Notícias | Dia a dia
Bia Haddad lidera a equipe brasileira da Fed Cup
20/12/2018 às 13h51

Brasileiras jogarão no saibro colombiano em fevereiro

Foto: Arquivo/ ITF

Florianópolis (SC) – A capitã Roberta Burzagli definiu a equipe do Brasil que disputará o Zonal Americano I da Fed Cup, entre 6 e 9 de fevereiro de 2019, no Club Campestre, em Medellin, na Colômbia. A nova técnica do time convocou as paulistas Beatriz Haddad Maia e Carolina Meligeni Alves, a gaúcha Gabriela Cé e também a paulista Luisa Stefani, como principal opção para as duplas. Também integra o time a estreante Thaísa Pedretti, de 19 anos, que viaja como jogadora de transição do juvenil para o profissional para adquirir experiência.

Em 2018, a equipe brasileira fez uma boa campanha em Assunção, no Paraguai, e por pouco não conseguiu a vaga para os playoffs do Grupo Mundial II. As meninas do Brasil chegaram a eliminar a favorita Argentina na fase de grupos, mas acabaram superadas pelas paraguaias na final e ficaram com o vice-campeonato da seletiva continental.

"Fizemos uma excelente campanha este ano, a classificação não veio por pouco. Com a total autonomia que a CBT me dá para compor tecnicamente a equipe, optei por manter a mesma base. Conheço superbem as meninas. Trabalhei com a Carol e a Luisa na ITF. A Bia conheço desde criança, a Gabi também estava com a gente na Fed deste ano, que fui como auxiliar. E também conheço a Thaísa do juvenil. Estou muito feliz de poder trabalhar com meninas do meu país”, afirmou Burzagli, que há 14 anos é técnica do quadro da ITF.

“A convocação atendeu a critérios técnicos, levou bastante em conta o ano das meninas, principalmente da Carol e da Gabi, que foram bem. A Bia teve uma lesão que a afastou das quadras por um tempo, mas já está totalmente recuperada e fez final num ITF de $80 mil, no mês passado. A Luisa é uma jogadora nova, ótima duplista, tem um excelente entrosamento com a Bia. As duas foram decisivas no ponto da dupla na nossa campanha na Fed deste ano e terminaram a competição invictas. Elas, inclusive, jogaram alguns torneios do Circuito juntas este ano. E a Thaísa, que é outra menina nova, faz parte do nosso processo de renovação, e pude conhecer melhor no Encontro Internacional da CBT”, explicou Burzagli, que terá como auxiliar o técnico Luiz Peniza.

Número 1 do Brasil e atual 185 da WTA aos 22 anos, Bia foi um dos destaques na edição passada do Zonal e está motivada para fazer mais uma boa campanha. "Estou bem contente com a convocação. É muito especial jogar a Fed Cup pelo Brasil, já que sempre jogamos sozinhas. Será mais uma semana especial, onde cada uma tem um papel fundamental para a energia do time. Este ano fomos vice, mas tenho certeza que estamos no caminho certo. Todas as equipes são duras, mas temos totais condições também".

Bia também falou sobre a parceria bem-sucedida com Luisa Stefani. "Nós estamos ainda mais entrosadas, jogamos juntas alguns torneios este ano quando nosso calendário coincidiu. Nos damos muito bem dentro e fora das quadras e isso ajuda muito”, ressaltou a paulista, que venceu os dois jogos de duplas que fez ao lado de Stefani no ano passado, diante de argentinas e venezuelanas. 

Após ficar de fora da Fed deste ano por questões de calendário e ter uma excelente temporada encerrando como número 2 do país, Carol Meligeni Alves também está contente em voltar a defender o Brasil. "Fiquei muito feliz quando soube da convocação. Tem um gostinho muito especial representar o Brasil numa competição por equipes, que quase não tem no tênis. Ainda mais ao lado dessas meninas, com as quais me dou superbem. A comissão técnica também, com a Beta e o Peniza, que conheço desde pequenininha, já viajamos juntos algumas vezes e as experiências sempre foram positivas. Temos tudo para fazer uma bela campanha na Fed".

Atleta mais experiente do time, Gabriela Cé, de 25 anos, vai para sua sétima convocação e acredita que a equipe chegará com mais confiança e ritmo na Colômbia. "Sempre legal representar o Brasil. Tomara que este ano consigamos ir ainda melhor. Estou bem motivada pelo que vem pela frente. Será legal que todas nós já vamos chegar com bastante ritmo de torneios para a Fed, o que ajuda bastante. Eu também comecei a me encontrar um pouco mais, estou longe de onde quero estar, mas agora sei que pelo menos estou no caminho", destacou Cé, que foi campeã do ITF de Luque, no Paraguai, em setembro.  

Convocada pela terceira vez e invicta em jogos de Fed Cup, Luisa Stefani, de 21 anos, destacou o bom relacionamento com a capitã Roberta Burzagli. "Queria agradecer à Beta e à CBT pela confiança mais uma vez. Já viajei com a Beta algumas vezes no juvenil e confio muito nela como amiga, treinadora, alguém que eu posso ligar para pedir conselhos. Ela se dá bem com todas as meninas e tem muito a acrescentar com a experiência dela. Estou bem animada com essa equipe e minha expectativa é que a gente se classifique para o Grupo Mundial", projetou a tenista, que ainda falou sobre a parceria com a Bia. "Sobre a dupla com a Bia, ano passado fomos bem. Foi a primeira vez que jogamos juntas e acho que nosso estilo de jogo se encaixou bem. Jogamos o ITF de Vancouver juntas esse ano também. Tem alguns detalhes que temos que melhorar, mas acho que é só questão de treino para nos entrosarmos ainda mais", acrescentou.  

A paulista Thaísa Pedretti, que integrará a equipe como alteta de transição para ganhar mais experiência, também está empolgada por fazer parte do time. "Estou muito contente. Sempre foco muito no trabalho, consequentemente muitas coisas boas aparecem. Tenho certeza que essa experiência será muito positiva para meu crescimento como atleta profissional. Há duas semanas estivemos no Encontro Internacional em Florianópolis, onde convivi com a Beta e as meninas, e também foi incrível, então estou bastante feliz".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis