Notícias | Dia a dia | Australian Open
Nadal: 'Eu não estaria aqui se não estivesse bem'
12/01/2019 às 11h59

Nadal ainda não fez jogos oficiais em 2019

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - Às vésperas do começo do Australian Open, o físico do espanhol Rafael Nadal é mais uma vez uma incógnita para muitos. Sem competir oficialmente desde o US Open do ano passado, o número 2 do mundo jogou uma partida no torneio de exibição de Abu Dhabi, desistiu da segunda e depois também abdicou de sua participação no ATP 250 de Brisbane.

Garantindo que as últimas ausências foram mais por precaução, o canhoto de Mallorca afirma estar bem fisicamente para a disputa em Melbourne. “Se eu não estivesse me sentindo bem não estaria aqui. Claro que enfrentei dificuldades depois da cirurgia e de alguns meses sem competir, mas isso é normal quando você está voltando e não é novidade para mim”.

Obrigado a desistir do US Open no meio da semifinal contra o argentino Juan Martin del Potro, por causa do joelho, o espanhol encarou uma lesão abdominal no fim de 2018, que o impediu de jogar o Masters 1000 de Paris e o ATP Finals, e ainda passou por uma cirurgia para retirar um cisto do tornozelo antes de iniciar a pré-temporada,

Na preparação para 2019, ele buscou novidades e tratou de mudar o seu serviço. “Sempre há o que possa melhorar e venho tentando fazer isso minha carreira inteira. O saque sempre foi uma coisa que gostaria de melhorar e acho que consegui. Ainda não competi com esse novo serviço, então vamos ver se ele vai funcionar bem”, comentou Nadal.

O espanhol também falou sobre a iminente aposentadoria do britânico Andy Murray, anunciada na sexta-feira. “Quando alguém que conquistou tudo o que ele conquistou percebe que não é mais competitivo é uma situação muito difícil. Não posso dizer que já passei pelo mesmo, mas com certeza tive experiências similares e garanto que é duro”, contou o vice-líder da ATP.

“Será uma perda importante para o tênis e para os fãs, pois ele é um grande competidor. Mas a vida é assim, hoje é ele que se despede e amanhã será outro. Não temos mais 20 anos, já estamos na casa dos 30 e essas coisas podem acontecer”, complementou Nadal, que abre campanha no Australian Open na segunda-feira contra o local James Duckworth.

Comentários