kkkkkkkkk isso aos 29 anos. A FRAUDE ESTÁ SENDO REVELADA kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Sérgio Cipriani

      E eu não conheço um grande jogador com mais de 6 Slams, em toda a história do nosso esporte, que possua 13 surras de desvantagem para seu principal rival!!!! kkkk Se nenhum top 10 possui tão desprezível retrospecto, poderia alguém que tem ser “o GOAT”?? hehe

    2. Rodrigo S. Cruz

      Sr.Lógico, o Pete Sampras viveu uma longa fase sem ganhar nada também.

      De repente foi campeão do Us Open e teve o bom senso de pendurar a raquete…

  49. Paulo Furlan

    Hoje o Djokovic deu uma aula de tênis. O problema do Murray é que ele fica resmungando e briga consigo mesmo. Muito fraco mentalmente!!!

  50. Chetnik

    Peter Bodo:
    “Djokovic might be the most versatile player ever to swing a racket.”

    Nada mal para um robô sem técnica, sem talento, sem habilidade, sem versatilidade e que só sabe jogar passando bola do fundo de quadra. Kkkkk.

    A casa tá caindo, o mundo do tênis vai sucumbir e reconhecer no grande “Sérvio Sapien” a evolução máxima do tênis kkkk.

    O jogardor tecnicamente mais esplendoroso da história desse rico esporte.

  51. Chetnik

    Como eu previ, jogo duríssimo kkkkkk.

    O que eu acho engraçado é que tem maluco que insiste que o Murray tem o mesmo nível do Djoko – uns loucos de pedra dizem que o Murray é melhor kkkk. O Djoko tá uns 5 degraus acima, como a carreira dos 2 deixa bem claro. E como eu já falei antes, o Murray – de quem gosto – não tem tênis e menos ainda regularidade para tirar o número 1 do Rei Espartano.

    Performance magistral de Novak Godovic. Mais um ano com o Boris Becker e o Djoko vai estar sacando e voleando melhor do que o bodão do tênis kkkkk.

    Hoje foi para quem falou que o Djoko não tem jogo de rede e não sabe dar um slice. Kkkkkk.

    Quando está em forma, o cara é disparado o melhor, mais técnico e mais completo jogador da história do tênis. Não tem nenhum buraco e faz tudo bem.

    Novak Djokovic, a evolução máxima do tênis. É o “Sérvio Sapiens” do tênis kkkkk.

    PS: Só vi o primeiro set do jogo do Nadal, depois fui tirar um cochilo para acordar para ver o Djokovic. Abri os olhos ao final do segundo set e fiquei surpreso em saber que houve um pneu. Só voltei a acordar na hora do jogo do Djokovic e fiquei ainda mais surpreso que o Nadal – logo ele – perdeu um jogo após aplicar um pneu no adversário – logo o Tsonga que tem pouca cabeça. Que pena, seria engraçado o jogo amanhã rs.

    1. Marcelo-Jacacity

      Fala Chetinik!
      Tecnicamente Djokovic é muito superior a Murray, ponto. Não tem comparação.
      Plasticidade é outro quesito, não é sinônimo de técnica! E até nisso o sérvio evoluiu!
      Esqueci de falar do slice! Djokiller fatiou melhor que as facas ginsu.

    2. Natanael Lobato

      Concordo com vc Chetnik… Onde assino??? Já podem comprar um busão articulado que nossa torcida está crescendo. É o que dizer dos voleios hj… o que mostra o quanto o cara procurar se aperfeiçoar, pode não ser perfeito mas está muito próximo, o mais completo disparadamente… Go Nole D1joko…

    3. Artur

      concordo com vc qdo fala que o sérvio provavelmente seja o tenists mais completo dos últimos tempos. Mas não confunda completo com melhor. São coisa bem distintas. CR7 é mais completo que Messi, porém um é gênio, mago, extraterrestre, o outro é apenas excelente, uma maravilha física. Eu tento, meu amigo, mas não consigo dar tanto crédito pra quem depende tanto do físico para ser o melhor. Por favor, respeite o federer. O cara é indiscutivelmente o maior e melhor de todos os tempos. Ou vc acha que vc pertence a uma minoria que é dona da verdade, que enxerga o que os outros nao enxergam e que a maciça maioria não sabe o que fala? Só da grande maioria dos profissionais envolvidos com tênis terem a mesma opinião que eu, ja diz absolutamente tudo. Só dos próprios tenistas em sua grande maioria tb acharem o que eu acho, também diz muita coisa. PS: conforme ja deixei claro, sou torcedor do Murray. Triste ver o que o escocês consegue fazer com o talento que lhe foi dado. Totalmente desperdiçado. Realmente, o número 1 é algo que eu já nao acredito mais que ele vá conseguir. Não com essa inconstância. 8 por cento de pontos gsnhos com o segundo saque.. Pfff

      1. Sérgio Cipriani

        Federer é grande, mas infelizmente, não dá conta de Nadal e Djokovic em finais de Grand Slam. Eles sempre deram conta de Roger. Só isso. Fora isso, Federer é magnífico! Fora isso.

      2. Marcelo-Jacacity

        O Federer é o melhor dessa época, por enquanto, pois, Djokovic está impossivel!
        Melhor de todos os tempos só no videogame com Borg, Laver, Sampras, Federer etc…

      3. Chetnik

        Artur, eu respeito a opinião de quem acha o Federer o melhor, só não concordo rs.

        E sobre o Messi, o Djoko do tênis rs, concordo em partes. Que ele é MUITO melhor do que o Penaldo, sem dúvida nenhuma. Mas discordo que este é mais completo do que aquele. O único fundamento em que é melhor é nas cabeçadas.

        Tanto é que o Penaldo se torna cada vez mais um empurrador de bolas para o gol – e batedor de pênaltis -, enquanto que o Messi é capaz de jogar em qualquer posição, tendo inclusive recuado um pouco para armar o time por conta do declínio da dupla Xavi e Iniesta.

        Murray é excelente mesmo. Concordo com você nisso. Tem uma personalidade muito interessante também.

    4. bruno

      Engraçado é VC chatonik criticar o fanatismo dos torcedores do federer depois dessas pérolas suas. Ah sem nenhuma dúvida que essa sim é a pior entressafra de tenistas da história.

      1. Natanael Lobato

        Bruno se fosse a pior Federer não levaria pau de Vitrolas kk Gulbis e Chardy em estreias kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Aceita Que dói menos.. abç..

  52. orlando

    Oh, Dalcim vc tá triste, né? Mais uma vez o grande Djkovic deu uma surra no seu Murray. Como eu já disse, não adianta vc e outros anti Djko dizerem que ele tem muito mais técnica que o Nole e patati e patatá, pois quando se encontram já sabemos resultado, rsssss… resumindo, o tal Murray tá se tornando um freguês do Nole.

      1. Marcelo-Jacacity

        Dalcim,
        Sabemos que você é torcedor do Federer, Nadal, Djokovic, Nadal…rs
        No futebol obviamente você mantém essa linha ao torcer para o Palmeiras e para o Corinthians, também! Certo?

    1. Sérgio Cipriani

      Haha verdade, Arthur! Queimei a língua… rs Mas já ouviu aquela frase: “há males que vem pra bem”? Tenho certeza de que o Nadal não ficou triste de perder hoje… rs Mas no final das contas, se tenho que arrumar uma desculpa, diria que foi por culpa do Wawrinka, que por ter jogado muito abaixo, não levou Rafa ao limite. E todos nós sabemos, que um atleta só sobe de nível quando é levado ao limite…

  53. Fernando C.

    Dalcim.

    Diante do jogo colossal que o Djoko vem desenvolvendo, o que você sugeriria para alguém que vai enfrentá-lo? Claro que isso vai depender das habilidades do oponente, mas onde este pode tentar atacar para ao menos fragilizar um pouquinho o jogo do sérvio e assim entrar um pouco na cabeça dele?

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, tenho dito que ninguém vence Djokovic sem atacar o tempo todo. Portanto, antes de tudo precisa de um excelente aproveitamento de primeiro saque para conseguir atacar na segunda bola. A agressividade também passa pelo uso mais constante de paralelas, mas isso é algo arriscado e exige que o adversário tenha forte jogo de base dos dois lados, o que não é o caso por exemplo do Tsonga.

  54. abner

    Djoko atropelou o Murray , caracoles deu ate pena do britanico , Djoko de dos 7 master que participo chego em todas as finais , ainda tem paris. Dalcim se ele chegar na final de paris vai ser um novo recorde ? . Meu placar da final djoko 6 3 6 3 encima do Tsonga . Daleeeeeeeeeee noleeeeeeeeee

    1. José Nilton Dalcim

      Embora a ATP não tenha confirmado, as sete finais de Masters de Djokovic são recorde para os Masters 1000. Se ele vencer Xangai e Paris, será o único com seis títulos numa só temporada.

  55. lEvI sIlvA

    Dalcim, não pensei em números nem coisa do tipo, mas o que me veio a mente assim que se tornou claro a final de Xangai, Djokovic vs Tsonga, foi exatamente o que me veio a mente. AO 2008 onde o francês voou baixo e teve uma atuação de gala contra Nadal na SF. Pelo momento, o sérvio estava sem muita perspectiva, já que Tsonga sacava muito bem e cobria a rede à perfeição… Mas eis que, a expectativa não se concretizou. Pareceu até fácil demais, alguns talvez reclamem. Enfim, campeão não reclama de adversários, vai lá e ganha na raça, na bola e raquete, não é assim mesmo?!? rsrsrs

    1. José Nilton Dalcim

      Verdade, Tsonga tremeu naquela final depois de ter feito uma campanha fantástica, aliás uma exibição inesquecível na rede contra o próprio Nadal.

  56. Fernando C.

    Dalcim.

    O Murray continua pecando pela pouca agressividade, sobretudo nos momentos mais decisivos, não acha? Você acha que isso é do jogo dele e ninguém modifica ou falta um técnico para mexer com ele?

  57. Natanael Lobato

    Nole levando Shangai, Paris e o Finals, certamente será a melhor campanha em um ano, pode não ser a mais vitoriosa mas será a mais relevante, levando em conta que todos os canecos são de maior importância do esporte, tirando é claro Pequim… Que se repita em 2016 para desespero dos contra: MQ, L. F, L. P, R. D kkkkk

      1. Robson

        Natanael e Marcelo, saudações,
        Em se tratando de números, essa atual temporada já é sim a melhor de Novak em tua vitoriosa carreira.
        Mas quando olharmos pro lado dos adjetivos tipo, magnífico, fantástico, esplêndido, glorioso, etc…, aí nem este e nenhum outro ano se compara a 2011, aquela temporada Novak foi multi campeão com dois dos maiores tenistas da história do tênis voando, Rafa e Roger.

Comentários fechados.