Notícias | Dia a dia
Brasil estreia na Fed Cup na quarta em Medellín
05/02/2019 às 20h03

Bia Haddad, Luisa Stefani, a capitã Roberta Burzagli, Gabriela Cé e Carol Meligeni formam o time.

Foto: Divulgação/ CBT

Medellín (Colômbia) – As brasileiras iniciam a caminhada no Zonal Americano I da Fed Cup contra as chilenas, nesta quarta-feira, às 13h (horário de Brasília), no saibro do Club Campestre, em Medellín, na Colômbia. A equipe brasileira está no Grupo B, ao lado de Chile, Porto Rico e Argentina.

A equipe comandada pela capitã Roberta Burzagli é formada pelas paulistas Beatriz Haddad Maia e Carolina Meligeni, números 1 e 2 do país no ranking de simples da WTA, respectivamente; pela gaúcha Gabriela Cé, terceira brasileira mais bem colocada; e pela também paulista Luisa Stefani, melhor tenista nacional no ranking de duplas. Também integra a equipe a jovem Thaísa Pedretti, de 19 anos, como atleta de transição do juvenil para o profissional, para adquirir experiência.

A delegação brasileira ainda conta com o auxiliar técnico Luiz Peniza, o preparador físico Miguel Cantori, o fisioterapeuta Paulo Roberto Cerutti, além do chefe de delegação Eduardo Nunes. O Time Brasil chegou em Medellín no sábado e no mesmo dia já deu início aos treinamentos para fazer a adaptação.

 “Chegamos uns dias antes, no sábado, e já começamos a treinar, pois aqui tem altura. Fizemos alguns treinos táticos já pensando que poderíamos enfrentar o Chile no primeiro jogo, e dentro do treinamento disputamos alguns sets contra as equipes do outro grupo, contra o Paraguai, no domingo, e ontem [segunda] contra a Colômbia. A preparação física também está bem boa, então estamos fazendo um trabalho bem completo aqui”, avaliou a capitã Roberta Burzagli. “A estreia sempre é difícil, além do mais as equipes estão bem parelhas e os confrontos serão decididos em detalhes. O mais importante é que nossa equipe fez uma boa preparação e está unida e confiante”, completou.

Na quinta-feira, as brasileiras encaram as porto-riquenhas e, na sexta, medem forças com as argentinas. Do outro lado, o Grupo A tem as colombianas donas da casa, as paraguaias campeãs do ano passado, México e Equador. Sairá uma equipe de cada grupo para disputar a final e decidir a vaga para o Playoff.  

Em 2018, a equipe brasileira fez uma excelente campanha no Zonal I em Assunção, no Paraguai, e por pouco não conseguiu a vaga para a repescagem do Grupo Mundial. As meninas do Brasil conquistaram uma vitória histórica sobre a favorita Argentina no desempate nas duplas, na semifinal, mas acabaram superadas pelas paraguaias, donas da casa, na decisão e ficaram com o vice-campeonato.

“A CBT disponibiliza uma estrutura completa para a equipe, com capitã, auxiliar técnico, preparador físico e fisioterapeuta, já previsto dentro do nosso plano de desenvolvimento do tênis feminino. A capitã é uma profissional muito preparada. Estamos indo com a melhor equipe que possuímos no momento e teremos o apoio extra do experiente Thomaz Koch a partir de quinta-feira, acompanhando a equipe”, ressaltou o presidente da CBT, Rafael Westrupp.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis