Djokovic e um dia de surpresas
Por José Nilton Dalcim
18 de dezembro de 2013 às 23:06

A Federação Internacional de Tênis anunciou nesta quarta-feira uma de suas decisões mais inesperadas, o que é de longe um fato bem pouco habitual. Acostumada a evitar polêmicas, a entidade indicou o sérvio Novak Djokovic como “campeão da temporada”, ao lado da indiscutível Serena Williams.

A explicação foi para lá de esdrúxula. “Djokovic foi mais consistente (do que Nadal) nos quatro Grand Slam, na Copa Davis e no Finals”, segundo palavras do presidente Francesco Ricci Bitti. Não se deve é claro desmerecer o fato de que Nole foi campeão da Austrália, finalista em Wimbledon e no US Open e semi em Roland Garros, além de erguer o troféu em Londres e ter vencido todos seus jogos de simples da Davis.

Mas mesmo que nos limitássemos aos Slam, o canhoto espanhol ganhou dois deles. E, não por acaso, derrotou o próprio Djokovic nessas duas campanhas. Terminou seu trajeto de apenas dez meses – todos seus concorrentes tiveram onze – com 770 pontos de distância no ranking para Nole e mais do dobro para o terceiro colocado. Ao que parece, a ITF decidiu fazer um ranking particular, com pontos dos Slam e da Davis. Muito discutível.

Claro que tal votação não muda absolutamente nada na história do tênis, já que o status de “campeão do ano”, que era algo muito valioso na fase amadora do esporte uma vez que determinava o melhor do mundo, deixou de ter significado depois que a classificação matemática da ATP surgiu em 1973 e ganhou prestígio.

Djokovic, aliás, foi manchete do dia também pela parceria anunciada com o alemão Boris Becker, colocando novamente Marian Vajda num segundo plano. O que posso imaginar é que Nole precisa de alguém que conheça muito bem os atalhos para o jogo de rede mais eficiente, que é algo que o sérvio vem investindo nos últimos meses. Becker além de tudo tem personalidade forte – ainda que não seja necessariamente um dos mais simpáticos -, enorme experiência e influência.

Mas nunca treinou qualquer tenista, nem mesmo um mero juvvenil. Desde sua aposentadoria, fez um pouco de tudo, de empresário da marca Volkl a estrela do pôquer, de comentarista de TV a patrono do programa contra a Aids de Elton John. O mais curioso de tudo é que Becker jamais ganhou um único torneio sobre o saibro, o que contrasta com a maior meta de Djokovic para 2014, ou seja, vencer Roland Garros.

Aguardemos.

Mudança – Como medida econômica, o Aberto de São Paulo não terá a tradicional arquibacanda em volta da gigantesca quadra central do Parque Villa-Lobos. O torneio será disputado a partir do dia 30 nas três quadras de piso sintético que ficam atrás do antigo estádio.

Má notícia – O projeto Clube Escola da Prefeitura de São Paulo, comandado por Patrícia Medrado, será descontinuado em 2014. Péssimo para o tênis, que tinha penetração em escolas da periferia e uma série de núcleos de treinamento gratuito em diferentes bairros. Ficou a promessa de retomar a ideia com outro nome. Duvido muito.


Comentários
  1. Luciano B.

    Acho que o tema já foi bem debatido (campeão mundial pela ITF) mas eu resolvi dar uma consultada na NET.
    Vejam no http://pt.wikipedia.org/wiki/Federação_Internacional_de_Tênis.
    Dois casos que reparei.
    1982 Jimmy Connors ITF ( John McEnroe foi 1º ATP )
    1989 Boris Becker ITF ( Ele nunca terminou como número 1 pela ATP )
    Interessante é que nos dois casos a ITF determinou como campeão mundial aquele que venceu mais slam, em ambos os casos, Connors em 1982 e Becker em 1989 venceram Wimbledon e USOpen.
    Neste ano, além da controvérsia, fizeram um desprestígio aos SLAMs sendo que Nadal venceu dois.

    Saudações e feliz festa a todos.

  2. LOMEU LIMA

    Ter um tênis mais bonito, jogar com mais plasticidade,…….. O que vale no esporte e o que fica na história são os números. Seguindo esse quesito, o melhor de todos(pelo menos por enquanto) é o FEDERER, depois vem o NADAL, e atrás os outros. Muito se fala do físico dos jogadores como fator de desequilíbrio. Vários afirmam e até torcem para que seja verdade o fato de alguns jogadores usarem substancias ilícitas. No quesito condicionamento físico, o jogador mais forte não é o NADAL como muitos afirmam, é o NOLE, esse não se machuca e está sempre inteiro, ganha do espanhol no físico. Se tivesse o mental mais forte teria pelo menos mais uns 3 GS.E você Dalcim, quem considera o jogador com melhor condicionamento físico do circuito atual e como e com que frequência são feitos os exames Antidoping? Boas festas. Valeu.

  3. oswaldo e. aranha

    Nunca pude aceitar os critérios da ATP, que penaliza quem ganhou o último torneio ao invés de prestigiar, portanto o critério da ITF parece-me mais correto e faz jús ao melhor.

  4. Anti anti-jogo

    Robolito faz a festa no tratamento de plaquetas para o joelho, tratamento que chegou a ser proibido em 2010, mas voltou a valer, sob a alegação de que “a quantidade de sangue inserida não é suficiente para caracterizar transfusão e, consequentemente, doping sanguíneo”.

  5. edmundo

    Dalcim, obrigado por ter me corrigido. não gosto nem um pouco do tom de deboche contra os atletas em particular e contra as pessoas no geral. brincar é uma coisa, debochar é outra.
    e gostaria de fazer uma pergunta: muito se fala, na comparação Nadal/Federer, que o espanhol consegue recriar seu jogo e que Federer estaria “parado no tempo”. vários tenistas reformularam seu jogo (Connors a partir de 81, Edberg, Agassi Nadal etc.), mas no mental, quem teria feito isso: vc conhece algum tenista que de “fraco mentalmente” passou a ser forte: e qual o trabalho que é feito nesses casos? Seria possível trabalhar o Federer para que ele não se fruste e “desista” dos jogos, como várias vezes, ficamos com a impressão de acontecer?
    obrigado
    abrs

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, Edmundo, vários tenistas trabalharam com psicólogos para melhorar quesitos como concentração, confiança, foco. Federer é um ótimo exemplo. Ele era muito indisciplinado até 2003, então mudou radicalmente. Outro que parece ter feito um trabalho nesse sentido foi o Stanislas Wawrinka. Quanto ao futuro do Federer, a questão me parece mais física do que técnica. Se ele conseguir competir igualmente com os tops, estará certamente entre os favoritos. Abs!

  6. Einstein Bohr

    Sempre que vejo Djokovic jogar, acho que ele é o mais forte candidato a todos os títulos. Grande atleta, técnica consistente, sempre muito motivado. Mas Djoko é um cara muito carente. A escolha do Becker parece mais uma melancia que Djoko põe na cabeça para chamar atenção. O que Becker tem a lhe ensinar? Poker?

    1. lucas

      Jogo de rede, é o a dizem.
      O problema é q voleio da pra melhorar muito pouco.
      Djokovic nunca será um grande voleador.

    2. Sergio Ribeiro

      Falavam o mesmo de Lendl com Murray. O resultado todos vimos. Querer melhorar seu jogo de Rede nao diminui em nada o grande Campeão .Abs!

    3. Fernando Brack

      O Marian Vajda deve ter feito escola com monges budistas pra aguentar essas ideias malucas do Djoko. Fosse eu já tinha chutado o balde faz tempo. Bom, é claro que a grana deve falar alto nessa hora.
      Gostaria de saber a opinião sincera dele sobre essas contratações estapafúrdias de técnicos ‘especiais’.

  7. Denis

    Essa decisão da ITF me pareceu um pouco provacativa…uma espécie de recado para a ATP

    Dalcim, existe muitas rusgas entre as duas entidades?

        1. José Nilton Dalcim

          Houve muita divergência nos anos 1980, quando a ATP rompeu totalmente com a ITF. A entidade chegou a criar a Grand Slam Cup para concorrer com o Finals, dando premiação muito maior. As duas voltaram a ter bom relacionamento no final dos aos 90 e a partir de 2000 chegaram a um consenso sobre quem fazia o que.

  8. Fernando Brack

    Essa ‘eleição’ da ITF é uma palhaçada. Serve pra quê? Até agora, pelo jeito, só pra criar polêmica.
    Afinal, o ranking da ATP, tão rebuscado como é, tem justamente a finalidade de capturar todos os aspectos do esporte (títulos, consistência, regularidade e por aí vai) para que seu líder ao final da temporada seja automaticamente aceito como o melhor tenista do ano. Criar critérios diferentes para eleger outro como o melhor é puro casuísmo.
    Tremenda barbeiragem da ITF.

  9. Luis

    Dalcim sou torcedor do Federer nao so’ como tenista extraordinario mas tambem pela pessoa,Dalcim e’ possivel Federer ganhar 1 grand slam em 2014 com o bom final de 2013?

        1. José Nilton Dalcim

          Sim. Eles aumentaram um pouco a velocidade, mas ainda me parece mais lento que em Nova York. Mas a diferença mesmo são as quadras cobertas, que se usadas mudam muito a velocidade do jogo.

          1. Mario Cesar Rodrigues

            Gente as quadras são as mesmas..será que não percebem isto só percebe quem entende de fato….a bolinha que está mais lenta.acordem!

  10. Hugo

    Não gosto do tênis do Nadal,nem um pouco.Quando o assisto é pra observar outras qualidades,como a luta infindável por cada ponto.Ainda assim,o mínimo que o Nadal mereceria é esse título,foi uma temporada irretocável,espetacular mesmo.
    Até que se prove o contrário,está limpo.Usa ou não usa substâncias proibidas?Descobriremos um dia,ou não.
    O que eu penso?Penso que sim.O problema que ele apresentou no joelho não é algo tão simples.Mas estamos falando de Nadal e de uma equipe altamente competente para assistí-lo.Tudo é possível…
    Dalcim,talvez você já tenha visto.Federer postou um vídeo curto mostrando um trecho do seu treinamento.Aparentemente está treinando com a raquete nova mesmo.
    Já viu?
    https://www.facebook.com/photo.php?v=10152090709644941

  11. Paulo

    Sabem que o espanhol joga a base de “suplementos”. Seria um tiro no pé eleger o “espertinho” como melhor de 2013.

  12. Fonseca

    Djokovic contrata o companheiro de pocker de Nadal… Que nunca venceu nada no saibro…

    Coisa mais bizarra… Tão bizarro quanto Gasquet contratar Bruguera (este venceu no saibro, claro, mas com o jogo mais feio da história recente: o Conchita Martinez do tênis masculino.

    É cada uma.

  13. jorge luiz

    Se um dia for provado que o Nadal nao jogue dopado entao eu o acho o melhor de todos,mais tenho certeza que nenhum ser humano deste planeta consegue jogar um partida de 5 horas,nao se cansar e no outro dia estar inteirinho pra outra.

    1. Einstein Bohr

      Djoko faz isso sempre, e melhor que Nadal. Djoko tem disparado o melhor condicionamento físico entre todos os tenistas e nunca se contunde. E nem eu (nem ninguém) acha que ele é dopado.

      1. Anti anti-jogo

        Robolito faz isso desde 2005, sem parar. Nole só começou a ter esse preparo insano mais a partir de 2010/2011 (e , mesmo assim, com oscilações, e ao menos puxando nitidamente ar após alguns pontos longos. Robolito nem pisca).

  14. Pedro Augusto

    Caro Dalcim, você sabe dizer se a Nanda Alves aposentou-se? E quanto à Roxane Vaisemberg, desistiu mesmo de jogar?
    O que você acha da Luisa Stefani? Tem mesmo potencial como comentam?

    1. José Nilton Dalcim

      Oficialmente, Nanda continua na ativa, bem mais em duplas do que em simples. Roxane praticamente pendurou a raquete, talvez jogue apenas um ou outro torneio no Brasil, para se dedicar às artes. Gostei da Stefani, jogo moderno, bola agressiva e bons voleios, exatamente por estar treinando nos EUA. Porém, ainda é cedo para grandes previsões. Eu diria que está num bom caminho.

      1. Henrique Farinha

        A Luisa Stefani está em Saddlebrook. Mais do que uma ótima tenista, é uma excelente menina, respaldada por uma família equilibrada. Tudo que o Dalcim disse é verdade. Estivemos juntos pela ultima vez em julho. Foi quando vimos o John Isner treinando. Gosto muito dos Stefani e a Luisa realmente está num ótimo caminho. Abs!

        1. Pedro Augusto

          Obrigado Henrique! Suas informações são sempre muito benvindas e percebe-se que você é muito bem informado.

      2. Pedro Augusto

        Torço muito por ela! Penso que o que realmente está faltando no tênis feminino brasileiro é talento, o que ela parece ter.

  15. André

    Edberg disse para o Federer evitar longos ralis contra Djoko e Nadal… nenhuma surpresa…. o problema é que ele já faz isso e sabemos do resultado… o indice de erro é muito grande quando se tenta matar o ponto na segunda/terceira bola

    1. Luciana

      Pegando um gancho no comentário do André… Dalcim, o que vc acha que o Edberg poderia propor de diferente para que o Roger consiga encurtar os pontos sem cometer um caminhão de ENF’s???

      1. José Nilton Dalcim

        Olha, Luciana, essa matemática é muito difícil de ser alcançada. Quem arrisca, vai cometer mais erros. É absolutamente natural. Talvez o que possa acontecer é Federer ir um pouco menos para a linha, tentar uma bola profunda um pouco mais segura – 15cm antes da linha. Mas o que eu vejo mais necessário mesmo é ele usar mais ângulos. Quando ele usou seu bakchand angulado, ganhou fácil até do Nadal. Abs!

  16. Carlos Reis

    É, pelo visto A FARSA espanhola não tem tanta moral assim… Todos sabem que o DjokoVICE é melhor que A FARSA, todos sabem… Parabéns ITF!

  17. VANIA

    Boa tarde Dalcin realmente não da para acreditar parece piada isso quer dizer que vc luta até o fim conquista o impossível,
    e não é o melhor do ano até o DJOK deve estar rindo da situação concorda DALCIN.

  18. Marcos RJ

    Essa parceria com o Becker parece ser mais uma estrategia de MKT do que uma questao tecnica para ganhar jogos. Me lembrou da parceria da Sharapova com o Connors, que durou exatamente um jogo (bem feito para o maior mau carater do tenis de todos os tempos).
    Vamos ver quanto tempo vai durar a parceria com o Becker. Eu nao apostaria mais de 3 meses.

    1. edmundo

      pq o connors é o maior mau carater da historia, nunca tinha ouvido falar disso: ele pode não ser simpático nem bonzinho,mas mau carater? pq?

    1. Luiz Fernando

      Caro Fedeiros, com qual objetivo: contestar o resultado do Nole ou pra tirar o aposentado da segunda divisão do tenis? KKK!!!

          1. Paulo

            Pois eu nunca vi um sujeito tao sem graça como esse Fedeiros, oh sujeito insosso e bobo. Quanto ao Nadal, vale bem esse rebaixamento porque ele nunca consegue convencer quando joga o finals e parece mesmo o que alguém falou por aqui, um generico.

  19. Bruno Guedes

    Depois de um longo inverno, estou eu aqui.
    Dalcin, pra mim, todos sabem como o Nadal conseguiu esse ano de 2013, as suspeitas sobre ele sao enormes. Se nos mortais comentamos aqui. imagina nos bastidores. A ITF pra fazer meia culpa, pois o antin-doping e uma piada, e o Nadal nao fez nenhum esse ano, nao tenhamos noticias, Prestigiou o Jogador que, se nao me engano fez o teste em monte carlo. E teve um desempenho tao bom quanto o Nadal.
    Pra mim foi uma decisao politica, e pra mostrar pra todos que a ITF sabe mas para o “BEM” do esporte nao pode fazer nada.

    E minha opiniao.

    1. Fonseca

      Grande parte do alardeado inacreditável retorno de Nadal é baseado nas declarações de seu prórpio staff, ou seja: na sensação da gravidade extrema da contusão, a qual nunca se explicou extamente o que foi/é.

  20. Luciano B.

    Dalcim, bom dia!

    O assunto não diz respeito ao post mas é uma maneira de levantar uma questão.
    Estou achando muito pouco sobre o que foi noticiado dos ingressos do Rio Open acabarem tão rápido. Pra mim estão faltando maiores informações como: Se vai ter uma nova carga de ingressos, qual a quantidade, o que significa aquela enorme área (no mínimo 1/3 da capacidade) que sempre esteve indisponível pra venda. Nos sites de compra e venda de ingressos os valores estão absurdo.
    Não acho que a venda de ingressos ocorreu de maneira limpa, normal. Já fui no USOpen, comprei no Site oficial (quartas e semi-final) e na própria bilheteria (final). Infelizmente no meu país vai ser bem mais difícil.

    Abraços.

    1. José Nilton Dalcim

      Os promotores já explicaram – e foi noticiado no TenisBrasil – que vai a venda nas bilheterias vai ser liberada a partir do dia 15 de janeiro. De qualquer forma, estou contando a IMX para ver novos detalhes. Abs!

  21. Weverson Pinheiro

    Caro Dalcim,

    Realmente foi uma surpresa Nadal não levar esse título, o cara foi um verdadeiro fênix, ao ressurgir das cinzas, vai entender. E também concordo com você sobre Becker no tocante ao saibro onde o jogo de fundo de quadra prevalece. No torneio de wimbledon ele vai ser essencial com dicas da grama sagrada. Agora eu te pergunto, Federer com Edberg ficaria legal hein?! Daria uma boa sacudida nesse ano tão importante para o Roger, o que acha?

    1. José Nilton Dalcim

      Não chega a me entusiasmar muito o Edberg, tal qual o Becker. Não há como contestar a qualidade técnica de ambos, mas o que eles poderiam acrescentar ao Federer e Djokovic no tênis tão diferente de hoje? Talvez seja mais uma questão psicológica do que qualquer outra coisa. Edberg já gente finíssima, vai se dar muito bem com o Roger. Abs!

      1. Luciana

        Dalcim, tomara que o Edberg de mesmo uma sacudida no mental do Roger… afinal Roger não vai querer fazer feio na frente do seu herói de infância né…rsrs… assim espero…

          1. edmundo

            faltou os risos. Edberg certa vez, após um jogo em wimbledon, depois de fazer 2 0 no becker, deixou o alemão empatar (acabou ganhando), e em outro ele levou pneu etc. perguntado ele confessou ter problemas de concentração, que ele desligava, ele falou “deep” no seu jogo, e que deveria trabalhar esse aspecto.

          2. edmundo

            desculpa de novo: só quis dizer que o mental nunca foi o forte do edberg, e fiz uma brincadeira, qdo se disse que ele poderia sacudir o mental do federer. só isso, desculpe se pareceu grosseiro.

          3. José Nilton Dalcim

            Verdade, Edmundo, o Edberg tinha alguns momentos de insegurança. Perdeu um título incrível em Roland Garros que teria sido perfeito para coroar toda sua carreira. Abs!

  22. Alexandre

    José Nilton, a grande verdade é que 2014 promete. O calendário do circuito apesar de longe do ideal está mais equilibrado e os tenistas estão se movimentando. Quanto ao Djokovic, o desgaste natural de anos de trabalho com seu atual treinador Marian Vajda deve muito ter colaborado para as mudanças. Será bem interessante ver o que Becker fará; vc menciona o fato de Becker nunca ter ganho um torneio no saibro ( RG – talvez o maior desafio de Djoko para 2014), mas lembro que Murray contratou Lendl que nunca ganhou nada em Wimbledon, torneio onde hoje Murray é soberano (ganhou os 2 últimos eventos jogados por lá). Enfim que 2014 venha melhor. Grande abraço, ótimo Natal e Feliz 2014!!!!

  23. Renato Veneziano Toniol

    Dalcim, em relação ao aberto de São Paulo, a quadra central além de não ter a habitual arquibancada, também não receberá os jogos? Se for assim, qual será a quadra principal do torneio? Será que ela suportará uma arquibancada pelo menos a altura do evento? Digo isso porque todos os anos este evento é garantia de uma grande procura por parte do público.

    1. José Nilton Dalcim

      Vão montar uma arquibancada mais modesta numa das três quadras do fundo e o terreno onde está a gigantesca central será ocupado pela estrutura (sala de jogadores, arbitragem etc). Mas, a rigor, o público realmente era expressivo no fim de semana. Durante a semana, não era significativo.

  24. Henrique Farinha

    Dalcim, péssima notícia mesmo o término do projeto da prefeitura, que, além de ir na linha de disseminação da prática, era comandado por uma pessoa extremamente séria e comprometida como Patricia Medrado. Quando a Djoko, veremos. Mas ele precisa pôr mais tempero no jogo dele, sem dúvida. Além de jamais ter treinado alguém e de não primar pela simpatia, é preciso ver como será o relacionamento de Becker com Marian Vajda e se ele está devidamente atualizado com as metodologias de treinamento. Becker, pelo temperamento, nunca me pareceu com vocação de treinador. Abs!

  25. Hian Witt

    Eu pensava que o Rankind da ATP existia justamente pra isso…Pois querendo o não o ranking mede a tal “consistência” dos jogadores e diferencia os principais torneios dos outros (quantidade de pontos)… Realmente Djokovic por mais consistente nos GS, agora daí excluir os outros torneios, é dizer que não existe os outros e sim apenas torneios GS! Pela história, quando algumas coisas não batem com a história, geralmente o próximo ano é pra deixar sem dúvidas quem foi o melhor…então veremos…Dizem tanto que Novak vai voltar com tudo atrás do ranking, que vai ganhar Roland Garros. Tudo bem ele está ganhando a 24 jogos, porém perdeu o ranking, Nadal teve um meio de ano muito mais consistente. Mais Novak fez um feito, tirou um titulo de Nadal em Monte Carlo, onde ele não perdia a 8 anos (se não me engano)…Mas é fato que Nadal será líder do Ranking (se nem uma lesão vier) até o término de Wimbledon…..pois Novak terá de defender os 2000 pontos do Australian Open (Nadal vem com fome de buscar mais um desse caneco – entrevistas), terá os torneios no saibro, Novak pode se superar, mas dificilmente ganhará mais do que Nadal..vem Roland Garros, improvável que Nadal não chegue em uma final, já Novak terá de se superar também para levar o caneco, depois temos a grama, onde Novak chegou a final, e Nadal pode fazer bela campanha e somar pontos…O que resta para o Novak e o final da temporada essa sim ele pode devorar, mas vale ressaltar que ele perdeu as duas ultimas decisões do US OPEN…E então temos o ATP Finals, onde provalmente ele terá mais chance de ganhar do que em qualquer outro torneio, mas como Nadal não tem o torneio virá mais forte…Sem contar que o Nadal pode somar pontos no Australian Open, já que não jogou neste ano…É se Djokovic quiser o N1 do ranking vai ter que colocar a barra em uma altura que nem o Nadal pôs antes…
    REALIDADE DOS MELHORES: Eu andei pesquisando algumas coisas e descobri que Rafael Nadal é melhor do que qualquer outro jogador que jogou tênis profissional dos últimos 25 anos! Ele tem taxa de 45% em finais e 32% em títulos, mas do que Federer que tem 37% em finais e 26% em titulos, e do que Novak que tem 35.5% em finais e 24.5% em titulos … Porém títulos não define só o melhor, mas em GS ele tem 13, tem tudo para bater os 17 do R.F (só tem tudo, ainda não bateu), tem mais %(aproveitamento), do que todos em V-D 83%…

  26. Sergio Ribeiro

    A Federação pode usar todos os argumentos que quiser, mas nao me convence. Rafa Nadal foi o melhor Tenista de 2013. Nao com a grande Superioridade de Serena. Novak nao desanimou com o Fato de ter que defender tantos pontos. Foi a luta e salvou 2014. Mas tirar do Espanhol o mérito de ter sido o melhor, e’ uma grande PIADA.Abs!

  27. Luis

    Dalcim surpresa a nao escolha do Nadal como melhor do ano mesmo com o final de ano muito bom de Djokovic,o que achou Dalcim parecia obvio que foi o Nadal?

      1. Felipe

        Na minha humilde opinião, acho sim que o Nole foi merecedor do prêmio. O Tênis do Nadal me parece algo mais explosivo com um duração menor. Ele joga de forma estupenda e depois essa qualidade vai diminuindo. O Nole e muito mais regular, jogando em grande intensidade por muito mais tempo. E cá entre nós, em Roland Garros, nao fosse aquele esbarrão na rede no 40:30 para fazer 5 a 3 no quinto set para o Nole. A história teria sido diferente. O fato e: o Djokovic e um jogador mais completo que o Nadal.

  28. Guilherme Souza

    A arquibancada do Aberto de São Paulo desaparece, o Projeto Clube Escola desaparece, o plano de um CT da CBT desaparece….só o que não desaparece é a gestão da CBT eternamente dependente de recursos governamentais.

  29. Eduardo

    Entendo a ITF. Ao escolher Nadal, estariam prestando um desserviço ao tenis. É duro ver os ganchões do Nadal e de quebra a ajeitada na cueca a cada saque.

    1. Weverson Pinheiro

      Eduardo, seus argumento são fortes, realmente são chatos demais essas presepadas do espanhol, kkkk. Mas, apesar dos pesares, ele foi melhor. Abs

  30. Isabel

    Nole e Boris gostam dos holofotes fora de quadra e tem 6 slams. Não vejo qualquer outra ligação entre eles. Fiquei surpresa.

Comentários fechados.