Notícias | Dia a dia
Três estreantes no top 100 lideram renovação da WTA
23/12/2018 às 15h03

Amanda Anisimova, de 17 anos, é a mais jovem no top 100 da WTA

Foto: Arquivo

Miami (EUA) - Companheiras de circuito desde quando eram juvenis, três jogadoras com até 18 anos conseguiram terminar o ano entre as cem melhores do mundo no ranking da WTA. A ucraniana Dayana Yastremska, a russa Anastasia Potapova e a norte-americana Amanda Anisimova lideram a nova geração do circuito e miram voos mais altos para 2019.

"Todas as juvenis da minha geração foram muito bem este ano. Foi uma corrida legal! O próximo ano promete ser muito interessante", disse Yastremska, ucraniana de 18 anos e que saltou do 189º para o 58º lugar do ranking ao longo da última temporada. Ela já tem até um título de WTA, conquistado Hong Kong.

"Espero continuar melhorando, ganhando experiência para entrar no Top 20 e me provar nos Grand Slam", comenta a ucraniana, que disputará na Austrália o segundo Slam da carreira. "Eu tinha a meta de entrar no Top 50, mas apesar do fato de eu ser a número 58, ainda estou muito satisfeita. Tenho orgulho de poder me provar no final do ano", comenta a jovem jogadora, que é orientada por Justine Henin.

Potapova disputou duas finais de WTA, no saibro de Moscou e no piso duro de Tashkent. A russa de 17 anos subiu do 237º para o 93º lugar do ranking mundial feminino ao longo da temporada. "É realmente muito legal que as jovens jogadoras estejam começando a chegar ao top 100 e a entrar nos grandes torneios. Isso me inspira e eu quero ser a primeira!", comenta a russa em entrevista ao site da WTA.

Potapova e Yastremska foram rivais nos tempos de juvenil e disputaram a final de Wimbledon em 2016

"Sinto mais confiança agora que estou no top 100. Agora sei que posso competir nesse nível", explica a ex-líder do ranking mundial juvenil. "Eu realmente tenho grandes metas para o próximo ano, mas vou mantê-las em segredo. Talvez no ano que vem, no final, nos falemos novamente, e direi se consegui ou não", comentou aos risos a jovem russa, que foi rival de Yastremska nos tempos de juvenil e chegou a vencer o título de Wimbledon da categoria contra a ucraniana.

Já a norte-americana Amanda Anisimova é atleta mais jovem do atual top 100, nascida em agosto de 2001, e está com 17 anos. Ela subiu do 192º para o 96º lugar do ranking, chegou a derrotar a top 10 Petra Kvitova em Indian Wells e terminou o ano sendo finalista no WTA de Hiroshima. "É ótimo que todas essas jovens jogadoras estejam melhorando muito. E há muitas novas jogadores ainda em ascensão. Quando vejo outras meninas da minha idade indo bem, isso me motiva e me diz que posso ser ainda melhor".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis