Notícias | Dia a dia
Guga vê Nadal e Federer jogando por mais 3 anos
21/07/2018 às 08h00

Guga aposta que os dois seguirão pelo menos até Tóquio 2020

Foto: Arquivo
Felipe Priante

São Paulo (SP) - A longevidade do espanhol Rafael Nadal e principalmente do suíço Roger Federer também foi assunto na entrevista coletiva dada pelo catarinense Gustavo Kuerten na última sexta-feira em São Paulo, onde esteve para participar do 6º ENEG (Encontro Nacional das Escolas Guga) que reunirá gestores e professores de tênis das 48 unidades franqueadas no país.

O ex-número 1 do mundo aposta que os dois seguirão no circuito por mais alguns anos. “Eu acho que se formos pensar até daqui uns três anos eu não descartaria nenhum deles. Temos um ciclo olímpico até 2020 e acredito que todos eles seguirão”, opinou o tricampeão de Roland Garros.

“Por incrível que pareça eles estão jogando cada vez melhor e isso dá a entender que enquanto o corpo aguentar eles irão jogar. Esses caras continuam com a chama acessa e indo bem nos Grand Slam. Jogam menos, equilibram melhor o circuito, mas seguem adiante. A nova geração já está há tempos tentando entrar, mas os caras não abrem espaço”, complementou Guga.

Colocando também o sérvio Novak Djokovic nesta equação de nomes dominantes no circuito, o catarinense aposta em nomes como o do alemão Alexander Zverev, do austríaco Dominic Thiem, dos russos Andrey Rublev e Karen Khachanov como principais esperanças para suceder o ‘Big 3’ no futuro. “Tem até mesmo o (Grigor) Dimitrov, que já é de outra geração”, falou.

“É difícil visualizar jogadores ainda mais jovens e posso estar esquecendo de um ou de outro. Shapovalov é outro que está bem no circuito. Esses caras já estariam consagrados se os outros tivessem abandonado o posto. Acredito que eles ainda terão dificuldade para se fixar no topo nos próximos anos, mas em algum momento vão passar por cima”, afirmou Guga.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis