Notícias | Dia a dia
Haas acredita que Murray pode voltar ao alto nível
23/12/2018 às 15h56

Britânico operou o quadril em janeiro do ano passado

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Pouco menos de um ano depois de ter operado o quadril, Andy Murray está disposto a voltar a lutar por títulos importantes e pelas primeiras posições do ranking mundial. E na opinião de Tommy Haas, o britânico poderá retomar o alto nível em 2019. Haas, que também já teve muitos problemas de quadril em sua carreira profissional, acredita que Murray já está chegando a um momento de plena recuperação física.

"Para ser sincero, não sei exatamente o que fizeram para reparar o quadril dele", disse Haas em entrevista ao jornal britânico Metro. "Obviamente, eu posso falar da minha própria experiência e sabia que levaria algum tempo para ele voltar. Então, quando eu o vi já competindo de novo seis ou sete meses depois da cirurgia, fiquei um pouco surpreso, porque sei que normalmente a cura e a reabilitação levam tempo".

"Demorei 14 ou 15 meses para sentir que estava bem para sair e competir de novo. E ainda demorou alguns meses para que eu me sentisse confortável novamente e não tentasse compensar com outras partes do corpo como parte inferior das costas, por exemplo", acrescenta o alemão de 40 anos, e que encerrou sua carreira no circuito em março deste ano, embora não jogue nenhum torneio profissional desde julho do ano passado.

"Parece que ele está trabalhando duro na preparação para o Australian Open, e eu não ficaria surpreso se ele jogar novamente um pouco de seu melhor tênis", avalia o ex-número 2 do mundo. "Em janeiro vai completar um ano desde que ele fez a cirurgia. E normalmente, esse é o tempo que você leva para se sentir como se você estivesse de volta ao normal. Então é só uma questão de tempo para ele ficar confiante e saudável.

"No tênis, você precisa ganhar confiança vencendo partidas. E você só vai conseguir fazer isso jogando. Ele vai ter um bom calendário novamente, e é um campeão do Grand Slam. Então ele sabe o que está fazendo", complementou o prognóstico a respeito do vencedor de três títulos de Grand Slam, dois em Wimbledon e um no US Open.

Murray não atua desde o ATP 250 de Shenzhen, no final de setembro, e vem fazendo sua pré-temporada na Flórida. O ex-número 1 do mundo chegou a ficar onze meses afastado do circuito por conta de lesão e cirurgia no quadril. Ele voltou às quadras em junho deste ano, mas disputou apenas doze partidas em 2018, com sete vitórias e cinco derrotas. O britânico de 31 anos aparece atualmente apenas na 257ª posição do ranking e jogará em Brisbane e no Australian Open no início da próxima temporada.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis