Notícias | Dia a dia
Kvitova admite desgaste após queda na Rússia
01/02/2019 às 16h46

Kvitova jogou em São Petersburgo uma semana após o vice na Austrália

Foto: Divulgação

São Petersburgo (Rússia) - Para honrar o compromisso que já havia assumido e retribuir um convite oferecido a ela no ano passado, Petra Kvitova aceitou disputar o WTA Premier de São Petersburgo uma semana depois de ser vice-campeã no Australian Open. Eliminada nas quartas de final do torneio russo em quadras duras e cobertas, a canhota tcheca admite que sentiu o desgaste e a diferença de condições.

"Eu me senti muito cansada, por conta da diferença do fuso horário e no clima", disse Kvitova, número 2 do mundo, após a derrota por 6/4 e 6/1 para a 30ª colocada Donna Vekic nesta sexta-feira. "Tentei jogar bem, comecei bem o primeiro set, mas ainda me sentia cansada. Naquele momento, minha adversária começou a jogar muito bem".

"Hoje eu estava muito lenta na quadra. Além disso, muitas vezes cometi erros fáceis", comenta a tcheca, que cometeu 42 erros não-forçados contra apenas 17 de Vekic e permitiu cinco quebras de serviço à croata de 22 anos. Nos winners, a vice-líder do ranking teve ligeira vantagem por 20 a 12.

"Eu fiz tudo devagar. E quando você quer buscar as linhas, a bola certa e a bola que sai da quadra estão literalmente seperadas por alguns centímetros de distância. Ao mesmo tempo, se eu não me mover rapidamente, começo a cometer os erros de que estava falando", complementou a jogadora de 28 anos, que além da final Australian Open, também já foi campeã em Sydney este ano.

Superada pela japonesa Naomi Osaka na final em Melbourne, Kvitova ficou a uma vitória de assumir a liderança do ranking, mas prefere não se colocar muita pressão para atingir essa meta. "Não sou uma pessoa que atribui grande importância ao ranking. Acho que preciso melhorar meu jogo", afirma a tcheca, que sequer estava acompanhada do técnico Jiri Vanek na Rússia.

"É claro que o objetivo de me tornar a número 1 do mundo ainda está na minha cabeça. Mas se eu jogar bem e tiver bons resultados, o ranking virá por si só. Eu só preciso continuar a melhorar o jogo e, com o tempo, acho que poderei alcançar a primeira posição do ranking mundial", complementou Kvitova, que era a atual campeã em São Petersburgo.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis