Notícias | Dia a dia
Konta: 'Não houve sexismo na final do US Open'
26/11/2018 às 11h51

Londres (Inglaterra) - A final feminina do US Open ainda segue repercutindo no tênis mundial. Desta vez foi a britânica Johanna Konta que comentou sobre o assunto em entrevista ao jornal The Guardian, defendendo o árbitro português Carlos Ramos da acusação da norte-americana Serena Williams que viu suas atitudes em quadra como sexistas.

“Acho que há um número de diferentes elementos que devem ser levados em conta. Um deles é que o juiz estava certo: Patrick Mouratoglou estava dando instruções e inclusive admitiu isso. O árbitro de cadeira aplicou a regra”, começou a britânica de 27 anos e atual 37ª do mundo.

“O que aconteceu depois temos que ver separadamente. Uma coisa é que as emoções estão à flor da pele durante uma partida, ainda mais em uma final de Grand Slam. Todos são humanos, inclusive Serena Williams. O juiz em questão é rígido e já penalizou caras como (Novak) Djokovic e (Rafael) Nadal em diferentes Grand Slam por receberem instruções dos técnicos”, acrescentou.

Apesar de não concordar com os argumentos de Serena, Konta fez questão de se colocar como uma defensora da igualdade de gêneros. “Sou favorável à igualdade, mas não é por isso que tenho sempre que concordar com quem usa isso como argumento. Pessoalmente, não acredito que tenha sido uma questão sexista, acredito que foram emoções em alta e as coisas apenas saíram do controle”, pontuou a britânica.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis