Teste de resistência
Por José Nilton Dalcim
14 de janeiro de 2014 às 12:54

Diante de uma onda de calor que irá novamente beirar os 42 graus nos dois próximos dias, o Australian Open pode se tornar um verdadeiro teste de resistência física, ao menos para a chave masculina. Quem joga no meio da tarde (madrugada brasileira) certamente é o mais prejudicado, mas até mesmo Rafa Nadal parecia Ian Thorpe saindo da piscina após seu único set diante de Bernard Tomic, de cujo boné escorria água, no jogo que abriu a rodada noturna.

Obviamente, choveu crítica para os organizadores, que não invocaram a regra do calor extremo, alegando que havia baixa umidade (não passou dos 30%). Realmente, é a junção de altta temperatura com alta umidade o que causa sensação de calor insuportável. Ainda assim, pelo menos três jogadores abandonaram por exaustão, outros passaram mal e dezenas se queixaram. Jo-Wilfried Tsonga não achou engraçado ver o solado do calçado grudando no chão.

Curiosa foi a frase de um dos médicos: “Nunca vi ninguém morrer de desidratação numa quadra de tênis. O maior risco que pode acontecer é algum jogador passar mal por tomar líquido em excesso por medo do calor”. Apesar do vento, que amenizou boa parte do sofrimento, John Isner definiu: “É exatamente como abrir o forno depois de assar as batatas”. E Andy Murray, que conseguiu a vitória mais fácil do dia, acha que estão brincando com fogo: “Os profissionais estão condicionados para aguentar o jogo, mas o problema é como se recuperar disso depois. Não paralisar os jogos pode afetar a imagem do torneio”.

Oficialmente, a temperatura chegou a 42,2 graus, longe da histórica Black Friday de 1936, quando atingiu 45,6 graus em Melbourne. A preocupação maior tem sido com o público. A onda quente não impediu que 47.491 pessoas fossem ao complexo na rodada diurna. Foram providenciados amplos espaços protegidos e ventiladores de água fria. Não houve registro de incidentes.

O desconforto ficou evidente na movimentação ruim de Juan Martin del Potro, que conseguiu a virada contra Rhyne Williams, mas não pareceu afetar Roger Federer. O suíço fez apenas o necessário contra o limitado James Duckworth. Certamente, o esforço de cinco sets custará mais para Kei Nishikori e Gilles Simon. As notas ruins foram o abandono de Isner – o campeão de Auckland está com sério problema no pé – e de Philipp Kohlschreiber, que voltou a sentir problema na coxa e nem entrou em quadra.

O grande jogo do dia, assim, ficou para a maratona e o notável empenho de Andreas Seppi e Lleyton Hewitt sob condições tão difíceis. O italiano jogou muito nos dois primeiros sets, o veterano herói da casa não se entregou mesmo no clima sufocante, levou ao quinto set e ainda teve um match point. Depois, foi um duelo para ver quem ficava de pé em quadra. Aplausos de pé para ambos.

Entre as meninas, estreia vacilante de Vika Azarenka e Agnieszka Radwanska, jogo firme de Maria Sharapova e dois destaques da nova geração: a romena Simona Halep, de olho no top 10, e a espanhola Garbine Muguruza.

O Brasil – Não tivemos imagens da derrota de Teliana Pereira e da vitória por abandono de Thomaz Bellucci. Mas duas coisas são evidentes: a pernambucana lutou muito, encarou de frente a cabeça 29 Anastasia Pavlyuchenkova e poderia ter sim vencido, caso confirmasse a chance que teve no duro primeiro set. Foi uma estreia de Slam motivante e, com muito sol, torcida e saibro, nossa top 100 pode ser a grande estrela do Rio Open.

O placar da partida de Bellucci viu mil reviravoltas, porém o brasileiro mostrou que, ao menos no preparo físico, está sobrando. Vindo de três jogos do quali, aguentou os 42 graus e quem sentiu foi o adversário, o alemão Julian Reister. Claro que agora a tarefa é hercúlea: encarar Tsonga num dos grandes estádios. Seria o momento perfeito para mais uma reação na carreira.

A quarta-feira – A abertura da segunda rodada não empolga. Novak Djokovic é superfavorito contra Leo Mayer, enquanto David Ferrer deve fazer um jogo monótono contra o trocador de bolas Adrian Mannarino. Talvez haja emoção entre Tomas Berdych e o canhoto Kenny de Schepper ou entre Richard Gasquet e Nikolay Davydenko, se aguentarem o calor. E quem sabe o também canhoto Alejandro Falla complique um pouco para Stan Wawrinka. No feminino, pode ser curioso o duelo de gerações de Na Li e Belinda Bencic, que vem antes do provável jogo rápido de Serena Williams.

O adeus – O Australian Open me impediu de ir até Jacareí para a despedida a José Amin Daher, que sofreu acidente fatal de carro na manhã desta segunda-feira, na sempre perigosa Rio-Santos, quando voltava de fim de semana em Angra dos Reis para sua bela academia em São José dos Campos. Zé, como sempre um chamou ao outro, foi um daqueles tenistas que acompanhei a carreira desde o comecinho, ainda juvenil. Como todo tenista extremamente talentoso, era taticamente indisciplinado e muito irreverente. Não foi mais do que 139º do ranking porque não tinha muita paciência para o monótono trabalho físico.

Lembro de duas passagens curiosas. Em 1987, quando enfrentou o favorito Jaime Yzaga na segunda rodada de um challenger no hotel Transamérica, fez um ziquizira de voleio logo no primeiro ponto da partida. Três anos mais tarde, num dia de calor australiano em Manaus, sem forças diante de Luis Herrera, se virava para mim a cada ponto exaustivo e fazia uma brincadeira. Nos últimos anos, Zé Amin se dedicou a seu centro de treinamento e ao sonho de desenvolver novos jogadores de ponta. Perdemos um apaixonado pelo tênis, vai fazer muita falta.

Registro histórico
* Djokovic jamais perdeu para um tenista que não estivesse no top 80 em todo seu histórico de Grand Slam. A pior derrota nesse sentido foi para Marat Safin, então 75º, em Wimbledon de 2008. Leo Mayer está atualmente no 98º posto.
* Davydenko ganhou apenas dois de seus últimos 26 jogos diante de adversários top 10: Ferrer e Janko Tipsarevic, ambos no ano passado e no piso duro.
* Tommy Robredo marcou contra Lukas Rosol sua quinta vitória seguida em partidas decididas no quinto set, aumentando sua marca geral da carreira para 14-4. A última derrota no quinto set foi para Nole no US Open de 2008.
* Em cinco participações anteriores no Australian Open, Ernests Gulbis jamais passou da segunda rodada.


Comentários
  1. André

    Já estão reclamando do calor que irá fazer nos jogos da Copa do Mundo aqui no Brasil mas vejam o que fazem com os tenistas no Australian Open! Aqui, no período de Copa a temperatura não deve passar de 34º nos lugares mais quentes(Manaus e Cuiabá). Em outras sedes devemos ter temperaturas bem amenas e até frio, como é o caso de Porto Alegre na época da Copa.
    Já em Melbourne?!!!

  2. DACIO CAMPOS

    caro ze newton,perda irreparavel…………generoso e amigo,sempre pronto para ajudar os outros.

    perdemos muito e eu perdi um pedaço de mim……….agora nao quero que ele descance nao,mas sim apavore onde
    quer que ele esteja……a moda ze amim…..saudades dacio

  3. Paulo

    Boa tarde Dalcim, assistindo ao jogo do Roger Federer contra o jovem Duck, não pude deixar de observar a quantidade de fitas fisioterápicas nos braços do jovem, as tornozeleiras, …, enfim, se o jovem já está “todo bichado” nessa idade … fico imaginando o futuro do pobre coitado. Comparando com o Mestre, que dificilmente se machuca, isso seria por que ele efetua “perfeitamente” os fundamentos? Imagino que aprender desde criança “perfeitamente” os fundamentos (lógico que com um professor de qualidade) minimizaria problemas futuros com relação a contusões?

  4. Fernando Brack

    O retrato da situação melancólica em que se encontra o tênis australiano é ver que a principal atração local neste AO foi a dupla Hewitt/Rafter. Como pode um país com tanta tradição e que foi dominante por tanto tempo neste esporte não conseguir fazer brotar novas estrelas de ponta?
    Sabemos que não é por falta de empenho, competência e investimento. O que seria?

  5. Renato Veneziano Toniol

    Bellucci x Tsonga, como você bem definiu, é um jogo que pode dar uma reação em sua carreira. É claro que o favoritismo é todo do Tsonga, mas sinceramente, não vejo porque o Bellucci não possa ganhar. Vou ser ousado e aposto em vitórias do brasileiro por 3×1. hehehe

  6. Maurício Neves

    Bom dia Dalcim,
    meus sentimentos aos familiares e amigos de Daher.
    Slans da ATP começando e Slans dos amadores também, final de janeiro começa o meu. Pratico voleibol há 30 anos e não consegui me profissionalizar, mas quando jogo meus torneios como amador é como de fosse, em 2010 eu estava no hospital aguardando minha esposa retornar do centro cirurgico e vi pela primeira vez Roger Federer jogar, era contra o nole, achei incrível ver a forma como ele joga e no mesmo ano me matriculei em uma escolinha de tênis e hoje não vivo sem ele. Vejo aqui muitos comentários sobre assuntos diversos e gostaria deixar o meu sobre um pedaço se me permitem e desculpem seu digitei alguma besteira:

    1 – O tênis ao meu ver precisa de disciplina de arbitrgem, não existe. O arbitro em sua maioria é um contador de pontos, fiscal de rede e solicitador de silêncio. Com isso cresce o estrelismo.

    2 – Os jogadores devem ser tratados quando em quadra como atletas e não como estrelas de TV.

    3 – Essa atmosfera de mimos é que criam certos comportamentos que sempre são comentados e criticados pelos blog´s da vida.

    Sobre o nadal ele realmente é conveniente, uma criança mimada onde tudo tem que estar como ele quer, alguém que alinha garrafas, não pisa na linha ao entrar e sair de quadra, espera o adversário passar primeiro antes de mudar de lado deve ser extremamente complicado. Além de conviver com seu problema de TOC.

    Sobre o Federer. Aos 32 anos pessoas o criticam, o que querem que ele jogue, como como 18 anos? O negócio é vender jornal. Federer só não consegue se movimentar mais como antes e ele ainda dá a cara para bater e entra em quadra, pois sair por cima é fácil.

    Nole, cuida da vida dele e continua colocando suas bolas nas laterais com sua empunhadura extrema, ele só faz isso e ninguém pega.

    Obrigado a todos, desculpe se digitei besteiras e bom jogo de tênis para os tenistas do blog. Feliz 2014!

  7. Leo

    A baixa do dia foi Sabine Lisicki. A bela joga muito mais que a maioria das meninas, não fica presa no fundo e tem força nos golpes num nível abaixo, mas bem próximo da Serena.
    Se conseguisse arrumar a cabecinha, só teria a Serena mesmo como grande oponente.

    1. Samuel

      Sem comentários. Lisicki, Kvítova e Azarenka têm um estilo de jogo completo, potente e apto a levá-las a conquistar vários torneios do Grand Slam. O mesmo já pudemos um dia dizer a respeito de Ivanovic. Mas, de que adiantou?

  8. Sergio Ribeiro

    Nao se pode deixar passar batido o excelente trabalho do Staff de Andy Murray. Lembrando que nas ultimas 4 edições , uma Semi e três Finais, pode botar lenha em 2014. Livre das Costas, seu Serviço pode voltar a falar alto em momentos decisivos. E a irregularidade das meninas já nao surpreende mais. Serena tem tudo para fazer História. Como bem colocou Dalcim,os favoritos por enquanto somente para o gasto.Abs !

  9. Maurício Luís

    Dalcim, lembro-me de ter visto um jogo que foi televisionado na época. Acho que foi no começo da década de 80, e valia uma vaga para Wimbledom. José Mauro Wasserfirer X José Amin Daher. José Mauro ganhou, mas o jogo foi bem parelho. Inclusive, não tenho idéia de que fim levou o José Mauro. Acho que foi mais uma promessa juvenil que não se concretizou.
    Ao ler a notícia do lamentável acidente do José Amin Daher, imediatamente me veio à cabeça este jogo. Que deus o tenha.

    1. José Nilton Dalcim

      Isso mesmo, o José Mauro não conseguiu sucesso no profissional, já que na época deles era ainda mais difícil chegar lá. Abs!

  10. Humberto de Campos

    “Roger Federer baterá mais um recorde notável na sua carreira e atingirá 57 Slam consecutivos disputados…”

    Colendo Dalcim, nosso Paramahansa Yogananda do tênis, trasladei excerto de um teu post passado porque meus comentários serôdios têm de se valer de restauração, retrospectos em si.
    Daí a necessidade do panegírico do Federer: a higidez boa de que dá mostras o suíço, indivíduo de jogo desenvolto e admirável, não encontra paralelos no circuito, dominado pela embotada robustez de muitos profissionais.

    Nem de longe conjeturo as razões que levam os demais competidores a privilegiar tanta barbárie compleicional, tampouco a forma como adquirem tamanha força e resistência. Como não sei, não pespego em público. Reconditamente, contudo, reservo-me o direito de suspeitar de assombrosas eficiências esportivas.

    A longevidade contínua do Federer, não intermitente como a de outros tenistas, diz muito para mim sobre a inquestionável lisura daquele; a destes, por sua vez, não julgo, faltam-me provas e, sem elas, só a fumaça da desconfiança não afastaria de mim uma leviandade de juízo. Ainda bem que os pensamentos são indevassáveis e descriminados de antemão. Eles são um refrigério pessoal. A nossa verdade.

    Pena que até o aprazível cessa. Tudo, enfim.

    Fiz o que julgava me caber, consignando uma sincera homenagem à honestidade esportiva, pois, como ligeiramente escasseiam os talentos e medram os gladiadores, John Clare já asseverara: “Ah, palavras são pobres recibos daquilo que o tempo roubou…” (“Remembrances”) .

    Abraços a todos os colegas deste nobre blog.

      1. Maurício Luís

        Sr. Humberto, nada contra sua pessoa – mesmo porque não o conheço – mas causa-me estranheza tamanha erudição num espaço como este.
        Vosso ilustre e erudito comentário fez meu cérebro entrar num processo intrínseco de cacofonia convergente reversa, o que acabou por comprometer todo o complexo neurológico.
        Então, por assim dizer, pouco se me dá que no claudique principie a consorte do muar.

  11. Henrique Farinha

    Dalcim, uma pena a morte do Daher. Estive lá algumas vezes, levando meus filhos a torneios. Além do tenista e cara divertido que foi, já temos tão poucos se dedicando aos juvenis e ainda perdemos um deles… Quem me deu a notícia foi o Carlos Goffi, com quem estive ontem e de quem ouvi histórias sensacionais, junto com o Sylvio Bastos. Quanto à Teliana, é, dentre as nossas tenistas, a que mais respeito, por tudo o que passou na vida e para se recuperar após as cirurgias. A esmagadora maioria já teria procurado outra coisa para fazer, mas não ela. Muita gente diz bobagens e não sabe o que é alguém ser Top 100 no masculino ou feminino, especialmente alguém que sofreu como ela. Devemos ter orgulho de contarmos com alguém como ela, que honra o tênis brasileiro e não se satisfaz com pouco. Abs!

  12. CIGS

    TESTE DE RESISTENCIA DO NADAL,ATE QUANDO OS FAS DE TENIS VAO AGUENTAR O ESPANHOL FALAR TANTA BESTEIRA NUM TORNEIO DE GRAN SLAN??

  13. O LÓGICO

    NOTA DE ESCLARECIMENTO kkkkkkkk, só para as nadalzetes kkkkkkkkkkk

    Sempre deixei claro que só falo sobre Rafael-malinha-Nadal enquanto tenista, e não como pessoa, que não conheço e não durmo com ele, nem nos sonhos kkkkkkkkkkkkkkkkkk Já defini o que consiste seu mau caratismo esportivo, que está vinculado às malandragens, sua maneira escrachada de legislar em causa própria, formas de encarar o adversário e descumprimentos de regras; já disse que provoco quando vejo sua falta de etiqueta (uma ética menor para o filósofo Hume), que é função das bizarrices do espanhol em quadra kkkkkkkkkk; e já deixei mais de uma vez claro que o caso do doping é tudo questão de opinião, mas fundamentada em alguns episódios estranhos envolvendo o espanhol, além de contradições no discurso e claras mentiras por parte dele. Portanto, penso que seja por esse esclarecimento que o Dalcim permite meus comentários, pois Jamais xinguei alguém aqui no blog. E nadalzetes, amo o tênis do Roger Federer, mas não vacilaria um segundo em decidir entre ir para cama com uma paniquete ou ver um jogo dele, preferindo a primeira opção kkkkkkkk, no que não ponho a mão no fogo por algumas nadalzetes aqui do blog que parecem nutrir uma fixação pelo Rafael Nadal kkkkkkkkk

    Mudando de assunto, pela primeira vez acreditei no robozin, kkkkkkkkkk, ele realmente tava cansado Dalcim, e torço para que ele queime antes da final ou que se chegar nela que chegue em chamas kkkkkkkkkkkkkkk. O Fedex andou falando que suportou bem o calor, mas quero ver até quando, pois o AO tá se tornando algo insensato a nível de competição esportiva. Mas eu pergunto ao guru se haveria alguma alternativa, pois não creio que qualquer mudança de data possa vir a ocorrer.

    1. Chetnik

      Haha, bem por aí, seus comentários são muito engraçados, e o tom jocoso fica bem aparente. Quem não gosta é a turma mais fanática que torce pelo siri como para um time de futebol rs.

    2. Carla

      Já viram aquele ditado ” Quem muito desdenha quer comprar”!
      Ah, o Nadal gera muita inveja mesmo, é um jogador excepcional, uma pessoa fantástica e lindo!

  14. Marquinhos

    Esse tipo de brincadeira sobre insinuações sobre dopping, ofensas a tenistas e etc da minha parte acabou. Depois de alguns comentários as brincadeiras perderam a graça. Como o Pedro Ivo escreveu abaixo: Não podemos colocar em risco o espaço, democratico, tolerável e feito por uma pessoa que parece ter um coração muito bom. Nem Rafael, nem Djokovic e nem Federer são dopados, pois, não existem provas. Já dizia minha irmã: “Só os ignorantes não se contradizem.
    Peço desculpas a todos e principalmente ao Dalcim.

  15. kelvio lourenço

    dalcim sou um apaixonado por tenis estou aprimorando os meus conhecimentos sobre os bastidores dos grandes torneios e dos grnades competidores atraves dos seus comentarios.estou torcendo para uma jornada fantastica de roger federer no australian open.espero que o bellucci possa fazer frente a tsonga e fiquei feliz com odesempenho raçudo da teliana pereira,congratulações a um dos maiores especialistas desse esporte extraordinario no brasil.estou aprendendo a jogar tenis aqui em tiangua no ceara atraves do professor francisco de 64 anos de extraordinaria dedicação ao esporte que nos amamos.,

    1. José Nilton Dalcim

      Boa, Kelvio! Vá mesmo para a quadra e curta esse esporte incrível. E parabéns ao seu professor, firme na ativa. Abs!

  16. Iludido"

    Victoria Azarenka quase “bobeou”, mas acredito que passe com facilidade pela 2º rodada depois dessa. Agnieszka Radwanska realmente atropelou, se afobou, cometeu erros de “tentativas” e recuou um pouco em relação a confiança, mas sabe-se que a pressão fica muito maior para a outra jogadora em um set decisivo do que para as favoritas, pois muitas sucumbem só cometendo erros. Não concordo com essa de Sharapova ter sido “firme”, ela nunca chegou a ser ameaçada fato, mas foi “decepcionante” ver o jogo dela, nossa 9 duplas-faltas entre diversos tipos de erros, a temperatura estava aos 31º, mas o jogo estava tão frio que me deu “dó” das bolinhas, que acho que se aqueceram mais nas mãos dos boleiros do que nas “trocas” de bola entre as duas..enfim Sharapova dançava na corda bamba, dando toda possibilidade do mundo da outro pressiona-la, colocá-lá pra correr, mas nada a outra descia até o chão (risos), conseguia cometer mais erros ainda, o irônico foi a Sharapova jogando no meio, e a outra devolveu no meio, sharapova coloca na esquerda, e a outra devolvia no meio e assim ia….a outra devolvia na mão e Sharapova nem se mexia só fazia ela correr…Em relação ao masculino, Tomic começou muito bem, acho que seria interessante uma continuação, mas acho que ela ia ceder, até porque o saque não iria funcionar tão bem durante todo o jogo, Nadal realmente parecia bem cansadinho, mas ainda dava pano pra manga (risos). E o Dimitrov, óh Dimitrov quando bobeira hein? Em vez de arrasar ele prefere medir seus erros e acertos, tem que mostrar mais agressividade, se não nem passa das QF. Juan Marin Del Potro, é digamos que ele controlou o jogo, mas em um jogo contra DJokovic ou Nadal, sem menor chance com esses errinhos de aquecer ou esfriar né já que a temperatura estava alta (chego nem acreditar que passou dos 40º o.O). Lleyton Hewitt, foi lá fazer o jogo “tradicional” dele e colecionou mais uma, deviam falar pra eles que o primeiro set é mais importante que o 2, 3,4….Você pode poder perder 2, 3 e ainda te sobra mais uma tentativa. Simon “flutuou” vai ver que ele pensou que estava sonhando e não sentiu nada uhaushua, foi jogo bem frente a frete o último set, mas se você for comparar o histórico dos dois (titulos, vitórias, rodadas, posições no ranking) fica até incompreensivel, pena que a TV não mostrou :/. Todo mundo diz que vai ser um passeio, que vai ser fácil tal jogo, mas vi poucos “passeios” até agora, vi foi muita garra de jogadoras querendo bater cabeças de chave, mas como sempre acontece a maioria sucumbi com seus próprios erros. Gosto de partidas longas, mas confesso é muito bom quando o jogador atropela não importa qual seja o ranking do adversário, isso prova que ele está levando a sério aquilo, não tá dando chances. Pra mim se tiver que vencer em 6/0 e 6/0 estamos ai, não tem essa: “Ah abri set, agora é só controlar como Federer fez…queria que nessas horas a pessoa tomasse uma virada histórica, só pra variar a percepção do jogo. Que venha os jogos, e que venha maios calor, porque nem com a temperatura o jogo tá ficando quente. AH esqueci, Murray me surpreendeu, definitivamente pra mim foi o que melhor apresentou um tênis até aqui.

  17. Bruna

    Acho que Gulbis e Querrey vai ser um bom jogo! Minha torcida vai para o Gulbis, mas nunca se sabe o que esperar dele! Adoro o blog!!

  18. william

    Eu já achava djokovic e nadal MUITO favoritos, e com esse calor o fator físico vai pesar mto mais e eles se tornam mais favoritos ainda. VAMOS RAFA!!

  19. Santos

    Gostei do “jogo firme da Sharapova”, o caminhão de duplas faltas é o normal da russa…rsrsrss. Impressionante como uma tenista com tantas limitações técnicas e contusões consegue ser tão vitoriosa.

  20. Pedro Ivo

    Dalcim, algumas palavras sobre os episódios recentes do blog.

    Vejo que alguns torcedores do Rafael Nadal se comportam como crianças, demonstrando um sentimento passional para com ele a ponto de reclamarem das falas dos torcedores do Federer, por acharem que elas xingam o espanhol, mas caem em contradição ao xingarem esses mesmos torcedores. O M C Rodrigues já xingou o Lógico e outros, o Igor Menezes, também, então, pela ótica deles os comentadores podem xingar uns aos outros, mas não podem fazer uma crítica sarcástica aos tenistas. Pois é assim que eu vejo todas essas críticas aos tenistas, inclusive as feitas ao Federer, como meras provocações recheadas de questões sérias. Basta ver que os internautas que estão falando em processar outros se esquecem de que as insinuações, ou questionamentos, sobre possível doping do Nadal ecoa no exterior, e até mesmo entre os próprios tenistas, cito Rocus como exemplo, e se não me engano um francês escreveu alguma coisa em seu blog sobre uma tal de porção mágica usada pela esquadra espanhola, fatos que tiveram repercussão internacional. Então, me parece muita infantilidade de alguns falarem em processo, tomando as dores do espanhol, quando o próprio Nadal não fez nada a esse respeito. Quanto aos termos empregados para o Rafa, até mesmo comentadores como Paulo Cleto já os citaram, o SIRI foi dito uma vez por esse espetacular colunista esportivo ao comentar uma partida do touro, pela maneira como ele corre de um lado para outro atrás da bolinha; e na final do AO do ano passado ele chegou a falar que o espanhol tava apanhando como mulher.

    Acho também, que esse tipo de investida processual vai te comprometer, uma vez que você é o dono do blog, e se alguma “ofensa” pessoal é deixada passar algum ônus de culpa você teria do ponto de vista jurídico, pois eles te acusam sistematicamente de parcial. Dalcim, não estou dizendo que é o caso, pois o que vejo é que vc deixa passar tudo que se restringe ao âmbito do esporte, mas só estou alertando aos internautas para que não te prejudiquem por bobagens como estas, pois num processo as partes têm o direito de arrolar quem elas quiserem, inclusive você, o que seria lamentável. O ideal é que se comentem só questões técnicas, mas acho que o blog ficaria muito chato e muito contrário ao espírito do brasileiro, que é de brincar. Por fim, acho que ofensas à pessoa do tenista não devem ser publicadas, mas ao tenista não cabe qualquer restrição de crítica ou especulação no âmbito do esporte, pois isso seria desandar numa censura absurda. Abcs!!!

    1. Luis Henrique

      Na minha opinião o Dalcim sabe o que faz. Eu também acho um absurdo falar em processo, ou você acha que Nadal vai perder
      noites de sono pelo que criancinhas escrevem no blog? Sobre o que ecoa no exterior, alguém sabe me dizer se Rafael processou Krazzy Danny por ele, em uma entrevista, ter declarado que Nadal se dopou para voltar a jogar?
      http://revistatenis.uol.com.br/artigo/banido-do-tenis-austriaco-daniel-koellerer-insinua-que-nadal-jogaria-dopado_11052.html
      O duro é um bancando o leva e trás aqui no blog.

    2. Fernando

      Que bobagem levar os comentários deste espaço que é apenas de informação e prazer para o âmbito jurídico. O Federer foi o melhor que eu vi. O Nadal é excepcional fisicamente e no plano psicológico, mas seu tênis é horrível de assistir, com bolas altas e correria, pois não tem muita variação. O Tênis é muito complexo, e o Federer e o Nadal tiveram muitos méritos por situações extras. Por exemplo, o Federer jogou contra adversários mais fracos do que em outras gerações, assim como o Nadal, mas o espanhol teve muita sorte com a intervenção da ATP sobre os pisos, tornando todos muito lentos, até mesmo a grama, favorecendo muito o jogo do Nadal. Mesmo assim, para mim o Federer foi muito melhor, e tomara que ninguém mova uma ação por danos morais sobre os meus comentários! Abs Dalcim!

    3. geraldo carvalho

      eu imagino q a publicação daquele comentário sobre os processos judiciais tenha o sentido de UMA ADVERTÊNCIA GERAL A TODOS . é até ingênuo pessoas virem aqui e dizerem q é “bobagem” aquele posicionamento. o q essas pessoas precisam/deveriam considerar é q “bobagem” ou não, de fato, qqer um pode levar certos posicionamentos à justiça. o próprio blogueiro ao dar publicidade àquela contribuição pode ter pensado naquilo tb como uma advertência. ao invés das pessoas ficarem com ilações ou comentários laterias de q fulano disse isso, beltrano disse aquilo, o melhor a fazer seria PARAR de uma vez por todas com certos comentários q dão como certo q tal jogador faz uso disso ou daquilo ou até comentários sobre eventuais opções sexuais dos tenistas. pode até ser difícil p alguns escreverem algumas coisas sem partir p a calúnia, mas deveriam tentar. esse trecho me parece CLARÍSSIMO: “Esses que você relatou parecem-me ser crimes de calúnia, difamação e também de injúria, previstos nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal. E, na forma como vemos por aqui, têm toda feição de crimes mesmo. Críticas somente são autorizadas se a destinatária for produção literária, artística ou científica. Por exemplo, se um tal jogador jogou bem ou mal; se fulano exerce um mau trabalho como cronista esportivo; se a qualidade de tal raquete é assim ou assado. Em outras palavras, como regra geral, a lei nos dá o santo dever de permanecermos calados mesmo diante daquilo que consideramos qualidades negativas nos outros, estabelecendo a norma que “o peixe morre pela boca”. Aliás, quem dá propagação às ofensas, por qualquer meio, responde da mesma maneira que o criminoso que as proferiu”. contribuição do comentarista M’boo dois posts atrás.

      1. Sergio Luiz

        Geraldo, amigão, com todo meu respeito e carinho, mas a galera “tá viajando na maionese” sim. Como delitos de ação penal privada o único titular da ação é o próprio ofendido, no caso Nadal, mesmo contra quem “propaga ou divulga” a ofensa. Então estes “alertas” são bobagens iguais ou maiores que as ofensas, onde apenas tentam impressionar querendo demonstrar conhecimento.

        Digo isto com a tranquilidade de quem não aprova as ofensas e alguns tratamento que o Nadal recebe aqui no blog, e também acho que há uma certa proteção ao Federer sim. Mas esse papo de processo é uma bobagem sem tamanho!

        Abração!

  21. Luis Henrique

    Federer: Estou no aguardo contra adversários mais fortes.

    Nadal: Jogou contra um adversário “engessado” e mesmo assim perdeu quatro games Na boa, se Tomic estivesse 100%, Rafinha ia levar uma surra do Australiano.

    Dalcim, não vi o jogo de Federer, mas, pelos comentários do Melligeni, Roger jogou bem. Procede?

    1. José Nilton Dalcim

      Como eu escrevi, jogou o suficiente apenas. Nada espetaculaar e até erros demais no começo do jogo.

  22. Pablo

    Estou desconfiando que a Teliana vai aprontar e se consagrar esse ano. A estréia dela no Australian Open foi promissora, superando todas as expectativas. Pensei que ela iria perder fácil para uma especialista em pisos rápidos. Parabéns merecidos a ela!!!

  23. Fernando Brack

    Sobre a velocidade das quadras do AO, é difícil saber se está exatamente igual ao ano passado. Também é difícil saber se está mais para alta ou baixa. Federer comentou que precisaria fazer alguns ajustes em seu jogo porque as quadras estariam mais lentas que em Brisbane. Já Nadal esperneou (pra variar) porque estariam muito rápidas.
    Deixando os mimimis de lado, o que dá pra notar facilmente é que os jogos estão sendo disputados essencialmente da base, com muita troca de bola e pouquíssimas idas à rede, isto é, um cenário muito à feição de Djoko, Nadal e outros paredões.

Comentários fechados.