Notícias | Dia a dia
Khachanov bate Djokovic e fecha semana perfeita
04/11/2018 às 13h52

Khachanov ganhou todas as quatro finais que já disputou

Foto: Arquivo

Paris (França) - O russo Karen Khachanov completou sua semana dos sonhos no Palácio de Bercy e, com a quarta vitória seguida sobre adversários top 10, conquistou seu primeiro troféu de nível Masters. O último capítulo foi mais que especial: superou o futuro número 1 do ranking Novak Djokovic, que não perdia há 22 jogos, por 7/5 e 6/4.

Khachanov se torna o terceiro tenista da temporada a ganhar seu primeiro Masters, seguindo os passos de Juan Martin del Potro em Indian Wells e John Isner em Miami. Também é o primeiro russo a ganhar um torneio desse quilate desde Nikolay Davydenko em Xangai de 2009 e é o terceiro a ganhar Paris (Marat Safin foi tri e Davydenko ganhou um).

Com a incrível campanha em Paris, Khachanov será o 11º do ranking nesta segunda-feira e terá chance de ir ao Finals de Londres como reserva. Na trajetória para o terceiro título da temporada e o quarto da carreira, eliminou sucessivamente Isner, Alexander Zverev, Dominic Thiem e Djokovic.

Às vésperas de recuperar a liderança do ranking, Djokovic sofreu apenas a segunda derrota desde que foi vice em Queen´s - a outra foi em Toronto, vencendo no caminho Wimbledon, Cincinnati, US Open e Xangai. Além da sequência invicta, Djoko perdeu sua primeira final em cinco tentativas em Paris e deixou escapar a chance do 33º Masters eo 73º título no geral.

O primeiro set teve dois momentos bem distintos. Djokovic soube explorar o backhand instável do russo até abrir 3/1 e tinha saque, com 30-0, para ampliar a vantagem. Passou então a cometer erros e Khachanov ganhou confiança. Recuperou a quebra, encarou as trocas mais longas, ousou com curtinhas e voleios. Teve ainda frieza para escapar de dois 0-30, incluindo o do game final em que fechou o set. A estatística era clara: Khachanov fez 18 a 5 nos winners e 20 a 11 nos erros. Por vezes ofegante, o sérvio novamente quebrou raquete.

Djokovic começou o segundo set com bom serviço, mas logo no terceiro game deu sinais de cansaço mental e fez escolhas ruins. Isso custou outra quebra e daí em diante Khachanov deu  mínimas oportunidades de reação, usando muito bem o primeiro serviço e seu potente forehand o máximo que pôde. Guerreiro, Djokovic ainda lutou de todas as formas, optando por arriscar mais.

A espetacular semana valeu o prêmio de 973 mil euros para Khachanov, cabendo 477 mil para o vice.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis