Notícias | Dia a dia
Ansioso pela volta, Del Potro não se coloca metas
05/02/2019 às 11h53

Delpo não joga desde o Masters 1000 de Xangai

Foto: Arquivo

Buenos Aires (Argentina) - Afastado do circuito desde o Masters 1000 de Xangai, onde sofreu uma queda na qual acabou machucando o joelho, o argentino Juan Martin del Potro está ansiosos por seu retorno às quadras. Ele voltará a competir no ATP 250 de Delray Beach e já traça seus planos para os primeiros passos na temporada, embora sem colocar metas para alcançar.

“Espero voltar o mais cedo possível. A verdade é que eu quero começar logo e ir superando as etapas desse processo o mais rápido possível, mas sei que preciso ir devagar e por isso meu plano é treinar muito e jogar alguns torneios para ganhar ritmo”, declarou o atual número 4 do mundo em entrevista a ESPN Deportes.

“Não posso colocar metas claras até ver como vou estar nesse retorno. Já fiz isso antes e espero mais uma vez mostrar toda motivação para fazer novamente. Estou muito confiante que conseguirei repetir isso”, acrescentou o argentino de 30 anos, que acabou não jogando na reta final de 2018 e ficou de fora do ATP Finals.

Del Potro acredita que a temporada passada foi a melhor de sua carreira até então. “Joguei em um nível dos mais altos, tive uma regularidade espetacular e alcancei minha melhor classificação no ranking. Fazia tempo que não jogava tão bem como na temporada passada e estou realmente ansioso para voltar a esse nível neste ano, embora eu saiba que será difícil”, analisou.

O anúncio da aposentadoria do britânico Andy Murray em Melbourne foi uma coisa que mexeu bastante com o argentino. “Estava muito triste com sua possível aposentadoria e torço muito para que ele siga lutando. A verdade é que todos os tenistas têm dor e jogam mesmo assim, embora tentemos esconder. Ele merece superar esse problema”, falou Delpo.

Questionado sobre o domínio do ‘Big 3’ no circuito, o argentino disse que aposta neles por mais algum tempo. “Honestamente, acho que Novak, Rafa e Roger vão continuar a dominar nos Grand Slams, embora haja jovens com grande potencial. Acho que é questão de tempo para Zverev chegar neste nível e também destacaria Stefanos Tsitsipas, um cara que pode conseguir a regularidade necessária para pressionar os melhores nos torneios importantes”, finalizou o tenista de Tandil.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis