Notícias | Dia a dia
Stephens: 'Diziam que eu nunca mais ganharia nada'
27/10/2018 às 17h03

Stephens conviveu com muitas críticas, mesmo depois de vencer o US Open

Foto: Divulgação

Cingapura (Cingapura) - Depois de viver uma ótima temporada e disputar o WTA Finals pela primeira vez na carreira, Sloane Stephens acredita que teve sucesso nos planos que fez para este ano. Campeã do US Open em 2017, a norte-americana lembrou das críticas de que seria uma 'one-hit wonder' (termo muito usado na música para artistas que emplacam apenas uma canção de destaque) e celebra o fato de ter feito um ano consistente.

"Depois do US Open no ano passado, todo mundo dizia 'Ela é uma one-hit wonder', 'ela nunca vai ganhar mais nada', 'foi apenas sorte', 'não ganhou de ninguém' e blá, blá, blá", disse Stephens, depois de vencer Karolina Pliskova por 0/6, 6/4 e 6/1 para garantir vaga na decisão do WTA Finals, em Cingapura.

"Nesta temporada, eu realmente queria jogar um pouco mais consistente e ter melhores resultados nos torneios maiores para mostrar que eu soua uma top 10 ou uma top qualquer coisa. Acho que consegui fazer isso ao longo do ano", acrescenta a jogadora de 25 anos e número 6 do mundo.

"Acho que este ano eu me saí muito bem. Não acho que alguém possa dizer que eu tive uma temporada ruim", comenta a norte-americana, que foi campeã em Miami e finalista em Montréal e Roland Garros. "Pelo que fiz este ano, quero continuar nesse caminho para o próximo e acho chegar à final aqui, vencendo ou não, vai me ajudar a entrar em 2019"

Stephens enfrenta na final deste domingo às 8h30 (de Brasília) a ucraniana Elina Svitolina, sétima colocada e outra jogadora que relatou ter convivido com muitas críticas ao long do ano. "Muitas das melhores jogadoras têm altos e baixos nos resultados. Eu definitivamente sei o que ela está falando. Ela é uma grande jogadora e obviamente teve um ano incrível. Ninguém pode constestar isso, o ano dela foi ótimo".

A norte-americana lidera o histórico contra Svitolina por 2 a 1. Dois desses encontros aconteceram ainda em 2014 e o duelo mais recente ocorreu na semi em Montréal, onde a norte-americana venceu em sets diretos. Acho que será uma grande partida amanhã, mas não importa o que aconteceu no passado", afirma. "As condições são completamente diferentes. Estamos jogando em uma quadra dura e coberta. E há muita coisa em jogo. Vamos apenas entrar em quadra e dar o máximo que pudermos".

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis