Notícias | Dia a dia | Australian Open
Collins busca virada para fazer sua 1ª semi em Slam
22/01/2019 às 05h50

Collins já derrubou três cabeças de chave no torneio

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Jogadora de menor currículo entre todas as que chegaram às quartas de final do Australian Open, a norte-americana Danielle Collins é a primeira semifinalista do torneio. Nesta terça-feira, ela mostrou poder de reação e buscou a virada para cima da russa Anastasia Pavlyuchenkova, vencendo com parciais de 2/6, 7/5 e 6/1, após 2h16 de jogo.

Sua próxima adversária sairá do confronto entre a tcheca Petra Kvitova e a australiana Asheligh Barty, respectivamente cabeças de chave 8 e 15. Ela perdeu a única partida que fez contra a canhota tcheca, este ano em Brisbane, e nunca cruzou com a atleta da casa.

Atual 35 do mundo, Collins iniciou sua campanha no Melbourne Park sem uma vitória até então em Grand Slam, tendo caído na estreia nas cinco aparições anteriores neste nível de torneio. Depois dessas cinco derrotas, ela tratou de engrenar agora cinco vitórias seguidas para chegar a uma semifinal pela primeira vez na carreira.

Vinda do tênis universitário, a norte-americana de 25 anos só passou a disputar o circuito depois de se formar na Universidade da Virgínia em 2016, saindo com diploma em estudos de mídia e um mestrado em negócios. Até então, seu resultado mais expressivo havia sido o título do WTA 125 de Newport Beach, no ano passado.

Em sua campanha rumo às semifinais, Collins deixou pelo caminho três cabeças de chave, começando pela alemã Julia Goerges, logo na estreia. Na terceira rodada ela tirou a francesa Caroline Garcia e nas oitavas conquistou uma incrível vitória para cima da alemã Angelique Kerber, deixando apenas dois games contra a atual número 2 do mundo.

A partida começou bastante equilibrada e teve um segundo game de 16 minutos, no qual Pavlyuchenkova levou a melhor e confirmou o serviço para abrir 2/0. A russa acabou dominando o placar na sequência, anotou ainda mais duas quebras e perdeu o saque uma vez, antes de fechar o primeiro set por 6/2.

Collins mostrou por que foi tão longe e deixou rivais tão duras pelo caminho, reagiu na segunda parcial e empatou ao conseguir dois breaks a favor e um contra. No terceiro e decisivo set, a norte-americana deu poucas chances a Palvyuchenova, aproveitou o resgate da confiança para atacar a russa e se deu bem, obteve mais duas quebras, que por pouco não foram três, e sacramentou a virada, fechando o jogo com mais bolas vencedoras (38 a 36) e menos erros não forçados (20 a 36).

Comentários