Notícias | Dia a dia
Tcheca chama de 'estupidez' o sexismo de Serena
13/09/2018 às 12h15

Strycova defendeu o juiz e garantiu que norte-americana não estava lutando pelos direitos de todas a mulheres

Foto: Arquivo

Praga (República Tcheca) - Depois de muita gente se posicionar em respeito à polêmica envolvendo a norte-americana Serena Williams e o árbitro português Carlos Ramos na final feminina do US Open, no último sábado, agora quem comentou o assunto foi a tcheca Barbora Strycova, que se posicionou firmemente contra a atitude da ex-número 1 do mundo.

“Não vi a final, mas li sobre o que aconteceu e depois vi as imagens. Minha opinião é que o juiz seguiu as regras e fez o correto”, falou Strycova em entrevista ao jornal tcheco Sport. “Dizer que Serena lutou pelos direitos de todas a mulheres é estupidez. Os juízes de cadeira não levam em consideração o gênero dos atletas”, complementou.

“Sempre tive boas experiências com ele, que é um dos melhores árbitros do mundo. Neste caso estou do seu lado. Serena deveria se espelhar em (Rafael) Nadal, um cara que nunca vi gritando com o árbitro daquela maneira”, acrescentou Strycova.

Atual 25 do mundo, a tcheca de 32 reclamou da regra de instrução do técnico, que no circuito da WTA é permitida, com a permissão da entrada do treinador em quadra uma vez por set, enquanto nos Grand Slam a comunicação é totalmente vetada. "Ou se permite que possa em todos os torneios ou mudem a regra”, disparou,

“Penso que o tênis é um esporte individual, no qual o jogador deva solucionar seus problemas sozinho dentro de quadra. Pessoalmente, sou uma jogadora que recebe muitas advertências e por isso falo com propriedade dessa experiência. Eu me surpreendi com as palavras de Steve Simon (presidente da WTA) falando da diferença entre homens e mulheres. Carlos agiu de acordo com o regulamento”, finalizou a tcheca.

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis