Manias e surpresas
Por José Nilton Dalcim
18 de junho de 2015 às 11:45

Ah, esses jornalistas.

Para esquentar a temporada de grama, nada como achar coisas diferentes para atrair o público. Dias atrás, um colunista do Independent reviveu a curiosa lista (acho que a primeira que li foi há cinco anos) das manias menos conhecidas de Rafael Nadal, mas que, tal qual alinhar garrafinhas, arrumar o calção antes do saque ou da devolução ou correr para o fundo da quadra após o sorteio da moedinha, sem jamais pisar as linhas, são cumpridas num verdadeiro ritual para que o espanhol esteja totalmente preparado para a batalha.

Vejam só:

– Por volta de 45 minutos antes de uma partida, ele toma um banho de água fria.

– Sempre entra em quadra com uma raquete na mão.

– Somente ele pode colocar os ‘grips’ (aquela proteção que vai no cabo da raquete para amenizar suor e melhorar a firmeza da mão no cabo) em suas raquetes. Rafa faz isso dentro do vestiário. Os grips são sempre brancos.

– Sua raqueteira precisa ser colocada bem próxima a ele, na cadeira, em cima de uma toalha. Jamais será colocada no chão.

– Ele sempre bebe um pouco do líquido que carrega em cada uma das duas garrafas que leva à quadra. Uma tem líquido gelado, a outra líquido morno.

– Jamais se levanta da cadeira para retornar à quadra antes do adversário, assim como jamais é o primeiro a ir se sentar, sempre dando passagem ao oponente.

– Nadal adotou novo critério para se enxugar, o que faz praticamente a cada ponto, até mesmo um ace ou dupla falta. Agora leva duas toalhas, entrega cada uma delas a um pegador e recebe ambas de volta a cada troca de lado.

Aliás, desde o começo do ano, quando esteve aqui no Rio, observei mais uma novidade: ao término de um game em que tem de ir para a troca de lados, esteja onde estiver, ele dá uma volta sobre o centro da quadra (aquela pequena marca que divide a linha de base e serve de orientação para sacar do lado certo).

Enquanto isso, a quadra de grama vai cobrando caro. Se existe uma superfície em que um tenista não pode se dar ao luxo de desperdiçar chances, essa certamente é a grama. Ainda mais se você estiver no saque, porque achar uma oportunidade de quebrar de volta pode ser uma tarefa inglória.

Foi assim com Nadal diante de Alexandr Dolgopolov – ter 4/2 no terceiro set e não levar é quase um crime na grama -, mas também com Stan Wawrinka e o absurdo erro de forehand no set-point do segundo tiebreak diante de Kevin Anderson e com o atual campeão Grigor Dimitrov, que fez 3-0 no tiebreak contra Gilles Muller antes de tomar a virada.

Ao final da segunda rodada em Queen’s e Halle, ao menos temos coisas diferentes acontecendo no circuito, como Jerzy Janowicz, Florian Mayer e Guillermo Garcia-López se juntando aos vitoriosos inesperados.

E o que foi essa marca de 27 aces da alemã Sabine Lisicki? Em 11 games de serviço, dá quase três de média! Poucos homens são capazes disso, ainda é claro que devolução no feminino seja um pouco mais frágil. Lisicki é sem dúvida uma das maiores sacadoras do circuito, o que também combina muito bem com a grama.


Comentários
  1. Chetnik

    Dalcim, em relação a outra vez que eu te perguntei, alguma mudança sobre a ida ou não do Djokovic à Argentina jogar a Copa Davis? Te parece mais provável o que?

    No site oficial dele tá no calendário…

    Obrigado.

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Acho que dependerá de Wimbledon principalmente. Troicki voltou a jogar bem, talvez a Sérvia possa abrir mão de Djokovic. Se eu tivesse de chutar, diria que ele não virá.

      Responder
    1. Fernando Brack

      Como este é um dos poucos recordes que ele não possui, ele bem podia
      começar a jogar um monte de 250tinhos só pra fazer o número.
      Porque mais Slams e M1000s, convenhamos, vai ser muito complicado.
      E 250tinhos têm a dar com pau por aí, além de poder lhe dar o conforto de
      viajar muito menos. Vamu lá, Fed, colecionar canequinhos pela Europa.

      Responder
  2. Anti anti-jogo

    Surpresas na grama pra lá, supresas na grama pra cá…. O fato é que, em quatro torneios de grama até agora, em três os cabeças de chave 1 foram os campeões, e em um o cabeça 2 chegou na final (Goffin perdeu pro Mahut).

    Responder
  3. Fernando Brack

    Enquanto isso, Murray fatura o 4º título no Clube da Rainha, igualando o feito de outros
    4 tenistas na era aberta (isto é, um feito para poucos), 2 deles tidos como membros da
    chamada ‘geração fraca’ por alguns experts do esporte aqui no blog.

    Responder
  4. Fernando Brack

    O quê? ‘Hallezinho’ é o torneio que Federer mais ganhou na carreira?
    Isso não pode ficar assim! Não é compatível. Que venha o 8º em WB!

    Responder
  5. Fernando Brack

    Que beleza ver este cidadão faturando mais um título com quase 34 anos nas costas.
    Ele pode não vencer WB, e provavelmente não vencerá, mas está pronto pra batalha.
    E que bela taça essa de Halle, hein.

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Ele é um dos 3 principais candidatos ao título este ano.

      Acho que ele tem boas chances em Wimbledon sim. E se vencesse, chocaria alguns…

      Responder
  6. Hugo

    Dalcim,
    Estava aqui pensando.Dentre todos os torneios preparatórios pros slam,vc não acha que os pré-Wimbledon são os que menos servem de parâmetro?Digo isso pq além de ser uma temporada curta,com poucos atp’s, nada acontece de modo a apontar algo diferente do que já imaginamos.Federer suou aqui e ali,mas em momento algum,fora a 1a rodada,esteve em grandes apuros.O saque e os voleio precisos sempre estavam ali quando necessário.Murray é Murray.Não será surpresa se cair numas quartas ou mesmo se vencer.Djokovic dispensa comentários,raramente disputa algo antes do grand slam na grama.Nadal,apesar da fase,é um bicampeão,não será surpresa se cair na primeira,ou na última rodada(ok,se ele chegar à final,será um pouco de surpresa sim).O que acha?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Tem toda a razão, Hugo. O fato de ser muito em cima do saibro e com pouco tempo de preparação, acabam não sendo uma referência perfeita.

      Responder
  7. Carlos André

    Põem uma fé desmedida no japinha…
    Nào adianta, não há ninguèm com consist3ncia pra
    desafiar regularmente Djokovic, Federer e Murray.
    Podia ser o Wawrinka, mas esse desabrochar aos 30 foi
    tarde demais…
    Outro podia ser o Del Potro, mas os punhos acabaram com sua
    carreira.

    Responder
  8. Luis

    Dalcim não concordo com amigo Luis Fernando de que Halle ta ruim ao contrario ta equilibrado com bons tenistas claro que Federer e’ o favorito mas o caminho não ta fácil,torcendo pro titulo do Federer bom pra ele nessa boa temporada vice líder ranking

    Responder
  9. Willian Lopes

    Dalcim, boa noite duas perguntas:
    O Nadal sempre teve todas essas manias desde o começo da carreira, ou ele passou a se comportar dessa forma recentemente? Os tiques com certeza eram bem menores do que hoje em dia.
    Halle e Queens passaram de ATP 250 para 500, o Federer como possível campeão de Halle vai defender os 250 pts do ano passado certo, mas além disso ele vai somar mais 250 pts? Parece um pouco óbvio mas fiquei com essa dúvida rsrsrs. Abs

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Eu vejo Nadal jogar desde 2004 e acredito que os tiques estão sim aumentando, muitos ligados também à superstição. Sim, caso vença Federer arescentará 250 pontos.

      Responder
  10. Luiz Fernando

    Nishikori pra variar abandonou, demonstrando o quão fragil é o fisico do rapaz. Com isso entregou de bandeja o titulo pro cansadão, q vencerá facil amanha numa semana q jogou contra Kols…, Gulbis, Meier, Turtle Karlovic e Seppi, adversários de um gabarito imensuravel kkk. Acho q até o Nadal na presente fase venceria essa manezada kkk.

    Responder
    1. Nando

      Ah claro…o que vale mesmo é o challenger de Buenos Aires que o seu amado ganhou né? Lá ele enfrentou só lendas do tênis, Delbonis, Arguello o poderoso Berlocq, Mônaco….
      Não desvalorize os títulos do Federer, mané… nadal sequer consegue passar das 4°s nos torneios.

      Responder
    2. Fernando Brack

      Meu xará, sem ter o que falar sobre Nadal em quadra, segue falando do Federer.
      Como disse antes, Halle não é pra ganhar de ninguém mesmo. Serve para levar
      mais um título e ser um bom aquecimento para WB. E, como todo aquecimento,
      não garante nada para o major.
      Queen’s é o preparatório que chegou mais perto de dizer alguma coisa sobre as
      pretensões no principal torneio na grama, mas hoje nem ele serve pra isso.
      Enfim, tá tudo em aberto, com o favoritismo continuando com Novak Djokovic.

      Responder
  11. Fernando Brack

    Detesto o jogo desses ultra mega sacadores. Se eles ainda viessem à rede atrás de seus
    saques para fazer um bom voleio, como faziam Edberg, Becker, Sampras, Ivanisevic, Rafter,
    mas a quantidade de pontos que eles vencem no saque é absurda.
    Com eles sacando, o jogo de tênis simplesmente não existe.

    Responder
  12. Fernando Brack

    Não entendi essa. Nishikori entrou em quadra sem a mínima condição física.
    O que ele pretendia? Estrupiar-se de vez? E o público que paga ingresso pra
    assistir uma semifinal lota as arquibancadas e fica com cara de tacho.

    Responder
  13. Fernando Brack

    Jogo difícil contra o super sacador croata, mas tá lá Roger Federer em mais uma final
    de Halle, agora valendo quinhentinhos. Bom warm up para Wimbledon. Torcendo para
    o japinha na outra semi. Ele vem mostrando estar muito versátil.

    Responder
  14. Sergio Ribeiro

    Como prevíamos , a Zebra andou solta pelos ATP 500 na Grama. Dos TOP 11( apenas Novak e Ferrer nao compareceram) somente 3 permanecem vivos. Sendo que Dimitrov que defendia o Título de Quen’s segue sem convencer. Acho que nem Maria saberia explicar. Quem esperaria uma Semi entre dois Titios como Federer e Karlovic ? a presença de Kevin Anderson e Troicki ? O Tempo passa mas a Grama nao deixa nunca de ser traira. Roger sabe como lidar com o Gigante utilizando seus Slices mais que Venenosos. Mas o Cara esta’ impossível. Berdych acabou tendo que abrir um sorriso amarelo. Uma possivel Final com o Samurai( cada vez mais presente) seria interessante. Andy Murray parece mostrar que vai brigar pelo Tetra de Quen’s e o Bi de Wimbledon nao como azarão.Abs!

    Responder
  15. Fernando Brack

    A grama segue pregando peças. Enquanto em um torneio, um grande sacador (Karlovic), que
    quase nada tem além do saque, ganha de um sujeito (Berdych) que bate muito forte na bola,
    joga bem no piso e vem bem na temporada, em outro torneio, um outro sacador (Raonic), que
    a cada dia mostra possuir outros predicados, perde de um sujeito (Simon) que não passa de
    um devolvedor manhoso e anda capengando ultimamente.

    Responder
    1. implicante

      Conclusão: não é só sacar e volear, a grama exige experiência e frieza nos pontos importantes. E devolução conta muito… Não a toa, Djokovic tem tido irrepreensível desempenho na grama, nos ultimos 4 anos, pelo menos.

      Responder
    1. AURELIO NR.

      Prezado Marquinhos.
      Você tem razão. Janowicz não saca mais como antes. Só pra termos uma idéia: na maior vitória da carreira do Janowicz, que foi contra o Murray (oitavas de final de PARIS 2012) ele disparou 22 aces. Acho que isso é um dos motivos do declínio dele. Se o Janowicz voltar a sacar bem, ele cresce e se torna muito prigoso (pra mim ele tem mais recussos técnicos do ue todos os outros grandões do circuito).
      Abraços.
      AURÉLIO NR.

      Responder
  16. Luiz Fernando

    Esse totneio de Halle está mantendo a tradição, o aposentado só jg contra manés, igualzinho Rafa em Stuttgart: ganhou do Kols… q perdeu pro palhaço Monfills na Alemanha, ganhou do Gulbis q só tem perdido, esse Florian Meier pra mané falta um pouco, amanhã encara o grande (em altura claro) Karlovic, q se movimenta menos do q uma tartaruga, por enquanto vitórias sem nehum significado, mas sem duvida é melhor vencer manés do q nada.

    Responder
    1. Fernando Brack

      Halle não é pra ganhar de ninguém mesmo. É só pra esquentar as turbinas.
      E, de quebra, faturar mais uma tacinha, agora valendo um tantinho mais.
      Isto é, se o japoronga deixar.

      Responder
    2. Carlos

      Moderação, este comentário não é ofensivo (mas é), mas tb não acrescenta nada minimamente inteligente ao assunto tênis. Mais parece um torcedor de futebol frustrado com a suspensão do Neymar e agora está descontando sua decepção em outro esporte.

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      Primeiro, ATP 250tinha não valia. Agora, ATP 500tinha também não vale…

      Daqui a pouco o Federer ganha Wimbledon e o “indigitado” culpa a chave e diz que é SLAMzinho…pfff.

      Responder
    1. implicante

      Não vejo diferença… Espn, sportv e band pecam no quesito narração/comentaristas e todas acabam pecando na divisão de jogos por canais próprios e operadoras. Prefiro assistir pelo Arenavision, streaming em HD

      Responder
  17. Arthur

    Eu acho que essa questão do TOC do Nadal já deixou de ser uma excentricidade e já alcançou o nível patológico faz tempo.
    Pouca gente sabe, mas o transtorno obsessivo-compulsivo traz um sofrimento agoniante ao paciente. Em alguns casos, o sujeito mal consegue manter a vida social normal.
    Melhor seria se todo mundo, inclusive Nadal e o Tio Toni, deixassem de ver isso como uma curiosidade que atrai a atenção do público e começassem a tratá-la a sério, pois, no futuro, isso só tende a piorar.

    Responder
  18. Pieter

    Dalcim, qual a sua opinião sobre os americanos McEnroe e Chris Evert declararem que a americana Serena talvez já seja a melhor de todos os tempos? Esquecem(?) que a Steffi Graf fez muito mais que a Serena e em muito menos tempo. A alemã, por exemplo, com 20 anos, salvo engano meu, completou o Golden Slam, algo absolutamente inédito até então e um feito inigualável até hoje. E aposentou-se aos 30 anos com 22 títulos de Grand Slam na bagagem! Para mim não há nem o que duvidar sobre a melhor de todas…

    Responder
    1. Alice

      Pois é Pieter.. (concordo com o Dalcim) – Graff tem mias títulos, mais vitórias, mais semanas como líder do ranking e ainda mais GS em simples! O Problema é que Serena tem mais GS ao total (35 contra 23), é uma jogadora que conseguiu ‘sucesso’ em todas as disciplinas do tênis, é a mais velha tenista a liderar o ranking da ATP, além de ser a única a passar dos 30 anos e conquistar mais de 5 GS. Mais o que mais conta a ‘favor’ de Serena é seu “jogo”, pois esse não há dúvida é o melhor de toda história (na minha opinião e de grande maioria), pois seu saque é fulminante (chega a mais de 200km), suas devoluções são muito agressivas, já fica dentro da quadra pra devolver, e tem um poder de superação incrível. A favor de Graff estão os números, de Serena está seu jogo. Porém esperamos a Williams terminar a carreira para discutir algo. 🙂

      Responder
      1. Pieter

        Cara Alice, em termos de volume de jogo penso que não se pode comparar pois o tênis, como todos os esportes, também evoluiu. Logo, hoje as tenistas são maiores, mais rápidas e batem mais na bola também. Além do que, houve uma tremenda evolução no material das raquetes, na preparação física das jogadoras mas, ao mesmo tempo, o jogo ficou mais padronizado e mais lento, embora hoje inegavelmente a competição seja maior…

        Responder
    2. Ranulfo Palhares

      Uma coisa é certa, Serena nunca foi ajudada por um psicopata que esfaqueava suas adversárias.
      Na verdade, por uma razão ou outra, ela nunca teve adversárias.

      Responder
    3. Rodrigo S. Cruz

      O problema Pieter é que independente do que a Graff tenha conquistado em seu tempo, não sei se muitos acreditam que ela seria um páreo duro pro “Serenão”, se elas fossem contemporâneas…

      A Williams tem potência demais, enquanto a Graff jogava um tênis mais clássico. Então, supor que a Serena seja mesmo a melhor de todas é uma teoria que vem ganhando cada vez mais força.

      Vc pode até discordar, mas que o argumento em contrário é forte, isso lá é…

      Responder
  19. Hélio

    Foi horrível mesmo para o alemão, já que o suíço chorão comentou ser seu fã no passado, porém trata-se de um verdadeiro mala . Já o vi quebrar raquete, mandar a torcida calar a boca e reclamar com o tio toni , em pleno jogo.

    Responder
  20. edu

    Dalcim, sou fã acompanho a carreira da Lisicki há pelo menos 6 anos, desde 2009, quando ela ganhou Charleston e, afirmo, com certa propriedade, que esses 27 aces foram bem atípicos para o que ela costuma apresentar em quadra. Claro que ela tem um excelente 1º saque (os 211km não mentem), e que a grama potencializa isso, mas ela não tem a consistência da Serena Williams, melhor sacadora do circuito na minha opinião. Na partida seguinte, contra a Rybarikova, digamos que ela voltou ao seu normal, com “apenas” 8 aces e um aproveitamento pior do 1º serviço. Alías, o segundo saque dela é horroroso, rsrsrs. Se ela apresentar em Wimbledon algo parecido com o que ela apresentou contra a Bencic, creio que ela chega forte para o torneio, mas a inconsistência dela, diga-se, em todos os pisos, a colocam mais como uma “Dark Horse” do que como uma favorita, apesar de já ter chegado a uma final.

    Abraços, Dalcim e parabéns pelo blog!

    Responder
  21. Marco Dias

    Contraponto a alguns comentários referente ao Wawrinka:

    – Perder para Kevin Anderson: duplo 7/6, poderia ter vencido. O erro absurdo em momento decisivo realmente não poderia mais acontecer, no entanto, o sul-africano é um grande sacador e, como o próprio Dalcim mencionou, na grama isso faz diferença, além de ser um TOP20 – não achei nada de tão decepcionante assim. Stan continua sendo um dos 5 favoritos para Wimbledon.

    – Ter sido declarado melhor que Federer: não vi ninguém dizendo isto aqui. Sou fã de Roger, o considero o melhor da história, mas, como bem dito, tênis é momento… o que se comentou é que o momento de Stan é (ou era em RG) melhor que o de Roger. Fãs da trinca Federer/Djoko/Nadal são bem radicais. Acho que outros tenistas também merecem atenção e o grande feito de Wawrinka foi assunto no mundo todo, natural ganhar importância no blog.

    Abs!

    Responder
    1. Rodrigo S. Cruz

      Concordo contigo, Marcos.

      Anderson é um ótimo sacador, e na grama isso conta ainda mais. Perder pra um bom sacador numa quadra de grama é algo que pode acontecer com qualquer jogador Top.

      Tem que ser muito fanático ou bocó, pra achar que isso desqualifica o jogador em questão…

      Responder
  22. lEvI sIlvA

    Dalcim, sabe dizer se as “manias” dele se repetem apenas em jogos oficias ou torneios? Parece que, durante treinamento não é bem assim, inclusive não estourando o limite de tempo pra saque, não é mesmo?

    Responder
  23. Marquinhos

    Alice, vou fazer diferente, vou dizer qual tenista eu nao gostaria de ser, a nao ser pela grana no bolso.kkkk

    Nadal: Pega mal ficar enfiando o dedo no traseito o jogo todo. Arrogante, prepotente e egocentrico, faz muita forca pra jogar tenis e corre serios riscos de ficar broxa se continuar a fazer tanta forca, alem de estar semi-calvo antes dos 30.

    Djokovic: Rapaz falso, com brincadeiras infantis e sem graca. Nao e muito bem visto pelos peadores de bola. Grande tecnica na base.

    Murray: Feio que doi, alem de ter um cerebro de geleia.

    Karlovic: Sem chances

    Federer; Gostaria de ser, mas com outras esposa! kkkkk Pra mim nao e bonito nem feio, as mulheres decidem. kkk

    Responder
    1. Alice

      Depois que Mirka te chamar de bebezão chorão, você não chora tá Marquinhos (HAHA)! Mas dá onde que você tirou que Murray é feio, pra mim eles é um dos mais bonitos dos circuito! u.u’ – Quanta a sua posição de quem não ser no tênis, graças a alguma força que segura os planetas você não é nenhum deles, ou quem sabe você não foi o Bil Tilden no passado..uuauauauau – nunca saberemos”

      Responder
  24. Joao So

    Não sou nadalista e não gosto do tênis dele. Mas nos últimos 10 anos notei uma outra mania do Nadal: ganhar do Federer em todos os tipos de pisos.

    Responder
  25. Henrique Farinha

    Dalcim, vc esqueceu também de mencionar outra mania: a de invariavelmente exceder os 25 segundos para sacar. Em Stuttgart, ele gastou em média 27 segundos para sacar na final. É o árbitro ignorou solenemente o fato, que é uma das coisas que mais irrita os tenistas em geral. O fato é que o ele indica sofrer de TOC – não estou afirmando, já que não sou médico, porém tudo indica que sim – e não sei se tem o acompanhamento adequado, pois me parece piorar com o passar do tempo. Quando ele parar de jogar, saberemos por certo de mais manias e ele terá de se tratar seriamente, uma vez que quem sofre desse mal tende a piorar com o fim da rotina habitual por tanto tempo se não contar com apoio médico. Espero que esse momento do fim da carreira dele ainda demore. Tê-lo no circuito por mais tempo será ótimo para o tênis. Abs!

    Responder
          1. Hélio Samary

            Então admita que boa parte dos tenistas também “extrapolam” o tempo. Sem ressentimentos, por favor, tenho profunda admiração pelo senhor, grande abraço!
            Não conhecia este seu “lado” irônico”.

          2. José Nilton Dalcim

            A ironia partiu de você, apenas respondi à altura. Uma pequena parte dos tenistas extrapolam continuamente o tempo de 25 segundos.

    1. Fonseca

      O que parece é que o staff dele não gosta da pessoa Rafael Nadal (ou vice-versa). Deixa o cara jogar com apendicite, etc… Parece uma equipe extremamente truculenta.

      Responder
  26. O LÓGICO

    O PIOR TIC DO ROBOZINHO É JOGAR TÊNIS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk É SOFRÍVEL PARA CHUCHU kkkkkkkkkk E TÃO FEIO QUANTO OS DEMAIS kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  27. Cleriston

    Dalcim, na sua opinião, quais as chances de Wawrinka conquistar WB 2015 ?
    E entrar no seleto grupo de lendas como Borg, Federer e Nadal a conseguir vencer Paris/Londres no mesmo ano.
    Confesso que irei torcer p o suíço do backhand de uma mão mais bonito e potente da historia nesse Wimbledom 15!

    Responder
    1. Marco Dias

      Também torcerei pro Stan! Não pode ceder no mental e manter a mão calibrada (parece fácil… rsrs).

      Ele tem sido estável nos Slams – tirando RG 2014, ele fez pelo menos quartas em todos os outros majors desde o US Open 2013 – jogo este que fez o suiço passar a acreditar mais em si, na minha opinião).

      US2013 – semi (2/3-Djokovic)
      AO2014 – campeão (3/1-Nadal)
      RG2014 – primeira rodada
      WB2014 – quartas (1/3-Federer)
      US2014 – quartas (2/3-Nishikori)
      AO2015 – semi (2/3-Djokovic)
      RG2015 – campeão (3/1-Djokovic)

      Tá melhor do que em outros torneios…

      Concorda, Dalcim, que Wawrinka tem sido mais firme em Slams do que no resto da temporada?

      Responder
  28. Ronildo

    Perfeita a resposta que o Federer deu ao Boris. Acho que o Becker tem é recalque do Federer cujo comportamento está mais alinhado ao do Pete Sampras e Edberg, do que ao seu tipo bad boy, quando jogava. Mas tem muita gente que se aproveitou deste acontecimento para tentar manchar a reputação do Federer, que como todos sabem, não é perfeita e já cometeu alguns deslizes em quadra; porém é de longe aquele que melhor encarna o espírito cavalheiro que deveria estar sempre evidente em todos os praticantes profissionais de tênis. Vejam como uma simples pergunta pode esclarecer alguns episódios: o que um fã incondicional do Nadal como o MC estaria fazendo no treino do Federer em RG 2011? É evidente que estava tripudiando em com toda justiça deve ter sido chamado a atenção pelo próprio Federer. Tem horas que não tem jeito. Quem ainda se lembra da chamada do Rei Juan Carlos da Espanha à Hugo Chaves na frente de toda a imprensa? “- Por que não te calas?” Com a palavra MC…

    Responder
    1. Marquinhos

      Kkkkkkkkkkkkkk O Mario devia estar cornetando o mestre o tempo inteiro!! Kkkkkkk Mas na verdade ele foi ver o treino do cara que joga/jogou o tenis mais bonito e competente da história do esporte.

      Responder
  29. Alice

    Tudo que em excesso não é bom! Olha quem fala né..rsrs 🙂 – Se ele acha que todos esses ‘”momentos-em-que-eu-fazendo-é-bom-pra-mm” dê a ele alguma ‘vantagem ou efetuação’ com isso, sem problemas!
    #CensuraGeral
    E tirando as garrafinhas e as linhas, eu fico bem ‘envolvida’ com todos aqueles toques, é muita carne em um só ser..HAHA ‘-‘

    Responder
    1. Rafael Medeiros

      Realmente é super sexy o ritual do saque: mão na bunda, tira a cueca, passa no nariz, no (pouco) cabelo que resta, e tudo de novo.

      Tipo uma dança do acasalamento.

      Acho mesmo que a moda deveria pegar. (modo irônico).

      Mulheres, sério: vocês merecem mais que isso. 🙂

      Responder
  30. Luiz Carlos

    Dalcim, eu sei que os ATPs 500 tem seus direitos de transmissão ligados ao Sports+ , canal exclusivo da SKY, mas o ATP 500 do Rio passa no Sportv e esse canal Sports+ no ano passado (ou retrasado) foi ameaçado de ser tirado do ar pela ANCINE.

    Vc tem alguma noticia sobre uma mudança de direitos de transmissão desses ATPs 500?

    É muito ruim pra um fã de tênis que não é assinante da SKY quando chega essas semanas de ATP 500, pois agente já sabe que vai ter que correr atrás de streaming pra poder ver esse torneio.

    Responder
  31. Adriana Silva

    Eu acho que um atleta deve ser julgado pelo conjunto da obra e não por Um momento/fase ruim, um jogo, um torneio, um lance.
    Nadal e Federer ganharam praticamente tudo, bateram records, agora porque não estão no top são apedrejados, aí uma moça que não tem nem meia dúzia de títulos na carreira, faz 27 aces em um jogo atípico pronto é endeusada. Stan estava sendo massacrado no início do ano, venceu RG pronto, já dizem que é melhor que Federer, estas coisas no tênis me irritam.

    Responder
    1. Alice

      É bem por aí…Eu até entendo a tenista ter virado ‘destaque-de-noticia’, pois ela fez um recorde e tanto. Agora depois que Wawrinka ganhou RG, ele virou favorito pra todo qualquer torneio de tênis do mundo, isso sim já é um exagero. As pessoas tem que lembrar que não adianta ter braços e pernas (jogo de tênis boommm) ter que ter um mental forte no que diz respeito a consistência e regularidade pra se manter com resultados bons pelo resto da temporada…

      Responder
      1. Marco Dias

        Mas se ele tem jogado bem e vem vencendo os “invencíveis” de vez em quando e dosúltimos 6 slams ganhou 2, nada mais natural ser um dos favoritos… ninguém o coloca como o principal favorito(até pela sua inconstância). Só o Big 4 podem ser favoritos em todos os torneios? Wawrinka tem jogo pra ganhar de qualquer Top em qualquer torneioe isso é consenso mundial!

        Responder
    1. Nando

      Pois é….10 anos após receber essa medalha, o pegador de bolinhas vence o 1º Slam (WIimbledon) e depois ganha outros 16…lidera o ranking por 302 semanas…bate recordes e mais recordes…esse é o ”pegador de bolinhas”’ q virou uma lenda do esporte.

      Responder
    2. Sérgio Ribeiro

      Confesso parceiro, que me emocionou. Aquele pegador de bolinhas, e’ o próprio . Ele sempre afirmou que Edberg foi seu grande ídolo. Eu sempre ACHEI que fosse Pete Sampras. Oito anos depois, quebrou uma incrível invencibilidade de Pistol Pete em Wimbledon. E em 2014, o Sueco lhe deu de volta a alegria de jogar. Abs!

      Responder
    3. Alice

      Interessante, de ‘catador de bolinhas’ para ‘Rei’ – o mundo é surpreendente (HAHA). Dá pra ver que Federer já tinha os olhos no Edberg desde 93, não é a toa que ele o escolheu para o seu Staff! Mas hein agora eu concordo com uma comentadora aqui do blog que chama o Federer de “lindinho”. Naqueles tempos ele era um lindinho messsssmo, mas hoje nem tanto né..rsrs!

      Responder
    4. Willian Lopes

      Muito legal cara, chega a ser emocionante, isso mostra como o mundo da voltas mesmo. O garoto Roger Federer de pegador de bolas se tornou o maior vencedor de majors com por enquanto 17 conquistas e o maior recordista no topo do ranking somando por enquanto 302 semanas como N° 1 do mundo e assim se tornando insuperável como o maior tenista que já pisou em uma quadra de tennis. Hoje é ele quem é admirado e idolatrado pelos pegadores de bola.

      Responder
  32. Fonseca

    O “grande campeão” croata do US Open 2014 continua “voando” em quadra…. Vence o primeiro set contra Troicki, depois perde 62 63…

    Responder
    1. Bruno Vigne

      Sempre disse que Cilic era o tipo de cara que nunca vingaria… tem um bom tênis, mas falta alguma coisa ali para ser um grande campeão. Alguns disseram que eu estava maluco. Os resultados do cara estão aí… O US OPEN 2014 foi um dos torneios de Grand Slam mais caídos dos últimos tempos e o título poderia ter ficado em melhores mãos.

      Responder
  33. Luiz Fernando

    Além de Rafa agora há outro forte candidato ao titulo de socio do All England Club: Wawrinka. Quem perde desse Kevin Anderson também não pode almejar grandes voos. Poderia acrescentar Dimitrov nessa lista, mas este, depois de um inicio promissor, há tempos não é candidato a nada, apenas a promessa.

    Responder
    1. André Pires

      Você assistiu ao jogo do Wawrinka contra o Anderson? O cara sacou muito, primeiro serviço estava absurdo. O Wawrinka teve de fato uma única chance quando perdeu um set point com um voleio fácil no tie-break da segunda parcial, fora isso não teve muito o que fazer. E não sei se você lembra, mas o suíço perdeu pro Delbonis em Genebra antes de vencer Roland Garros. Então, acho melhor esperarmos até o fim da primeira semana de Wimbledon pra fazermos projeções mais interessantes.

      Responder
  34. Pieter

    A grande maioria dos tenistas têm suas manias e rituais que certamente os auxiliam na manutenção da concentração, absolutamente vital em um esporte de altíssima precisão como o tênis. Porém, fica claro que no caso do espanhol Rafael Nadal, em que pese sua genialidade nas quadras, as suas numerosas manias já se configuram um caso evidente de TOC, um transtorno psicológico que, inclusive, precisa de tratamento psiquiátrico e, quanto mais cedo, melhor!

    Responder
    1. Luiz Nunes

      Prezado Dalcim e Caro Pieter,

      Descobri, por acaso, qual é o problema do Nadal. Vocês já ouviram falar da
      Síndrome de Tourette??? Pois é, estes tic’s ou toc’s do Nadal é isso.

      Responder
  35. Isaque

    Essas manias são sintomas claros de esquizofrenia. Ficar repetindo movimentos é uma das principais características das pessoas com essa doença neurológica.

    Responder
  36. Adriana Silva

    Olá,
    Só algumas observações: Todos dizem que Nadal tem dificuldades em jogar na grama, porém somou 4 títulos, sendo 2 em Wimbledon. A Sabine todos dizem que é uma das melhores na grama possui 1 título neste piso. Essa matemática ou teoria sobre o tênis na grama tenho dificuldades em entender.

    Responder
    1. Alexandre Maciel

      Ele tem dificuldade na grama sim, mas não é um péssimo jogador na superfície. Dizemos que ele tem dificuldade se compararmos com outros pisos. Claro que ele é acima da média em qualquer quadra de tênis, não fosse assim não teria atingido tantas vezes a final em Winbledom, nem seria vice campeão por lá.

      Responder
  37. Rubens Leme

    Nadal deve sofrer de TOC, em algum nível.
    Dalcim, apesar de hj ser um atp 500 dimitrov perde os pontos relativos ao 250 do ano passado, certo?

    Responder
  38. jorge luiz

    Dalcim,me explica por favor o que acontece com o Clezar,como pode o cara levar uma bicicleta em uma semana,e na outra perder para o 330 do rancking,será que ele é mesmo uma de nossas promessas?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Difícil explicar, Jorge. Acho que ele sentiu muito a saída do João Zwetsch, que ficou com o Bellucci. Contratou um treinador argentino pouco conhecido, aí talvez não esteja indo bem a coisa. Uma pena. Acho que o Guilherme poderia pelo menos chegar no top 100.

      Responder
  39. José Eduardo Pessanha

    Craque Dalcim, estamos em ritmo de Copa América. Lá vai..

    Nadal, diga me o que sentes…
    Ao não ter o físico a te apoiar
    Te juro, mesmo que se passem anos….
    Sempre iremos nos lembrar
    Que o gancho não mais funcionou
    A carranca não adiantou
    Do Fognini agora és freguês
    A Federer vamos ver
    Copar Wimbledon mais uma vez
    O Craque é bem melhor do que você

    Como los chicos están sufriendo. kkk

    Responder
  40. AURÉLIO NR.

    Prezado Dalcim.
    Valeu mestre!Vamos dar uma força para o Janowicz voltar a jogar bem. Que bom que o mestre voltou a falar dele, mesmo que discretamente (rsrsrsrs). Wimbledon promete! Antes, porém, ele vai ganhar o ATP de Halle.
    Abraços.
    AURÉLIO NR.

    Responder
  41. Fernando Brack

    Esse Dimitrov só me decepciona. Mas temos que reconhecer que o Gilles Muller esteve
    inspirado no saque. Teve poucos BPs contra e se safou de todos com ótimos serviços.
    Aquele erro do Wawrinka foi pra acabar. Como errou uma bola tão fácil? Naquela hora?

    Responder
  42. Fernando Brack

    Nadal é um transtornado agudo. Acho que se ele for barrado em um desses tiques, sua
    cabeça dá uma cambalhota. Chega a dar agonia ver ele esfregar o cabelo, nariz, cabelo,
    nariz e cabelo de novo a cada preparação para o saque.
    ‘Arrumar o calção’ foi uma bela aliviada nessa mania indecorosa do espanhol. Rsrs!!

    Responder
  43. Gilvan

    Tenho observado uma outra mania que o Nadal vem adquirindo nos últimos anos: perder para jogadores fora do top-50.
    Agora falando sério, uma mania que pude observar no Nadal em sua breve passagem pelo Rio Open é o hábito de “limpar” a linha do fundo antes de qualquer game, seja para sacar ou para receber. Não sei se é TOC, pura milonga (ganha tempo com esses gracejos) ou se ele faz apenas para criar uma mística sobre a sua figura.
    Dalcim, é impressão minha ou em torneios menores os árbitros se sentem mais intimidados em aplicar punições nos figurões? Durante a final da Sttutgart do Nadal contra o Troicki mostraram em determinado momento a média de tempo de saque de cada tenista e ficou claro que o Nadal estava estourando por muito o seu tempo de serviço. Ao mesmo tempo, vi um Haiden Maurer tomar quase 10 “foot faults” no jogo contra o Monfils, na segunda rodada do mesmo torneio. Há um tratamento diferenciado por parte dos árbitros?

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      É bem normal o tenista limpar as linhas, Gilvan. Muitos fazem isso para não confundir com um próximo ponto. Quanto ao tempo, acho que nunca devemos exagerar. Quando você disputa um ponto muito longo, ou quando está 30 graus à sombra, acho cabível o árbitro segurar a barra. É bem possível que cada árbitro se sinta menos à vontade de punir uma grande estrela, porque talvez leve vaia até do público! rsrs

      Responder
    2. Zacarias Novais

      Gilvan
      Com essas suas perguntas eu fiquei na dúvida se você joga tênis, ou pelo menos se já jogou tênis no saibro.
      Se você não sabe a linha da quadra de saibro é de um material sintético (plástico) que é bem rígido e liso. Superfície dura e lisa, salpicada com pó ou minúsculos grãos de terra gera uma superfície super escorregadia, como bolinhas em um piso de cerâmica. Se a bola quica na linha suja de terra (pó de tijolo) é evidente que ela vai ganhar muita velocidade. O lógico é o jogador limpar a linha de base para evitar que ela acelere mais que o normal em virtude dessa característica. Portanto é algo totalmente racional e inteligente, fato que todos os tenistas mais precavidos devem fazer. Não é nenhum TOC!!
      Segundo: uma coisa é o tempo que o jogador tem para reiniciar o ponto seguinte, é uma regra específica, outra bem diferente é “foot Faults” que é a falta de pés ao sacar. Conforme a regra não é permitido tocar a linha de base, ou a quadra de jogo sem antes tocar a bola ao sacar. Esse tipo de falta por parte de um profissional é algo muito bizarro. Cometer tantas faltas em um jogo indica que o jogador sofre com um problema de fundamento grave no saque. Qual relação tem entre as duas coisas? Nenhuma!

      Responder
      1. Carlos Reis

        Hahaha O cara quer contrariar a física, nenhuma bola em nenhuma quadra “ganha” velocidade ao tocar o piso, apenas vai frear mais ou menos, no saibro a bolinha perde mais velocidade ao tocar o solo do que nas quadras duras ou de grama, acho que não é difícil de entender…

        Responder
        1. Zacarias Novais

          Carlos Reis no saibro sim, desde que quique na parte da terra. Não sei se você sabe, existe uma coisa chamada “fita” plástica que serve para a marcação dos limites da quadra de saibro que é feita de plástico e é bem lisa, ou seja, a bola quica mais veloz e de forma mais irregular de que quando quica no saibro. Já ouviu falar nessa fita? Além do mais, ela não quica e fica mais veloz, já que pelas leis da inércia, ela tende a parar, mas sua velocidade ao quicar é mais rápida que a da superfície normal da quadra, pois a fita é mais escorregadia, o que confunde o jogador. Isso ocorre até na marcação de tinta nas quadras de piso sintético.

          Responder
  44. Cynthia - Araçoiaba/SP

    Dalcim, desculpe fugir totalmente do assunto. Fui sorteada com ingressos de tenis nas olimpiadas!!!!! Nao entendi quais jogos exatamente assistirei. Está escrito assim, FEM E MASC QF/SF E DUPLAS. Quadra central. Quartas e semis? Quartas do fem e semis do masc, ou o contrario? Ou quartas sao iguais as semi em olimpiadas? Desculpe minha ignorancia! Obrigada

    Responder
    1. José Nilton Dalcim

      Provavelmente nessa data acontecerão quartas da chave feminina (1 ou 2 jogos) e semi da masculina (1 ou 2) ou viceversa, além de alguma rodada de duplas. Abs e parabéns!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *