O gigantesco desafio de Bellucci e Feijão
Por José Nilton Dalcim
5 de março de 2015 às 19:55

Thomaz Bellucci e João Souza não desafiam apenas os adversários mais bem classificados no ranking e a sempre participante torcida argentina neste fim de semana de primeira rodada de Grupo Mundial de Copa Davis. Terão de lutar acima de tudo contra seus próprios retrospectos no saibro lento e clima úmido de Buenos Aires. E olha que o histórico é muito fraco mesmo.

Número 2 circunstancial mas melhor brasileiro dos últimos sete anos, Bellucci não vence uma única partida na cidade desde que chegou à semifinal de um challenger em 2008, temporada aliás que marcava seus passos iniciais no circuito. Em nível ATP, só venceu quatro partidas lá, mas três delas foram do quali que o levou à chave principal também de 2008 e em seguida marcaria sua primeira vitória em torneios ATP de toda a carreira.

Feijão sofre ainda mais em Buenos Aires, tendo vencido tão somente dois jogos de quali, em 2010 e 2012, contra adversários de nível top 300 e 500. Nem mesmo em challenger ele conseguiu sucesso, tendo perdido na estreia nos três que participou, o mais recente deles em 2013.

A razão é simples e a mesma que tanto combinava com Guga Kuerten: a condição de jogo é realmente lenta, completamente oposta ao saibro mais veloz, de preferência com altitude e clima seco, que é a melhor combinação tanto para Bellucci como para Souza. Vindo de Florianópolis, Guga se sentia totalmente em casa.

Ainda assim, há uma chance porque o time argentino não assusta, ainda que seja favorito natural à vitória. Leonardo Mayer surge como nossa maior barreira, embora ande sentindo as costas e tenha feito campanha discreta nos recentes torneios sul-americanos. Embora se vire bem na quadra dura, gosta mais do saibro, onde tem um título de ATP e mais da metade de todas suas vitórias de primeira linha. Na teoria, ganhará os dois pontos.

Então nossa sorte parece estar nas mãos de Feijão e numa vitória sobre Carlos Berlocq nesta sexta-feira, logo o primeiro duelo do confronto. Não deve ser nada fácil. O argentino tem currículo superior em todos os quesitos e, desta vez, a torcida será um rival e não a ‘camisa 12’ como aconteceu no Ibirapuera e no Rio. Mas ao menos o brasileiro terá um jogo franco, diante de um adversário que também arrisca e por isso comete muitos erros. Um jogo longo pode ajudar Feijão na questão física.

A dupla mineira é como sempre o porto seguro brasileiro. Claro que Delbonis e Schwartzmann não devem jogar juntos, mas qualquer composição argentina está muito aquém da qualidade de Marcelo Melo e Bruno Soares. O sonho portanto seria chegar ao domingo com 2 a 1, provavelmente ceder o empate no jogo Mayer x Souza e aí decidir com Bellucci. Provavelmente diante de Delbonis, canhoto que sempre o incomoda. Se chegarmos tão longe, já terá sido um ótimo desempenho.

E os demais? Alemanha x França e Canadá x Japão são os melhores duelos, mais equilibrados e imprevisíveis. A Sérvia com Novak Djokovic é favorita contra a desfalcada Croácia do garoto Borna Coric, mas o placar pode ser apertado. Os britânicos só têm Andy Murray contra os EUA e devem cair. Mesmo sem Kyrgios, a Austrália tem chance real contra os tchecos desfalcados de Tomas Berdych e Radek Stepanek. A Itália joga fora e promete endurecer diante dos cazaques na quadra dura coberta.

Mas ruim, ruim mesmo é o duelo entre belgas e suíços. Sem David Goffin, não haverá um único top 100 em ação. Para completar o pastelão, Yann Marti (quem?) deixou Liége revoltado por não ter sido convocado para os jogos de simples. O 292º colocado foi trocado pelo experiente Michael Lammer, que já disputou oito confrontos. Pobre Severin Luthi.


Comentários
  1. Sergio Ribeiro

    O cenário para os Thecos era o mesmo na Semi a dois anos. Stepanek e Berdych pareciam estranhos no ninho e ainda teriam que jogar também as Duplas. Del Potro atropelou Stepa e viu Berdych ( a lá Feijão ), vencer o experiente Mônaco no Quinto Set no primeiro dia ,o que deixou Delpho desesperado. Esse Ponto fez a dupla Theca atropelar a dos Hermanos em Sets diretos. Berdych super confiante , definiu atropelando Del Potro em Sets diretos. Mônaco fez 2 x 3 para cumprir tabela. Sei nao, esse ponto magico de Feijão pode ter sido fundamental . Léo Mayer esta jogando muito mais que Berlocq . A conferir…E olha Murray e CIA aprontando de novo pra cima do USA. Abs!

  2. Alexandre Zeitlin

    Olá Delcim td bem?

    Queria saber que horas anoitece em Buenos Aires, o Bellucci poderia pelo menos trazer o jogo para amanhã para que a dupla não seja Mayer e mais um, mas nem isso conseguiu.Facilitaria bastante

  3. Marquinhos

    Tanto o Brasil quanto a Argentina tem equipes bem fracas, salvo a dupla brasileira. Não acreditava que o feijão pudesse virar o jogo contra o Berloq, mas o fez. De qualquer forma não consigo me empolgar, apesar de ter 60% que o Brasil ganhará o confronto.

    Dalcim, você sabe se o governo pagou a dívida que tinha com Djokovic pela exibição que o sérvio fez no Brasil?

  4. Luiz Fernando

    O Bello me parece estar um passo a frente do Feijão no quesito “tecnica”, mas está atrás 100 passos no quesito “vontade de vencer”. Vimos isso claramente hj, com um se matando na quadra e vencendo e o outro parecendo q estava passeando no parque numa tarde de domingo. Como amanhã o Brasil deve vencer as duplas com facilidade, creio q domingo avançaremos. Destaque negativo para a quadra bem vazia, demonstrando o baixo nivel dos jogadores na quadra.

    1. Rafael Wuthrich

      Concordo em tudo, mas no caso da torcida acrescento que a ausência de Delpo e as frustrações recentes na semifinal e na final da Davis em casa deve ter afugentado ainda mais os hermanos.

  5. Anti anti-jogo

    Jamais subestimem as chances de Robolito Kid en nenhuma competição, pois ele é capaz de fazer de tudo (tudo mesmo) para vencer.

  6. AURÉLIO NR.

    Prezado Dalcim.
    A COPA DAVIS vale pontos para o rankng da ATP e como é o sistema de pontuação e se inclui todas as divisões. Obrigado pela resposta.
    AURÉLIO NR.

  7. Implicante

    Feijão conseguiu uma vitória que vai dar muita motivação para a temporada de saibro e Roland Garros.
    Bellucci perdeu, normal, o Mayer é fraco mas vive fase e ranking melhor.
    Precisamos contar com as duplas , como sempre. E não sei qual simplista vai conseguir o ponto. O Bellucci terá o confronto mais fácil, mas não dá pra confiar.

  8. Fernando Brack

    O que foi isso que o Feijão fez? Que coisa de louco! O jogo foi uma verdadeira montanha russa.
    Que beleza de vitória essa, daquelas que dividem a carreira do tenista em antes e depois.

  9. Luiz Fernando

    Feijão perdeu um terceiro set ganho e agora a coisa embolou. Se perder, ficaremos nas inábeis e pouco confiáveis mãos do Bello. Agora a quadra me pareceu a mais lenta q já vi, mais lenta ainda do q a de Monte Carlo, tida como a mais lenta da temporada de saibro europeu. O q vc achou desse detalhe Dalcim?

  10. Júlio Sc

    Esse terceiro set que o Feijão deixou escapar tendo set point vai custar caro, mas muuuito caro!

    Davis pode ter sido decidida nesse terceiro set. 5×2 na frente não pode perder de 7×5 nunca.

  11. Rafael Wuthrich

    Olhem o garoto Coric surpreendendo. Se s Sérvia perder duplas amanhã, ainda que Nole vença seu confronto, o número 2 croata pode vencer Troicki. Davis é mesmo espetacular.

  12. Rafael Wuthrich

    Dalcim, vi agora que a Belgica optou pelo sintético com as bolas de Roland Garros(!!!). Achei super estranho. É normal isso? Sobre o confronto, sem Goffin a coisa desandou. Esse é um prgnóstico imprevisível, porque os duplistas suíços são mais experientes, mas os simplistas belgas melhores, mas nem tão melhores assim. Loteria total.

    1. José Nilton Dalcim

      As bolas de Roland Garros não diferem tanto assim das demais usadas no circuito. Peludas e lentas, como os belgas gostam e provavelmente imaginaram atrapalhar o saque dos suíços.

  13. Luis

    Dalcim voltando falar dos masters comeca segunda feira nos EUA? E vc poderia escrever post sobre a temporada 2015

  14. Matheus Almeida Prado

    Dalcim, a Argentina pode jogar um dia com Berlocq e depois Mayer e ai no domingo usar Delbonis nas simples? Achei que os jogadores de sexta obrigatoriamente teriam que jogar domingo… Abs

  15. Spencer Santos

    Caro Marquinhos, obrigado pelas palavras no outro post. Só para encerrar o assunto (temporariamente…rs), os dois já estavam em fim de carreira. Sobre a Copa Davis, eu adoro o clima tenso das partidas e principalmente a diferenciada participação da torcida. Pena que nem todos os melhores de cada país participa das rodadas, o que tornaria o evento mais atraente ainda. Saudações Nadalistas!

    1. Marquinhos

      Então a partir de agora as vitórias que Nadal e Djoko conseguirem sobre Roger não valerão, pois o suiço está em fim de carreira?

  16. Antônio

    3 x 2 Brasil. Basta um ponto na sexta e domingo, ou seja 50%. Nas duplas, até os argentinos já contam com a derrota.
    Berlocq 3 x 1 Feijão
    Mayer 1 x 3 Bellucci

    DelBonis/Sch 0 x 3 Melo/Soares

    Mayer 3 x 1 Feijão
    Berlocq 2 x 3 Bellucci

  17. Marcelo Calmon

    Dalcim,

    Acho que a Argentina errou ao não convocar o Monaco (não sei se ele foi convocado e recusou), pois apesar de um pouco mais velhinho que os demais, ele me parece bem melhor que o Mayer e Berlocq. Aliás, ele acabou de eliminar o Mayer em Buenos Aires. Concorda ? Mas, sorte nossa. Como a maioria, acredito ser possível a vitória, pois a Argentina segue o lamentável caminho que os “não-europeus” estão seguindo, ou seja, o do imenso declínio. Saudades de Coria, Gaudio, Nalbandian, Massu, Rios, Gonzalez, Lapenti, sem falar no nosso campeoníssimo Guga !!! O declínio da Austrália e EUA também é gritante !!! Connors, McEnroe, Sampras, Agassi, Courier, Ashe, e agora Isner, Querrey, Donald, etc
    Aliás, o grande declínio na Europa que eu vejo é o da Suécia, creio que até maior que os citados por mim. Borg, Edberg, Wilander, Bjork, Soderling etc e agora ninguém expressivo.

    Uma coisa que não entendo, é essa presepada das duplas. As equipes podem anunciar uma dupla e mudar tudo na hora do jogo !!! Então qual a razão da divulgação antecipada dos nomes ?? Existe algo que não sei ???
    abs

    1. José Nilton Dalcim

      Mónaco é brigado com o Del Potro, que é amigo do Orsanic e assim vetou o Mónaco para o duelo. Sorte nossa. Quanto à dupla, é assim mesmo. Existe uma mera formalidade no sorteio para indicar a dupla (na maioria das vezes, simplesmente colocam o nome de quem não vai jogar simples) e até 60 minutos antes do jogo de sábado o capitão tem de indicar quem realmente vai jogar. Abs!

    2. Rafael Wuthrich

      A austrália está melhor na base que os EUA. E não é de hoje. Mesmo os medianos australianos são melhores que os norte-americanos que somente tem os Bryan de algo digno de sua história, ultimamente. Por falar em EUA, Murray conseguiu perder um set para Donald Young. Copa Davis é sempre uma caixinha de surpresas.

      1. Implicante

        Donald Young vem tendo um ano relativamente bem, em especial na campanha de finalista em Delray beach.

  18. Bruno Garcia

    Dalcim,vejo como boa a chance do Brasil avançar, nossos simplistas são tão perdiveis como ganhaveis, os deles também, Berlocq é limitado, e Mayer esse oscila bastante também, e como o Bellucci não foi bem no saibro sul americano e também sofreu com calor recentemente no Rio Open, mesmo que Feijão esteja em muito melhor fase, ainda acho o Bellucci de longe, nosso ponto mais forte, não tenho tanta confiança no Souza, já no Bellucci tenho bem mais confiança, ele joga bem Davis e o fato de ter o treinador para auxiliar ele, faz com que ele jogue seu melhor, acho o jogo com o Mayer bem vencivel, assim como acho que o Feijão pode vencer o Berlocq se estiver em um grande dia, e nossa dupla é ponto certo, um pontinho nesse 1° dia, já é um belo passo pra alcançar a 2° rodada da Davis, já que tenho plena confiança no Bellucci no último dia, enfim acho esse confronto bem aberto.

  19. THIAGO

    Será um confronto muito difícil , mais to achando que o Brasil vai surpreender , mais o 1º dia será muito importante sairmos com pelo menos 1 vitória, pois no sábado nas duplas abriremos 2 x 1, e ai no Domingo acho que o Bellucci ganha no 5º jogo contra o Berlocq , mais a pressão da torcida Argentina será enorme os nossos jogadores precisam controlar bem o emocional e segurar a pressão. mais to confiante Brasil 3 x 2 Argentina.

  20. André

    Brasil e Argentina é o tipo de confronto em que só temos a ganhar, mesmo perdendo. Acho difícil passarmos dessa, os Argentinos são melhores e estão em casa. Mesmo com poucas chances, vamos ter a chance de tirar coisas muito boas. Dar rodagem de Davis ao Feijão é a primeira, para se entrosar com o time e com o clima nada amistoso que deve ter. Bellucci pode aproveitar para embalar na temporada, que ainda está devendo. A dupla não precisa de nada e talvez seja nosso único ponto. Mesmo perdendo poderemos tirar muita coisa desse confronto. E se ganhar, poxa, daí nem precisa dizer mais nada, certo?

  21. Rodrigo S. Cruz

    Não quero parecer pessimista, mas acho improvável que o Brasil avance à segunda rodada.

    O Berlocq vem em boa fase, tendo atingido as semis no Rio. E também fez um primeiro set bem convincente diante de Rafael Nadal, perdendo apenas num grande vacilo ( tinha 5 sets points ).

    Em contrapartida, a fase do Bellucci é ruim, tendo perdido os dois torneios no Brasil logo na primeira rodada. Então não vejo como jogar fora de casa e com menos confiança do que já tinha possa ajudá-lo. Como se sabe, o seu maior adversário é si mesmo. Somando-se a isso as condições muito lentas do saibro argentino, a missão se torna mais difícil.

  22. Felipe Pires

    Dalcim, o Feijão nunca ganhou um duelo melhor de 5 sets, confere? Se não me engano, nem um único set! Espero e torço q isso mude amanhã!! Abs

    1. José Nilton Dalcim

      Em Grand Slam, perdeu todos, mas ganhou sim um set no US Open de 2011 do Robby Ginepri. Na Davis, jogou apenas uma em melhor de cinco e perdeu.

  23. Implicante

    Essa fuga do Yann Marti, é mais uma prova do desprestigio dessa competição para os jogadores. Claro que ele agiu errado, mas é complicado perder o fim de semana lá, enquanto poderia estar descansando ou se preparando para torneios de verdade.
    Lembrou o caso Feijão do ano passado, que tinha mais ranking e foi preterido pelo treinador. Complicado.

    1. Sergio Ribeiro

      Pois e’ amigo um enorme desprestigio. Todos os Grandes Campeoes ao longo do Era Amadora e profissional deram o sangue para vencer a Copa Davis. Os mais jovens que acreditam neste papo furado, viram a maneira como Federer e Cia vibraram ao bater a França . A melhor Equipe Norte – Americana que eu vi, era composta apenas por Agassi, Sampras, McEnroe e Courier . Jogadores Veteranos que atualmente preferem se concentrar no Circuito , deixando os 5 Sets da Davis para os mais novos e’ ate’ compreensível. Mas Novak e Murray estão jogando hoje. Um pouco de pesquisa nao faz mal a ninguém. Hewitt vai se aposentar para ser o novo Capitão da Austrália.Abs!

    2. Marcelo Calmon

      Caro Implicante,

      Tive uma interpretação diferente da sua quanto à retirada do Marti. Acredito que a desistência se deu ao fato dele não ter sido escalado para jogar e não por não prestigiar. Ele deve ter acreditado que sem Federer e Wawrinka teria chegado a hora dele representar a Suiça e como isso não aconteceu ficou frustrado e sem espírito de equipe abandonou o barco.
      abs

  24. Rafael Wuthrich

    Bom, me parece que nunca tivemos tanta chance de chegar à segunda rodada desde a Era Guga. Os argentinos são bem ganháveis e, à bem da verdade, só Melo e Feijão, de todos os tenistas que estão no confronto, apresentam boa fase. O resultado é total incógnita, na minha modesta opinião. Se o ponto das duplas é barbada, nenhum dos confrontos de simples tem qualquer tipo de prognóstico. Dos 4 quem está em melhor fase é Feijão, mas é o que está sob maior pressão e terá mais dificuldade com a quadra lenta de Buenos Aires; Bellucci anda se arrastando em quadra e, sinceramente, estou curioso se conseguirá ganhar sets no fim de semana. Dos argentinos, evidentemente desfalcados, Leo Mayer é um bom tenista, mas nada confiável. Oscila tanto quanto Bellucci e sai de órbita fácil, sem contar os problemas físicos. Berlocq é um tenista médio para baixo dentre os próprios argentinos e, mesmo no saibro, está longe de ser uma certeza de vitória, embora costume sempre fazer confrontos cheios de reviravoltas. Chutaria, longe de ser o expert em palpites Jose Nilton Dalcim, em um 3×2 Brasil, com Feijão ganhando os 2 jogos de simples. Mas é total chute.

    1. Implicante

      É uma total incógnita esse confronto. Podemos fazer 5×0 ou levar 0x5 facilmente.
      Não vejo o Bellucci em má fase… Ele é o de sempre, é isso aí mesmo que a gente vê todos os anos.
      Mas na Davis, ele tem conseguido jogar bem e vale lembrar, que ele venceu o Ferrer na lentidão de Montecarlo, então tudo pode acontecer.

      1. Rafael Wuthrich

        Concordo com a imprevisibilidade, mas se nossa dupla não ganhar no sábado por categóricos 3×0 vou ficar MUITO surpreso.

  25. Djokovic Fan

    A Argentina é favorita,mas o confronto é parelho sim e não seria nenhum absurdo uma vitória brasileira.Mayer é bom jogador,mas não acho nada de mais.Não tenho muitas esperanças no Feijão (tomara que queime me lingua e ganhe do Berlocq),acho que nossas chances se concentram em um final de semana iluminado do Thomaz.

    Mas que papelão esse da Suiça.Claro,não sei como funciona essa rotina de treinamentos e o possível desgaste física que isso geraria,mas acho que não custaria muito para Federer ou Wawrinka,ir lá,jogar um 1 jogo (contra um jogador fraco e que não ofereceria nenhum risco a eles) e ir embora,e sem o Goffin ainda…capaz da Suíça ainda avançar.

    Acho que dá pro Murray levar o time nas costas sim Dalcim,ano passado eles conseguirem vencer com o Ward surpreendendo o Querrey e o Murray vencendo os seus dois jogos e acho que dá pra fazer a mesma coisa esse ano (tudo bem que esse ano o Isner joga,mas creio ser possível.Na torcida pelos britânicos!)

    No mais é bom ver DeL Potro de volta.Só desejo que ele possa jogar sem mais dores o incomodando,ranking é o de menos ele vai recuperar com o tempo.

  26. Sergio Ribeiro

    E’ apenas uma questão de palpite. Berdych e o Gala de Praga venceram lá dentro explorando o nervosismo dos Hermanos. Mesmo sendo muito lento, e’ Saibro. Bellucci ja’ bastante experiente na Davis pode aprontar legal. Um 3 x 2 e’ uma Zebra viável. Abs!

  27. Pietr

    Muito embora eu vá torcer, é claro, mas não aposto um tostão em uma vitória brasileira sobre os argentinos. Além de melhores tecnicamente, irão jogar em casa e em um tipo de quadra que eles adoram. Ah, e tem mais equilíbrio emocional que os brasileiros…Não acredito em milagres mesmo…

  28. Carlos Henrique

    Acho nossas chances bem reais. Tudo dependerá do primeiro duelo. Se o feijão largar na frente não descartou uma vitória do abello sexta ou domingo. Aí “bastaria” confirmar o favoritismo nas duplas. Quanto aos demais confrontos, não entendi a escolha dos britânicos contra os americanos. Não seria melhor um saibro, mesmo não sendo o melhor piso do Murray? Ou porque não a grama, que eu acho mais “suscetível” de surpreender os bryans?

    1. José Nilton Dalcim

      O inverno está bravo por lá, grama indoor seria bem difícil de arrumar. Quanto ao saibro, Murray não gosta de jogar na terra.

  29. Fernando Costa

    Caro Dalcim,
    Diante de tantas e óbvias dificuldades, caberá aos brasileiros tentar tirar proveito da única vantagem de que dispõem, que é o fato de não serem favoritos para o confronto. Ou seja, a obrigação de vencer é deles. Em teoria, isso deveria beneficiar especialmente ao Bellucci e ao Feijão. Como não existe uma diferença técnica muito grande entre os competidores, esta pode ser a chave para o Brasil pelo menos equilibrar o confronto. Se o Bellucci e o Feijão conseguirem jogar mais naturalidade, podem ter uma chance. Uma coisa é certa, se o Brasil não fizer pelo menos um ponto no primeiro dia, um abraço. Já era.

  30. Thiago Rodrigues

    Para o Brasil levar a melhor, o Feijão precisa ganhar um ponto. O Bellucci não tem físico para ganhar os 2 pontos no calor imenso de Buenos Aires.

Comentários fechados.