Notícias | Dia a dia
Djokovic celebra o nº 1 e prevê jogo duro com Cilic
01/11/2018 às 14h46

Djokovic lidera o retrospecto por 15 a 2, mas já perdeu para o croata este ano

Foto: Divulgação

Paris (França) - Depois de assegurar a volta à liderança do ranking mundial, Novak Djokovic celebrou o feito construído nos últimos cinco meses. Depois de sofrer com lesão no cotovelo no ano passado e maus resultados no primeiro semestre, o sérvio ocupava apenas o 22º lugar em junho e iniciará a próxima semana na primeira posição da lista.

"Refletindo sobre o que eu passei no ano passado, é uma conquista fenomenal. Estou muito feliz e orgulhoso disso", disse Djokovic, que acumula 223 semanas como número 1 do mundo e não liderava o ranking desde outubro de 2016.

"Sempre acredito em mim mesmo, mas cinco meses atrás era altamente improvável [a volta à liderança], considerando meu ranking e a maneira como estava jogando e me sentindo em quadra. Provavelmente vou poder falar mais profundamente sobre isso quando a temporada acabar e espero encerrá-la como número 1", acrescenta o sérvio, que tenta fechar um ano na liderança pela quinta vez na carreira.

Djokovic avançou às quartas de final do Masters 1000 de Paris beneficiado pela desistência do bósnio Damir Dzumhur. O sérvio vencia por 6/1 e 2/1 quando o rival abandonou a disputa por lesão. Seu próximo adversário será o croata Marin Cilic, contra quem tem 15 vitórias e apenas duas derrotas. Na atual temporada foram dois confrontos, com Cilic vencendo na grama de Queen's, em Londres, e Djokovic dando o troco em Cincinnati.

"Eu tinha um ótimo histórico contra ele até aquele jogo há alguns anos aqui", disse Djokovic, que venceu os 14 primeiros duelos contra Cilic, antes de perder pelas quartas de final do Masters parisiense em 2016. "Ele gosta de jogar em quadras cobertas, tem um ótimo saque e um grande jogo de fundo de quadra quadra".

"Vai ser um jogo difícil. Seus primeiros saques são muito, muito rápidos, e ele usa muito spin e variação em seu saque", avalia o jogador de 31 anos. "Se ele tive uma alta porcentagem de primeiro saque, será um grande desafio enfrentá-lo, mas estou ansioso para isso e vai ser um grande jogo".

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis