O que esperar de Wawrinka e Djokovic
Por José Nilton Dalcim
9 de junho de 2015 às 10:29

Digerida a final de Roland Garros, saborosa para um e amarga para outro, fica a dúvida natural: como será a sequência da temporada de Stan Wawrinka e Novak Djokovic? A resposta pode vir logo em Wimbledon, uma superfície onde o suíço nunca brilhou mas o sérvio tem feito ótimas campanhas.

A expectativa positiva é que desta vez Stan absorva melhor sua notável conquista, coisa que ele reconheceu ter dificuldade em assimilar depois do Australian Open de 2014. Talvez o próprio título um tanto imprevisível em Paris tenha sido fruto de uma forma mais profissional porém descontraída, combinação que parece essencial para seu estilo de jogo, de risco constante.

A cobrança da mídia e dos fãs continuará alta, porque se já era raro alguém quebrar a hegemonia dos Big 4 nos grandes torneios – e aí vamos incluir não só os Grand Slam, mas também os Masters, Finals e Jogos Olímpicos -,  Wawrinka conseguiu a façanha por duas vezes no espaço de 18 meses. O mais notável: em pisos distintos e derrotando os monstros sagrados Roger Federer, Rafael Nadal e Novak Djokovic.

A grama não tem sido seu melhor piso. Em 20 torneios disputados ao longo da carreira, soma apenas 21 vitórias. Mas é importante observar que no ano passado ele deu um salto de qualidade, com uma semi em Queen’s (barrado de novo por Grigor Dimitrov) e quartas em Wimbledon, onde tirou Istomin, Lu e Feliciano antes de cair em quatro sets para Federer. Ele está previamente inscrito para retornar a Queen’s na próxima semana, onde estão Murray e Nadal.

Mesmo campeão em Roland Garros, Stan não vai estar na lista dos principais favoritos para Wimbledon, o que será um bom negócio, porque afinal Djokovic defende o título, Andy Murray é o dono da casa, Federer tem sido o melhor que já pisou lá e Nadal busca recuperação e um tri. Além disso, dificilmente se espera que o campeão do saibro em Paris se dê bem na grama, dois pisos ainda um tanto distintos apesar de tudo. Até Rafa conseguir o incrível feito em 2008 de ganhar Roland Garros e Wimbledon seguidamente, o que Federer faria em 2009 e o espanhol repetiria em 2010, havia uma lacuna de 28 anos até Bjorn Borg.

Djokovic, por seu lado, mantém provisoriamente a ideia do ano passado e não está inscrito em qualquer torneio de aquecimento na grama até Wimbledon. Talvez mude de ideia e peça um convite, já que agora são três semanas de intervalo. A iniciativa funcionou bem no ano passado – e nem era inédita, Borg sempre fez isso – porém eu mudaria em função da derrota em Paris. Explico: seria melhor voltar ao circuito em outro torneio que não Wimbledon, onde a pressão será muito maior. Ele é o atual campeão, além de tudo, e a grama continua traiçoeira nas primeiras rodadas, em que o piso está intocável e portanto mais liso, além de ter um ‘timing’ que sempre exige ajustes.

Obviamente, é impossível avaliar como será a reação psicológica do sérvio após a frustração de Roland Garros. Nos últimos tempos, ele se mostrou uma fortaleza no plano mental, daí ter atingido tão grande hegemonia no circuito, porém essa foi sua maior fraqueza contra Wawrinka. Se arriscar ir direto a Wimbledon, terá de torcer por uma chave favorável e evitar um franco atirador, do tipo Ivo Karlovic, logo numa primeira rodada.


Comentários
  1. Willian Lopes

    Eis que finalmente a quadra Philippe Chatrier foi exorcizada, claro sem desmerecer o que Nadal conquistou por lá, sem dúvida ele é digno de todo reconhecimento por seus feitos, mas já estava mais do que na hora de RG ter um novo vencedor. Apesar da sova que Nadal levou de Nole, o espanhol caiu de pé lutando como o grande campeão que é, mas acho que dificilmente voltará a jogar naquele nível que já o vimos em outros tempos. Parabéns Wawrinka, deixou Djokovic totalmente perdido e sem saber o que fazer em quadra, título mais do que merecido.

  2. Marina

    O Rafael (que parece ter uma fixação macariana pelo Federer) disse que o Djokovic está surrando detonando o suiço nos últimos confrontos e se aproximando no H2H. Nos últimos 8 confrontos, foram 4 vitórias para cada lado. E se considerarmos que Federer já está longe do seu auge, e o Novak é o tenista do momento, quem está no prejuízo é o sérvio.

    1. Rafael

      Já que fui citado….

      O problema não é pelo Federer- cujos feitos passados admiro, como a conquista de um Slam em Wimbledon, quando ultrapassou Sampras, em cima do “poderoso” Andy Roddick, no QUINTO SET, com DEZESSEIS a QUATORZE no set final. Sem dúvidas, um massacre, como esperado em um jogo de 2 tenistas de qualidades tão díspares. Um, limitado ao saque, se a bola voltasse não sabia o que fazer com ela. Outro, o aclamado melhor da história. Depois dizem que Djokovic ganha o que ganha pq n tem adversários.

      O que me divirto em fazer é contra-argumentar com aqueles que vivem depreciando os feitos de Djokovic, com quem simpatizo, e que nunca comparei a Federer. Federer, para mim, não cheira nem fede, é bem como a cara de pastel dele. O que me motiva a postar são pessoas como vc, que gostam de manipular números para servir a sua conveniência. Diga-me: Há 10 anos – Federer no auge, e ainda estaria por muito tempo – quando estava o H2H com Djoko? E quanto está hoje?

      Contra fatos não há argumentos.

      Abs, Marq, digo, Marina. Ato falho.

      1. Rodrigo S. Cruz

        Então não entendo este seu pensamento.

        Há 10 anos os tempos eram bem diferentes de hoje. É lógico que a tendência era o Djoko melhorar e o Federer ter um declínio. Mesmo assim o suiço continua dando trabalho pra um tenista como ele, que vem voando nesta temporada. Isso não é digno de consideração?

        E não é porque alguns poucos desrespeitam o sérvio que você vai se achar no direito de fazer o mesmo com o Federer. Tem muito fã do suiço que não é adepto dessas babaquices e não merece entrar aqui e ler tantos insultos aos seu ídolo…

          1. Rafael

            Rodrigo:

            1) Compreendo q você n entenda meu pensamento; vc n gosta do q escrevo, como já demonstrou em outra postagem, n lê direito (ou praticamente nada) sobre o q posto, e é apenas + 1 na lista dos q pensam saber argumentar manipulando palavras/ colocando palavras na boca dos outros. Explico:
            – acho q em 1 de minhas últimas postagem antes dessa, disse q o H2H p mim n vale quase nada, é subjetivo demais p poder dizer algo por si só. Mas, se a pessoa, como no caso a q postou c o nome d Marina, utiliza “os últimos 8 confrontos” p desmerecer meu argumento, eu utilizo tds os confrontos, ou os dos últimos 10 anos, ou os d qto tempo achar conveniente, porque se a tendência natural era Federer entrar em declínio, a anterior era q Federer vencesse Djoko mto + facilmente do q acontece hoje. Ou seja, são elas por elas, nenhum período é diferente do outro, e o resultado final do embate direto é (por enquanto) 20×19, ou seja, contra Djokovic, Federer, no contexto geral, encontrou sérias dificuldades para exibir seu jogo d melhor d todos os tempos, e a superioridade numérica praticamente inexiste, embora seja quase q irrelevante enquanto conceito.

            “Algumas poucas pessoas”, q não são poucas, desrespeitam o sérvio, e eu apenas contra-argumento, baixando, igualando ou elevando o nível d minha argumentação conforme o nível daquilo q leio. E vou continuar a fazer isso sempre q desejar, ou até qdo José NIlton Dalcim, dono do blog, moderar meus posts ou me banir. Dalcim é o ÚNICO que pode por regras por aqui, até q delegue isso a + alguém, e eu as leio atentamente: 1) Não farás posts longos demais (dirigido a mim, e estou desrespeitando, mas de forma não intencional), 2) Não ofenderás jogadores ou outros participantes do blog; 3) Aceitarás as diferenças de opinião e a gozação sadia).

            VOCÊ não impõe regra nenhuma por aqui, e certamente sua opinião n tem relevância no q eu acho ou não q tenho direito de fazer.

            Com admiradores sérios do tênis, nunca desrespeitei Federer. Seria tolo d minha parte, o cara tem resultados melhores do q os outros em praticamente tudo.

            Por último, vc n sabe o q outras pessoas merecem ou não, n se apresentou como advogado de ninguém. Tampouco vi vc censurando qlqr post q desrespeitasse ou fosse sarcástico c o sérvio (apesar d confessar q não leio exatamente td que vc posta, pode ter me passado alguma coisa). Então, seria mais bonito vc falar apenas em seu nome, e não tentar fazer parecer que representa alguém ou um grupo d pessoas.

            Por último: “seu” ídolo está certo. O ídolo das pessoas, delas. Seu post corrigindo o q estava certo foi desnecessário.

            E esse argumento, prospera? Tbém entendo de linguagem de advogado.

            Abs

      2. denilson

        simples …seu argumento é no minimo discrepante ..vamos avaliara djokovich quando chegar aos 33 e ver se ele será 2 do mundo pelo menos e fazendo finais constantemente ..que chegará aos 33 anos ainda sendo Top , ?? quem fisicamente visto que djokio em todo torneio pede pelo menos 01 fisioterapeuta de plantao em algum jogo ..Aos 33 duvido que djoko seja relevante !!

        1. Rafael

          SE minha mãe tivesse bigode eu teria 2 pais. E o meu argumento é discrepante.

          Dalcim, obrigado por tudo, por todo o seu esforço em manter este espaço e o site como um todo para admiradores de tênis, vou continuar acompanhando seus posts e dar um descanso aos comentaristas de alto nível do blog, a mim e a vc, que deve ficar imaginando se libera ou não cada comentário meu.

          Grande abraço!

          PS: Li q vc disse q admira Paulo Cleto, ou algo assim. Em questão de estilo de análise e de redação sou mto mais vc.

  3. Gildokson

    Não se conformam que a padronização do circuito ( em busca de longos e emocionantes ralis) que parece agradar mais o publico ja que o esporte se torna cada vez mais popular, tenha sim prejudicado o jogador que mostra mais versatilidade entre os top. É só pegar como exemplo “aquele” saibro azul certa vez em Madrid, onde todo mundo ficou reclamando e se lamentando e o Gênio foi la e brincou conquistando o título.
    Todo mundo sabe que com a grama do jeito que esta ficou melhor pra um certo espanhol…

  4. Renato

    Não estou gostando nenhum um pouco da fama que o rublev está pegando de mal educado. O murray pelo menos quando fica nervoso não desconta nos outros e sim em si mesmo nos jogos ,demonstrando frustração com suas jogadas, mas sem tratar mal os adversários. Esse segundo episódio com o argentino se sabe como foi Dalcim? O rublev já tinha histórico de maltratar os adversários no juvenil?

    1. José Nilton Dalcim

      Não foram comentados detalhes, Renato, então melhor esperar os fatos. Não conheço casos do juvenil, mas o Verdasco já tinha reclamado dele em Barcelona, onde foi mesmo muito espalhafatoso nas comemorações.

  5. Luiz Fernando

    Se o Wawrinka q venceu RG tem uma barriguinha de chop como alguém mencionou abaixo, e o Baghdatis? A barriga desse deve ser da pior feijoada possível, ou seja, Rafa venceu um ninguem hj, não fez mais do q a obrigação, e ainda levou quase 3 hs p isso. Pelo menos foi menos ruim do q no ano passado em Halle, quando, na primeira partida sobre a grama, perdeu p o Brown, q um ignorante chamou de Brow num outro comentário, coisa de aposentadorete sofasista. Vi os melhores momentos, q me pareceram mediocres, ratificando minha impressão sobre o péssimo momento do Rafa. Agora tem algo de comico nisso tudo: jogando dessa forma, em meia temporada praticamente, ele está meros 265 pontos atrás do estupendo, magnífico, fantastico cansadão aposentado na corrida dos campeões (http://www.atpworldtour.com/Rankings/YTD-Singles.aspx), ou seja, este é tão ou mais mediocre do q o Nadal, pois não vem de um semestre de contusões e tem uma campanha similar, ou seja, pífia e mediocre. Quem le o q alguns alienados de sempre postam, imagina q o cansadão tem 10.000 pontos, e a realidade é bem outra, com praticamente metade dos torneios principais jogados em quadra dura. Mas em se tratando dessa turma, nada me surpreende kkk…

    1. Lucas

      IRONICO COMO OS NUMEROS NAO REFLETEM A REALIDADE NA MAIORIA DAS SITUAÇOES NADAL TEM 265 PONTOS A MENOS DO QUE FEDERER E APANHOU BEM MAIS NA TEMPORADA BERRER EM DOHA PNEUZINHO DE BERDYCH NA AUSTRALIA FOGNINNI NO RIO RAONIC EM INDIAN WELLS VERDASCO EM MIAMI FOGINNI DE NOVO EM BARCELONA DKOKOVIC EM MONTE CARLO MURRAY EM MADRI STAN EM ROMA CULMINANDO COM A SURRA EM PARIS MAS NEM TUDO NA TEMPORADA 2015 FOI RUIM PARA NADAL ELE FATUROU O GRANDIOSO CHALLENGER DE BUENOS AIRES….

    2. Lucas

      CARACA QUE INFORMAÇAO INTERESSANTE O NADAL TA CONSEGUINDO FICAR ATRAS DE UM APOSENTADO NO RANKING DA TEMPORADA COM 5 ANOS A MENOS E DISPUTANDO TUDO QUE E TORNEIO INCLUSIVE SE AVENTURANDO EM UM CHALLENGER NA CAPITAL DO TANGO ? RAPA…..

    3. Rodrigo S. Cruz

      Pífios e medíocres são esses comentários.

      A mesma “gororoba” enjoativa de sempre: ” Cansadão isso, Cansadão aquilo”. Deve ser algum caso extremo de paixão recolhida, não tem outra explicação…

    4. Rafael Wuthrich

      Luis, a diferença pouca é que Nadal jogou um torneio a mais que Roger e fez uma campanha melhor no Australian Open.

  6. Ricardo Massagardi

    Olá Dalcim

    Qual a diferença (mecânica, execução,sei lá…) entre o backhand do Wawrinka e o do Federer, que faz com que um deles fique muito menos “incomodado” que o outro com as bolas cheias de spin jogadas naquele lado ?

    Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Uma delas é o fato de o Wawrinka não jogar tanto em cima da linha. Outra é a empunhadura um pouco mais radical do Stan, que favorece os spins.

    2. Sergio Ribeiro

      Permita-me discordar , meu caro Ricardo. Rafa Nadal chegou a abrir 12 x 0 com Surras em todos os Pisos. Nesta fase atual do Espanhol , Stan finalmente venceu uma no Saibro. Continuo vendo Novak com o Backand de Duas mãos e pegando na subida, como aquele que e’ menos incomodado com o Spin alto do Espanhol.Abs!

      1. Marco Dias

        Me intrometendo na conversa, de fato Djoko se vira bem com o golpe do Nadal no back, mas me parece que o colega quis comparar Wawrinka x Federer, já que ambos tem back de uma mão. É fato, que a tática do Nadal de “se criar” no backhand não funciona com Wawrinka como funcionou com Federer. Não vamos nem pegar o jogo de Roma (pois claramente o espanhol está muito abaixo ultimamente), creio que a final do AO2014 mostra melhor que a tática de forçar no back do Stan não foi lá muito eficaz.
        Stan começou a encarar os Tops de igual pra igual há pouco tempo, não é só de Nadal que ele apanhava antigamente, mas dos outros também.

        1. Ricardo Massagardi

          Exatamente Marco. Djokovic (assim como alguns outros tenistas com backhand de duas mãos) tem menos dificuldade em rebater as bolas cheias de spin do Nadal. Comparei Wawrinka x Federer porque percebo que Federer (apesar de eu achar que ele tem um bom backhand) sofre muito mais com essas bolas.
          Muito bem lembrado a final do Australian Open 2014 para ilustrar como Wawrinka não se incomoda tanto.

  7. Ivan

    Prezado Dalcim!
    depois da final em Paris, acho melhor não arriscar mais nos palpites, com antecipação pior ainda! Espero bom desempenho do Federer e do Murray com base no histórico de um e a torcida local para o outro, em Wimbledon. O Djoko sempre jogou bem após as transições de superfície e isso não deve ser problema. Concordo que a cabeça vai fazer mais diferença desta vez. Estava torcendo muito pelo career slam dele, principalmente depois do jogo contra o Nadal. Como torcedor, acho que o sofrimento pós-jogo é maior, eles são profissionais e é “obrigação” deles dar a volta por cima, o tênis exige. De qualquer forma, acho que o Djoko se comportou muito bem e reconheceu todo o mérito ao Stan, que jogou demais. Julgar o caráter alheio é muito difícil e meu comentário não tem este objetivo, mas no esporte, o bom caráter se vê na derrota. Falar bonito depois de ganhar é fácil demais.

    Grande abraço!

  8. Juscelino Júnior

    Dalcim, vendo o jogo do Nadal hoje (só vi os dois primeiros sets) me senti assistindo a um jogo em que um time de futebol joga muito mal, mas aos trancos e barrancos acaba vencendo. Claro que tênis não é futebol, por isso acho que se quiser ganhar esse ATP 250, o espanhol vai ter que evoluir bastante. Continua inconstante, errático e hesitante. Não te parece isso também Professor??

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas na grama é mais ou menos isso. Os primeiros dias são uma tortura. Acho que o teste bom mesmo será contra o Tomic, vamos ver.

  9. Luigi

    Oi Dalcim,

    Você consideraria o Wawrinka no mesmo nível do Murray, melhor ou pior? digo porque os dois tem 2 GS.

  10. Luigi

    Quanto a essa discussão sobre a popularidade do Djokovic, eu vi alguns dos jogos dele e a impressão que tenho é que ele esta acostumado a ter uma grande parte da torcida contra. Agora uma coisa é não ser o jogador preferido da torcida, outra é o reconhecimento do esforço e do talento. Acredito que os 3 minutos de palmas que ele ganhou na entrega do RG foram legitimas sim.

    Pessoalmente nunca gostei do drama que ele faz (ou fazia) quando estava em um momento de aperto. Digo drama, porque nunca vi ele machucado de verdade. Na hora do sufoco sempre parecia que estava doente, machucado, etc… logo depois, levantava e saia fazendo jogadas espetaculares.
    Como não existe regra contra teatro, não vejo isso como errado. Talvez não é o que se espera do grande tenista que ele é, talvez não seja muito popular, mas é lícito.

  11. ISAQUE

    Dalcim, vou cravar aqui. A partida do Nadal contra o Baghdatis hoje, foi a pior que eu vi o espanhol fazer em toda sua carreira, frisando bem que foi a pior que eu vi, não assisti todos os jogos da carreira dele.
    Dalcim ele jogou um monte de bola na rede, mesmo tendo a bola com mais spin da história, jogou um monte de bola pra fora, deu várias madeiradas, que não é comum pra ele,chegou desequilibrado nas bolas que não pareciam ser difíceis e o pior, teve muitos erros não forçados mesmo quando bateu na bola equilibrado.
    Nadal ganhou essa partida porque enfrentou o número 62 do ranking e um dos jogadores mais descontrolados emocionalmente que eu já vi, junto com haas e Bellucci, são os top da lista dos mente fraca.
    O cipriota deve ter perdido uns 15 breaks fora os 30 a 0 e 30 a 15 que ele teve no saque do Nadal,o Baghdatis já tá na hora de repensar a carreira e o Nadal pode estar perto do fim se continuar nesse ritmo.
    Ansioso para ver como será o jogo contra o Tomic.

    1. Fonseca

      Nadal jamais se importou com isso. A única coisa que importa para ele é ouvir no final: “Game, set and match, Nadal”.

  12. josé

    Dalcim, então pra você Federer é tão melhor que Djokovic e Nadal assim?
    Porque você não acha que ele venceu os slams dele em uma entressafra e acha que se não fosse a padronização das quadras ele teria vencido mais slams do que ele conseguiu e Djokovic e Nadal teriam ganho menos. Relaciona a baixa dos títulos dele para algo ocorrido no circuito(padronização), mas não relaciona o auge dele a um outro ocorido do circuito(entressafra)?

      1. José

        Dalcim, acho esquisito você falar isso, porque desmerece a conquista dos tenistas. Ainda mais estando no achismo.
        Estamos no campo da suposição, nunca saberemos quem está correto. Mas eu acho que Federer se beneficiou mais da entressafra do que Nadal e Djokovic da padronização. Ele não teve culpa claro, assim como Nadal e Djokovic não tiveram no segundo caso. O fato é que Nole soube se adaptar as lentidões das quadras(já que no começo de sua carreira sempre gostava de ser ofensivo), Federer deveria ter feito o mesmo.

        1. José Nilton Dalcim

          Não entendi onde estou desmerecendo qualquer tenista, José. Ao contrário, se houvesse algum desmerecimento seria justamente contra o Federer, se valer a teoria da ‘geração fraca’. Não compactuo com essa coisa de “Federer teria vencido mais 10 Slam se…” Não há como de forma lógica fazermos tal avaliação, porque o condicional no esporte é algo muito relativo. Djokovic era o favorito para ganhar Roland Garros, mas não ganhou. Não existe resultado pronto. Abs!

          1. José

            Dalcim, eu também acho que dizer que Federer jogou em uma era fraca é desmerecer as conquistas dele, ao mesmo tempo que considerar que Nole venceu Wimbledon porque a quadra ficou mais lenta é desmerecer a conquista dele, você não acha?
            Concordo com você que estamos no campo da suposição, então esse negócio de geração fraca não tem como ser comprovado. Mas a mesma analogia eu faço com a padronização das quadras. Se as quadras fossem mais rápidas não necessariamente Nole não teria vencido Wimbledon e podia ser até que vencesse mais slams do que venceu. Ninguém pode afirmar nada. Já que, como você disse, não há como de forma lógica fazermos tal avaliação.
            Gosto muito de seu blog, só pra constar.
            Abraço.

          2. José Nilton Dalcim

            Exato, José. Djokovic como tantos outros adaptaram seu jogo, como Federer também teve de fazer para jogar bem no saibro e Nadal para ganhar o US Open. A padronização não é ruim para este ou aquele jogador, mas não acho legal para o tênis como um todo, porque o esporte ficou menos diversificado. Abs!

          3. Renato

            Só sei que a partir do surgimento do nadal em 2005 foram mais 13 slans. Ganhou 20 em 39 confrontos com djo. Ainda assim conquistou uma boa quantidade de slans. A capacidade dele é inquestionável. Mas vou ser realista para mim ele é mais da geração nadal djo etc do que andy e etc. Jà cansei de ver ele jogar com nadal , djo , murray e etc. Para inicio de conversa ,se não me falhe a memória ,o cara que ele mais enfrentou foi djo. Concorda dalcim que o federer é mais da geração nadal e djo do que do andy e etc?

      2. Gabi

        Dalcim,

        O quanto você acredita ou acha que tem de validade esse argumento de “entressafra” ou “era fraca”?
        Na minha humilde opinião, não faz muito sentido achar que uma era toda de tenistas é pior que outra… nem parece possível. Agora coincidentemente temos dois ou três tenistas fora de série… pode ter haver com a padronizacao do circuito não?
        Talvez um Sampras agora não ganharia o AO… ou o Nadal não ganharia Wimbledon em 2000… sei la…

        Abraços!

        1. José Nilton Dalcim

          É uma argumentação, Gabi, e toda argumentação está sujeita a fatos e falácias. Depende do ponto de vista.

  13. Rodrigo Galdino

    Dalcim se me permitir gostaria de deixar uma sugestão.De vez em quando poderia fazer um post sobre uma grande lenda do tênis.Seus feitos,melhores golpes,estilo de jogo,impacto e infuência que tiveram no jogo.Indicar videos,documentários,biografias etc.Para leitores mais novos seria bem legal.Poderia começar pelo Laver rsrs. Abraço e agradeço atenção dispensada.

    1. José Nilton Dalcim

      Já fiz isso em casos pontuais, em que a situação do momento permitia. Eu prefiro usar o Blog para temas do momento, mas certamente fica a sugestão. Grato!

      1. Murilo Rodrigues

        Dalcim, poderia esclarecer quais são as regras o ranking protegido é aplicado, por quanto tempo vigora e a partir de que instante o mesmo é suspenso? Sei que é aplicado nas situações de problemas físicos/contusões mas não tenho idéia em quais regras se aplica.

        1. José Nilton Dalcim

          O tenista tem que pedir o congelamento do ranking para afastamento superiores a 6 meses, aí se calcula a média de ranking por três meses e ele será usado quando o tenista decidir retornar. Ele poderá usar por 9 torneios ou 6 meses. O ranking protegido só serve para inscrição, não para determinar cabeça de chave.

  14. Marco Dias

    Dalcim, sou leigo em algumas terminações tênísticas… as minhas afirmações abaixo estão corretas?

    Bola com topspin = bola com efeito = quica mais alta = passa mais alta na rede = ideal para complicar a devolução do adversário
    Bola chapada = sem spin = bater reto = passa mais próximo à rede = bola anda mais = ideal para winners

    Abs!

  15. Marquinhos

    Rafael, i papai de Novak disse uma vez que ele seria o sucessor de Roger. Kkkkk Concordo que ele tem sido superior nos últimos anos, mas não se esqueça que em 2012 Roger, com 31veceu Wimbledon e foi N 1 do ranking mesmo por pouco tempo. Há, se Novak vem sendo tão superior assim, por que ele ainda está longe dos números do mestre em slam e semanas na liderança?

    1. Rafael

      Vamos colocar de outra forma, ele vem surrando Roger sistematicamente, e não me fale de Dubai ou de outro resultado isolado, é só ver o H2H, que já está quase lá – pena que Roger não avance mais para as fases em que poderia enfrentar Novak, ou já teria ficado para trás.

      Brincadeira, viu? H2H pra mim n quer dizer nada, não perca as estribeiras.

      Abs

    2. Implicante III

      Não foi o pai do Djokovic que falou e sim a mãe dele, a mãe dele enquanto mãe disse muito antes de 2011 que o filho teria tudo para “quebrar” os recordes do RF.

      1. Rafael

        No fim das contas, o que importa o que o pai e/ou a mãe falaram? Se minha mãe me achar mais bonito do que o Brad Pitt ela estará falando uma grande besteira, mas é o que se espera de uma mãe: defender a cria.

        É por isso que fico de saco cheio. Djokovic tem que responder (não tem, só seus detratores acham isso) até pelos exageros maternais, mais do que compreensíveis.

        O resto é tudo bom moço.

        PS: Aliás, ontem, no Twitter, o amaldiçoado (por vcs) Becker estava postando como foi mal-interpretado e que admira o jogador-homem-pessoa que é Federer. Fica a critério de cada um agora dizer se é a hipocrisia do bate e assopra ou se ele não quis dizer nada daquilo. Fico com a primeira hipótese.

        1. José Nilton Dalcim

          Aliás, a menos que eu esteja enganado, Becker declarou uns dois anos atrás que Federer salvava o tênis da monotonia.

  16. lEvI sIlvA

    Dalcim, ao ver na foto do post anterior, Guga e Wawrinka lado a lado pensei numa coisa e acho que poderia me ajudar. Imaginando uma ou várias partidas entre ambos em RG e saibro não hoje, mas no passado, com as raquetes e bolas da época o que poderíamos esperar do jogo? Digo, comparando o que um e outro fazem e faziam em quadra?

  17. José

    Dalcim, pra você, se não fosse a padronização das quadras, o Federer teria mais que 17 GS e Djokovic e Nadal teriam menos slams do que eles tem?

      1. Arthur

        Aproveitando o gancho do comentário, quando foi mesmo que começou essa história de padronização das quadras, Dalcim?
        Alguma possibilidade no futuro próximo de que a ATP venha a permitir maiores variações de pisos, para modificar a velocidade das quadras e aumentar a imprevisibilidade dos campeonatos?
        Um abraço.

        1. José Nilton Dalcim

          Ali pela metade dos anos 2000. Sim, tudo é possível, Arthur, depende dos tenistas, do público, dos promotores se mexerem.

        2. Fernando Brack

          Dalcim, eu tenho ideia fixa de que o grande fator responsável, talvez o único,
          pela uniformização da velocidade de jogo entre os vários tipos de quadra foi
          a mudança nas bolas (tamanho e peso). Por mais que eu ouça argumentos,
          não consigo crer que mudanças nos pisos provoquem alterações de grande
          impacto na velocidade do jogo, muito especialmente a grama, que não vejo
          em que aspecto poderia ser tão modificada assim.
          Para mim, essa estória de mudanças nos pisos é uma grande falácia, e por
          outro lado, o impacto da mudança nas bolas é facilmente compreendido.
          Eu nunca vi uma declaração da ATP de que os pisos teriam mudado.

          1. José Nilton Dalcim

            Pios a grama teve uma mudança fundamental, Brack, que foi deixar o piso mais duro e com isso a bola quica muito mais alta.

          2. Fernando Brack

            É esse o meu ponto, Dalcim. Eu não consigo aceitar que a grama fique com
            um comportamento tão diferente apenas porque a sua base ficou mais dura,
            até porque não vejo como essa maior dureza possa ser tão acentuada.

          3. José Nilton Dalcim

            Tente assistir Wimbledon de 10, 20 anos atrás. Aliás, o duelo Sampras x Federer, e você talvez note melhor a diferença.

  18. Henrique Farinha

    Dalcim, aí vai uma ideia pra um post que certamente vai dar pano pra manga (e muita porrada e discussão no blog… rsrs): a imagem dos tenistas e como isso se reflete em ganhos. Segundo notícia que o próprio Tenisbrasil reverberou, o ranking dos tenistas que mais ganharam nos últimos 13 meses foi:

    Posição de cada tenista no ranking geral de atletas de todas modalidades, o rendimento total e apenas com patrocínio:

    5º. Roger Federer: US$ 67 milhões – US$ 58 milhões.
    13º. Novak Djokovic: US$ 48,2 milhões – US$ 31 milhões.
    22º. Rafael Nadal: US$ 32.5 milhões – US$ 28 milhões.
    64º. Andy Murray: US$ 22,3 milhões – US$ 16 milhões.
    92º. Kei Nishikori: US$ 19,5 milhões – US$ 15 milhões.

    As posições de Noshikori (mercado asiático) e Murray (1o britânico em décadas a ganhar GS e Wimbledon em especial) são compreensíveis. Djoko estar à frente de Nadal também, pois é o #1 do mundo. Agora, Federer estar tão à frente, e mais, ser disparado o atleta do mundo, não importa a modalidade, que fatura mais com patrocínios, mesmo sem ganhar um GS há tanto tempo e sabidamente não sendo mais o mesmo é notável. Faturar mais do que o dobro de Nadal é também espantoso. A que vc acha que se deve tamanha diferença? Sinceramente, foi algo que me surpreendeu. Nem tanto o de Federer arrecadar mais, mas tão mais. Penso que Djoko ainda tem um bom caminho pela frente e não conta com o mesmo “share of mind” dentre os aficcionados de tênis em geral, porém, como #1 do mundo e um cara que gosta de marketing – eu que o diga… -, é natural que esteja nessa posição. Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Vamos lembrar que alguns desses contratos são de longa duração, portanto foram assinados há algum tempo e disso certamente o Federer se beneficia, casos da Nike, Rolex, Wilson. Mas não há dúvida que o suíço é muito mais do que ganhar/perder. Sua imagem é importante para um patrocinador porque independe das grandes conquistas.

      1. Henrique Farinha

        Dalcim, sem dúvida! Mas, também por essa lógica, Nadal deveria se beneficiar, já que ele dividia a preferência da esmagadora maioria dos fãs com Federer até bem pouco tempo e igualmente teria vários contratos de longo prazo como ele. E Djokovic já está à frente dele, sendo que Federer está muito à frente de ambos. Penso que a questão está realmente mais ligada à imagem de cada um e que a de Federer é bem mais valorizada pelos patrocinadores, vc não acha? Abs!

        1. José Nilton Dalcim

          Ah, não tenho dúvida, farinha. Os valores dos contratos são astronômicos mesmo. E olha que não está nessa conta os bônus de patrocinadores e o cachê altíssimo que ele pede para exibições e torneios menores.

    2. Marquinhos

      Mesmo perto do final da carreira, Federer representa Mais para o esporte do que os outros tenista. Tem mais torcida, mais carisma, marketing, além de ser melhor tenista, claro. Pra mim surpresa nenhuma, mas acho que Novak ganha demais pra quem não e muito querido e não ter muito apelo.

  19. Spencer Santos

    O Novak “Sem Glúten” Djokovic deve estar “P. da vida”, mas bota “P.” nisso. Esses caras não precisam de dinheiro. Vivem em função da glória. Para ele, óbvio, ter um RG e completar o Slam seria mais uma glória. Já o Stan “Barriga de Chopp” Wawrinka é suiço genérico do 8 ou 80. Normalmente, mais 8 que 80, ou seja, em tese, veremos uma nova sequência de 8, inclusive em WB. Agora, falando do meu menino, puxa vida, que tristeza…rs. Porém, ele já está invicto na grama, passando em duplas por duas rodadas, ou seja, já está na semifinal…rs. Saudações Nadalistas eternamente! (P.S.: O José Firmino não me explicou o que quer dizer “OMG! VIDA QUE SEGUE! BAMOS!”.

  20. El loco

    Não gostar de Federer e Djoko tem de montes no circuito.
    Agora, todo mundo quer ser amigo do Baghdatis para um convite nas animadas festas que ele promove.

  21. implicante

    Dalcim, voce coloca o Rafa como 4° favorito em Wimbledon… Tem certeza? Vc está certo disso? hahaha
    O que ele fez na grama, nos ultimos 3 anos? Nem semi… E ainda nesse momento de declinio fisico e tecnico, a situação deve ser pior.

  22. Paulo

    Boa tarde Dalcim, está explicado:

    5º. Roger Federer: US$ 67 milhões – US$ 58 milhões

    13º. Novak Djokovic: US$ 48,2 milhões – US$ 31 milhões

    kkkkkkkkkkkkkkkkk. Mudando de assunto, voce saberia informar se o Meligeni e o Saretta possuem formação acadêmica? Abraço.

  23. Marina

    Dalcim, há rumores de que o Stan está namorando a tenista de 18 anos, Donna Vekic. Esse torneio inspirado do suiço não tem a ver com a nova fase da vida pessoal? Ele sempre me pareceu muito emocional e com menos tato pra separar os problemas extra-quadra

  24. lEvI sIlvA

    Dalcim, meu caro, queria perguntar. No último post, muito por conta de uma final atípica, claro e mais ainda um campeão improvável se pensássemos no Stan antes de iniciar RG qual campeão, tivemos quase 500 comentários. Veja só, após a moderação, a média de comentários caiu bastante. Destes 461 que você deixou passar, há ainda muita coisa sem proveito? Digo, provocação gratuita, xingamento desnecessário e coisas do tipo, ou aprenderam a postar de forma educada e respeitosa?

  25. Everton Lenger

    Mestre Dalcim, boa tarde!

    Em primeiro lugar, me sinto obrigado a lhe dar os parabéns pela cobertura de RG. Todo dia eu abria seu blog para ver o post do dia, sempre com seus ótimos comentários. Sensacional! E haja pique!

    Em segundo lugar, eu estava pensando esses dias… Você sabe de algum bolão do tênis? Existem vários de futebol (participo de alguns), mas nunca vi nenhum relacionado ao tênis.

    Dito isso, o que você acha da ideia? Eu sou programador, ou seja, poderia desenvolver esse bolão (talvez apenas em Masters e Grand Slams) com participação do pessoal do blog. O pessoal faz apostas simples, apenas colocando o placar em sets, depois monta-se uma estrutura de ranking parecido com o tênis, sei lá.

    Eu tenho várias ideias e acho que seria divertido, mas para isso ser mesmo legal teria que contar com a participação do pessoal né? Se o Dalcim me permitir, gostaria de aproveitar esse espaço para saber as opiniões de vocês. Quem puder, responda dizendo o que acha da ideia. =)

    E você, Mestre, participaria da brincadeira?

    1. José Nilton Dalcim

      Esse processo já foi utilizado por muito tempo pela ATP, que premiava o vencedor com viagem ao Finals. Não é novidade, mas acho que muita gente gostaria de participar.

      1. Everton Lenger

        Uma pena eu não ter sabido desse bolão, acho que teria sido bem interessante participar. Saberia me dizer até que ano ele durou? Procurando rapidamente no Google, vi algumas notícias dele do ano de 2010 apenas.

        Bom, eu vou ver se os colegas do blog se manifestam e, enquanto isso, amadureço a ideia.
        Obrigado pela opinião, Dalcim!

  26. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Para Wimbledon, estou fazendo fé no Djoko e no Murray !!!
    Você acredita que Nadal, em Wimbledon, ficará entre os 8 cabeças de chave ou será mantido seu ranking nr 10 ?
    se for mantido, ele pode pegar um dos TOP 4 ainda nas oitavas !!!

    Outra coisa, muito se falou que o Nadal está com seu pior ranking em não sei quantos anos, mas não vi nada a respeito dele ter perdido a condição de melhor tenista espanhol (pelo ranking). Ano passado, com as seguidas contusões, ele chegou a perder o posto para o Ferrer, como agora ??

    Esta semana começa a definição para definir os tenistas que virão aqui no Rio nas olimpíadas. Como consegui ingresso para 7 dias, torço para que ninguém entre os TOP 10 desista de vir. Se fosse nesse ano o Bellucci estaria classificado sem depender de convite !!!
    Sabe se o Brasil será representado nas duplas mistas ?? e se for, melhor Melo/Teliana ou Soares/Teliana ??
    aliás nem sei se a Teliana é a nossa melhor opção para as duplas.

    abs

    Marcelo Calmon

    1. José Nilton Dalcim

      Nadal dificilmente evoluirá, porque não fez boas campanhas na grama nos últimos 2 anos e portanto não vai acrescentar muitos pontos. Muita chance de ficar fora dos oito cabeças. Não chequei se ele chegou a estar atrás do Ferrer, mas sinceramente não sei se isso muda alguma coisa. Por fim, as duplas mistas têm de ser formadas por atletas que estejam competindo em simples ou duplas. Acredito que consigamos até colocar duas duplas lá, Soares e Melo com Teliana e talvez a Bia ou a Paula Gonçalves. Abs!

      1. Marcelo Calmon

        Dalcim,

        outra dúvida quanto às Olimpíadas: qual o critério para classificação das duplas ? pergunto porque a maioria joga o circuito com parceiros de outros países. acredito que será considerado o ranking individual de duplas, mas e depois ? supondo que o 3º colocado seja de um país que o 2º lugar em duplas tenha o ranking 500º, esse país terá direito a participar ?? ou será pelo somatório dos rankings ? no caso 503º para esse país hipotético ?? sei que tem limite do nr de jogadores do mesmo país, incluindo simples e duplas .

        obg e abs

        1. José Nilton Dalcim

          Apenas os top 10 do ranking de duplas no dia 6 de junho de 2016 terão ingressos garantido. Eles poderão escolher qualquer parceiro que tenha ranking na ATP/WTA. As demais 14 duplas serão formadas com base no ranking de simples ou de duplas, dentro da lista de inscritos. Cada país só pode ter duas duplas em cada sexo. Haverá ainda oito convites da ITF, geralmente reservados para completar a chave de forma equilibrada e evitar distorções.

  27. FOSTER

    Pra mim Djokiller ainda tem 3 ou 4 chances para o career slam. Solicitou atendimentos nas quartas e nas semis, então acho inteligente se poupar msm para Wimbledon (lembrando que já funcionou antes ). Continua favorito sem dúvida , depois dele Murray , depois Federer, depois Stan , depois Nishikori , depois os grandes sacadores . Acho que Nadal não passa da terceira rodada , mas isso ainda veremos .

    1. José Nilton Dalcim

      Ordem seria arriscar demais, mas eu diria que aqueles que têm algum histórico recente, como Berdych e Tsonga. Acho que Wawrinka vem logo atrás.

      1. Marco Dias

        Acho q mesmo mais padronizadas ainda temos grandes diferenças entre os pisos… basta ver q Nishikori sumiu das listas de favoritos do slam britânico.

  28. Gildokson

    Sobre Roger e Novak, será que não tem algo haver sobre a postura do sérvio nos matchpoints das semifinais dos USopen 2010 e 2011??
    A cara do Federer querendo colocar logo a bola em jogo e Nole fazendo meio que uma ” seninha” antes de receber… e quando recebe dispara winners monstruosos salvando os matchpoints. Ou sera algo mais de bastidores Dalcim?

  29. Fonseca

    Que sapatada que a promessa Coric levou do “Não quero recolher sangue hojeTroicki” na grama de Stuttgart, 62 60… vichi….

  30. Fonseca

    Que fase, Feijão, que fase!

    O chileno Hans Podlipnik Castillo tem 27 anos, 23 títulos de Futures em simples e 29 em duplas, mas está em 208º no ranking, só este ano começou a aventurar-se mais em Challengers. Ai ai ai….

  31. Fonseca

    Dalcim, você crê que o Marcelo Demoliner acertou ao focar a carreira apenas em duplas? Ele não era tão bom em simples? Nunca o vi jogar, por isso pergunto. Abraço

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, podia ter tentado um pouco mais as simples. É um jogador de golpes agressivos, mais ou menos como o Ghem.

  32. Julio Sc

    Alguém conseguiu ser sorteado pros jogos de tênis das Olimpiadas? Tentei das quartas de final em diante e não fui sorteado.

  33. Rubens Leme

    Bom dia, biografias ou livros que contam determinados períodos de um esportista, músico ou mesmo algum movimento cultural, sempre trazem aquela velha pergunta: como alguém tão talentoso e capaz de fazer grandes obras pode ser um tremendo babaca?

    Por isso, me permita, Dalcim,que eu fuja do tênis para outros dois campos que amo tanto ou mais.

    Existem dois livros sensacionais para quem gosta de música e cinema. O primeiro se chama “Please Kill Me” (“Mate-Me por Favor,” no Brasil, editado em duas partes, pela L&PM) de Legs McNeil & Gillian McCain, que pretende abordar o nascimento do movimento punk e pega o período de 1965 a 1990. Um livro recheado de declarações de quase todos os músicos importantes daquele período (só David Bowie e David Byrne, dos Talking Heads, se recusaram a falar) onde se discute tanto a música e, principalmente, os podres. E como teve podre!

    Outro livro excelente sobre cinema, já esgotado, mas que deve se encontrar nas livrarias ou sebos dos grandes centros é “Como a geração sexo-drogas-e-rock’n’roll Salvou Hollywood”, de Peter Biskind, que aborda a geração dos cineastas norte-americanos que criou a Nova Hollywood – Francis Ford Coppola, Martin Scorsese, Robert Altman, Hal Ashby, Steven Spielberg, George Lucas, etc etc etc – e mostra como todos eles revolucionaram o cinema, salvaram a sétima arte até muitos deles verem suas carreiras se afundarem por problemas financeiros, drogas, mulheres, egos monstruosos e histórias horripilantes. Vale ler com atenção as filmagens de O Poderoso Chefão, Apocalypse Now e Stars Wars e O Exorcista.

    O livro aborda o período de 1965 a 1995, quando foi editado.

    Nada tem a ver com tênis, mas deixo a dica para quem gosta do estilo. Só espero que não se decepcionem muito com “seus ídolos”. No fundo, são apenas mais ricos e famosos do que nós. E muito mais babacas, com certeza.

    1. Implicante III

      kkkkk e tem quem morreu por causa de homem kkkk que rolem as cabeças no tênis também, como eu disse as “máscaras” tem que cair “uma” a “uma” kkkkk O Boris Becker está “doidão” para jogar a “porcaria” no ventilador.

  34. Marquinhos

    Sim, Nadal e maior em RG do que Federer e em Wimbledon. Mas, acredito que os slam de Roger na grama sejam mais importantes que os do baloeiro no barro. Por que? Wimbledon e o slam mais desejado, imprevisível e difícil de todos. Nos últimos três anos Roger tem duas finais e um título, e tem Zé ruela colocando Nadal acima do mestre como favorito. Alguém sabe me responder os últimos três resultados do espanhol na grama? Segunda rodada, primeira e, por ultimo, uma oitavinhas todos em Wimbledon. só faltava essa! Mas eu acho que ele tem boas chances de chegar as semis do poderoso atp250 da Alemanha. Rsrs tem cara falando aí que Nadal ta sacando e voleando muito e isto o candidata ao título na grama! Kkkkkkk

    1. Implicante III

      O Zé usa a “cabeça” para acertar em cheio, Nadal é favorito a vencer qualquer “partida” e campeonato se cair na “chave” do Federer.

  35. Alice

    Agora eu sei porque muitos não torcem a favor do Djokovic na platéia. Basta ver o histórico dele, ele ficou conhecido como aquele que ‘fingia’ lesões para abandonar partidas, fora que tem episódios em que o público não esquece como a ironia de Djokovic pra cima do público (que se entrometeu) em RG numa partida contra Nadal que o Dalcim citou, fora uma que deve ter dado o que falar. Nos US Open 2008 (Contra Roddick) – pego as palavras da ‘Sheiloka’ aqui: “naquela época distante em que o Djokovic era conhecido como o-cara-que-inventava-contusão-para-abandonar-quando-perdia, Roddick tirou com a cara dele antes da partida dos dois. Pois bem, o Djokovic ganhou o jogo e não deixou por menos. Só que, assim como o Homem-Aranha, ninguém mexe com o Roddick em NY.”

    Depois da partida Djoko teria dito algo como: “Andy was saying I had 16 injuries in the last match, so obviously I don’t, right?”

    Pois bem…veja o que aconteceu….

    Imagino que deve ter sido uns dos piores momentos da vida dele em quadra, ele deve ter ficado em choque depois quando se deitou na cama…

    1. Marcos Bay

      Djokovic se saiu muito bem ali, achei
      De inicio ele dificilmente já teria apoio dos americanos simplesmente por ser Sérvio e num modo geral quase sempre Sérvios são odiados nos USA
      Lembro que o Roddick era implicado com o Djoko, tava dizendo muita asneira mesmo, perdeu, Djoko apenas respondeu, e por sinal, faz muito bem quando jogadores realmente dizem o que pensam, não ficam nessa ‘chatisse cordial’ que o tênis se tornou.. por isso uns Guilbis, Kyrgios fazem tão bem ao tênis.. e pra quem não lembra, até o sempre boa gente Tsonga era afiado nas entrevistas nessas épocas.. eu realmente não sei o que houve que do nada todos pararam de dizer o que pensam no Tenis

      E sobre o Roddick, se portou como um babaca quase sempre, no que diz respeito ao Nole.. a tentativa de agressão após uma derrota comprova o que digo

    2. Implicante III

      Djokovic é odiado pelas “federetes” porque ele faz ´com o Nadal o que Federer nunca conseguiu contra o Nadal e o Djokovic é odiado pelos torcedores do Nadal porque tem rivalidade entre os dois, o H2H de Nadal e Djokovic é de “rivais” e não de “homem contra mulher”.

    3. Alice

      Marcos…basta ver o que Boris Becker disse…que hoje os tenistas tem que fazer um personagem, fazer o ‘bom moço’, não podem dizer nada, sair da linha que no vestiário já são multados…acho que ATP deve ter pegado no pé deles…Mas bem talvez isso seja de uma ridicularidade tamanha, imagine você não pode dizer o que realmente pensa, o que quer falar, ainda mais se você tem personalidade forte..Logo depois você recebe uma notificação, um aviso que vai receber uma multa de 20 mil dólares. E eu aproveito para perguntar ao Dalcim – Se eu fosse uma tenista e falasse tudo que eu bem entendesse, ai a WTA no caso me punisse com multas do tipo, e eu continuaria falando e ainda ousaria falar mal da entidade que se prega a fazer isso, tentar censurar a liberdade de expressão, a opinião..Eu poderia ser expulsa da associação, ou seja não poderia ser mais uma tenista profissional iria receber uma suspensão, algo do tipo. Poderei eu meter um processo na WTA por tentar me calar, ou me punir por ‘injusta causa’ HAHA…

  36. Alice

    Sobre o caso de Bernardes e Nadal..Nós sabemos que muitas vezes o Rafa estava errado, além dele estourar muitas vezes o tempo limite pra sacar, dessa forma ele não é bem visto, não tem tanta credibilidade assim. Porém sempre quando alguém é visto dessa forma, e em algum momento ele tem razão, acaba que as pessoas não acreditam nele, devido ao seu histórico. Isso é #phoda e complicado para o tenista. Dalcim eu queria saber quem que tinha razão nesse lance…
    É aquele famoso lance do ATP Finals de 2010..
    https://www.youtube.com/watch?t=148&v=GgZecGCnW1g
    – O ponto era mesmo do Berdych, ou deveria ser repetido. Só não me venha com a questão de quem decidi é o arbitro, quero saber se o Bernardes fez como manda o figurino (a regra)..rsrs

    1. Luiz Henrique

      Você deve estar de férias, né Alice ? KKKKKKKKKKKKK. O que um blogueiro não faz por um post……

      1. Alice

        Eu RI, mas não entendi! HAHA…como assim o que ‘um blogueiro não faz por um post’… Tá falando do que menino, do Dalcim…de que post, do meu comentário asuhasu u.u’ – faça a gentileza de se explicar..rsrs

  37. Fernando Brack

    Estranha a queda abrupta de rendimento da Bouchard neste ano.
    Parece que ela terá que se empenhar muito para se reaprumar.

  38. Fernando Brack

    Eu cheguei a sugerir que só uma hecatombe impediria o título do Djoko.
    Pois esta hecatombe tem nome: chama-se backhand do Stan Wawrinka.

  39. Fernando Brack

    É, vai saber o que se passa na cabeça do Djoko agora. Deve estar remoendo a frustração.
    Esta derrota deve ter lhe doído bem mais do que as anteriores diante do Nadal.
    Mas nada que não passe depois de uma semaninha de treinos e brincando com o filhote.

  40. Fernando Brack

    Rapá, e não é que os experts em marketing esportivo do blog tinham razão? Eles disseram
    que a Philippe Chatrier não estaria lotada para esta final, porque não contaria com Federer
    ou Nadal em quadra. Realmente, havia muitos assentos vazios lá no domingo. Eu contei 3,
    criando enormes clareiras nas arquibancadas. Um completo desastre.
    Lamento antecipar aos amigos que o torneio não se realizará no próximo ano por absoluta
    falta de patrocínio. E o BNP levará um tempo até se recuperar do prejuízo nesta edição.

  41. O LÓGICO

    Como as nadalzetes vão defender agora a tese, furada, kkkkkk, da geração fraca, após as vitórias de Stan em dois slams e sobre dois dos BIGFOUR KKKKKKKKKKKKKKKKKK? Um deles, doravante BIGFORA kkkkkkkkkkkkkkk

    Não temo pelo Djokovice, ele logo vai voltar brabo e com sangue nos olhos. Aliás, todos sabem que tenho uma profunda admiração interesseira, KKKKKKKKK, pelo sérvio: o cara que pisou na cabeça da serpente do tênis atual kkkkkkkkkkkkkkkkk

    Quanto ao Wabri, kkkkk, sempre será um temor para qualquer adversário do top 10. NINGUÉM ENTRA MAIS EM QUADRA SEGURO DE QUE DERROTARÁ O SUÍÇO. E tem mais: devido a total inescrutabilidade de seu tênis, fica difícil definir uma tática segura para enfrentá-lo.

    Nadalzetes, o que vocês vão ver daqui para frente não se trata mais de um tenista, mas de um MORIBUNDO em quadra kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    1. Maurício Luís *

      Gostei do Bigfora. Pra mim, o Nadal tá é dando murro em ponta de faca. Seu físico já está “abrindo o bico”, como já foi previsto aqui por muitos, eu inclusive.
      Aqui se faz, aqui se paga. A queda no ranking é consequência mais do que lógica da teimosia em continuar jogando com joelho e outras coisas estropiadas. Resultado: ESTRAMBECOU-SE.

  42. Marquinhos

    Serio Dalcim, que voce acha que Nadal tem alguma chance na grama? Por exemplo, ele nao e nem favorito na alemanha e so tem passado vergonha ano apos ano.

    Federer e o favorito em Halle e junto com Murray o favorito para wimbledon.

    1. José Nilton Dalcim

      Mais uma vez, não se joga histórico fora, Marquinhos. Ele sabe o que fazer, o problema é se terá capacidade de fazer. Acho que, com menor pressão, ele pode render mais.

        1. Marcelo F

          Depois de apanhar duas vezes, foi lá e bateu no suíço, que não conseguiu o mesmo em RG em cinco tentativas.

      1. Abelha

        Dalcim, não é novidade que você é um verdadeiro oráculo para 99% dos frequentadores deste incrível blog… Mas de novo… Histórico não me impressiona… Vide o que aconteceu com o Nadal… Muita gente, mesmo diante do nítido mau momento do espanhol, apostava que pelo seu histórico alguma mágica pudesse acontecer… Resultado: 3×0 pro Djoko, com um placar que poderia ter sido típico de R1… O histórico não vale de nada se o tenista não estiver vivendo um bom momento… Se fosse assim o Pete Sampras, se fosse convidado para o torneio este ano, automaticamente se tornaria um dos favoritos, dado o seu histórico… Abs!
        P.S: Discordar de você é uma coisa horrível, porque a gente já sai com a sensação de que está falando besteira (e vai que estou mesmo)

  43. Marquinhos

    O papai de Novak sempre quis que o servio fosse igual Federer, impossivel. Roger e amado, joga bonito, admirado, Novak, nao. O motivo de Novak nao gostar de Federer e apenas um: Recalque! O suico e um ser humano como qualquer outro. Erra, acerta, faz cagada, mais cagada………….. Mas ninguem tem o maior numero disparado de torcedores e admiradores a toa.

    1. Rafael

      O papai de Novak nunca quis que o filho fosse igual a Roger Federer, não invente fanfarronices. Ele quis que o filho fosse SUPERIOR a Federer, coisa que o filho vem obedecendo sistematicamente nos últimos anos, hohohhohohohohohohhhhho.

      Aproveitando, apoio Boris Becker. Poderia ter evitado comentar sobre aquilo? Poderia. Que bom que não evitou. A cara de pastel que o Federer faz pra tudo é insuportável mesmo, e essa postura omissa e blasé rende a liderança de patrocínios, mas tá na cara que tem algo de podre no reino da Suíça, ops, Dinamarca.

      Uma coisa me decepcionou em Novak. Ele se adaptou e se rendeu ao sistema. Ficou chato e sem graça, ao final dos jogos, quando ele é entrevistado (nas vzs em que ganha) já nem assisto mais, é aquele blablabla de agradecimentos aos boleiros, aos juízes, patrocinadores, etc, sem os quais esse torneio (que, independente de qual seja, é sempre um dos melhores do circuito) e espero estar de volta no ano que vem. Novak se tornou mais um.

      Esperava que, tornando-se multimilionário, impusesse ainda mais suas opiniões (impusesse no sentido de não se omitir, pelo menos), como fazem seus já escolados companheiros do big 4. Nesse sentido, AINDA admiro mais o Murray, que fala meio o que lhe vem na cabeça, dá entrevistas, não esconde posição política – foi favorável a separação da Escócia do UK, quebra tendências e passa a impressão de que o circuito precisa mais dele do que ele do circuito – o que não deixa de ser verdade, para mim. Volta, Djoko!

  44. Alice

    Ei Dalcim você concorda comigo que Djokovic tem uma consistência incrível ao ponto de só por isso ser comparado aos melhores da história – Já que melhor é ‘sinônimo’ de qualidade e não quantidade. E que Chris Evert foi a tenista (tanto homem quanto mulher) mais consistente (regular) da história. Bom eu me refiro é claro aos Grand Slams e um pouco ao ranking também. Também vale destacar que Court e Federer mandaram muito bem nesses quesitos! 🙂

      1. Alice

        Hurrum…enfim fiquei sem resposta né…Mas concordo que Steffi estaria na lista das mais consistentes..”

  45. Alice

    Agora eu terei de soltar um desabafo! – Rafael Nadal no seu auge conseguia fazer uma bolinha de tênis rodar mais de 3 mil vezes por minutos, já chegou a fazer essa mesma bolinha rodar “5 mil vezes”. Cheguei a ler que poderia ser o golpe mais rápido do tênis (acho que não, pois ai são rpm e não km ou mph). Mas o que as pessoas não entendem é que ele executa toda uma técnica extraordinária (até a ciência já estudou isso) que faz a bola simplesmente rodar milhares de vezes em torno de si mesma. E como ele gera muito topspin acaba que a bola quando quica no chão da quadra adversária vai muito alto, ele não foi lá e jogou a bola para os ares, fez uma batida chapada pra cima. Não ele executou toda uma técnica pra que ela fosse com muito spin para o outro lado da quadra, a consequência disso é que quando ela cai na quadra, ela sobe. Ai vem pessoas aqui e dizem: “baloeiro” dizendo que as bolas dele não passa de ‘balões’ e por causa disso seu jogo é ‘feio’. #PQP hein! Se ele jogasse apenas para cima a bola eu até ia entender, mas não há por trás disso tudo uma técnica, que aliás é muito difícil de ser executada por qualquer tenista. Mas acho que por causa da visão externa que eles veem da bola numa TV, ou melhor da força que eles fazem pra ‘devolver’ umas bolas dessas com a bunda no sofá ¬¬….Se eles pelo menos tivessem ido assistir a um jogo do Nadal iam entender melhor a dificuldade que seus adversários tem em devolver essa sua bola, como já li alguns que viram ele ao vivo e não acreditaram, entenderam mais! – Enfim esse é meu desabafo, por trás do jogo feio que vocês acreditam, por trás dos balões devido a visão de vocês, e por trás de um baloeiro querendo ou não existe um enorme tenista capaz de fazer a ciência buscar resposta de tamanha ‘exuberância’ do seu golpe tão fatal executado com uma técnica, repito extraordinária. u.u’

    E mais, esse golpe dele já está na história. Como uns dos golpes mais fatais de todos os tempos (haha). Claro que eu viajei na maionese como muitos fazem aqui ao dizer ‘todos os tempos’. Mas pelo menos na história vai tá nem que seja lá na última folha, número 401…rsrs!

    😉

    1. Fernando Brack

      Sim, Alice, o forehand ‘ganchão’ do Nadal é um golpe que exige bastante técnica.
      Pode ser plasticamente feio (particularmente, eu acho isso), mas sem técnica não
      seria possível executá-lo e ainda colocar a bola na quadra com tanta consistência.
      Acontece que um golpe com esse spin cavalar exige, além de técnica, um braço do
      tamanho de um tronco de árvore, como o que ele desenvolveu. Isto é, muita força.
      Só que essa força e vigor todo no braço não é eterno. Na verdade, se vai mais cedo
      do que o vigor exigido para a movimentação do corpo, porque está concentrado em
      apenas um membro. Eu sempre disse que os braços dele não são de tenista.
      Sem este vigor, o forehand do Nadal se torna um pouco menos pesado e portanto
      menos difícil de ser encarado e a confiança cai. É o que tem acontecido com ele.
      Sem sua principal arma, a alternativa para ele seria mudar de estilo, mas precisaria
      ser algo radical, e eu não acho que ele seja capaz de fazer uma mudança assim.
      Por conta desta perspectiva, outro dia opinei que o futuro de Nadal é sombrio.
      Vamos ver como (ou se) ele vai sair dessa. Abs

      1. Mário Fagundes

        Na verdade, o braço do Nada mudou muito com o passar dos anos, está bem murchinho se comparado com 2008, por exemplo. Acho que as sessões de halteres acabaram ou deixou de tomar as “vitaminas”.

    2. CMC

      Boa tarde,
      Até que enfim alguém aqui conseguiu de fato descrever o estilo de jogo do MIURA…….rs…….., somente quem joga e principalmente no saibro sabe o quão ESPETACULAR é o Nadal neste piso, o cara é de fato um monstro e seu forehand é absurdo, verdade seja dita existem jogadores mais plasticos como Federer mais o jogo do Rafa é forte e vitorioso ainda que não seja vistoso pelo menos aos olhos da maioria dita entendida de tenis, só o que sei é que de nada sei………kkkkkkkkk, queria eu jogar um pouquinho só do que o toro joga…….hahahaha………..abraços.

      1. Alice

        “só sei que nada sei” HAHA…bem por ai…quem dera eu também jogasse só um pouco do que ele joga, ou melhor se eu fizesse a bolinha dar mil voltinhas…daria meus pulinhos Serena Williasm..rsrs 😀

    3. Luiz Fabriciano

      Mas o apelido de baloeiro advém do fato da bola passar muito alta sobre a rede e não da altura que a mesma atinge depois do quique.

    4. Chileno

      Olá Alice. Bom… eu sou um que não gosta do jogo do Nadal. Respeito muito o cara, o considero um grande vencedor e um dos maiores tenistas que já vi jogar, honestamente. E vou te explicar porque eu não gosto do jogo do Nadal. Sim, ele tem uma técnica absurda para o top spin. Ele faz isso como ninguém. A bola dele pega uma rotação absurda, complicando muito a devolução do oponente. A bola quica, pega velocidade e altura.

      O pessoal chama isso aí de “balão” ou um pouco menos pejorativamente “ganchão” porque a bola passa bem alta sobre a rede. O que me chateia ao ver ele jogar é que ele SÓ FAZ ISSO! O jogo inteiro! Eu tenho certeza que pelo menos 95% das bolas que vem no forehand dele, vão voltar com esse top spin dele, insosso, passando um metro acima da rede, caindo a no mínimo um metro de distância das linhas.

      Ele manda essa bola incessantemente (afinal, ele chega em todas) até o oponente errar. Eu particularmente acho muito feio esse jogo. Sem ousadia, sem criatividade… eu gosto mais de ver os caras tentando ganhar o ponto, do que tentando não perder, partindo pro Winner, variando com slice, distribuindo o jogo, voleando, etc.

  46. Arthur

    Dalcim,

    Espero sinceramente que sua carga de trabalho diminua pelo menos até Wimbledon, porque imagino que RG este ano não deve ter sido fácil. O Paulo Cleto, por exemplo, encontra-se em lugar incerto e não sabido desde o final da primeira semana do torneio (hehehe).
    Aproveitando o post, gostaria de fazer uma provocação tenística a você: até onde essa história de Big Four é verdade ou boato? Melhor explicando: Federer, Nadal, Djokovic e Murray são mesmo tão bons assim, ou foram privilegiados por uma época de vacas magras em termos de talento no circuito? Será que eles monopolizariam por tanto tempo os principais torneios da ATP se o restante dos jogadores não fosse tão inferior tecnicamente?

    Um abraço.

    1. José Nilton Dalcim

      Puxa, Arthur, basta você olhar a qualidade do tênis de cada um e ver que não se trata de geração fraca, mas de espetaculares talentos. Até monstros sagrados como Agassi, McEnroe, Borg, Laver… todos concordam que é o melhor tênis já visto em todos os tempos.

      1. Arthur

        Foi mais uma provocação, Dalcim, hehehe.
        Mas na boa: de vez em quando eu me pego pensando se isso no fundo não seria verdade.
        Que Federer, Nadal, Djoko e Murray seriam grandes jogadores em qualquer época, ninguém discute. No entanto, a aparente incapacidade da maior parte do circuito de “furar” o Big 4 e ganhar os títulos mais importantes me faz refletir se a nossa impressão de que eles são assustadoramente tão bons não é em parte resultado do fato de que o restante do circuito esteja muito abaixo do nível técnico que eles apresentam.
        Enfim, acho que é um tema que vale a reflexão.
        Um abraço.

  47. Maurício

    Dalcim,

    só para mudar de assunto pois Sttutgart já está gramado com games.
    ———————————————————————————————-
    O Boris pegou pesado na propaganda do livro dele.

    Em 2014 disseram que Nole usa Federer como meta para se superar, mesmo assim Boris diz que ele é inferior, deve haver uma foto do Federer com marcas de bola na parede.

    Agora fala que que eles não se dão bem em cadeia mundial ao lançar livro.

    Cara será que Nole aprova esse circo? Contribui com o circuito?

    Se Federer tem pessoas que o ajudam cuidar da imagem dele mesmo que ele não seja santo (e quem é?), qual o crime?

    O que você?

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que esse tipo de declaração do Becker contribui para divulgar o livro, mas não contribui com o circuito ou com o próprio Nole. Mas devo imaginar que o sérvio concordou com a divulgação. Todo atleta de ponta tem um time de marketing por trás (ou deveria ter).

  48. Juscelino Júnior

    Boa noite Dalcim!!

    Professsor, a respeito da temporada de grama, achei bastante interessante esta matéria no site da ATP:
    http://www.atpworldtour.com/News/Tennis/2015/06/23/FedEx-Performance-Zone-Career-Grass-Records.aspx
    Entre outras coisas, tal matéria indaga aos mestres da grama Pete Sampras e John Newcombe sobre as qualidades necessárias para ser bem sucedido na grama. Surpreendentemente, “Pistol” Pete afirma que todos diziam que a chave do sucesso é o saque. Ele, no entanto, acredita que o segredo é a devolução de saque, além da boa movimentação na superfície. Já Newcombe, considera que um bom voleio ofensivo e defensivo, além de um saque versátil, são as chaves do sucesso na grama. E você Dalcim, tem algo a acrescentar à opinião dos mestres da grama??rs
    Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Essa do Sampras não é nova, e ele está cheio de razão, ainda mais no circuito de hoje em que a devolução evoluiu mais do que o saque. A grama de hoje, com quique mais alto, mudou bem o que era necessário antigamente, como um bom slice profundo, o chip-and-charge (subir à rede após a devolução) e coisas assim.

  49. Sergio Ribeiro

    Bem menos experiente em 2011, saiu cabisbaixo da Semi perdida pra Federer em Rolanga, e entrou babando em Wimbledon . Nao será’ essa derrota para seu amigo Stan, que tirara’ Novak do prumo. Copia mesmo Borg. Nao aceita perder antes do Torneio. Deve fazer a preparacao numa quadra idêntica a de Wimbledon( velocidade) . Rafa Nadal optou em abandonar Halle( sempre perdeu cedo) e optou em se preparar em Stuttgart e Queen’s . Halle e’ mais rápida . STANIMAL nao parece gostar da Grama. A conferir. Abs!

    1. Fernando Brack

      Djoko deve ter se sentido muito, mas muito frustrado mesmo com a perda do
      título de RG este ano. Eu diria que muito mais do que nas outras vezes, mas é
      aquele negócio, pra esses caras basta voltar a um ambiente de competição e
      a derrota que aconteceu outro dia é página virada. Novo torneio, vida nova.
      Por outro lado, eu acho que RG virou um karma pra ele, nem tanto por causa
      dele, mas todo ano acontece algo fora do programa que acaba afetando seu
      lado mental. Acho que a semi em dois dias mexeu com sua cabeça.

  50. Nando

    Boris Becker é um fanfarrão que perdeu a oportunidade de ficar calado.
    Como um dos treinadores do sérvio, deveria se limitar a isso, treinar seu pupilo…se for pra falar de alguém, que fale só do seu pupilo.

    Dalcim, acha que a declaração do alemão pode gerar um mal-estar maior do que já tem entre Federer e o sérvio, numa próxima partida entre ambos por exemplo? mesmo os dois não se bicando, isso veio a público através do treinador dele.

    1. José Nilton Dalcim

      Tem razão, acho que o Becker poderia ter ficado quieto porque os dois estão em atividade.

    2. Mário Fagundes

      A declaração de Becker, a meu ver, põe um pouco mais de tempero no tênis. O importante é que haja o respeito entre Federer e Djokovic. Por que eles tem de fingir o que não são? Essa coisa do “politicamente correto” é muito chata, nem sempre traduz a realidade, além de ser desonesto com os fãs. Basta entender que não há mocinho e nem vilão. Sou fã de Federer enquanto atleta, mas fora das quadras ele é político demais em suas declarações, e isso não acho tão bacana. Mas, ao mesmo tempo, penso que ele não é perfeito – é ser humano. É preciso saber separar as coisas. Não gosto do jogo da Sharapova, mas aprecio sua honestidade quando declara não ter amigas no circuito.

    3. Pieter

      Lamentável, anti-ética e nada profissional a atitude do alemão Boris Becker. Também se pode inferir que o alemão é invejoso do sucesso do Federer e do fato deste ter ganho muito mais dinheiro do que o ele. Penso ter sido um comportamento fofoqueiro e baixo nível, nada condizente com o do treinador do melhor jogador do mundo em atividade atualmente.

    4. Fernando Brack

      Já que o livro do Becker se entitula ‘Wimbledon: Minha Vida e Carreira no AEC’, esse
      comentário bem poderia ficar de fora, não? Porque ele acha que tem que falar isso?

  51. Nívio

    Dalcim, fugindo do assunto do post, alguma notícia sobre Del Potro? Acredita que ele ainda possa atuar no nível top-5?

  52. Alice

    Eu estava usufruindo de todo os comentários, da sua visão Dalcim e acabei esquecendo de te parabenizar pelo trabalho, está trabalhando muito hein! Posta todo santo dia. Eu até pensei vou esperar o Dalcim publicar o próximo post para que eu possa perguntar algumas coisas, mas eu estava pensando que seria só daqui a alguns dias. Abro hoje a página e lá está outro post haha :D! E vê se manda sua equipe se alimentar melhor, dormir…e aproveita e se alimenta também (haha). Digo isso porque vi que falou alguns dias atrás que está sem dormir, sem comer devido a cobertura de RG. 🙂

    1. José Nilton Dalcim

      Hahahaha… Dormi menos e comi em cima do computador, mas nada que não tivesse feito nos últimos 17 anos, Alice. O site é assim mesmo, consome muito da gente. Eu quero ver tudo, chego a ver quatro jogos ao mesmo tempo. Abs!

      1. Alice

        UaL….4 jogos ao mesmo tempo, queria ter essa aptidão hein Dalcim, mas minha internet mal me permite ver um…rsrs! E TV a cabo, só lá no meu Pai…” 🙂

  53. Alice

    Dalcim me corrige se eu estiver errada. Quanto mais spin eu coloco na bola (rotações por minuto) mais alta ela vai quando quica no chão ou não…

    Se for o que eu isso ai, eu vou soltar umas poucas e boas aqui..rsrs 🙁

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, se você der o efeito topspin. Basicamente, a grande vantagem de você colocar esse efeito (como diz o nome) é a bola passar alta sobre a rede, cair com grande margem de segurança antes da linha de base e devido ao efeito ser ainda profunda, chegando bem além da linha de base. Ou seja, você consegue não correr riscos e ainda complicar a vida do adversário.

      1. Fernando Brack

        Dalcim, eu li direito ao entender que você associou o nome ‘topspin’ com o fato da
        bola passar alta sobre a rede? Na verdade, o nome se relaciona ao fato do golpe
        ser dado com a face da raquete tocando a parte superior (o ‘top’) da bola, ou seja,
        a chamada ‘penteada’ na bola, fazendo sua parte superior girar para frente.
        A bola passa alta sobre a rede como consequência do golpe ‘levantar’ a bola, e a
        caída na quadra de forma mais acentuada que a bola chapada é consequência
        da interação da bola girando neste sentido com o ar.

        1. José Nilton Dalcim

          Exatamente. Usa-se o topspin para correr muito menor risco de a bola ficar na rede, já que obrigatoriamente ele tem de passar bem mais alta do que uma bola chapada ou um slice. Mas a grande vantagem final do golpe é conseguir profundidade sem necessidade de a bola quicar perto da linha de base.

  54. Alice

    Respondendo ao Sérgio Ribeiro – Ah sim eu vi sim os melhores momentos na internet do jogo entre Navratilova e Connors. Ela realmente estava bem tensa, nervosa, comemorando os pontos (demonstrando levar a sério)!
    Pois isso Dalcim te pergunto se você teve a oportunidade de ver esse jogo, se deve podia falar sobre o que achou desse jogo.
    Eu percebi uma forma inteligente de Martina jogar, ela não buscava medir forças com o Connors, pelo ao contrário ela buscava a rede para suas chances de ganhar o ponto serem maiores. Ela buscava mudar a direção da bola, enfim quero dizer que tentava variar seu jogo. O que acho que é melhor maneira de se ganhar um jogo contra um homem. Vale ressaltar aqui também que Connors estava bem focado, realmente eles estavam levando a sério….

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas as meninas jogam cada vez menos na rede. Hoje em dia, com a velocidade e precisão das passadas, seria bem difícil isso. Nem os homens conseguem.

  55. Luiz Fernando

    Bom mocismo no esporte é só pra ingles ver, aproveitando q estamos as vesperas de W, esse é um dos temas abordados por Becker na sua recente biografia: http://esporte.uol.com.br/tenis/ultimas-noticias/2015/06/09/tecnico-revela-inimizade-de-djokovic-com-bom-moco-federer.htm. E aí não vejo nenhuma crítica ao cansadão de forma específica, ele simplesmente revela q por prováveis imposições contratuais, os grandes nomes devem parecer bons moços sem q necessariamente sejam bons moços. O próprio Becker de bom moço não tinha nada, isso é publico e notório. Senna era bom moço? Não, bateu propositalmente em Prost; Prost era bom moço? Não, bateu propositalmente em Senna; Schumi era bom moço? Não. bateu propositalmente em Hill e tentou bater em Villeneuve. No tenis as coisas não são diferentes, haja vista o comportamento da Mirka no finals, as dissimulações de Rafa, Nole e Murray (este é bem menos sucedido do q os outros dois também nesse item, pq chama menos a atenção), a péssima fama q o cansadão tem com os tenistas mais jovens, segundo citação do Janowycz há um tempo atrás, e por aí vai. Esses grandes campeões tem um único objetivo, vencer, essa é a realidade nua e crua.

    1. Juscelino Júnior

      “Péssima fama que o Federer tem com os tenistas mais jovens, segundo o Janowicz”??Ué, dessa eu não sabia. Esclareça pra nós por favor, Luiz. Ou então você Mestre Dalcim.

        1. Luiz Fernando

          Há um tempo atras, o Janowycz declarou, isso foi inclusive tema de bate bocas, pra variar, aqui no blog, q o cansadão não se preocupava em melhorar as premiações dos mais jovens, preocupava-se apenas c as próprias, pra´lá de substanciais. Isso, segundo o polones, era criticado veladamente pelos mais jovens, q supostamente se sentiam desamparados sem o suporte do aposentado na reinvindicação de melhores premios. Vejam este link: http://news.tennistonic.com/tennis-news/?nid=1799&/Tough-Janowicz-insults-Djokovic-and-Federer.

        2. Cynthia - Araçoiaba/SP

          O q o Janowicz fala … Dessa nova geraçao a grande maioria, prá nao dizer todos, sao fans do Federer, com posters no quarto na adolescencia e tudo. Em suas entrevistas eles dizem do prazer de jogar contra o idolo. Realmente, nao sei de q jovens ele está falando!

  56. Alice

    Lembramos que ninguém imaginava que o vencedor de Roland Garros poderia ser alguém de fora do Big Four. Porque Nadal é e sempre será Nadal em RG, Federer sempre terá chances devidos a sua campanhas que já fez, Djokovic pelo nível apresentado tanto na temporada de saibro, quanto seus resultados em RG e outros torneios de saibro, Murray pelo que vinha apresentando nas últimas semanas. Em Wimbledon é a mesma coisa todo mundo acredita que o título deve ficar nas mãos de alguém do Big Four, principalmente Djokovic ou Murray. Mas aí que eu penso: Será que não pode ficar em outras mãos outra vez…a grama proporciona mais zebras, fora que já está chegando a hora de finalmente alguns tenistas abocanharem um GS de vez, fazendo assim a hegemonia do Big Four desaparecer pouco a pouco, como tende acontecer em qualquer era, com os melhores tenistas! E eu digo seria maravilhoso o Grigor Dimitrov ganhar esse título hein! ;), estou na torcida por ele. Por mais que estarei torcendo para o Big Four (fanatismo) rsrs. Mas hein Dalcim o que está acontecendo com o Wawrinka em confrontos com o Grigor, sabe-me dizer qual a dificuldade que o Wawrinka tem de vencer o Dimitrov (pergunta).

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que o Dimitrov não lhe dá muito ritmo. Alterna a velocidade do jogo, com muito slice, alguns bem lentos, e isso exige que você coloque ainda mais força na bola.

  57. Alice

    Sobre o Djokovic não disputar torneios preparatórios para Wimbledon, acho que isso demonstra confiança, auto-controle do seu tênis. Mas eu também indicaria jogar, porque você ganha mais confiança sobre seu jogo, já sabe o que fazer quando for jogar as primeiras rodadas em Wimbledon, chegar assim de cara logo num GS sem ter disputado nada na grama antes, fica um pouco difícil se ajustar, de readaptar no primeiro jogo. Enfim pode ser uma ideia derradeira. Porém Djokovic sempre se sai bem na grama.
    Dalcim comentou em um post anterior seus favoritos para Wimbledon (Federer, Murray, Djokovic e Nadal), acho que foi nessa ordem. Eu discordo um pouco, acho Djokovic mais favorito do que Federer, e Murray também na minha opinião é mais favorito do RF. Acho que deve ter levado em conta os ‘grandes momentos’ ou títulos, rivalidade do FEDAL. Na minha opinião os favoritos são: Murray – Djokovic – Federer – Nadal e Berdych no mesmo patamar, depois coloquemos Wawrinka para nãos sermos apedrejados, rsrs – Mas sabe a verdade é que esse torneio de Wimbledon será muito interessante. Murray buscando sua segunda taça para se igualar a Nadal e Djokovic, que por sua vez busca o tri na grama, enquanto Federer tenta buscar aquele que seria o histórico 8 (oitavo) título e o seu 18 em GS. Depois de perder tantas ‘chances’ e oportunidades de ganhar Wimbledon e outros GS nos últimos anos, acho que Federer joga mais solto, isso é claro até a final. Da maneira que Murray tá jogando acho que ele vai arrasar quem o encontrar pelo caminho. Djokovic pode jogar mais pressionado, desmotivado, porém sabemos da sua capacidade e incrível consistência. Nadal e Berdych vão como ‘meia-zebras’ podem jogar solto, chegar nas quarta-de-finais e ver o que acontece, o que a vida os reserva pra esses dois. Enquanto Wawrinka, pode jogar solto, mas também vai estar um pouco nervoso por saber que pode ganhar seu terceiro GS e o segundo seguido, numa eventual final, acredito que perca…Mas terá muita grama pra ‘comer’ até chegar em uma possível SF.

      1. Alice

        É Marquinhos eu disse isso porque ele perdeu outra final em RG e que não foi para Nadal né…E pensei que ele podia pedir um convite para jogar um (torneio prepatório), para que ele não sentisse a pressão de ter perdido uma final de RG que não foi para RN, logo em Wimbledon…Daí eu achar que ele teria um autocontrole cada vez melhor das coisas. 🙂

  58. Joaquim Fernandes

    Gosto bastante de tênis, mas nada tenho de entendimento técnico. Entretanto, tenho o meu sentimento de senso comum, que pega mais pelo geral, mas muitas vezes o feeeling vai mais além da visão especializada, assim como um poeta vai na “alma” do assunto, deixando um “prosaico” embasbacado.
    Não sei se a Suíça dota, de alguma maneira, seus filhos, lá nascidos e criados, com uma articulação física e de movimentos particularmente propícias ao tênis. Veja Federer, Martina Hingis (dúvidas na grafia) e, agora, superando todos eles, o Wawrinka que decidiu RG domingo. Ele já está bem rodado na carreira e na idade, portanto não sei se vai manter o inacreditável nível que domingo exibiu ou ficar ao menos mais próximo. Eu torceria para que sim, pois com aquela exibição ele me trouxe Pelé, no futebol, e Michael Jordan no Basquetebol. É tê-los visto jogar e dizer que já se viu o que tinha que se ver e, daí pra frente pode-se até parar de assistir aos esportes que eles praticaram. Está tudo visto em termos de assombro. Não há reedições daqueles níveis.

  59. Leonardo

    Dalcim, não sei se é contigo, mas na parte de resultados do site tenisbrasil está mostrando que o torneio de s-Hertogenbosch fica na Alemanha. Me corrija se estiver errado, mas fica na Holanda, correto?
    Outra coisa, esse torneio até um tempo atrás era depois de Halle e Queens, correto? Se sim, pr que inverteu a ordem?

    Att,

    Lejoso

    1. José Nilton Dalcim

      Grato pela correção. Inverteram porque Halle e Queen’s se tornaram ATP 500 e se criou uma terceira semana na grama, em Nottingham. Abs!

  60. José Eduardo Pessanha

    Respondendo ao Rafael e encerrando o assunto, pois o Blog não é lugar de picuinhas. Frequento o blog desde 2007, mas passei a comentar em 2008. Todo mundo aqui sabe onde eu nasci, onde eu moro e o time para o qual eu torço. Certamente, você é bem posterior a mim. Com relação a postar algo interessante, isso depende da visão de cada um. Tento brincar e já inventei diversos apelidos para os jogadores (Cotonete e Boi Garantido são os mais famosos). Sempre na brincadeira. Muitas vezes me expressei mal, mas isso faz parte do aprendizado. Quando eu entrei aqui, o ÚNICO torcedor do Djokovic era o Sérgio Luiz. Depois veio o Levi e depois apareceram outros, notadamente a partir de 2011. Agora pode-se dizer que o sérvio tem uma grande torcida, embora bem menor do que a dos dinossauros Nadal e Federer. O motivo é simples: Djokovic tem um pouco de Nadal e um pouco de Federer. Não representa características opostas, como Federer e Nadal o fazem. E o seu surgimento é bem posterior a esses dois, que arregimentaram grande parte dos apreciadores do tênis.
    Eu falo hoje em dia as mesmas coisas de 5 anos atrás. Sempre disse que o Nadal não chegaria aos 30 em alto nível e que o Federer se aposentaria depois dele. Sempre disse que os compromissos extra-quadra e a pressão de ser número 1 envelhecem os jogadores. Da minha parte a discussão se encerra aqui. Grande abraço.

    1. Rafael

      Olá, Pessanha

      Vc não respondeu nada do que eu questionei, mas tudo bem, não precisa. Não tenho interesse em continuar com essa conversa (ou picuinha, como vc se referiu).

      Abs
      —————————————-
      Dalcim,

      Lendo o post do colega acima – o primeiro dirigido a mim, não esse de agora – o que diz que “esses novatos do blog…sabe de nada”… parafraseando o cumpádi Washington – me veio à mente a ÚNICA hipótese onde me pareceria produtiva ou de alguma relevância a ideia de ser um veterano (ou um membro mais antigo) do blog, que nada agrega ao valor de alguém em detrimento de outros, não dá presentes do blog como nos sorteios/concursos, não dá carteirinha de membro nem button de veterano, nem posto de cheerleader desse ou daquele jogador:

      – Não seria legal se ocorresse, espontaneamente, um encontro pessoal de membros do blog que reconhecessem uns nos outros mais afinidades, e daí se formassem amizades, vamos dizer, 1 vez por mês, em princípio, em datas previamente combinadas e acessíveis à maioria, ou após a decisão dos Slams e M1000, ou conforme a maioria decidisse, em algum bar (ou similar) localizado em alguma região de melhor acesso para a maioria, p comer uns petiscos, tomar algo e conversar sobre tênis e a vida?

      Se eu postasse há mais tempo e tivesse desenvolvido afinidades como as que citei, já teria feito esse convite faz tempo, ou tentado organizar algo nesse sentido. Me parece que poderia ser bem divertido.

      Se já ocorre e eu não sei, parabéns pela iniciativa a quem teve a ideia.

      Abs a todos e desculpem alguma coisa,

      1. José Nilton Dalcim

        Acho que a iniciativa deveria partir de vocês mesmos. A única ideia que quase deu certo foi um torneio de tênis entre o pessoal (e clinica para quem nunca jogou). Essa ainda é uma ideia que acho viável.

        1. Rafael

          Mas foi exatamente o que eu disse, que a iniciativa seria de um (ou mais) comentaristas no blog. E espontanea, nada atribuído. Calma, não quero lhe arrumar mais trabalho, rs.

          Abs

      2. Luiz Fabriciano

        Excelente ideia, mas para mim, interior da Bahia seria um pouquinho complicado, rsrs.
        Mas como torcedor inveterado do Djokovic, mandaria meus pensamentos positivos a todos.

  61. Luiz Fernando

    Pra variar já começaram as perguntas infantis de sempre nessa época p o Dalcim, tipo “o aposentado tem chance?”, “qual é o GS q é mais importante?”, algo típico dos órfãos de determinado tenista veterano, coisas q se repetem ano após ano. Como esse pessoal é carente, no dia q o cansadão aposentar oficialmente não sei o q será deles. Entrando no tema do post, vejo ambos c grandes desafios: 1) como reagirá Nole depois dessa grande frustração? Ninguem sabe, pode perfeitamente dar a volta por cima ou pode sentir muito, se for o segundo caso poderá ter um torneio desastroso, se não for, é forte candidato ao título; 2) Wawrinka luta contra sua falta de regularidade, ano passado venceu o AO e ao invés de se firmar no topo tornou-se um saco de pancadas, excetuando Monte Carlo onde venceu. Se mantiver o mesmo nível, é forte candidato ao título, mas pessoalmente meu “chute” é q dificilmente isso acontecerá; 3) quanto aos demais jogadores, concordo c um dos blogueiros q postou acerca do provavel favoritismo de Murray, q fez uma excelente temporada de saibro e joga bem na grama; o cansadão sempre foi um dos maiores jogadores da história nesse piso, mas daí a pensar q ele vai ganhar 7 jogos melhores de 5 sets em 2 semanas vai uma distancia muito grande, basta um jg mais prolongado e o seguinte já era, não apostaria minhas fichas nele; Rafa decepcionou no saibro e há algum tempo não joga bem na grama, assim, na atual fase, pensar em título só se ele se filiar ao All England Club e obter um de membro efetivo, na quadra não vejo como isso acontecer; os demais tem possibilidades virtuais, p eles vale a frase antiga “a esperança é a última q morre”; por fim Bellucci, ai ai ai, é melhor nem comentar…

    1. Sergio Ribeiro

      Seu problema parceiro , e’ que além de nao ler os comentários , nao assiste aos jogos. Na Grama o buraco e’ mais em baixo. A apenas UM ano , o Cansadao somente perdeu Um Set para WAWRINKA nas quartas, e venceu as outras 5 em Sets Diretos. A Final em 5 Sets contra Novak foi maravilhosa( o amigo assistiu? ) , e o Aposentado N 2 do Mundo teve a bola do jogo. Em nada pode se contestar a vitoria do Servio com 6 x 4 no ultimo. Por isso Dalcim sempre coloca o HeptaCampeao como UM dos favoritos. Ele tinha pouco tempo de Edberg e de mudança de equipamento. Portanto e’ obvio que pode vencer. Abs!

      1. Luiz Fernando

        Meu caro e humilde amigo, eu não disse q ele não pode vencer, eu disse q eu não acredito q ele o faça, a não ser q vc interprete “não apostaria minhas fichas nele” como “não tem chance de vencer”. Vc como gosta de tentar parecer superior aos demais e bancar o sabe tudo, não le as coisas c cuidado e interpreta os textos como melhor lhe convém, mas pelo seu perfil humilde isso não me surpreende. Seja um pouco mais atento e talvez vc faça comentários mais precisos. Grande abraço.

    2. Rodrigo S. Cruz

      Em relação ao Federer, a sua teoria não prospera.

      O Federer está muito bem fisicamente. Preparado pra jogos melhor de 5 sets, mesmo porque a maioria deles, o suiço acaba fechando em três. Não vai ser um jogo que se alongue, que irá derrubá-lo.

      Por fim, se ele foi competitivo na temporada europeia de saibro e em RG, onde o desgaste é maior, suas chances aumentam exponencialmente em Wimbledon, onde o desgaste é menor e o jogo é muito mais rápido.

    1. Pieter

      A melhor notícia de ontem no tênis foi a volta – com uma bela vitória em dois sets! – do alemão Tommy Haas. Esse alemão é muito talentoso, joga bonito e dá uma inspiradora demonstração de amor ao tênis e à competição. Retornar ao circuito aos 37 anos, após uma sucessão de contusões graves e cirurgias não é para qualquer um. Torço muito por ele! Tomara que ele consiga jogar em Wimbledon!

  62. André Pires

    Dalcim, pelo ranking da grama corre o risco do Wawrinka não ficar entre os 4 cabeças de chave de Wimbledon?

    1. José Nilton Dalcim

      Não fiz as contas ainda, André, mas pela distância dele para os demais, as campanhas de 2014 na grama… Acho boa a chance de ele permanecer em quarto.

  63. FERNANDO GIMENEZ

    Prezado Dalcim,
    Mais um post sempre inteligente e esclarecedor. Dalcim, na minha opinião o saque do Nadal vem melhorando muito a cada dia, inclusive nas quartas de RG seu primeiro serviço foi mais rápido que o do Djoko, sendo que na final de Madri ele abusou do saque/voleio contra o Murray, também acho que ele evoluiu demais na rede. Na sua concepção, você acha que isso se tornam armas importantes para o Nadal em Wimbledon? E no livro do Boris Becker se ele deixasse um espaço para listar os tenistas que não gostavam dele, daria um enorme capítulo, não acha? Abraços.

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, mas o segundo saque do Rafa não está tão bom. Precisa trabalhar nele. Ah, o Becker daria um interessante livro…

      1. Rafael

        Acho que as coisas não tem que ter 2 pesos e 2 medidas. Quando o Federer disse, sem que ninguém lhe perguntasse, que Djokovic não era Nadal em RG, vi um monte de gente defendendo que não tinha nada a ver, que ele pode expressar a opinião dele como qualquer outro, etc… OK

        Quando o McEnroe noticiou que o Federer teve que correr pra n levar uma surra (diferente da de tênis, que o Djoko levou), de porrada mesmo do Stan, por causa das m$%$# que o macho alfa da família, Mirka, falou, vi muita gente criticando o McEnroe (que, salvo ENORME engano, hj trabalha como comentarista e tem mesmo que fuxicar e aproveitar seus acessos para saber de coisas que outros não sabem, cada um cuida do seu).

        Quando Gulbis prega que o big 4 é insuportavelmente tedioso em suas declarações (e é mesmo), mas não aponta ninguém em especial, li aqui muita gente concordando.

        Agora, quando o Becker (que já era genioso pra c%¨%¨¨ em sua época, traz à baila algo que QUALQUER UM já sabe, diz-se que ele poderia ter ficado quieto. Por que?

        Quando (como TAMBÉM já li aqui) se disse que parece que Federer está acima do bem e do mal e não pode ser criticado, realmente dá essa impressão.

        Alguém usou, para criticá-lo (ao Becker) o argumento de que os 2 jogadores estão em atividade. E quanto ao Gulbis, que falou de QUATRO que estãp em atividade e foi elogiado?

        1. Alice

          OI Rafael, meu instinto pediu pra te responder – Acho que quando vemos isso, temos que procurar evoluir e entender que o mundo (ainda não tão evoluído) funciona desse grosso modo. E também é verdade que todos nós temos um pouco de hipocrisia, querendo ou não..é difícil sermos 100% coerente em tudo…Porém temos que entender que a opinião de cada um…

  64. Gabi

    Boa tarde, Dalcim!

    Super obrigada pelas respostas ao outro comentário, com as 3 perguntas!
    😀

    Dalcim, você tem alguma noção de como os jogadores são no vestiário, na vida real?
    Pergunto isso porque o Roddick certa vez comentou quase ter saído no tapa com o Djokovic, agora vem essa história que o Djokovic e o Federer não se gostam… a gente fica curioso! E aí? Já ouviu algum “podre” de algum deles?

    Abraços!

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, já ouvi muitas coisas, Gabi. Mas é difícil separar o boato do fato. Claro que deve haver diferenças entre muitos deles, porque o tenista aprende muito jovem a ser individualista, o que é uma necessidade do esporte mas não faz muito bem às relações sociais.

      1. Gabi

        Obrigada pela resposta!

        Eu sou super fã do Federer, mas claro que tem muita gente que critica ele. Dizem que ele é arrogante, mau perdedor e agora, aparentemente, dissimulado (não dá pra entender de outro jeito o que o Boris Becker disse!). E claro que eu gostaria de saber a verdade… A minha experiência com ele foi ótima. Fui ver o tour que ele fez, jogou no Ibirapuera, e ele foi muito atencioso, esperou eu tirar 3 fotos…. Mas sei lá, a gente se engana né?

        Você já teve a chance de falar com alguns destes tenistas?

        Abraços

  65. Oswaldo E Aranha

    Cuspir para cima, foi o que eu fiz; fiz uma brincadeira quando Dkovich ganhou do Nadal, colocando versos do Noel Rosa falando de frustração e agora serviram para mim.
    Delcin, com a derrota em Roland Garros a impressão que tenho é que, infelizmente, o Dkovich perdeu o elan e que não vai ganhar este ano mais nenhum Grand Slan; o que achas?

  66. Fonseca

    A diferença de nível entre jogadores é incrível…. O Tommy Haas está a 134 anos em jogar por causa de cirurgia,, tem 37 anos, volta e e na 1ª partida derrota o Kukushkin, que está jogando direto e tem 28 anos…

  67. Joao So

    Dalcim, gostaria de cumprimentá-lo pela excelência dos seus comentários, e por suas visões comedidas e equilibradas, Mas, sobretudo, pelo caráter democrático pelo qual você conduz as discussões, tanto dos colegas que mais entendem de tênis, como daqueles que participam (como eu) e pouco entendem de aspectos táticos e estratégicos (apesar de ser o meu esporte preferido e compreender todas as regras nunca cheguei perto de uma raquete). Ao contrário de outro(s) blog que eu lia sem participar em razão do seu aspecto muito seletivo e que, consequentemente, acabou perdendo centenas de adeptos, o seu blog deixa-nos à vontade para brincar, comentar, e “zoar” com os aficcionados de um ou outro jogador, ao mesmo tempo, em que permite, dentro desse espírito democrático, divergir dos seus pontos de vista. Parabéns!

  68. Paulo

    Boa tarde Dalcim, o que não se faz e fala para vender livros hein? kkk. Boris Becker, depois da sua carinha de sei lá o quê na final de RG kkkkkkkkk, sabia que viria algo assim kkkkk. Voce reparou na carinha dele Dalcim? kkkkkkk. Abraço.

    1. Implicante III

      Boris não falou nada demais, Boris só falou a verdade e a verdade você querendo ou não é que RF não tem nada de bom moço. Esta pinta de bom moço faz parte da indústria de marketing que vende a “face” da perfeição para os fanáticos como você virem aqui “morrer” por ele. RF já foi investigado por participar de supostas “apostas” como a de uma final de RG. Por que será que RF não suporta Djokovic? Djokovic não suportar RF por ele ter com toda a falta de educação mandado os pais do Djokovic calarem a boca e em total desrespeito com a figura “família” é até compreensível, mas tem outras coisas mais por “debaixo dos panos” que fazem Djokovic não gostar de RF, mas um fanático não tem capacidade de entender porque já sofreu “lavagem” cerebral da mídia. Em “breve” todas as “máscaras” irão cair.

    2. Sergio Ribeiro

      Como em sua longa carreira o Alemão ( perdeu para seus grandes rivais de Saque-Voleio), jamais venceu nem um ATP250 no Saibro, estava com as barbas de molho. Seu pupilo ainda nao venceu em Paris. Nao deu outra rsrsrs…Abs!

  69. Marco Dias

    Espero que o Wawrinka pare com essa gangorra (de bestial a besta)… Queen’s será um torneio bem interessante para já analisarmos o seu comportamento.

    Dalcim, eu sei que o Wawrinka sempre foi um tenista muito respeitado no meio, mas agora que ele elevou o seu nível de competividade (nestes últimos dois anos), você acredita que o Big 4 já olhe pra ele com outros olhos? Tipo assim, antes todos sabiam das suas qualidades mas pensavam “sou mais eu”, agora podem pensar “se esse cara vier afiado hoje, o que vou fazer??”. Enquanto Stan passou do “vou perder hoje” a “posso ganhar desse cara”. Essa inversão no psicológico (claro que Stan sabe das dificuldades e o Big 4 tem consciência de suas próprias qualidades) é mais um ponto que o favorece, não?

    Tinha horas que o Djoko parecia dizer: “Tô perdido, esse cara despertou o 7º sentido!! (alguns aqui devem me entender).

    Enfim, acha que mudou de patamar aos olhos dos grandes?

    Ps: Confesso que dado os últimos resultados do nosso Palmeiras, domingo tive uma das minhas maiores alegrias recentes no esporte… rsrs

    Abs!

    1. José Nilton Dalcim

      Ah, com certeza, Marcos. Todos sabiam do potencial dele, mas certamente apostavam na sua instabilidade. Agora ele mostrou estar um ou dois degraus acima.

    2. Márcio

      “Estou perdido, o cara despertou o 7º sentido !!!!! ”

      kkk!!

      Muito boa essa, cara no alto dos meus 30 anos de idade lembrar dos cavalheiros do zodíaco….kkkk.

  70. Ricardo - São Paulo

    Dalcim, sobre Novak e Roger…saíram várias matérias sobre o lançamento do livro do Boris dizendo que os dois não se gostam. O quanto disso é verdade, ou é só declarações para vender livro? Federer mantém favoritismo em Londres? Quanto ao Stan, nem dá pra comentar…o cara acabou com todos os prognósticos…risos…Abraços!

    1. José Nilton Dalcim

      Bom, sempre tive a impressão que os dois não morrem de amores um pelo outro. Bom que alguém venha publicamente contar isso. Quando ao Federer, ele continua sim entre os grandes favoritos.

  71. sergio

    A derrota de Djoko para Stan só foi imprevisível para os mais incautos, haja vista que o jogo que Stan apresentou contra o Federer demonstrava que, jogando daquela maneira, estaria apto a vencer qualquer jogador do circuito que porventura estivesse na final.

  72. Mário Fagundes

    Tenho minhas dúvidas sobre o estado de Djokovic após essa derrota em RG. Acho que ele ainda não digeriu a perda desse título. Talvez fosse menos difícil digerir, se tivesse sido diante de Nadal, Federer ou Murray, que eram favoritos. Novak vive uma situação pior que a que viveu Federer, quando este perdeu todas as finais que disputou em Paris para Nadal. Porém Federer perdeu para Nadal, o “rei do saibro”. E na primeira chance que teve, sem o touro pela frente, foi campeão, em 2009. Portanto Novak sabe que perdeu uma grande oportunidade e, por isso, não o vejo tão forte para o título em Wimbledon. Para Stan, penso que seja mais fácil assimilar o momento. É o segundo GS dele e isso o eleva, naturalmente, a ponto de ser comparado a Murray, integrante do Big 4. Stan deixou de ser surpresa para ser uma realidade dentre os maiores de sua geração. A comemoração pelo feito em RG pode durar até o fim da temporada da grama. E daí? Ele agora sabe que é possível vencer mais slans caso esteja focado e com a vida pessoal em dia. Considerando as incertezas sobre Djokovic e Nadal, penso que Murray e Federer chegarão muito fortes em Wimbledon.

  73. dackson

    Dalcin, uma perguntinha…
    A trajetória do Djokovic está ficando parecida com a do Lendl? muitas semanas como 1º , muitos títulos, várias semis de Grand Slam consecutivas e também muitos vices, e agora a dificuldade de fechar o carreer slam. abs

  74. Rafael

    Metre,

    O que você achou da reportagem do Boris Becker que disse que Djokovic e Federer não e gostam? Isso é público e notório? Eles se estranharam algumas vezes, mas não sabia quer eram desafetos. O Federer também já se estranhou com o Murray.

      1. Mario Cesar Rodrigues

        Quando falei aqui sobre Federer..todos me ironizaram ele realmente é assim mesmo eu falo porque vivi isto ele me xingou quando em 2011 estava treinando em RG então todos que estavam lá vendo ele estava muito bravo,quebrou duas raquetes no mesmo treino fiquei pensando este cara não é o Federer estava eu e mais de 500 pessoas vendo ele treinar!

  75. Rodrigo Galdino

    Vi um comentário do Maraucci sobre as ambições de alguns tenistas ou falta dela e concordei,ele citou até o caso do Andrés Gomez pós conquista de RG ,que disse não querer abrir mão de algumas coisas na sua vida para ser N1.Talvez seja o caso do Stan.Muitas vezes é exigido dos tenistas que vençam mais e mais busquem subir no ranking de 30 para 20, de 20 para10,de 10 para N1,mas pra próprio aquilo já o satisfaz é algo muito pessoal.

  76. Julio Calleja

    O Federer também jogou Wimbledon sem disputar torneios preparatórios (Halle) em 2007, 2009 e 2011, ganhou 2 títulos e saiu em 2011 nas quartas. Mas faz todo o sentido essa sua ponderação, pois além do Federer ter uma melhor adaptação com Wimbledon (grama), para fazer essa transição, o ano em ele disputou com pressão semelhante ou maior a do Djoko em Roland Garros, foi em 2009, só que saiu de lá vencedor ao contrario do sérvio.

  77. lEvI sIlvA

    Dalcim, meu caro, olha só que curioso! Não faz muito tempo, alguns diziam sem qualquer receio, que Wawrinka não fez nada após ganhar o AO. De fato, ele passou a ter resultados bem aquém do esperado, dado o nível assombroso com que jogou e bateu os nºs 1 e 2 neste torneio. Vou mais longe, disseram que Stan, Cilic e del Potro não passavam de “one Slam man”, lembra? Bom, o que gostaria de salientar com isso tudo? Como alteraram as expectativas e perspectivas de uma hora pra outra por este resultado inesperado do suíço, não foi mesmo? Ao ponto de apontarem Stan como maior que Murray. Mas, pra isso, ele teria de ter mais resultados e por muito mais tempo. (Muitos mais Masters 1000 e maior ranking por muito mais tempo) Não há como discutir o fato de que Andy Murray tem maior tempo como Nº4, muitas vezes chegando além disso. Também é maior o número de vitórias dele contra Federer, Nadal e Djokovic. Então, soa estranho colocá-lo acima de Murray.

    1. Sergio Ribeiro

      STANIMAL ja’ possui 30 anos e somente venceu 10 ATP , contra 31 de Murray aos 28. 1 MASTERS 1000 contra 10 do Britânico . Em patam em SLAM ,mas Andy venceu o Ouro Olímpico em Simples. Os comentários sao de ocasião. Dificilmente o Simpático Suíço e seu Pijama chegam em Andy Murray ,meu Caro Levi.Abs!

  78. Bob

    Ola Dalcim,

    Acredito que Djokovic irá levar 1 semana para esquecer Roland Garros. Esses caras são muito profissionais. Lembro que Andy Murray, tinha essa mesma sina em relação a Wimbledon . Chorou copiosamente quando foi derrotado por Federer e depois ganhou Olimpiadas e Wimbledom no ano seguinte.

  79. Victor Rolemberg França

    Dalcim, em vários esportes há sempre uma resistência em aceitar atletas homossexuais. No tênis também é assim? Porque eu particularmente só conheço a Navratilova (de grande nome), que é casada com outra mulher. Existem/existiram outros tenistas famosos que também são gays?

    ps: Federer vai jogar algum torneio de preparação para Wimbledon?

    1. José Nilton Dalcim

      Assumidos mesmo acho que só Martina e Billie Jean. Há outros declarados, como Errani, Vinci, Mauresmo. Entre os homens, ninguém publicamente. Federer jogará Halle.

      1. Luiz Carlos

        Não acredito que haja homossexuais no tênis masculino pois é um meio muito machista, o jogador gay não resistiria à pressão. Agora, entre as mulheres deve ser endêmico porque se vê cada machuda jogando…

        1. José Nilton Dalcim

          Na verdade, pode existir sim, mas duvido que alguém do masculino tornasse isso público, pelo menos até encerrar a carreira.

  80. fepauli

    Bom dia Dalcim

    Interessante:

    Olhando o ranking de entrada dessa semana, 232 pontos é o que separa o 26° colocado ( Fognini 1250 ) até o 46° colocado ( Vesely 1018 ), 20 posições de diferença, um ATp 250 de saldo leva o 46° para o 26° com folga.

    Já entre o 26° e o 23° a diferença é de 252 pontos, o mesmo ATP 250 de saldo faz o 26° ir apenas para o 24°, 2 posições de diferença.

    Se o Bellucci ( 1065 pontos) conseguir de saldo 190 pontos, salta de 40° para 26° colocado, tarefa nada impossível considerando seu momento.

    O que acha Dalcim?

    1. José Nilton Dalcim

      Bem observado. Acho que isso deixa claro como o circuito é duro e equilibrado hoje em dia, não?

      1. Luiz Fabriciano

        E reforça mais ainda que de 500 para 100, é um pulinho, mas se manter no top 10, só para grandes.

  81. alexpicelli

    ola, digamos, para sorte do federer, que eles caiam na estreia kkkkkkkkkkkkkkkkk!

    a parte zueira, vou torcer pro federer, sem duvidas,mas também para o lindo nivel de tenis!!!!

  82. Matheus Almeida Prado

    Concordo com tudo.

    Wawrinka venceu Monte Carlo também nesse meio tempo.

    Acho que os favoritos para wimbledom são disparados Djoko e Murray.

    Federer e Nadal podem vencer, mas estão mais sujeitos a derrotas inesperadas, concorda?

    Eu não apostaria no Wawrinka, mas não da pra duvidar do homem.

    Abs,

    1. alexpicelli

      eu discordo, nunca ousaria colocar federer abaixo do djoko e andy em wimbledon, nunca mesmo, sao so 7 titulos pra ele pra duvidar do seu favoritismo!!

  83. Rubens Leme

    Bom, só de não ver aquele shorts horroroso do Wawrinka em Wimbledon, já será uma ótima coisa. Até parece o futebol praticado pelo nosso Palmeiras, Dalcim.

    Essa semana teremos o torneio de Stuttgart, na ESPN, e será bom pra ver como o Nadal se comporta. Eu acho que ele fará uma boa temporada na grama e como possui 2 títulos e 3 vices em Wimbledon não deve ser desconsiderado.

    Se Murray mantiver a regularidade é o grande favorito, ao lado de Djokovic. Não acredite em novo Slam de Federer.

    1. Alexandre Maciel

      Não por nada, mas na grama coloco o Federer com mais chances de bater o Djoko e quem sabe chegar ao título. O Nadal tem sofrido demais na grama nos últimos anos, acredito que o joelho não lhe permita mais jogar como antes sobre este piso.

Comentários fechados.