Notícias | Copa Davis
Franceses buscam raro bicampeonato na Davis
21/11/2018 às 17h04

França tenta ser o 6º país a defender o título no formato atual da Davis

Foto: Arquivo

Lille (França) - Vencedora de dez edições da Copa Davis e atual campeã da competição, a França busca um raro bicampeonato. Desde que o Challenge Round foi abolido em 1972 e o formato atual da competição foi adotado, apenas cinco países conseguiram defender o título. Para isso, é preciso superar a Croácia no próximo fim de semana, em duelo no saibro de Lille.

Os Estados Unidos conseguiram defender o título em três ocasiões, em 1971/72, em 1978/79 e também em 1981/82. A Suécia foi bicampeã duas vezes, em 1984/85 e também em 1997/98. Além dessas nações, a Alemanha venceu edições consecutivas em 1988/89, a Espanha foi campeã em 2008/09, e recentemente a República Tcheca venceu o torneio em 2012 e 2013.

Nos primeiros anos da Davis, o chamado Challenge Round envolvia ao campeão do ano anterior contra o país que vencesse toda a fase eliminatória. Campeã pela primeira vez em 1927, a França faturou outros quatro troféus, entrando diretamente nas finais entre 1928 e 1933, quando perdeu o título para a Grã Bretanha.

Além disso, a França também tenta superar a Grã Bretanha e se isolar na terceira posição entre os maiores vencedores da Davis. Os Estados Unidos detém o recorde de conquistas, com 32 no total, seguidos de perto pela Austrália que tem 28 títulos. Franceses e britânicos venceram dez edições cada, e são seguidos pela Suécia, sete vezes campeã.

Adversários dos franceses na final, os croatas buscam o segundo título. O país disputa a Copa Davis como nação independente desde 1993 e já foi campeão em 2005 e vice em 2016. Empatada atualmente com Argentina, Itália, Suíça, África do Sul e Sérvia, a Croácia pode igualar as duas conquistas da Rússia.

A equipe do capitão Yannick Noah conta com Lucas Pouille, Jeremy Chardy, Jo-Wilfried Tsonga, Pierre-Hugues Herbert e Nicolas Mahut. Os franceses voltam ao Stade Pierre Mauroy, palco do título do ano passado, que desta vez terá uma quadra de saibro, em vez do piso duro usado em 2017. Os croatas terão Marin Cilic, Borna Coric, Ivan Dodig, Mate Pavic e Franko Skugor.

Comentários