Notícias | Dia a dia
Na véspera da estreia, Federer se diz bem adaptado
13/08/2018 às 19h37

Federer entra em quadra a partir das 20h (de Brasília) desta terça

Foto: Divulgação

Cincinnati (EUA) - Na véspera de sua partida de estreia no Masters 1000 de Cincinnati, Roger Federer se sente plenamente adaptado às quadras duras em seu único torneio preparatório para o US Open. O número 2 do mundo entra em quadra a partir das 20h (de Brasília) para enfrentar o alemão Peter Gojowczyk, 47º colocado, em duelo inédito no circuito.

"Eu tenho treinado em quadras duras. Então não é como se eu não tivesse jogado nesse piso há tanto tempo", disse Federer, que disputa seu primeiro torneio desde Wimbledon e não joga no piso duro desde março, em Miami. "Sinto que estou realmente pronto para jogar. Ansioso, na verdade. Cincinnati foi um grande torneio para mim no passado e é ótimo estar de volta. Espero poder jogar um bom torneio".

Menos de uma semana depois de completar 37 anos, Federer voltou a defender suas escolhas de calendário. Na atual temporada, o suíço disputou apenas sete torneios, foi campeão do Australian Open, em Roterdã e Stuttgart, e finalista em Halle e Indian Wells, além de ter sido eliminado na estreia em Miami e nas quartas em Wimbledon. O número 2 do mundo acumula 29 vitórias e quatro derrotas em 2018.

"Por causa do problema no joelho, da cirurgia que eu fiz e dos seis meses que eu fiquei parado, ficou mais fácil fazer essa escolha", lembra o suíço, que perdeu todo o segundo semestre de 2016 por lesão no joelho esquerdo. "Você fica mais feliz em tirar uma semana de folga, mas estar saudável para se manter no circuito, em vez de estar jogando, jogando, jogando... até que acontece algo e você pode ficar sem jogar, talvez para sempre".

"Emocionalmente, é uma situação difícil, porque eu gostaria de poder jogar todos os torneios. Mas em troca, eu tenho uma agenda mais leve, posso planejar tudo muito melhor com minha família, o que é super importante para mim, e também posso planejar meus treinos. Se eu quiser jogar mais, sempre poderei fazer isso. Se eu quiser jogar menos, posso também. Então eu sinto que já passei da parte agitada da minha vida".

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis