Notícias | Dia a dia
Djokovic luta pela virada e vence a 21ª seguida
02/11/2018 às 18h01

Sérvio segue sem perder desde o Masters 1000 de Toronto

Foto: Divulgação

Paris (França) - O excelente momento de Novak Djokovic foi colocado à prova nesta sexta-feira, quando o sérvio teve trabalho para garantir vaga na final do Masters 1000 de Paris. Djokovic precisou lutar por 2h10 para derrotar o croata Marin Cilic, número 7 do mundo, por 4/6, 6/2 e 6/3. Esta foi a 16ª vitória de Djokovic em 18 partidas contra Cilic no circuito e a 21ª seguida para o sérvio na temporada.

Djokovic não perde desde o Masters 1000 de Toronto, no início de agosto, quando foi superado pelo grego Stefanos Tsitsipas. Nesta sexta-feira, entretanto, foi encerrada uma série de 30 sets seguidos vencidos pelo sérvio. Desde seu último revés, o número 2 do mundo foi campeão em Cincinnati, no US Open e em Xangai. Lembrando que o jogador de 31 anos já assegurou a volta à liderança do ranking mundial, já que irá ultrapassar Rafael Nadal na próxima segunda-feira.

Vencedor de 72 títulos na carreira, quatro deles na atual temporada, Djokovic tenta alcançar sua 104ª final de ATP e espera pelo vencedor entre Kei Nishikori e Roger Federer. O sérvio venceu 15 dos 17 jogos que fez contra o japonês e lidera o histórico contra o suíço por 24 a 22.

Os quatro primeiros games foram de muitas trocas do fundo de quadra e domínio dos sacadores. Cilic foi quem teve a primeira chance de quebra, mas Djokovic deu sorte, quando uma boa tocou na fita e atrapalhou o rival, que tinha forehand para matar o ponto e jogou para fora.

Os dois jogadores foram então alternando chances de quebra e Cilic conseguiu manter o saque depois de salvar três break points em um game com nove minutos. O croata passou à frente no nono game, quando conseguiu ser bem agressivo nas devoluções e não apressou para a definição dos pontos, conseguindo tirar Djokovic do centro da quadra. Sacando para fechar, o número 7 do mundo fez seu melhor game ao confirmar de zero.

Ao fim do set, Cilic liderava a contagem de winners por 13 a 8, e cometeu apenas um erro a mais, 9 contra 8 de Djokovic. A diferença no na contagem de bolas vencedoras muito se deu pela vantagem do croata nos ralis mais curtos, com até cinco trocas, em que venceu 23 pontos contra 15 do rival. Já nos pontos com mais de trocas, cada jogador levou a melhor 14 vezes.

Ainda que Djokovic tenha colocado apenas 50% de primeiros saques em quadra durante o segundo set, o sérvio perdeu apenas sete pontos em seus games de serviço e não enfrentou break points. O número 2 do mundo era também muito mais firme do fundo de quadra e levava vantagem tanto nos pontos mais curtos quanto nos ralis para conquistar duas quebras na parcial. CIlic cometeu 16 erros não-forçados contra apenas 5 de Djokovic, o que minimizou a estreita vantagem croata por 10 a 7 nos winners.

Cilic foi o primeiro a quebrar no set decisivo, depois de conseguir devoluções profundas e contar com uma dupla falta de Djokovic. Entretanto, o croata teve um game muito mal jogado logo na sequência, errando três forehands e um voleio, para entregar o empate sem sequer exigir muito esforço do adversário. O sérvio salvou um break point no sétimo game e conquistaria a quebra definitiva na sequência antes de sacar para o jogo. Ainda que Cilic tenha feito 29 a 21 em winners, o croata cometeu 37 erros contra apenas 19 do sérvio.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis