Notícias | Dia a dia
Perto do fim, Ferrer destaca títulos de Davis e Paris
01/12/2018 às 13h09

Ferrer irá se aposentar no meio de 2019

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - Em contagem regressiva para a aposentadoria, o espanhol David Ferrer falou um pouco sobre o atual momento e rememorou os pontos altos de sua carreira como tenista profissional em entrevista ao Marca. O destro de Javea lamentou não ter vencido um título de Grand Slam, mas destacou as conquistas da Copa Davis e do Masters 1000 de Paris.

“Uma coisa muito especial foi vencer minha primeira Copa Davis, em Sevilla. Também tenho grandes recordações do meu título no Palácio de Bercy, meu único Masters 1000”, lembrou o veterano de 36 anos, que disputou uma final de Slam na carreira e bateu na trave em Roland Garros, ficando com o vice-campeonato em 2013.

“Gostaria muito de ter vencido, mas não me dói não ter conseguido, pois sempre dei tudo de mim”, disse Ferrer, que garantiu manter essa doação na reta final de carreira. “Vou jogar estes últimos seis torneios como sempre, dando meu máximo, estou com motivação suficiente para fazer isso”, contou o espanhol, que se aposentará na temporada europeia de saibro.

O ex-número 3 do mundo falou também sobre a percepção do momento de parar. “Quando você não ganha os jogos que está acostumado a vencer e não pode disputar torneios que gostaria, acho que então percebe que é a hora para sair e abrir uma nova etapa em sua vida”, comentou o atual 126 do mundo, que não quer pensar muito nesses últimos meses que terá pela frente.

“Tento não pensar em como será, para evitar gerar expectativas e acabar se frustrando. Aprendi que não se pode prever o futuro e por isso vou vivendo um dia de cada vez”, comentou Ferrer.

Além de falar sobre si, ele também não deixou de enaltecer Nadal, seu algoz na final de Roland garros 2013. “Seguramente não haverá outro tenista como ele, por isso temos que aproveitar e curtir enquanto podemos vê-lo. Claro que a Espanha terá outros grandes jogadores, mas o que eu quero dizer é que haverá outro David Ferrer, mas dificilmente outro Nadal”, encerrou o espanhol.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis