Notícias | Dia a dia | Australian Open
Após boa estreia, Djokovic projeta duelo com Tsonga
15/01/2019 às 11h22

Sérvio lidera o histórico contra o francês Tsonga por 26 a 6

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Depois de vencer sua partida de estreia no Australian Open, Novak Djokovic comparou o momento de sua carreira com o de um ano atrás. O atual número 1 do mundo e seis vezes campeão em Melbourne estava desacreditado na edição passada do Grand Slam australiano, ainda sofrendo com uma lesão no cotovelo direito e acabou parando ainda nas oitavas. Livre de lesões e vindo das conquistas em Wimbledon e no US Open, o sérvio quer voltar a conquistar o título na Austrália.

"É ótimo estar saudável e voltar a esta quadra. Doze meses atrás, tive uma sensação bem diferente por causa da lesão no cotovelo", disse Djokovic depois de vencer o norte-americano Mitchell Krueger por 6/3, 6/2 e 6/2 nesta terça-feira. "Obviamente, as coisas hoje são bem diferentes. Tive um tremendo sucesso nos últimos seis meses e isso me levou a uma ótima posição. Espero poder seguir com bom desempenho por aqui".

Djokovic agora se prepara para enfrentar o francês Jo-Wilfried Tsonga, ex-top 10 e atual 177º do ranking depois de ficar oito meses parado no ano passado por lesão e cirurgia no joelho esquerdo. "Ele é um grande jogador, um campeão, alguém que foi muito bem sucedido no passado, se estabeleceu n top 10 e jogou uma final de Grand Slam".

"Ele tem ótimo saque, um forehand muito potente e boas armas em seu jogo. Sei o que esperar, porque já joguei com ele várias vezes", comenta o sérvio, que tem 26 vitórias e seis derrotas contra Tsonga. Djokovic derrotou o francês na final de Melbourne em 2008, quando conquistou seu primeiro Grand Slam. "Vou pensar que é um jogo como qualquer outro, para ser honesto. Estou realmente otimista, mas também respeitoso, e tentarei fazer o que eu puder para ganhar".

Além de líder do ranking mundial, Djokovic também preside o conselho de jogadores da ATP. Até por isso, o sérvio teve que comentar sobre a indicação da assembleia de não apoiar a continuidade do presidente Chris Kermode e as queixas de Rafael Nadal de não ter sido consultado sobre o assunto. "Primeiro de tudo, temos que esclarecer que a decisão ainda não foi tomada. Ainda temos tempo".

"Os representantes no conselho de jogadores vão conversar com Roger, Rafa e com qualquer um que esteja interessado em ter uma discussão sobre isso", comenta o sérvio, que encabeça o conselho e tem o sul-africano Kevin Anderson como vice-presidente. "Agora, o que é muito importante para todos entender é que Rafa sempre esteve envolvido. Fazendo parte do conselho ou não, ele sempre tenta contribuir para o jogo. Não são muitos os jogadores que querem se envolver".

"A discussão não é apenas sobre o presidente. É sobre o futuro do esporte. Eu acho que em termos de comunicação entre os jogadores, hoje é muito melhor do que era, digamos, cinco anos atrás. Este é o meu sétimo ou oitavo ano no conselho, é provavelmente o meu quinto consecutivo. No último ano e meio, houve uma melhora significativa em termos de comunicação entre os jogadores, o que é ótimo. É disso que precisamos", explicou o jogador de 31 anos.

O sérvio também reitera que irá conversar com Rafael Nadal e Roger Federer, que já não fazem mais parte do conselho, para também ouvir as sugestões de seus principais rivais. "Nós vamos conversar. Como eu disse, não tivemos a chance de nos falar até agora, mas nos veremos aqui. Se não for aqui, então será depois disso. Nós temos os números uns dos outros. Mas, claro, pessoalmente é bem diferente".

"Eu conversei com Roger várias vezes nos últimos seis meses, na Laver Cup e no US Open. Com o Rafa também no US Open. Estou tentando criar tempo para essas coisas. Eles não fazem parte do conselho, mas são atores extremamente importantes e essenciais nesse tipo de grande decisão", complementou o líder do ranking.

Outro assunto que não poderia faltar na conversa de Djokovic com os jornalistas foi a emocionante despedida de Andy Murray. O britânico, que está em seu último ano no circuito, perdeu um duelo de cinco sets para Roberto Bautista Agut na última segunda-feira. "Acho que todo mundo assistiu ao jogo dele. Depois de dois sets, talvez ninguém esperasse que ele realmente empatasse o jogo, considerando como ele se sente. Ele mostrou mais uma vez seu incrível espírito campeão, e por que ele é tão lutador e tão respeitado e apreciado em todo o mundo do tênis e do mundo dos esportes em geral. Infelizmente, ele acabou perdendo, mas pode se orgulhar do que demonstrou".

Comentários