Rumo a Wimbledon
Por José Nilton Dalcim
21 de junho de 2015 às 18:48

Não se pode dizer que os títulos de Roger Federer em Halle ou de Andy Murray em Queen’s tenham efeito decisivo sobre a futura campanha de ambos em Wimbledon que se aproxima. Mas, ao mesmo tempo, é certo que os dois provaram que estão novamente bem adaptados ao piso mais difícil do circuito atual. Com largo histórico no All England Club, fixam-se assim com dois dos três grandes favoritos ao título, ao lado do sérvio Novak Djokovic. Este sim uma incógnita bem maior.

Federer não teve vida fácil em Halle, mesmo não encontrando pelo caminho qualquer top 20. Se não foram atuações perfeitas e brilhantes, deram o nível de dificuldade que pode valer como ótimo treino técnico e grande valia para a confiança. Philipp Kohlschreiber, Ivo Karlovic e até mesmo Andreas Seppi colocaram várias vezes o número 2 do mundo contra a parede, mas Roger escapou quase sempre com seu saque afiado, algo essencial na grama. Aliás, Federer ganhou todos os seis tiebreaks que disputou, misto de consistência, ofensividade e cabeça firme.

Murray chegou ao tetra em Queen’s também sem cruzar com um único cabeça de chave, mas o torneio londrino estava bem mais forte. Na final, precisou derrotar Kevin Anderson, 17º do ranking, sem falar nos dois canhotos que teve nas rodadas inicias, Fernando Verdasco e Gilles Muller, e a semi contra Viktor Troicki, vindo da final de Stuttgart. É relevante lembrar que Murray foi até a penúltima rodada de Roland Garros, de fato jogou até o sábado, quando encerrou sua incrível temporada sobre o saibro. E, mesmo tendo nascido na grama, a troca sempre será mais dramática.

Enquanto isso, Djokovic treina, treina. Não disputará novamente qualquer aquecimento para Wimbledon e vai ser o primeiro a estrear, porque assim determina a tradição do torneio. Ou seja, até a próxima segunda-feira, não teremos o menor indício de como anda Djokovic. Menos na parte técnica, claro, porque seus títulos no Club falam por si e pouco provável surgir algum elemento inovador, mas sim na questão emocional.

Com Nole e Roger obrigatoriamente em lados opostos da chave, caberá ao sorteio da sexta-feira dizer onde ficará Murray. Esse parece ser um componente essencial, ainda que Stan Wawrinka tenha reconhecido potencial e Rafa Nadal, currículo suficiente para nunca ser descartado. O escocês, me parece, tem de ser o adversário mais importante a ser evitado para quem quer ter maiores chances de chegar à final de Wimbledon.

De minha parte, quebrei o protocolo e decide acompanhar o Grand Slam britânico de perto desta vez. Estarei escrevendo diretamente de Londres a partir de quinta-feira, já à espera do sorteio. Mas até lá, fico atento a qualquer assunto importante que apareça.


Comentários
  1. Carlos Lira

    Seria está primeira rodada a grande chance de Thomaz contra Nadal? Sabemos que o brasileiro teve a contusão que afetou o saque. Espero que esteja recuperado, pois precisará do saque para bater Nadal na Inglaterra.

    Responder
  2. Sergio Ribeiro

    Nadal e Andy Murray novamente do lado de Federer e’ um bom prenuncio. O Suíço caso chegue a Final , acabara’ de uma vez por todas com velhas ” Teorias” . Enquanto isso , aparentemente Novak ira’ navegar em marolinhas. Sempre afirmo que na Grama Sagrada o buraco e’ mais em baixo. A conferir. Abs!

    Responder
  3. Maurício Luís

    Nadal, na sua simulada tranquilidade, só engana a si mesmo. Só os mais fanáticos acreditam num milagre em Wimbledon. Não existe mais Big Four. E Murray, o “patinho feio”, taí, terceirão do mundo, jogando em casa e um dos favoritos. Teoricamente o Nadal teria que se reinventar, mas na prática, é bem difícil de fazer certas mudanças. Quem sabe se ele nascer de novo…

    Responder
  4. Ricardo Costa

    Penso que, neste momento, não há ninguém além de Djokovic, Fereder e Murray como favorito ao título em Wimbledon. Wawrinka mostrou-se sem adaptação à grama após perder para Kevin Anderson na segunda rodada de Queen’s, enquanto que Nishikori é uma incógnita, após sua desistência por lesão na semi de Halle. Nadal é carta fora do baralho pela sua fase atual (só um milagre o faria campeão na grama neste momento). Para os demais, somente uma surpresa “à la Marin Cilic”, o que seria pouco provável neste piso tão peculiar. Resta, então, esperar a divulgação da chave, com a definição de que lado Murray cairá, para termos mais chances de prever quem conquistará o mais esperado Grand Slam do ano.
    Good trip for you, Dalcim!

    Responder
  5. Fernando Brack

    Djoko venceu Gasquet em partida do ‘The Boodles’ e ganhou um tempinho de jogo sobre
    a grama, no belíssimo Stoke Park, mas, convenhamos, esse evento não é mais que uma
    encenação teatral para os espectadores e um evidente caça-níquel para os jogadores.
    Em clima descontraído, completamente oposto de qualquer torneio normal, Djoko estava
    em seu elemento e se divertiu um bocado. Amanhã ele joga contra Alex Zverev, mas já se
    disse pronto para o Slam britânico. Um tempo com a família já zerou sua cabeça da dura
    derrota em RG. Estarei firme na torcida por uma final Djoko x Federer.

    Responder
  6. Rafael Wuthrich

    Dalcim, esqueci de lhe desejar uma ótima viagem e bom torneio para você aí in loco.

    Aproveitando, queria que você debatesse conosco rapidamente a crise pela qual passa o tênis espanhol. O presidente da Federação foi afastado, Gala León soltou farpas contra os jogadores, em especial Nadal, ao que Toni Nadal retrucou forte pela imprensa. Todos os top 100, sem exceção, são contra a ex-jogadora, acham que não foram ouvidos (segundo li, queriam que Moya permanecesse, mas diante da negativa dele, queriam Ferrero), e tenho lido em vários lugares que há enorme chance de boicote, o que poderia rebaixar a Espanha para o Zonal Europeu da segunda divisão (atualmente está no playoff do Grupo i) – a adversária é a Rússia.

    Alguma notícia a respeito do boicote ou é apenas boato?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Não tenho muita informação diferente. Claro que existe uma enorme pressão de bastidores para mudar tudo por lá, onde a federação costuma trocar os pés pelas mãos. Acho boicote uma atitude bem possível, ainda mais porque tem muita gente lá que não anda animada a jogar a Davis.

      Responder
  7. Fonseca

    Vocês veêm esse negócio de jogar semanas seguidas… O Trociki fez final dem Stuttgart, semi em Queens, e depois primeira rodada em Nottingham…. O Seepi fez final em Haller, e depois primeira rodada em Nottingham..

    Vejam a diferença disso para o que o Djokovic ou o Federer fazem… (claro, eles podem até fazer isso porque em geral sabem que até com câimbra chegam pelo menos nas quartas de final nos torneios grandes…)

    Responder
  8. Leonardo

    Grande Dalcim, você poderia me informar, qual é o horário em que vão acontecer os sorteios das chaves de simples em Wimbledon?
    Abs, boa viagem e curta demais o torneio mais charmoso e elegante de todos!

    Responder
  9. Altaisio dos Santos Paim

    Bom dia!
    Dalcim, qual final de Wimbledon mais encantou vc, aquele jogo inesquecível? Lembra-se?
    Boa viagem!
    Abraços..

    Responder
        1. José Nilton Dalcim

          E que tem sido votada como a melhor final de Wimbledon de todos os tempos? Então tem muita gente importante que não entende muito de tênis…

          Responder
        2. Eduardo Martins

          Corrigindo: Djokovic venceu Federer com mononucleose na semifinal do AO 08 e ganhou seu primeiro título de Grand Slam encima do Tsonga. Em WB 08, o Federer já estava curado, mas sempre há controvérsias. rs (kkk)

          Responder
      1. Fernando Brack

        Sem dúvida, essas duas, por tudo que representaram, além de terem sido por si só
        tremendas batalhas. Das grandes rivalidades entre os contendores às façanhas em
        jogo: uma realizada (o penta consecutivo de Borg) e a outra não (o hexa de Federer).

        Responder
  10. Alice

    Dalcim e o que foi a ‘retirada’ da Bouchard do jogo por dores no abdome o.O – Eu assisto o jogo inteiro e me pareceu que ela estava normal, inteira…talvez ela não quisesse passar outro vexame, levar um pneu. Mas hein Dalcim, jogando desse jeito que ela vem jogando, você acha que ela tem ‘nível’ para se manter em que top? 20, 30, 40, 50…

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Incrível o buraco que ela se encontra. Vai precisar reagir nas quadras duras do segundo semestre, que são sua especialidade

      Responder
    2. Fernando Brack

      A Bouchard caiu do pedestal de cara no chão. Não tenho certeza, mas parece que a
      má fase começou depois daquela atitude de grande deselegância na apresentação
      das equipes do Canadá e Romênia pela Fed Cup. WB pode lhe causar uma queda
      de vários andares no ranking. A menina vai ter que trabalhar duro para se recuperar.

      Responder
      1. Rafael Wuthrich

        Brack, a fase vinha de antes, a atitude foi um resultado dela. Des o fim do ano passado que ela não fez mais nada de relevante.

        Responder
  11. Carlos Henrique

    Acho que o maior favorito a WB esse ano é o Murray, mesmo sendo torcedor do sérvio.
    Se o mesmo afirma que está jogando mais que em 2013, quem sou eu pra discordar. Ainda mais chegando cheio de confiança por ter feito uma temporada espetacular no saibro, conquistando em semanas seguidas seu primeiro título na superfície e o M 1000 de Madri.
    Só um chaveamento pegando Nole nas semi e vencendo uma batalha longa em 5 sets, o impedirá de levantar aquele lindo troféu.
    Chegando inteiro a final não terá conversa, mesmo reconhecendo que seu mental é mais instável do que seus “irmãos” de “big 4”. Sua exibição em Queens mostrou como seu jogo esta afiado na grama, inclusive o saque não o está deixando na mão como no período pós cirurgia.

    Responder
  12. Renato Vieira

    Com os quatro principais cabeças de chave atuais jogando em altíssimo nível, a possibilidade de termos semi-finais espetaculares é imensa. Independente da combinação que for: Djoko X Murray, Djoko X Stan ou Roger X Murray ou Roger X Stan. Claro que não há qualquer garantia de isso acontecer, mas sabemos que as chances são boas.

    Eu realmente gostaria que Nadal estivesse em 5º ou 6º lugar, para ter mais chances de chegar a eventuais quartas e ter jogos mais legais de ver. Independente disso, ele dependerá absurdamente do sorteio, pois como alguém falou, se pegar um sacador muito bom, pode se estrepar logo cedo. O problema é que tem uma porrada de sacador bom no TOP 80 hoje em dia. Vamos ver o que vai dar.

    Estive pensando que StanAnimal agora tem o mesmo número de títulos de Majors que o Murray. Obviamente que ele só tem 1 M1000 e não tem mais finais de Slam, mas me pergunto se não teríamos um BIG5 hoje se Stan tivesse tido melhor preparo físico e mental quando tinha seus 22 a 26 anos. Ele esteve no segundo pelotão do tênis por um bom tempo, acompanhado de Berdych, Ferrer, Del Potro e Tsonga, e destes todos, na minha opinião, é o que joga melhor. Tem mais qualidade. Mas obviamente que não tinha metade da consistência dos demais.

    Ainda nessa parte, seria interessante se Stan ganhasse Wimbledon e escrevesse mais uma vez seu nome na história como um dos poucos que venceram em Paris e Londres consecutivamente. Não apenas isso, teria já um título de GS a mais que Murray. A polêmica sobre o BIG4 seria reacesa, embora inutilmente, ao meu ver.

    Fisicamente, Stan não aparenta ter a idade que tem, e se permanecer com essa mentalidade forte e consistência, vai ser um medo enorme para quem o encontrar, pelo menos até o final dessa temporada.

    Responder
    1. Marco Dias

      Concordo!

      Basta ver que nos 2 Slams do ano tivemos Djoko, Murray e Stan nas semis e Federer tem em Wimbledon a sua especialidade.

      Quanto a um BIG5 também vejo desta maneira. Engraçado Wawrinka ter despertado tão tardiamente… ficaremos sempre imaginando se ele poderia fazer parte deste grupo histórico, visto seu reconhecido talento.

      Que o pessoal passou a respeitá-lo mais, isto é um fato… Se ainda não tem o status do BIG4, com certeza está num grupo único (acima do 2º pelotão) de adversários que é melhor evitar.

      Responder
    2. Willian Lopes

      Tem toda a razão Renato, realmente díficil de entender esse despertar tão demorado do Wawrinka mesmo com todo o seu tremendo nível de jogo…

      Responder
  13. Edu

    Dalcim, você saberia informar de onde veio a “cultura saibrista” do tênis sul-americano? De onde veio a influência para que quase todos os jogadores do continente sejam especialistas no piso?
    Abs e “enjoy the Wimbledon grass”!

    Responder
      1. Henry

        Dalcim, mas mesmo com essa dificuldade em ter quadras de grama, por qual razão as escolas não adotam algumas quadras de cimento ou algo assim? Das poucas escolas e clubes que visitei, o saibro era quase 100% presente.

        Responder
  14. Bruno Costa

    Dalcim, achei que a grama favorecia um jogo agressivo como o da Bia Haddad Maia, então fiquei surpreso com o desempenho muito ruim dela na grama ( só ganhou um jogo e, na maioria deles, sequer conseguiu chegar a 3 games). A que se deve seus resultados ruins na grama? Má fase? Ou falta de adaptação ao piso?

    Responder
  15. Alice

    E a fase da Bouchard….(virando os olhos), está horrível, mas temos que considerar que é bem normal as tenistas alcançarem grandes coisas e caírem de ritmo depois, quero ver o ranking dela depois de Wimbledon. Amanhã ela (Bouchard – 21 anos – N12) joga contra a Bencic (18 anos – N31), um ingrediente especial…é inédito no circuito, ou seja, nunca se enfrentaram antes. Talvez eu assista, se passarem no Streaming do site de jogos de tênis ao vivo que eu assisto…

    Responder
  16. Fonseca

    Caramba, esse “duzentos cinquentinha” de Nottingham “se acha”! Chave de 48, para terminar sábado! (mesmo começando domingo). Deve ser bem tradicional.

    Responder
    1. implicante

      Certamente foi a derrota mais dolorosa da carreira , pois venceu o nadal, até então único obstáculo e daí chegou na final e tomou um vareio do inesperado finalista Wawrinka. Vamos ver como ele reage na perigosa primeira semana de WB

      Responder
      1. Carlos Henrique

        Não acho que tenha sido a pior de Nole. Até achei que ele ao final pareceu resignado, pois o Stan fez uma final irrepreensível a partir do segundo set. As derrotas anteriores pro Nadal em RG machucaram mais o sérvio.

        Responder
    2. Fernando Brack

      Maristela, eu acho que a derrota em RG deve ter lhe doído muito, muito
      mesmo. Por outro lado, acho que ele não a levará para WB. Djoko joga
      bem na grama, é o principal favorito e ele sabe administrar isso bem.

      Responder
  17. Luiz Fernando

    Finalmente Becker disse algo q não possa ser classificado como impropriedade: http://esporte.uol.com.br/tenis/ultimas-noticias/2015/06/23/tenis-vai-cair-em-popularidade-quando-federer-e-nadal-pararem-diz-becker.htm. Apesar de não ser torcedor do Nole, sempre o admirei, mas de fato em matéria de carisma e atração ele ainda está bem distante dos outros 2. O tenis sempre foi marcado por grandes rivalidades, mas não creio q nenhuma se comparou a essa, talvez pq as fases espetaculares de ambos coincidiram com o momento da explosão das transmissões ao vivo, cativando o público.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Vai ficar muito chato quando aqueles dois aposentarem. Todo mundo começa a acompanhar um grande torneio na expectativa de vê-los se enfrentando, ou um deles enfrentando o Djoko.

      Aquela final de Dubai , por exemplo, se tivesse sido entre Murray x Djokovic, não chegaria nem perto de despertar o mesmo interesse…

      Responder
      1. Leo Cabral

        Não é para completar,dalcim.Eu acredito que o tênis seja um reflexo totalmente diferente da sociedade em que vivemos.As regras se fazem,valer.Algo bem diferente do nosso cotidiano,onde a impunidade impera.
        Mas,não só isso,é um esporte que se você não tiver boas condições financeiras(ou patrocinio) ou alguém conhecido que possa ajudar,você não entra nele.De certa forma,é muito fechado.
        Uma bola de futebol,você encontra em qualquer estabelecimento no nosso país.O preço também é interessante.
        Mas e uma raquete?Quem tem condições de pagar 200 reais em uma raquete no nosso país?Com essa crise que vivemos,pior ainda.
        E achar um lugar para praticar o esporte?Muitas vezes apenas em clubes esportivos,aonde ainda tem que se pagar para praticar.Como pessoas com condições financeiras razoaveis,vão praticar o esporte?
        E acredito,me corrija se eu estiver errado,mas isso não é apenas no nosso país.
        Nadal e Federer naturalmente tinham mais acesso ao esporte,e tambem tiveram o apoio ideal quando precisaram.Mas e antes de entrarem no esporte?Quando eram crianças?
        Nadal sempre teve o seu tio que o apoiou,além de conseguir ter o equipamento ideal em mãos para poder se aperfeiçoar.Equipamento,custeado pela sua familia,acredito eu.
        Federer a mesma situação,sempre pessoas proximas lhe apoiando para seguir no esporte desde criança.
        As federações suiça e espanhola tiveram alguma participação nisso?
        Não e também,para se manter em torneios.Pagar hotel,tudo o que envolve.Certa vez ouvi Nadal declarar que mais novo,ele gastava muito para participar de um torneio.Ou seja,a sua familia arcava com todos os custos.
        Você acha que uma criança pobre na Espanha,tem condições de jogar tenis atualmente?E quando essa criança pobre precisar arcar com os custos da vida de um tenista?
        Enfim,seja o país que for,você precisa de dinheiro para começar e seguir no esporte.
        Diferente do futebol,que é muito mais acessivel,seja o lugar que for,em qualquer canto do mundo.
        Abraços,Dalcim.
        E desculpe o longo texto.rsrsrsrs

        Responder
        1. Murilo Rodrigues

          Acredito que tudo seja fruto da forte cultura do futebol, em que 99% dos programas de debates falam sobre isso. Também aqui tem a cultura do “só o vencedor importa, ser segundo é ser o primeiro perdedor”, por isso, fica-se à espera do surgimento de um Guga, Piquet, Senna, Medina, que faça o interesse aumentar para outras modalidades, “turbinado” por uma mídia interessada apenas no bom momento proporcionado pelo protagonista, desinteressando-se assim que o mesmo desapareça ou caia de produção. Ao menos, nos últimos anos, tem crescido o interesse por outros esportes graças às TVs por assinatura mas, mesmo assim, fica a “anos-luz” do esporte N. 1 do país. Tenho uma ressalva em seu comentário:
          “Uma bola de futebol,você encontra em qualquer estabelecimento no nosso país.O preço também é interessante.Mas e uma raquete?Quem tem condições de pagar 200 reais em uma raquete no nosso país? Com essa crise que vivemos,pior ainda”. Isso é infundado, já que muitos brasileiros trocam de smartphones caríssimos (de 500 reais para cima) como se trocasse de roupa íntima, na verdade, é falta de interesse da população, patrocinadores, mídia e federações, ou seja, é um problema cultural.

          Responder
          1. Leo Cabral

            Murilo,veja o que eu falei:

            ”Mas e uma raquete?Quem tem condições de pagar 200 reais em uma raquete no nosso país?Com essa crise que vivemos,pior ainda.
            E achar um lugar para praticar o esporte?Muitas vezes apenas em clubes esportivos,aonde ainda tem que se pagar para praticar.Como pessoas com condições FINANCEIRAS RAZOAVEIS,vão praticar o esporte?”

            Pessoas que gastam trocam de smartphone a toda hora,são uma exceção aqui.

        2. Saulo

          Desculpe Leo Cabral, mas você já deve ter lido a história de Novak Djokovic. Tudo indica que veio de uma família classe média baixa e o pai precisou fazer dívidas para dar uma chance ao filho já que foi alertado que havia talento. Sem contar a parte financeira da família e a falta de apoio da Federação de Tênis daquele país, acontecia uma guerra envolvendo a Sérvia durante sua infância e pré adolescência. Concordo com você que é um esporte caro e precisa de incentivo e, também, um ídolo, algum exemplo a ser seguido, como o Guga fez no final da década de 90 ou como Novak vem fazendo esses últimos anos com os jovens da Sérvia.

          Hoje Novak Djokovic vai jogar uma partida de aquecimento/treinamento na grama contra Richard Gasquet às 14:30 hs.- hora local (10:30 no Brasil). A partida poderá ser acompanhada ao vivo no site The Boodles – http://www.theboodles.com/ ou pelo canal Youtube. O Rafael Nadal também está por lá, se aquecendo…

          Dalcim eu sempre acompanho seu blog para ler as novidades, quero lhe parabenizar e agradecer pela oportunidade de nos trazer sempre conhecimento sobre esse esporte tão pouco prestigiado. Espero que faça um boa viagem e tenha um excelente Wimbledon. Abraços!

          Responder
    1. Fernando Brack

      Léo, o tênis é um reflexo do descaso de nossas autoridades esportivas com
      qualquer coisa que não seja futebol. Da sociedade ele não reflete nada, pois
      trata-se de um esporte altamente elitizado no país. É o que é por aqui porque,
      por menor que seja a popularidade, sempre haverá praticantes, adoradores,
      torcedores e curiosos em geral.

      Responder
  18. Renato Toniol

    Dalcim, lembro que alguns anos atrás, a academia Play Tênis, do Morumbi, possuía uma ou duas quadras de grama sintética. Você chegou a jogar naquela quadra? Será que há pelo menos alguma semelhança com uma quadra de grama natural?
    Abs.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Sim, joguei nelas e também nas sintéticas que havia no Med de Itaparica. É algo muito estranho, porque misturavam areia ao piso e ficava algo impossível de se jogar um tênis mediano. Imagine então dar aulas!

      Responder
  19. Fonseca

    Eita Dalcim! Um “moleque” de 17 anos chamado Taylor Harry Fritz foi convidado para a grama de Nottingham e de cara colocou 61 64 no Carreno Busta! Quem é esse cara?? Pesquise e nem título de Future tem..

    Responder
  20. LomeuLima

    Os favoritos para W:
    Djokovic – Murray – Wawrinka . Os outros serão coadjuvantes, inclusive Federer e o moribundo Nadal.
    Nadal venceu 1 torneio na grama (250) e Federer outro(500), porém em jogo de 5 Set’s e com jogadores gabaritados, a realidade será outra. Acredito na final entre o sérvio e o britânico, com vitória do número 1.

    Responder
    1. Artur

      Velho, como tem nego ignorante. Colocar Wawrinka na frente do Federer??????? Que mundo vc vive? Não conseguiu passar de um sacador em Londres. Te dou um carro 0 km se ele alcançar as quartas.

      Responder
    2. Renato Vieira

      Discordo.

      Em primeiro lugar porque dependeria obrigatoriamente de Djoko e Murray cair em lados distintos da chave, o que não é obrigação.
      Segundo que Murray está com a confiança muito maior do que o Djoko depois da derrota em RG. Murray vem jogando no nível (ou melhor) que jogava naquele 2012/2013 espetacular. Djoko aproximou sua técnica à de Murray, no que diz respeito a voleios e slices, e na grama isso será primordial. Mais do que nos anos anteriores.

      Veremos. Em uma eventual final entre os dois, eu apostaria (e torceria por) em Murray.

      Responder
  21. Julio Sc

    Boa cobertura, Dalcim!

    Mande um abraço para a Kate e a Pipa. Fale que estou com saudades haha

    Sua credencial permite entrar em todos os jogos? Como funciona a cobertura para o jornalista de uma empresa que não possui direitos de transmissão?

    Responder
      1. Julio Sc

        Sensacional! Abraços e boa cobertura.

        Torcer para uma terceira rodada do Bellucci nas simples – que já seria quase um milagre sem ser cabeça – e mais um título nas duplas ou do Melo ou do Soares tá mais do que bom, certo?

        Já Teliana, como a maioria dos brasileiros na grama, se ganhar um jogo já está de bom tamanho

        Responder
  22. Marcelo-Jacacity

    E quem será vai ganhar um grande título primeiro em 2015, obviamente falo de Masters, Slams:

    Federer ou Nadal? Essa é difícil…

    Mais fácil o Bellucci! É só que faltava…rs

    Responder
  23. Marcão

    O que mais me atrai na temporada de grama é o imponderável. Qualquer descuido e a vaca vai pro brejo (o touro que o diga!). É tempo dos pancadeiros ganharem seu pão. Karlovic, Anderson, Raonic, Isner, Kyrgios podem ser um perigo para os incautos. É tempo de tie-break, onde é proibido piscar. Mas é tempo também de improviso, da arte de domar gigantes. É tempo de big4. Duvido que o campeão não seja um dos quatro. Sim, quatro; porque um campeão, ainda que longe dos seus melhores dias, jamais se deve subestimar.

    Ao Dalcin, desejo boa viagem e, se possível, que nos transmita diariamente suas impressões sobre o visto e (principalmente) sobre o desconfiado.

    Responder
  24. Rafael Wuthrich

    Dalcim, acho mais fácil prever em que rodada de WB Rafa Nadal cai este ano do que o campeão…Federer e Murray estão no mesmo nível, e ninguém sabe como Novak administrará a derrota em RG. Quanto a Nadal, aposto em quartas, desde que conte com uma boa chave. Se pegar um sacador, periga cair na primeira semana.

    Responder
  25. Ulisses Gutierrez

    Dalcim,

    estava vendo no site de recordes da ATP (Wikipedia em inglês) que o Federer tem a melhor marca da história em porcentagem de vitórias em tiebrakes. Acho que deve ser pela precisão ou frieza na hora de decidir. Não tem medo de ir para bolas quando está com confiança.

    Sim, Dalcim tenha uma excelente viagem e um bom torneio!

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Percentualmente, é o líder mesmo. Acho que é fruto da frieza, mas também da agressividade. Difícil ganhar um tiebreak sendo defensivo. Abs!

      Responder
  26. Alice

    Gostei do que o “Henrique Vianna” sugeriu ao Dalcim.

    Se você pudesse escolher uma carreira, qual você preferiria?
    Marcelo rios: número 1. mas sem Grand slam
    Wawrinka: melhor posição 3º do ranking, mas com dois títulos de Grand slam ( em pisos diversos).

    Na minha opinião(seiquenãopediumassouentrometidamesmo) eu acho que quem ganha por exemplo dois Grand Slam faz ‘mais história’, também acho que mais de 65% escolheria ter a carreira do Wawrinka como o Dalcim, mas eu particularmente preferia ter tido a carreira do Rios e ter chegado ao topo do ranking mundial. Depois de velhinha poderia não ter dois tróféus de GS na sala, mas diria pra quem quisesse ouvir, toda orgulhosa de boca cheia que fui número 1 do mundo do tênis! u.u 😀 ..Conquistar um torneio seja ele qual for, nunca será tão difícil quanto manter uma constância durante um ano inteiro (52 semanas), ou seja, você não foi melhor do que seus concorrentes durante 15 dias, e sim você foi o melhor de todos no final de 365 dias…

    Responder
    1. André Pires

      Rios não foi número 1 ao final do ano. Em 1998 ele somou 6 semanas como número 1, mas foi o Sampras que virou o ano como líder do ranking.

      Responder
      1. Alice

        Bem que eu imaginava que alguém poderia não entender o que eu disse. Sim Rios não terminou como número 1 do mundo (isso eu sempre soube), porém ele foi o melhor tenista das ‘últimas 52 semanas’ quando alcançou o topo, entendeu o que eu quis dizer agora, que no final daqueles últimos 365 dias, ele foi o melhor. Mas eu reli o que eu escrevi, e realmente eu não expressei tão bem a minha opinião, mas enfim não era em relação a ter terminado como número 1 do mundo.

        😉

        Responder
    2. Luiz Nunes

      Cara Alice, você viu por quantas semanas o Marcelo Rios ficou na liderança do ranking.
      Dirte-ei: 1ª semana -> 1998.03.30 1
      2ª semana -> 1998.04.06 1
      3ª semana -> 1998.04.13 1
      4ª semana -> 1998.04.20 1
      5ª semana -> 1998.08.10 1
      6ª semana -> 1998.08.17 1
      Portanto, minha cara, 6 semanas NÃO CONSECUTIVAS…
      Sds.

      Responder
      1. Alice

        Luiz…em relação a ele ter ficado ‘apenas 6 semanas’, olha eu ainda acho ‘bastante’ hein, é mais de um mês (haha), e não importa, ele alcançou o topo..e isso é definitivamente de uma grandeza maravilhosa. E ainda ele então chegou lá, perdeu e recuperou outra vez foi, desde jeito mais ‘aplausos’ meus para ele..huahuahuah

        🙂

        Responder
      2. Marcos Castillo

        Pelo que entendi, ela quis dizer que para chegar ao posto de número um do mundo, o jogador precisa jogar bem por mais tempo do que para ganhar um GS. Apesar de ficar como número um por somente 6 semanas, Rios foi o melhor nas 52 semanas (ou 365 dias) que antecederam essas semanas onde ocupou a primeira posição, ou seja, se ocupou esta posição pela primeira vez em 30/03/1998, é porque foi o melhor( ou mais consistente)entre todos de 30/03/1997 a 30/03/1998(claro que com a atualização sendo feita às segundas-feiras a data pode não ser precisamente esta).

        Responder
      3. Carlos

        Seu raciocínio não tem defeitos. Ser nº1 é tão ou mais difícil qto ganhar um slam. Agora imagina que você esteja numa final e com isso o nº 1 do ranking garantido. Quer dizer que o título é o de menos e não vale a pena se desgastar para conquistá-lo? Ou ser vice e conquistar torneios menores e mais “fáceis” compensa seu objetivo? Pelo seu raciocínio Federer tem todos os méritos de ser nº2 do mundo. Mas acho que li um post seu desmerecendo seus últimos títulos. Mas não ligue estou apenas sendo um intrometido-que-apenas-quer-dar-uma-opinião-sem-ser-chamado.

        Responder
        1. Alice

          Oi Carlos, tudo bem? olha não sei bem para quem você dirigiu essa opinião, estou na dúvida. Mas eu nem tenho muito como responder, achei super confusa essa sua proposta (de final de Grand Slam e torneios menores), não entendi a onde você quer chegar com isso, estou tentando achar as conexões disso, com o que eu falei. Acho que essa de desmerecer o Federer, não foi comigo…acho eu né..vai saber…’ – Se pudesse explicar melhor o que quis dizer Carlos, eu agradeceria.. 🙂

          Responder
          1. O Jr

            Essa Alice nunca entende nada… Sempre falta conexão… Falta harmonia, melodia, coerência… Sei lá o que falta… Deve ser uma “professora”, uma guardiã da língua… Deve saber muito mesmo de português, porque de tênis… Geralmente pega trechos de comentários de colegas pra fazer uma depreciação… Continuo protestando contra esse tipo de atitude…. A censura é por conta do moderador… #censura é o…!

  27. Oswaldo E Aranha

    Se tiveres oportunidade diga ao Dkovich que tem um brasileiro que se apaixonou pela Sérvia e que manda um abraços para ele. Obrigado e boa viagem.

    Responder
  28. Rodolfo

    Dalcim , essa sua viagem acho que e uma ótima premonição que você vai assistir em loco, o grande mestre do quarteto fantástico, levantar mais um troféu.

    Responder
  29. Rodrigo

    Grande Dalcim!!!

    Ótima viagem e boa cobertura!

    Não se esqueça de nós e tente postar diariamente. Seus posts são sempre o meu norte para saber o que ta realmente acontecendo!!!

    abraço

    Responder
  30. Victor Rolemberg França

    Excelente análise (como sempre), Dalcim. Mas me diz, pelo que viu, se fosse apostar, em qual tenista colocaria sua fichas?

    ps: além dos textos, vão rolar vídeos também da cobertura?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Vou tentar filmar alguma coisa, Victor, mas os jornalistas credenciados são proibidos de filmar e reproduzir conteúdos de qualquer espécie. Quanto à aposta, iria de Murray.

      Responder
  31. Sergio Ribeiro

    Naquele terrível 2013, com a queda para TOP 6 e algumas derrotas para TOPs 50 , começaram com a estória de Aposentado. Foi exatamente em Halle ( onde alcançou John McEnroe e suas 77 Vitorias ) , que o Suíço pensou em troca de Equipamento e mudança de Treinador. Ja’ abriu 2014 com Edberg e raquete nova. Foram a partir dai 16 Finais ( inclusive de SLAM em 5 Sets) , nove Titulos ( com dois MASTERS 1000 ) e recuperação do N 2 . Isto tudo bem próximo dos 34 ( 08/08/15) , se tornando o mais velho da Era Profissional. Volto a afirmar, vencendo ou nao outro SLAM, dava pra ver ontem que ainda existe o brilho no olhar que o trará jogando em alto nível a Rio 2016 ( e deve atingir a marca de Lendl). Abs!

    Responder
    1. EVALDO APARECIDO

      Boa noite, grande mestre Dalcim,

      Lendo uma postagem do nosso colega aqui do blog, em que fala-se de um tal aposentado, engraçado como o tal aposentado de uns tempo pra cá anda nas semi-finais e/ou finais, até mesmo o Federer em uma entrevista recente, reclamava que a maioria que iam entrevistá-lo, perguntava sobre a aposentadoria dele (afffff), Federer conclui, poxa só sabem falar disso? Pois é, porque não perguntam ao Karlovic, sobre a aposentadoria dele? Pra mim, Federer continua jogando um bom tenis, não é o mesmo de antes, mas o cara joga demais, quantos aos outros, altos e baixos, são alguns, mas vou citar o Nadal, não é provocação, mas o Nadal tem mudar, não se vive em correria a vida toda, mas não gosto do jogo dele atual, mas acho que a mudança não vai haver, fato.

      Responder
    2. Rodrigo S. Cruz

      Os caras insistem em aposentá-lo… Como se ser o número 2 do mundo fosse pouca porcaria.

      Então imagino a “porcaria” que deve ser um Top 3,4,5,6,7,8,9 ou 10…kkkkk

      Responder
    3. Pieter

      Excelente a sua análise!! Inteligente e imparcial. Sob todos os aspectos, o Federer é genial e um ponto fora da curva. Concordo que ele nao precisa de mais um Grnad Slam mas que merece, ah, isso merece!!

      Responder
  32. Alexandre Maciel

    ESPN adquiriu os direitos para transmitir Winbledom, que ótima notícia para nós telespectadores. Melhor do que ter duas emissoras transmitindo o torneio só mesmo indo pra Londres, não é, Dalcim?

    Abraço e boa viagem.

    Responder
  33. El loco

    Dalcim, talvez houve exagero em considerar Djokovic uma incógnita. Ele não possui histórico de decadência após uma derrota amarga em final de Slam. Basta ver que sempre está em semis ou finais, ainda que com punhado de vices rs.
    Enfim, Djokovic é certeza maior que Federer e Murray, estes sim mais instáveis.
    De todo modo, isso é conhecido demais, mas “o jogo é jogado”, vide a final de RG e o bom velhinho, a depender de algumas circunstâncias, pode levar seu último Slam.

    Responder
  34. Weverson Pinheiro

    Mestre Dalcim,

    Boa viagem e nos conte tudo! Muito bacana cobrir de lá, é muito diferente contar uma história sendo testemunha ocular, já estou na expectativa de ler seus post! Se encontrar o Federer por lá manda um abraço e aproveita pra tirar umas fotos e manda pra gente!

    Weverson

    Responder
  35. Henrique Vianna

    Dalcim,

    Se você pudesse escolher uma carreira, qual você preferiria?

    Marcelo rios: número 1. mas sem Grand slam
    Wawrinka: melhor posição 3º do ranking, mas com dois títulos de Grand slam ( em pisos diversos)

    abraços

    Responder
      1. Marco Dias

        Com um backhand daquele também, facilitou a escolha do Dalcim! hehehehe

        Se metade do circuito deve pensar “ah, eu queria tanto ter um backhand assim…”, imagina a gente, reles admiradores e praticantes de fim de semana!!!

        Wawrinka será, provavelmente, mais lembrado por sua esquerda do que pelos seus títulos. O que não é de todo ruim (o que vale é o que fica pra história).

        Na torcida pela dobradinha RG/WB!!!

        Abs!

        Responder
      2. Anderson Castro

        Entre esses dois estava “fácil”…rsrs
        Me responda essa Dalcim:

        Qual você escolheria:
        – Marcelo Rios (número 1, mas sem título de Slam)
        – Marin Cilic (melhor posição do ranking foi um 8º lugar, mas tem 1 título de Slam – US Open/2014).

        Abraços!

        Responder
  36. Tãnia

    Se por um lado o favoritismo esteja com Federer, Murray, Novac, e pq ñ incluir Nadal e Stan, os demais tenistas menos ranquiados darão bastante trabalho para eles possam alcançar o título desse Torneio. Porém, considerando que a final será, certamente, entre os nominados tenista, de certo teremos um jogo memorável!

    Responder
  37. Marcos Castillo

    Como diria Dalcim: “Ah, esses comentaristas!”… É só o professor ganhar um título e lá vem gente dizendo que não ganhou de ninguém. Parece que ganhou um Future. Vou dar minha colaboração ilustrando:
    Kohls: já ganhou de Nadal e Djokovic;
    Gulbis: o forehand mais feio do circuito, vulgo “boneco do posto”, já venceu Djoko e Murray;
    Florian Mayer: já venceu Nadal e Murray;
    Karlovic: um dos três tenistas a vencerem Djoko neste ANO( já estamos quase no segundo semestre), inclusive mais ganhou do que perdeu do sérvio em confrontos diretos. Duvido que alguém torça para o sorteio colocá-lo como adversário na grama;
    Seppi: já venceu Nadal e Murray.
    Abs e “Komm Jetzt!”

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Pior é falarem que Karlovic é fraco na grama… O cara parece que saca de cima duma árvore, pode virar um pesadelo pra qualquer tenista top.

      Responder
  38. Marcos Bay

    Dolcim, caso Wimbledon fosse disputado na mesma grama de Hale, você acha que Djoko ainda seria dos favoritos, com a mesma força de agora?

    Responder
  39. Isaque

    Dalcim, coloco como favoritos esses jogadores que vc falou, na seguinte ordem:
    Djokovic, Murray, Federer e Wawrinka.
    O que faz eu desconfiar do Federer é sua devolução, prova disso é ele ter disputado seis tie breaks, isso mostra a dificuldade dele nas devoluções e consequentemente nas quebras, o que acha Dalcim, concorda que a Devolução do Federer pode comprometer suas pretensões na Inglaterra?

    Responder
      1. Murilo Rodrigues

        Pelo que eu entendi, acho que ele quis se referir à maneira como o suíço faz as devoluções de saque, na maioria das vezes, “bloqueando” ou usando o “slice”, diferente dos outros, que “agridem” mais, usando topspin, dando mais “peso” à bola.

        Responder
      2. Isaque

        O que eu quis dizer é que a devolução de saque do Federer está abaixo do que já foi em outros tempos.
        Mesmo a devolução sendo com slice era muito eficiente, pois ele abaixava bem a bola e jogava ela funda. A questão que eu me apego é que hoje en dia ele tem dificuldades em fazer a bola passar para o outro lado, parece que ele perdeu aquela aquela sensibilidade que ele tinha, muitas devoluções na rede e pra fora e quando põe dentro da quadra, na maioria das vezes vêm saindo muito curtas.

        Responder
  40. Ivan

    Prezado Dalcim, que inveja… e se existe inveja boa, deve ser este tipo!!!! Wimbledon in loco… deve ser demais!!! O morango com creme em SW19 esta época do ano é uma regra, então espero que goste da “iguaria” britânica!

    Se fosse aproveitar a temporada de apostas em Londres, apostaria no Federer. O saque do Federer na grama (ainda) é espetacular… esta é sua a grande chance no ano. O Djoko tem tudo pra jogar mais solto, chorar o leite derramado não adianta nada e ano passado foi assim também. Vai muito depender de quem “fica” com o Murray, que consegue ser mais agressivo no saque na grama, então ele também tem boas chances de ir bem…
    Abraço, boa viagem e excelente torneio!

    Responder
  41. Francisco

    Grande Dalcim. Boa viagem e ótimo torneio. Que a sua presença no All England Club traga sorte ao maior de todos os tempos, the G.O.A.T ROGER FEDERER!

    Sugestão: que tal sortear algumas bolinhas de Wimbledon para quem acertar/se aproximar dos placares de alguns jogos-chave?
    (:
    Abraços!
    #ChumJetze Roger!

    Responder
  42. Artur

    Se eu tivesse de apostar minha vida, diria que fica entre novak e murray. Por mais que o melhor de todos os tempos ainda seja fenomenal, principalmente sob a grana, acho difícil ele ganhar de um dos dois em uma melhor de 5. Vou além e ainda digo que Murray é o principal favorito. Parece ter recuperado a confiança de campeão. Vide Roland-Garros, onde mostrou bom tênis, mesmo no seu pior piso.

    Responder
    1. Sergio Ribeiro

      Sua vida vale tao pouco parceiro,rsrsrs…Pesquise as parciais dos 5 Sets a 52 Semanas da Final de Wimbledon 2014. Foram 5 Sets disputadissimos , em que o Suíço terminou inteiro pois a Grama lhe permite. Agora, realmente o Britânico vai ser um oponente encardido. O Servio vai precisar esquecer de vez Rolanga. Federer vai brigar de verdade.Abs!

      Responder
      1. Artur

        Não preciso pesquisar, meu amigo. Eu estava lá. Sou Federista de carteirinha, e tomara que eu queime a língua, mas acho difícil. Não só por uma questão de preparo, mas também por uma questão de constância. Abs

        Responder
  43. Marquinhos

    Lembro que em 2012 Federer atropelou Novak na semi de Wimbledon. Ano passado, mesmo longe do melhor, Roger quase venceu a partida e Novak declarou no dia: Fiz a melhor partida da minha vida.. Por isso chego a conclusao que Federer levantara mais um trofeu em Wimbledon, pelo maior historico na grama e por ser o maior na grama.

    Responder
  44. Alice

    Mas hein que troféus que Murray e Federer levaram para casa…Quem sabe um dia eu não tenho uma oportunidade de levantar um desses haha 😀

    Responder
  45. Alice

    Realmente como alguém disse no post anterior, não há ninguém com uma “consistência” para brigar com o Big Four pelo topo. Temos aí Ferrer esse junto com o Berdych (apesar de serem veteranos) ainda na minha opinião são os mais ‘regulares’ depois do grupo mais dominante da história (talvez-tenha-exagerado!). Porém não apresentam perigo algum para eles, depois temos aí Nishikori e Wawrinka, grandes possibilidades de eles crescerem ainda mais no circuito. Del Potro pelo visto ficou pelo caminho e Dimitrov fica a torcida para que ele consiga dar um “up” na carreira como Wawrinka conseguiu, quem sabe ele não consegue alcançar os resultados de um “Andy Murray” no circuito um dia!

    Responder
  46. O LÓGICO

    Eu fico me perguntando o que o robozinho vai fazer em Wimbledon kkkkkkk. Sinceramente? Acho que tá na hora dele sair de fininho, ou de fininha, depois que virou o AMARELÃO do circuito kkkkkkkkkkkkkkkkk Ele não acrescenta nada ao torneio, que é chique e não calha com o tênis brega que pratica kkkkkkkkkkk Enfim, nunca teve bom senso, não vai ser agora que vai mostrar alguma coisa nesse sentido. Agora, uma coisa é certa: vai ficar igual a alma penada no mundo do tênis kkkkkkkkk MISERICÓRDIA kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu acho que o MC das Farmácias deveria entrar no facebook e convidar o robozinho para participar do jejum das causas impossíveis, no TEMPLO DE SALOMÃO, NO BRÁS, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mas ele teria que provar que ainda existe alguma centelha de esperança: JOGAR UMA PARTIDA COM UM PASTOR… E GANHAR kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Eu acho que o Djoko não leva Wimbledon esse ano. Vou apostar no Andy Lânguido e….e.. Nele: ROGER FUCKING KING KKKKKKKKKKKKKK

    GURU, boa viagem !!!!!!!!!!

    Responder
  47. Guilherme

    Parabenizar o Federer por vencer esse difícil torneio com adversários muito difíceis: KOHLSCHREIBER, GULBIS, MAYER, KARLOVIC e o TOP 1 SEPPI.

    Responder
      1. Rodrigo S. Cruz

        Só rindo mesmo, esses “antis” são fanáticos demais.

        Talvez fosse muito melhor o Federer TER PERDIDO ou pro Kolch ou pro Gulbis, ou pro Meyer, ou pro Karlovich, ou pro Seppi… rs.

        Responder
  48. alexpicelli

    buon viaggio, buona vacanza, buon lavoro; dalcim na minha opiniao estao:
    nole, federer e murray nesta ordem, como favoritos.
    espero que vença o rei federer!!

    Responder
  49. Pieter

    Ótima vitória do mestre suíço!! Nós, amantes do talento no tênis, estaremos torcendo, mais uma vez, por um show de tênis e emoções no Grand Slam britânico. Bom trabalho por lá, Dalcim!

    Responder
  50. Marcelo-Jacacity

    As primeiras duas linhas do post dizem tudo.
    E a meu ver Djokovic está sendo bem radical (poderia disputar um prepatório na grama), porém, conseguirá alongar e muito a carreira. Assim, o sérvio não comete o mesmo de Nadal em querer disputar todos campeonatos o que se revelou catastrófico.

    Dalcim, nos mostre os detalhes, curiosidades de Wimbledon que somente são percebidos por quem esteve lá!

    Boa viagem!

    Responder
    1. Fonseca

      Nunca foi erro de Nadal e seu staff. Foi sempre vontade de ganhar dinheiro e muito dinheiro. Simples assim. Ninguém é tão doido (nem o staff dele) de saber que o estilo “jogar todos os pontos ao máximo durante todo o ano durante mil anos” não cansaria antes do tempo.

      Responder
    2. Eduardo

      O sérvio há muito tempo não disputa torneios preparatórios para wimbledon e sempre se deu muito bem no torneio. Por que agora ele haveria de mudar?

      Responder
  51. Fernando Brack

    Já expressei antes aqui a minha opinião sobre a grama como piso no jogo de tênis.
    Apesar de achar interessante como elemento de variação do esporte, considero a grama
    completamente anacrônica, mormente após o advento dos pisos sintéticos.
    Por mais que se capriche no preparo das quadras, acho a grama muito irregular para um
    esporte de tanta precisão, que embora sempre tenha sido uma característica inerente ao
    tênis, a coloca num nível exagerado por conta da maior velocidade, e, neste ambiente, há
    fatores imponderáveis que escapam às qualidades de um bom tenista.
    Além disso, é impossível manter um estado uniforme das quadras ao longo dos torneios,
    o que por si só, me parece algo sem nexo. Já não basta as bolas se desgastarem como
    em nenhum outro esporte, exigindo sua frequente substituição.
    Mas, ao mesmo tempo, sei que Wimbledon não vai desistir da grama tão cedo. Então vou
    sentar na frente da TV e curtir mais uma edição do maior torneio de tênis do planeta.

    Responder
  52. Sergio Ribeiro

    Falar em fragilidade dos preparatórios Halle e Queen’s ( com a presença de 9 Tenistas do TOP 11) e’ uma piada. Se Berdych cai nas Quartas para Karlovic ( quebrou no dia com 45 , o numero de Aces em 3 Sets ) e o Samurai para Séppi com suas costumeiras lesões , o Suíço nao tem nada a ver com isso. Tirou o Gigante em dois suados Tie breaks. E mostrou ao Italiano que o AOPEN foi um acidente de percurso. O OCTA foi mais que merecido. Um dos favoritos para Wimbledon ( se levar a Paralela de Esquerda junto). Murray muito menos culpa se o Sacador Kevin Anderson foi tirando todo mundo( Rafa Nadal caiu precocemente). Os sem memória esquecem que o Britânico levou Wimbledon e o Ouro Olímpico batendo justamente Federer e Novak. Nada impede que na Grama Sagrada muita gente boa fique também pelo caminho. O Titio ja’ levou Torneios em todos os pisos este ano.Abs!

    Responder
  53. Fernando Brack

    Eu ainda acho que o Djoko é o favorito, e com algum destaque.
    Dalcim, tens ideia de quem o sérvio se utiliza para treinar num período desses?

    Responder
  54. Fernando Brack

    Gostei da decisão, Dalcim. Teremos a chance de lermos seus posts com mais insights
    do que de costume, o que eu já antecipo que será muito legal. Boa viagem e boa sorte!
    Ah, sim, numa das rodadas finais, espero uma daquelas coberturas game a game aqui
    no blog. Se é que deixam entrar no AEC carregando laptop. Abs

    Responder
  55. luiz

    Caro Dalcim, por uma concidencia estarei chegando em Londres na vespera da final. Fui olhar ingressos, parece ser quase impossivel conseguir mais baratos. O preço no site esta por incríveis 3500 libras ( quase 20000 reais). Tem alguma dica? abs

    Responder
  56. fepauli

    Dalcim
    Confesso que estou com inveja, mas um dia estarei lá, pena que não será na era Federer.
    Acho que você acertou de ir ver ao vivo, pois acho que vai dar Federer pela última vez, ou tenho esperança que assim seja.
    Você acha isso também? Por isso a quebra de protocolo?
    Aproveite e nos presentei com os seus excelentes posts como sempre.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      SIm, talvez a grama propicie chance de quedas precoces de algum grande, Mas acho que o Stan é o nome mais observado do momento.

      Responder
  57. Rubens Leme

    Boa viagem, Dalcim e aproveite Londres.

    PS: já que os correios não entregam meus pacotes da amazon inglesa, poso te passar uma lista de lps para me trazer de lá? he he

    Responder
  58. Lucas

    Dalcin a grama de Wimbledon ainda que hoje em dia mais dura e lenta minimiza um pouco a atual fragilidade do backhand do Federer ou não muda nada obrigado

    Responder
  59. Ricardo - São Paulo

    Caro Dalcim faça uma ótima viagem e vai ser ótimo acompanhar seus textos escritos desse lugar sagrado. Abraços! Go Roger!!!

    Responder
  60. Luis

    Dalcim titulo legal pro Federer em uma semana muito boa como ele disse,não da pra dizer que pode ganhar Wimbledon mas ta bem quase no começo do seu Grand slam que mais se sente a vontade,o que acha Dalcim?

    Responder
  61. Cynthia - Araçoiaba/SP

    Que inveja … Meu sonho de consumo! Boa viagem, bom torneio, mantenha-nos informados, e … q dos favoritos, vença o melhor e mais velho! Enjoy all the way!

    Responder
  62. Márcio

    Gigante Dalcim !!
    Veja de perto este magnífico torneio, e nos prestigie com seus comentários com o máximo de detalhes possíveis.
    Avante Mestre.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *