Notícias | Dia a dia
Tsitsipas afirma que vitória sobre Federer foi mágica
07/02/2019 às 09h28

Tsitsipas derrotou Federer nas oitavas em Melbourne

Foto: Divulgação

Sofia (Bulgária) - Dois anos após fazer sua primeira aparição no ATP 250 de Sófia, caindo na primeira rodada do quali em 2017, quando era apenas o 209º do mundo, o grego Stefanos Tsitsips retorna ao torneio já em outro momento da carreira. Agora, ele é o número 12 do ranking e será o cabeça de chave 2 na competição, vindo de semifinais no Australian Open.

Apesar do resultado negativo em seu primeiro jogo na competição, o jovem grego acredita que ele seja importante para chegar ao ponto em que está atualmente. Tive muitas derrotas, mas aprendi com cada uma delas e só por isso que consegue me desenvolver como jogador. Tive que perder várias vezes para entender o que precisava fazer”, explicou Tsitsipas em entrevista ao site da ATP.

“Em algumas situações você vive uma experiência nova e quando passar por ela de novo já vai saber o que fazer. Ganhei um melhor entendimento do jogo e mantive a atitude de querer vencer, buscando dar a volta por cima com muito trabalho e me exigindo ao máximo”, acrescentou o tenista de apenas 20 anos.

Tsitsipas realmente aproveitou bem os maus momentos em seus primeiros passos no circuito para depois conseguir feitos importantes, como superar o suíço Roger Federer nas oitavas de final em Melbourne. “Foi um sonho que virou realidade, depois da partida o meu cérebro estava explodindo. Foi um momento mágico que nunca vou esquecer”, relembrou o jogador nascido em Atenas.

“A primeira vez que você bate seu ídolo é sempre especial, mas claro que a próxima vez que nos enfrentarmos será diferente. Ele já saberá o que esperar e estará mais preparado para isso”, acrescentou o grego, que afirma ainda não estar 100% recuperado, mas garante que mesmo assim está determinado a se superar e trabalhar duro para buscar suas chances.

Sobre a semifinal que teve depois contra o espanhol Rafael Nadal, ele lamentou seu desempenho. “Sabia que era a grande chance de eu poder fazer uma final. Acho que estava jogando bem e que o obrigaria a jogar seu máximo, mas no fim acabei perdendo facilmente para ele e por isso saí desapontado”, contou Tsitsipas, que segue esperando por novas grandes partidas assim.

“Eu treino para esses momentos, para poder derrotar caras como (Novak) Djokovic, Nadal, Federer Marin (Cilic) e qualquer outro que vier no futuro”, finalizou o grego, que abrirá campanha nesta quinta-feira em Sofia contra o alemão Jan-Lennard Struff.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis