Triste aniversário
Por José Nilton Dalcim
2 de maio de 2013 às 11:15

O dia 30 de abril marcou um triste aniversário para o tênis. Vinte anos antes, um lunático apunhalou a iugoslava Monica Seles nas costas, num intervalo de sua partida contra a búlgara Magdalena Maleeva, interrompendo uma das mais incríveis carreiras em todos os tempos.

Monica tinha apenas 19 anos e era um fenômeno, tendo conquistado sete dos últimos nove Grand Slam com um estilo muito peculiar, ao executar os golpes de base com as duas mãos, dos dois lados, embora sacasse como canhota. Era dona de um tênis agressivo, sempre buscando as linhas, e de uma enorme simpatia.

Então o fanatismo mudou tudo. Seles vencia por 6/4 e 4/3, foi se sentar para a virada de lados. Eram 18h50, quando Seles soltou um grito de dor e colocou a mão nas costas. Gunter Parche, de 38 anos, acabava de dar um golpe em suas costas com uma lâmina de 23 centímetros. Por sorte, com um movimento inesperado, apenas dois centímetros entraram próximos à quarta vértebra toráxica.

Mentalmente perturbado, Parche era obcecado por Steffi Graf e estava inconformado com o fato de a alemã ter perdido a liderança do ranking para Seles um ano e meio antes. No julgamento, ele afirmou que queria apenas ferir a iugoslava, sem intenção de matá-la. A ideia era deixar Seles afastada das quadras para Graf recuperar o número 1. E conseguiu.

Ao levar o golpe, Seles viu sangue, cambaleou e caiu ao chão. “Não sabia o que estava acontecendo. De repente, me faltou o ar e senti uma dor terrível nas costas”, contou na biografia publicada em 2009, em que revelou a decepção de não ter sido visitada por Graf no hospital.

Fato curioso é que Seles vinha sempre cercada de cuidados especiais dos organizadores devido à guerra civil na antiga Iugoslávia. Sempre estava acompanhada por quatro guarda-costas, nunca jogava ou treinava na mesma quadra, chegava a mudar de vestiário a cada dia.

Levada imediatamente a um hospital, os médicos constataram que o ferimento não era grave, mas que Monica havia tido muita sorte. Se não tivesse se inclinado na hora do golpe, poderia ter ficado paralítica. Enquanto isso, o torneio prosseguiu por ordem da WTA e consentimento das demais jogadoras. “Fiquei aturdida. Era como se nada tivesse acontecido. Nesse momento percebi que o tênis é apenas um negócio, só uma questão de dinheiro”, escreveu em seu livro.

Parche foi condenado por lesão corporal, mas pegou apenas dois anos de liberdade assistida, por se tratar de um desequilibrado mental. Sofreu vários derrames cerebrais e vive hoje um asilo.

Seles nunca mais pisou na Alemanha, se recuperou fisicamente mas entrou numa depressão profunda, que durou dois anos. Engordou 30 quilos. Em julho de 1995, fez uma exibição com Martina Navratilova e um mês depois voltou ao circuito e conquistou o título do Canadá. Prova de qualidade incrível, venceu em janeiro seu nono e último Slam na Austrália, já como cidadã norte-americana. Continuou somando títulos – foram mais 20 até o último, em Madri de 2002 – e encerrou a carreira discretamente, em fevereiro de 2008, sem uma despedida oficial.

Hoje, aos 39 anos, ela se envolve pouco com tênis e participa de ações para crianças carentes da África. “O que aconteceu em Hamburgo mudou minha carreira de forma irreversível. Em uma fração de segundo, toda minha vida mudou”.

P.S.: Quando Seles decidiu voltar às quadras, a WTA ficou diante de um dilema e tomou uma atitude sem precedentes, recolocando Seles como número 1 do ranking. Com isso, o US Open de 1995 teve duas cabeças de chave 1.


Comentários
  1. Ricardo Pinto da Silva

    Olá. Estou entrando muito atrasado no post e estava pesquisando sobre essa lenda do tênis feminino e mundial, Mônica Seles, quando o Google me direciona justamente no post do Dalcim sobre ela. Aí não pude resistir a deixar minha homenagem a ela: Mônica Seles. Sei que falta um curriculum melhor, mas pelo jogo e pela absurda precocidade e uma facada que acabou com uma das mais brilhantes carreiras que o tenis mundial, masculino ou feminino, já viu ela merece estar no panteao das grandes. Ganhar Roland Garros aos dezesseis anos e seis meses e destronar Steffi Graf do número um do ranking mundial, dentre inúmeros outros records, é algo inesquecível. Engordou 30 kilos depois da facada que levou nas costas. Mônica Seles, você é e sempre será para nós que amamos o tênis uma coisa só: inesquecível! Uma das cinco melhores jogadoras de todos os tempos para mim! Sei que serei contestado e até reconheço que falo da era profissional, mas deixo aqui minha modesta homenagem a você Seles, que foi uma das que ajudou o tenis a ser realmente grande! Ao grande Dalcim um muito obrigado pela homenagem mais do que merecida a essa musa do tenis mundial, que está no coração de todos os que a viram jogar. Abraço emocionado a todos os colegas. Ricardo.

  2. Anderson - Flu/Velez

    Dalcim, eu sou neto de sérvios e na época, tinha 18 anos quando do ocorrido. Estava chegando em casa para almoçar, vindo do serviço e, sintonizei o extinto Jornal da Cultura que começava ao meio-dia, quando me deparo com a notícias e as cenas lamentáveis. O problema é que na época, alguns “pseudo-jornalistas” não condenaram com veemência o ato covarde de Gunter Parche, talvez contaminados pela questão de que a ainda “iugoslava” Monica Seles fazia parte de tudo aquilo que o dito mundo civilizado queria limar – o fato dela ser sérvia e os mesmos serem vistos como os maiores vilões dos Bálcãs.. Sei lá, tive este sentimento a época, o que chamamos de “Serbophobia”.

    Nada tenho contra Graff todavia, a carreira dela tem que ser pautada em dois atos – o antes e o depois deste trágico acontecimento com Seles.

  3. Jonas

    Dalcim, saberia dizer qual foi o maior numero de pontos que um tenista já fez numa mesma temporada? Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Com as sucessivas mudanças que a ATP tem feito nas tabelas desde 1985, não acho que haja algum parâmetro respeitável. Abs!

  4. Pedro Ivo

    Deve haver alguma sujeira muito podre envolvendo o Rafael Nadal a ponto de o próprio judiciário propor que a principal prova seja destruída. Hoje eu acho que o Nadal não se dopa mais, e isso vai ficar claro quando ele encarar longos jogos de cinco setes, onde o seu rendimento vai se mostrar muito aquém do da época em que ele certamente bebia a tal porção mágica.

    1. Leo

      Se não houver a caçada e revelação de nomes de atletas que se envolveram com o Eufemiano Fuentes, será facilmente a maior mancha negra que já vimos no esporte.
      Imagine o escândalo que seria se fosses descobertos tenistas como Rafa Nadal, Ferrer, Errani e outros suspeitos… Na verdade acho que essas provas não serão reveladas porque pode envolver peixes bem maiores, com times de futebol como Barcelona, Real.

    2. Anti anti-jogo

      Realmente, independente de ser Nadal ou outro atleta de qualquer modalidade, em muitos casos o doping pode ser usado por períodos específicos, em alguns casos para aumentar a chance do atleta “ocupar seu lugar ao sol” e , partir daí, ir reduzindo seu uso ou até eliminando. O próprio Lance Armstrong conseguiu um terceiro lugar na Volta da França após estar limpo (mas também alegou que foi porque os demais também estavam, pois a ICI já havia implantado o passaporte biológico e outras medidas mais duras).

      Por exemplo, esse espanhol que deu maior trabalho para o Bellucci (Pablo Carreno-Busta). Tem 22 anos, primeiro título foi um Future em 2009. Esse ano, ganhou seis títulos de Futures e já pulou para os qualifyngs de ATPs, onde tem feito vários jogos na negra (inclusive esta semana, vencendo vários). Não quer dizer de forma alguma que se dope, mas é o tipo de desempenho/subida repentina que poderia indicar o uso por período específico.

  5. Sergio Luiz

    Já falando de Madri, tá bom que é sorteio, tá que eu também acredito que o sorteio é isento, mas a conveniência daqueles que querem uma nova final Nadal x Djoko no saibro não podia ser melhor atendida.
    Nadal cai no quadrante do Ferrer, e na mesma metade de Federer, enquanto o Djoko fica com o Murray. Mais conveniente impossível, pois no saibro rápido o Federer poderia ameaçar o Djoko. Irão dizer que pode ameaçar Nadal também, mas ameaçaria mais o Djoko que o Nadal, por razões óbvias. Claro que o Sérvio seria favorito, mas não seria tão previsível assim, em razão dos estilos.

    Desta vez a conveniência caiu como uma luva! Só falta cada um cumprir seu papel. rsrs

    1. Leo

      Realmente. Os chaveamentos de um bom tempo para cá é sempre ou algo como 90% conveniente, o que me faz a desacreditar na isenção de um sorteio aleatório.
      Djokovic tem caminho livre até a final, para pegar Nadal, atleta do país e grande jogador do saibro ou Federer, o melhor de todos os tempos, atual campeão do torneio. Cara de sorte esse Tiriac!

    2. Isabel

      Não tinha como o Federer ficar na chave do Nole mesmo. Mas queria que o Murray ficasse do lado do suiço e o Nadal com o Ferrer mesmo. Uma semi do Nadal vs Nole não seria mal. É outro clima, menos peso sei lá acho que seria interessante.

  6. Luis Henrique

    Se existe uma quadra de saibro que Federer pode vercer Nadal é em Madri. A chave está fácil para ambos cheguarem as semi-finais. Vamos ver como o Suiço está.

  7. Fonseca

    Caramba, pobre Brad Drewett, apenas 54 anos… Essa doença terrível (esclerose lateral amiotrófica) não tem cura, mas deve ter vários níveis de gravidade, pois se não me engano é esta que o Stephen Hawking tem há muito tempo. Já o ex-presidente da ATP foi diagnosticado em janeiro e já faleceu… E é daquelas que atinge 1 a cada um zilhão de pessoas apenas… Muito azar.

    1. José Nilton Dalcim

      Para ser sincero, acho que até foi bom, porque dizem que as dores são insuportáveis e não há tratamento possível.

      1. Henrique Farinha

        Dalcim, o tênis é um dos esportes identificados como de maior incidência de ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) por motivos, ao que parece, semelhantes ao do futebol, no qual laterais e volantes são as maiores vítimas, e da natação. Os estudos indicam que o constante esforço além do limite físico várias vezes ao dia certamente compromete a oxigenação do cérebro e, como consequência, pode eclodir a ELA. Infelizmente, é possível que não seja surpresa o surgimento de mais casos no esporte, ainda mais com esses jogos de GS levados à insanidade de durarem 5 horas ou mais, com quadras mais lentas do que há anos. Penso que isso deve ser alvo de estudo da ATP e da WTA. Além de garantirem o espetáculo, devem se preocupar com a saúde de quem construiu ou ainda luta por erguer o esporte. Abs!

          1. Henrique Farinha

            É verdade! rsrsrs. Mas aí é a diferença entre viver ou morrer. Uma das mais recentes vítimas da ELA é o ex- jogador de futebol Washington, do Fluminense, que formava a famosa dupla com Assis nos anos 1980. A coisa está realmente ficando séria e é preciso fazer algo. Abs!

  8. Luiz Fernando

    Saiu a chave de Madri, pra desespero de alguns no sorteio Rafa saiu junto c Ferrer e o… aposentado. Prevejo mais dias de sofrimento aqui no blog kkkkkkkkkkk!

    1. Fernando Brack

      Sofrimento? É a grande chance do Federer dar uma cacetada no Nadal no saibro. Vamos pro jogo.

      1. Anti anti-jogo

        Prezado Brack… it1s not gonna happen, infelizmente… Dopalito voando no saibro como sempre, e Federer ausente todo este tempo do circutio… Não vai dar…

  9. Jonas

    Dalcim, seria possivel fazer um post sobre qual a possibilidade do Nadal recuperar o número 1 no fim deste ano, já que nao tem pontos a defender após Roland Garros? Ou voce acha que o Djoko nao perde o posto?
    Abraço!

    1. José Nilton Dalcim

      Acho que precisamos pelo menos esperar o fim da temporada de saibro para ver como o Nadal se sairá. Abs!

  10. renatohk

    Lembro do fato como se fosse hj, e lembro da tristeza que me tomou.
    A SELES mandava no circuito, aposentara a grande MARTINA , e estava em vias de aposentar a vilã GRAFF…

    Por esse ocorrido, dou risada quando falam da “grandeza da tenista alemã”. Ela foi grande sim, tem muitos e vários recordes, mas a maioria dos recordes, foi graças à lâmina dessa faca.

    Graff ganhou tudo de 87 a 90, e então a sérvia a colocou em seu devido lugar… até esse fatídico episódio em 93.

  11. Foguetinha

    Dalcim,isso que aconteceu com a Selles me aborrece muiiiitooo! Eu não gosto nem de lembrar disso…porque eu lembro de como ela voava na quadra, e o jeito DIFERENTE meio maluco de jogar dela com as duas mãos hahahha. Nunca se sabe, mas eu acreditava que ela poderia bater a Steffi Graf(22 GS)…você acha que a Serena Williams (15 GS) consegue bater a alemã?

  12. Augusto Fiães

    Dalcim, vc fez bem em lembrar do ocorrido com a Seles. Estas coisas devem vir à tona para que, com a lembrança, possamos melhorar, ou tentar melhorar a sociedade como um todo, evitando coisas horríveis como esta.
    Grande abraço.

  13. Jaime Oncinha

    Essa tem 5 anos, mas vale a pena ver de novo: Federer mandando a gentalha que acompanha Djokovic no circuito (vulgo: sua família) calar a boca durante um jogo. Semi de Monte Carlo 2008, num jogo vencido facilmente pelo Rei. Bons tempos em que o queixudo, assim como o Murray, só atingiam as semi…Hehehe http://www.youtube.com/watch?v=X2GUpbNKSWs

      1. Fernando Brack

        Sérgio Luiz, meu camarada, essa foi a melhor e mais bem executada estraçalhada de raquete que eu já vi. Até neste quesito o Federer é top. Rsrs! Mas o mais marcante daquele torneio ainda estava por vir, ao ouvirmos Federer declarar na entrevista que estava ansioso pelo início da temporada de saibro. E não é que ele tinha razão, pois semanas depois faturou RG. Abraço

        1. Rafael Wuthrich

          Todos riram dele na epoca. Ate o Dalcim achou estranho. O esporte e realmente fantastico – nos reserva enormes surpresas.

    1. Eduardo

      Pois é cara, só que agora os tempos são outros. Federer virou sparring de luxo para esses jogadores. Sem esquecer que Novak e Murray tinha apenas 20 anos e o Federer na faixa de 25. Esses 5 anos faz uma tremenda diferença.

    2. Fernando Brack

      Como disse um comentarista do vídeo: ‘quando Federer manda calar a boca, é melhor calar a boca.’ Kkkkk!

    1. Fernando Brack

      Não entendi nada. Então a juíza madrilenha Julia Santamaría pediu a destruição de material que seria potencial prova do uso de doping por vários atletas ligados ao médico Eufemiano Fuentes? Onde já se viu isso? Ah sim, vemos bastante no Brasil, mas aqui juízes, tanto quanto políticos, já perderam a vergonha há tempos. Será que a Espanha está se abrasileirando quando se trata de apurar verdades?

  14. Brennda Lima

    Seles umas das melhores, pena que esse fato absurdo acabou com uma parte da sua brilhante carreira, se não fosse o golpe ela teria se tornado a melhor, mas Seles lutou e voltou.Acho que poucos atletas voltariam depois desse susto.

  15. Gustavo

    O maior legado da Selles no tenis mundial foi a criacao da “geracao gritaria”. Nao fosse por ela hoje nao teriamos que aguentar esse insuportavel festival de urros e grunhidos que acabaram com o tenis feminino.
    Pro bem dela (que nao teria se machucado) e de todos os nossos ouvidos seria melhor se ela nunca tivesse pisado numa quadra.

    1. Rafael Medeiros

      Tem gente que é sem graça.

      Tem gente que é ignorante.

      E tem gente que nunca deveria abrir a boca.

    2. Augusto Fiães

      Quem faz um comentário destes, deve, no mínimo, não ter capacidade de entender o que foi escrito no post.

    3. Guilherme

      Você deveria ser um bebezinho quando a Seles jogava pra dizer isso. Só um asno não reconhece o talento dela. Na época a Steffi Graf era uma celebridade mundial e adorada por muitos, principalmente por ter destronado com pompa a Navratilova. A Seles veio como um trator e começou a ganhar tudo. A alemã ficava contrariada e não encontrava formas de vencer mais. Muito parecido com a cara que o Federer faz ao perder pro Nadal. Agora, se você acha que só de gritos viveu a carreira da Seles, vá estudar um pouco de história do esporte ou volte para o seu videogame.

    4. Daniel

      Respeito se o Dalcim caso não queira publicar, mas esse é o comentário mais imbecil que já li por aqui. Para o bem dos nossos olhos (e não dos nossos ouvidos), seria melhor se você não tivesse escrito.

    5. Gustavo

      Dalcim, se nao quiser publicar eu entendo, mas depois de ser detonado assim eu acho que mereco um “direito de resposta”.
      1- Em momento algum eu desrespeitei alguem ou ofendi alguem. A unica coisa que fiz foi expressar a minha opiniao. Se ela eh diferente da opiniao de outras pessoas, paciencia. So nao aceito ser ofendido assim gratuitamente. Se alguem discorda da minha opiniao, que seja muduro e me convenca do contrario com argumentos contrarios ou simplesmente aceite o fato de eu pensar de maneira diferente.
      Ao Rafael M: ignorante por que? porque eu nao gosto da Selles como voce? como isso me torna ignorante?
      Ao Augusto: eu entendi, mas nao acho que a Selles foi tao bom como pensam. Se voce acha eu respeito, e nao te ofendo por causa disso.
      Ao Tomaz: troll por que? porque minha opiniao eh diferente da sua? “troll” eh quem eh agressivo e desrespeitoso, algo que eu nao fui, mas voce foi. Quem eh o troll entao?
      Rona: babaca eh voce. Nao ofendi ninguem, entao nao venha me ofender. Voce tem a sua opiniao, eu tenho a minha. Seja madura e aceite isso, sua vida vai ser bem melhor assim.
      Guilherme: nao, eu era mais velho e lembro da Selles jogando. Sim eu lembro que ela vinha bem e ganhava um monte de coisa, mas nao acho que ela eh tao boa quanto outras pessoas pensam. Isso nao me torna um asno, mas torna voce uma pessoa agressiva e desreipeitosa. Tenho pena de voce.
      Daniel: imbecil eh voce, que nao sabe respeitar as opinioes dos outros.
      Poxa Dalcim, esperava um nivel melhor das pessoas que leem o seu blog. Nao imaginei que comentarios puramente ofensivos fossem passar pelo seu filtro de aprovacao.
      2- por mais doloroso que seja pros fas, eh FATO que a Selles comecou essa onda toda de gritaria. E contra FATOS nao ha argumentos. Sim, ela jogava muito, mas como ela varias outras jogavam e jogam muito, mas sem essa gritaria toda.
      A Graff gritava? A Martina gritava? A Evert gritava? Nao. Ai veio a Selles, e depois…
      A Sharapova grita, a Serena grita, a Azarenka grita… todas numero 1 do mundo, ganhadoras de slam. Precisa gritar pra ganhar? Nao. Mas grita, porque 20 anos atras quando a Selles fazia isso a WTA nao fez NADA. Agora aguenta.
      E antes que me detonem de novo (viu Guilherme), vai ler jornal da epoca e voce vai lembrar que a imprensa metia o pau nela por causa da gritaria. Vai rever videos da epoca e voce vai ouvir os narradores dos jogos metendo o pau nela por causa da gritaria.
      Respeito eh bom e todo mundo gosta. Toda unanimidade eh burra.

      1. Rafael Wuthrich

        Acho que a co-relacao de seu desagrado quanto ao estilo da Seles com o fato dela ter se tornado tenista (e assim sofrido a agressao) foram extremamente infelizes. Se voce tivesse parado no “tenis feminino”, ninguem acharia seu comentario ofensivo. O ultimo paragrafo e que foi de extremo mau gosto.

    6. Marcello Campelo

      Entender de tênis é conhecer sua história. E vc nem merecia estar aqui, entre nós, participando do blog.

      Tenho 28 anos, acompanhei parte da carreira fantástica da Seles, e meu primo, de 19 anos, que nem chegou a vê-lá jogar, sabe que ela é e a reconhece como uma das maiores da história. Por quê? Porque leu, assistiu a vídeos, entende de tênis.

      Quem escreve uma imbecilidade dessa infelizmente reflete o que é na vida real. Vai estudar, rapaz. Aprende e depois vem aqui escrever e debater decentemente.

  16. Sergio Ribeiro

    Caro Dalcim um Post mais que oportuno. Apesar de passados 20 anos, a realidade e’ que Todos os dias vimos pessoas que se deixam levar pelo Fanatismo, e esta recordação comprova que ele tem que ser banido para o bem do Esporte. A carreira de um Tenista e curta e a vida continua. Essa talentosíssima Tenista, teve o reconhecimento da WTA e merecidamente retornou como N1, que era o seu verdadeiro lugar. Conseguiu se manter como N2 ainda no ano seguinte, e ainda foi a três Finais de Slam, sendo vencedora logo de cara, e perdendo os outros dois. Mesmo com terríveis problemas nos Pés , teve forcas para atingir DEZENOVE finais, e se não fosse o surgimento de outra jovem , Martina Hings , só Deus sabe o que ainda conseguiria com tanto sofrimento e sacrifício.ABS!

  17. Anti anti-jogo

    Se não me engano mais ou menos pela época da facada (mas já após o retorno) ela perdeu o pai para o câncer.

    1. José Nilton Dalcim

      Não, o pai morreu em 1998, embora obviamente a doença sido diagnosticada bem antes. Abs!

  18. Carlos

    Dalcim, excelente post. E seu blog tá cada dia melhor e não pode ficar careta, deixe algumas figuras que não ofendem ninguém transitar por aqui, eles nos alegram. O Fernando, o lógico, o sérgio, apolo, carlos reis e outros são muito bem vindos. Felicidades!!!

  19. Luiz Fernando

    O fato ocorrido c a Seles foi lamentavel e injustificavel sob qualquer aspecto, exceto o psiquiatrico. Nada justifica violencia, ainda mais dessa ordem, contra qualquer atleta em qualquer modalidade de esporte. Lamentavel tambem algumas pessoas mediocres utilizarem este mesmo topico p fazer gozações e comentarios jocosos c essa ou aquela torcida, ainda se utilizando de suspostos posts estranhos q ninguem sabe a autoria. Coisa de gente sem escrupulos ou bom senso.

    1. Fabiano Teixeira

      “Lamentavel tambem algumas pessoas mediocres utilizarem este mesmo topico p fazer gozações e comentarios jocosos c essa ou aquela torcida”

      A expressão “o sujo falando do mal lavado”cabe perfeitamente aqui kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. Paulo

    Muito bem lembrado esse triste episódio do tênis. Mônica Seles teria sido uma das maiores tenistas em todos os tempos não fosse o azar que ela teve. Mas, se bem me lembro, a Steffi Graff Foi visitá-lá, sim. Inclusive apareceu na televisão a alemã chegando ao hospital para vê-lá, escrevo isto porque lembro da matéria veiculada no jornal nacional da época.

  21. Ruy no Estaleiro

    Atleta extraordinária em qualquer piso, viu seu sonho se desmoronar por conta de imbecis que nossa sociedade fabrica de tempos em tempos não só no esporte mas também em outras atividades. Seu destino foi interrompido para atuar em outras frentes de solidariedade humana, algo que faltou, convenhamos a atual sra Graf Agassi. Nem só de campeonissimos o esporte vive. Legal, Dalcim, por vc não permitir o esquecimento de fatos como este.

    1. Fernando Brack

      Ruy, leia sobre a Andre Agassi Foundation for Education e a Andre Agassi College Preparatory Academy, em Las Vegas, entidades voltadas à educação de crianças carentes e sob risco de se envolverem com atividades ilegais ou criminosas. Não sei dizer se a Steffi desempenha alguma função nelas, mas deve dedicar a elas parte de seu tempo.

  22. Tomaz Teixeira

    A grande ferida que abalou a carerira da Monica Selles foi ela ter descoberto, aos 19 anos, que não passava de um produto, de uma peça substituível em uma máquina de fazer dinheiro. Ela percebeu que, nessa grande engrenagem, onde imperam os interesses e contratos dos patrocinadores, não há espaço para compaixão e outros sentimentalismos. The show must go on. Always.

  23. José Eduardo Pessanha

    Monica Seles, a Federer de saias. A maior tenista de todos os tempos. Tinha um futuro brilhante pela frente, mas foi brutalmente atacada. Isso mexe com o psicológico de qualquer atleta. O piloto Gerhard Berger, certa vez, sofreu um acidente grave e o carro dele ficou em chamas. Não lembro se ele ficou afastado da Fórmula 1 por algum período, mas lembro que ele nunca mais foi o mesmo piloto de antes. Perdeu uma parte do seu estilo arrojado.

    1. Gabriel

      Concordo…mas Federer de saias foi M. Hingis no seu auge…. outra que sucumbiu à lesões (e à neurótica mãe heheh).

    2. geraldo de carvalho

      oi pessanha, vim sêco aqui comentar e citar vc pq lembro de um comentário seu em q praticamente disse q ela seria a maior de todos os tempos. mas vc se antecipou rsrsrs, abs.

    3. Fernando Brack

      Superar traumas não é para qualquer um. Acho que o Massa também nunca mais foi o mesmo depois de levar a ‘mola do Rubinho’ na cabeça, enquanto Lauda sofreu um acidente pior que o do Berger, com sequelas bem mais graves, e deu a volta por cima. Difícil dizer o que faltou à Seles para ela superar de forma mais rápida o incidente com o maluco da faca, que no fim das contas foi mais psicológico do que físico.

      1. José Eduardo Pessanha

        Brack, eu não citei o Lauda exatamente por isso, por que ele se superou. rs. Sem dúvida, foi uma das maiores façanhas do esporte. Eu sempre lembro daquela corrida na chuva em que o Senna iria passar o Prost e vencer. A corrida foi interrompida, a pedido do Prost. Como houve essa interrupção, os pontos valeram a metade. Se o Prost não tivesse pedido para a prova ser interrompida e chegasse em segundo lugar no GP, ele ganharia 1,5 ponto a mais e seria campeão do mundo, ao invés do Lauda. kkk. E Geraldo, bom dia, a Seles estava ganhando quase todos os GS quando sofreu o atentado. A Graf ganhou diversos GS após o atentado à iugoslava. Com certeza ganharia bem menos se a Seles não tivesse se acidentado. Isso lembra também o caso do Senna e do Schumacher. O Schumacher foi heptacampeão por não ter adversários à altura, o que não ocorreria caso o brasileiro estivesse vivo para enfrentá-lo.

  24. Klaus Liesenberg

    Será que veríamos a mesma frieza das tenistas nos dias de hoje? Quais seriam as providências tomadas para que tal tragédia não se repita?
    Fiquei pensando nisso no Brasil Open, no Ibirapuera todo aberto e escancarado…

  25. Fabiano Teixeira

    Falando em fanatismo, vi um comentário hilário esses dias num outro blog de tênis, que foi supostamente tirado de um site de relacionamento:

    “Estou em estado de graça, tirei 10 na prova de direito constitucional! Kkkk, estudei 1 mês só pensando nessa prova, e fiz isso com espírito nadalino. Antes de ir pra prova assisti vídeos motivacionais de nadal q botei em dvd, estudei como um louco, com nadal aprendi a botar sentimento nos desafios do dia a dia, n é só esforço, é sentimento tb, vibração, entrega, hoje quase chorei, vcs n tem noção de cmo esse professor é escroto, eu perdi nele em outra matéria ano passado, quase todo mundo se lenhou e ainda estou em choque com esse 10. Cheguei em casa e me atirei no chão estilo Nadal IW 2013, sentimento fantástico, esse ano vou fazer concurso pro TRT, pode ser a maior vitória da minha vida se eu passar, e já estou me preparando com motivação e entrega nadalina. Ele nem faz ideia o quanto ele inspira as pessoas. É como o paulo cleto dizia. Se eu encontrasse com ele, só diria que ele ganhando ou perdendo, com revés bom ou ruim, sacando bem ou mal, sendo número 1, 5 ou 500 do mundo, ele é o melhor na atitude, ele me inspira todos os dias, suas vitórias estão eternizadas, as vibrações, os vídeos em sua homenagem, tudo isso inspira milhares de pessoas como eu todos os dias! Obrigado Rafa”

    Meu deus, que comovente kkkkkkkkkkkkkkkk. Fica mais do que claro que para os fãs do Nadal, o tênis se resume ao espanhol e eles apenas se importam com as supostas demonstrações de garra (caretas e correria), sendo completamente cegos em relação às questões técnicas kkkkkkkkkk

    1. Renato

      Bom, o fato de você ter postado isso aqui mostra que você está no mesmo nível intelectual desse cidadão que tirou 10 na tal prova.

      Francamente…

    2. Rogério Coelho

      Cara, isso é muito engraçado kkkkkkkkkkkkkkkkkk. Mudando de assunto, o argentino Nalba decidiu procurar “o médico” do espanhol kkkkkkkkkk. Agora tenho certeza, a Davis já é da Argentina kkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Aguardem Nalba depois do “tratamento” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

    3. Marcelo Costa

      Sabe meu caro, sou fã é de tênis esse papo de técnica me intriga, bater flat como bate Federer um monte de gente faz, alguns até melhor, como Delpo, de drive, Almagro de revez. Agora bater aquela bola de drive com tanto spin como Nadal só mesmo o espanhol. Antes da crítica deixo claro que não sou fã de nenhum tenista mas sim do tênis.

    4. marcellocampelo@yahoo.com.br

      Onde o mundo vai parar?

      Muito mais ver vídeos mostrando vitórias gloriosas e emocionantes do Federer do que do dramático Nadal.

      Convenhamos… O brasileiro adora se envolver com gente que comemora de maneira exagerada, fazendo caretas, mostrando raça e garra destemperadas.

      Galera… Isso é tênis, não futebol.
      Que patético!

  26. Paulo Machado

    Caro José Nilton, Parabéns pela matéria. lembrava do ocorrido mas desconhecia esses detalhes. Faz tempo que acompanho sua coluna e me chama a atenção o fato de vc ser bastante objetivo em seus artigos, sem excesso de adjetivos ou bairrismo.
    Tornei-me um assíduo leitor.

      1. Rafael Wuthrich

        Li sobre o tema no blog do Cossenza e já comentava isso anteontem. Uma lástima esse episódio.

  27. Alcemir Neto

    Muito bom o post, Dalcim. Não sabia dessa história. Mas gostaria de lhe perguntar sobre outra coisa. Tem como diminuir a empunhadura da raquete ? Pois comprei um Head Youtek Speed MP 300 L5 e às vezes não me sinto confortável com o tamanho do cabo. Comprei L5 pois a L4 que eu tinha estava muito apertada. Seria possível reduzir o tamanho do cabo ?

    Abraços

    1. José Nilton Dalcim

      Sim, o cabo é trocável. Basta você pedir na loja para trocar por uma empunhadura menor. A maioria das boas lojas faz isso. Qualquer dificuldade, me diga de onde você é. Abs!

      1. Fernando Brack

        Dalcim, acho que boas lojas locais conseguem fazer adaptações, tanto para reduzir como para aumentar a empunhadura de raquetes, mas nunca vi uma delas ter peças em estoque. Originais, quero dizer. Abs

        1. José Nilton Dalcim

          Sim, existem originais. Não recomendo adaptações, porque podem desequilibrar a raquete. Abs!

      2. Augusto Fiães

        Dalcim, aproveitando a deixa, sou de Itaipava-RJ e tenho o mesmo problema com minha Yonex Vcore 100…dá pra diminuir o grip? Me conte como e onde!!!! Valeu!!!

        1. José Nilton Dalcim

          Tente trocar o grip Yonex por outro nas lojas especializadas. O improviso (o afinamento do grip) não é recomendável, porque pode desequilibrar a raquete.

      3. Alcemir Neto

        Obrigado, Dalcim ! Sou de Manaus e acredito que ninguém faça esse serviço aqui. Mas quando for à São Paulo trocarei. Até porque ainda não tenho realmente certeza se devo trocar, porque a empunhadura se encaixa “do jeito que manda o figurino” nas minhas mãos, eu que não me sinto confortável algumas vezes.

Comentários fechados.