Notícias | Dia a dia
Svitolina mantém embalo e decide o WTA Finals
27/10/2018 às 07h53

Svitolina tenta conquistar seu quarto título na temporada

Foto: Divulgação

Cingapura (Cingapura) - Depois de terminar invicta a fase de grupos do WTA Finals, Elina Svitolina marcou sua quarta vitória consecutiva e garantiu vaga na decisão em Cingapura. Número 7 do mundo, a ucraniana superou a nona colocada holandesa Kiki Bertens por 7/5 e 6/7 (5-7) e 6/4 em 2h38 de partida neste sábado.

Svitolina faz sua segunda participação no Finals, sendo que no ano passado ela foi eliminada ainda na fase de grupos com apenas uma vitória. Em 2018, a ucraniana foi uma das últimas a se classificar para Cingapura, mas liderou uma chave que teve Petra Kvitolina, Karolina Pliskova e Caroline Wozniacki.

Vencedora de 12 títulos na carreira, três deles na atual temporada, Svitolina tem ótimo retrospecto em finais, já que perdeu apenas duas pela elite do circuito. Em busca de seu troféu mais importante como profissional, a jogadora de 24 anos enfrentará neste domingo às 8h30 (de Brasília) a vencedora entre Karolina Pliskova e Sloane Stephens. A ucraniana tem três vitórias e cinco derrotas contra Pliskova, a quem superou na última terça-feira, e venceu um dos três jogos que fez contra a norte-americana.

Desde que o formato atual do Finals foi adotado em 2003, apenas sete vezes uma jogadora conseguiu conquistar o torneio de forma invicta. Três desses títulos pertencem a Serena Williams, nos anos de 2009, 2012 e 2013. Além de Serena, sua irmã Venus Williams conseguiu a façanha em 2008, Petra Kvitova o fez em 2011, além das belgas Kim Clijsters e Justine Henin em 2003 e 2007. Na atual temporada, tanto Svitolina quanto Stephens podem conquistar o título de forma invicta.

Em jogo com muitos longos trabalhados do fundo de quadra, a consistência de Svitolina fez a diferença durante o longo set inicial, que durou 49 minutos. Ainda que Bertens tenha liderado a estatística de winners por 13 a 4, a holandesa cometeu 21 erros não-forçados durante a parcial contra apenas 10 da ucraniana.

Depois de uma troca de quebras ainda no começo da partida, as sacadoras vinham prevalecendo até que Svitolina começasse a pressionar o saque da adversária já no fim da parcial. Bertens chegou a salvar um set point quando perdia por 5/4, mas cometeu uma crucial dupla-falta quando voltou a ser ameaçada dois games mais tarde.

A reação de Bertens foi imediata com uma quebra logo no game de abertura do segundo set. A holandesa tentava quebrar o ritmo da adversária com slices e bolas curtas e também buscava definir mais os pontos quando tinha a oportunidade. Svitolina não conseguia ameaçar o saque de sua adversária, que confirmou três games seguidos de zero para liderar por 5/3, e ainda salvou um set point em seu serviço. Quando Bertens sacou para fechar, teve 40-0, mas a ucraniana foi muito sólida do fundo de quadra e esperou pelos erros da adversária para reverter a desvantagem e devolver a quebra.

Salvar quatro set points deu confiança a Svitolina, que confirmou o serviço de zero para forçar o tiebreak. A ucraniana iniciou o game-desempate vencendo por 2-0 depois de sustentar duas longas trocas de bola. Mais agressiva, Bertens conseguiu reverter o quadro e venceu quatro pontos seguidos. A holandesa chegou a liderar por 5-3, mas forçou o empate. A dois pontos da vitória, Svitolina foi passiva demais na construção do ponto e permitiu que Bertens tivesse o set point. Na sequência, a holandesa encaixou uma ótima devolução para definir o set. Nas estatísticas, Bertens aumentou a diferença nos winners, para 17 a 5, e reduziu nos erros para 18 a 11.

A perda de um set não abalou a confiança de Svitolina, que largou com uma quebra de vantagem na parcial decisiva. Bertens buscou o empate em um logo game de 13 minutos ao aproveitar a quarta oportunidade que teve, mas voltaria a perder o saque na sequência e permitiu que a ucraniana retomasse a liderança no placar. Apesar da vantagem de uma quebra a favor de Svitolina, a disputa continuava equilibrada e Bertens teve trabalho para confirmar o saque quando perdia por 5/3 e um excelente drop shot foi fundamental para a manutenção do game de serviço. Sacando para o jogo, Svitolina enfrentou dois break points, mas Bertens cometeu dois erros com o forehand e permtiu que a ucraniana definisse a vitória. O equilíbrio no jogo foi tamanho que Svitolina só venceu três pontos a mais, 114 a 111. Bertens teve ampla vantagem na contagem de winners, liderando por 41 a 12, mas cometeu 63 erros não-forçados contra 36 da ucraniana.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis