Notícias | Dia a dia
Federer garante que não tem nada a perder
02/11/2018 às 22h10

Suíço tenta encerrar série invicta de Djokovic, que venceu os últimos 21 jogos

Foto: Divulgação

Paris (França) - Adversário de um embalado Novak Djokovic na semifinal do Masters 1000 de Paris, Roger Federer sabe que terá um grande desafio pela frente no duelo que acontece às 12h30 (de Brasília). Entretanto, o suíço tenta evitar a pressão e diz que não tem nada a perder no encontro diante do sérvio, que acumula 21 vitórias seguidas no circuito.

"Quero jogar bem. Quero tentar vencer, obviamente. Sei que ele está em uma boa fase, então acho que vai ser difícil. Mas acho que não tenho nada a perder", disse Federer, que tem 22 vitórias e 24 derrotas nos 46 duelos que fez contra Djokovic no circuito.

"Eu também gosto desse tipo de piso e gosto de jogar em quadras cobertas. Fui campeão em Roterdã e ba Basileia. Acho que estou pronto para amanhã, mas claramente tenho que jogar muito tênis amanhã porque isso é o que Novak exige de você", acrescenta o suíço, que perdeu os três últimos encontros que fez contra o sérvio.

"Não é apenas um saque aqui ou ali ou uma devolução aqui ou ali. Ele se defende muito bem e joga bem no ataque e está sacando consistentemente bem no momento, então eu acho que vai ser difícil", complementou o atual número 3 do ranking, a respeito do rival, que reassumirá a liderança na próxima segunda-feira.

A respeito da vitória por duplo 6/4 sobre Kei Nishikori nas quartas, Federer comemorou o fato de não precisar disputar um terceiro set. "Foi muito importante vencer em dois sets, não ser quebrado e jogar de forma consistente e sólida, sem fazer muitas jogadas loucas em meus games de serviço".

"Kei é um dos melhores devolvedores do circuito e se você permitir que ele entre em seus games de serviço com muita frequência, ele vai realmente machucar você", avalia o suíço, que venceu 97% dos pontos jogados com seu primeiro serviço e enfrentou apenas um break point na partida.

"É sempre bom ganhar em dois sets. Economiza energia não só para o que virá amanhã ou na semana seguinte, mas também para a sua carreira. Por isso, você pode ter mais sucesso se vencer partidas rápidas. Fiz isso muito bem ao longo da minha carreira e foi bom fazer isso novamente esta noite", complementa o veterano de 37 anos, que busca a final de número 152 na carreira.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis