Notícias | Dia a dia
WTA muda leva torneio de Gstaad para Lausanne
19/12/2018 às 14h48

Cornet venceu a última edição em Gstaad, Minella foi vice

Foto: Arquivo

Lausanne (Suíça) - Após a realização de apenas três edições, a cidade suíça de Gstaad irá sair do calendário da WTA em 2019. O torneio disputado no saibro continuará no mesmo país, mas será levado para a cidade de Lausanne em busca de uma oferta maior de público.

De nível International no circuito feminino, o torneio acontecerá entre os dias 15 e 21 de julho de 2019, distribuirá US$ 250 mil e oferecerá 280 pontos no ranking à campeã. O primeiro nome confirmado é o da anfitriã Timea Bacsinszky, que já foi número 9 do mundo e atualmente aparece no 191º lugar do ranking, depois de ter sofrido com uma grave lesão na mão direita no ano passado.

"Após uma análise cuidadosa das diferentes opções, chegamos à conclusão de que encontramos condições ótimas em Lausanne. A cidade tem rica experiência em sediar grandes eventos e nos convenceu de que essa é a melhor solução", declarou o diretor do torneio Jeff Collet.

A edição inaugural em Gstaad foi vencida por uma jogadora da casa, Viktorija Golubic, que conquistou em 2016 o único título de WTA de sua carreira. No ano passado, quem brilhou foi a holandesa Kiki Bertens, enquanto a francesa Alizé Cornet foi campeã do torneio em 2018.

A temporada de saibro da WTA terá outras duas novidades em 2019. A cidade italiana de Palermo volta ao calendário depois de seis anos e receberá um torneio entre os dias 22 e 28 de julho. O evento substitui o WTA de Kuala Lumpur, que era disputado em quadras duras até março de 2017. Também entre 22 e 28 de julho acontecerá a edição inaugural do WTA de Jurmala, na Letônia, substituindo o WTA International de Moscou, que teve apenas uma edição.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis