Notícias | Dia a dia | Australian Open
Federer revela ter sentido aposentadoria de Murray
12/01/2019 às 17h22

Federer abrirá campanha no AO nesta segunda

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Assunto mais falado desde a manhã de sexta-feira em Melbourne, quando o britânico Andy Murray anunciou que deverá encerrar a carreira neste ano, a aposentadoria prematura do ex-número 1 do mundo mexeu com o suíço Roger Federer. Em entrevista ao The Age, ele revelou ter ficado sentido pelo fim da carreira do escocês.

“Mexeu bastante comigo. Vimos Andy lutar contra os problemas no quadril e depois para voltar à forma física. Não queremos ver alguém triste por se aposentar. O problema é que a decisão não foi sua, foi de seu corpo”, afirmou o dono de 20 títulos de Grand Slam, que fez questão de destacar a importância de Murray para o tênis contemporâneo.

“Ele venceu Wimbledon, venceu os Jogos Olímpicos e se tornou número 1 do mundo. Não sei se dá para falar que ele teve azar, é tudo uma questão de ponto de vista. Talvez um australiano possa vê-lo como azarado, pois fez cinco finais aqui e nunca venceu. O que eu sei é que ele trabalhou duro, venceu grandes torneio, foi número 1 e mereceu tudo o que conquistou com seu enorme talento”, comentou.

Outro assunto pelo qual o tenista da Basileia teve que passar é um velho conhecido seu, principalmente no começo do ano quando vai jogar na Austrália. Ele mais uma vez foi questionado sobre sua visão a respeito da carreira de Nick Kyrgios.

“Já me perguntaram tanto sobre ele que estou meio cansado de responder isso. Gosto de Nick, acho que ele é um grande tenista com golpes incríveis. Ele sabe isso, mas tudo é uma questão de quanto ele quer e o único que pode decidir isso e o próprio”, analisou o suíço, que iniciará sua campanha em Melbourne contra o uzbeque Denis Istomin nesta segunda-feira, por volta das 7h30 (horário de Brasília).

Comentários