Federer e Murray rumam para a batalha
Por José Nilton Dalcim
6 de setembro de 2015 às 00:40

A primeira semana acabou, metade da tarefa está completada pelos grandes favoritos. No lado inferior da chave masculina do US Open, o suíço Roger Federer e o britânico Andy Murray tiveram caminhadas diferentes, porém entrarão na reta decisiva com muita moral. Se Federer não cedeu sets e enfim cedeu seus primeiros dois games de serviço, Murray reagiu após a má apresentação de quinta-feira e mostrou toda sua categoria em cima de um esforçado Thomaz Bellucci.

Federer ficou 78 games sem perder o serviço, até enfim ser batido no quarto game do segundo set. E voltou a falhar no começo do terceiro, quando permitiu 0/2 ao alemão Philipp Kohlschreiber. Nada que desse para assustar. O suíço gosta mesmo de Nova York e manteve sua incrível série de atingir pelo menos as oitavas de final em todas as edições desde 2001, ou seja, já são 14 anos consecutivos.

Com isso, chega à 75ª vitória no torneio e iguala Vic Seixas, ficando a quatro de Andre Agassi (a marca de 98 de Jimmy Connors parece inalcançável). Percentualmente, sua eficiência sobe para 88,2%, atrás somente dos 88,7% de Pete Sampras (71 em 80) na Era Profissional. Na fase amadora, Bill Tilden ganhou 71 de 78. Estatística curiosa: desde que completou 30 anos, Federer ganhou 20 torneios, tendo agora 262 vitórias e 51 derrotas (84% de aproveitamento). Êta velhinho bom.

Seu adversário será John Isner. E, acreditem, o americano ainda não jogou um único tiebreak em suas três partidas deste Open, algo inédito em sua trajetória em Nova York, em que disputou ao menos um desempate em 21 de 26 partidas. Até agora, o gigantão perdeu apenas 14 pontos com seu primeiro saque e manteve todos seus últimos 93 games de serviço em Flushing Meadows (54 no ano passado e 39 neste).

Murray, por sua vez, esbanjou categoria em cima de Bellucci. O brasileiro começou muito bem, fez 2/1 e saque, 40-30. Era fundamental se manter à frente e ganhar confiança, mas cometeu duas duplas faltas e acordou o britânico, que passou a jogar cada vez melhor, com enorme variação. Bellucci perdeu intensidade, quase cede também o saque no começo do terceiro set. Mas se levantou, brigou muito o tempo inteiro, tentou um pouco de tudo, mas a distância técnica para o escocês se mostrou enorme e insuperável. Se Murray jogar dessa forma, vai facilmente às quartas. Dominic Thiem, que completou 22 anos na quinta-feira, mostrou suas limitações muito defensivas para um piso rápido e foi dominado pelo sul-africano Kevin Anderson.

Quem ainda precisa mostrar mais tênis é Stan Wawrinka. Muito instável, sacando abaixo da média, sofrendo até mesmo contra um quali como Ruben Bemelmans. Destruiu uma raquete mesmo depois de ter vencido o primeiro set, mostrou preguiça e quase se enrola na hora de fechar. Seria amplo favorito diante de Donald Young, não fosse sua cisma ao encarar canhotos. Perdeu de Young quatro anos atrás lá mesmo em Flushing Meadows. Com apoio maciço da torcida, o americano conseguiu sua segunda virada de 0-2 em apenas quatro dias. Jogou com coragem diante de um Viktor Troicki que não soube ganhar quando deveria.

Por fim, teremos o interessante duelo entre Tomas Berdych e Richard Gasquet. Ainda que não tenha levantado qualquer título nem feito uma fantástica caminhada em qualquer Slam, o tcheco vive sua melhor temporada em termos de vitórias, com 45 em 59 jogos, chegando a 76% de eficiência. Mas tem uma bola reta que agrada muito Gasquet. O francês vai ser proibido de entrar na Austrália, já que ganhou 14 dos últimos 15 duelos contra os ‘aussies’, agora 10 seguidos. Sua vitória garantiu um feito histórico para o tênis francês, que nunca havia classificado quatro nomes para as oitavas masculinas do US Open. Ele se junta a Tsonga, Paire e Chardy.  Em uma boa temporada, ele aparece pela sexta vez nas oitavas do torneio, tendo uma semi dois anos atrás.

O complemento da terceira rodada feminina teve cinco dos oito jogos decididos na terceira série, alguns de excelente nível, como o de Vika Azarenka em cima de Angelique Kerber, e outros muito emocionantes, como a incrível virada de Sabine Lisicki, que perdia de 1/5 no terceiro set contra Barbora Strycova. As redes sociais faltam de um atrito entre os treinadores das duas depois da partida, já que a alemã pediu longo atendimento médico no 1/4.

Bem tranquilas foram as vitórias de Simona Halep e Petra Kvitova, que parecem as mais capacitadas desse lado inferior da chave. E, que legal, teremos um duelo direto entre as experientes Sam Stosur e Flavia Pennetta. A namorada de Fabio Fognini, que mal conseguiu ver a partida contra Rafa Nadal devido ao horário, também fez das suas e virou contra Petra Cetkovska depois de tomar 1/6. Pennetta é um perigo numa quadra sintética.


Comentários
  1. Leo Cabral

    Federer ou Wawrinka campeões.Um desses dois,e fico satisfeito.
    O problema é que Stan não esta jogando absolutamente nada,mas não perco as esperanças.
    E Federer,em Slams,tem se mostrado um jogador muito irregular.
    Por enquanto,Djokovic é muito favorito.Mas,a competição está apenas entrando em sua segunda semana.Muita coisa ainda vai acontecer.

    Responder
  2. Maurício Luís*

    Que ironia do destino… No caminho da Serena pra completar o histórico SLAM, ninguém menos do que a irmã mais velha Venus. Esse jogo mereceria ser na semifinal, no mínimo. Um super clássico!
    E o Rafael Vai Mal perdeu pro mala do Fognini de novo, desta vez de virada 0x2. Um novo “evento” para a sua combalida carreira.
    Mas saiu no lucro, porque não tem pontos a defender e pode até subir no ranking. Porém… que ano mais “cinfrim” esse, hein?
    A única coisa que talvez possa remediar seria ele levantar o Finals. Isso se conseguir ficar entre os 8, o que já é ooooooutra história. O jogo dele, comprovadamente, já não é mais o mesmo. Só um milagre o fará voltar a disputar os dois primeiros lugares do ranking.
    E puxa, que azar do Murray! Tivesse caído do outro lado da chave, teria se livrado do Djoko e do Federer ao mesmo tempo. Porque o japa Nishikori não deu nem pra saída, abrindo a chave desde a primeira rodada. Mas, fazer o que? Como torcedor do Murray, só tenho agora que esperar pelo pior (ou melhor): o confronto com o endeusado, aclamado, condecorado, etc – e põe etcétera nisto – Roger Federer, o Deus do Olimpo do tênis.
    E por falar em Deus, para os que acreditam … que Deus nos acuda.

    Responder
  3. Leo Cabral

    O maior conquista do Djokovic sem dúvidas é Jelena Ristic.Moça linda,simpatica e que lhe ama.Muito se exalta Federer,Djokovic,Nadal.Os caras são monstros.Mas,sinceramente,tenho dúvidas se eles chegariam aonde estão sem suas companheiras.

    Responder
    1. Srt.ª Alice

      Com C-E-R-T-E-Z-A Leo, nós mulheres somos o #poder, a essência na vida de qualquer pessoa u.u! Como alguns gostam de dizer: “Por trás de todo homem bem sucedido, há uma grande mulher…”. E contra pegando um bordão aqui do blog: “contra fatos não há argumentos”, eu *indico* huahsuahsua, assistir o documentário “A verdadeira Rainha Branca e seus rivais”… 🙂

      Responder
  4. Fernando Brack

    Bolaça do Djoko pra obter a quebra no 5º game do 4º set. Lutou muito e conseguiu.
    No geral, acho que ele tá passando muito a bola. O jogo tá forte, mas sem variação.

    Responder
  5. Maurício Neves

    Enquanto isso no US Open 2015 dentro da Arthur Ashe Stadium, Bautista quebra e empata Nole. O Interessante é o Box de Nole segurando o queixo.

    Dalcim, esse é o US OPEN dos resistentes e um sinal que o respeito está acabando?

    Boa semana e feriado!

    Responder
  6. Ronildo

    Decididamente Djokovic não chegará à final do US Open. E digo mais: começou a sua decadência, ao final de 2016 não será mais o número 1. Pode até recuperar em 2017, mas se acontecer, não será sobrando, vai ter muito tenista disputando o posto. Tudo leva à crer que Roger Federer terminará 2016 como número 1.

    Responder
  7. Fernando Brack

    Bautista Agut vai tendo seu dia (noite) de Wawrinka. Djoko que se aprume.
    A coisa assumiu ares meio dramáticos após a perda inesperada do 2º set.

    Responder
  8. Luigi

    De novo o italiano ganha do Nadal para perder feio logo em seguida. Realmente nao entendo como ele consegue tirar um jogo tao bom com o Nadal e tao fraco logo depois. Como é que entre os top 10 só o miura nao se aproveita do saque médio e da falta de cabeça do Fognini?
    Quanto ao Federer que espetáculo!! Como esta jogando. Estou achando difícil alguem tirar esse slam dele.
    Outra, parabéns para os franceses, mas fazendo conta, notei que se o Rafa e o Ferrer tivessem passado para as 8ªs seria 5 espanhois entre os 16 melhores (e olha que nem é no saibro)

    Responder
  9. Leo Cabral

    Sério que o Djokovic perdeu um set pro Agut?kkkkkkkkkk
    O piti do sérvio é que foi hilário.kkkkkkkkkkkkkk
    ”Ai,como estou nervosa”.kkkkkkkkkkk

    Responder
  10. Marco Dias

    Como voleia esse Lopez!!! Dalcim, sei que vc já listou várias vezes os melhores voleadores do circuito , mas Feliciano estaria no seu top 3?

    Responder
  11. Gilvan

    Vejo poucos comentando sobre o Cilic, que esta defendendo o titulo. Hoje assisti o jogo dele contra o Chardy e me pareceu muito solido. Saque entrando nos momentos decisivos e pancadas de backhand e forehand para dar e vender. Perdeu o 2o set so por causa de uma ligeira torsao de joelho. Vai dar muito trabalho pro Tsonga, que ate agora so pegou moleza.

    Responder
  12. Fernando Brack

    Não deu outra. López meteu um 3 a 0 no Fognini, com direito a massacre no 3º set.
    Tá ficando visível que o italiano gosta mesmo é de tripudiar do Nadal. Acho até que
    ele joga tênis para isso. Rsrs!! Alguém aí acreditou que ele iria virar de novo?

    Responder
    1. Carlos Henrique

      Foi notável a diferença de postura 2 sets abaixo nas respectivas partidas. Contra o espanhol de Maiorca o italiano estava disposto a “entregar a vida” para vencer

      Responder
  13. Marquinhos

    Jeremias,

    Em nenhum momento falei que Novak é insignificante para a história do esporte, Berdych, Fognini e Brown, sim. Também não fiz afirmação alguma que Novak se dopa, apenas que há suspeitas.

    Abs!

    Responder
  14. Rafael

    Olá, Dalcim,

    Decidi assistir Federer x o alemão de sobrenome difícil, curioso para ver as inovações e tal.

    Ao contrário, vi um jogo que achei morno, Federer ganhou como devia, uns lances aqui e ali, mas de certa forma só para cumprir expediente. Sou eu que não enxerguei direito, dei azar de escolher o jogo errado de Fed para ver ou foi isso mesmo?

    Abs

    Responder
  15. Leandro Passos

    “O francês vai ser proibido de entrar na Austrália, já que ganhou 14 dos últimos 15 duelos contra os ‘aussies’, agora 10 seguidos. “- Hahaha. Eu ri demais deste comentário, Dalcim. Se bobear, ele pode nem aparecer no Australian Open no ano que vem.

    Responder
  16. Augusto Montenegro

    A Teoria Fatalista que No1vak em 01 ou 02 anos vai declinar do Ranking tem alguns pontos sem sentido:

    – Planejamento e redução de torneios, pois dificilmente você assiste Djokovic jogar ATP 250 . Isto evita mais desgastes e previne lesões.
    – O biotipo do sérvio é alto e magrinho. Diferente de Rafa, Murray, Berdych que parecem verdadeiros ciclistas. Isto lhe trará longevidade.
    – A alimentação do sérvio e o cuidado com a elasticidade.

    Podem desejar Mal ao sérvio, de perder a saúde, o mental e lesões como Rafa, mas o Cotonete provavelmente terá mais longevidade que até mesmo o suíço Federer, haja vista a evolução de tratamentos fisioterapêuticos e o seu biotipo adequado ao tênis moderno – alto, magro e resistente. Podem agourar. Desejar mal.

    Responder
    1. Rafael

      A esse respeito, já vi gente me dizer, torcedor de um dos tops, dizer que desejava que Djoko quebrasse uma perna, por ódio de uma sequencia de vitórias sobre seu ídolo.

      Não sei se é exatamente off-topic, pq diz respeito ao jornalismo esportivo, e eventualmente pode atingir qualquer colega do Dalcim, mas:

      http://uolesportevetv.blogosfera.uol.com.br/2015/09/06/comentarista-da-espn-abandona-perfil-no-twitter-apos-ofensas-e-ameacas/

      Triste. Eu o seguia. A intolerância a opiniões divergentes na Internet está se tornando insustentável.

      Responder
      1. José Nilton Dalcim

        Lamentável. Já estamos há tantos anos na democracia e as pessoas ainda não aprenderam a respeitar o limite das coisas. Confundem tudo, deixam a educação e o bom senso de lado. Uma pena.

        Responder
      2. Rafael Wuthrich

        Xara, boa menção e lamentável, como o Dalcim asseverou. Agora, há que se ressaltar que tem gente que não aceita uma crítica. Te bloqueia na primeira ironia recebida de volta ou discorda de forma mal educada. De parte a parte, as pessoas tem perdido o mínimo do bom senso que existia.

        Responder
    2. Fernando Brack

      Que é isso Augusto? Que ele jogue até os 44. E bem. Afinal, Federer aos 50 precisará
      de um adversário a altura. E também torço para que Nadal volte a melhores dias, pois
      Federer tem muito que ganhar dele até reverter esse macabro H2H entre eles. Abs

      Responder
    3. Gilvan

      Tenistas que dependem muito da resistencia fisica e da correria costumam nao ter vida longa, sejam pesados ou leves (Hewitt, por exemplo). O proprio Federer teve de reinventar o seu jogo, o que so foi possivel pelo seu amplo repertorio, que lhe permitiu jogar mais dentro de quadra, buscando a rede. Para se manter no auge Djokovic vai ter que ampliar seu leque de jogadas quando passar dos 30. Por enquanto, esta imbativel.
      Nadal foi atropelado pela idade e ainda nao percebeu. Vai continuar dando murro em ponta de faca.

      Responder
    4. Ranulfo Palhares

      Existem várias modalidades de ciclismo e os biótipos são os mais variados tb, desde sprinters de pista q parecem fisiculturista, até escaladores de fundo q parecem maratonistas. Tua afirmação ficou sem muito sentido, portanto.

      Com relação à longevidade do capacete, acredito q ela é ligada diretamente à sua capacidade de movimentação superior. Qd isso acabar, ele acaba.
      É um tanto parecido com o q ocorre com dopalito, afinal d contas, são dois pushers, dois devolvedores, em maior ou menor grau.
      Nole tem mais recursos tecnicos q o indio careca, o q faz acteditar q possa enfrentar melhor o declinio fisico com a idade.

      Responder
  17. Luis

    Dalcim e o Tsonga uma surpresa nesse US open parece que ta jogando parecido com Toronto? um jogador perigoso quando ta bem,poderia ter 1 grand slam como Wawrinka conseguiu,Federer ja respondeu nao vai fazer chip and charge contra Isner rs,abraco

    Responder
  18. El loco

    Com Murray jogando desse jeito, só Djokovic consegue (ou conseguia?) ter vantagem na trocação de bola.
    Resta aos demais, portanto, a ofensividade. Mas ela, só por si, não é suficiente. Belucci jogou bem ofensivo, angulou e acelerou bem o forehand e também o backhand. Não foi suficiente, mesmo abstraindo os ENFs. Por que?
    Com Murray, há que se ser ofensivo e, ademais, encurtar contato com a bola. Ou seja, de nada adianta dar uma marretada na bola jogando lá do fundo, porque o britânico vai lá e devolve e, demorando, pra dar outro golpe, ele se posiciona do jeito que quer, ainda que não use o slice.
    Então, é jogar em cima da linha e distribuir porradas. Quem se habilita?

    Responder
  19. Gustavo M.

    Dalcim, o Ferrer venceu 10 de seus 24 títulos, incluindo seus melhores resultados (título do Masters de Paris e final de RG), após os 30 anos. Será que o Federer não é somente um dos bons exemplos da volta (se é que assim posso chamar) da longevidade no tênis? O assunto é sempre comentado por vc e os resultados recentes, refletidos no ranking, mostram que os trintões estão realmente muito fortes atualmente, o Federer, portanto, não me parece um caso isolado. Um abraço!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Com certeza não é um caso isolado, havia 10 jogadores acima dos 30 anos na terceira rodada do US Open. Essas marcas têm sido batidas todo Grand Slam, sem falar claro na Serena.

      Responder
  20. alexpicelli

    dalcim, nao seria melhor(menos desgastante) se no 5° set fizessem o super tiebreak?
    sei la as vezes analisando, hoje a exemplo de jogos epicos longos o vencedor do jogo tem pouco tempo pra descansar, ai o perigo de nao resisitir a mais 5 sets, sei la, eu acharia mais legal, mas e so uma opinião minha!!

    Responder
  21. Sergio Ribeiro

    Federer fez uma partida mediana de acordo com o Oponente. Kolshlraiber que me perdoe.Como Amarela contra o Suíço. Bellucci provou que com Andy será’ sempre uma Zebra. O Britânico demonstrou pela enesima vês para os céticos, que possui todos os Golpes. Isner somente nao o Venceu. Em 9 contra Novak, venceu2 ( aconteceram 9 Tiebreacks). Com Federer em 5 , venceu 1 ( 4 Tiebreacks) , e com Andy perdeu as 4 ( 4 Tiebreacks). Jogando em Casa, e com um novo treinador esperto, nao pode ser totalmente descartado.Olho. Abs!

    Responder
  22. Marquinhos

    Dalcim, com todo respeito, mas vc está de brincadeira, né? Então Federer teria uma pequena vantagem sobre Murray se o jogo for a tarde com a quadra mais rápida? Poxa, Dalcim, qual foi o placar dos últimos jogos entre eles? Qual foi a última vez que Murray tirou um set de Federer? Eu diria que Andy só terá chances contra Roger se o suiço tiver duas batalhas, em cinco sets, contra Isner e logo depois contra Berdych e chegar cansado para o confronto contra o escocês.,

    Abraço.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não me parece sensato se dar enorme favoritismo quando estão frente a frente tenistas de tamanha qualidade, a menos que algum dele esteja contundido.

      Responder
      1. Marquinhos

        Prezado Dalcim, você escreveu que Federer terá um pequeno favoritismo contra Murray se for de dia com a quadra um pouco mais rápida. O que eu quis dizer, devido aos últimos jogos, é que o suiço tem/teria o favoritismo contra Andy em qualquer tipo de quadra, pois tem atropelado o escoces nas sintéticas, grama e todas as outras. Abs!

        Responder
    2. jeremias

      “Eu diria que Andy só terá chances contra Roger se o suiço tiver duas batalhas, em cinco sets, contra Isner e logo depois contra Berdych e chegar cansado para o confronto contra o escocês.”

      Aí, se ele perder para o Andy, mesmo sem ter disputados as tais duas batalhas, é porque está “velho”, e não está mais no “auge”…

      Responder
  23. Marquinhos

    Vamos analisar o desempenho de Nadal esse ano e no próximo, se ele não se aposentar. E vamos analisar o desempenho de Novak a partir dos 29, em slam, também. Veremos entre Novak, Federer e Rafael quem conseguiu mais resultados expressivos após os trinta. Lembrando que Roger enfrentou, com mais de 30, Nadal e Novak no auge.

    O pessoal está assistindo o desempenho medíocre do baloeiro, em slam, com 29 anos recém completados. Perdeu para Berdych, BROWN, Novak(virgem de RG) e Fognini, a maioria tenistas inexpressivos na história do esporte.

    E podem ter certeza, Novak irá pelo mesmo caminho do Zé Cueca, pois, quando o físico apitar, recursos técnicos lhe faltarão para seguir vencedor na carreira.

    Responder
    1. Sergio Cipriani

      Normal para tenistas que começam muito cedo. Ou você quer comparar os resultados de Slam de Rafa aos 19 e 20 anos com os resultados pífios de Roger à mesma idade?? rs Cara, não há regra pra longevidade. Olhe só para o Ferrer, que mesmo sempre jogando na base do físico a carreira toda, foi ter seus melhores resultados após os 30 anos… Peraí, qual a semelhança entre Ferrer e o suíço?? O peso!! Caras mais leves se desgastam menos ao longo do tempo, correto?? Olha a carcacinha do Federer e compara com o tamanho de Nadal, que deve ser pelo menos uns 20 quilos mais pesado. Aí fica difícil aguentar mesmo… Não se surpreenda se Novak chegar longe, pois além de ter um biotipo magro e leve, há anos pratica um calendário enxuto e quase sem exibições…

      Responder
    2. jeremias

      É sério que você colocou a derrota dele para Djokovic,mesmo sendo em R. Garros, como prova inconteste de sua decadência? Na tua cabeça, aquela foi mesmo uma derrota tão surpreendente quanto as derrotas para Fognini e Brown?

      Responder
  24. Marquinhos

    Resposta bem simples para o Sérgio,

    Slam é em cinco sets e Roger não aguente mais ser intenso por dias seguidos jogando cinco sets. Depois de um jogo muito difícil contra Monfis, no u.s open do ano passado, Roger foi atropelado por Cilic e eliminado do torneio.

    Fisicamente, Nadal e Novak sempre foram muito superiores a Federer. É claro, tem muitas suspeitas em cima dos dois sobre o que eles usam para ter um extraordinário desempenho físico.

    Responder
    1. Sergio Cipriani

      E o que aconteceu em Wimbledon este ano? Federer chegou a final sem se desgastar nadica de nada!! E o resultado? Vara do Djokão na final!! hehe

      Responder
    2. jeremias

      Esse é, definitivamente, o ponto baixo deste ótimo espaço de comentários do Dalcim. Na verdade, o único ponto realmente baixo, já que ironias, brincadeiras e preferências são todas válidas. E estou quase certo de que ele, Dalcim, concorda comigo. A insinuação aleatória, barata, e completamente baseada em achismos de haters segundo a qual esse ou aquele tenista se dopam… Antes, a coisa se dirigia só ao Nadal, mas agora os haters do sérvio (e esse rapaz–marquinhos–não escreve dois comentarias sem “hatear” o Novak em ao menos um) começam a colocá-lo no meio. Queria ver se seriam machos de falar isso cara a cara para os dois rapazes…

      Responder
      1. Rafael

        Jeremias, meu caro:

        Eu também queria ver.

        Grande abraço, mesmo diminuindo quase a zero minha presença, sempre aprecio seus comentários – e o caráter que vc demonstra por trás deles.

        Responder
  25. jeremias

    Vou fazer um grande elogio ao Federer. É muito massa ver uma figura de proa como ele afirmando que “adora ver tênis” e que só não o faz mais porque não tem tanto tempo pois precisa descansar, em nome do profissionalismo. Ele disse isso em matéria publicada aqui pelo blog do Dalcim sobre a partida Nadal x Fognini. Hoje, especialmente no futebol, temos de ser surpreendidos com um nível cada vez mais tedioso de estrelismo e, consequentemente, de um senso de “diferenciação” lamentavelmente estereotipado. Ou seja, a vida do cara é o futebol, mas ele acha muito “chique” dizer com a carinha mais enfadonha e abusada do mundo que “não gosta de futebol”, e “não assiste a jogos de futebol”. Ridículo. Quase todos os jogadores de futebol são assim: um pé no saco!!. Mas no tênis também encontramos dessa espécime, tal qual o “bad boy ” de araque, fofoqueiro da vida alheia, N. Kyrgios.( Isso mesmo, agora os “bad boy” agem como Dona Fifi, a fofoqueira do bairro, e são chamados de “bad boys” por serem futriqueiros!!!. Carambolas!). Djokovic também demonstra amplo conhecimento sobre o tênis, seus fatos significantes, os grandes jogadores, e todas as partes concernentes ao seu metiê .( Há até um mini-documentário onde ele conta a história, se não me engano, de uma das primeiras quadras de saibro da Europa, construída numa pequena cidade do seu país. É bem legal.) Quem me parece meio alienado do seu universo é o Nadal… Bom, mas parabéns ao cracasso Roger Federer por não ter vergonha de admitir que, ora essa, gosta de tênis.

    Responder
    1. Cassio

      Jeremias, endosso tuas palavras. Muito pertinente a analogia com os boleiros brasileiros e suas patéticas entrevistas. Mas o que mais me chamou atenção foi a analise dos três grandes nomes e do `bad boy de araque` nesse quesito. Federer e Nole exemplares, Nadal mais ou menos, e Kyrgios uma piada.

      Responder
  26. Marquinhos

    Se vcs pegarem os números da partida(pontos vencidos com o saque, winners e ENF) verão que o duelo foi bem equilibrado, com Roger tendo aproveitado melhor os momentos importantes.

    E podem se preparar, pois contra Isner é bem provavel que Roger perca set sim. Eu prefiriria Murray ou Berdych do que Isner no momento, pois os dois tem sido mamão para o mestre. John tem na minha opinião o mais pesado inside -out do circuito, que vai de encontro com o backhand de Roger. Jogo dificílimo para o MAIOR E MELHOR TENISTA DA HISTÓRIA.

    Meu deus, poderá ser decidido no QUINTO set………………

    Responder
    1. alexpicelli

      grande marquinhos, acredito eu que isner vais er quebrado pelo federer ao menos uma vez, ele esta invicto no usopen ne……
      acho que federer vence e em 3 set’s…

      Responder
    2. Cassio

      Tambem considero o Isner um perigo real para o Mestre. Se jogar no nível da ultima partida, o que não acredito/torço, pode ficar pelo caminho.

      Porem, discordo da analise quanto a suposta facilidade diante do Murray. Pra mim o britânico esta jogando o melhor tênis da vida, mental e fisico muito elevados. O histórico recente de vitorias do suíço conta, mas não eh suficiente para desequilibrar tanto assim a disputa. Caso venha a ocorrer, o que ainda esta bem distante, daria no máximo 60% de favoritismo, e a depender do desgaste fisico ate la.

      Na verdade, embora o suíço esteja invicto em sets este ano, eles jogaram apenas 2 vezes: Wimbledon e Cinci. Na grama Federer fez, senão a melhor, uma das 3 melhores partidas de 2015. No Masters, outra grande partida do suíço, mas não se pode esquecer que esse jogo contou com `novos golpes`, quadra bem mais rápida, e ainda assim, foi decidido nos detalhes. A propósito, nesse torneio o Murray exigiu mais dele do que o próprio Djoko.

      Por fim, ate Montreal o Murray havia perdido 8 seguidas pro Nole. Por isso, devagar com o andor, que o santo e de barro.

      Responder
  27. Samuel Gomes

    Bellucci perdeu como era esperado, mas acredito que nesse ano o brasileiro está tendo uma consistência não vista em anos anteriores. Dalcim, considerando a confiança natural adquirida pelo dos bons resultados, piso favorável, motivação da torcida e dupla sempre forte, você não acha que o Brasil tem boas chances contra os croatas na Copa Davis?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que vai ser apertado, Samuel. Com a fase irregular e o ranking inferior do Feijão, precisamos muito de duas vitórias de Bellucci e da dupla. Claro que temos boa chance, até porque quanto mais longe o Cilic for no US Open melhor. Porém, o jogo entre Bellucci e Coric pode ser bem perigoso. Minha ideia é que vai ser 3 a 2 para nós.

      Responder
  28. Marco Dias

    Como o Dalcim escreveu acima, se Stan não elevar o nível não vai passar pelo americano. Fico doido quando ele joga desinteressado (o que ocorre frequentemente), em Slams ele tinha parado com isso, mas neste US Open voltou com essa.

    Responder
  29. Sergio Cipriani

    84% é um número interessante esse do suíço após os 30 anos. Se considerarmos que o percentual de toda a sua carreira é de 81%, isso significa que até os 30, considerado auge do suíço, seu percentual era muito inferior ao de agora, mas vencia 3 Slams por ano… Daí fica a pergunta, se ele vence mais partidas hoje em dia, por que está há 3 anos sem vencer Slam? Por que nos últimos 5,5 anos só venceu 1 único Major? E nem dá pra falar que é só por causa de Nadal e Djokovic, porque vimos derrotas para Wawrinka, Seppi, Cilic, Gulbis, Robredo, Stakhovsky, Tsonga (2x), Murray, Berdych (2x) e Soderling. Interessante notar que de suas últimas 22 participações em Majors, ele foi eliminado em 21 delas, sendo 12 dessas 21 para tenistas não-Nadal e não-Djokovic. 12 derrotas, sendo para 10 caras diferentes. E o pessoal reclama de variedade… rsrs Também chamo a atenção para duas eliminações em Grand Slam para Tomás Berdych, o dito “amarelão” pelos torcedores de Roger… Circuito encardido esse! rs

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      De onde você tirou essa estatística parceiro ?Apos os 30 ( 08/08/2011) , foram 12 participações em SLAM e uma Olímpica. TRES FINAIS de SLAM e UMA Olímpica ( Novak perdeu o Bronze para Del Potro). Venceu WIMBLEDON 2012. Que historia e’ essa de 21 eliminações. SEIS anos mais novo, Novak foi a 10 FINAILS e foi VICE em CINCO. Perdeu chances, que o Craque Suíço nao perdeu em sua geração e no seu Auge. Se liga, parceiro. E’ o móis Velho N 2 da Era Profissional. Aguardemos Rafa Nadal e Novak nesta idade. Abs!

      Responder
    2. José Eduardo Pessanha

      Amigo, sei que és novato no Blog, então vou explicar Todos os tenistas, quando começam a carreira, perdem jogos a torto e a direito. Isso impacta o percentual de vitórias de cada um deles. Federer tem um percentual de vitórias de 82% por que perdeu muito no início de carreira. Agora compare essas estatísticas com as dos anos dourados do Craque. Nas temporadas de 2004 a 2006, Federer teve um aproveitamento de 94,2% (247 vitórias e 15 derrotas). Isso enfrentando oponentes tecnicamente bem superiores aos de hoje e disputando as finais dos Masters em melhor de 5 sets. Abs.

      Responder
      1. Sergio Cipriani

        Novo no blog, porém não de tênis e de vida. Acredito que deva ter quase o dobro da sua idade, jovem. O que quis ressaltar é que com todo o auge do suíço, em nenhum momento ele teve um percentual de vitórias maior do que o de Rafael Nadal, que sempre teve um percentual elevado desde o início de sua carreira; e que Roger também foi ultrapassado por Novak Djokovic, este sim com 82%. Federer na verdade possui 81,65% e nunca chegou aos 82%, patamar em que Nole está agora, e que por quase toda a carreira Rafa sempre esteve acima.

        Responder
        1. Cassio

          Com relação ao Nole, OK. Este tenista apresenta números espetaculares considerando os torneios que usualmente disputa, facilmente comparáveis aos de Federer. Alem disso, um grande exemplo dentro e fora das quadras.

          Agora, comparar tais números – dos dois acima – com os do Nadal, de modo puramente absoluto, eh pura distorcao. Estatistica e realisticamente falando, eh claro.

          O espanhol, nos anos em que esteve `lesionado` ou algo do tipo, simplesmente desapareceu por meses do circuito ou jogou challengers de luxo em sequencia no saibro. Jogar prejudicado, de verdade, nunca foi a praia dele, ao contrario dos outros dois monstros que jogam slams em sequencia ano apos ano, sobretudo o Mestre. Nos ultimos anos, por sinal, a presença do Miura nas quadras duras tem rareado substancialmente, ao contrario das aparições no barro. Nada contra, mas todos sabem que esse eh o piso dele, como diz o Logico, a laje.

          Quanto aos numeros do Fedex apos os 30, arrisco os seguintes fatores: i) talento bem acima da media, que confere maior naturalidade aos golpes, reduzindo as lesões, ii) maior experiencia e apuro tatico, fazendo com que perca menos jogos bobos, como em outros tempos, iii) vontade de sempre evoluir, iv) amor genuíno ao trabalho. Por ora, era isso…

          Abracos

          Responder
    3. Marcelo-Jacacity

      Cipriani, não faz isso! rs…
      Você não entendeu que só é permitido elogios ao suíço! Caso contrário, a fúria é despertada.
      Não há diálogo, apenas endeusamento cego.
      Só dizem que Nadal perdeu para tenistas mal rankeados. E Federer não?
      ..

      Responder
  30. Srt.ª Alice

    PEGANDO PESADO, MAIS MUITO PESADO!

    “My Dirty Discourse”

    SIM! Todo surdo, todo cego, todo amputado , todo ser feio, gordo, velho, deficiente, até mesmo aqueles com probleminhas de saúde como hipertensão e diabete, AH não poupem nem os intolerantes ao glúten! SIM, todos esses devem ser exonerados de seus cargos a partir de hoje, ou melhor, estes seres imperfeitos devem serem eliminados da face da terra! YEAH, isso em prol do bonito, do natural, do plástico, perfeito e ideal padrão do que seria um ser humano “normal”! Cumprindo esse requisito de mera opinião, porque não dizer “lei”, “Ordem de Deus”, afinal a voz do povo não é a voz dele?. EXATO, para o bem da humanidade todos os humanos ‘limitados’ devem serem aprisionados nos buracos negros da galáxia, isso em todos os tempos…!

    Me desculpem, mas é um desabafo ao ter que ler comentários dizendo que as derrotas ou a aposentadoria do Nadal seria um “bem” para o tênis, que esses comentarias em seu ápice intelectual chamam de tênis ofensivo, belo, plástico, alguns arriscam até dizer ‘perfeito’! ¬¬’

    Responder
    1. O LÓGICO

      Olha a Senhorita Nadalzete, fake da hora, empedernida com a verdade que dói kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Não é só o tênis do R-Afina que é feio, truculento, sem sal, mas a conduta esportiva desse
      rapaz dá calafrios no JOSHUA dos jogos mortais kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk É tão escancarada sua falta de ética ao perder que ele somatiza no beiço kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk É tudo muito sofrível e antinatural na postura física dele: quando ele perdeu para o vassalo espanhol em cinci e foi à rede “cumprimentar” o adversário, o lábio superior quase grudou no olho direito kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      Vendo qualquer jogo dele, com raríssimas exceções, vê-se claramente que é de uma limitação ímpar: ou é o balão na esquerda do adversário, ou é o ganchão enroscado para abrir ângulo e aplicar o golpe na paralela. O resto é só devolução de bolas, slice (que ele demorou anos para aprender) na paralela e sem efeito nocivo algum. Hoje, seus pífios golpes não fazem efeito nem mesmo em um tenista com AVC kkkkkkkkkkkkk e o iludido tenista fica igual a uma barata tonta em quadra. AINDA BEM QUE TÁ PASSOU KK

      Responder
      1. Srt.ª Alice

        Lógico, onde você costuma deixar seu umbigo pra falar dos outros? rsrs – Mas hein, tudo é tão fácil não é? Você só esqueceu que por trás de todo um trabalho, não importando qual for ele é preciso de esforço para faze-lo. AH esqueci pra você tudo deve ser muito fácil, facílimo…talvez o seu caso transpareça a realidade de seus colegas, pobres mortais como eu. Você não, nunca foi limitado em algo, quer dizer perfeição para você é pouco, você é super-ultra-mega ‘supremo’, tão avançado é o seu ‘discurso’! Seu modo de extravasar seus sentimentos deve choca-lo um pouco, não duvido que possa estar saindo um sorrisinho na ponta da sua boca agora. Eu lhe entendo Lógico e lhe acho divertido, fico a pensar se você sonha muito com o Nadal:P – Agora pode descer o play, seu modo “agora eu vou fazer um estrago” HAHA….Bom Domingo 😉

        Só não esquece de desliga-lo, vai que você sofre um curto-circuito…já pensou 😛

        Responder
    2. Rafael

      Alice,

      Obrigado pelas palavras em outro comentário seu sobre meu depoimento pessoal.

      Com relação a esse, só discordo em relação à voz do “povo”. Acho que se resume a algumas dezenas de infelizes, porém “ixpertos”, q manipulam o pensamento de gente menos informada p impor a sua.

      Exagerando à milésima potência, sabe quem tinha um discurso parecido de intolerância com as diferenças, travestido na “crença” (preconceito) sobre uma suposta raça superior? Um ser que, ao contrário do que muitos pensam, não foi um expoente de genialidade. É, ele mesmo. Hitler.

      Responder
  31. Srt.ª Alice

    #CoisasQueEuQueroComentar: (u.u)

    *Achei maravilhoso o Rafael (aquele da ‘setinha’) comentar sobre sua vida pessoal, refiro-me ao seu comentário sobre a crise de pânico que passou e tenta superar. Muito interessante de ler essas coisas, deixa o blog mais íntimo, sociável, amigável, apesar de não ser um chat. 🙂

    *Querido Aurélio, já até dei um sorriso sem querer (rsrs).. toda vez que eu verifiquei os resultados da rodada e lá constava que o Janowicz perdeu, eu me intrigava, dava um belo sorriso e sentia um ‘desapontamento’ me lembrando de você. Aliás, todas as vezes que constar…eu terei essas mesmas reações em memória aos seus comentários..haha!

    *Ler os comentários da Sônia aqui, me levam ao #relaX, apesar dos apesares uahsuahsuahsu 😛

    Responder
    1. Ivan

      Carlos,
      teriam de agendar os GS para no mínimo 3 semanas. Melhor que fique como está. O maior problema mesmo seria a alta frequência de lesões nas cordas vocais. Além do mais, a qualidade sempre deveria prevalecer em relação à quantidade, em qualquer circunstância.
      Abs!

      Responder
  32. José Eduardo Pessanha

    É, mestre Dalcim. Muito em breve veremos Kevin Anderson/Richard Gasquet/John Isner beliscando as últimas vagas no top 10. A tendência é que dois jogadores, desses 3, completem o top 10 ao término de 2015. Tsonga, se conseguir avançar bastante nessa chave do US Open, também entrará nessa disputa. Abs.

    Responder
  33. Chetnik

    Achei o Federer bem meia boca, principalmente no saque. O Kohlschereiber oscilou demais. Pena que não conseguiu arrancar um set.

    PS: Lembro quando o Davidenko, acho que pelos idos de 2008, reclamou que o Federer tinha “muita sorte” rs. Afirmação típica de quem é frustrado por surra atrás de surra. Mas esses últimos jogos do Federer me lembraram dessa frase, nenhuma de suas bolas que tocam na fita param na sua quadra rs.

    Murray passou por cima do Bellucci, diferença de classe e técnica é gigantesca. Aliás, quem tem um jogo de rede pior, o Bellucci ou o Nishikori? Fica a pergunta.

    Mas voltando ao Murray, quando quer, joga demais. Pena que, por muitas vezes, resolve ficar passando bolinha.

    Responder
    1. Chetnik

      “PS” ficou no meio do texto rs.

      Para não perder o post…essa estatística de 14 pontos perdidos com o primeiro saque é impressionante. Eu acho ele o melhor sacador do circuito.

      Federer costuma se impor sobre esses sacadores, mas é jogo com potencial para um 4a set pelo menos.

      Responder
    2. Rafael Wuthrich

      Achei Federer correto. Não deu show, deu uma pequena vacilada, mas não perdeu a compostura nem.o controle do jogo. Kohlshrieber e um bom tenista, mas foi bom perder o saque para fixar mais atento. Contra Isner será essencial.

      Responder
  34. Luis

    Dalcim nao teremos mais o esperado Djokovic x Nadal mas parece que tera Federer x Murray que e’ sempre bom pra azar do britanico Federer costuma estar assombroso contra ele,legal ver Federer a vontade com esse novo jeito,Dalcim todos os tenistas gostam jogar a noite no US open,sera que e’ possivel ter final a noite? ( acho que e’ tarde sempre)

    Responder
  35. Fernando C.

    Dalcim.

    Depois dessa primeira semana você arrisca quem? Claro que é só exercício de futurologia porque aí vem um Cilic e estraga tudo (rs), mas na sequência quem você põe como favorito entre Djoko, Fed.e Murray?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que Djokovic está com um pé na final. Entre Federer e Murray, jogando à tarde, quando o piso fica mais veloz, acho que Federer teria pequena vantagem.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *