Notícias | Dia a dia
Federer eleva nível e busca virada sobre Wawrinka
18/08/2018 às 01h08

Federer amplia sua enorme vantagem no retrospecto, com 21 vitórias e três derrotas

Foto: Divulgação

Cincinnati (EUA) - Dez anos e um dia depois de conquistarem juntos uma medalha de ouro nas duplas nos Jogos Olímpicos de Pequim, Roger Federer e Stan Wawrinka estavam em lados opostos da rede para decidir a última vaga nas semifinais do Masters 1000 de Cincinnati. Depois de dois sets equilibrados e decididos nos detalhes, Federer jogou ainda melhor na parcial decisiva e buscou a virada com parciais de 6/7 (2-7), 7/6 (8-6) e 6/2 em 2h16 de partida.

Em 24 jogos entre os dois suíços, Federer amplia ainda mais sua enorme vantagem no retrospecto. Ele venceu 21 confrontos, incluindo os últimos cinco. As três vitórias de Wawrinka foram conquistadas no saibro de Monte Carlo, nos anos de 2009 e 2014, e nas quartas de final de Roland Garros em 2015.

Federer já havia entrado em quadra mais cedo nesta sexta-feira para vencer o argentino Leonardo Mayer pelas oitavas de final e encerrou o dia sem ter enfrentado nenhum break point sequer. Rodadas duplas são comuns para diversas estrelas do circuito em torneios prejudicados pela chuva, mas aconteceram poucas vezes na carreira do suíço. Ele próprio acredita que esta foi sua primeira desde 2004, em Gstaad, quando derrotou Ivo Karlovic e Radek Stepanek pelas oitavas e quartas.

Dono de 98 títulos no circuito, incluindo 27 conquistas de Masters 1000, Federer enfrentará na semifinal o belga David Goffin, que eliminou o argentino Juan Martin del Potro com parciais de 7/6 (7-5) e 7/6 (8-6). A partida está marcada para não antes das 20h (de Brasília) deste domingo. Federer lidera o histórico contra Goffin, 11º do ranking, por 6 a 1.

Por sua vez, Wawrinka tem a comemorar a boa campanha em Cincinnati. Ex-número 3 do mundo e dono de três títulos de Grand Slam, o suíço de 33 anos iniciou a semana apenas no 151º lugar. Por ter vencido os jogos contra Diego Schwartzman, Kei Nishikori e Marton Fucsovics, ele recebe 180 pontos e voltará ao top 100. Lembrando que Wawrinka não defende pontos no ranking até o fim do ano, já que perdeu todo o segundo semestre do ano passado por lesão e duas cirurgias no joelho esquerdo.

Embora tenha colocado apenas 46% de primeiros serviços em quadra durante o set inicial, Federer não enfrentou break points e só havia perdido seis pontos em seus games de saque durante a parcial. Quando perdia por 3/2, Wawrinka escapa de 15-40 num game espetacular dos dois jogadores, com trocas muito velozes de bola, variação com slices, subidas à rede e toques sutis. Mais tarde, já liderando por 6/5, Federer criou dois set points depois de uma dupla falta e um erro do adversário, mas Wawrinka jogou muito bem nos dois pontos e não permitiu que o adversário partisse para o ataque.

O tiebreak foi muito ruim para Federer, que falhou em duas tentativas seguidas de executar o saque e voleio. O primeiro em um voleio aparentemente tranquilo e o segundo em uma péssima escolha de swing-volley jogando a bola para fora. A liderança por 4/1 deu confiança a Wawrinka, que fez um ótimo winner com o backhand na sequência e ainda acontou com um erro na devolução do compatriota para ampliar a vantagem. Quando já perdia por 6-2, Federer sacou mal e subiu pior ainda para permitir um winner de devolução. Ainda que o heptacampeão tenha feito 13 a 7 em winners, ele também cometeu 23 erros não-forçados contra 15 de Wawrinka.

O andamento do segundo set foi de domínio dos sacadores. Como Wawrinka estava sempre à frente no placar, Federer tinha cada vez menos margem de erro. Ao fim de dez games disputados, nenhum break point e ligeira vantagem por 6 a 4 a favor de Federer em pontos vencidos na devolução. A única oportunidade de quebra aconteceu com o placar empatado por 5/5, quando Wawrinka conseguiu escapar com saque profundo no forehand de Federer, que jogou a devolução na rede.

O segundo tiebreak da partida foi emocionante e de alto nível técnico dos dois jogadores, que apresentaram diferentes recursos para ataque, defesa e meios de definição dos pontos. Federer largou com 3-0 e vinha sustentando a vantagem. O ex-líder do ranking perdeu um set point com o saque com uma 'madeirada', mas isso não minou sua confiança e ele conseguiu vencer os últimos dois pontos da parcial. Quando a partida atingia seu ápice técncio, foi necessária a suspensão por medida de segurança, devido à ameaça de raios.

Após um intervalo de aproximadamente 15 minutos, Federer voltou à quadra jogando um tênis ainda mais preciso, especialmente nas devoluções de saque e colocou bastante pressão sobre Wawrinka. Já o ex-top 3 não conseguia manter o nível técnico das parciais anteriores. A combinação gerou um último set desequilibrado e bastante confortável para o heptacampeão, que conseguiu duas quebras e venceu os últimos quatro games com autoridade. Federer fez mais winners que Wawrinka, 31 a 21, e terminou a partida com 48 erros contra 41 do compatriota e amigo.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis