À beira do número 1
Por José Nilton Dalcim
16 de outubro de 2015 às 13:44

O tênis brasileiro está perto de mais um momento histórico. E dos grandes. Mesmo sem o parceiro habitual, o mineiro Marcelo Melo se aproxima cada dia mais de se tornar o terceiro brasileiro na história a atingir o número 1, repetindo as façanhas de Maria Esther Bueno e Gustavo Kuerten.

Há uma conjuntura que favorece muito nosso Girafa. A primeira delas é sua competência. Ele acaba de ganhar Pequim e está na semi de Xangai, o que significa por enquanto somar 860 pontos no ranking. Ao mesmo tempo, vê uma rara má fase dos irmãos Bob e Mike Bryan. Depois de vencerem em Montréal, eles não passaram da segunda rodada em Cincinnati e, incrível, perderam nas estreias do US Open, de Tóquio e agora de Xangai. Com isso, viram sumir repentinamente 3 mil pontos.

Neste momento, com vaga na semi de Xangai, Melo está a cerca de 1.200 pontos da liderança do ranking. Se ganhar neste sábado, a distância cairá para pouco mais de 900 e, mesmo se o título não vier, haverá a construção matemática necessária. Os Bryan defendem o título de Paris, e esses 1.000 pontos serão descontados uma semana antes. Melo não tem nada a repetir em Paris.

Claro que os americanos ainda podem recorrer aos ATP 500 de Viena e da Basileia para tentar se manter no posto ou ao menos adiar a queda. Daí seria excepcional se Melo ganhasse Xangai e ficasse tão somente a 500 pontos de distância. Vale lembrar que ele joga na China ao lado do sul-africano Raven Klaasen, já que Ivan Dodig preferiu tentar challengers na Europa para melhorar seu ranking de simples. A vaga de Melo e Dodig em Londres já está assegurada.

O Brasil jamais teve um número 1 de duplas masculinas. O maior ranking pertence tanto a Melo como a Bruno Soares, com os terceiros lugares alcançados. Oficialmente, não há registro no feminino, mas é óbvio que temos de considerar Maria Esther como a melhor do mundo em 1960, ano em que se tornou a primeira mulher a fechar o Grand Slam de duplas. Em simples, ela foi indicada como número 1 ao final das temporadas de 1959, 60 e 64. Todo mundo sabe que Guga assumiu o posto em dezembro de 2000 e ficou 43 semanas ali.

Semifinais
Com dois resultados um tanto inesperados, temos o melhor quadro possível nas semifinais do Masters 1000 de Xangai. Em cima, Novak Djokovic e Andy Murray ratificam o favoritismo e se cruzarão pela sexta vez na temporada. Embaixo, Rafa Nadal se valeu da contusão no ombro de Stan Wawrinka e enfrentará Jo-Wilfried Tsonga em duelo de estilos.

Djokovic enfim teve um set duro. E Bernard Tomic deixou escapar a vitória no tiebreak, curiosamente em duas bolas baixas que não teve a destreza necessária para aproveitar. Daí virou presa fácil, num misto de desmotivação e lentidão. Nole pareceu muito concentrado na missão o tempo todo. Já Murray arrasou o tcheco Tomas Berdych, algo que não é habitual entre eles, e isso certamente irá aumentar muito sua confiança para este sábado.

Nadal nem precisou de grande esforço. Com problema no ombro – dizia-se nos bastidores que Stan talvez nem entrasse em quadra -, o suíço forçou o tempo todo. Sacou mal e cometeu muitos erros, enquanto Rafa se mostrou sólido. Tsonga jogou na madrugada e voltou a ter um jogo duro e longo, com 84 winners no total. Foi a melhor partida da rodada, sem dúvida, e Kevin Anderson continua mostrando qualidades em sua excelente temporada. Vamos ver se Tsonga conseguirá manter o fundamental alto padrão de saque e agressividade contra Nadal.


Comentários
  1. Jorge Roberto Brito de Souza

    Curiosidade numérica/estatística.
    Se a partir desta semana Novak Djokovic repetir o que ele conseguiu
    desde o início deste ano, isto é, obter 73 vitórias e perder 5 partidas,
    ele atingirá a marca exata de 750 vitórias e 150 derrotas. Ou seja, uma média
    de cinco vitórias para cada uma derrota, ao longo de toda a carreira.
    Até onde sei, ninguém nunca encerrou a carreira com esta marca.

  2. Gildokson

    Meu acaba logo 2015, to com medo do Djokovic ja! Que máquina esse cara, ta praticamente no automático ja…. Federer que venha totalmente focado pro Finals pois um dos recordes logo logo vai cair…

  3. Marcos - Aurora-Ce

    Ainda não acreditei o que Djoko fez hoje com o Murray, atropelou, apenas 1 game mau jogado. Pra mim, Federer rei do talento e da plasticidade, Djoko rei da competitividade e mais completo de todos os tempos. Pra mim esses dois são os maiores tenistas que eu já vi joga!!! Vamos Nole.

  4. Enoque

    O ano que o Nadal teve mais derrotas foi lá trás em 2004 com 17 derrotas, acho que este ano já atingiu o mesmo número e tem espaço para mais 3, chegando a 20, ou seja este record negativo está praticamente garantido.
    Os grandes tenistas costumam perder umas 6, 7 ou 8 por ano ou até menos como está fazendo o Djoko atualmente e cansou de fazer o Federer entre 2004 e 2007.

  5. Enoque

    Nadal cansou no final do jogo, perdeu os 3 últimos games, seu saque não tinha mais profundidade.
    Antes, era justamente nestes momentos do jogo que o Nadal crescia e por isto ganhava muitos jogos na raça.
    Vou acabar concordando que definitivamente o Nadal não é mais o mesmo.

  6. Oswaldo E Aranha

    Para tristeza de alguns, Dkovich sacou bem, subiu à rede e matou os pontos, sacou bem e venceu. Bem que o Murray, apesar de ter jogado mal o 1º set, jogou bem o 2º mas do outro lado da rede estava o nº 1 e aí…

  7. Sérgio Cipriani

    Uau uau uau !!! Aquele winner de backhand no match point retrata o estratosférico nível de confiança de Novak Djokovic… Deu na bola com tanta força, tanta potencia, velocidade, precisão e profundidade… Como ele fazia em 2011. Só estou esperando a confirmação da melhor temporada da história do esporte com a chegada dos títulos de Shanghai, Paris e Londres…

  8. Sérgio Cipriani

    Uauuuuu!!! Podem falar e discordar o quanto quiserem, mas nem Federer chegou no nível que Nole está hoje… Soberbo! Pegou o n2 e o surrou como se fosse juvenil. Parecia que quanto mais agressivo Andy fosse, mais ele apanharia… Sinceramente, muito feliz por Nadal não ter avançado a decisão!! rs Não ia gostar do que ia ver amanhã… kkkkk

    1. Artur

      meu deus, dalcim tinha que cobrar multa desse cara por falar tanta asneira. Quer comparar s atuação do Djoko hj com as vitórias de federer em Wimbledon e Us open? Em 5 sets? Djoko jogou muito, principalmente no final. Mas o murray hj foi pífio. Me lembrou o bellucci nos piores dias descontrolados. Errando um absurdo. Nas palavras do próprio escocês, em Wimbledon, ele jogou bem, mas não há o que faze quando o suíço joga bem. Mas aqui, vc nao torcia pro nadal até ontem a noite? O que aconteceu? Ou seu negócio é torcer para os principais adversários do federer? Camaleão. Tenha personalidade.

  9. Fernando Brack

    Mais uma tratorada do Djoko, agora sobre o atual nº 2 do ranking. É mole?
    O break point no 2º game do 2º set, para devolver a quebra sofrida no game anterior, define
    bem o que é o sérvio nesses últimos anos: um poço de vontade de vencer. Que pontaço!
    E que se cuidem todos, pois o homem tá querendo começar a ter a pretensão de aprender
    os princípios básicos do voleio. Quando ele der os primeiros passos nesse aprendizado,
    será o fim das pretensões de qualquer adversário de ganhar qualquer coisa contra ele.

  10. Fernando Brack

    Olhem, o Nadal hoje jogou bem. Muito bem, na verdade. Voltou a acertar aquelas bolas que a
    gente jura que ele nem vai chegar, bate todo desengonçado, na bacia das almas, e as bolas
    entram. Quando não são winners. Tudo indica que ele renovou o pacto com o demo. Falta só
    aquele acertinho final, que faz os adversários errarem tudo que é bola decisiva.

    1. José Nilton Dalcim

      Poxa, mas aqueles dois forehands decisivos no game final… será que a conta ainda está no vermelho? rsrs

  11. implicante

    O Blogueiro deixa explícita sua torcida pelo Rafa nadal no trecho: “temos o melhor quadro possível nas semifinais do Masters 1000 de Xangai”.
    O melhor quadro possível seria com Wawrinka no lugar do Nadal, já que o Federer caiu cedo. Qualquer um que goste de tenis, com exceção de torcedores do Nadal, prefeririam que o confronto final fosse Djokovic x Wawrinka, duelo que tem sido um dos melhores nos últimos anos.
    A propósito, o Nadal acaba de perder…

    1. José Nilton Dalcim

      Nossa, mas eu não torcia para o Federer outro dia desses? Ah, não, eu torcia para o Murray. Ou será que era para o Tsonga? Estou confuso. Me ajuda por favor.

      1. Lígia

        Dalcim, o que fica evidente nos seus comentários não é sua preferência por esse ou aquele tenista, mas a dificuldade em rconhecer Djokovic como o melhor tenista da atualidade é um dos melhores de todos os tempos. Tem sempre um “mas” implícito em seus comentários sobre ele. talvez dai a “galera” achar que você torce para Federer, Murray, Nadal, Wawrinka…esqueci alguém? rs

        1. Anti anti-jogo

          O problema parace ser mais querer que os mesmos continuem ganhando sempre….. Talvez isto seja natural, já que não há nova geração digna de grandes conquistas, assimo como cos comtemporâneos já deiaram clara a fragilidade…

        2. implicante

          Eu acompanho aqui por anos, e posso dizer com propriedade que o Nadal e Murray levam mais simpatia. Djokovic meio neutro para antipatia, alguma antipatia pelo Federer,

      2. Hugo

        KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
        Dalcim,o jeito é para de escrever para não deixar qualquer vestígio de torcida por este ou aquele tenista.Mas vai complicar pra vc se alguém souber ler mentes.Vão continuar te acusando.E agora?

        1. José Nilton Dalcim

          Felizmente, Hugo, eu não escrevo para agradar este ou aquele. Escrevo o que eu penso, procurando fazer análises e apontamentos bem embasados. Não significa que eu esteja certo, apenas que tento fazer meu trabalho com empenho e lucidez.

          1. implicante

            Baghdatis, Safin, Nalbandian são grandes craques, bem mais fortes que as gerações 2010 para cá… pena que preferiram a vida boemia do Gulbis, o grande talento perdido dessa geração seguinte.

      1. implicante

        Verdade! nunca vemos uma critíca ao Nadal, exceto pelo fato dele não mudar seu estilo de jogo, apesar de que aqui ele já foi exaltado muitas vezes por “evoluir”. rsrs

        1. José Nilton Dalcim

          Hahaha… Você deve estar fazendo curso de piadista. Ou então começou a ler o Blog na semana passada.

  12. Marcelo-Jacacity

    Apesar da derrota para Tsonga (plenamente normal, pois o francês joga muito), Nadal já elevou o nível. E essa evolução só tende a continuar.
    O tênis agradece a volta da lenda espanhola para se juntar as lendas Federer e Djokovic.

  13. José Eduardo Pessanha

    kkkkkkkk. Sofredores, voltem para as tumbas. NADAL ACABOU. Com relação ao Cipriani, não sei se a galera percebeu. Ele apareceu no blog como nadalete, aí virou a casaca pro Cotonete e agora está ensaiando a volta como Nadalete. kkkkk. Será que o Nadal chega a 20 derrotas no ano? kkk

    納達爾結束 – Tradução do chinês para o português: NADAL ACABOU

    kkkkkk. COMO OS CARAS TÃO SOFRENDO. Adeus, Conan.

  14. fepauli

    Parece que tá faltando pouco para que a confiança do Nadal volte. Se ele investir um pouco mais nessa agressividade que apareceu em alguns momentos dessa semi final, ele estará pronto para enfrentar de igual para igual seus maiores adversários, com exceção talvez ao Djoko. O que achas Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho isso mesmo, como aliás sempre achei que em algum momento ele iria recuperar sua confiança. Claro que ainda espero vê-lo mais agressivo, porém boas campanhas na quadra dura contra adversários fortes foram realmente importantes e bem vindas.

  15. fepauli

    Essa falta de confiança do Nadal em momentos importantes no final do 3° set decidiu a partida para Tsonga. Bom agora quem vencer essa 2° semi final leva o título desse master 1000.

  16. Luiz Pilon

    Falei ontem que o resultado contra o Wawrinka não significava nada… ta aí, Nadal eliminado. Era pra ter sido ontem, mas o Wawrinka não estava em plenas condições.

    Narck Rodrigues é extremamente Nadalete, isso cansa. Pra tudo ele fica procurando pontos positivos ou justificando falhas do Nadal, enche o saco…

  17. Sergio Ribeiro

    Incrível como os comentários continuam ariscos. Desaparecem mesmo quando acrescentam. A melhoria de Rafa Nadal e a possivel vitoria sobre WAWRINKA ,sumiram. Espero que nao suma , ao menos a previsao da dificil vitoria do N 1contra Andy Murray.Abs !

  18. Debora Motta

    Dalcim, se um tenista entra em quadra não se pressupõe que ele imagina que pode vencer? Caso contrário acredito que o tenista não entraria (como Federer fez na final do Finals, p.ex). Posto isso, não acho possível mensurar o quanto uma lesão, de fato, foi o que determinou uma derrota, ou vitória (já que esta não ocorreu durante o jogo em questão), pois em muitas ocasiões já vi Roger, Novak e mesmo Nadal vencer jogos, e até torneios, ‘lesionados’.
    O que vc acha que leva um tenista ‘lesionado’ entrar em quadra se ele SABE ser impossível fazer frente ao oponente? Não seria a esperança de mesmo assim pode vencê-lo?

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, talvez ele entre em quadra esperando que o outro esteja pior. Algo bem assim aconteceu recentemente na final entre Venus (coxa) e Muguruza (torção), em que Venus mal andava direito e, para surpresa geral, que abandonou foi a espanhola. Mais uma vez, repito: a contusão óbvia de Stan não justifica a derrota em si, mas sim o placar e sua péssima atuação. Nadal fez sua parte, e bem feita.

  19. Artur

    Que isso, kkkkkkkkkk, imoressionado com esse Sérgio Cipriano. O cara só vem aqui pra falar mal do federer. Francamente, amigo. Não queira comparar água com vinho. Nadal continua um excelente top 8. Mas quando cruzar com um big four, será atropelo. Até mesmo contra o Federer. Veremos domingo contra Murray ou Djoko. Isso se ele passar do Tsonga. E você acredita mesmo que Rafa possa bater RF no finals no pior ano da sua carreira? Sendo que ele é virgem por lá? Abraço. Come on, Andy.

  20. lEvI sIlvA

    Dalcim, meu caro, apesar de não “manjar muito tênis”, como você mesmo escreveu noutro dia. (Seu interesse maior me parece é o rúgbi, não é isso?) Gostaria de parabenizá-lo pelo site TenisBrasil e o blog em especial! Fico aqui imaginando quanto será mais legal quando “focar” no tênis apenas…! Abraço!

  21. O LÓGICO

    As nadalzetes são quixotescas mesmo, hein? Tão achando que o defunto ambulante vai ganhar alguma coisa? Se passar pelo Tsonga, encara o Andylânguido ou DjokoBAUER, e aí o boizinho mecânico vai ser torturado em plena quadra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  22. Augusto Montenegro

    Não assisti ao jogo de Nadal, mas fiquei impressionado quando fui acompanhar o placar no aplicativo da ATP e vi 6/2 e 5/0 para o espanhol. Pensei: “O que é que está havendo?”kkkkk. Lendo esse belíssimo blog descobri sobre o incômodo no ombro de Stan. Bem, como disse anteriormente já estou cansado desse “ressurgimento” de Nadal. Se ele for campeão, ou pelo menos finalista, aí sim, vou pensar em “ressurgimento”. Como de costume, se o melhor do mundo vencer; não torno a comentar até o resultado final de domingo kkkk. Só consigo imaginar um jogo de 3 Sets amanhã.

  23. implicante

    Pena que o Stan esteja lesionado. Certamente conseguiria um feito para poucos: 3 vitórias seguidas contra o boi garantido. Neste ano, o Fognini quase conseguiu, mas contou com o jogo sujo do Rafa e Toni que o desestabilizou completamente.

  24. Robson

    Grande Marcelo, na torcida aqui, que venha o number one pro Mineiro.
    Só ñ consigo entender de forma alguma pq Marcelo e Bruno ñ dão certo jogando juntos.
    Dois brasileiros, mineiros, supostamente amigos, e tem parceiros la da #$@$@##/ afora, eu hein.
    Falando agora de simples,
    Vejo as semis assim, o campeão sai do jogo Murray x Novak, disso ñ tenho a menor dúvida.
    Aposto e torço pra uma final entre Novak x Nadal, o maior clássico da história do tênis.

    1. Marcelo-Jacacity

      Fala Robson!
      É que o estilo do Melo e do Soares não casa tão bem comparando com outros parceiros.
      A final será contra o Tsonga mesmo. Preferiria o Nadal para o Djokovic empatar o h2h.
      Mesmo com Nadal tendo elevado o nível ainda não é páreo para o n. 1.

  25. Natanael Lobato

    2011 foi um divisor de águas para o sérvio, de lá pra cá aplicou 15 derrotas das 19 que tem em cima de Murray. Fica a pergunta Dalcim, Se Nole fosse disciplinando com sua alimentação desde o início de sua carrera teria uns 15 a 18 Slam no mínimo. Abc

    1. implicante

      A alimentação não fez tanto milagre assim não… Ele já estava por anos com bom aconselhamento. O que o fez mudar mesmo foi a camara hipérbarica CVAC e o amadurecimento no tenis, além é claro, da queda de rendimento do Federer e Nadal.

  26. Chetnik

    Amanhã é jogo duro. Vi só pedaços dos jogos do Murray, mas parece estar muito bem.

    Espero uma final com o Touro, que vai atropelar o Tsonga.

        1. Rodrigo S. Cruz

          Sim. Mas se vc tivesse dito: “O Djoko vai atropelar”. Eu não falaria nada.

          Mas o Nadal? Quem sabe depois de mais algum tempo.

    1. Bruno Vigne

      Nem o “Touro” atropelou o Tsonga, nem o jogo do Djoko contra o Murray está sendo duro. No momento em que escrevo, o sérvio ganha de 6×1 4×1…

    2. Carlos Reis

      kkk Atropelou mesmo… mas só no 2.set…
      Nadal acabou!!! E eu “si divirto” como o diria o flamenguista…

  27. Paulo Ernane

    Análise N1 muito bem feita Dalcim. Existe a chance, claro que depende também dos Bryans. Vamos torcer. Abs.

  28. Sérgio Cipriani

    Se Nole vencer Andy amanhã, será o campeão. Mas alguma coisa me diz que se Andy vencer, Rafa irá derrotá-lo no domingo. Uau, um título de Masters para o espanhol na quadra dura seria brochante nessa que é a pior temporada de sua carreira… Mas, ainda aposto em Novak pra levantar a taça!

    1. Sérgio Cipriani

      Brochante para a igreja suíça aqui do blog… Terminar no top 5 pela 11 temporada seguida… Algo que o aposentado falhou em 2013, numa temporada bem pior do que esta de Rafa… 11 temporadas… Uau! Isso sim é longevidade…

      1. Fernando Brack

        E o Nadal cair mais uma vez antes da final é brochante para a igreja espanhola?
        A essas alturas, já estou achando que não é mais. Estão ficando acostumados.

    2. Debora Motta

      Tenho a mesma sensação que vc, Sérgio Cipriani! A conferir cenas dos próximos capítulos. Eu, fã do Sérvio, honestamente gostaria de ver o Nadal levar Shanghai, caso o Novak não esteja na final. Seria MUITO interessante ver a reação de todo o circuito após uma guinada desta do espanhol, exatamente fora do “habitat natural” em um, se não o, seu pior ano depois de 2004!

  29. Mario Cesar Rodrigues

    Parabéns Laura vai encarar a Boliviana que despachou a Argentina marrenta..começou com mais de 20 Brasileiras…e Laura conseguiu ir para a final de virada…!tomara que acorde amanhã as 5 horas da matina para ver as semis !bom final de semana a todos!

  30. Bruno Delgado

    Sinceramente Zé, acho um pouco inapropriado você vir falar da contusão do Wawrinka aqui. Nadal vive provavelmente seu melhor momento na temporada, e você foca a que a vitória dele veio também pela contusão do Wawrinka? Acho injusto com o Nadal.

    1. José Nilton Dalcim

      O fato é esse, sinto muito, Bruno. Isso não quer dizer que Nadal não poderia ter vencido. A contusão apenas explica o placar e a péssima atuação do suíço.

    1. José Nilton Dalcim

      Obrigado pela informação, Mateus. Significa que o Bob poderá ser mesmo ultrapassado, mas o Mike continuará na luta direta.

  31. Roberto Garcia

    Mestre Dalcim e seguidores, boa tarde!
    Qual será o horário das semifinais??? Acredito que eu não vou poder acompanhar os jogos pelo Sport TV, haverá, então, algum bom link para acompanhá-los??
    Abraço!

  32. Sérgio Cipriani

    Pelo visto, muita gente não ficou feliz com a vitória de Rafa. Normal. Mal posso esperar pelo ATP Finals… Haverá enorme chances de enfrentar “o maior de todos” ainda na frase de grupos. Já imaginaram a delícia que seria ver um grupo formado por Djokovic, Federer e Nadal? Ansioso por isso! Quem seria o favorito: Federer, sem dúvidas! kkk Não é grandes coisas para “o melhor da história” dar uma surra nos outros dois. Aposto que eles se borram de medo quando enfrentam “o GOAT”!!! hehe

  33. Rodrigo S. Cruz

    Esse físico do Djokovic é fora da realidade. Não estou dizendo que ele joga dopado, mas é como se fosse.

    No jogo de hoje o Tomic fez um primeiro set impecável. mas no fim do tie-break estava visivelmente cansado, enquanto o Djokovic corria de um lado pro outro como se fosse o início do aquecimento.

    A vantagem física dele sobre os demais é muito maior do que a técnica…É o que eu acho.

    1. Sérgio Cipriani

      Bom, não acho que tenho sido grandes coisas, se você levasse em consideração que Tomic tinha mais de 7 horas jogadas durante a semana, com jogos duríssimos, e Novak tinha apenas pouco mais de 2 horas. Não seja injusto!!

      1. Rodrigo S. Cruz

        Em que eu fui injusto Sérgio? Só contatei um fato. O Djoko é muito mais resiliente do que qualquer outro. E isto já levando em consideração o número de horas a mais jogadas pelo Tomic.

        Eu sempre torcerei pro menos favorito, sempre. Quando o Federer ganhava tudo eu achava um SACO!

        Não porque eu tenha nada contra ninguém. Mas porque gosto do elemento surpresa. Faz bem ao tênis, assim como a qualquer outro esporte, vc NÃO saber quem vai ganhar…

        E o Djoko, assim como o Nadal e o Federer, antes dele tem tornado o tênis empolgante só pra quem é muito fã.

    2. Robson

      Rodrigo,
      Claro que quando a gente fala do físico de caras como Novak,estamos falando de pulmão e até do mental.
      Mas tem uma coisa em Novak que é muito acima de todos os outros, a agilidade, a movimentação de Novak, simplesmente fantástico.

    3. Rosimery

      É porque ele joga inteligentemente. Desloca o adversário de um lado para outro.
      Comanda o ponto muitas vezes já da devolução, que é uma das melhores.

    4. Marcelo-Jacacity

      Rodrigo,
      Djokovic é muito mais que físico:

      1- Técnica refinada com que consegue mudar a bola de direção sem esforço.
      2- Técnica incrível para aprofundar a bola jogando muitas vezes na linha.
      3- Backhand acima da média.
      4- Mental superior.
      O físico do sérvio se destaca? Óbvio. Mas àquelas maratonas de quatro, cinco horas ele sabiamente tem evitado (pensando na longevidade da carreira) ao abreviar os pontos com subidas à rede, saque mais contundente e mais variação nas jogadas.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Eu nunca aleguei o contrário, Marcelo. É lógico que Djoko é a soma de muitas dessas qualidades que vc enumera, mas dentre elas o físico salta à página pra mim. É só.

  34. Emerson

    A lógica diz que a final mais provavel e Djokovic vs. Nadal, mas torcerei por Murray vs. Tsonga. Gostei muito de ver o Anderson ser derrotado, não gosto da maioria desses sacadores, deixam o jogo muito chato. Se eliminassem esse negocio de dupla falta a maioria deles nao sobreviveria.

    1. Luiz Pilon

      Federer corre muito bem e chega em quase todas as bolas, e isso com 34 anos, seria justo achar que ele se dopa também? Pra ser um velhinho tão ágil? Ou ele corre com genialidade?

      Nos poupe dessa conversa fiada de frustrado, cara.

Comentários fechados.