Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Wimbledon se defende das críticas de sexismo
28/06/2018 às 11h59

Torneio foi acusado de privilegiar as partidas masculinas nas principais quadras do All England Club

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Criticada por ser sexista, deixando as partidas femininas sempre nas quadras de menos prestígio, a organização de Wimbledon se defendeu das acusações. Em entrevista ao The Times, o diretor executivo da competição Richard Lewis garantiu que o evento trata igualmente homens e mulheres.

"Acredito que a política que temos é correta. Tentamos avaliar as partidas por seus próprios méritos. No ano passado tivemos no mesmo dia Federer, Nadal, Djokovic e Murray, assim como Kerber, Muguruza, Konta e Venus. São ótimos jogos, mas tudo é uma questão de juízo pessoal", analisou o diretor de Wimbledon.

"São muitas as variáveis. Contra quem o atleta jogou nas rodadas anteriores, contra quem pode jogar se avançar e também analisamos o seu histórico da carreira. Acho muito interessante essa acusação de sexismo porque Lleyton Hewitt, ex-número 1 do mundo e campeão de Wimbledon jogou muitas vezes na Quadra 2 e nunca se queixou", observou Lewis.

Apesar da defesa feita pela organização de Wimbledon, um estudo feito pelo The Guardian mostrou que desde 1993 as partidas da chave masculina foram privilegiadas em relação às da chave feminina tanto na Quadra Central quanto no Quadra 1. Foram 61% de jogos de homens nestas duas quadras contra 39% de mulheres.

Comentários