Notícias | Dia a dia
Presidente da USTA se desculpa com juiz português
13/09/2018 às 13h10

Juiz português e presidente da USTA conversaram na Croácia

Foto: Repordução/Twitter

Zadar (Croácia) - O confronto entre norte-americanos e croatas pelas semifinais da Copa Davis rendeu o reencontro da presidente da USTA (Federeação Norte-americana de Tênis) e o juiz português Carlos Ramos pela primeira vez desde a polêmica na final feminina do US Open entre o árbitro de cadeira e a atleta da casa Serena Williams.

Acusado pela ex-número 1 do mundo de ter agido de maneira sexista na condução da partida, principalmente nas três advertências dadas a ela no decorrer do confronto, Carlos Ramos viu a USTA se posicionar ao lado de Serena logo após o ocorrido.

De acordo com o jornalista Andrew Dampf da AP, a presidente da USTA Katrina Adams pediu desculpas ao árbitro português ao encontrá-lo em Zadar, onde Carlos Ramos irá trabalhar no próximo fim de semana, sendo um dos responsáveis por comandar a semifinal entre os times da Croácia e dos EUA.

Se aparentemente a questão entre juiz e USTA está superada, o mesmo não acontece com a WTA, outra que defendeu Serena e atacou o português. Em comunicado assinado pelo seu presidente, Steve Simon, a entidade desaprovou a condução de Carlos Ramos e o acusou de sexismo nas decisões tomadas na final.

“A final do US Open de ontem (sábado) resultou em uma merecida nova campeã, Naomi Osaka, cujo feito é aplaudido pela WTA. Mas também se colocou a questão sobre padrões diferentes aplicados pela arbitragem a homens e mulheres nas partidas. A WTA acredita que não deve haver diferença na tolerância independente do gênero e está comprometida a trabalhar para que todos tenham o mesmo tratamento. Não acreditamos que isso aconteceu ontem à noite”, disse o comunicado.

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis