Notícias | Dia a dia
Djokovic bate Federer após 3h e busca 33º Masters
03/11/2018 às 15h45

Djokovic tem apenas uma derrota desde Wimbledon

Foto: ATP

Paris (França) - Em uma partida muito disputada e de ótimo nível, Novak Djokovic reafirmou seu ótimo momento na temporada e derrotou o suíço Roger Federer pela 25ª vez em 47 confrontos. Para ir à final de Paris, onde busca o pentacampeonato, marcou 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (8-6), 5/7 e 7/6 (7-3), após 3h03 de enorme esforço. Seu adversário às 12h (de Brasília) deste domingo será o russo Karen Khachanov.

Esta é a sexta final em menos de quatro meses de Djokovic. Depois do vice em Queen´s, faturou Wimbledon, Cincinnati, US Open e Xangai. Nessa sequência, está invicto a 22 partidas. Tentará conquistar seu terceiro Masters da temporada e assim empatar novamente com Rafael Nadal, que lidera o quadro, além do 73º troféu no geral.

Djokovic marcou também a quarta vitória seguida sobre Federer, que ganhou pela última vez em novembro de 2015. Empatou o duelo em jogos de Masters (10 a 10) e também sobre quadra sintética (18 a 18).

O primeiro set foi de alto nível técnico e uma batalha de estratégias. Federer tentou extrair o máximo do saque e do slice, desta vez sem forçar tanto as devoluções para entrar nos pontos, enquanto Djokovic usava toda sua habilidade para trocar direções e fazer o suíço bater em movimento.

Ainda assim, foi Djokovic quem esteve mais perto da quebra, com cinco break-points desperdiçados e especialmente um deles fácil no longo oitavo game. A decisão foi ao tiebreak e aí Federer não sustentou as três vantagens que teve: saiu com 2-0, depois teve 4-3 com saque e por fim chegou ao set-point, sendo no entanto conservador demais. Sempre oportuno, o sérvio não errou e fechou um set de ótimo nível por 8-6.

O segundo set manteve a qualidade e também o aperto em cima de Federer, que escapou da quebra logo no primeiro game e mais tarde num apertadíssimo 5/5. Também teve sua chance, logo no segundo game, mas precisou sempre arriscar mais diante de um Djokovic muito firme e sacando melhor. Com 5/6, Djokovic cometeu um raro erro não forçado que deu 15-30 ao suíço e aí Federer devolveu bem, aguardando a hora certa de ser agressivo e fechar o set.

O ritmo de emoção e qualidade seguiu por todo o terceiro set. Djokovic poderia ter saído com quebra e ficou perto de outra vantagem importante quando fez 15-40 no 5/5. Federer, batendo bem mais o backhand, manteve a frieza e buscou reações com o saque e postura ofensiva. Outro tiebreak, e desta vez Federer jogou mal, com erros sucessivos e uma dupla falta cruel que deu 3-0 e saque para o sérvio, uma vantagem irrecuperável.

Em sua 104ª final da carreira - empatando no sexto lugar com Guillermo Vilas -, Djokovic tem histórico de apenas um duelo diante de Khachanov, mas com fácil vitória nas oitavas de final de Wimbledon deste ano, em três sets.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis